• tiagotrigger Tiago Prado Oliveira
    2020-06-04 22:43:10 -0300 Thumb picture

    Speedrun Ninja Gaiden - Summoning Salt

    Esse vídeo do Summoning Salt ficou excelente. O legal da história do speedrun desses jogos antigos de NES é que sempre tem várias reviravoltas, e o Ninja Gaiden deve ser um dos que mais tem. A primeira vista não tem muitas áreas possíveis de salvar tempo, mas com a dedicação dos caras eles encontram maneiras de salvar mais tempo ainda.

    Ninja Gaiden

    Platform: NES
    1506 Players
    35 Check-ins

    22
    • Micro picture
      rax · 4 months ago · 2 pontos

      Vou ver aqui.Gosto bastante de Ninja Gaidenl :)

  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-04-15 00:05:44 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Shadow of the Ninja

    Zerado dia 14/04/20

    Um daqueles jogos que você mal sabe de sua existência até que ressurja de algum lugar querendo ser jogado. Esse é Shadow of the Ninja, um jogo da Natsume de NES lá do início dos anos 90.

    Eu sempre acompanho os lançamentos de jogos antigos pro Nintendo Switch Online e, embora eles disponibilizem títulos lentamente e que ninguém liga, eu tento ver algum lado positivo nisso, e isso pra mim quer dizer jogos menos populares e que merecem uma chance.

    Acredito que tenham uns 15 jogos de NES pra zerar ainda (contra 4 ou 6 de SNES) no Switch e enquanto a Nintendo não ajuda lançando outros como Eathbound Beginnings e tal, vou achando algo que dê vontade de terminar para preencher intervalos de jogos maiores e mais maçantes.

    Como eu ainda estou no clima bacana que Vice: Project Doom me propiciou, fui atrás de Shadow of the Ninja (SotN) agorinha, após uma longa sessão de Animal Crossing: New Horizons e de outro jogo que estou acabando.

    Abrindo o jogo, me veio o logo da Natsume bem grande na tela. Não sei porque, mas isso me desmotivou um pouco, haha. Natsume? Tanto faz...

    Logo em seguida há uma curta cutscene contando a trama do jogo. Nada de novo ou muito empolgante até aí.

    Agora temos a tela título e a opção de jogar de 2 jogadores! Uau, que inesperado! Cheguei até a testar sozinho com dois controles depois de zerar pra ver como funcionava, e é bacana que são os dois jogadores na tela jogando simultaneamente! Fiquei com vontade de jogar assim e acredito que no caso de SotN, que é mais lento que um Ninja Gaiden da vida, isso funcione muito bem!

    O jogo em si é, como eu já mencionei, estilo Ninja Gaiden, mas mais lento. Não que ele seja devagar, mas não tem aquele aspecto de speedrun que NG parece ter. Eu diria que SotN tem uma velocidade similar à de Contra.

    Por outro lado, comparado a esses dois títulos, o jogo é bem de boa no quesito inimigos. Primeiro que não há um zilhão deles na tela (na verdade quase sempre parece ter menos do que eu esperava) e, em segundo lugar, não há respawn dos caras!

    Outra diferença é que você não pode atacar enquanto corre, tendo que parar e calcular certinho o pequeno alcance da sua katana contra seus oponentes e tomando cuidado com seus padrões de movimento e ataque. Vários deles inclusive levam muito dano antes de morrer ou só podem perder vida quando abrem a guarda.

    Esse jogo tem umas particularidades que achei bem bacanas, a questão da vida e HP sendo uma delas. Quando comecei a jogar e tomei meus primeiros hits, vi que tinha perdido bem menos HP do que esperava e em relação a jogos similares. Imaginei que seria bem tranquilo de terminar a aventura.

    O fato é que não há 1ups e itens de cura são relativamente raros ou curam muito pouco. você pode tomar um bocado de dano, experimentar bastante com os oponentes e até errar pulos e cair nos buracos que você não morre, só perde HP.

    O fato é que, perdendo todo o seu HP, você dá Game Over e tem que usar um dos seus 5 continues, voltando do início da última fase que alcançou para continuar a tentar zerar. Então se você morreu na 1-2, você do início dela, e não da 1-1. Não cheguei a perder todos os Continues, mas julgo que você volta ao ponto zero do jogo.

