• jockos Marlon Santos
    2018-10-18 02:23:27 -0300 Thumb picture

    Minha jogatina Vampiresca

    Bom, daqui em diante vou tentar cumprir a jogatina de Castlevania pela cronologia, acabei de finalizar Castlevania 3 e já seguirei pro próximo, segue abaixo:

    Castlevania: Lament of Innocence – FINALIZADO

    Castlevania 3: Dracula’s Curse – FINALIZADO

    Castlevania: Curse of Darkness – já finalizei, mas bora denovo pra seguir a linha certinho

    Castlevania: The Adventure Rebirth – já finalizei também, mas jogarei outra vez

    Castlevania Chronicles

    Castlevania 2: Simon’s Quest – duvida bate forte se vou encarar esse

    Castlevania: Harmony of Dissonance

    Castlevania: Dracula X Chronicles

    Castlevania: Symphony of the Night

    Castlevania: Order of Ecclesia

    Castlevania: Bloodlines

    Castlevania: Portrait of Ruin

    bem, por enquanto é isso, o próximo pra mim agora é o 'Curse of Darkness', que eu já zerei, mas faço questão de voltar, adorei esse game e vou jogar pra relembrar, pois faz tempo também rs

    então...  bora destruir o castelo do Dracula outra vez...  só que dessa vez, com seu ex-servo

    3
    • Micro picture
      santz · 15 horas atrás · 1 ponto

      O Simon's Quest dá para encarar de boa, desde que você tenha um mapa sempre disponível.

  • fredson Fredson Ricelli
    2018-10-01 20:56:38 -0300 Thumb picture

    Relatório : Setembro / 2018

    Primavera chegou, e o calor está aumentando. Comprei um ar condicionado... summer is coming!

    .

    Red Dead Redemption (PS3) : Com 61 horas e meia, terminei o jogo. Já falei um tanto sobre isso em dois check-ins. Mais detalhes com direito a fotos, aquiaqui. Não tenho muito mais o que dizer sem ficar me repetindo.

    Payday - The Heist (PC) : Adoro quando passa duas fases no mesmo mês, hehehehehe. Green Bridge e Diamond Heist concluídas com sucesso. Jogamos só uma vez no Slaughterhouse e acho que quase passamos. @barbarabai, @dbcdavid, @tera.

    Street Fighter V - Arcade Edition (PS4) : Padrão jogando no mínimo todas as quinta-feiras em Battle Lounge com @rafael_mingato e @hidatte (exceto uma quinta que eles foram se encontrar). Um dia @le apareceu brevemente. Outro dia @leandro2litros entrou só pra ficar de spectator enquanto conversávamos sobre política (é sério, hehehe). Alguns dias atrás contamos também com presença do @marcos_daikak. Por algum motivo bizarro eu perdi uma luta pra Cammy com roupa de Fiona no Extra Battle na terceira semana pra pegar a gem... mas ganhei de todos Shadaloo Soldiers.

    Tekken 7 (PS4) : O dia que o jogo atualizou, com mudanças na jogabilidade e inclusão dos primeiros personagens da season 2, eu e o @rafael_mingato jogamos lá. Teve mudanças que parecem estar virando tendência em jogos de luta. "Easy combos"... agora é possível ativar uma funcionalidade para dar combos com quadrado 3x, e/ou triângulo 3x. Esse Tekken já tinha "atalhos" pra dar os Rage Arts de maneira simplificada. Eu nunca ativo essas coisas. E quando não é opcional ativar essas coisas, como no KOF XIV, eu nunca uso. Acho isso desprezível... perdão. Que Mortal Kombat e Street Fighter nunca entrem nessa moda.

    Pocket Mortys (Android) : Estou com badges suficientes pra enfrentar o penúltimo membro do Conselho de Ricks. Mas quem se importa?

    Red Dead Redemption

    Plataforma: Playstation 3
    9792 Jogadores
    395 Check-ins

    29
    • Micro picture
      barbarabai · 17 dias atrás · 2 pontos

      Faltou me citar ae no SF também né. Que me deixou com uma bolha gigante no dedo mas deu pra ganhar 6 mesmo assim hehe.

      1 resposta
    • Micro picture
      filipessoa · 17 dias atrás · 1 ponto

      O calor já perdeu a graça aqui na região pq não acaba nunca sapoha hsuahs acho que 61 horas e meia pro RDR deve ser uma duração bacana pra finalizá-lo. Ow tem como zerar esse jooj aí do Pocket Mortys?

      1 resposta
    • Micro picture
      gus_sander · 17 dias atrás · 1 ponto

      Não sabia que tanto pessoal do Alva tava jogando o Payday e o SFV junto, deve estar uma partida melhor que a outra xD

      2 respostas
  • farusantos Farley Santos
    2018-09-30 10:52:26 -0300 Thumb picture

    Dez ótimos indies com multiplayer local para curtir com os amigos

    Medium 3675236 featured image

    De tempos em tempos eu reúno os amigos para jogar títulos com multiplayer local. Mario Kart 8, Smash Bros. e Splatoon 2 são alguns jogos que sempre aparecem nas nossas jogatinas, no entanto títulos indies são os que dominam nossa seleção. Escolhi alguns dos meus favoritos, entre jogos conhecidos e alguns mais obscuros, mas deixei de fora alguns bem legais que já comentei em outras ocasiões (como Treadnauts, Crawl e Wizard of Legend). Confira:

    Overcooked!

    Plataformas: PC, PS4, Xbox One e Switch

    Máximo de jogadores: 4

    O caótico simulador de cozinha diverte com suas mecânicas simples e situações malucas — nada como tentar fazer hambúrgueres em um barco no meio de uma tempestade. Eu e meus amigos sempre montamos estratégias e dividimos as tarefas, mas no calor do momento dá tudo errado, sendo o resultado pratos sendo montados no chão e outras loucuras. É, também, um ótimo título para apresentar a pessoas que não têm costume de jogar.

    Samurai Gunn

    Plataformas: PC

    Máximo de jogadores: 4

    Samurais armados com katanas e pistolas se digladiam em Samurai Gunn. Este é um jogo de luta e ação brutal, com partidas extremamente rápidas. Bastam alguns segundos para entender o conceito básico e rapidamente estamos destruindo balas com ataques de espada (!). Recomendo experimentar o modo 1 vs 1, que lembra bastante um duelo estiloso.

    Curses 'N Chaos

    Plataformas: PC, PS4 e Vita

    Máximo de jogadores: 2

    Dois amigos foram amaldiçoados e agora são perseguidos constantemente pela Morte. Para reverter o feitiço, a dupla precisa derrotar ondas e mais ondas de monstros a fim de encontrar ingredientes para fazer um elixir mágico. Curses ‘N Chaos é uma experiência arcade bem simples e descompromissada, porém a dificuldade é acentuada — perfeito para jogar na companhia de um amigo.

