• luchta Ewerton Ribeiro
    2020-10-13 15:40:24 -0300 Thumb picture

    O Fim do 3DS e dos Consoles Portáteis

    Eu ainda fico triste pela morte dos portáteis (apesar de nunca ter tido um...), os jogos de smatphones tem um modelo de negócio muito diferente dos tradicionais jogos de consoles portáteis, sendo a maioria F2P, com mecânicas características do gênero e cheio de microtransações abusivas. Além do controle de toque ser um saco de usar. Mas o mundo muda, as coisas mudam, e pelo jeito não tem mais espaço para eles...

    Nintendo DS Web Browser

    Platform: Nintendo DS
    2 Players

    7
    • Micro picture
      gradash · 12 days ago · 3 pontos

      Switch é um portátil. A Nintendo não abandonou o mercado de portáteis, abandonou o de consoles, eles simplesmente fizeram um portátil com HDMI, coisa que já existe nos retro.

      2 replies
    • Micro picture
      santz · 11 days ago · 1 ponto

      Eu ainda acho que podem fazer uma máquina nova portátil daqui uns anos. Vai vender só pela novidade.

  • 2020-10-12 19:18:41 -0300 Thumb picture

    Efeméride Gamer #22

    Medium 740904 3309110367

    12 de Outubro de 2013.

    Há 7 anos atrás, Pokémon X e Y eram lançados mundialmente para Nintendo 3DS. Desenvolvidos pela Game Freak e publicados pela The Pokémon Company e pela Nintendo.

    Pokemon X

    Platform: Nintendo 3DS
    3611 Players
    675 Check-ins

    1
  • 2020-10-03 22:54:01 -0300 Thumb picture

    Efeméride Gamer #8

    Medium 739297 3309110367

    3 de Outubro de 2014.

    Há 6 anos atrás, Super Smash Bros. For Nintendo 3DS era lançado na América do Norte e na Europa para Nintendo 3DS. Desenvolvido e publicado pela Nintendo.

    Super Smash Bros. for Nintendo 3DS

    Platform: Nintendo 3DS
    1791 Players
    774 Check-ins

    2
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2020-09-20 01:40:05 -0300 Thumb picture
    luchta checked-in to:
    Post by luchta: <p><strong>Check-Out</strong></p><p><a href="https:
    Fantasy Life

    Platform: Nintendo 3DS
    473 Players
    341 Check-ins

    Check-Out

    Fantasy Life é um simulador de vida para o Nintendo 3DS, que você cria um personagem, escolhe uma profissão e suas atividades no jogo e quests giram em torno da profissão escolhida.

    Eu criei uma personagem chamada Lucia, e coloquei nela o maior cabelo do jogo que de costas tampa tudo praticamente. Escolhi a profissão Paladin para lutar pelo reino, e fiz as quests iniciais. Vi que tinha uma parte de resgatar códigos no jogo, e achei todos eles na internet, com isso resgatei varias roupas e enfeites para minha casa. Estou usando essa roupa de cow boy, que da mais defesa que a armadura inicial e da loja (é, não faz sentido).

    Após sair da cidade, andei pelo mapa batendo nos monstrinhos, tem muitos para sentar a espada no lombo. Alguns pelo jeito aparecem apenas em certas horas do dia.

    O jogo tem sistema de dia e noite, alguns monstros até dormem a noite, isso deve influenciar em outras coisas também. Ao derrotar um monstro forte ele deixa cair essa caixa que posso andar com ela, e não sei para que serve. Enfim, o jogo é bem interessante, é tipo um The Sims para crianças.

    14
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      Parece ser mais interessante que The Sims.

  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-09-19 20:12:04 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: The Great Ace Attorney

    Zerado dia 19/09/20

    Também conhecido como Dai Gyakuten Saiban: Naruhodō Ryūnosuke no Bōken.

    Aaaaah, Ace Attorney. Como eu amo essa série! Pensando bem, até uso uma imagem dela como foto de capa do meu perfil aqui do Alvanista.

    Lembro que lá pra 2009/2010 eu tinha adquirido um Nintendo DS usado com R4 numa troca com um conhecido. Pensa num cara feliz! Eu mal podia que finalmente jogaria coisas como os seus Zeldas, Metroid, Mario etc. Tinha testado e jogado no emulador do portátil no meu PC, que nem era muito bom e esse tipo de emulação ainda engatinhava.

