• anduzerandu Anderson Alves
    2020-06-26 03:13:51 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: ToeJam & Earl

    Zerado dia 26/06/20

    Mais um daqueles jogos que sempre ouvia meus amigos comentarem nos encontros de 3DS da época aqui em Brasília e me faziam me sentir ignorante em relação ao Sega Genesis/Mega Drive. Era fato que eu não manjava quase nada do console e só tinha olhos pro SNES quando era moleque. 

    Conhecendo o console, mesmo que pouco, logo você vai saber que ToeJam & Earl é um jogo de peso da plataforma. Um daqueles metidos a "cool" e americanizados, com músicas, visuais e cores bem "funky". Infelizmente a fórmula estética nunca deu muito certo comigo. Odiava produtos da época mesmo no Super Nintendo (um lado dos anos 90 que sempre achei melhor esquecer).

    Bom, T&E entrou pra minha lista de desejos e finalmente o emulei com um amigo há uns aninhos atrás, mas depois de uma jogatina só, deixamos de lado (ele curtiu menos que eu) e ficou na minha recente lista de pendências urgentes!

    Recentemente convidei esse mesmo amigo a emular via Parsec (olha eu falando desse programa de novo) jogos de Mega Drive, e o lembrei do T&E, que não queria jogar sozinho no meu PSP. O Parsec não funcionou com o emulador e fomos de Hamachi.

    Para a minha surpresa, ela topou jogar, mas acabei "preparando terreno" antes com o Gunstar Heroes, que jogamos a tarde toda, zeramos e publiquei aqui no Alvanista recentemente. Perguntei se animava ir pro jogo que deu ideia da jogatina, mas ele preferiu deixar pra depois.

    Semanas depois e mais jogos jogados e/ou zerados, insisti no T&E até que finalmente ele se convenceu e deu a ideia. Eu já tinha comprado uma versão na Steam e até feito campanha no Instagram pra alguém jogar comigo, mas jogos antigos e desconhecidos assim são mais complicados.

    Para quem não conhece, essa aventura é bem diferente de qualquer outra coisa que consigo imaginar. Você pode jogar sozinho ou em dupla, com dois personagens na mesma tela, que se divide caso eles se separem. Mas vou focar em falar sobre ele no multiplayer.

    Nesse jogo psicodélico, os jogadores devem explorar cenários atrás das peças de suas naves para que possam voltar ao seu planeta, porém isso é mais trabalhoso do que se imagina.

    O jogo se divide em andares. 25 deles. Todos os andares são recheados de inimigos e presentes embrulhados, além de diversas rotas secretas que só se criam quando você se aproxima.

    Quando você alcança um novo andar, o jogo avisa ou não se há uma peça da nave por lá. Se sim, sua missão é encontrá-la e depois encontrar e usar a saída. Se não, basta encontrar a saída e se mandar de lá.

    Porém, grande parte da diversão é justamente a exploração!

    Existe todo tipo de personagem por aí. Inimigos com ataques e padrões diferentes (grupos de nerds que correm e são imprevisíveis, enxames de abelhas, cupidos que atiram flechas que deixam os seus comandos trocados, a dançarina havaiana que te deixa vulnerável dançando por uns segundos e muito mais). Cada um deles ainda com HPs diferentes.

    Existem ainda NPCs que te ajudam, coisa que eu só fui perceber depois, pois achava que todos eram do mal. Tem um Papai Noel que você deve se esgueirar e se aproximar para ganhar presentes, um telefone que revela partes aleatórias do mapa e por aí vai.

    A parte mais legal é a dos presentes!

    Existem diversos sprites de presentes e, até você usá-los, você não sabe o que cada um faz (depois disso, todos os presentes que forem idênticos ficam com o nome pra você saber do que se trata).

    Existem muitos presentes bons, uns mais ou menos e uns ruins. Você nunca sabe o que vai tirar!