    Keep Talking and Nobody Explodes

    Plataformas: PC, PS4, Xbox One e Switch

    Máximo de jogadores: no mínimo 2

    Keep Talking and Nobody Explodes é uma das experiências mais criativas que já joguei. Uma pessoa é responsável por desarmar uma bomba repleta de dispositivos complicados (ou seja, pequenos puzzles), já outro jogador precisa consultar um manual com as instruções para desarmar cada dispositivo da bomba. Um não tem acesso às informações do outro, sendo assim, é necessária comunicação constante para sair vitorioso. A diversão vem da tensão constante de não conseguir fazer as coisas antes do tempo esgotar — até que alguém decodifica o código morse a bomba já explodiu. Esse jogo precisa de no mínimo duas pessoas, porém ele fica tão difícil que recomendo vários pequenos grupos.

    Wand Wars

    Plataformas: PC, PS4 e Xbox One

    Máximo de jogadores: 4

    Em Wand Wars bruxos voam em vassouras em um esporte que consiste rebater uma bola de energia mágica nos outros oponentes. O legal é que o orbe luminoso vai aumentando de tamanho e ficando cada vez mais rápido, tornando as partidas cada vez mais frenéticas. Feitiços, personagens inusitados (como um “Harry Potter hipster” e um robô mago) e muita imprevisibilidade resultam em um party game muito divertido.

    Lovers in a Dangerous Spacetime

    Plataformas: PC, PS4, Xbox One e Switch

    Máximo de jogadores: 4

    Coordenação é a solução em Lovers in a Dangerous Spacetime. Nesse título, até quatro jogadores controlam uma nave espacial em fases recheadas de perigos. O diferencial é que cada função da nave é controlada por uma pessoa: um jogador mira e atira os lasers, outro é responsável pela propulsão, um terceiro controla os escudos, e assim por diante. Acontece que a tripulação é bem menor do que a quantidade de funções, logo precisamos mudar de lugar constantemente. Naturalmente a bagunça aparece rápido e sair ileso se torna um grande (e divertido) desafio.

    Tooth and Tail

    Plataformas: PC e PS4

    Máximo de jogadores: 4

    Tooth and Tail simplifica conceitos de estratégia em tempo real em um jogo fácil de entender e muito acessível. Cada facção tem à disposição poucos tipos de unidades e os batalhões são controlados por meio de um único botão. O título conta com multiplayer local para até quatro jogadores em tela dividida e me diverti bastante com os amigos testando as estratégias e possibilidades.

    Rivals of Aether

    Plataformas: PC e Xbox One

    Máximo de jogadores: 4

    Rivals of Aether é um jogo de luta de plataforma nos moldes de Smash Bros. Os comandos são fáceis de entender, porém o sistema de combate tem várias nuances e complexidades interessantes. O resultado é um jogo que é ao mesmo tempo muito técnico e party game. Uma partida com quatro jogadores é bem caótica, já embates entre duas pessoas são bem técnicos.

    Fight'n Rage

    Plataformas: PC

    Máximo de jogadores: 3

    Fight’n Rage é um beat’em up com visual 16 bits para até três jogadores simultâneos. O sistema de combate é simples, porém conta com muita flexibilidade — são várias as opções de montagem de combos. Além disso, ele tem várias rotas e finais alternativos. Jogar com amigos é quase que essencial, pois é um título muito difícil. Fight’n Rage é uma ótima opção para curtir algo cooperativo com os amigos.

    TowerFall

    Plataformas: PC, PS4, Vita, Xbox One e Switch

    Máximo de jogadores: 4 (6 no Switch)

    Arqueiros ágeis se enfrentam em combates intensos em TowerFall. O diferencial do jogo é a grande variedade de estágios, tipos de flechas e situações, o que resulta em vários momentos inusitados e frenéticos. É mais um daqueles jogos fáceis de entender, mas com vários detalhes legais de complexidade. Além dos modos de batalha, o jogo conta também com modalidades cooperativas. A versão para Switch, até o momento, é a única que tem um modo exclusivo para seis jogadores.

    ~

    Que outros indies legais com multiplayer local vocês recomendariam? Digam aí :) 

    51
    • Micro picture
      wcleyton · 18 dias atrás · 6 pontos

      e quando não temos amigo?? comofaz?

      4 respostas
    • Micro picture
      ogawara · 18 dias atrás · 3 pontos

      Curti o Fight ' N Rage.

    • Micro picture
      artigos · 18 dias atrás · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • fredson Fredson Ricelli
    2018-09-01 12:10:12 -0300 Thumb picture

    Relatório : Agosto / 2018

    Nenhum check-in entre o último relatório e este for no reason... XD

    .

    Magicka 2 (PC) : Jogado apenas 1 vez, pra não ficar injusto com o @dbcdavid ter participado do jogo inteiro e não ter zerado, já que na batalha final no mês passado ele caiu da partida antes do boss morrer.

    Payday - The Heist (PC) : A Green Bridge está nos derrotando lindamente, com frequência. Todas as quintas estamos jogando umas 3~4 partidas nessa fase, e depois de sair da construção a gente acaba ficando cercado e morrendo. Ok, algumas vezes a gente morre até mesmo antes de soltar os prisioneiros. @dbcdavid, @barbarabai, @tera. Also, a DLC Wolf Pack  ficou com 80% de desconto, eu comprei, e agora tem uma quarta linha de skills e 2 novas fases.

    Lara Croft and the Temple of Osiris (PS4) : Eu e a @barbarabai terminamos a Icy Death, que é um dos tombs DLC e fizemos 100%. Agora temos 100% de tudo nesse jogo.

    The Awesome Adventures of Captain Spirit (PS4) : Por mais que esse "prólogo" do Life is Strange 2 seja bem simplezinho, ainda consegue ter uma baita carga de emoção. Faz lembrar muito da infância. Você só fica brincando e arrumando a casa enquanto o pai fica assistindo jogo e se embebedando. Eu só não consegui desbloquear o celular do pai, o resto das coisas da lista eu fiz tudo. O final... putz!!! XD Pena que só vou jogar o Life is Strange 2 algum tempo depois que sair todos os episódios e lançar mídia física.

    Red Dead Redemption (PS3) : Maior parte do meu tempo dedicado a games em agosto, foi nesse jogo. Estou adorando a ambientação, a trilha sonora, as coisas aleatórias que acontecem fora das missões principais, etc. O marcador nos stats diz que estou com 49.9% de game completion.

