• luchta Ewerton Ribeiro
    2019-08-12 22:03:26 -0300 Thumb picture
  • thejosephkorso Helton Carvalho
    2019-08-09 19:02:57 -0300 Thumb picture
    7
  • tobycroft Toby Croft
    2019-07-30 16:41:18 -0300 Thumb picture

    Contra (Nes)

    Em 2633, dois Comandos da Marinha de Elite " Contra ", chamados Bill e Lance, são enviados em uma missão para neutralizar uma organização terrorista chamada Red Falcon que planeja tomar o mundo inteiro e cabe a este exército de dois homens colocar um acabar com essa loucura de uma vez por todas.

    Contra

    Platform: NES
    3098 Players
    32 Check-ins

    0
  • 2019-07-01 11:45:46 -0300 Thumb picture

    Meu projeto "Retro Gaming Archive"

    OPA, oi pra você que tá ai e tal, vendo esse post por algum motivo.

    Esse pequeno projeto parece bem besta na realidade (e é besta, very besta), mas é algo que eu quero fazer de coração, como hobby.. então, deixa eu explicar: sabe os jogos de videogame? Eu pretendo MONTAR UMA LISTA DE JOGOS PESSOAL, COMPLETA, COM OS GAMES QUE EU TENHO TERMINADO, ALÉM DE, FECHAR OS JOGOS MAIS PRIMORDIAIS, ATÉ OS ATUAIS E AONDE MAIS EU CONSEGUIR CHEGAR..  de forma mais clara, são duas coisas, a primeira é fechar todos os games retro mais legais, conhecidos ou desconhecidos, e montar uma lista giganorme com tudo o que eu terminei desde meu primeiro contato com um controle. E de onde veio essa ideia maluca? Bom, antes, preciso contar um pouquinho de mim aqui.. 

    Os videogames sempre fizeram parte da minha vida, e embora eu tenha jogado e fechado inúmeros games desde minha infância, eu nunca registrei isso e eu sequer me lembro de metade, então, eu só posso contar com a minha memória de peixe pra tentar me recordar do que eu realmente já joguei, e o que já zerei.

    Desde meus 4 anos de idade, Sonic Adventure do Dreamcast foi o primeiro game que me lembro de ter experimentado (embora eu também tenha recordações de Sonic the Hedgehog de 91, realmente não sei qual dos dois, mas vamos ficar com o outro mesmo). Porém, mesmo jogando também Sonic Heroes, Unleashed e Generations, eu nunca sequer terminei um Sonic CD da vida, por exemplo, ou até mesmo o próprio 'the Hedgehog de 91, e me sinto um tanto envergonhado por isso :v

    Minha namorada que ama videogames já passou por vários e vários jogos retro, clássicos do SNES, PS1 e PS2 (ela tinha um SNES em casa enquanto eu NUNCA SEQUER VI UM NA MINHA FRENTE, e isso é vergonhoso pra mim elevado a 2, já que eu mal joguei essa era retro) e hoje tá aqui comigo no PS4, aproveitando esses jogos do momento como Uncharted, God of War, e por aí vai.. A questão é que, eu considero os jogos antigos como algo que toda pessoa que gosta de videogames deveria experimentar pelo menos uma vez, e por causa dessa inspiração que tive nela (me apaixonei mais na verdade), eu decidi montar uma lista de jogos, separados por plataforma, e a ideia relativamente é me focar nos jogos antigos (leia-se: com jogos antigos eu me refiro a tudo até a sétima geração de consoles, com foco é claro nos 8 e 16bits) e até o fim dessa minha vidinha, eu vou ter muita história pra poder contar pros meus filhos, que com toda a certeza vão repassar esse legado de vício em videogames pra frente, uahdaus.

    Eu trabalho e estudo pela noite, então eu só consigo aproveitar a viagem de ida e volta pra faculdade (cerca de 1h e meia) e os tempos vagos dos feriados e fins de semana, e, sendo assim, jogar em casa deixaria essa tarefa ainda mais complicada, pois quando não estou estudando / trabalhando, estou lá com a minha garota, ou na igreja onde sou membro, BUUUUUT, eu comprei um PSP semi-novo na caixinha e tudo mais, desbloqueado, e já preparado com mil e um emuladores com mais uma porrada de jogos que escolhi a dedo. QUERO VER AGORA, HA!

    Inclusive vou rejogar tudo aquilo que já fechei como se fosse a primeira vez, para que eu possa controlar melhor essa minha lista. Espero que tudo corra bem até lá, e inclusive espero aprender mais com essa jornada da velha-guarda, boa sorte pra mim, haha.

    0
  • jimmyramalho Jimmy
    2019-06-24 22:03:59 -0300 Thumb picture

    Aparências Que Enganam

    Jogo finalizado n° 7

    Circus Charlie é um jogo de ação desenvolvido pela Konami originalmente para os Arcades, mas a versão que joguei foi a versão lançada em 1986 para o NES. 