    São 5 fases, cada uma dividida em 3 partes bem como em Ninja Gaiden. Na parte final de cada uma delas há um chefe para você enfrentar e duas coisas meio esquisitas: primeiro que eles não tomam dano de início. Você bate, bate, bate e nada e depois de muito bater, eles começam a perder HP com cada ataque seu. Não era mais fácil simplesmente duplicar a vida deles ou fazer com que suas vidas você acabando lentamente? É bem estranho. Em segundo lugar, é mais uma decepção: não há mais cutscenes ou textos contando a estória. Fica pra imaginação.

    Durante essa minha jogatina eu não senti que a dificuldade da aventura aumentava muito. Até me surpreendia em ler "Stage Complete" tao rapidamente vez após vez. O que muda é que alguns inimigos mudam ou colocam um pouco mais e uns chefes são mais chatos, mas acho que peguei o jeito bem rápido. Isso só mudou na última fase, que sofri um bocado, mas de um jeito até legal. Como tudo é rápido/curto, logo logo você passa ou volta pra onde morreu.

    Pra ajudar um pouco na variação do jogo, ele tem mecânicas próprias e variações de armas.

    As mecânicas de gameplay, não muito originais, são basicamente voltadas a se pendurar e subir em barras de ferro, mais ou menos como fazemos em Contra 3. Há certos tipos de cenário que, ao pular, você se agarra, podendo se movimentar pra frente e trás com seus braços e atacar. Além disso, você pode apertar pra cima para subir e andar sobre as barras ou pra baixo e pulo para largar e voltar ao chão.

    Em várias partes o jogo vai cobrar que você domine essa mecânica para evitar tomar dano e no final eu me confundia todo com comandos tão simples em partes que exigiam maior agilidade.

    Já as armas, bom, são caixas que você encontra pelo chão e ao destruí-las pode conseguir:

    -Chicote. Basicamente te transforma num personagem de Castlevania, com maior alcance, mas só a ponta acerta as coisas, o que é horrível, sobretudo quando o alvo estiver muito próximo (quebrar caixas as vezes pode ser difícil).

    -Espada. É a arma básica, mas se você tiver trocado pro chicote, pode tê-la de volta. Alcance curto mas maior frequência de ataques (mas ainda exige timing pra matar inimigos que estão correndo em sua direção). Acumular várias da mesma arma sem alterar pra outra no meio do caminho faz com que ela fique mais forte e bem melhor.

    -Shurikens. Forte e de longo alcance, mas limitadas a 20 ataques antes de voltar à arma que você estava usando antes.

    -Granada. Curto alcance, cai no chão e logo explode, causando bastante dano. Limitada a 8 usos.

    Resumindo: Shadow of the Ninja é um jogo simples e legal, mas não tem nada muito chamativo. Acho que é óbvio dizer que ele é mais um genérico de Ninja Gaiden com uma dificuldade mais acessível. Fora isso, mal tem o que dizer sobre ele de tão básico.

    De bom: dificuldade justa em relação a esses jogos de ninja da época. Visuais ok. Jogabilidade simples. Tem uns chefes legais. Gosto do foco maior em plataforma que em combate. Possível ser jogado de 2 jogadores!

    De ruim: simplório. Fases muito parecidas. Nem lembro da trilha sonora. Queria mais cutscene. Jogo de poucas cores. Hitbox estranho e atacar nem sempre tem o efeito desejado.

    No geral, valeu a pena jogar, mas desses jogos do tipo, foi um dos menos memoráveis. No Switch Online eu recomendaria bem mais o Vice ou mesmo o Ninja Gaiden (pra jogadores mais avançados) e pra quem quer o jogo de ninja definitivo, acho que meu voto seria no The Messenger. Jogo bom.

    Shadow of the Ninja

    Platform: NES
    156 Players
    5 Check-ins

    33
    • Micro picture
      leandro · 6 months ago · 2 pontos

      Não é tão insano e frenético como Ninja Gaiden, mas, ainda sim, um bom título para o Nes

      1 reply
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2020-03-06 21:30:36 -0300 Thumb picture

    Desafio 3 jogos do ano em que eu nasci!