    Street Fighter V - Arcade Edition (PS4) : Maioria das quintas toda semana, continuo jogando com os amigos @rafael_mingato, @hidatte, @leandro2litros, um amigo meu que não tem conta aqui na rede, e de vez em quando o @genesis. Fins de semana faço as missions semanais, challenges do Extra Battle que me interessam, e jogo Ranked

    .

    Desinstalei o Mortal Kombat X do Android. Preciso evitar jogos infinitos e voltar a ler mais no ônibus. No entanto continuo jogando Pocket Mortys, mas com bem menos frequência do que eu jogava o Mortal.

    The Awesome Adventures of Captain Spirit

    Plataforma: Playstation 4
    39 Jogadores
    9 Check-ins

    26
    • Micro picture
      filipessoa · 2 meses atrás · 1 ponto

      Há quem diga que jogos infinitos são uma praga kkkk também farei a mesma coisa que você com relação ao LiS 2. A pior parte vai ser fugir dos spoilers que vão surgir por aí enquanto os cinco episódios forem sendo lançados.

      1 resposta
    • Micro picture
      leandro2litros · 2 meses atrás · 1 ponto

      Chekin ai no jogo do Gugu gaiteiro kkk

      2 respostas
    • Micro picture
      pauloaquino · 2 meses atrás · 1 ponto

      Já estou me convencendo de que virtualmente todo game de Android é freemium infinito.
      Aquela coisa de "jogue todos os dias pra obter recompensas", os malditos troféus, de tempos em tempos têm os tais eventos que só fazem te prender no jogo...
      Nem tem mais a seleção de nível de dificuldade.

      Tem jogo que anda se metendo a "old school", mas pra mim está fazendo isso do jeito errado.

      Prefiro um milhão de vezes um jogo do tipo que "uma hora depois já zerei, já pus de lado, vou fazer outras coisas" do que freemium, que escraviza a pessoa.

      E quer desafio? Põe no hard! Porca miséria!...

      1 resposta
  • farusantos Farley Santos
    2018-08-26 09:24:04 -0300 Thumb picture

    Nintendo Switch: dez ótimos indies para jogar no console

    Medium 3665140 featured image

    O Nintendo Switch se estabeleceu no mundo dos games e recebe constantemente inúmeros títulos indie de qualidade. Muitas das melhores experiências do ano no console, inclusive, foram proporcionadas por jogos indies — Hollow Knight, Celeste e Owlboy são alguns exemplos. Por conta do grande volume de lançamentos, muito jogos excelentes acabam não recebendo o devido destaque. Sendo assim, escolhi alguns ótimos indies já disponíveis no Switch e que não são muito falados por aí, confira:

    Battle Chef Brigade

    Em Battle Chef Brigade controlamos chefs guerreiros que participam de uma competição a fim de entrar em uma brigada de elite — todos os pratos são feitos com partes dos monstros abatidos. O jogo combina de forma criativa e simultânea dois gêneros bem improváveis: beat'em up nos momentos de caçada e puzzle de combinar na hora de cozinhar pratos. Conseguir coordenar os dois estilos é o que faz esse título divertido.

    Graceful Explosion Machine

    Graceful Explosion Machine é um shoot'em up (também conhecido como "jogo de navinha") de movimentação lateral no qual a nave tem acesso constante a quatro diferentes tipos de armas. É um jogo bem colorido e ágil, sendo que o maior desafio é conseguir montar grandes combos sem morrer.

    Flinthook

    Flinthook é um jogo de plataforma 2D com elementos de roguelike. No controle de um pirata espacial, exploramos naves repletas de desafios de plataforma e muitos inimigos. Além de uma pistola para atacar os oponentes, o protagonista utiliza um gancho com corda para se lançar pelos cenários e consegue deixar a ação em câmera lenta. É um jogo difícil e com muita variedade de situações.

    Treadnauts

    Treadnauts é um jogo de arena competitiva com conceito inusitado: até quatro jogadores participam de batalhas controlando tanques, tentando explodir uns aos outros. Os veículos são bem ágeis e conseguem pular com facilidade e andar pelas paredes (!). As partidas são rápidas e repletas de momentos imprevisíveis, perfeito para jogar com os amigos.

    Minit

    O protagonista de Minit se meteu em uma enrascada após pegar uma espada amaldiçoada na praia: ele morre depois de 60 segundos e reaparece em casa. Mesmo com uma limitação tão intensa, o herói vai tentar quebrar a maldição. Para isso, exploramos um mundo repleto de puzzles e complicações, um minuto de cada vez. É impressionante o quanto é possível fazer nesse intervalo de tempo tão limitado e tem muitas situações legais pela aventura.

    Wizard of Legend

    Em Wizard of Legend controlamos um mago extremamente ágil, capaz de atacar rapidamente os inimigos. As batalhas são muito rápidas e lembram bastante um hack ‘n slash, sendo possível adquirir várias novas magias no decorrer da aventura — há forte incentivo à experimentação e montagem de combinações de ataques devastadoras e estilosas. O jogo conta com elementos de roguelike (morte permanente, geração procedural) e multiplayer cooperativo e competitivo para dois jogadores.

    Crawl

    Crawl é um título de ação com multiplayer somente local para até quatro participantes. Nele, um jogador controla um humano, já os outros três são fantasmas que assumem o controle de monstros e armadilhas a fim de tentar matar o herói. O legal é que o fantasma que desfere o golpe fatal assume o lugar do herói, o que faz com que os papéis mudem constantemente. Crawl é uma excelente opção para jogar localmente com amigos, principalmente no modo tabletop.

    Floor Kids

    Floor Kids é um jogo de ritmo com temática de hip hop nada usual: na maior parte do tempo, podemos montar as danças livremente. Pode parecer estranho não ter nenhum guia de marcação como outros títulos do gênero, porém ele consegue traduzir bem a liberdade e improvisação do hip hop. Além disso, o visual é marcante com seus gráficos que lembram rabiscos se mexendo e a trilha sonora é repleta de composições contagiantes.

    Hand of Fate 2

    Hand of Fate 2 combina cartas, ação e roguelike para trazer uma experiência bem única. O jogo lembra uma sessão de RPG de mesa, pois precisamos tomar decisões de acordo com o que aparece nas cartas tiradas. Quando é hora de batalhar, ele se transforma em um jogo de ação com combate que lembra levemente o da série Batman Arkham. O resultado é um RPG bem diferente e com muitas opções de rejogabilidade.

    Yoku's Island Express

    Seria possível criar um metroidvania com mecânicas de pinball? Yoku's Island Express prova que sim. No papel de um protagonista que não pula, exploramos uma imensa ilha lançando o bichinho pelo ar com a ajuda de flippers e bumpers. Sendo assim, cada trecho lembra uma pequena mesa de pinball com puzzles e mecânicas embutidas. O visual colorido, personagens cativantes e uma progressão não linear deixam a aventura ainda mais divertida.

