• luchta Ewerton Ribeiro
    2020-01-13 08:36:57 -0200 Thumb picture

    Por que jogos competitivos são importantes para mim!

    Recentemente eu fiz uma postagem meio que desabafando as minhas frustrações recentes (meio que pareceu um post de humor, mas né... era mesmo, ahahah). Mas um comentário me chamou a atenção (na real não tinha nada demais), mas em meio a tudo que eu escrevi o @andre_hirosaki, comentou que a melhor coisa que ele tinha feito foi parar de jogar o Arena of Valor (um MOBA para smartphones). Ai eu fiquei pensando, por que eu jogo isso mesmo?

    Ai eu me toquei de uma coisa importante, depois de dois anos nesse jogo, e ser praticamente o ÚNICO contato com um jogo competitivo que eu tive nos últimos anos, eu entendi o porque. Antes eu jogavas League of Legends, e parei, voltei com MOBA de celular por ser mais simples, ter partidas mais curtas e não ter um nível competitivo absurdamente alto. Eu curto o gênero. Mas é inegável que ele as vezes gera estresse e muita frustração nas partidas. Ainda mais que vira e mexe tem um mongol no time que trolla ou joga insanamente mal. O jogo é divertido, mas isso é um mal que compete a maioria dos jogos competitivos, e porque isso?

    Eu entendi! Na minha visão, é algo simples, as pessoas hoje em dia não estão preparadas para perder, nos jogos single player ou mesmo cooperativos, mesmo com dificuldades, eu sei que com treino e persistência eu sempre consigo me superar e melhorar, e no fim vencer. Em um MOBA ou outro jogo que depende de outras pessoas é diferente, você depende de trabalhar junto com outras pessoas e nem sempre vence, e não tem como reverter isso, cada partida é única, fora o fator humano como xingamentos e provocações.

    Mas ai que está, isso é bom! Sim, voltando a questão inicial, por que eu jogo Arena of Valor? Eu realmente credito a ele muito do fato de eu ter melhorado como pessoa. Como filho único eu sei que eu era meio mimado, eu briguei com muita gente por motivos idiotas, e no inicio do jogo eu ligava o chat para xingar o pessoal quando as coisas davam minimamente errado, inclusive já me irritei muito e até perdi pessoas que jogavam comigo por isso. Mas com o passar desses dois anos jogando, apesar de ainda me frustrar, isso não é mais tão intenso e irritante quanto era, eu aprendi a lidar melhor com as minhas frustrações, a não descontar nos outros, entender que nem sempre as situações estão totalmente no meu controle, a melhorar, me auto avaliar em vez de botar a culpa nos outros e principalmente a aprender a perder (já que na vida nem sempre a gente vence). São lições realmente importantes para qualquer pessoa, que eu pude aprender melhor jogando AoV, do que quebrando a cara na vida em uma situação da vida cotidiana.

    Por essas e outras que amo os vídeo games, eles verdadeiramente ensinam lições importantes, e na moral, as vezes eu via o quão chato eu era em determinadas situações, mas não sabia o caminho para mudar. Bem sucessivas partidas fizeram o trabalho. Vejo que muita gente aqui, tem horror a jogos competitivos e nem mesmo cooperativos, o @_gustavo por exemplo (desculpa te citar, nada contra você obviamente é só um exemplo) faz check-in de tanta coisa, mas nunca vejo ele em jogando com a galera (posso estar errado). É muito do gosto, eu sei, mas deem uma chance a jogar com amigos a atiçar seu espirito competitivo e até cooperar para vencer, faz muito bem em diversos aspectos, apesar de no começo ser estressante, você interage com muitas pessoas e leva boas lições para mundo real.

    P.S.: Não era minha intenção, mas acabei fazendo um textão. O ruim é que o povo não lê tudo!

