• gus_sander Gabriel Macêdo
    2019-07-20 01:16:36 -0300 Thumb picture

    Seria maneiro ter um desses :3

    Ficaria em dúvida se usaria ou deixaria só pra contemplação huashauhs

    Half-Life

    Platform: PC
    4593 Players
    73 Check-ins

    28
    • Micro picture
      jcelove · 5 months ago · 2 pontos

      caraca vei, que sensacional!!! NECESSITO DE UM DESSES!!!hehe

      1 reply
  • pyre Pyre
    2019-01-09 00:48:43 -0200 Thumb picture

    Escritor de Half Life 2 retorna para a Valve, Half Life 3 confirmado?

    Medium 3696536 featured image

    Depois de um 2018 muito conturbado para a Valve, Gabe Newell confirmou o retorno de Eric Wolpaw, escritor de Half Life 2 e Portal.

    Wolpaw saiu da Valve em Fevereiro de 2017, logo após ter liberado sua opinião sobre como deveria ser o roteiro de Half Life 3. Porém já há alguns meses estava rodando rumores que ele havia retornado para a empresa, que foi confirmado após ele ser creditado como escritor do novo jogo da Valve, Artifact.

    Porém, não se sabe qual será o próximo projeto de Wolpaw, a melhor aposta até o momento é uma adaptação de Half Life para VR, até mesmo para ajudar o HTC Valve VR.

    Continue lendo na Pyre

    Half-Life 2

    Platform: PC
    5854 Players
    128 Check-ins

    5
  • gus_sander Gabriel Macêdo
    2018-07-19 22:09:29 -0300 Thumb picture
    gus_sander checked-in to:
    Post by gus_sander: <p><strong>HALF-LIFE: DECAY&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;
    Half-Life: Decay

    Platform: Playstation 2
    27 Players
    1 Check-in

    HALF-LIFE: DECAY                                                                       status: finalizado

    O check-in foi feito como um misto em relato de certos acontecimentos relacionados ao jogo e outros também focados ao mesmo, mas que ocorreram durante as tentativas de poder jogar.

    Há umas três semanas estava conversando com um amigo meu sobre a Valve lore; o assunto da vez eram as expansões feitas para o primeiro Half-Life. Foi quando percebi que, há um tempo atrás, fiquei devendo aqui no Alva jogar a terceira e última expansão, intitulada Decay.

    Como esse amigo estava numa maratona seguindo a linha cronológica dos jogos passados no Universo "Half-Lifeano", após ler a carta do Laidlaw, aproveitei para chamá-lo pra podermos jogar o Decay, único jogo da lore que requer um segundo jogador (com exceção do Coop do Portal 2) para ser concluído.

    Por se tratar de um jogo de PS2 e que não teve tanto sucesso quanto seus antecessores, seria muito complicado acha-lo pra comprar, então seguimos com o port feito por fãs para o Windows. Após entrar no game nos deparamos com os primeiros problemas: Só haviam três servidores; o ping de um era mais alto que o outro, e o pior, os mapas não estavam disponibilizados na ordem do jogo original. Meu amigo tentou acessar os arquivos pelo console do desenvolvedor e conseguiu organizá-los após um certo tempo.

    Dá-se assim início à jogatina:

    Minhas primeiras impressões sobre o jogo foram positivas. A jogabilidade, como sempre bem lisa e, assim como os gráficos, não mudaram basicamente nada se comparado a outras expansões (exceto a água que agora está transparente). Não lembro de haver música alguma, o que não é novidade. O que me impressionou foi terem melhorado aspectos relacionados aos npcs como um todo, que diferentemente de antes - eram apenas uma imagem estática com uma boca em movimento - , agora há um pequeno número de expressões que estes podem fazer, além de ficarem olhando para todos os lados (chega a ser bizarro), bem como realizando movimentos mais leves e não tão mecânicos quanto antes.

    As personagens jogáveis são a Colette (it's a me) e a Gina, duas cientistas da Black Mesa que acabam passando por maus bocados juntas, enquanto tentam ajudar o Gordon - Sim meu amigo, pelo visto o Gordon só realizou as proezas vistas no primeiro Half-Life por causa da ajuda delas -, mesmo estas estando tão distantes dele. Quem nos orienta é o cientista Richard Keller que, infelizmente, só é visto nesse game.