    Eu estava louco pelo DS, era tudo o que eu fazia no meu tempo livre (e como eu tinha tempo livre)! Com isso, os jogos foram "acabando" e como eu estava bem por fora do mundo dos jogos, comecei a pesquisar sobre os melhores e mais importantes títulos da plataforma. SEMPRE tinha Ace Attorney. Sempre! - e Professor Layton também!

    Eu não sabia o que pensar das imagens que via online e simplesmente não me sentia atraído, até que finalmente resolvi dar uma chance.

    Meu primeiro contato com AA foi bem ruim. Eu comecei pelo jogo errado: o segundo da série, Justice for All. Mesmo sabendo inglês, eu não sabia exatamente o que fazer no jogo. Deixei de lado depois de boiar tanto até no que estava acontecendo em sua trama.

    Tentando saber o porquê do jogo ser tão popular, pesquisei mais a fundo, descobri que tinha começado pelo jogo errado e dei uma nova chance. Cara, eu amei o jogo! Tanto que fui atrás dos demais com o tempo (são jogos longos). Depois descobri que essa trilogia do Phoenix Wright é originalmente de GBA, mas até então exclusiva do Japão. 

    Com o passar dos anos fui jogando os demais, como o primeiro original de DS, Apollo Justice, os spin-offs, Investigations 1 e 2, e finalmente dei entrada no primeiro de 3DS, Dual Destinies, seguido pelo cross-over com Professor Layton (que não curti muito).

    Depois de tantos jogos e casos, a CAPCOM anuncia um novo AA, mas que seria exclusivo do Japão, infelizmente. Bom, anos depois, graças aos fãs, finalmente tivemos a tradução desse jogo (assim como aconteceu com o Investigations 2). Tô com o último Phoenix Wright a anos no 3DS esperando seu momento, mas acabei não resistindo muito ao The Great Ace Attorney (TGAA).

    Imagino que a CAPCOM tenha optado por não trazer o jogo pro ocidente por diversos motivos. Em parte eu acredito que tenha sido porque talvez Ace Attorney sem o nome Phoenix Wright talvez não tenha dado muito certo por aqui, mas principalmente pela grande quantidade de conteúdo japonês que só fazem sentido se jogado por eles e em seu idioma, como o fato de TGAA acontecer inicialmente no Japão, seguindo com os personagens indo para Londres e tendo que lidar com dificuldades na linguagem, cultura e diferenças no sistema penal. 

    Fora que há gestos bizarros, como o do personagem principal que parece coisa nazista. Enfim, teriam que modificar um bocado de coisas e censurar mais outro bocado.

    A tradução dos fãs é incrivelmente perfeita, apesar de que, parando pra pensar, algumas coisas ficam sem sentido, como o próprio fato de eles estarem falando em inglês e com dificuldades de entender o próprio idioma. Mas no final das contas só senti falta de uma coisa por falta da CAPCOM: a ocidentalização dos nomes, como ela sempre fez. Phoenix Wright? Miles Edgeworth? Todos os nomes são completamente diferentes no original japonês, e isso é bom. Um exemplo disso é o protagonista de TGAA, que se chama Ryunosuke Naruhodou (chamado por todos de Naruhodou), entre outros. Bem difícil não confundir e memorizar o nome da galera!

    Pra quem não conhece os Ace Attorney, são jogos baseados em muita leitura, entendimento das situações, coleta de evidências e refutar testemunhos contraditórios das pessoas em côrte, basicamente.

    Um cara fala que a mulher foi morta com um tiro na mão direita. Você que já está por dentro das coisas e prestando atenção, abre o seu inventário e mostra a autópsia que diz que foi um tiro na mão esquerda. Obviamente o jogo não é tão fácil assim e muitas vezes vai te fazer ler e reler as falas das pessoas procurando por contradições ou procurar nos seus muitos itens o que prova o contrário do que foi dito.

