• 2018-10-25 11:11:07 -0200 Thumb picture

    BGS 2018 | Os melhores jogos indie que você deveria ficar de olho

    A BGS 2018 (Brasil Game Show) chegou ao fim, mas o JT ainda tem muita coisa bacana para mostrar sobre a feira. A Avenida Indie foi um dos espaços que mais chamou nossa atenção em meio a tantos jogos, demos e cosplayers. O espaço reuniu mais de 15 jogos independentes, em sua maioria de estúdios brasileiros, mas também tiveram novidades internacionais. Neste artigo, Giovanni Tartaro e Renan Silva separaram alguns dos melhores jogos que você precisa ficar de olho. Alguns inclusive, já têm vídeo no nosso canal do YouTube. Não vai perder essas dicas né.

    http://joystickterrivel.com.br/bgs-2018-os-melhore...

    -----------------------------------------------------------------------------------------

    Acompanhe nossas rede sociais:

    Facebook - Youtube - Twitter - Instagram - SITE

    10
  • vannie Vânia Cristina
    2018-03-27 22:32:09 -0300 Thumb picture

    Documentários sobre jogos e vídeo-games (meus favoritos)

    Medium 3614352 featured image

    Jogos nunca foram "apenas" um meio de se divertir. Através deles já fiz muitas amizades, vivi histórias e momentos únicos, passei diversas emoções. Games, em geral, fazem parte da vida de muitas pessoas, e é impressionante o tamanho do público que possui depoimentos semelhantes sobre como os jogos e vídeo games impactaram e impactam suas vidas.

    Nesse clima, separei meus documentários preferidos sobre o tema, que mostram esse universo sobre jogos e jogadores de perspectivas únicas. Uma seção pipoca recomendada não só para os que já estão incluídos nesse universo gamer, mas para qualquer pessoa que tenha curiosidade de saber a trajetória e influência dos jogos até os dias atuais. Como livros, filmes e quadrinhos, os jogos eletrônicos são uma forma de contar histórias, de produzir arte, de se expressar.

    1) Vídeo Games - The Movie

    De todos, acho que esse documentário é o que eu mais gosto, porque ele aborda desde a discussão sobre quem criou o primeiro jogo até os consoles e jogos atuais. Aqui nos situamos sobre toda a história dos vídeo games, do Atari ao Xbox e Playstation (é falado até sobre o PS4 e Xbox One). Também podemos refletir sobre alguns assuntos paralelos como, por exemplo, a opinião de pessoas importantes sobre o assunto de que "os jogos violentos tornam pessoas violentas". Está disponível acima (e em algum lugar aleatório da internet, se quiser procurar).

    2) Indie Game - The Movie

    É "fácil" ter um sucesso de lançamento/boa divulgação de um jogo quando se trata de uma empresa grande e consolidada. Mas, no Indie Game, podemos ver que existe um lado além dessas empresas famosas. Podemos conhecer pessoas, mesmo sem grande apoio para divulgação, não desistem de criar jogos. Com esse documentário vi um lado diferente do desenvolvimento de jogos e fiquei encantada. Também serve de inspiração para quem sonha em trabalhar nessa área. Assisti pela Netflix, mas está disponível para compra na Steam. Aqui tem pra download.

    3) Free to Play

    Free to Play se passa nos bastidores de um dos maiores campeonatos de Dota 2, que aconteceu em 2011. Eu sei que faz alguns anos, mas a emoção ao assistir ainda é a mesma. Quem me conhece sabe que viciei em Dota, amo acompanhar o competitivo e ao ver esses campeonatos só sinto mais vontade para jogar. Podemos ver relatos de jogadores que entraram no mundo dos jogos profissionais para se tornarem os melhores do mundo. Dá pra assistir aqui na Steam.

    4) Second Skin

    Quando comecei a adolescência, o MMORPG me pegou de jeito e me prendeu em casa. Talvez seja por isso que eu tenha me identificado tanto. Neste documentário, podemos acompanhar algumas pessoas e observar como os jogos MMORPG tem influência em suas vidas, transformando seu modo de viver. Está disponível acima.

    5) Minecraft: The Story of Mojang

    O maior sucesso da Mojang eu diria com toda certeza que é o Minecraft, e a oportunidade de sair pelo mundo do game construindo coisas e minando tudo foi algo que ganhou o coração do público. Nesse documentário são mostradas várias imagens sobre o início da produção, entrevistas com os membros chave da empresa, além de outras pessoas da indústria dos games discutindo sobre toda essa influência que Minecraft tem no mercado (interessante até pra você que não é fanático pelo jogo). Assista acima.