    Arena of Valor

    Platform: Android
    16 Players
    42 Check-ins

    20
    • Micro picture
      hennry · 5 days ago · 2 pontos

      Eu ironicamente tive o mesmo problema, jogava jogos assim que so me faziam passar raiva como aov, lol, overwatch, dragalia lost entre outras infinidades de jogos joguei. E foi por isso que resolvi comorar um switch, pra voltar a jogar jogos " de verdade" com enredo, começo meio e fim. Acho que foi a melhor decisão que tomei pq hoje a febre dos gatcha games e mobiles, mobas e ente outros estão acabando com a comunidade infelizmente. Mas achei muito mais muito daora a sua avaliação pessoal! Parabens cara, por saber reconhecer, por querer se descobrir, por parar e pensar em tudo como um todo. Eu sou muito igual voce . Pq quando eu jogo algo, eu jogo ora ser o melhor e pra ganhar kkkk

      3 replies
    • Micro picture
      daisuke · 5 days ago · 2 pontos

      É bem por ai msm (eu li tudo kkkk)

    • Micro picture
      _gustavo · 5 days ago · 2 pontos

      Sem problema me citar, eu sou anti social quando o assunto é games mesmo kkkkkkkk, eu só tive dois parceiros de competitivo e coop em todos esses anos, e dava certo jogar com eles porque eles agiam igual a mim, eu odeio jogar um coop com quem faz as coisas com pressa, fica pulando cutscenes mesmo que ja tenha visto ou rushando alguma parte a toa, outro problema mas aí envolve fatores externos é o fato de trabalhar em casa, durante o dia nem adianta marcar um coop ou tentar um game online q não posso parar, tem dias que eu fico com o game mais na pausa doq jogando kkkkkkkkk

      1 reply
  • 2019-05-16 15:19:07 -0300 Thumb picture

    Porque jogos competitivos são os que mais causam raiva nos jogadores?

    Medium 3721855 featured image

    Eu sei, a reposta parece meio óbvia, mas deixe-me ao menos “expandir” o que você provavelmente já sabe. jogos competitivos já estão ai no mundo desde o primeiro pong lançado em 1972, um pvp simples onde dois jogadores tentam marcar pontos fazendo a bola atravessar o campo do outro, algo básico mas funcional que fazia duas pessoas se enfrentarem arduamente (mesmo que de maneira simples) até surgir um vencedor, e desde de então, mais e mais jogos nesse formato foram surgindo, inovando mais na formula e expandindo mais o pvp “básico”, conquistando mais e mais espaço, como por exemplo o próprio esports, transmitido para o mundo inteiro, onde vemos vários jogadores profissionais mostrando para o publico o porque deles serem “os proporcionais” naquele jogo. mas, com tanta inovação surgindo para esse género, porque ainda sentimos tanta raiva ao jogamos jogos como Overwatch, LoL ou até mesmo um Street Fighter V?

    Numa competição, vence quem é o melhor, correto? Suas habilidades são o fator decisivo para alcançar a vitoria, e se o seu oponente vencer, isso significa que ele teve mais habilidades e que necessariamente ele seja melhor que você? Não, ao menos não na maioria das vezes, e certo fazer esse veredito se comparamos um idoso a um corredor profissional em uma corrida de cem metros, mas em jogos, o buraco e mais em baixo, o que acontece muitas vezes são que a “oportunidades especiais” para um jogo podem realmente ditar o rumo de uma partida por inteiro, e também, algo que muitos odeiam e outros amam chamado RNG (random number generator, gerador de numero randomico) explicando de maneira breve, seria a “possibilidade” de algo acontecer ou não em determinado momento em um jogo, como, ao pular um buraco, o seu personagem pode ou não dar uma rolada ao atravessa-lo ou um inimigo errar um ataque que geralmente ele acerta em você, a muitos fatores que determinam um RNG em um jogo, e é ambíguo se ele é associado a sorte ou não.

    Essa é uma possibilidade do rng, assim como, essa situação nunca poderia se quer ter acontecido, as possibilidades do que pode acontecer ou não são finitas, mas ainda sim são grandes.

    Ok, mas como isso tudo me faz ter raiva de jogar jogos competitivos? Exemplificado melhor o primeiro fator de “oportunidades especiais”, deem uma olhada nesse vídeo:

    Desculpe a qualidade, foi o melhor que eu achei

    Admita, por mais que você parabenizasse o cara por esse feito você ainda sim sentiria um pouquinho de raiva por ter perdido para ele quando você estava quase ganhando, o jogo street fighter 3 permitiu essa possibilidade ao jogador daigo de bloquear o que seria o golpe final de seu adversário justin, por mais que essa façanha tenha um pouco de RNG, ainda sim é uma das mecânicas do jogo, e mecânicas, caro leitor, são uma das coisas que jogadores mais reclamam em qualquer jogo, mesmo os jogos single recebem duras criticas por terem coisas “quebráveis” (gíria para “desbalanceamento”) em seus gameplays, e jogos competitivos estão no topo dessas reclamações, e fácil achar pessoas que dizem “nerfem tão personagem” ou “proíbam tão personagem de ser usado pois ele é forte demais” para jogos como overwatch, e, por mais que essas reclamações possam ser coerentes e plausíveis, as empresas donas desses jogos muitas vezes não fazem o devido balanceamento de tão mecânica ou personagem.