    O jogo, como sempre, se divide em investigação e julgamento. A parte da investigação leva você e sua assistente para diversos locais de interesse para conversar com diversas pessoas, inclusive o réu na prisão, coletando provas e aprendendo mais sobre as circunstâncias do acontecimento, enquanto o julgamento, minha parte favorita, é onde o advogado e o promotor disputam e tentam chegar à conclusão certa do caso.

    Apesar da temática, o jogo todo é bem alegre e dosa bem as partes mais sérias. No final da conta, é incrível como os casos dão mil e uma reviravoltas e você se sente inteligente por ter desvendado a verdade. Fora isso, você vai acabar gostando de todos os personagens!

    The Great Ace Attorney definitivamente não é um jogo essencial do Nintendo 3DS nem da série, mas é um bom complemento pra quem já está familiarizado e quiser mais jogos ainda! Qual é? Esse é o oitavo Ace Attorney! É um jogo bem-feito e mais divertido que os Investigations, na minha opinião, mas os AA definitivos continuam sendo os originais, seguindo pelos outros Phoenix Wright e até o Apollo Justice.

    Eu sempre digo pros meus amigos: jogue a trilogia original, ou melhor, o primeirão de todos. Zerou e quer mais? Continue. Zerou a trilogia e ainda quer mais? Vai jogando. Inclusive acho que grande parte da culpa de eu não ter curtido ainda mais TGAA é justamente por eu já ter jogado tanto AA anteriormente e, mesmo com anos entre eles, eu ainda sinto que joguei o anterior a tão pouco tempo!

    Felizmente esse jogo tem lá as suas particularidades também e que tiram um pouco da mesmice. A jogabilidade muda bem com as deduções do seu amigo Sherlock Holmes, que cria uma situação e você tem que corrigir as palavras-chaves usando a sua lógica e o que tiver de evidência no momento, fora do tribunal. Fora isso agora há um juri nos julgamentos e você deve encontrar contradições em suas falas de um com outro até fazer com que os 6 mudem de ideia.

    Resumindo: como eu já disse, The Great Attorney é um bom jogo, muito bem feito e serve bem de complemento para quem já curtir a série e quiser mais. Eu esperava mais das situações do final do século XIX e mais situações no Japão, mas a aventura se passa quase toda em Londres na era vitoriana com elementos steampunk. Meio decepcionante pra mim. Estive jogando esse jogo por quase um mês e no final das contas estava meio cansado e sem motivação muitas vezes. ainda assim, mil vezes melhor que Professor Layton Vs Phoenix Wright.

    De bom: visuais incríveis em 3D. Efeito 3D muito bom. Tradução perfeita, usando termos comuns na série e aplicada em imagens e modelos. Personagens bacanas, como a série sempre fez. O jogo tem um cliffhanger muito massa pra TGAA 2, que os fãs já trabalham para traduzir.

    De ruim: os casos são meio sem graça e nada recompensadores. Olha só: um caso é praticamente um tribunal de mentira e o culpado, mesmo sendo criminoso, não é punido. Outro é extra-oficial entre pessoas num mesmo lugar e bem simples. Outro acaba do nada e o culpado se livra da culpa. O quarte e quinto casos são os mais normais, mas os assassinatos e as circunstâncias são bem sem graça.

    No geral, um bom Ace Attorney, mas tem outros muito superiores a ele. Fora que eu já estou ficando cansado da série, infelizmente. Vou jogar os outros dois últimos que faltam e espero ficar mais entusiasmado quando os fizer. A CAPCOM ainda não trouxe nenhum jogo novo da série pra nova geração e, de certa forma, talvez seja melhor assim.

    The Great Ace Attorney

    Platform: Nintendo 3DS
    84 Players
    5 Check-ins

    21
    • Micro picture
      jcelove · about 1 month ago · 2 pontos

      Esse é o motivo q me obriga a desbloquear o 3ds algum dia. Quero muito jogar o 1 e 2.
      Sobre os gestos provavelmente os nazistas adotaram, assim como pegaram a suastuca e amaldiçoaram esse simbolo.

      Joga o spirit of justice, é muito bom tbm e fecha a trilogia do Apollo. Ainda tenho esperança por uma trilogia focada na athena, com Blackquill de sidekick.hehe

      1 reply
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      Eu também ainda não dei uma chance para a série. Nada nela me atrai.

