• rafaelbarbosa Rafael Barbosa
    2020-08-13 15:40:44 -0300 Thumb picture
    Post by rafaelbarbosa: <p>Fala, galera!<br>Tenho o hábito, ultimamente, de

    Fala, galera!
    Tenho o hábito, ultimamente, de postar minhas gameplays no meu canal do YouTube. A bola da vez é o Guilty Gear 1, um clássico que muita gente conheceu no PS1, sem sombra de dúvida. A versão que estou jogando é a lançada para Steam, muito boa, por sinal.

    Espero que curtam. Estou aberto a críticas e sugestões.

    Valeu!!!!!

    Guilty Gear

    Platform: Playstation
    702 Players
    13 Check-ins

    8
  • denis_lisboadosreis Denis Lisboa Dos Reis
    2020-06-05 19:48:42 -0300 Thumb picture
    denis_lisboadosreis checked-in to:
    Post by denis_lisboadosreis: <p>Finalizado com todo mundo!</p><p>Terminei com ca
    Mortal Kombat: Komplete Edition

    Platform: Playstation 3
    783 Players
    100 Check-ins

    Finalizado com todo mundo!

    Terminei com cada personagem no Arcade, além do modo história. Não tive paciência ainda pra terminar tudo do desafio da torre.

    Gostei muito de como esse jogo volta ao clássico sem desrespeita-lo, e sem desrespeitar o Armageddon (mesmo ele sendo fraco). O tutorial é muito útil, e os desafios da torre te fazem aprender a jogar com cada personagem e naturalizar os recursos do jogo ao ponto de me fazer rever e entender como essa série tem jogabilidade própria e diferente do estilo de Street Fighter, mas ainda boa ao seu modo. Além disso, o jogo traz apenas os bons elementos dos três primeiros jogos, sem a jogabilidade travada, sem animalities, sem corrida, e com combos ajustados adequadamente. E mesmo com o retorno do clássico, ainda traz novas idéias pra história e pra jogabilidade.

    Interessante que vários dos finais alternativos do modo Arcade (pois o modo história tem seu próprio final), apesar de não canônicos, dão espaço pra serem retomados e desenvolvidos nos jogos futuros. 

    Aqui também começaram os personagens convidados, como Kratos e Freddy Krueger, que muita gente não gosta, mas acho muito bem vindo.

    10
  • jockos Marlon Santos
    2020-04-16 11:32:37 -0300 Thumb picture

    a obra mais visceral de MK fora dos games!

    Medium 701301 3309110367

    assisti essa maravilha estava hyper ansioso pra ver!

    os trailers eram fantásticos e realmente o longa é muito bom!

    desde 1995 (quando saiu o primeiro filme de MK) q eu aguardo por algo neste estilo, que dá juz ao que realmente MK é!

    pq embora o filme de 95 seja uma boa adaptação, não tem 2% da violência realmente mostrada nos games de MK, desde o primeiro game lá de 1993, essa sempre foi a marca de MK, sua violência exagerada, seus fatalities sangrentos que nunca foi bem representada fora dos games (talvez nas HQs, mas como eu não li, não posso opinar sobre isso)

    Foram lançados filmes, séries e até desenhos e esses nunca foram viscerais como MK (principalmente o desenho kkk), talvez o que chegasse mais próximo disso, foi a websérie Mortal Kombat Legacy 

    Mas bora falar realmente de Mortal Kombat Legends: A Vingança de Scorpion

    q obra de arte, como informado acima, o desenho é bem visceral, parece o game mesmo, com direito a cenas de raio X e tudo mais, fantástico

    porém, nem tudo são flores....    o filme inicia com os Lin Kuei atacando a vila dos Shirai Ryu e vai até a ultima batalha do primeiro game, até aí, show né....  maaass, como o subtitulo bem informa, o longa é focado em Scorpion e sua vingança, então se vc assim como eu ama o ninja amarelo, esse filme é um prato cheio, pois é Scorpion praticamente o tempo em cena, mas isso também acaba estragando um pouco o filme, pois como todo fã de MK sabe, o jogo não é sobre o Scorpion, então momentos em que o holofote deveria estar em outros personagens são ofuscados, pois a cena é do Scorpion!