    Boa seção, e até mais!

    95
    • Micro picture
      ninusmaximus · over 1 year ago · 4 pontos

      Tem também o "Man vs snake" e "atari" muito bons

    • Micro picture
      sergiotecnico · over 1 year ago · 6 pontos

      Inclui esse aqui:
      https://youtu.be/BpYfeR7p8yw
      É espetacular esse documentário!

      1 reply
    • Micro picture
      venomsnake · over 1 year ago · 4 pontos

      Apesar de eu não gostar do minecraft tenho um respeito imenso pela mojang e a historia por tras da criação do jogo, esse documentario tem legendas ? ( estou pelo celular )

      2 replies
  • 2017-06-17 23:21:24 -0300 Thumb picture

    O mundo é indie! E isto pode ser a melhor coisa para a 10ª arte!

    Medium 3504737 featured image

    Os indies estão, aos poucos e gradativamente, dominando o mundo e com isso trazendo de volta duas das maiores virtudes na criação de um jogo: Criatividade e liberdade artística/poética!

    Perdidas desde que se incutiu na cabeça das últimas gerações de jogadores que apenas jogos com orçamentos milionários e gráficos cada vez mais realistas é que são importantes, os indies estão mostrando muito claramente que as grandes companhias estão migrando rumo a um destino fatal para si próprias e para a indústria como um todo!

    Quanto a isto, podemos dizer que é explícita a iminência da limitação gráfica à qual estamos presos, cada vez mais.

    Os mais velhos devem se lembrar do enorme salto gráfico/técnico entre as primeiras gerações até a era 8 bits depois p/os 16 bits, dos 16 para os 32/64 e principalmente destes últimos para os 128 bits. O auge da capacidade gráfica foi alcançada na 7ª geração de consoles (PS3/Xbox 360 e Wii) e com a nova geração (PS4 / Switch / Xbox One e seus derivados a meio de geração) fica clara esta estagnada gráfica. 

    Não houve aquele salto gráfico que se esperava. Obvia e inegavelmente os jogos estão bem mais bonitos e detalhados, com mais elementos e partículas na tela. Mas para se chegar a isso, é preciso abdicar de algumas características básicas na criação de um jogo. Mas vamos ser sinceros em termos gráficos, ao menos para mim, os únicos jogos que verdadeiramente me fizeram dizer - "Nossa, isso sim é nova geração!" são Ryse: Son of Rome e The Order: 1886. 

    E esses jogos são o que os jogadores queriam/esperavam/precisavam? 

    Para mim, ao menos, parecem mais uma amostra "grátis" do poder de fogo das máquinas que geram todo aquele luxo gráfico para nos convencer de que precisamos delas, pois não é mais possível continuar jogando games com gráficos de PS360. De Wii, então...!!! Ledo engano, mas enfim...

    Para rodar aqueles gráficos vistos em The Order e Ryse, teve-se que descartar muita coisa que faz um game ser um game. Jogabilidade e liberdade de exploração são alguns exemplos disso. São corredores extremamente lineares particionados cheios de cutscenes para te contar uma história. Não para te tornar parte dela. 

    Okay, você pode contra-argumentar que jogabilidade pode ser algo muito subjetivo. E eu concordo, entretanto ela precisa, juntamente com todo o resto, tornar a experiência imersiva, fluída! 

    Jogos como os da Quantic Dream ou Telltale Games se pautam em tipos singulares de jogabilidade, mas entregam jogos completamente emocionais e com boa liberdade de movimentação dentro daquele mecanismo próprio de jogabilidade. Você sente que está jogando/contribuindo e não apenas assistindo e interagindo uma vez ou outra apenas para não dizer para o amiguinho que estava "jogando um filme massa, há pouco!"

    A responsabilidade em se fazer um jogo triple A dar certo é tamanha que não há mais espaço (na maioria das grandes produtoras) para a supracitada liberdade artística. Não se pode correr o risco de substituir os gráficos ultra realistas com seus zilhões de polígonos e anti-aliasing por uma arte abstrata, filosófica ou subjetiva, é quase uma ofensa trocar um roteiro holywoodiano por uma estória mais descompromissada em prol da pura, boa e velha jogabilidade. Da diversão!!

    A rejeição do público seria massacrante e decretaria o fim da produtora que ousasse desapontar uma geração mimada e que está mais preocupada com a taxa de quadros por segundo, teraflop/s e resolução de jogo do que em jogá-lo e principalmente, divertir-se com isso!