    História

    Charlie é um palhaço e tem a tarefa de tocar praticamente sozinho um espetáculo com um público muito exigente. Tão exigente que além de perfeição nas apresentações, eles ainda querem que o palhaço faça tudo no menor tempo possível.

    Gráficos

    A versão de NES foi muito inferior à dos Arcades. A qualidade do jogo teve uma queda crítica comparada à versão de 84, diminuindo os gráficos, as cores e consequentemente a magia do game.

    Jogabilidade

    A jogabilidade introduz o “sistema olimpíadas” ao universo do circo, pois Charlie precisa completar alguns minigames (que são as fases do jogo) para terminar o jogo e arrancar aplausos da galera. Os minigames envolvem o que qualquer game de olimpíada da época ofereciam: esmaga-botões, precisão de movimentos, tempo para terminar as tarefas… E foi este gameplay que garantiu o sucesso de Circus Charlie.

    Música

    A parte sonora do game é o único aspecto superior ao do Arcade, as músicas tem um toque mais vibrante e de melhor qualidade e ajuda a transformar o ambiente do game, pena que pecou em tudo.

    Circus Charlie

    Platform: NES
    387 Players
    2 Check-ins

    9
    • Micro picture
      santz · about 2 months ago · 2 pontos

      Um dos que mais joguei no PolyStation. A fase do trapézio é impossible.

      5 replies
    • Micro picture
      caramatur · about 2 months ago · 1 ponto

      Joguei muito esse qdo era moleque!

      3 replies
  • jimmyramalho Jimmy
    2019-06-21 20:32:12 -0300 Thumb picture

    Obra de Arte

    Jogo finalizado n° 5

    Contra é um jogo de ação/plataforma no estilo shoot em' up desenvolvido e publicado pela Konami, lançado originalmente para o Arcade. A versão caseira foi lançado para o Nintendo Entertainment System (NES) em 1988 e foi justamente essa versão que eu finalizei. Quem sabe um dia a versão de Arcade aparece aqui também.

    Enredo

    Contra se passa em um futuro distante do ano 2633 D.C., onde a malvada Red Falcon Organization estabeleceu uma base no arquipélago fictício de Galuga, perto da Nova Zelândia, em uma conspiração para acabar com a humanidade. Dois soldados, Bill Rizer e Lance Bean, da unidade Contra da Earth Marine Corp (um grupo de elite especializado em guerrilha), são enviados à ilha para destruir as forças inimigas e descobrir a verdadeira natureza da entidade alienígena que as controla.

    Jogabilidade

    Contra apresenta uma variedade de perspectivas de jogo, que incluem uma visão lateral padrão, uma visão pseudo-3D e um formato de tela fixa. Até duas pessoas podem jogar simultaneamente, com um jogador como Bill e o outro jogador como Lance. Quando um dos protagonistas salta, ele se curva em um salto mortal em vez de fazer um salto convencional como em outros jogos, além disso, o jogador tem a possibilidade de atirar em todas as 8 direções, inclusive para baixo. 

    A arma padrão do jogador é um rifle com munição ilimitada que pode ser atualizado para uma das quatro outras armas que podem ser obtidas destruindo os sensores da caixa de comprimidos e cápsulas de itens voadores que os contêm, ou derrotando os guardas vestidos de vermelho nas bases inimigas. Há também dois power-ups auxiliares que só aparecem em certas áreas quando o jogador está armado com sua arma padrão.

    Gráficos

    Os gráficos são incríveis, ainda mais pra mim que sou um amante dos pixels. O jogo de cores também é muito bonito, o NES conseguiu usar o máximo da sua palheta de cores e soube transformar o jogo em uma verdadeira obra de arte. Comparando com o Arcade, a versão de NES é muito mais bonito.

    Contra

    Platform: NES
    3098 Players
    32 Check-ins

    9
    • Micro picture
      onai_onai · 2 months ago · 2 pontos

      Jogão. Esse aí demorei um bocado até conseguir finalizar.

      1 reply
    • Micro picture
      filipessoa · 2 months ago · 2 pontos

      Parabéns! Um jogo pra poucos.

      1 reply
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 2 pontos

      Mano essa parte aí da screenshot é um parto, especialmente com 2 jogadores.

      1 reply
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2019-06-03 22:59:02 -0300 Thumb picture
  • jimmyramalho Jimmy
    2019-05-30 11:42:30 -0300 Thumb picture

    DESAFIO - 30 DIAS DE GAMES 2019

    DIA 27 - PRIMEIRO JOGO QUE JOGOU

    Meu primeiro videogame foi um Dynavision e consequentemente um dos primeiros jogos que joguei foi o Contra.