    O @gradash e @_gustavo me marcaram nesse desafio, então vamos lá. Escolhi três franquias aclamadas que nasceram em 1988 no arcade, quando eu nasci.

    Sem nomes nas imagens, se tu não conhece esses jogos, não merece ser chamado de gamer, ahahah! Vou marcar o @tassio, @jcelove, e @onai_onai. E quem quiser fazer, fique a vontade.

    Altered Beast

    Platform: Arcade
    180 Players
    5 Check-ins

    17
    • Micro picture
      vinicios_santana · 7 months ago · 2 pontos

      Só jogo bom.

    • Micro picture
      onai_onai · 7 months ago · 2 pontos

      Você é o segundo que me marca, amanhã faço o desafio. Agora vejamos o que teve em 1982...

    • Micro picture
      jcelove · 7 months ago · 2 pontos

      Vale, vou ver se faço tbm. Nasceu numa no bom.hehe

  • supernovas SUPERNOVAS
    2020-02-19 15:39:10 -0300 Thumb picture

    E NINJA GAIDEN DE MASTER SYSTEM, VOCÊ CONHECE?

    OUÇA O PODCAST GRATUITAMENTE: https://supernovas.com.br/podcast/e-ninja-gaiden-p...

    Atenção! Se você gostou deste podcast e deseja que continuemos o trabalho, compartilhe este post (aqui no alvanista mesmo). Isso faz MUITA DIFERENÇA e garante que continuemos o conteúdo retrô!

    Estamos no Spotify, iTunes, Google Podcasts, Pocket Casts, Cast Box Deezer e muitas outras plataformas agregadoras de podcast. Basta procurar por "Supernovas" e se inscrever!

    Ninja Gaiden

    Platform: Master System
    466 Players
    7 Check-ins

    14
  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-01-11 16:59:00 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Shinobi

    Zerado dia 11/01/20

    Eu contei aqui e tenho mais 10 jogos pra fechar a minha lista de pendências urgentes, que basicamente são jogos que eu já comecei em algum momento da minha vida e deixei de lado por qualquer motivo, como aqueles que me desanimaram, pareceram muito difíceis e alguns que eu fui "testar" e acabei jogando um bocadinho. Mesmo sendo apenas 10, a maior parte desses jogos não são nada simples. Alguns envelheceram mal, outros eu dependo de amigos pra jogar e tem casos que não me adaptei bem à jogabilidade ou coisa do tipo, mas quando eu os terminar, tenho certeza que vai ser muito bom!

    Mesmo com essas coisas pra zerar, deu a louca aqui de jogar algo por fora e dar um tempo dessas "obrigações" mais exigentes.

    Liguei meu PSP e percebi que eu não tinha um emulador de Master System. Como não sou muito familiarizado com o antigo console da SEGA, resolvi pesquisar sobre e ver alguns vídeos do tipo "10 Melhores Jogos de Master System". No final das contas eu não vi muito motivo pra ir atrás da plataforma senão os primeiros Shinobi!

    Aparentemente houveram versões de alguns jogos da saga Shinobi pra Master e Mega Drive. Talvez port de um pra outro aqui e ali etc, enfim, resolvi jogar os dois primeiros jogos da série na versão 8-bits mesmo (acho que o segundo tem versão pros dois, se não me engano).

    Ainda nas listas lá, percebi e me interessei por uma versão diferente de Ninja Gaiden. Cara, que climão de ninjas oitentistas!

    Pra não ter que procurar, baixar e passar emulador pro PSP, resolvi jogar no PC e como eu não queria baixar nada, já sabendo que seria uma experiência rápida, joguei mais uma vez essas versões online que alguns sites disponibilizam.

    Bom, o áudio parecia meio esquisito e eu não sabia se era o jogo ou a emulação, mas continuei a jogar. Depois de algum tempo comecei a lembrar porque odeio jogar em teclado. Fiz umas fases, matei um chefe, fiz mais umas fases e perdi todas as minhas vida, o que resultou em um Game Over. Eu esperava uma tela de Continue ou algo assim, mas nada! Procurei uns Cheats e até achei um de escolha de cenário, mas não funcionaram.