    De bom nós temos coisas como asas, que voam sobre buracos e inimigos, tênis que te fazem correm dos inimigos, boias que permitem que você nade sem se preocupar com se afogar e até um presente que te leva instantaneamente pra onde o seu amigo estiver. Isso é muito útil pois é possível cair nos buracos e voltar pra andares anteriores, o que vai te fazer ir até a porta novamente para voltar a subir enquanto lida com mil inimigos, além de que pode demorar.

    Dos mais ou menos nós tempos coisas como comida, que pode encher bastante seu HP ou nem muito. Ou mesmo o tomate, que usamos para jogar nos inimigos e os destruir.

    De ruim nós temos coisas que nos matam, tiram nosso HP ou te fazem um alvo fácil de inimigos (ou facilitam que você caia em buracos). Um dos que eu mais odeio é o que embaralha todos os presentes e seus ícones e você tem que os usar novamente para saber do que se trata.

    Além de procurar a porta ou as partes da nave, fica sempre o questionamento se vale a pena simplesmente ir logo pro próximo andar ou explorar mais por presentes e comida para encher nosso HP.

    É comum também só querer ir pro próximo andar logo e não achar a saída com facilidade. Eu odeio os caminhos que só aparecem quando você se aproxima! O jogo ficaria bem melhor se essas coisas simplesmente já estivessem lá!

    Explorar e usar presentes (talvez derrotar inimigos) também dá experiência aos heróis, o que com o tempo garante mais vidas e barras de HP maiores, e isso faz toda a diferença.

    Mais pra frente o jogo começa a jogar muitos inimigos chatos próximos uns dos outros, como um cão que derruba uns dois presentes seus (e desaparecem), um furacão que te arrasta por aí e geralmente te joga num buraco ou mesmo uma ambulância maluca e super rápida atrás de te atropelar.

    Meu amigo ficou frustrado rapidamente com o azar dessas coisas acontecendo com frequência e ele morrendo muito fácil pra alguns inimigos ou tendo que subir vários andares novamente. Nos últimos andares eu fiquei só, mas ele ficou bem feliz de ter se livrado do jogo.

    Resumindo: Não tive a oportunidade de jogar ToeJam & Earl na infância, mas acho que não teria gostado do jogo. Talvez menos do que gostei jogando hoje. A ideia, mais uma vez, é bem legal, mas a execução, eu não sei. Não é lá muito divertido e muita cosia não envelheceu bem, mas acho que é por isso que temos o Back in the Groove aí, para modernizar a série como ela merece. Dá pra ver que o jogo tenta ser bom, mas falha com frequência e isso é meio triste e frustrante.

    De bom: tem um estilo legal. Gostei do tipo do jogo, baseado em exploração. Opção de jogar sozinho ou multiplayer. Opção de jogar um mundo fixo, que sempre será igual ou um criado aleatoriamente. O jogo tem um fator replay bom, pra quem o curtir, por conta da possibilidade de jogar mapas criados aleatoriamente.

    De ruim: o jogo é repetitivo do início ao fim em relação aos seus visuais, mecânicas e a jogatina como um todo. O último andar e o primeiro poderiam trocar de lugar que você nem perceberia. Alguns inimigos são irritantes e parecem até meio injustos. Caminhos que aparecem apenas quando você chega na ponta dos buracos. Final nada recompensador. Jogabilidade travada e lenta. Protagonistas pouco carismáticos. Comprei esse Toejam & Earl e veio uma coletânea da Sega, mas apenas com ele dentro. Essa coletânea tem uma sala 3D onde você põe o jogo e tal no console e é mais lento para abrir e navegar. Só queria a opção de abrir direto o jogo sem essa lentidão!

    No geral, eu não sei se me diverti com esse jogo. Já tinha o jogado umas vezes e achado ok, mas agora, tendo o terminado, eu sinto que é um título fraco e que não chega a lugar nenhum. Minhas esperanças de melhorar o jogo se foram, sendo que a única que acontece com o progresso é que ele fica mais irritante. Vou colocá-lo na mesma categoria de decepções que o Kid Chameleon. Totalmente passável.