      2 replies
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2020-09-11 12:59:28 -0300 Thumb picture
    luchta checked-in to:
    Post by luchta: <p>Eu tive que baixar esse jogo novamente para joga
    Bravely Second

    Platform: Nintendo 3DS
    333 Players
    132 Check-ins

    Eu tive que baixar esse jogo novamente para jogar no Citra, por algum motivo ele não passava da tela de título, mas baixando de novo ele entrou (e sim, eu tentei todo tipo de configuração antes, inclusive dei reset nas configurações do emulador para as default). Estranho...

    12
    • Micro picture
      hennry · about 1 month ago · 1 ponto

      baixei o citra hoje tb, pra jogar KHDDD
      não manjo nada do emulador btw

      4 replies
  • bmark B - Mark
    2020-08-07 11:31:01 -0300 Thumb picture

    Sonic estaria em Project X Zone

    Medium 728360 3309110367

    Hoje estava lendo um review do jogo Project X Zone para Nintendo 3DS e soube através dele que Sonic seria um dos personagens jogáveis deste jogo mas foi substituído por Tron Bonne do jogo Megaman Legends.

    Segundo esse review Sonic faria dupla com Frank West da série Dead Rising, o que na minha opinião seria estranho porque Sonic é um jogo de plataforma e Dead Rising é um Survival Horror focado na ação.

    Na minha opiião se o Sonic fizesse dupla com algum personagem de jogo de plataforma.

    Também li um depoimento de um dos produtores do jogo dizendo que não queria colocar personagens antropomórficos no jogo.

    Para quem não sabe Project X Zone é um Strategy RPG que foi lançado em 2012 para Nintendo 3DS com a temática Crossover com personagens da Capcom,Bandai Namco e Sega.

    Este foi o primeiro jogo de 3DS que terminei.

    Fonte:

    https://toyreview.forumeiros.com/t2135-analise-project-x-zone-nintendo-3ds

    Project X Zone

    Platform: Nintendo 3DS
    745 Players
    104 Check-ins

    14
    • Micro picture
      carlospenajr · 3 months ago · 1 ponto

      Uma pena, ia ficar legal ter o sonic no jogo :/
      E sei lá, acho bobeira disso de não por personagens antropomórficos, já que no NXC tem alguns lá e uns personagens humanos que são bem deformados e ficou bem legal mesmo assim :/

      2 replies
    • Micro picture
      katsuragi · 3 months ago · 1 ponto

      Já não é novidade as duplas terem uma dinâmica bem estranha na questão de origem de seus jogos, o Frank mesmo faz dupla com a Hsien-Ko que é de um jogo de luta. Haha
      Muitas figuras populares ficaram de fora, a própria Namco não trouxe o Pacman em nenhum dos jogos da série, fazendo ele aparecer só de cameo como estátua numa Stage em frente ao Namco Museum.
      A seleção de Cast é bem única e obscura entre os títulos, mas tem um lado positivo nessa questão, eu desconhecia muitos personagens introduzidos em alguns deles e quando pesquisei descobri e me diverti com títulos fantásticos. Às vezes vale a pena dar o holofote pra quem nem sempre aparece.

      3 replies
    • Micro picture
      mastershadow · 3 months ago · 1 ponto

      O Sonic com Knuckles seria uma dupla perfeita pra esse game.

  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-07-02 18:32:48 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Kirby: Planet Robobot

    Zerado dia 02/07/20

    Há uns dias atrás estava com vontade de jogar alguma coisa mais tranquila e que não exigisse quebrar a cuca ou sentar na mesa do notebook, então peguei o Nintendo 3DS e, diante de tantas coisas que tenho por lá ainda a serem jogadas (mesmo já tendo zerado tanta coisa nele de 2012 pra cá), o escolhido foi Kirby: Planet Robobot.

    Mal dá pra acreditar que esse jogo é de 2016! Na minha mente ele parece tão recente! Lembro que desde deu lançamento até hoje o pessoal fala muito bem desse título, o que sempre me deixou curioso (muito mais do que com o Star Allies).

    A escolha foi feita com base nesse hype e na vontade de jogar algo de plataforma. Sobre a minha experiência com a série, ela começou no Dream Land 2 no meu Game Boy Color lá na pré-adolescência. Eu amava aquele jogo!

