• supermarcosbros マルコス・アントニオ
    2018-11-03 04:25:11 -0200 Thumb picture
    19
    • Micro picture
      gusgeek · 3 meses atrás · 2 pontos

      Mas ela nunca mostra o que realmente queremos ver =/

      Só às vezes....

    • Micro picture
      batatadark · 3 meses atrás · 2 pontos

      queria comentar algo produtiva mas estou sobre o olhar dovigia , mas curti o tapa olho

  • supermarcosbros マルコス・アントニオ
    2018-09-17 15:12:55 -0300 Thumb picture
  • farusantos Farley Santos
    2018-08-26 16:24:11 -0300 Thumb picture
    farusantos fez um check-in em:
    <p>#img#[580018]</p><p>Aproveitei uma promoção e fi - Alvanista
    NieR: Automata

    Plataforma: Playstation 4
    477 Jogadores
    133 Check-ins

    Aproveitei uma promoção e finalmente peguei NieR: Automata :)

    Confesso que eu tinha jogado a demo e não tinha curtido tanto na época, mas depois da recepção extremamente positiva resolvi dar uma chance. Pouco mais de 4h de jogo e tô curtindo bastante, ambientação ótima, mecânicas legais (um bom misto entre ação e RPG) e trilha sonora excepcional. Esse é um que provavelmente tentarei fazer tudo :)

    9
    • Micro picture
      gus_sander · 5 meses atrás · 1 ponto

      Boa!! Parabéns pela aquisição!

  • palomaref Paloma Cristini
    2018-07-31 11:10:14 -0300 Thumb picture

    Desafio: 30 Dias - Minha Vida nos Jogos

    Vou adaptar um pouco esse @desafio para meu cotidiano agitado, pra eu conseguir postar todos os dias hahahaha.

    Falarei um pouco de cada dia dele e tentarei seguir o máximo possível sem repetir os jogos.

    DAY 15 - POST A SCREENSHOT FROM THE GAME YOU'RE PLAYING RIGHT NOW: vou responder essa com dois jogos.
    O game que eu mais estou jogando durante a semana é Fire Emblem: The Sacred Stones.

    E nos finais de semana, ultimamente ando focando em Nier: Automata ♥

    DAY 1 - DAY 2 - DAY 3 - DAY 4 - DAY 5 - DAY 6 - DAY 7 - DAY 8 - DAY 9- DAY 10 - DAY 11 - DAY 12 - DAY 13DAY 14

    Fire Emblem: The Sacred Stones

    Plataforma: Gameboy Advance
    827 Jogadores
    127 Check-ins

    16
  • luizkorynga Luiz Henrique Santos
    2018-06-30 18:27:42 -0300 Thumb picture
    22
    • Micro picture
      reasel · 7 meses atrás · 2 pontos

      Uma vez que joga os jogos do taro não tem mais volta...

    • Micro picture
      reasel · 7 meses atrás · 2 pontos

      Pior que eu tava pensando em fazer análise dos jogos do taro em video, mas vou deixar pra esse cara ai :p

      2 respostas
  • marviiu Marvio Leite
    2018-06-21 21:00:10 -0300 Thumb picture

    Virei otaku

    Medium 560937 3309110367

    Um otaku soft, ainda não estou nas drogas pesadas. Comprei os dois do mesmo cara que achei no Mercado Livre, coincidentemente ele mora em uma cidade ao lado da minha. Comprei antes de ontem e chegaram hoje. Voltei a acumular jogos rsrsrsrs, já tenho Horizon Zero Dawn, agora tenho mais dois para a lista.

    @ostentadores

    NieR: Automata

    Plataforma: Playstation 4
    477 Jogadores
    133 Check-ins

    49
    • Micro picture
      manoelnsn · 7 meses atrás · 6 pontos

      Em breve você começará a ver animes legendados, cantar jpop, ter action figures de garotinhas com pouca roupa e finalmente estará jogando visual novels e dizendo que light novels são a forma final de literatura....

      Huahuahua, boa aquisição, man. Não joguei nenhum dos dois, Persona 5 eu joguei o 3 e o 4, então sei que deve te divertir bastante!

      9 respostas
    • Micro picture
      vinicios_santana_3 · 7 meses atrás · 4 pontos

      Naniiii?
      kkkk frase otaku aleatória.

      18 respostas
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 7 meses atrás · 4 pontos

      Qualquer coisa q faça vc esquecer OVERWATCH...é bem vindo!