    ToeJam & Earl

    Platform: PC
    30 Players
    1 Check-in

    23
    • Micro picture
      santz · 16 days ago · 2 pontos

      Esse aí eu estou reservando para jogar de 2, pois jogando de 1, não teve a mínima graça.

    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 15 days ago · 2 pontos

      Esse jogo é simplesmente espetacular e tú está enganado@santz, sozinho a diversão é garantida...👍🏻

      2 replies
  • anduzerandu Anderson Alves
    2020-05-31 20:44:48 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Magicka

    Zerado dia 31/05/20

    Há um tempo atrás terminei Magicka 2 no PS4 com amigos e até postei aqui no Alvanista. Achei legal a experiência multiplayer, mas o jogo? Acho que foi ok. O problema é que eu fico maluco em saber que pulei um jogo e adicionei o primeirão à minha wishlist da Steam. O meu amigo, que ama a série, sempre diz que o 1 é melhor que o 2, então logo ele ficou praticamente dado e foi uma boa desculpa pra ter o que jogar online.

    Há uns poucos meses atrás, chegamos a começar a aventura, mas eu desisti logo no início. Achei os comandos super confusos e a jogabilidade bizarra com mil botões de magias mais várias possibilidade de uso delas e combinações. Desinstalei o jogo e tudo, mas aquela lembrança sempre me assombrava e resolvemos tentar novamente.

    Esse meu amigo vinha comentando que deveríamos usar de alguns artifícios para driblar os problemas de execução do jogo. Mas que problemas? Eu não lembrava de ter tido problemas...

    Voltando a jogar pra valer ontem. Chamei ele e fui dando uma jogada sozinho, continuando de onde tínhamos parados (capítulo 2). 

    A jogabilidade pareceu mais simples do que eu lembrava e como podemos ver na imagem acima, há 8 botões destinados à magias. Você aperta Q, a magia de água é "equipada". Você pode apertar um botão para jogar água nos inimigos, por exemplo. e se você amontoar mais, mais forte será o seu poder.

    Há ainda diferentes formas de usar a sua magia, cada uma associada a um botão diferentes. Então basicamente você pode jogar água nos outros, jogar em si mesmo, jogar na área em volta de você, simplesmente usar no ar ou encantar a sua espada com água.

    Jogar água nos outros pode ser útil para os molhar e depois os eletrocutar com a magia elétrica, Jogar água em si mesmo é útil pro caso de você estar em chamas. Usar ao seu redor pode apagar chamar próximas, molhar os outros e até transformar uma grande área de lava em rocha, por exemplo. Usar na espada faz com que seu próximo ataque físico tenha aquele elemento, mas o dano ainda depende muito da arma que você achou e está usando, e não vi muito motivo pra fazer isso.

    As outras magias incluem: cura, escudo, gelo, eletricidade, trevas, pedra e fogo.

    O lance é que há combinações específicas de magias para conseguir resultados específicos, como a magia de agilidade, que você deve ativar eletricidade + trevas + fogo, nessa ordem, e não se esqueça de apertar o botão de conjurar em si mesmo! Já a magia de ressuscitar os amigos consiste apenas cura + eletricidade e usar. Se você ativar essa combinação em si mesmo, você vai se curar e tomar dano elétrico. Se usar nos inimigos, a mesma coisa.

    Mais pra frente você acha mais magias, fortes e mais complicadas, apesar de já existir umas de início que o jogo aparentemente não te fala, basta saber e usar. No final da campanha achamos uma de invisibilidade que permitiu passar por porções do jogo sem ter que enfrentar ninguém, até porque você não ganha nada matando monstros e alguns deles estavam impossíveis! A combinação da invisibilidade consistia em usar o número máximo de elementos em uma combinação, cinco: trevas + escudo + fogo + água + trevas e usar em si mesmo. Imagine você apertar S, E, F, Q, S! Pra mim isso é bem tenso, pois não sou muito bom com comandos do teclado tão específicos em alta velocidade. Você está o tempo inteiro conjurando magias e as usando e parar pra olhar o teclado pode custar a sua vida!