    Desde então fui jogando o restante dos kirbys com o passar dos anos, sem pressa. Adorei a franquia no GBA, no GBC e no NES. Nunca fui tão fã daqueles de SNES nem o do N64. Spin-offs, como aquele de corrida do Gamecube nunca me agradaram muito apesar de eu curtir Canva's Curse e Rainbow Curse. No DS, os jogos sempre me pareceram meio genéricos e no Wii, muito voltado apenas à um público infantil de tão fáceis e bobos.

    Essa fase de jogos meio bobões da bolota rosa afastou muita gente da série, principalmente agora, com o Star Allies, que cheguei a jogar a demo e achar fraco e mais tarde algumas fases do jogo completo com amigos, e cheguei a conclusão que a experiência é quase deprimente de tão sem graça e fácil.

    Mas e o tal do Planet Robobot? Esperava algo mais completo que o Triple Deluxe, da mesma plataforma, e não me decepcionei! Que jogo ótimo!

    Abrindo o jogo, me deparei com diversos modos alternativos na tela e fiz o que não costumo fazer: fui direto pra eles. Sei lá, imaginei que eu pudesse os esquecer depois ou mesmo desanimar de dar uma chance pra joguinhos que pudessem ser bem curtos, e de fato eles são mesmo.

    Um desses minigames dura uns 10 minutos do início ao fim e é quase como uma demo do que mais tarde seria transformado em um jogo completo e standalone: Kirby's Blowout Blast (que pretendo jogar mais pra frente).

    Já o outro minigame eu nem abri, pois imaginei que seria a mesma coisa, mas com o que se tornaria mais tarde Team Kirby Clash Deluxe, jogo que já terminei no 3DS e até a versão do Switch.

    No layout bacana da tela inicial ainda dava pra ver que havia espaço para mais ícones aparecerem depois (foi o que aconteceu assim que terminei a campanha).

    Começando o jogo real, a aventura se abre com uma cinemática em CG, meio que como em todos os jogos da série principal desde Return to Dream Land (Wii) pelo menos. Eu sempre fico dividido com esses filmes. São bonitinhos, mas tem um tom um pouco diferente dos jogos que os seguem. Nesse caso só toca uma música e não nenhum outro efeito sonoro.

    Essa CG dá o ponto de partida do enredo, com a invasão de seres robóticos na terra onde o Kirby e amigos vivem.

    O jogo é bem no mesmo estilo do Triple Deluxe mesmo, tudo em 3D e tal. Não há muita novidade fora que as fases são cheias coisas robotizadas. Menos verdes e felizes, mais prateadas ou em tons de bronze e ouro e levemente futuristas. Ao menos não é aquela Dream Land de sempre e até a música é diferente!

    Pequenas mecânicas novas vão se apresentando aqui e ali, assim como uma grande gama de poderes pro Kirby sugar dos inimigos e usar para si. Muito bacana! Dá pra sentir que o jogo foi feito com um cuidado maior e com o gameplay em mente.

    Tinha até me esquecido disso até acontecer, mas a mecânica nova e super legal do jogo é o ROBÔ! Sabe aqueles mechas do Mega Man X que a gente usava pra dar dash e sair distribuindo socão? É exatamente isso! A série definitivamente precisava de uma boa novidade assim!

    Além da jogabilidade mais rápida e forte do robô, ele também pode analisar os inimigos (com o mesmo botão de sugar do Kirby) e aprender suas habilidades, que ainda mudam sua aparência e gameplay.

    A primeira habilidade que usei no jogo com o robô foi a do fogo, que o transforma em um grande lança-chamas pros ataques. Depois achei a espada, que o deixa verde e com braços de lâminas. Tem o poder de eletricidade que o faz jogar bolas quicantes de choque e o bumerangue que o faz ter braços de serra, entre muitos outros.

    Com novos poderes surgem novas responsabilidades já que apesar de o robô ser bem forte de qualquer forma e poder interagir com certos objetos de modos que o Kirby sozinho não pode, há mecânicas exclusivas para determinadas habilidades.