      4 respostas
  • 2018-06-11 05:29:54 -0300 Thumb picture

    NieR: Automata confirmado no Xbox One

    É muito bom ver que uma propriedade como NieR, cujo título original é considerado cult, deu a volta por cima e tornou-se um nome importante para a Square Enix. Quem sabe isso permitirá ao diretor Yoko Taro trabalhar em coisas originais e tão excêntricas como o próprio, ou mesmo dar um novo rumo e chance a outros como Drakengard? Vamos ver.

    Apesar do jogo original ter sido lançado tanto no Xbox 360 quanto PS3, NieR: Automata era até então uma exclusividade do PS4 e PC. Felizmente isso mudou e ontem durante os anúncios da conferência Xbox o RPG -- que é uma parceria com a Platinum Games -- foi confirmado ao Xbox One com a "Become As Gods Edition", ou uma edição aprimorada ao Xbox One X e com todo conteúdo adicional no pacote.

    [@jvhazuki]

    Nier

    Plataforma: XBOX 360
    249 Jogadores
    23 Check-ins

    3
  • 2018-03-14 09:06:28 -0300 Thumb picture

    NieR: Automata acima de 2.5 milhões de unidades vendidas

    Um novo marco para o jogo.

    NieR: Automata foi lançado a 10 de Março de 2017 e representou o primeiro esforço conjunto entre a Square Enix e a Platinum Games, que estavam longe de imaginar que um título de nicho pudesse vender mais de 1 milhão.

    Passado um ano, a Square Enix anuncia que o jogo de Yoko Taro já vendeu mais de 2.5 milhões de unidades em todo o mundo, número representado pelas unidades enviadas para as lojas e as vendas digitais.

    Os mais recentes dados indicam que foram vendidas mais de 900,000 unidades no Steam, mas a Square Enix não apresentou dados específicos para as vendas por plataformas.

    NieR: Automata está disponível no PC e PlayStation 4.

    Fonte: Tribo Gamer

    NieR: Automata

    Plataforma: PC
    124 Jogadores
    62 Check-ins

    9
  • anduzerandu Anderson Alves
    2018-02-28 15:14:49 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Nier

    Zerado dia 27/02/18

    Eu tenho esse jogo há muito tempo. Na verdade, nem sei porque comprei ele! Eu simplesmente o vi um dia numa banca de jogos aqui da minha cidade, quando eu tinha o PS3 há pouco tempo e pela capa e a logo da Square Enix, achei que fosse uma boa. É engraçado que nessa época eu acreditava que não existissem jogos ruins ou desconhecidos para aquela geração. Não que Nier seja ruim, mas hoje vejo que existem tantos jogos genéricos até na geração atual, e muitos não valem nem R$20.

    Pois bem, o jogo ficou parado na estante, assim como muitos outros e eu não me via jogando-o tão cedo. Quando Nier Automata foi lançado e causou todo um alarde, eu vi que eu tinha um título interessante para começar.

    O fato é que eu só voltei ao Playstation 3 agora porque apareceu um cara na internet doido por esse jogo (que aparentemente ficou raro). Eu disse que tinha e que trocaria em um outro certo exclusivo, que ele tem. Enrolei o cara por todo o tempo que joguei Xenoblade 2 e esse aqui, mas ele pulou de alegria em saber que eu já estava finalmente pronto para a troca.

    Eu não fazia ideia de que tipo de jogo ele era até finalmente jogar. Tinha visto algumas imagens há anos atrás e construí uma concepção bem diferente da realidade.

    Nier é um hack 'n' slash bem simples e que me lembra mais ou menos a junção de dois jogos de Wii: Pandora's Tower e The Last Story. O visual do jogo em si não fica muito a frente do Wii e do PS2.

    A diferença é que eu gostei bem mais desse jogo do que dos dois mencionados. Ele tem um gameplay fácil (sem motion controls como PT) e liberdade de ir e vir pelo mapa (sem a linearidade do TLS).

    Falando em mapa, é impossível não perceber as similaridades com Twilight Princess, desde os inimigos que são uma espécie de sombra (Shades), com as cores e a ambientação.

    Eu achei o jogo genérico e datado (sobretudo em relação a texturas como a da grama e mato no geral), mas isso não faz dele um jogo ruim. até porque ele se destaca (e muito) em alguns quesitos:

    -Enredo. A estória de Nier é muito bacana e imersiva. A trama gira em torno de um pai que faz de tudo por sua filhinha doente, mas as coisas vão bem além e quando menos se espera tudo vira de ponta cabeça, com personagens morrendo, se revelando como traidores ou mesmo amaldiçoados a ficarem em formas bizarras para sempre. Surpreende e te faz chorar.