    “E se tão mecânica/personagem é forte, porque eu me daria ao luxo de usar algo que considero fraco/sem garantia de que não ira me trazer a vitória fácil?” e com esse pensamento que muitos jogadores vão e vencem de maneira fácil e barata muitos oponentes que tentam coisas diferentes, o que frustra e te faz questionar se aquilo é justo ou não, “a mas e o RNG? o que ele tem haver com tudo isso?” bom, como no exemplo acima, daigo bloqueou o golpe de justin com um certo grau de RNG, você poderia dizer que isso é trapaça e que é desbalanceado, mas não, isso é uma mecânica até que justa, mas, por ter um fator rng nela, as chances de dar certo são mínimas, tanto que esse feito dele é quase impossível de se repetir sem algumas horas treinando, agora, seria realmente injusto se, apenas se isso fosse algo que pudesse ser executado a qualquer hora sem o mínimo de esforço/técnica/custo possível e fosse um bloqueio perfeito que nada pudesse parar, mas se esse exemplo ainda não te convenceu do que quero falar, então aqui vai mais um:

    No jogo X-men children of atom, Wolverine pode executar uma sequencia interminável de ataques que o fazem vencer uma luta sem o mínimo de esforço, isso aqui é um perfeito exemplo de mecânica quebrada entrando em ação, e sabe o que é engraçado? o RNG interfere em quase nada nesse combo simples de se fazer que mal leva uma hora para ser aprendido, e essa meu leitor é a “origem do mal” que te faz entrar em modo berserk (estado de fúria), uma mecânica simples mas ao mesmo tempo “roubada” que qualquer um pode fazer que faz toda a sua estratégia/planejamento/dedicação ir por agua a baixo num piscar de olhos.

    Em resumo, o que te traz raiva em jogos competitivos e sentir que sua partida não foi satisfatória/justa e que seu oponente venceu da forma fácil, barata e talvez de maneira trapaceira do seu ponto de vista, você buscar se entreter competitivamente, e muitas vezes, você se vê olhando o seu oponente como sendo tão forte quanto você e que ambos tem chances iguais de ganhar, porém, tirando partidas com jogadores profissionais aos quais estão em outro nível, quando você se depara com alguém que usa e abusa do exemplo que dei acima, você logo se decepciona e deixa-se consumir pela raiva de sofrer uma “injustiça” no jogo, agora, mudando um pouco o foco desse artigo, se jogos competitivos andam te dando raiva atualmente, eu sugiro fortemente que você os abandone o quanto antes ou fique um longo período de tempo longe deles, eu não sou nenhum medico, mas sei bem as consequências que uma raiva “gratuita” pode trazer, e como vivemos em um país nenhum um pouco agradável, manter sua saúde mental estável é fio entre fazer uma idiotice amanhã que você ira se arrepender depois, termino aqui meu artigo agradecendo a todos que puderam dedicar um tempinho seu a essa leitura, fiquem com deus e tchau.

    PS:um compiladinho do que raiva demais pode fazer com você.

    League of Legends

    Platform: PC
    8652 Players
    2618 Check-ins

    22
    • Micro picture
      tecnologgamer · 8 months ago · 3 pontos

      Pode-se resumir com apenas uma palavra: Ego, ego e ego.

      1 reply
    • Micro picture
      artigos · 8 months ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

      1 reply
    • Micro picture
      kess · 8 months ago · 2 pontos

      Já fiquei irritado, mas nunca fiquei dando grito, jogando controle longe, batendo em coisas... Já vi um amigo meu socar o monitor (na época dos tubões), não deu nada, mas ali eu percebi que eu não era tão irritável. Pelo menos na época, hoje em dia eu saio do sério, mas normalmente com outras coisas.

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...