    Algumas dessas mecânicas são quase sempre obrigatórias, como nas fases que você joga com o robô na forma de carro ou de avião (estilo shmup), mas algumas vezes essas habilidades estarão  dispostas de formas opcionais pelo cenário e só permitirá que você acesse certos lugares mais pra frente se tiver as pego anteriormente.

    Algumas outras ocasiões até podem ser ativadas apenas com o Kirby e o poder certo, mas o puzzle vai requerer que você tenha o robô para levantar blocos pesados do caminho ou que use seus grandes braços para girar parafusos. Um bom exemplo disso são partes que você ativa usando eletricidade em fios elétricos e que você deverá mover algum bloco que conduza a eletricidade no meio do caminho ou que gire parafusos para que o cenário se mova e continue com a corrente elétrica.

    Kirby: Planet Robobot ainda se destaca em relação aos muitos últimos jogos que joguei da série por seus diferentes estágios, que contam com level design de primeira e cenários memoráveis, além do uso de camadas em conjunto (ou não) com o efeito 3D do portátil, que dão uma profundidade muito bacana e ajudam na percepção de objetos que vem em direção à tela. Por conta disso, mesmo não suando muito o efeito no meu New 3DS XL nos demais jogos, acabei usando um bocado aqui, sobretudo em momentos que pareciam ter maior apelo pra isso, como a batalha final (só desativava mesmo porque os jogos ficam mais serrilhados).

    Muitos dos níveis desse jogo são únicos, como em uma fase que você anda pela cidade e carros vem em direção a tela. Preste atenção na sinalização de trânsito e espere o semáforo fechar! O time foi muito criativo com o jogo e suas muitas mecânicas bacanas e enorme variação em relação a poderes, seja com o Kirby ou com o robô, e toda a interação com objetos.

    O jogo tem poucos mundos: 6. Apesar de haver mais coisas a serem feitas. Cada um desses mundos tem cerca de 5 fases + chefe + cenário extra. Há mais chefes em fases comuns.

    Cada estágio tem 3 cubos a serem encontrados. Alguns bem fáceis, outros mais escondidos. No começo da aventura você deve achar todos com certa facilidade e se importar, como eu, vai acabar  explorando melhor os cenários para terminar com todos eles em fases mais avançadas.

    Coletar cubos tem o seu lado "complecionista", mas eles tem lá as suas importâncias. Cada mundo requer um número mínimo deles encontrados para desbloquear o chefe. Felizmente o número geralmente é baixo e não deve ser problema (cada mundo tem 15 e no final me pediram uns 7 para o desafio final). Coletar todos os cubos de cada mundo é ainda o requisito para abrir sua fase "secreta", chamada de Ex.

    Essas fases Ex são bem opcionais (e tem também seus cubos) e vale a pena só pra ver coisas novas e aumentar a vida do jogo, que jogando casualmente 1 mundo por dia, me pareceu tão rápido (mas também porque curti demais)! 

    Acredito que esses cubos também sejam parte importante para fazer 100% no seu save (terminei com 77%, mesmo pegando tudo na campanha principal).

    Resumindo: Kirby: Planet Robobot é o jogo que eu precisava na série: cheio de melhorias e novidades. O jogo é divertido do começo ao fim, passando por suas ótimas fases, muitas mecânicas bacanas, muita variedade, modos de jogo alternativo e o robô, como eu amo o robô!

    A experiência foi uma das mais memoráveis da bolota rosa e quase fui até os 100% fazendo o modo do Meta Knight que desbloqueou depois, mas fica pra uma data futura.

    De bom: visual lindo (impossível de reproduzir imagens boas do 3DS da internet). Jogabilidade ótima. Muitas novidades e mecânicas. Trilha sonora legal. Muito divertido de explorar e ir atrás de todos os cubos (a maioria eu fiz na primeira jogatina das fases). Inclui modos alternativos, sendo um deles multiplayer (provavelmente com Download-Play). chefes bacanas. O robô sempre surpreende. Efeito 3D legal.