    Na cadeira de rodas, o cientista Keller. Ao seu lado a Gina. Na sua frente o cientista Rosenberg.

    Quanto a gameplay em si, o jogo não possui muitas fases. Nas primeiras, seu amigo(a) só vai lhe ajudar a derrotar alguns aliens, o clima de coop aqui é meio baixo, mas vai aumentando gradativamente a cada fase.

    É interessante como o primeiro Half-Life teve 4 perspectivas diferentes no quesito história, e todas elas mostram sempre lugares novos da Black Mesa. No decorrer dos mapas do Decay passamos por tubulações, esgotos, e partes como dormitórios, sala de atendimento e etc. No final de cada missão recebemos uma "nota" baseada no quão bom fomos.

    Descobre-se aqui também que o sistema de bloqueio da Black Mesa é feito com luzes... Sim, luzes. As três cores primárias são a base para fazer certos desbloqueios lá.

    Pause na gameplay, relato continua:

    Devo acrescentar que, por ser um port, ele apresenta uns bugs muito nonsense. Não conto as vezes que tivemos que reiniciar o mapa por um de nós ter travado os npcs sem querer, só pelo fato de estar em movimento na frente destes.
    Tudo ia bem, estávamos perto do final de uma das últimas salas, quando do nada o servidor dá problema. Ficamos congelados por uns minutos, até que fomos desconectados, perdendo todo o progresso feito no jogo. Descobrimos que o server (1/3) havia caído misteriosamente, os outros permaneciam lá. Não havendo muita paciência pra tentar mudar os mapas de algum outro - já estávamos jogando há horas - Desligamos o computador e deixamos pra recomeçar no outro dia.
    Novamente, iniciamos o jogo. Procuramos algum servidor pra modificar os mapas à forma original e descobrimos que todos foram bloqueados por quem os criou, não podíamos fazer modificação alguma. Nesse ponto, não era mais uma escolha termos que criar um server dedicado, e assim o tivemos que fazer (fracassando mais que tudo). Pouco mais de uma hora estudando como e realizando falhas tentativas, finalmente conseguimos criar um que não desse bug. Demos inicio a jogatina... Quando no meio do game, do nada, congelamos de novo. Certamente o Gaben descobriu nosso servidor (2/3) e decidiu derrubar, isso é uma certeza universal, porque não era possível!

    Apesar disso, tiveram uns momentos bem engraçados no game que compensaram o estresse de ter que recomeçar tudo.

    Sem paciência pelos ocorridos esperamos o terceiro e último dia de tentativa. Foi aqui que, magicamente, encontramos um dos três servers com todos os mapas organizados (só um mapa a mais que não tinha nada a ver com o jogo) e tudo seriam maravilhas, se não fosse um servidor (3/3) russo com o ping voando mais alto que minhas expectativas pra zerar esse game. Sendo nossa única alternativa, entramos no mesmo. Ao menos esse funcionou até o fim, e é ai que vem a última parte desse check-in.

    Após diversos bugs, mortes e problemas ocasionados pelo ping elevado, passados todos os mapas, finalmente chegamos no final, com uma missão até que bem fácil. Seria a última investida para tentar sanar os portais aleatórios que ocorrem em hl 1. Nessa parte a emoção já estava nas alturas, seria meu último jogo da Valve lore zerado. Ao concluir a última missão, vieram as últimas cenas do game, o qual me deixaram hypado por horas, mas também pensativo sobre o que uma delas poderia significar. As cenas de crédito começaram e eu não conseguia parar de olhar pra tela, esperando que houvesse mais alguma coisa; no fim, sem sucesso.

    Como um todo, o jogo é bem satisfatório. Não acrescenta muito à história principal, mas ajuda a entender alguns fatos ocorridos no primeiro Half-Life, além de ser bem legal jogar com o amiguinho.

    No quesito nota, ainda pretendo levar alguns aspectos em consideração, portanto esta pode diminuir ou aumentar.

    Nota final: 7

    P.S: O fato abaixo contém spoiler do Decay e da série principal. O outro após esse é livre de spoiler.

    PSS: O ápice de fatos que ocorrem no Decay é em um dos últimos mapas, quando mostra as horríveis experiências que a Black Mesa vinha fazendo com Xenianos.