    Aaaaah, vamos logo emular isso no PSP. Baixei tudo rapidinho, achei um cabo compatível, passei tudo rapidinho e logo eu já estava de volta à ação, agora deitado confortavelmente na minha cama.

    Configurei o emulador para ficar com a maior tela possível sem esticar, brinquei um pouco com as opções dele e abri novamente Shinobi. Tentei mais uma vez os código, mas nada. Bora na raça!

    O jogo é bem do tipo da época de ouro dos platformers 2D. Uma espécie de Ninja Gaiden mais lento e mais simples. Você anda lento, pula duro e atira shurikens infinitas. Seu personagem ainda usa uma arma de curta distância, como uma espada ou nunchaku, se um inimigo se aproximar demais.

    Uma coisa bacana é que os cenários costumam ter diferentes níveis horizontais (geralmente dois), e você pode alternar de um lugar pro outro segurando aquela direção e depois pressionando o botão de pulo, o que me lembra bastante Mighty Morphin Power Rangers: The Movie de SNES.

    Os primeiros estágios são bem simples, mas tudo funciona tão bem que fica divertido. Você anda, joga estrelas ninja nos caras que vem na sua direção, pula uma caixa e tal. A variedade vem já com diferentes tipos de oponentes: tem o cara de escudo que só pode ser atingido quando ataca e abre a guarda, o soldado que fica agachado, o outro que fica deitado etc.

    Tome sempre cuidado com o que pode aparecer na tela conforme você anda! Felizmente é possível andar agachado e mais lentamente, pois é bem fácil você pular por um obstáculo e cair na frente de um cara que já está atirando e outras armadilhas.

    Conforme você avança na campanha, novos tipos de inimigos são apresentados, mas nada é exageradamente chato como muitas cosias em Ninja Gaiden e você acaba memorizando fácil o que vem em cada parte de cada fase.

    Vale lembrar ainda que não respawn em Shinobi. No final das contas, a maioria das fases chega a ser bem fácil.

    A variedade do título não se limita apenas aos inimigos, mas também em power-ups pra você! Em diversas partes de cada fase há pessoas amarradas em cordas e guardadas por capangas. Encoste numa dessas pessoas e você ganha uma recompensa, como:

    -Aumento do limite do seu HP;

    -Aumento do seu dano;

    -Diferente arma branca;

    -Cura completa;

    -1000 pontos (sendo que pontos te dão vidas extras);

    -Acesso à fase bônus ao terminar aquele estágio;

    -Armas de distância melhores que suas shurikens.

    Todos os upgrades são perdidos caso você perca uma vida, então vai com cuidado!

    Algumas armas eu não sabia diferenciar, como a espada e o nunchaku. Parecia que um era a melhor opção do jogo, mas daí eu ganhava o outro.

    Sobre a fase bônus, eu nem sei o que eu ganho com aquilo, pois é muito difícil! Talvez pontos pra juntar mais vidas. Mas basicamente você joga em primeira pessoa neles e movimenta o personagem pra direita ou esquerda enquanto atira shurikens. Os ninjas inimigos se movem de plataformas distantes e se chegarem à sua, você falha. Eu quase sempre desbloqueava essas fases e cheguei a jogar melhor, mas eu nem animava muito em tentar mais.

    A cada duas ou três estágios completados, você enfrenta o chefe que lhe é apresentado numa espécie de lista de procurados no início de cada nível.

    Os chefes são bacanas e simples e geralmente exigem que você os acerte algumas poucas vezes num pontos específico, como a cabeça. Os efeitos visuais não ajudam muito a saber se você está acertando, mas os sonoros ajudam nessa parte.

    A maioria desses grandões morre rápido e quando você aprende seus simples padrões, fica bem tranquilo. Alguns dos meus maiores problemas incluem:

    -Atirar em qualquer lugar do chefe até entender que deveria ser apenas num ponto específico e fazer uma curta batalha durar minutos;

    -Um chefe que é um helicóptero mas que você tem que atirar nos caras no chão para destruí-lo;

    -Um outro que é meio que várias estátuas empilhadas vindo na sua direção e você deve as destruir super rápido. Mesmo com tudo no máximo, o tempo que você tem é praticamente o tempo que leva para o derrotar.