    Fico feliz de ter jogado multiplayer, que é basicamente o foco do jogo, mesmo que apenas de 2 pessoas pois passei boa parte do jogo focando em poucos elementos/botões e ignorando as dicas do meu amigo: "usa raio, escudo, fogo, fogo e pedra". Até quando eu resolvia testar uma dessas, eu tinha que parar e pensar em qual botão usar e, seguindo o mais óbvio, ainda era o errado e obtinha um resultado indesejado.

    Enquanto jogávamos, ele estava sempre aberto a decorar combinações, experimentar, ver a lista de magias e dar dicas do que fazer com mais mil combinações e elementos e fazendo tudo fazer sentido enquanto eu estava apenas usando fogo pra me descongelar, água pra apagar o fogo e fogo pra me secar. Bom, estava dando certo.

    Em determinados pontos da campanha você é obrigado a usar certas magias, como o teleporte pra pular um buraco, ataques que tenham vantagens contra determinados tipos de inimigos e afins. Outras vezes não é obrigatório, mas passa perto pois certos oponentes demoram demais pra morrer e causam muito dano, então você deve atacar com o elemento certo ou fazer uma barreira de choque ou de pedra ou criar um escudo contra fogo etc etc etc.

    Além do mais, algumas combinações óbvias tem que ser mantidas em mente. Por exemplo: você passa por uma poça d'água e agora está molhado (coisa fácil de nem perceber pois visualmente é muito pouco notório as gotas saindo de você, além de parecer só coisa de cenário). Agora, se você tentar ressuscitar seu amigo, cura + eletricidade, a cura entra, mas a eletricidade só te causa dano. Você tem que perceber que está apertando a tecla certa, mas está tomando dano não por causa dos inimigos, mas por conta própria, então cancela o combo, joga fogo em si mesmo e tenta novamente!

    Foram cerca de 4 horas de campanha até zerar e até comecei a ficar rápido com os botões e lembrar de combinações, mas quando olhava pros elementos no canto da tela, percebia que alguns deles vinham sendo completamente ignorados, como escudo e gelo.

    Sobre os botões, mesmo em limitando a poucos deles, eu ainda apertava errado aqui e ali quando tirava e voltava com a mão ao teclado do notebook e, frustrado, acabava ainda usando a combinação da forma errada, como usando cura como ataque e curando inimigos.

    Agora, de volta ao início, tivemos sim muitos problemas com esse jogo (talvez por conta do Windows 10). Pesquisamos muito online mas aparentemente é algo antigo e que todos sofrem e que gerou piadas dentro do próprio jogo, como uma magia chamada "crash to desktop".

    O jogo travar do nada e voltar direto pra área de trabalho é tão comum que é normal ver pelos fóruns da internet as pessoas falando que jogam com o jogo fechando sempre que terminam uma fase, mas logo voltando de volta à ação e fazendo assim pelos 12 níveis até terminar o jogo.

    Esse problema foi o mais comum pra gente e as vezes nem acontecia em certas fases, enquanto em outras rolava a cada checkpoint. Além disso, é impossível achar as salas públicas dos amigos na lista e só dava pra se juntar convidando pela Steam. Depois de um tempo, essas coisas, lags e outros problemas faziam a gente mais rir do que tudo.

    A solução (que inclusive me fez descobrir essa ferramente incrível) foi usar o Parsec para jogarmos como se estivéssemos num multiplayer local. Melhorou bastante e ainda me permitiu jogar com meu controle, que consegue ser mais difícil que no teclado (fácil de escolher os elementos certos, mas bem mais lento).

    O mais chocante foi ver que o jogo é de 2011! Eu tinha certeza que com tudo isso e seus visuais, era algo de bem antes!