    42
    • Micro picture
      artigos · 2 meses atrás · 4 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      roberto_monteiro · 2 meses atrás · 2 pontos

      Muito bom em! Agora quero jogar todos eles T.T

    • Micro picture
      manoelnsn · 2 meses atrás · 2 pontos

      Aopa! Verei todos eles com mais detalhes quando chegar em casa!

  • fredson Fredson Ricelli
    2018-08-01 07:37:02 -0300 Thumb picture

    Relatório : Julho / 2018

    Eu assisti todos os jogos do Brasil nessa Copa do Mundo, mas foi só pra me divertir com amigos. Nem liguei pra derrota, lol. E na sexta-feira passada me despedi do Matanza. Não, ninguém morreu, só estão fazendo os últimos shows antes de "sair da estrada".

    .

    Life is Strange - Before the Storm (PS4) : Platinei na penúltima madrugada. Só 3 episódios, e cada um deles tendo mais ou menos o mesmo tamanho dos episódios do primeiro jogo, e com a falta de algo semelhante ao poder da Max de voltar no tempo, fez esse jogo ser bem mais simples do que o primeiro. Não apenas por isso, as escolhas são bem mais fáceis de se fazer, nenhuma me deixou tenso e indeciso, nem mesmo a última, e todas elas tem menos impacto nos acontecimentos subsequentes. O curioso é que a chata da Chloe, dessa vez com 16 anos (2 anos mais nova que no primeiro jogo), sendo mais adolescente eu pensei que seria bem mais chata, mas nem foi. Foi bem legal muita coisa, a atuação é um ponto alto, e o jogo transmite muito bem as emoções dos personagens, e nisso o destaque vai para o episódio extra, que é o menor e mais simples de todos, mas com um dos finais mais pesados ever! Me deu vontade de chorar... XD

    Lara Croft and the Temple of Osiris (PS4) : Revisitando esse jogo que já tenho 100% dos trophies, por que comprei Season Pass por pouco mais de 1 dollar em uma dessas promoções ae. Deu acesso à 2 tombs que ficavam fechados à oeste da estátua do Osiris. Por enquanto eu e a @barbarabai completamos (com todos os challenges) só o Twisted Gears. Na próxima vez que jogarmos vamos no Icy Death, e assim, terminar de vez esse game. É um multiplayer co-op muito divertido.

    Magicka 2 (PC) : Esse foi frustrante por que no último dia que jogamos em junho, encerramos no checkpoint do último boss. Isso pra mim só é motivo pra parar em caso de emergência gravíssima. Alguns de nós ainda possuíam dúvida se seria mesmo o final boss. Ae beleza, primeira quinta-feira de julho, load game, kill the boss, e sim, era o final boss. Fim de jogo. Foi tão pouco tempo nesse jogo esse mês, que ele nem devia entrar no relatório aqui, whatever. O @dbcdavid caiu durante essa luta e não viu o final, então qualquer dia desses vai rolar de novo. Como falei no meu último check-in dele, foi inferior ao predecessor em todos os aspectos. @barbarabai, @tera, @dbcdavid.

    Payday - The Heist (PC) : Só jogamos na Green Bridge. Na primeira vez que pegamos pra valer, um bug fez com que ficássemos presos por meia hora dentro da van do prisioneiro chinês. Mas conseguimos sair de algum jeito, e chegamos tão longe que creio que por pouco não passamos dessa fase. Eu me concentrei nos challenges e atropelei nos levels, ultrapassando quem estava 1 level na minha frente. Nas próximas vezes não fomos tão bem assim. @barbarabai, @tera, @dbcdavid.

    Street Fighter V - Arcade Edition (PS4) : Depois de ter reunido uma porrada de gente em uma noite, contando com presença de @le, @andreycout, @hidatte, @rafael_mingato, @genesis e um amigo meu da época da faculdade (que não está por aqui na rede), e ter perdido muito, passei a perder muito em quase todas as próximas vezes que joguei esse jogo. @leandro2litros apareceu outros dias, já não dá mais nada com o Rashid e mudou pra Laura, hehe. Não foi o meu mês, pelo menos não nesse jogo, hehe. E em alguns fins de semana, joguei algumas partidas contra a @barbarabai.

    .

    E sim, continuo jogando os malditos jogos mobile enquanto estou no ônibus. Antigamente eu só lia livros e comics nesse tempo...

    Life is Strange: Before the Storm

    Plataforma: Playstation 4
    130 Jogadores
    52 Check-ins

    27
    • Micro picture
      rafael_mingato · 3 meses atrás · 2 pontos

      É esse mês também não foi o meu no Street Fighter V, perdi horrores! O.O
      Legal que platinou o "LIS BTS", ele é mais simples que o primeiro, mas o final do episódio extra foi foda!
      Agora é aguardar o LIS 2 chegar! =)

      3 respostas
    • Micro picture
      seufi · 3 meses atrás · 2 pontos

      Mas vc @fredson e a @barbarabai deveriam experimentar overcook (e tava em promoção estes dias também) e o don't starve together... dêem uma olhadinha

      2 respostas
    • Micro picture
      santz · 3 meses atrás · 1 ponto

      Também estou com um maldito jogo de celular, mas resolvi substituir por um game de RPG do NES, daqueles bem lentos e, mas importante e divertidos. Peguei o Mother.

      1 resposta
  • fredson Fredson Ricelli
    2018-07-01 19:20:57 -0300 Thumb picture

    Relatório : Junho / 2018

    A conferência da Sony nessa E3 foi uma porcaria comparada com a da Microsoft. Me desculpem, só anúncio do RE2 Remake não ganha a E3.

    .

    Alien Isolation (PS4) : Relatório começando com esse de novo por que da outra vez eu já tinha zerado, mas estava em andamento na campanha pela segunda vez, na dificuldade Novice, pra tentar terminar sem morrer e sem matar nenhum humano, logo... platinar. E foi o que fiz, mission accomplished!

    Payday - The Heist (PC) : Esse foi jogado apenas uma vez nesse mês. A gente só queria testar a próxima fase e ver como ela era. Explodimos uma ponte e tentamos soltar alguns prisioneiros que estavam sendo levados, mas não demorou muito para os helicópteros chegarem com um monte de policial, SWAT, FBI, e todo o resto pra matar a gente. @barbarabai, @dbcdavid, @tera.

    Magicka 2 (PC) : Acho que faltou pouco pra terminar junho com esse game zerado. @barbarabai, @dbcdavid, @tera. Será que a Lok era final boss? Não foi o melhor lugar de se parar o jogo... -__-" Mas eu espero que não seja o fim, por que senão vai ser muito pequeno e eu estou esperando mais.