    O último chefe e suas diferentes formas também me deu trabalho e imagino que não ter a chance de treinar e voltar pro começo do jogo ao chegar lá ou até antes seja muito frustrante. Foi aí que entrou o savestate pra mim. Mais especificamente nas últimas fases bem no finalzinho. Eu juro que tentei não roubar, mesmo usando esses saves e basicamente só me dei vidas infinitas. Deu um trabalhinho com umas coisas meio injustas do jogo e no final das contas nem créditos sobem, apenas uma mensagem "Game Over".

    Resumindo: Shinobi é um jogo de plataforma simples e muito divertido! A campanha deve dura uma hora, mas os últimos níveis são meio chatinhos, então definitivamente não é um daqueles de se zerar várias vezes. Comparado com Ninja Gaiden, ele parece ter um tom quase que infantil e o enredo deixa muito a desejar. Queria que tivessem cutscenes também! Por outro lado, Eu não sei se me divertiria mais jogando NG, enquanto Shinobi o personagem evolui e me parece como uma boa alternativa casual, mesmo se não conseguir zerar.

    De bom: jogabilidade simples e funcional. Grande variedade de cenários, inimigos, armas. O personagem evolui conforme você coleta power-ups e a jogabilidade chega a mudar um pouco, inclusive deixando oponentes mais fáceis.

    De ruim: algumas partes os inimigos aparecem já em cima de você, o que chegou a ser um saco no final, com ninjas pulando pra cá e pra lá. O chefe das muitas estátuas é sem graça e meio injusto. Fácil de dar Game Over e perder todo o seu progresso.

    No geral, recomendo sim o jogo. Eu realmente esperava um jogo meia boca sem graça, mas acabei curtindo demais! Já quero ver como serão os próximo! Se você curte a temática e coisas da época, chegou a hora de dar uma chance pra série, e porque não pelo início! Divertido!

    Shinobi (1988)

    Platform: Master System
    1317 Players
    7 Check-ins

    23
  • cyberwoo Diogo Batista
    2019-09-01 13:56:25 -0300 Thumb picture

    Retomando minha coleção de Master System

    Faz algum tempo que publiquei sobre a minha coleção de Nintendo 64 por aqui, que alias foi muito bem recebida por todos. Os comentários são ótimos, hehehe!

    Agora trago a vocês a minha coleção de Master System. Essa daqui tem uma história interessante, pois comentei sobre vender meus itens na publicação do Nintendo 64. 

    Por volta de 2010 adquiri um Master System II (Aquele que vem com Alex Kidd na memoria do console) que um item muito nostálgico pra mim (escrevi sobre ele aqui: https://www.arquivosdowoo.com.br/2011/04/meme-o-primeiro-console-gente-nunca.html ), mas em determinado momento de 2012 (que foi quando entre em crise financeira, desemprego, termino de relacionamento e todo tipo de merda possível)  entreguei o console  a um primo que devia uma grana. Com ele vários cartuchos que garimpei pela cidade. Era o meu xodó naquele tempo, mas não tive outra alternativa.

    Desde aquele tempo 7 anos se passaram, e durante a semana que se passou conversei com meu primo sobre o console e a possibilidade de reavê-lo. Inclusive falei até mesmo em pagar se necessário, contanto que não contasse a minha esposa. Cheguei a ensaiar um teatrinho, hahaha! O mesmo disse que topava e no dia seguinte fui no meio da noite até sua casa buscar o console. Para minha surpresa quando estava saindo ele simplesmente disse que eu não precisaria mentir, pois ele o estava me dando como presente.

    Foi uma baita surpresa, até o momento não consigo assimilar que consegui reaver o console. Meu primo é um  cara incrível, não é a toa que o tenho como um irmão.

    PS: Ao ir a minha sogra  ganhei uma televisão 14 polegadas que tava abandonada. Parece que a sorte tem sorrido pra mim depois de anos só de porrada e dedo no olho, hahaha!

    Ninja Gaiden

    Platform: Master System
    466 Players
    7 Check-ins

    9
    • Micro picture
      jcelove · about 1 year ago · 2 pontos

      Pô, que primo gente fina cara, parabéns pela reconquista.hehe

      1 reply
    • Micro picture
      onai_onai · about 1 year ago · 2 pontos

      O Master System II é um dos meus consoles mais queridos...