    Resumindo: Magicka é um jogo interessante e uma ideia sensacional com esse uso de combinações de magias pra obter diferentes resultados de ataque, defesa e interação com os cenários, mas infelizmente a sua jogabilidade não é lá das melhores por demandar combos tão específicos com o uso de tantas teclas. Por outro lado, eu me diverti e agradeço por sua campanha não ter durado mais do que durou e só fico triste de não ter jogado com mais gente e localmente, como acredito que seja como o jogo brilha. Em relação ao 2, ele é um jogo mais positivamente complexo, mas menos acessível e que envelheceu um pouco pior, como Diablo 2 pra Diablo 3.

    De bom: gosto da ideia do jogo e sua originalidade. Humor muito bom e cheio de referências à filmes e jogos. Possibilidade de jogar sozinho ou com amigos. Modos adicionais incluem um Versus e um Challenge, que é basicamente enfrentar hordas de inimigos enquanto coleta novas armas e magias para o uso.

    De ruim: jogabilidade nada familiar. Os constantes bugs e crashs do jogo. Meio chato ficar fazendo tantas combinações repetitivamente (coisa que ficou um pouco melhor no 2 com uns atalhos). Eu preferiria que cada combinação tivesse um efeito específico do que várias possibilidade de uso dependendo do botão usado.

    No geral, a experiência foi ok, mas não sei se teria aguentado sozinho. Em relação a Magicka, recomendo a casualidade do 2 e controles na mão com amigos localmente. Sobre o 1. definitivamente é um pouco complexo demais para resultados muito parecidos ou desnecessários. Passável.

    Magicka

    Platform: PC
    3770 Players
    124 Check-ins

    11
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      Você conseguiu jogar online? Eu tentei com meu irmão e o bagulho não vai.

      4 replies
    • Micro picture
      xch_choram · about 1 month ago · 1 ponto

      O 2 não tem mais esse esquema de magias?

      1 reply
  • palomaref Paloma Cristini
    2020-05-20 10:24:21 -0300 Thumb picture
  • palomaref Paloma Cristini
    2020-05-18 12:08:35 -0300 Thumb picture
    Post by palomaref: <p>Amo jogar online com os amiguinhos hahahaha&nbsp

    Amo jogar online com os amiguinhos hahahaha 

    Paladins: Champions of the Realm

    Platform: Playstation 4
    167 Players
    76 Check-ins

    8
  • palomaref Paloma Cristini
    2020-05-12 15:36:00 -0300 Thumb picture
  • palomaref Paloma Cristini
    2020-05-06 12:32:56 -0300 Thumb picture
  • palomaref Paloma Cristini
    2020-04-11 11:58:18 -0300 Thumb picture
  • gamer_reis game_reis
    2020-04-06 19:10:31 -0300 Thumb picture

    BLEEDING EDGE - Vídeo no canal

    Galera saiu o video no canal, Bleeding Edge, primeira vez jogando o game, se inscreva no canal para dar aquela força, compartilhe, de sua opinião que é muito importante para ajudar o canal a crescer. Obrigado. 

    Bleeding Edge

    Platform: Xbox One
    7 Players
    10 Check-ins

    4
  • gamer_reis game_reis
    2020-04-06 17:46:23 -0300 Thumb picture

    Hoje as 19 horas vídeo, jogando Bleeding Edge

    Jogando pela primeira vez - Bleeding Edge, hoje as 19 horas vídeo no canal. Enquanto isso, acompanhe outros videos sobre o jogo RAGE 2, não esqueça de se inscrever, ajuda muito o canal, e espero que curtem o video. Abraços. 

    Youtube: Gamer Reis

    Bleeding Edge

    Platform: Xbox One
    7 Players
    10 Check-ins

    5
  • palomaref Paloma Cristini
    2020-03-31 12:58:34 -0300 Thumb picture
    Post by palomaref: <p>Da-lhe mais Paladins com o amiguinho, agora com

    Da-lhe mais Paladins com o amiguinho, agora com a melhor personagem do game ♥

    Paladins: Champions of the Realm

    Platform: Playstation 4
    167 Players
    76 Check-ins

    12

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...