    Red Dead Revolver (PS2) : Eu zerei, adorei todos os bosses, a ambientação, a trilha sonora, as situações que rolaram no final, e muito mais. Achei bem difícil as últimas partes de duelos, morri mais de 20 vezes em alguns deles, mas deu pra aguentar.

    Splatterhouse (PC Engine) : Joguei de novo, mas a última vez que eu tinha jogado antes foi em julho do ano passado. Eu quero zerar. Já cheguei no final boss algumas vezes, mas percebi agora que enferrujei, lol.

    Life is Strange (PC) : Peguei para jogar novamente, depois de 2 anos. Escolhi muita coisa diferente da primeira vez, e a Max se deu mal muitas vezes durante o jogo, hehehe. E escolhi o final que eu não tinha visto (está mencionado no último check-in). Fiz 100%. Agora tenho ele com todos achievements na Steam e todos trophies na PSN. Foi bom reviver essa experiência, visto que vou começar logo o Before the Storm.

    .

    Street Fighter V - Arcade Edition (PS4) : Basicamente as mesmas coisas de sempre, a gente dá o melhor, vai tentando, perde as vezes, ganha as vezes, hehehe. Consegui matar todos Shadaloo Soldier que apareceram. Algumas vezes rolou Battle Lounge com @rafael_mingato, @hidatte, @genesis, @leandro2litros e @marcos_daikak.

    The King of Fighters XIV (PS4) : Durante um Battle Lounge do SFV, fomos chutados pra fora para uma manutenção da CFN. Ae a gente ficou jogando KOF XIV até voltar. Eu, @rafael_mingato e @hidatte.

    .

    No talking about Android games this time...

    Red Dead Revolver

    Plataforma: Playstation 4
    9 Jogadores
    5 Check-ins

    24
    • Micro picture
      leandro2litros · 4 meses atrás · 1 ponto

      Esse red dead revolver é muito bom travei em uma parte em que um carinha la vai explodir uma porta e vc tem que defender ele por um certo tempo

      3 respostas
    • Micro picture
      dbcdavid · 4 meses atrás · 1 ponto

      Tá com cara de último chefe mesmo, mas tomara que tenha mais alguma coisa depois.

    • Micro picture
      filipessoa · 4 meses atrás · 1 ponto

      Relatório completinho

  • manhundead Jonas Souza
    2018-06-01 13:12:45 -0300 Thumb picture

    Dez dos momentos mais tristes da historia dos games :-(

    Medium 3634587 featured image

    (Spoilers alerta só por  precaução caso você viva numa caverna nos ultimos 20 anos)Reviravoltas inesperadas ou simples momentos de pura solidão e tristeza, alguns momentos marcaram a vida de pessoas ao presenciar cenas de partir o coração ligadas ao personagem que você acompanhou por tantas horas a fio ou por poucas mais significantes situações, trazemos para vocês dez de alguns desses momentos de partir seus corações digitais, mas e você? O que já te fez derramar aquela lagrima marota que insiste em brotar do cantinho do olho ou pelo menos te deixou na bad durante a jogatina? Compartilhe conosco!

    1- Agro cai do penhasco- Shadow of Colossus

     SotC te deixa sozinho desde o começo, apenas você e seu único e fiel amigo e meio de transporte neste mundo, a história por si só já é depressiva, um jovem viajando para um lugar inóspito, em busca de um antigo templo que supostamente poderia trazer sua amada de volta à vida. Esse jogo pode não ser uma unanimidade mas se tem algo que ele consegue e te passar toda a sensação de ser um nada no meio de coisa nenhuma em uma batalha sempre desfavorável, angustiante até, e a única certeza que você tem durante todo o jogo e que Agro estará sempre lá do seu lado, sempre à sua disposição, já perto do fim do jogo quando você está cruzando uma ponte, ela começa a desmoronar e em um ultimo ato de lealdade Agro lança você para o outro lado, enquanto você se agarra a chance de sobreviver Agro é visto caindo enquanto você grita seu nome, uma última olhada antes de continuar até o último colosso cheio de tristeza e raiva, apesar de ser mostrado no epilogo que Agro sobrevive a queda isso não diminui a profunda tristeza de perder o fiel amigo naquele momento, que saudades do meu cavalinho pocotó...

    2- Lee Everett e infectado -The Walking Dead Telltale

    Lee Everett é o personagem principal da season one do jogo, aparecendo em cinco episódios, e um personagem incrivelmente humano e profundo e depois de acompanhar sua historia  por toda a temporada você se apega de forma considerável com o cara comum que faz de tudo para proteger a pequena Clementine, o único elo dele com algo bom no que restou do apocalipse zumbi, então quando quando ele é mordido você pensa que pode cortar um braço impedindo que ele morra (assim como Rick Grimes na série de quadrinhos), infelizmente não funciona assim e em um momento de peso e comoção que poucas vezes eu tive em um jogo você tem que decidir entre atirar ou abandoná-lo. De qualquer forma será uma cena profundamente triste e você vai ver o momento mais bad vibes de todo jogo com Clementine passando pelo momento que muda como ela se portara a partir dali, a morte de Lee e também a da antiga Clementine.

    3- John Marston morre- Red Dead Redemption

    Único jogo de Xbox que já joguei na vida do inicio até o fim, RDR faz parte de um dos melhores diálogos e historia no geral já feita pra um jogo do gênero na minha opinião, acompanhando a saga do criminoso que corre atrás do tempo perdido apenas para ver sua família unida e tentar ser um bom pai, uma historia simples a primeira vista mas que e tao bem construída e profunda que e impossível não torcer para um final feliz aqui. No fim, mesmo sendo um final apropriado e condizente com o universo criado ali foi devastador ver John Marston morrendo de forma digna e ao mesmo tempo tao injusta, depois de passar de bandido para "bom moço" e posteriormente para um bom pai se redimindo de todos os erros do passado e fazendo jus a palavra "redemption" do titulo, e por isso também que fiquei decepcionado ao saber que o próximo titulo será um prequel e não uma continuação que aplaque minha sede de vingançaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

    4-Izana Kunagiri e Chichiri morrem durante a invasão em Rubrum – Final Fantasy Type 0