    O próprio Sub-zero é imensamente mau desenvolvido, vc passa boa parte do filme esperando o reencontro dos 2 e nem é tudo isso, momentos em que Liu Kang precisa brilhar, pois essa é a estória do game, são ofuscados pelo ninja amarelo e sua sede de vingança, tem muitas cenas que focam em mostrar só o quanto Scorpion é foda e luta pra caramba que poderiam ser cortadas para melhor desenvolvimento dos outros personagens e até da trama também, não me leve a mau, as cenas não são ruins, são excepcionais inclusive, mas faltou desenvolvimento do cenario ao redor, inimigos bem desenvolvidos dão vida a estória também

    ALERTA DE SPOILERS ABAIXO, SIGA POR SUA CONTA E RISCO!!!

    embora o filme seja focado no Scorpion, uma luta que estava ansioso pra ver também é de Liu Kang vs Shang Tsung e adivinha nem aconteceu!

    No filme é como se Shang Tsung e Raiden tivessem patamares "semelhantes", obviamente Raiden não participa do torneio, apenas está na estória para guiar os escolhidos e seu campeão é Liu Kang.... que.... não faz nada no filme!

    a luta final é entre Liu Kang vs Goro, que sim é uma ótima luta, mas o monge não iria ganhar se não fosse a intervenção do ninja amarelo, que mais uma vez tem que brilhar, pois o filme é dele kkk

    e aí vc pensa, pronto, agora sim Liu Kang vai lutar contra Shang Tsung, ou Shang Tsung enfrentará os 2 de uma vez será uma luta incrivel.......  só que não kkkkk

    no momento que Goro é derrotado, oficialmente a Terra venceu aquele Mortal Kombat e quando Shang Tsung toma a frente, Raiden interfere, sendo assim, nem acontece a luta entre Shang Tsung vs Liu Kang, essa luta é subtituída por Scorpion vs Quan Chi, que sim é muito top também, mas.... que deixa aquele gostinho meio amargo na boca de "está faltando alguma coisa" rsrs

    FIM DOS SPOILERS!!!

    apesar de eu apresentar vários contras, não achei o filme ruim de forma alguma, é apenas uma releitura do primeiro torneio, nenhuma luta deixa a desejar, são sempre cenas incriveis e todo fã de MK irá gostar! Mas também como dito, existem coisas que poderiam ser melhores, que não estragam o filme, mas que poderia deixá-lo melhor.

    Mas de longe, pra mim, é a MELHOR OBRA de Mortal Kombat já feita fora dos games!!!!

    Mortal Kombat

    Platform: Arcade
    711 Players
    7 Check-ins

    17
    • Micro picture
      santz · 5 months ago · 2 pontos

      Esse aí estou para ver ainda. Já está baixado.

      1 reply
  • jimmyramalho Jimmy
    2020-03-23 14:11:14 -0300 Thumb picture
    Post by jimmyramalho: <p><strong>Jogo finalizado nº 35</strong><em><stron

    Jogo finalizado nº 35

    Bloody Roar é um jogo de luta desenvolvido pela Hudson Soft lançado em 1997. Começou como um jogo de arcade, lançado sob o nome 'Beastorizer' na América do Norte. Depois que a popularidade cresceu com os jogos de console, a desenvolvedora transportou o game para o Playstation.

    Enredo

    Existem pessoas conhecidas como Zoanthropes que têm a capacidade de se transformar em híbridos de animais à vontade. Tylon, uma bio-corporação, experimenta Zoanthropes na tentativa de transformá-los em armas militares. A organização multinacional usa suas criações como tropas avançadas em invasões militares globais.

    Yugo, um lobo Zoanthrope, está tentando vingar seu pai, que foi morto anteriormente em uma guerra contra Tylon. Em sua jornada, ele conhece Gado, um velho camarada. Juntos, eles prometem destruir Tylon, libertar todos os reféns e pôr fim às experiências brutais.