    -Trilha sonora. Não é atoa que tem músicas desse jogo até no Theatrhythm Final Fantasy: Curtain Call. A trilha sonora é INCRÍVEL do início ao fim, sendo que muitas das faixas são até cantadas. A imersão é 10/10 em partes grandes e de exploração e chega a dar uma dó que essas músicas são foram para um jogo de maior porte.

    -Vozes. Parece que investiram mesmo na parte do áudio do jogo. As dublagens são muito bacanas, combinam com os personagens e contam com uma ótima equipe de grandes dubladores do meio de jogos.

    Por outro lado, Nier é um jogo que é em partes simples e fácil demais ou confuso.

    Há uma marcação no mapa que sempre diz pra onde você deve ir, que marca até a porta da saída do edifício, a saída da cidade e os caminhos que você fará tudo no minimapa. O mapa grande mesmo é inútil. Aparentemente há como desativar esse auxílio, mas os personagens sempre estão falando pra onde ir também.

    O que é estranho mesmo é que, para um jogo que durou menos de 15 horas (ganhei o achievement pra isso, e olha que enrolei bastante pelo jogo), Nier se esforça para prolongar o tempo de sua experiência, fazendo você ir e voltar de um lugar a outro as vezes por duas linhas de diálogo. Várias foram as vezes que o personagem acordou em casa e teve a ideia de ir a biblioteca falar com outra personagem. Chegando lá ela pede pra você falar com alguém. Terminado, volte para a biblioteca, daí volte pra casa. O jogo inicia uma cutscene qualquer. Daí você acorda e adivinha o quê? Biblioteca mais uma vez.

    Uma coisa que ninguém pode negar é que tudo é meio corrido demais. O protagonista em si corre bem rápido o tempo todo e a toda hora você está num lugar diferente. Mais pra frente é aberta a opção de usar um barco como teletransporte entre pontos-chave, mas achei mais fácil andar dois minutos do que procurar o cara e selecionar destino no menu.

    O mapa do jogo se baseia em: a cidade principal, com sua casa, a famigerada biblioteca, ponto de save, lojas de itens, materiais, armas e vários NPCs, sendo que alguns dão até umas sidequests bobinhas.

    Essa cidade tem três saídas, e cada saída leva à um campo aberto e cerca de dois destinos importantes por eles, como outras cidades.

    Seguindo a campanha, alguém te manda ir a outra cidade, pra você chegar lá, algo acontecer, você ir atrás, conhecer alguém, resolver o problema e voltar à biblioteca. As vezes voltando das rápidas dungeons e batalhas de chefe, a impressão que dava é que eu mal tinha saído da cidade. Rapidamente você já vai estar em outra cidade e voltando dela.

    O combate do jogo é simples também: você só precisa ficar apertando quadrado, basicamente. Apertando o botão continuamente, o personagem dá um combo de até três hits e se você mantiver o quadrado segurado após qualquer um dos golpes, ele carrega e solta uma versão mais forte. Um golpe carregado depois do terceiro ataque é mais forte que do segundo, que é mais forte que do terceiro.

    Conforme você ganha níveis e equipa melhores armas, os inimigos ficam mais fácil do que já são. Por outro lado, muitos deles não ficam apenas tomando dano numa boa e revidam no meio dos seus combos e é importante saber se esquivar como o Kratos pois os ataques inimigos costumam ser fortes e rapidamente o seu HP acaba!

    Além da ofensiva corpo-a-corpo, você pode equipar magias no L1 e R1. Essas magias são super úteis pois acertam de longe, tiram muito HP dos inimigos e te tiram do sufoco enquanto estiver enfrentando multidões ou estiver cercado. Você pode carregá-las e mirá-las na direção desejadas e algumas dão vários hits (quanto mais você carregar). Essas magias usam Mana, mas esta se recarrega sozinha com o tempo.

    Eu comecei a aventura muito contente em descobrir aquele mundo, mas acabei desgostando um pouco depois. Na verdade eu amava uma hora e achava uma chatice depois, algo quase sem precedentes. 

    O jogo te pergunta "Qual é o seu nome" antes mesmo de começar e coloquei meu nome certinho acreditando que era o nome do file de save ou sei lá, mas aí percebi que todo mundo tava chamando o personagem de Anderson. E assim ficou. Que triste...

    na curiosidade pesquisei na internet qual seria o nome do protagonista: Nier! Uau, eu não sei o que esperava. Mas não custava nada já deixar o nome dele para apagar, como a série The Legend of Zelda faz, e saber que aquele seria o nome do personagem (até porque o nome dele existe, não é como se ele fosse o "Hero").