    PPSSS: Concluir esse game foi tão satisfatório que achei que ninguém fosse superar aquela emoção naquele momento... Estava enganado, e a cara do Barney dessa imagem é a prova disso. Clica na foto pra ver em tamanho maior.

                                                                  "Amigo, cê tá bem?!"

    27
    • Micro picture
      filipessoa · over 1 year ago · 3 pontos

      O check-in (e essa nova foto de perfil) ficou muito estilo cara! Tá tão completinho que eu te aconselharia a convertê-lo em uma análise.

      1 reply
    • Micro picture
      mateusfv · over 1 year ago · 2 pontos

      Cheguei a jogar esse modo no PS2 junto com a minha irmã, mas o segundo controle tava muito lixo ai n deu pra acabar husahuas

      2 replies
  • luis_carlosblj Luis Carlos Bernardes
    2018-06-19 18:43:59 -0300 Thumb picture
  • 2018-03-12 08:59:28 -0300 Thumb picture

    Valve vai voltar a produzir jogos, afirma Gabe Newell

    A Valve disse que vai voltar a produzir jogos com mais frequência. A confirmação veio do próprio chefe da empresa, Gabe Newell. Na semana passada, a empresa fez uma apresentação para mostrar mais sobre Artifact, game de cartas sobre o universo de Dota 2.

    Durante a apresentação Newell foi enfático ao dizer que a Valve vai "começar a lançar jogos novamente" e que Artifact era o "primeiro de muitos jogos". Desde o lançamento de Dota 2 em 2013, a empresa tem focado em produzir conteúdos in-game para o MOBA e para Team Fortress 2, outro game da casa. "Então isso é meio que uma boa notícia. Hooray! A Valve vai voltar a lançar jogos", brincou.

    Além disso, Newell disse que a empresa também está trabalhando não só em software, mas também em hardware: "sempre tivemos um pouco de inveja de empresas como a Nintendo. Quando o Miyamoto senta para pensar na nova versão do Zelda ou Mario ele está pensando como o controle vai ser, os gráficos e outras capacidades, e ele pode introduzir novas tecnologias como controles por movimento porque ele comanda essas duas coisas", conta.

    A Valve já se enveredou pelo universo do hardware. Em 2015, a empresa lançou as Steam Machines com a ideia de serem um híbrido entre consoles de mesa e PC games, que poderiam ser fabricadas por diversos parceiros, como AlienWare. Contudo, pelo fraco desempenho do aparelho, a Valve não tocou mais no assunto sobre seus aparelhos.

    Já em relação a games, a empresa é conhecida por clássicos como Half Life e Portal, ambos com apenas dois títulos na franquia. Até o momento, o único jogo anunciado de fato é Artifact, que chega ao Steam ainda neste ano.

    Fonte: Tribo Gamer

    Half-Life 2: Episode Two

    Platform: PC
    2400 Players
    64 Check-ins

    19
  • josealexandre José Alexandre
    2018-02-23 00:02:51 -0300 Thumb picture
    josealexandre checked-in to:
    Post by josealexandre: <p><strong>Finalizado!</strong></p><p><strong></str
    Transmissions: Element 120

    Platform: PC
    8 Players
    1 Check-in

    Finalizado!

    Nunca joguei Half-Life,mas depois desse pequeno game,deu vontade! 

    É basicamente um ''MOD'' do jogo,gratuito na Steam,ambientado no mesmo universo,é tudo um mistério aqui,você não sabe onde está ou mesmo porque foi enviado pra lá e sua missão é descobrir. É bem curto,1h de gameplay,os gráficos são legais,bem old school mesmo,tem uma boa variedade de armas,a trilha sonora é sensacional nos momentos de suspense e ação,sem falar nos inimigos que são medonhos (principalmente os barulhos que eles fazem).

    SPOILER ALERT!!!

    SPOILER ALERT!!!

    SPOILER ALERT!!!

    SPOILER ALERT!!!

    A luta final é sensacional,é necessário derrotar 3 ''Aliens Gigantes'' que atiram e soltam raios (me lembrou demais o filme ''A guerra dos mundos''),sem falar nos guardas filhas da mãe que ficam te atrapalhando,detalhe que os monstrões só morrem pra tiro de bazuca,e a munição é bem limitada,tu tem que ficar vasculhando bastante a área para encontrar mais,feito isso,o jogo termina,e você fica com gostinho de quero mais.