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 2 pontos

      Que coisa linda🤩
      Correu até uma lágrima aqui lembrando desses meus parceiros...e dessa época 🤩
      ...
      Obs: gente, tô falando de games mesmo, ok?

      1 reply
  • 2019-08-01 06:48:40 -0300 Thumb picture
  • 2019-05-19 01:37:10 -0300 Thumb picture
  • anduzerandu Anderson Alves
    2018-12-25 12:51:42 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Ninja Gaiden

    Zerado dia 24/12/2018

    Feliz natal à todos do Alvanista! Gosto muito das pessoas que conheço e interajo por aqui e mesmo de outras que apenas acompanho os posts. É um grande prazer fazer parte dessa rede social mais um ano, e espero que seja por muitos outros que virão!

    Bem, pagar anuidade do Nintendo Switch Online ainda não parece ser muito vantajoso (a não ser que você ainda jogue Mario Kart 8 ou Splatoon 2 ou arrisque o do Super Smash Bros.) mas a coleção de jogos de NES, ignorada por muitos, tem sido razoavelmente interessante pra mim. Acho que jogar a coisa original ou poder levar pra qualquer lado graças a portabilidade do console deixa a experiência muito mais bacana.

    E a qualidade? A tela grandona do Switch, toda bonita com os pixels coloridos dos jogos da época, sem efeitos, sem blur. Parece um jogo lançado recentemente!

    Com ótimas experiências recentes com Ghosts 'n Goblins, Dark Souls e outros jogos mais difíceis, estou quase convencido que nenhum jogo é completamente difícil pra mim, quanto mais impossível, mas qualquer um pode ser muito pior que isso, sendo longo demais e frustrante com suas mecânicas. Ghouls 'n Ghosts? Adorei! RPGs que se arrastam demais? Por favor, não!

    Ninja Gaiden é um dos jogos que tinha vergonha de dizer que mal havia jogado. É um daqueles que aparecem em vários canais que sigo e são mencionados com frequência por toda a internet. Um mega clássico do NES, que teve sequências até na geração do Xbox 360 e uma série que continua sendo famosa pela elevada dificuldade.

    Quando eu soube que ele estaria vindo em dezembro do serviço do Nintendo Switch, eu fiquei mais empolgado do que eu imaginaria, mesmo tendo o jogo esperando pra ser emulado no meu PSP há eras!

    Começando a aventura, me senti familiarizado com a primeira fase, que como eu já disse, sempre aparece em todo canto. A jogabilidade é simples: você anda, pula e ataca com sua espada.

    Ryu Hayabusa, o protagonista, tem uma jogabilidade parecida com os caras de Contra, mas um pouco mais travada e com ataques de curta distância como em Castlevania, com o chicote curto. É basicamente um meio termo entre os dois.

    O básico de NG é aprender a, sobretudo, atacar. Conheça o alcance da sua espada. Digo isso porque assim que o inimigo aparecer na tela, você tem um tempo para atacá-lo e derrotá-lo, o que deixa as fases num ritmo rápido e bem de acordo com a proposta do jogo, do ninja veloz, derrotando tudo sem tomar dano. Por outro lado, um ataque errado te deixa bem aberto para tomar dano.

    Mia rápido do que eu imaginava, eu aprendi as primeiras fases e a posição dos itens que poderiam ser coletados e o que significavam. Pois é, existem objetos a serem quebrados como em Castlevania que derrubam coisas que te dão pontos, te dão "mana", recuperam um pouco da sua barra de vida, param o tempo ou te dão uma sub-weapon.

    Uma das sub-weapons é uma estrela ninja, tipo a faquinha do Simon Belmont. Outra é uma estrela-bumerangue, mais ou menos como a cruz do Simon. Tem uma que é um bocado de bolas de fogo que sobem diagonalmente etc.

    Você vai perceber a utilidade dessas armas alternativas sobretudo nas batalhas contra os chefes de cada fase. Cada estágio é dividida em partes, como 1-1, 1-2, 1-3, e no final há sempre uma batalha contra um chefão. Eles geralmente são bem tranquilos e quando você pega o jeito, chegam a ser ridículos. Um bom exemplo disso é o último boss, que apanhei muito e tava achando quase impossível, mas bolei uma tática que me fez vencer quase sem perder HP.