    Kunagiri é um personagem de apoio de Final Fantasy Type-0, irmão mais velho de Machina Kunagiri e um legionário rubrum, após a invasão logo nos primeiros momentos do game Izana é encarregado de entregar o dispositivo COMM à Classe Zero mas as coisas não saem exatamente como se esperava e Izana e mortalmente ferido junto com seu chocobo Chichiri, morrer não e algo novo na serie FF, ao longo dela temos várias mortes memoráveis, sempre sacrifícios em nome de um bem maior, o impacto aqui fica pelo fato de pela primeira vez um chocobo que e um mascote querido da serie ser apresentado de forma tao triste e cruamente violenta, o lendário personagem que sempre foi alivio cômico e mini game em encarnações anteriores alem de já ter sido um sumon e de sempre ser apresentando como um ser quase mágico encontra seu fim ao lado de seu amigo, numa das cenas mais tristes da historia dos rpgs de todos os tempos, com uma representação muito mais dark e crua do que já foi apresentado anteriormente em toda a serie Izana se deita sobre Chichiri comentando algo sobre o nome da ave ser esquisito, ambos agonizando e prestes a morrer cobertos de sangue e feridas ele imagina se Machina está bem e comenta sobre querer ver Rem, outra personagem novamente, ele passa seus momentos finais entrando em desespero temendo sua morte enquanto percebe que chichiri não resistiu, ao encontrar os corpos dos corajosos amigos Ace derrama uma lagrima e eu fiquei na bad pela primeira vez por causa de um jogo de fato, único que jogou cebolas em meus olhos, a maneira como toda a cena e construída do momento que os dois são apresentados até o fim e de um impacto poucas vezes visto nesse gênero, mais triste que isso só se seu vizinho colocar Simone & Simaria no ultimo volume durante sua folga, chora naaaaaaao coleguinha!

    5- A filha de Joel e morta -The Last of Us

    Isso acontece nos minutos iniciais do jogo, o vírus que e o ponto central da trama estava apenas começando a se espalhar e você é imediatamente jogado em um mundo de cabeça para baixo, Joel, seu irmão Tommy e sua filha Sarah lutando para sair da cidade sem entender bem o que está acontecendo e entrar em uma zona segura. Eles quase conseguem, Joel e sua filha são recebidos na periferia da cidade por um soldado militar seguindo ordens de seu superior para abrir fogo contra qualquer um que se aproximar, enquanto Tommy chegava lá a tempo de salvar a vida de Joel, Sarah não tem a mesma sorte e uma cena digna de ferrar o psicológico de qualquer um mostra Joel segurando a filha desesperadamente enquanto ela sangra até a morte, chorando ele assegura a ela que tudo ficara bem, a última pessoa com quem Joel se importa morre antes mesmo do jogo começar e todo o tom do restante do jogo e definido, não há esperança, nem chances, apenas sobrevivência, não joguei mas acompanhei o inicio do jogo na casa de um amigo e mesmo como espectador foi impactante e desolador.

    6- Snake descobre a verdade sobre The Boss - Metal Gear Solid 3

    Metal Gear não e exatamente um jogo que eu goste mas e inegável que seu criador e mestre em criar personagens memoráveis e plot twists de quebrar o pescoço, Snake quase cumpri suas ordens de resgatar Sokolov e extraí-lo do território inimigo bla bla bla quando se depara com sua mentora The Boss, ela era o maior trunfo para a guerra de espionagem tática do governo dos EUA até o momento em que junta forças com Volgin e para provar sua fidelidade o presenteia com uma pequena ogiva nuclear roubada do governo americano, daquele ponto em diante, Snake fica encarregado de matar The Boss e eliminar qualquer ligação entre o governo e a traidora, o fato e que apesar de tudo o que The Boss faz para tornar a vida de Snake um inferno durante o jogo, ele ainda a venera e na batalha final fica claro que ele não está a vontade para concluir aquele objetivo, então o que acontece depois e um verdadeiro soco no estomago pra Snake e pra você atrás do controle, The Boss, na verdade não era uma traidora e sim uma agente interna trabalhando para os EUA desde o inicio para derrubar o coronel Volgin...Ouch! O governo queria limpar seu nome de todos os delitos no evento e assim The Boss se torna o bode expiatório que seria morto por seu próprio aprendiz e pessoa mais próxima. The Boss é o verdadeiro herói da história,  ela amava tanto seu país que faria qualquer coisa para ver sua missão completa mesmo que isso significasse que sua vida seria tomada no processo. O estado emocional de Snake através de tudo isso sendo revelado a ele e inimaginável, a última cena se desenrola, ele visita a sepultura da The Boss e a saúda pela última vez enquanto uma lágrima desce pelo seu rosto, tragam os lencinhos...

    7- Dom encontra sua esposa – Gears of Wars 2

    O mais macho de todos os jogos másculos feito de pura testosterona, músculos desproporcionais e sangue alienígena tem um momento emocional? Yes!We have a lagrima here...Gears of War é feito de tiros, guerra ininterrupta e motosserras partindo inimigos das formas mais gore possíveis, o tempo todo. Até a parte que nosso simpático ogro de academia super bombado Dom finalmente encontra sua esposa no subsolo de uma base inimiga, ela não pode mais ser salva, diminuída a sombra do ser humano que já foi, irreconhecível, enlouquecida e irreparavelmente destruída, Marcus se afasta, a câmera corta e um tiro e ouvido ao fundo...Alem de triste e uma cena polemica que causou inúmeras discussões na época sobre eutanásia e misoginia, cuidar ou atirar em sua esposa como um cavalo com uma perna quebrada? Muitos a consideram uma cena triste mas não pelos mesmos motivos.

    8- A descoberta - Spec Ops: The Line

    Eu diria que e mais chocante do que propriamente triste sem deixar de ser triste mas muito mais para chocante...entende? Spec Ops e um dos jogos de guerra mais profundos na retratação dos horrores da guerra e dos problemas que ela causa diretamente nos envolvidos, quando a equipe dos nossos “heróis” precisa atravessar a cidade para completar a missão, mas eles estão em menor número decidem que sua única escolha é usar fósforo branco, uma arma química extremamente potente, seu trabalho é atingir grupos de inimigos de cima, enquanto seu companheiro de equipe lança mísseis carregados com o material, o ataque é bem-sucedido, mas o que acontece a seguir é provavelmente marcante para quem jogou. Você faz o seu caminho através da cidade silenciosa e fica cara a cara com os resultados de suas ações, os poucos inimigos ainda vivos abrem caminho pelo chão, com os membros arrancados aos gritos de “por favor ajudem” e “me matem” ecoando em segundo plano, seu personagem insiste para que o esquadrão siga em frente já que “não há nada que se possa fazer”. Logo, o verdadeiro horror do que você fez entra em foco, um acampamento civil montado no meio da cidade que você bombardeou, cada um deles está morto, inúmeras crianças inocentes, adultos e idosos, todos amontoados em pilhas de carne e pele carbonizada, pqp o que você fez soldado...