    Se fizéssemos uma breve pesquisa no tocante à quantidade de títulos totais por plataforma ao longo de cada geração, constataríamos que os videogames possuem menos títulos a cada nova geração. E isso se dá justamente pela exigência do público por jogos caros, de mundo aberto, com gráficos "animais". Fazer estas coisas demanda tempo e dinheiro (muito dinheiro) e o retorno financeiro para tal investimento é extremamente volúvel, imprevisível! Nunca se fechou tantas produtoras como nas duas últimas gerações de consoles.

    Entenda que não sou contra os jogos de grande orçamento! De forma alguma. Pelo contrário, até! Fiquei impressionadíssimo com o vindouro Anthem da BioWare/EA.

    Sou contra é em pautar um jogo primeiramente por aspectos gráficos em detrimento de todo o resto. Sou contra esperar 5 ou 6 anos por um jogo e na maioria das vezes chegar incompleto, cheio de problemas técnicos e ter de "completá-lo" via DLCs.

    Sou contra as produtoras terem a obrigação de fazer apenas o que a parcela consumidora do mais do mesmo anual exige por medo de fechar as portas. E é um medo procedente, justificável! 

    Enfim, acho que precisa haver um meio termo nisso tudo.

    Será mesmo que precisamos ter atores reais protagonizando jogos? Será que precisamos mesmo de tantos jogos de mundo aberto? Qual o problema com os jogos lineares? Eu os amo! 

    Será que precisamos ver os poros e até reflexo dentro dos olhos dos personagens o tempo todo?!

    Será que precisamos mesmo desta enxurrada de jogos de tiro e violência explícita? Não podemos ter mais pérolas como Metroid Prime 3: Corruption, Red Steel 2 e Alien: Isolation no mundo dos Shooters?!

    Fico muito feliz em ver grandes mestres como Miyamoto e Ueda ignorarem as exigências contemporâneas e nos brindar com obras como ICO, The Last Guardian, Mario Galaxy e Pikmim, por exemplo.

    Fico feliz por haver espaço para podermos jogar pequenas obras de arte como Ori, Unravel, Rime, Little Nightmares, Life is Strange, The Vanishing of Ethan Carter, Cuphead, Dead Light, Lost in Shadow, A Boy and his Blob, Machinarium, Limbo, Trine, Journey, Praey for the Gods, Abzû, Hyper Light Drifter e os vindouros The Last Night, The Artful Escape e Unruly Heroes.

    Aliás, alguns destes você pode conferir no vídeo veiculado neste artigo.

    O que queria passar para vocês é que mais importante que teraflops, frames por segundo e resolução é a criatividade! Esta é que nunca poderia faltar em um jogo!

    Um jogo precisa ser divertido e criar uma ligação empática com o jogador e muitas vezes isso não necessariamente precisa estar envolto em dados técnicos impressionantes.

    E o fato de que ultimamente os jogos que mais criam esse elo/vínculo com o jogador são aqueles oriundos de pequenos estúdios, é - ainda que louvável - algo para que reflitamos o rumo e até o sentido de tudo isto!

    A Nintendo é um grande exemplo para esses pequenos estúdios na hora de fazerem seus jogos, pois ainda que seja uma titã da indústria dos games ela gere a forma de fazê-los de maneira totalmente contrária àquilo que vemos em praticamente todas as outras empresas. E podemos incluir as outras duas gigantes, Sony e Microsoft, neste contexto. Nesse caso é preciso frisar que apoiar a "classe Indie" não é a mesma coisa que possuir seu conceito ou seu espírito. Coisa que - para a nossa sorte - a Big N parece preservar desde o século passado.

    Então, pessoal, levanto esse questionamento e sugiro que olhem um pouco mais fora da bolha e de seus triple A e talvez encontrem algo fantástico onde sequer imaginavam que pudesse haver alguma beleza.

    Espero que tenham gostado e lembrando que esta é a opinião do autor e não representa o grupo SPAGHETTI DIGITAL como um todo.

    Comente, debata de maneira sadia e nos siga no Twitter e no Facebook. Obrigado!

    Por @vitalbianck em 17 de Junho de 2017.   

    0
  • renatolf Renato Figueiredo
    2017-05-22 14:06:39 -0300 Thumb picture

    Resonance - Jogão BR

    Testamos o Resonance - The Lost Score, jogo nacional que tá no Greenlight e a venda no Itch.io. Ele é curtinho, são só dez fases. Mas o legal é que você tem que usar a sua voz (afinada) pra abrir passagens e mover plataformas. Não é só gritar, vc tem que alcançar a nota certa de acordo com o obstáculo... Não é fácil.

