• rfernandes5 Rafael Fernandes da Fonseca
    2015-05-06 07:33:51 -0300 Thumb picture

    Os fãs de hóquei e games não ficam a desejar em nada.

    NHL 15 é um dos melhores games de esporte que já saíram dos estúdios da EA Sports. Como em todo game esportivo, em seu modo online, não são consideradas determinadas demandas do jogo em sua prática real. Gols contra, punições duvidosas e, especialmente, a facilidade e frequência dos fights são os principais pontos a serem destacados. 

    A detecção fina e precisa de desvios e complementos de jogadas ofensivas ou posicionamentos defensivos é o forte do game, que raramente falha na hora de creditar gols ou punir trippings, por exemplo.

    E, como estratégia já usada pela Eletronic Arts em outras franquias esportivas da empresa, a inserção do jogador em um cenário perfeito de um evento televisivo é uma excelente ideia, com rinques fiéis aos reais e um adequadíssimo layout de uma transmissão da famosa emissora NBC, responsável por grande parte da audiência do hóquei no gelo entre os norte-americanos. Os hits, os choques e as animações de queda e interação com a película de gelo são impecáveis e dispensam alfinetadas.

    A EA, com esse título, também soma elogios no quesito áudio. A narração, em inglês, de Emrick, não é sincronizada em milésimos de segundo, como o ideal, mas, por ser fluida e vibrante, consegue proporcionar uma interação perfeita entre a partida e sua reportagem. Os comentários da narração e a inserção de nomes de equipes e jogadores em frases prontas também não deixam a desejar e dão perfeita noção de ritmo de fala. Além disso, os sons de ambiente, da torcida e as animações em gols e intervalos são dignos de boa apreciação.

    O visual, em um conjunto, também agrada. Os sticks são muito bem feitos, as fabricantes dos materiais são todas reais e as equipes da NHL (as mais usadas por apreciadores do game) são todas licenciadas, apresentando a real fornecedora de material esportivo de cada time e um kit bem completo de uniformes que, além dos usuais de casa/fora, traz também uniformes retrô, jerseys comemorativos e edições Stadium.

    Mas como nem tudo na vida são flores, os calcanhares de Aquiles mais visíveis de NHL 15, no entanto, ficam por conta do design de faces, dos checks involuntários ou sem a atuação efetiva dos sticks e dos descuidos com os capacetes dos goleiros quando os mesmos atuam por seleções (Lundqvist, por exemplo, usa o capacete dos Rangers, sua equipe na NHL, quando defende as cores da seleção sueca), além da já mencionada frequência compulsória com que se podem gerar fights (os motivos são, de fato, existentes, mas sabemos que nas partidas reais isso não é assim tão evidente a ponto de termos uma média de quase três oportunidades de combate a cada cinco faceoffs marcados, não necessariamente por power play).

    Os modos de jogo, quando postos em balança comparativa com outros games da empresa, deixam também um pouco a desejar, apesar de cada um ser muito eficaz em sua respectiva proposta. Entre os mais populares, podemos analisar o seguinte: 
    1. O modo carreira de jogador, por exemplo, já se inicia em uma equipe da NHL, quando poderia oferecer um cenário de crescimento pessoal e desportivo, já que o game possui várias ligas, de vários lugares e segmentos.
    2. O modo de partidas online rankeadas com oponentes aleatórios não funciona como as temporadas do FIFA, existindo nesse modo uma contagem de nível oscilante que aumenta com as sucessivas vitórias e diminui com resultados negativos. Quanto melhor for a exibição do jogador em uma partida, mais pontos de performance ele conquista e pode até mesmo, dessa maneira, subir mais de um nível com apenas uma vitória.
    3. O HUT (hockey ultimate team) pode ser um pouco confuso para os iniciantes, mas quem já tem certo costume com o modo que também está presente em franquias como FIFA e NBA Live pode não se atrapalhar tanto. O sistema é muito semelhante: partidas dão dinheiro e, com ele, pode-se comprar jogadores, pacotes e itens consumíveis, como contratos e cartas de preparo físico.
    4. Quem esperava, no entanto, um reflexo do consagrado modo Pro Clubs do FIFA no game de hóquei no gelo não terá boas notícias, já que um único jogador personalizável em campo só pode ser usado na carreira de jogador (modo "be a pro") com os companheiros de equipe controlados pela máquina. Há, porém, uma alternativa para quem gosta de juntar os amigos e exercer cada um uma função entre os cinco jogadores de linha de uma equipe para levar um time à vitória, que é o OTP (online team play), em que cada jogador assume uma posição (mesmo nas mudanças de line-ups). O goleiro, por motivos um tanto que óbvios, é travado para controle da máquina por padrão.

    Por fim, quem acompanha o hóquei no gelo para além dos joysticks sabe que existe um excelente representante do esporte no mercado dos vídeo games. Mesmo com suas falhas, minha nota é 10, por ser uma franquia independente, que não precisa de fortes concorrências no mercado para produzir um bom título.

    NHL 15

    Platform: Xbox One
    41 Players
    11 Check-ins

    2
    • Micro picture
      lucas_rocha_9803 · about 4 years ago · 1 ponto

      Excelente análise. Creio que para nova geração o nivel de detalhe dos rings estão surpreendentes.

      1 reply

Load more updates

Keep reading → Collapse ←
Loading...