    9- Sephiroth mata Aerith- Final Fantasy 7

    Achou que um dos maiores clichês das listas de dez qualquer coisa de jogos estaria de fora? Achou errado abestado/a! Matar a doce florista com sua espada Masamune enquanto ela rezava para salvar o mundo foi um ato de uma filha da putice extrema, e a expressão no rosto de Aerith quando Sephiroth ataca espelha as emoções do jogador( Ok, vamos fingir que da pra perceber emoção com aquelas animações datadas) em um minuto ela está sorrindo porque está tudo bem, no próximo ela olha incrédula a espada atravessando seu corpo antes de cair no chão( provavelmente pensando "Whata fuck!?" ) a coisa toda é tão repentina, inesperada e violenta que deixa  o jogador  perplexo, mas o momento mais emotivo não e esse, vem depois da luta com Sephiroth, Cloud gentilmente coloca o corpo de Aerith no Lifestream e o observa sumir lentamente nas profundezas. A música e a direção de arte usadas sobrepõe a pouca possibilidade gráfica da época ilustrando de maneira soberba cada cena e a melodia de piano no fundo enquanto Aerith desaparece e calculadas para impactar, é uma das mais emocionantes e clássicas cenas na história dos jogos e mesmo 21 anos depois, ouvir as primeiras notas do Tema de Aerith te lembrara de cada momento ali...Haaaa Sephirot, vou te bater tanto com minhas matérias evoluídas em um grind psicoticamente descontrolado a leveis máximos que você vai querer não ter saído de casa..

    10- A revelação – To The Moon

    To the Moon e um joguinho indie bem simples que retrata dois médicos viajando pelas memorias de um homem prestes a morrer para descobrir a origem de seu ultimo desejo e garantir que ele morra em paz. E uma bela e poética historia, em um futuro próximo, há uma maneira de reescrever toda a memória de uma pessoa, dessa forma elas podem realizar os sonhos que nunca realizaram, como é perigoso mexer com a memória, isso só é feito para aqueles que estão em seu leito de morte. Neil e Eva, são chamados para analisar o caso de Johnny que está morrendo, seu sonho era ir à lua, mas por alguma razão, Johnny não faz ideia de por que ele deseja isso, eles embarcam numa jornada a fim de descobrir o motivo, ao navegar pelas memórias de Johnny descobrem que ele queria ir à lua foi por causa de uma promessa feita para uma garota chamada River a muito tempo quando eles eram crianças."Se nos perdermos ou não nos encontrarmos, nos encontraremos na lua", as memórias de Johnny são reescritas para que ele seja aceito na NASA e participe do programa espacial, lá ele encontra a mesma garota mais uma vez. Neil e Eva assistem ao grande momento sendo escrito. Johnny e River estão no foguete, prestes a ir em uma missão à lua com seus companheiros de equipe, o lançamento se torna bem sucedido, cientistas na sala de controle aplaudem, o foguete voa pelo ar, passando por cima da terra abaixo e pela atmosfera, no fundo, há um sinal sonoro lento e fraco do monitor cardíaco, flashes de outras memórias sendo escritas vão surgindo, Johnny e River se casam e passam seus anos dourados juntos, olhando alegremente para a bela vista do oceano, o sinal sonoro vai ficando mais lento, de volta ao foguete, Johnny fica ansioso, River timidamente oferece sua mão, Johnny segura a mão dela e a lua surge,a tela fica preta, há um longo sinal sonoro interminável sinalizando que Johnny morreu. Não era a lua que ele queria, era River e ele consegue o desejo de se reunir com ela, descansando em paz, provando que uma boa historia contada da maneira certa e tao impactante em gráficos simples quanto em produções AAA.

    Menções honrosas:

    Baby Metroid se sacrifica para salvar o dia (Super Metroid)

    Samus se encontra quase derrotada pela Mother Brain, prestes a receber o golpe final o baby Metroid que Samus resgata anteriormente aparece, sugando a vida da enorme inimiga e tirando o foco da nossa heroína, Mother Brain se recupera e mata a pequena criatura, mas aquele tempo foi o bastante para a caçadora de recompensas dar o golpe de misericórdia derrotando a monstrona e vingando o pequeno e incompreendido salvador, RIP Baby Metroid, o verdadeiro herói de Super Metroid.


    A morte de Crono (Crono Trigger)

    Matar o personagem principal antes do ato final da história e algo beeeem diferente do tradicional, imagine na década de 90, e foi exatamente isso que aconteceu em Chrono Trigger, Crono se sacrifica em uma batalha contra Lavos, a partir daí os membros restantes podem continuar sem ele ou passar por uma longa side quest para trazê-lo de volta à vida, a animação de Akira Toriama ilustra magistralmente o momento e te anima para aquele new game + básico pra você voltar lá e mostrar quem é que manda.

    Final Fantasy X final...

    Yuna faz sua dança final para libertar os aeons, mas só percebe perto do final que fazendo isso ela também faria Tidus desaparecer, já que ele também não era humano, mas parte do sonho, eu teria colocado lá em cima mas ai a lista ia virar dez mais de FF huehueheue.

    Brothers: A tale of two sons

    Nesse jogo você controla dois irmãos tentando conseguir medicamento para o pai que esta muito doente. Perto do fim do jogo o irmão mais velho e tentado por uma bela garota que se mostra mais tarde ser uma aranha, ela o fere e posteriormente os dois a derrotam, ao chegar perto da arvore da vida onde a cura para o pai se encontra o irmão mais velho ferido se esforça para continuar, ele envia o irmão mais novo para pegar a cura na arvore e quando você volta ele já está morto. Durante todo o jogo o jovem depende do irmão mais velho para chegar onde chegou, ele enterra o irmão e parte para casa sozinho, para fazer isso ele precisa nadar sozinho de volta mesmo tendo pavor das águas que um dia mataram sua mãe...Triste e desolador.

    Fontes:

    Wikipédia

    Listas toscas da netchi

    Experiencias próprias

    Minha namorada que chorou vendo Procurando Nemo 

    57
    • Micro picture
      luizkorynga · 5 meses atrás · 3 pontos

      Uau eu desconheço metade do top10, ótima lista cara

      1 resposta
    • Micro picture
      mastermune · 5 meses atrás · 3 pontos

      MAAAAANO do céu, a morte do Izana e do Chichiri, olha, quando vi pela primeira vez, dei umas engasgadas, viu? Esse jogo é muito bom! A Square mandou ver em vários aspectos na história :)
      Ae @manoelnsn, joga Type-0 cara, auhauahauhauha

      3 respostas
    • Micro picture
      diegolvf · 5 meses atrás · 3 pontos

      To the moon é fantástico. Vc termina o jogo vê o final e depois não sabe o que faz da vida, de tão difícil que é lidar com a história e final do jogo.

      1 resposta
  • fredson Fredson Ricelli
    2018-06-01 06:49:33 -0300 Thumb picture

    Relatório : Maio / 2018

    Só pra constar, fiquei muito decepcionado com o filme do Han Solo...

    .