    Jogabilidade

    Sua originalidade veio com o uso do botão 'besta'. Sob a barra da vida, havia um medidor de feras. Quando preenchido, pressionar o botão da fera transformaria o personagem jogado em sua forma animal poderosa e mais ágil. A transformação da besta terminaria quando o medidor da besta estivesse completamente esgotado.

    Gráficos

    a desenvolvedora parece que estava em uma fase de migração para a tecnologia dos gráficos 3D, pois eles são bem poligonais e sem muito acabamento no corpo dos personagens. Já os cenários, são muito legais e bem feitos.

    Som

    As soundtracks são incríveis, elas tem uma pegada bem Heavy Metal, que por sinal, é um gênero que adoro.

    Bloody Roar

    Platform: Playstation
    1011 Players
    6 Check-ins

    10
    • Micro picture
      santz · 6 months ago · 2 pontos

      Esse eu ainda não joguei, mas parece bem da hora mesmo.

  • anikabonny Anika Bonny
    2020-02-05 22:44:32 -0200 Thumb picture

    Bishoujo Senshi Sailor Moon S: Jougai Rantou! Shuyaku Soudatsusen (Sup

    Bishoujo Senshi Sailor Moon S: Jougai Rantou! Shuyaku Soudatsusen (Super Famicom)

    Um jogo de luta ambientado na season “Sailor Moon S”, no qual está sendo decidido quem será a nova líder!

    Enfrente todas as Sailors (com exceção da Saturno) e se torne a mais nova protagonista da série, com direito a ter seu nome e silhueta na tela inicial!

    Review completo: https://nerdtrash.com.br/bishoujo-senshi-sailormoon-s-jougai-rantou-shuyaku-soudatsusen-super-famicom/

    Bishoujo Senshi Sailor Moon S - Jougai Rantou!? Shuyaku Soudatsusen

    Platform: SNES
    78 Players
    3 Check-ins

    2
  • jimmyramalho Jimmy
    2020-01-06 04:56:09 -0200 Thumb picture
    Post by jimmyramalho: <p><strong></strong></p><p><strong>Jogo finalizado

    Jogo finalizado n° 31

    The King of Fighters '96 é um game lançado no ano de 1996 pela SNK. É o terceiro jogo da série The King of Fighters e o segundo da Saga Orochi.

    Enredo

    Competições preliminares foram realizadas em várias áreas do mundo e, entre as nove principais equipes, naturalmente, os competidores habituais estão ansiosos para testar suas habilidades em uma competição oficial.

    Desta vez, no entanto, há uma equipe entre eles que não pode deixar de levantar as sobrancelhas, composta por Geese Howard, Wolfgang Krauser e Mr. Big. Os três que tentaram conquistar o mundo agora são apenas meros competidores neste torneio. O objetivo deles é, talvez, acabar com os irmãos Bogard ou os discípulos do karatê Kyokugen? Se isso não bastasse para surpreender...

    Gráficos

    A primeira coisa que me vem a cabeça ao mencionar os gráficos são os cenários incríveis que o jogo possui. Podemos ver que as animações de fundo são bem melhores que as dos jogos anteriores.

    As cores do game são bem vibrantes e os pixels estão do jeito que eu gosto. Os gráficos são simplesmente incríveis e os sprites nem se fala!

    The King Of Fighters 96

    Platform: Playstation
    1116 Players
    5 Check-ins

    10
  • anduzerandu Anderson Alves
    2019-12-14 00:47:53 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Street Fighter: The Movie

    Zerado dia 13/12/19

    Estava eu há uma 3 semanas atrás num evento da Big Boy Games daqui de Brasília e como sempre, resolvi jogar alguma coisa e se pá até terminar. Eles tem uma máquina de Arcade daquelas com emulador e zilhões de jogos e eu resolvi dar uma olhada na lista e ver se algo me agradava já que todos estava focados nos Smash Bros da vida de Switch e ninguém ligava pro fliperama.