    Eu já tinha visto esses ''Aliens'' em alguns prints do jogo Half-life,na boa,o melhor desse mod foram eles,deve ser sensacional enfrentá-los no próprio jogo base,pretendo adquirir em breve.

    Enfim,recomendo muito esse game,como eu disse é curto,leve e uma experiência satisfatória pra quem quer entrar nesse mundo,e também pra quem já é fã do próprio game original e quer ter uma experiência a mais!

    Nota: 8,0

    6
    • Micro picture
      filipessoa · almost 2 years ago · 2 pontos

      Esse aí eu vou jogar depois de HL mesmo. Parabéns!

  • gusgeek Gustavo Francescheto
    2018-02-02 18:13:43 -0200 Thumb picture
    53
    • Micro picture
      filipessoa · almost 2 years ago · 3 pontos

      Half-Life... 20 anos incompleto.

    • Micro picture
      matcafe · almost 2 years ago · 2 pontos

      Bem no ano que nasci xD

    • Micro picture
      thiagoreis · almost 2 years ago · 2 pontos

      Resident evil 2 e Parasite Eve ❤️❤️❤️❤️

  • 2017-08-25 14:32:35 -0300 Thumb picture
  • santz Santz
    2017-08-04 09:21:58 -0300 Thumb picture

    Jogo finalizado nº: 286 - O FPS moderno mais influente ever

     E finalmente chegamos no último jogo da minha lista, ou seja, a partir daqui, todos os posts que farei sobre o jogo zerado será o mais recente. Enfim, nunca fui fã de FPS, mas rejogar o Medal of Honor me despertou um pequeno interesse no estilo. Peguei o game num bundle da última Sale que rolou (acabei pegando expansões que nunca jogarei :/) e já tinha zerado os 2 portais, ou seja, ficava procurando referência da outra série nesse Half-Life, e até que foi satisfatório. O jogo é bem grande, mas é gostoso de jogar, pois você sempre se depara com uma experiência nova e as fases são bem diferentes, dando aquela sensação de progressão.

     A forma que a história é contada foi revolucionária na época, quase sem diálogos e com acontecimentos diversos acontecendo em tempo real, mas infelizmente não tem legenda, então me perdi um pouco. Sempre gostava de ver o pau comer entre os carinhas armados e os alienígenas. O jogo não tem música, mas os efeitos sonoros são bem massa. Os gráficos são bonitos e variados e o game possui uma curve de aprendizado muito bem elaborada. O controle da mira é bom, mas a falta de headshot é meio broxante. As armas são bem masa, sendo minhas preferidas a Shotgun e Magnum, muito foda. O único ponto bem cagado do jogo é que parece que você esta andando com sapatos de sabão. Mano, o cara escorrega pra caralho e o game te exige uma habilidade de plataforma que torna tudo meio complicado. Quem não jogou, jogue.

    Half-Life

    Platform: PC
    4593 Players
    73 Check-ins

    37
    • Micro picture
      ramzarify · over 2 years ago · 3 pontos

      Fiz uma conta rápida depois de ver que tu vai anotando a quantidade dos teus zeramentos, e o meu foi 110 jogos. KKKKK Quase lá

      1 reply
    • Micro picture
      jokenpo · over 2 years ago · 3 pontos

      Joguei um pouco desse jogo tenho que voltar pra ele. Também não sou muito fã de FPS mas esse jogo é legal, da pra levar uns bons susto nele.

      1 reply
    • Micro picture
      tiagotrigger · over 2 years ago · 2 pontos

      Half-Life tem música sim, até vinha um CD com a OST. Gostava da música dos créditos e da Adrenaline Horror.
      https://www.youtube.com/watch?v=AaXsb5kS31s

      4 replies
  • daisuke Daisuke Vieira
    2017-07-06 23:38:46 -0300 Thumb picture
    16
    • Micro picture
      santosmurilo · over 2 years ago · 2 pontos

      Parabens!

      1 reply
    • Micro picture
      santz · over 2 years ago · 2 pontos

      Também peguei o Half-Life 1. Eita joguinho bacana.

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...