    No final das contas, nenhum inimigo é realmente difícil no jogo, apesar de alguns dos últimos chefes parecerem nas primeiras tentativas, mas a dificuldade em si está no conjunto de inimigos, quando vários se juntam. Uns no chão, outros no andar de cima, outros voando e tudo de uma vez. Seja rápido!

    NG é ainda famoso por uma falha escrota: o contínuo respawn de inimigos. Imagine uma trilha de pixels horizontal na tela. Quando você anda e um desses pixels entrar em cena, o inimigo aparece. Até aí tudo bem, mas enquanto você não fizer todos os pixels dessa trilha aparecerem, o inimigo continua reaparecendo sempre que você o matar ou desviar dele! Além disso, mover a tela pra esquerda ou direita e voltar a essa trilha, fará com que ele volte também. Agora lembre-se que as fases tem muitos inimigos, as vezes de uma só vez e em partes cheias de plataformas e buracos. Você não vai querer ficar indo e voltando e se esquivando de inimigos onde você sabe que inimigos aparecem. Continue andando!

    Esse problema de respawn se tornou muito frustrante no final com tantos obstáculos, inimigos chatos, armadilhas e partes sem sub-weapons (você a perde quando perde uma vida).

    Resumindo: Ninja Gaiden é um jogão que me faz feliz em saber que existem tantos jogos bons no NES. Certamente um dos jogos que eu obrigatoriamente teria na minha coleção se eu tivesse o console e que felizmente veio pro serviço do Nintendo Switch. O jogo tem seus problemas e que o impediram de ser uma experiência perfeita, mas ainda assim valeu a pena (savestate no final me ajudou a manter o meu cérebro funcionando).

    De bom: é um jogo muito bonito e funcional, com jogabilidade rápida e responsiva. Cutscenes incríveis. Sério, alguém já tinha feito cutscenes antes? Ou pelo menos tão boas quanto essas? É tudo muito bem animado e bonito, estilo anime dos anos 80 e ainda contam uma estória muito bacana. Sub-weapons e habilidades ajudam o jogo a ter maior variedade. Checkpoints a cada parte de fase que você passa e que se mantem mesmo com Game Over.

    De ruim: respawn bizarro frequente vai te fazer querer sumir de perto dos spawn points pra evitar isso. O checkpoint da última missão, 6, é o começo da 6-1, diferentemente de todo o resto do jogo, então morrer sua última vida no último chefe te joga pra 6-1 ao invés da 6-4 ou sei lá. Isso é bizarro porque a reta final tem umas partes bem chatas (recomendo o savestate na última parte ou último chefe). Em algumas partes você quer pular pra esquivar de um ataque e o personagem gruda nas paredes, te deixando em posições ainda piores. Pular com Ryu faz com que ele se posicione sempre em direção ao lado que estava olhando quando pulou. Basicamente, se você pula, você só poderá atacar pro lado que pulou, mesmo pulando em reto pra cima e e um inimigo vier por trás, não tem como atacá-lo (só jogando pra ver a diferença que isso faz).

    No geral, é um jogão bacana que dura pouco tempo e que poderia ser bem mais difícil (se não tivesse checkpoint por exemplo). Uma experiência obrigatória do console e pra quem gosta muito de videogames. Vale a pena jogar outros da série? Nunca pensei muito em jogá-los como penso nos Shinobis.

    Ninja Gaiden

    Platform: NES
    1506 Players
    35 Check-ins

    31
    • Micro picture
      darlanfagundes · almost 2 years ago · 2 pontos

      Ótima análise desse jogo maldi... ops, bonito...oijasiojasas.... me fez lembrar eu sofrendo nesses respawns infinitos do inferno nos idos anos 90...rsrsrs

      1 reply
    • Micro picture
      bye · almost 2 years ago · 2 pontos

      Parabéns e Feliz Natal!

    • Micro picture
      gus_sander · almost 2 years ago · 2 pontos

      Feliz Natal!! =)

  • 2018-09-19 19:39:36 -0300 Blank user

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...