    Fiquei um tempão descendo na lista de jogos pois nada vinha à minha cabeça. Até uma coisa ou outra que tô devendo, mas jogos que estão disponíveis em outras plataformas também, então foquei em algo exclusivo. Foi aí que eu encontrei Street Fighter: The Movie láááá embaixo. Até aí não sabia que o título também foi disponibilizado pro PS1 e Sega Saturn.

    Comecei a jogar o tosquíssimo e até engraçado jogo, até que uns conhecidos viram e resolveram entrar e jogar Versus. Foi divertido, mas tava difícil fazer os golpes (e nem sou muito habituado à jogar no fliperama), então logo deixei de lado.

    Hoje lembrei do jogo e achei uma boa pra ter algo mais rápido de zerar. Joguei no Google pra achar algum site o hospedando online como venho fazendo com Arcade e veio essa versão de Playstation. Pô, se soubesse teria jogado no PSP!

    De cara, o visual bizarro dos atores do filme digitalizados saltam à cara. É esquisito. Nessa versão de PS1 o downgrade é enorme! No Arcade você vê bem os rostos e detalhes de cada personagem, mas nessa versão a resolução é bem mais baixa e mal dá pra reconhecer os atores. Mas aceitei bem assim.

    Pra quem não sabe, Street Fighter ganhou um filme lá em 1994 estrelado por Jean Claude Van Damme no papel de Guile, além de outros atores relativamente conhecidos. A última vez que eu assisti esse filme foi na minha infância, mas cheguei a ver um review bem engraçado dele no Rental Reviews do canal Cinemassacre, que recomendo demais, junto com o review do filme do Mortal Kombat deles.

    Na época todo mundo já achava o filme bem tosco e nada a ver, e eu pessoalmente odiava o fato do protagonista não ser o Ryu.

    Abrindo o jogo me deparei com cinemáticas que acredito que sejam trechos do filme. É bem coisa da época mesmo e combina mais no Arcade. Já no menu principal, temos algumas opções de modo de jogo, como o Movie Battle (campanha que aparentemente segue o enredo do filme), Street Battle (modo Arcade) e o modo Versus, além de outras coisas menos relevantes.

    Iniciando o modo Movie, mais umas cinemáticas e uma coisa curiosa: escolhas na estória. Pra onde devemos ir? Qual o melhor caminho pra chegar lá? É melhor ir direto ou se encontrar com Fulano e pedir mais informações? Essas escolhas servem como desculpa para variar um pouco a campanha e lutar contra diferentes lutadores. Nas minhas escolhas, por exemplo, eu lutei contra Chun-Li, Zangief, Blanka, Sagat e tal, mas sei que outros personagens estão disponíveis no jogo, mas que não cheguei a ver ou enfrentar, como o Vega, Ryu, E.Honda etc.

    O modo campanha te obriga a jogar com o Guile, e se já sou ruim no jogo com quem eu sei jogar, imagine com ele. Mas tá bom. Na primeira luta, contra o Bison, tomei uma surra daquelas, mas aparentemente era pra ser assim mesmo.

    Já em sua jogabilidade, é Street Fighter 2. Possivelmente o World Warrior em sua dificuldade roubada e frustrante. Mas os comandos são os mesmos até onde eu entendi, mas um pouco menos responsivos. Com o Guile eu tava apanhando pra fazer qualquer coisa, mas na minha experiência com o Ryu ou Ken, tive dificuldade em fazer hadoukens constantes, por exemplo.

    É tudo baseado no filme, obviamente. Cenários, vozes, estória. Mas os sprites dos personagens tem as mesmas poses clássicas e os ataques tem frames iguais ou muito parecidos. É bem bizarro sair da "realidade" do jogo e ver o Blanka dando aquele ataque que é um mortal pra trás ou dando choque ou o Bison usando aquele ataque que voa com uma energia em volta (não manjo dos nomes, haha).

    Percebi também que não haviam músicas nas fases, o que era problema da versão que eu estava jogando.

    A dificuldade foi subindo muito rápido e ficando frustrante! Eu não sou bom com SF II, não sei jogar com o Guile e estava jogando no teclado. Complicado demais! Cheguei a voltar ao menu principal e diminuir a dificuldade par ao mínimo, mas pouco mudou, se é que mudou!