    De ruim: achei que os desenvolvedores repetiram algumas ideias com frequência, sobretudo no final e em relação a cenários, como a mesa de sinuca que sempre reaparecia e a minha adorada fase das faixas de pedestre, que apareceu algumas vezes em versões alternativas. Algumas partes você tem que agir rápido para acessar algum lugar, como em uma que o vento te empurrava e você deveria cortar uma corda para cair na plataforma abaixo e acessar a porta e se você errava o timing em certas partes desse tipo, tinha que recomeçar o estágio pra ter outra chance.

    No geral, amei e me surpreendi com o jogo. É bom como dizem? Sem dúvidas! É o melhor jogo do Kirby? Eu não sei, mas se não for, está entre os melhores. Se alguém me pedisse recomendação da série, essa seria a minha escolha. Jogaço!

    Kirby: Planet Robobot

    Platform: Nintendo 3DS
    214 Players
    46 Check-ins

    24
    • Micro picture
      manoelnsn · 4 months ago · 2 pontos

      Gostei bastante quando joguei também, o problema foi o final boss verymotherfucker easy, aquela borboleta do triple deluxe era bem melhor

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 4 months ago · 2 pontos

      Mas é fofinho esse KIRBY...😁

  • renanlima1118 Renan Lima
    2020-06-26 10:24:25 -0300 Thumb picture
    Post by renanlima1118: <p>Desafio: Top 20 Músicas de Games</p><p><strong>D

    Desafio: Top 20 Músicas de Games

    DIA 16 - Trilha de The Legend of Zelda: Majora's Mask 3D (2015 - Nintendo 3DS)

    Por ter sido um projeto de importância menor na sua época,  dentro da Nintendo, esse jogo acabou utilizando vários personagens, objetos e trilhas do seu antecessor o Ocarina of Time.

    Ainda assim Majora's Mask tem trilhas novas que são das mais únicas, não só dá franquia, mas dos jogos em geral. É único, um pouco assustador e triste.

    Majora's Mask como um todo é assim, é bem longe de algo épico que vários jogos da franquia tem.  Isso sempre colocou Majora's Mask como o mais diferente e especial dentre todos.

    A trilha sonora junto de toda a atmosfera do jogo são uma experiência incrível e muito tocante.

    The legend of Zelda: Majora's Mask 3D

    The Legend of Zelda: Majora's Mask 3D Soundtrack

    As regras são as seguintes:

    1 - Poste uma música de um jogo por dia por 20 dias (total de 20 jogos);

    2 - Não pode repetir o jogo;

    3 - A música precisa estar no jogo;

    4 - Vale versão remix ou música licenciada no jogo;

    Finalizo agradecendo quem me desafiou @andre_andricopoulos. Desafio qualquer outro lendo e interessado em participar.

    The Legend Of Zelda Majora's Mask 3D

    Platform: Nintendo 3DS
    1116 Players
    334 Check-ins

    0
  • renanlima1118 Renan Lima
    2020-06-24 11:31:20 -0300 Thumb picture
    Post by renanlima1118: <p>Desafio: Top 20 Músicas de Games</p><p><strong>D

    Desafio: Top 20 Músicas de Games

    DIA 15 - Trilha de The Legend of Zelda: Ocarina Of Time 3D (2011 - Nintendo 3DS)

    Eu tenho a impressão que vez ou outra qualquer jogador de videogames já teve sua fase ouvindo e relembrando a trilha sonora desse jogo!

    Ocarina of Time é um clássico, e continua até hoje.  Não joguei ele na sua época, seria impossível aliás pois foi o ano em que nasci!

    Minha primeira experiência com esse Zelda foi em 2014, no 3DS. E me apaixonei, ouvi incansáveis vezes essa trilha. E ela me trás lembranças até hoje.

    Ocarina é um jogo até hoje sem igual, uma obra prima.

    The legend of Zelda: Ocarina of Time 3D

    The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D Soundtrack

    As regras são as seguintes:

    1 - Poste uma música de um jogo por dia por 20 dias (total de 20 jogos);

    2 - Não pode repetir o jogo;

    3 - A música precisa estar no jogo;

    4 - Vale versão remix ou música licenciada no jogo;

    Finalizo agradecendo quem me desafiou @andre_andricopoulos. Desafio qualquer outro lendo e interessado em participar.

    The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D

    Platform: Nintendo 3DS
    6175 Players
    661 Check-ins

    1

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...