    Contra

    Platform: NES
    3098 Players
    32 Check-ins

    6
  • memoriabit Memória BIT
    2019-05-07 16:26:56 -0300 Thumb picture

    Trilogias do NES parte 2

    Medium 635127 3309110367

    O NES teve várias trilogias, algumas excelentes, outras um tanto irregulares. Nesse post, Glauber Tanaka relembra mais duas: Ninja Gaiden e Ikari. No Memória BIT → http://bit.ly/2vI86DL

    Ikari Warriors

    Platform: NES
    141 Players

    6
  • anduzerandu Anderson Alves
    2019-04-20 13:49:59 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Gradius

    Zerado dia 19/04/19

    Esperando amigos em casa para um dia de jogatinas, liguei o Switch e pra passar o tempo, fui dar uma olhada nos jogos de NES do serviço online do console. Tinham uns 9 que pretendo jogar e fechar, mas a escolha foi Gradius, um shoot'em up. O bom desse tipo de jogo é que não há muito comprometimento: até se eu não gostar, posso largar pra voltar depois sem achar que vou esquecer mecânicas, comandos ou enredo.

    E o jogo é simplório! Você o inicia, aperta start na tela inicial e já está voando com uma...nave? Ou...jato? Avião? Err...meio estranho, mas é isso aí, um pouco diferente do modelo que eu espero controlar nesses jogos super futuristas, mas nada ruim.

    É basicamente a coisa da grande maioria dos títulos do gênero: mova a nave para longe dos projéteis inimigos ou para mirar seus tiros neles, aprenda a melhor abordagem contra cada inimigo, cuidado para não bater nos cenários ou cair nas surpresinhas que aparecem repentinamente na tela (as vezes por trás de você) etc.

    O lance é que Gradius é BEM difícil e mesmo com savestates regulares (e não constantes), eu ainda gastei umas boas horas para conseguir me acostumar com suas mecânicas e finalmente terminá-lo.

    Qualquer hit te destrói. Tenso, mas comum nesse tipo de jogo. Mas em Gradius, você volta para o último "checkpoint", ou o início da "fase". Ainda assim, as vidas não são infinitas e logo você vai estar morrendo até dizer CHEGA no primeiro ou segundo estágio, só pra dar Game Over e ter que recomeçar a aventura.

    É sério. A dificuldade é bem alta mesmo em fases mais simples e a campanha é relativamente longa. Chegar na metade dela, não é uma tarefa nada fácil!

    Cheguei a pesquisar uns códigos do jogo e até achei um de continuar o jogo quando dá Game Over, mas não consegui fazer funcionar.

    Mas nem tudo age contra você! Inimigos laranjados ou destruir grupos inteiros de determinadas naves faz com que apareça um coletável na tela e ao adquiri-lo, a primeira barrinha das seis, na parte de baixo da tela ficará em destaque: Speed. Aperte B e a barrinha some, mas você aumenta a velocidade de controle da sua nave!

    Se achar desnecessário, continue coletando os upgrades para destacar a segunda barra, depois a terceira e assim por diante. Agora você tem mais tiros, ou tiros diferentes, ou drones que te ajudam e assim por diante. Alguns desses upgrades você só pode fazer poucas vezes, outros, como a velocidade da nave, eu não consegui chegar ao limite, pois depois de tanto a melhorar, achei que ficou rápida até demais, sobretudo para conseguir desviar de muitos inimigos em partes apertadas sem se matar.

    Lembre-se que esse é um jogo difícil e a morte reseta todos os seus upgrades. As vezes é melhor investir nos primeiros e mais rápidos de conseguir para conseguir avançar do que ficar guardando com uma nave fraca e não chegar a lugar nenhum!

    Resumindo: Gradius é um jogo ok, não chega a ser o pior do gênero no NES e nem sequer a ser ruim, mas a dificuldade bastante elevada, cenários repetitivos junto com as vidas limitadíssimas e demais penalidades deixam o jogo meio sem sentido para ser jogado hoje em dia, com tantas opções melhores em diversas plataformas.

    De bom: sistema de upgrades bem legal, em que você foca no que quer melhorar durante a jogatina. Controles simples.

    De ruim: visual e músicas sem carisma. Dificuldade exageradamente alta e poucas chances de continuar sua campanha. O jogo exige muita tentativa e erro, além de paciência. Ao invés de ser dividido em estágios diferentes, ele é uma única e longa fase. Chefes e demais inimigos repetitivos e constantemente reciclados.

    No geral, Gradius pode ter sido um jogo importante no passado, mas hoje em dia realmente não faz muito sentido. Mas pensando bem, existe algo bom do gênero para NES? Completamente passável mas pretendo jogar as sequências um dia.

    Gradius

    Platform: NES
    397 Players
    7 Check-ins

    14
    • Micro picture
      volstag · 4 months ago · 2 pontos

      Cara, recomendo a coletânea japonesa que tem os Gradius de arcade, tem 3 jogos, o terceiro é tipo o 2 com upgrades, todos bem difíceis e bem mais bonitos que as versões de NES.

    • Micro picture
      leopoldino · 4 months ago · 1 ponto

      Não usou o código da Konami que dá todas as armas?

      1 reply

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...