    Comecei a usar apenas dois botões de ataque e repetir uma estratégia barata pra vencer os caras. E funcionou! Quer dizer, funcionou até eu chegar no último boss e ter que manter a paciência e procurar aberturas pra minha tática: voadora, chute forte baixo e joelhada pra frente. O maldito levou um século pra morrer e me venceu um monte de vezes já que meu dano era ridiculamente baixo e o dele, ridiculamente alto.

    Depois de vencer o Bison, a mina da Shadaloo que sempre me põe pra cima numa espécie de codex do Metal Gear quando perco uma batalha mandou eu ter cuidado porque não seria tão fácil assim vencer o nazista vermelho. E assim tive que vencer o safado mais dois rounds.

    De início parecia a mesma coisa, mas não sei se a falta de paciência e fome bateram, mas parecia que ele estava aprendendo meus macetes e eu batia cada vez menos nele de luta pra luta! Ao menos os continues são infinitos. Eu lembro de estar nessa luta e olhar pro relógio e serem 20:00. Quando terminei eram mais de 23:00!

    Resumindo: Street Fighter: The Game é um jogo ok. É quase como se quisessem fazer uma versão mais madura e americanizada ao estilo Mortal Kombat do clássico da Capcom, sabe? Pra você deixar aquelas cores e visual cartunesco de lado e ainda mostrar que curtiu o filme como um cara sério que você é. Ao mundo dos jogos, ele não adiciona nada e só vai fazer você querer estar jogando o original.

    De bom: jogabilidade familiar. Cinemáticas que deviam ser legais na época. Escolhas dividem rotas e oponentes, aumentando um pouco o valor replay.

    De ruim: jogabilidade meio dura. Campanha que te obriga a jogar com o Guile (apesar que faz sentido, pois segue o filme). O visual é esquisito, e pior ainda no PS1. Dificuldade alta e frustrante, sobretudo no último chefe, que vira o jogo quando quiser, te deixa tonto com combos de 2 ataques e te mata facilmente. Há um limite de tempo pra zerar o jogo de 50 minutos (possivelmente também é coisa do filme), mas felizmente o mesmo pausa quando chegamos no chefe final.

    No geral, vale a pena conferir o jogo se você curte muito a série ou mesmo pra rir um pouco numa festinha de jogos com amigos. Pra zerar? Só se curtir muito mesmo Street Fighter e só pela curiosidade, porque o fator diversão é bem baixo, pela falta de originalidade e o sentimento de downgrade de um grande clássico. Passável.

    Street Fighter: The Movie

    Platform: Playstation
    347 Players
    12 Check-ins

    21
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 10 months ago · 3 pontos

      Blanka é o mais bizarro, né?
      E a CAMMY é a Kylie Minogue, procede?
      https://youtu.be/npflSSnOCvs

      5 replies
    • Micro picture
      xch_choram · 10 months ago · 2 pontos

      Lembrando que a versão de arcade tem um jogabilidade mais diferente, a versão de ps1/saturn é considerada a melhor por ter a mesma jogabilidade do SFII

    • Micro picture
      davidchagas123 · 10 months ago · 2 pontos

      o pior é quando vc compara com os Mortal Kombat do Super Nintendo

  • denis_lisboadosreis Denis Lisboa Dos Reis
    2019-11-29 00:48:10 -0200 Thumb picture
    denis_lisboadosreis checked-in to:
    Post by denis_lisboadosreis: <p>Finalizado com Oro!!!</p><p>#img#[673107]</p><p>
    Street Fighter III: Third Strike -- Online Edition

    Platform: Playstation 3
    455 Players
    52 Check-ins

    Finalizado com Oro!!!

    Oro é um entediado sábio eremita ancião de pele dourada, que se especializou na mística arte marcial do Senjutsu, o que lhe deu capacidades físicas e mentais muito acima do normal (mesmo pro universo de Street Fighter) e é um dos personagens mais poderosos da franquia. Por não encontrar um oponente à altura, Oro não utiliza um de seus braços para que suas lutas durem mais e sejam mais difíceis, enquanto espera por um adversário que o force a utilizar seu poder total em combate.