    Além da ação corrida, o jogo me decepcionou com o fato de ter duas partes. A segunda parte te faz revisitar tudo e, mesmo sendo rápido, não é o tipo de coisa que a gente espera fazer. Eu definitivamente odeio jogos que me fazem fazer as coisas duas vezes. Alguns chefes chegam a ser derrotados mais de uma vez também.

    Resumindo: eu não sei bem o que pensar de Nier. Gosto da ação simples, mas essa mesma simplicidade e a falta do jogo tentar se reinventar deixaram a coisa meio monótona. A esperança do jogo mudar de alguma forma foi constante, mas felizmente a estória me confortou bem, apesar de ter me deixado confuso no final.

    De bom: enredo, trilha sonora, dublagem. Você não espera muito isso de um jogo como esse, principalmente porque depois de metade da campanha, parece que vai ficar só na mesmice sempre. Combate simples. Vários finais. Cinemáticas legais, assim como grande parte dos chefes. Achei muito interessante o fato do protagonista ser um velhote paizão, isso é bem diferente. Alguns personagens são interessantes.

    De ruim: meio repetitivo em seu gameplay, lutando, andando e visitando localidades inúmeras vezes só porque a campanha te obriga. Cidades mal aproveitadas. Faltou uma inovação em relação a várias coisas, como personagens e cenários diferentes mais pra frente. Confuso de algumas formas, como quando eu fui na loja e vi uma espada bem mais forte e super cara que parecia necessitar de muito farm pra comprar. Descobri depois que poderia vender minhas coisas e compra-la, e quando finalmente o fiz, ganhei armas melhores pela campanha. O jogo começa num cenário de cidade estilo 2010 mesmo e logo fica medieval. Esse cenário moderno volta mais pra frente mas nunca entendi o que diabos de futuro era aquele, a menos que seja como Cavaleiros do Zodíaco, que você acha que é medieval até ver o grupo na cidade e carros de polícia. O jogo tem 4 finais, mas você praticamente tem que zerá-lo várias vezes pra vê-los e, achei que todos os outros foram meio toscos (vi no Youtube). Achei o visual do jogo bem datado em 90% das vezes, e na verdade rolou até um sentimento nostálgico por parecer coisa da época do PS2. Achei os personagens quase sempre muito sem originalidade e eles morrem uma hora, voltam depois, tomam um ataque fatal mas estão de boas. Pois é, rola uns dramas desnecessários. Quando alguém morria eu já contava que ele voltaria depois. Achei desnecessário o fanservice, como o da personagem Kainé, uma das protagonistas. Ela luta basicamente de camisola, com um sutiã quase aberto e calcinha com um DECOTE ATRÁS. Muito tosco!

    No geral, o jogo me deixou meio dividido, mas acredito que ele seja apenas mais um action RPG no mundo. Um jogo que não fede nem cheira. Valeu a pena jogar? Com certeza! Recomendaria? Acredito que não. Se você nunca ouviu falar em Nier, não se preocupe, pois não é como um must-play daquela geração. De qualquer forma, mantenho altas expectativas pro Automata e a vontade de fechar os Drakengard.

    Nier

    Plataforma: Playstation 3
    382 Jogadores
    58 Check-ins

    15
    • Micro picture
      filipessoa · 11 meses atrás · 2 pontos

      Parabéns pela finalização ^^

    • Micro picture
      gan0nd0rf · 11 meses atrás · 2 pontos

      Comecei recentemente, já estou com 24h de jogo, em meu primeiro gameplay.
      Tá tudo lindo e maravilhoso, por enquanto.

      2 respostas
    • Micro picture
      rb25det · 10 meses atrás · 1 ponto

      Boa, sem dúvidas é um jogo que deveria ter recebido mais atenção na gen passada, ainda bem que o Automata "desenterrou" ele. Pra mim a narrativa chega a ser quase tão boa quanto o Automata, mas o gameplay acaba travando ela algumas vezes. Yoko Taro tem muita ideia boa, mas sem uma desenvolvedora eficiente do lado ele acaba se atrapalhando para coloca-las em prática. Só lembrando que pra apreciar a história tem que fazer no mínimo os finais A e B, mas entendo que pra quem se incomoda com as repetições e limitações técnicas do jogo fica difícil de zerar mais de uma vez.

  • wild_dark_shadow Nuno Gomes
    2018-02-28 12:31:53 -0300 Thumb picture
    14

Carregar mais postagens

Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...