    2
  • diegodoiyd Diego Ramon
    2016-06-30 09:32:42 -0300 Thumb picture

    Big Festival (Brazil's Independent Game Festival) - 2016

    Desculpem a demora por postar o vídeo da Big Festival desse ano. Estive ontem sem NET por problemas de "Técnicos"... 

    Chroma Squad

    Platform: PC
    431 Players
    175 Check-ins

    3
  • cogumelomarrom Cogumelo Marrom / Racing
    2016-06-26 23:56:55 -0300 Thumb picture
  • morreupassouocontrol Morreu Passa o Controle
    2016-05-27 02:53:21 -0300 Thumb picture

    [CONHEÇA ETERNAL HOPE]

    Obrigado pelo amigo que disponibilizou o link para Download. Tá aí a gameplay de Eternal Hope. 

    Link da página  Morreu Passa o Controle: Morreu Passa o Controle

    Link da página do jogo: Página Eternal Hope

    2
  • 2015-06-05 21:14:20 -0300 Thumb picture

    Target Magazine #4

    Boa noite galera! Mais uma edição da revista Target!

    Target Magazine #4

    Nessa edição está a segunda parte da análise de Rockman X, os destaques do BIG Festival (Todos com vídeos dos jogos finalistas) e um projeto que quer resgatar o feeling dos jogos de arcade no seu celular e tablet, da Grumpy Panda Studios.

    O link para download somente amanhã, porém essa edição recomendo ler online pois tem alguns vídeos que na versão para download não vai ter.

    @paulolol22 nessa edição você vai encontrar o que procurava na terceira ;) - Toren!

    Espero que gostem! @hagarth

    ______________________________________________________________________________ ///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

    Gosta de escrever sobre games? Conhece mais a fundo sobre as etapas de desenvolvimento? Quer fazer parte da coluna Opinião Expressa? Reviews e Análises? Nenhuma das anteriores?Se alguma das perguntas acima você respondeu sim, ou esboçou uma vontade de dizer sim, entre em contato comigo aqui pelo alvanista mesmo ou pelos e-mails que tem na revista ou no site. O objetivo é produzir algo com um conteúdo bom e bem feito!

    ______________________________________________________________________________


    Marcando @camillaport @sophos @junichan

    Toren

    Platform: PC
    230 Players
    54 Check-ins

    21
    • Micro picture
      gv_silva · over 4 years ago · 2 pontos

      Meu tédio acabou \o/

    • Micro picture
      sophos · over 4 years ago · 1 ponto

      não tão precisando de um redator não? eu posso pensar em escrever até um artigo por numero.

      3 replies
  • 2015-05-06 17:15:07 -0300 Thumb picture

    Target Magazine #3

    Boa tarde personas!

    Saindo do forno a terceira edição da Target Magazine. Zelda na imagem.

    Recomendo fortemente a todos baixarem essa edição, pois existe uma matéria sobre Rockman X que é interativa e contém alguns GIFs dentro e para rodar os GIFs é nescessário abrir ela num pdf reader qqr e ter os plugins instalados (os dois plugins estão junto da revista só instalar)

    Target Magazine #3

    ______________________________________________________________________________
    Reforço novamente o convite, quem quiser contribuir com a revista de alguma forma, é bem vindo. Gosta de escrever sobre games? Conhece mais a fundo sobre as etapas de desenvolvimento? Quer fazer parte da coluna Opinião Expressa? Reviews e Análises? Nenhuma das anteriores?Se alguma das perguntas acima você respondeu sim, ou esboçou uma vontade de dizer sim, entre em contato comigo aqui pelo alvanista mesmo ou pelos e-mails que tem na revista ou no site. O objetivo é produzir algo com um conteúdo bom e bem feito!

    Espero que gostem! @hagarth

    Target Magazine #3

    ______________________________________________________________________________

    Marcando @camillaport @sophos

    Toren

    Platform: PC
    230 Players
    54 Check-ins

    25
  • nacasadofantasma Na Casa do Fantasma
    2014-09-09 08:09:33 -0300 Thumb picture

    Semana da independência (e da caridade) na Splitplay...

    Galera, até o dia 14 de setembro, o SplitPlay fará uma promoção bacana, e todo o lucro será doado para caridade. :D

    Sei que muitos aqui gostaram do Aritana e a Pena da Harpia, ele está com desconto de 10% e vc ganha grátis um código para resgatar o mesmo no Steam. Ou seja, vc terá duas cópias do jogo pelo preço de uma (uma no Steam e outra no Split). E tem outros games lá com até 70% de desconto. Então, aproveitem:

    http://www.splitplay.com/pt/

    Aritana and the Harpy's Feather

    Platform: PC
    162 Players
    68 Check-ins

    2

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...