    Em Street Fighter III, Oro, que nasceu no japão, havia se isolado na floresta amazônica para treinar, mas decide abandonar seu refúgio pra procurar por um aprendiz ou oponente adequado. Eventualmente Oro encontra em Ryu um potencial aprendiz.

    Seu estilo de luta mistura técnicas de luta com capacidades místicas, que lhe permitem utilizar de telecinesia, levitação, super força, e disparos de energia de chi. Em sua jogabilidade, ele possui movimentos versáteis de mobilidade, bastante defensivos, com a habilidade de utilizar pulo duplo, disparos de projéteis na horizontal e diagonal, agarrões, e movimentos antiaéreos. Seus Super Arts podem ser aprimorados de forma semelhante aos movimentos EX, fazendo com que Oro utilize os dois braços na aplicação do golpe, com efeitos devastadores no oponente.

    Oro parece ter sido criado com elementos de Dhalsim, Blanka, e Akuma. Mas não possui a lentidão de Dhalsim, não é animalesco como Blanka, e apesar de ser mestre num estilo sobrenatural e desejar lutas, não é maligno e corrompido como Akuma. O conceito da não utilização de um dos braços e talvez seu rosto pode ter vindo do lutador de Jiu-jitsu brasileiro Hélio Gracie, e de um episódio em que participou de uma luta com um dos braços quebrado, e viveu até os 95 anos.

    Em seu final de 3rd Strike, Oro esta observando seu possível pupilo, sem o conhecimento Ryu.

    15
  • denis_lisboadosreis Denis Lisboa Dos Reis
    2019-10-24 22:22:12 -0200 Thumb picture
    denis_lisboadosreis checked-in to:
    Post by denis_lisboadosreis: <p>Finalizado com Makoto!!</p><p>#img#[666900]</p><
    Street Fighter III: Third Strike -- Online Edition

    Platform: Playstation 3
    455 Players
    52 Check-ins

    Finalizado com Makoto!!

    Makoto é uma carateca japonesa, que tem por objetivo recuperar a honra do dojo de seu falecido pai. E é um dos personagens mais realistas (dentro do possível pra Capcom) e "pé no chão" de Street Fighter.

    Ela é como o Ryu deveria ser, caso fosse criado em Street Fighter III num estilo mais realista, treinando num dojo, praticando um estilo familiar, com quimono encardido, sem mangas rasgadas, sem projeteis de energia, tendo apesar disso como único adereço incomum a faixa amarela amarrada no pescoço (algo bastante perigoso para um lutador). Além disso, por ser uma garota lutadora, não tem o físico de modelo, ou de atriz de cinema, mas algo mais próximo de um atleta, com cabelo curto e desarrumado, e acaba por ser o personagem feminino menos sexualizado da série (talvez da Capcom).

    Makoto pratica o estilo de Caratê fictício Rindo-kan, herdado de seu pai, que utiliza de golpes mais parecidos com os de caratê tradicional. O que se traduziu no jogo como um personagem com bastante força, golpes diretos, muitos antiaéreos, baixa velocidade de locomoção e golpes rápidos, o que acaba contrastando com o estilo ágil e saltador de Ibuki, uma de suas rivais.

    Esse foi o personagem mais difícil de usar, pra mim. Seu golpes exigem bastante precisão e abertura do oponente.

    Em seu final, após lutar com Ryu e vários outros personagens da série, uma fila de desafiantes diariamente se forma no dojo pra lutar com Makoto.

    7
  • jockos Marlon Santos
    2019-10-17 01:26:10 -0300 Thumb picture

    Soul Calibur V *-*

    Medium 665581 3309110367

    FINALMENTEEE!!!!

    quanto tempo ansiei por esse game, finalmente consegui por as mãos em Soul Calibur 5

    bora jogar esse game, deve estar muito loko

    q saudade dessa maravilha

    Soul Calibur V

    Platform: Playstation 3
    99 Players
    12 Check-ins

    11

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...