    Alien Isolation (PS4) : Zerado no Hard, com todos collectibles. Agora estou no meio de um New Game, na dificuldade Novice (abaixo do Easy) pra zerar sem morrer e sem matar nenhum humano. Isso é o que me falta para platinar. Como falei no último check-in, achei esse jogo surpreendente.

    Payday - The Heist (PC) : Ontem, último dia do mês, foi lindo! Não só passamos da Heat Street que já estavamos tentando passar a mais de 1 mês, como também passamos da Panic Room na primeira tentativa! Minha gangue está de parabéns! @barbarabai, @dbcdavid e @tera.

    Red Dead Revolver (PS2) : Eu comecei esse na última semana do mês, poucos dias depois de ter terminado o Alien Isolation. É diferente do que eu esperava, cada capítulo começa com uma cutscene, depois só rola tiroteio desenfreado. Há apenas um lugar antes de alguns dos capítulos, a cidade de Brimstone, que eu podia respirar tranquilo e andar de boa sem se preocupar com tiros. Legal que nessa cidade os NPCs ficam caminhando aimless, dando volta nos 2 únicos quarteirões da cidade, hehehe. Quando eu fizer o check-in vou falar mais sobre o jogo.

    .

    Street Fighter V - Arcade Edition (PS4) : Um dia fiquei de madrugada passando raiva no Ranked. Não consegui chegar no Ultra-Bronze ainda. Joguei uma caralhada de Casual Matches também. E Battle Lounge com @leandro2litros um dia desses, e ontem com ele de novo e @rafael_mingato. E alguns fins de semana contra a @barbarabai em Versus local. Ganhei vários Fight Money com esses Shadaloo Gold Soldier dos Extra Battles.

    .

    No Android, o Mortal Kombat X, teve um update que deu muito o que fazer, aumentou o nível máximo que os personagens podem chegar, e o nível de fusão das cartas deles também aumentou. No Pocket Mortys sem nenhuma novidade, não fiz nada demais. Se tem algo que me faz ter uma sensação de "perda de tempo" são esses jogos de Android, tanto que até desinstalei o Fire Emblem Heroes antes que a coisa desandasse pra mim.

    Alien: Isolation

    Plataforma: Playstation 4
    365 Jogadores
    56 Check-ins

    28
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 5 meses atrás · 2 pontos

      Hum...bom saber (sobre Han Solo), verei com um "pezinho atrás"
      ---
      ALIEN no HARD? Kct... tú é bom!

      3 respostas
    • Micro picture
      pauloaquino · 5 meses atrás · 2 pontos

      Não rolou cinema pra mim (mas assisti no Yutâmbala Space Squad - Gaban vs Dekaranger, e pensar que uma musiquinha de anúncio de fralda pode ser útil para abrir portais interdimensionais...), em vez disso joguei FIFA 97.

      Coca-Cola. É esse Kojirou Ryuga todo (KKKKKKKKKKK, desculpem, não resisti; depois, posso não ser da água de coco, mas nem por isso eu seria do conhaque).

    • Micro picture
      dbcdavid · 5 meses atrás · 2 pontos

      PASSAMOS! É TETRA! É TETRA!

      1 resposta
  • waterstill Raffael
    2018-05-06 21:26:05 -0300 Thumb picture

    Lista dos RPGs <não> zerados

    Seguindo a ideia do @jack234 , após a lista de RPGs zerados, taí a minha lista de não zerados. Como podem ver, é enorme, bem maior que a de zerados haha Eu enrolo muito com jogo, e acabo pulando de jogo pra jogo o tempo todo. Agora que eu tô com menos tempo livre acho que vou focar mais em jogar um só de cada vez.

    Em negrito os que ainda pretendo zerar.

    PSX

    1. Digimon World - jogo sensacional, quero muito jogar do zero de novo!

    2. Digimon World 3 - é legal, tenho que terminar o savegame um dia. Não empolgaria tanto de jogar do zero de novo

    3. Legend of Legaia - provavelmente nunca vou terminar

    4. Legend of Mana - meu jogo favorito de todos os tempos, mas até hoje nunca terminei. Não tenho muito ânimo de jogar pirata/emular PSX mais, se colocassem no Steam eu jogaria umas boas dezenas de horas.

    PS2

    5. Atelier Iris: Eternal Mana - com os jogos mais recentes da série Atelier no Steam, não sei se terei ânimo de zerar esse.

    6. Radiata Stories - o jogo tem muitos pontos positivos, mas não é tão empolgante. É o tipo de jogo que eu voltaria a jogar se tivesse sem mais nada pra jogar.

    GBA

    7. Breath of Fire

    8. Final Fantasy Tactics Advance

    9. Fire Emblem: Blazing Blade

    10. Fire Emblem: The Sacred Stones

    11. Magical Vacation - muito legal o jogo, tenho que voltar algum dia!

    12. Mother 3 - no topo da lista pra finalizar

    13. Summon Night: Swordcraft Story - mesma situação de Radiata Stories

    14. Summon Night: Swordcraft Story 2

    15. Sword of Mana

    16. Tactics Ogre: The Knight of Lodis

    DS

    17. Digimon Story

    18. Digimon Story: Sunburst

    19. Fire Emblem: Shadow Dragon

    20. Pokémon White 2

    PSP

    21. Digimon Adventure - jogo sensacional!

    22. Digimon World: Re:Digitize

    PS3

    23. Breath of Fire IV - jogando agora

    Mobile

    24. Adventures of Mana

    3DS

    25. Bravely Default

    26. Mario & Luigi: Dream Team

    27. Pokémon Alpha Sapphire

    28. Pokémon Sun

    Steam

    29. Dragon's Dogma: Dark Arisen

    30. Evoland 2

    31. Fallout

    32. Final Fantasy III

    33. Final Fantasy IX

    34. Knights of Pen and Paper

    35. Planescape: Torment

    36. Recettear: An Item Shop's Tale

    37. Suits: A Business RPG

    38. The Elder Scrolls V: Skyrim

    39. Torchlight 2

    40. Warhammer Quest

    41. XCOM: Enemy Unknown

    11
    • Micro picture
      santz · 5 meses atrás · 2 pontos

      Da série Mana, também falta muita coisa. Só zerei o Legend of Mana, que também é um dos jogos favoritos ever.

      2 respostas
    • Micro picture
      jack234 · 5 meses atrás · 2 pontos

      Heheh bastante coisa mesmo! Alguns eu conheço, e acho bons, como o BOFIII e o FFIX. Esses eu jogaria novamente, mto bons. Agora o restante uns eu não conheço e outros eu apenas vi videos. Mas força na perseverança, que a sensação de limpar a lista é mto boa! Chique!

      3 respostas

Carregar mais postagens

Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...