• anduzerandu Anderson Alves
    2020-12-16 13:22:10 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Golden Sun

    Zerado dia 16/12/20

    Eita que esse pendência merece até uma festa por ser terminada. Golden Sun é um jogo super famoso da época do GBA e que é lembrado até os dias de hoje pelos fãs de JRPG.

    Pessoalmente eu sempre quis jogá-lo e cheguei a iniciar a aventura umas 10 vezes, sem mentira nenhuma. Algumas dessas vezes foram no PSP do meu amigo, na época que eu não tinha forma melhor de jogar, mas os intervalos eram tão grandes entre as minhas jogatinas (e eu nunca ia muito além do início, então acabava sempre o reiniciando). Ou será que ele deletava meus saves?

    Cheguei a emular o jogo no PC e também nunca fui muito além dos primeiros desafios. Recentemente resolvi o jogar de verdade no meu PSP (que já havia meio que testado há um tempo atrás), mas o jogo estava dando uns lags durante as batalhas e até travando, o que me fez o reiniciar mais vezes e jogar até determinadas partes testando diferentes configurações. A última tentativa foi jogando por uma rom injetada no VC do 3DS e finalmente tudo ficou perfeito, inclusive com a melhor aparência possível, muito similar à original e sem filtros. Acho que tenho uma nova plataforma para GBA!

    O engraçado é que eu não sou o fã número 1 de RPGs e tenho sentido que o passar do tempo e responsabilidades tem cada vez mais me afastado desse tipo de experiência, repetitiva e longa. Fora que eu joguei e terminei Octopath Traveler recentemente e costumo dar um bom tempo até jogar outra coisa do gênero, mas eu fiquei com muita vontade de jogar Golden Sun (GS). O porquê eu não sei explicar, mas quando essas vontades batem, eu tenho que aproveitar.

    Abrindo o jogo, temos a logo da Nintendo, seguida da Camelot. Na tela título, o ano: 2001. Meu deus! 19 anos atrás! Quando a gente fala dos anos 2000, sempre soa como algo tão recente, mas você se lembra do que fazia em 2001? Eu estava na quinta série (sexto ano) com os meus 11 anos de idade, desenhando na escola e nem se dava por mim direito.

    Enfim, de volta ao jogo, GS é um RPG bem preto no branco. Você chega numa cidade, fala com as pessoas, compra equipamentos melhores, fala com alguém que te manda ajudar alguém numa caverna à oeste, salva outra pessoa, que volta para a cidade e permite que você passe por um local trancado ou bloqueado anteriormente. No meio do caminho, várias batalhas, coleta de itens de baús e um chefe no final de cada "capítulo".

    Depois de sair de Octopath Traveler, esse jogo é um grande refresco pro gênero para mim. Mesmo com um enredo relativamente sério, os visuais coloridos, batalhas rápidas e jogabilidade simples e fluída são deixam o jogo cair na monotonia. Você tá sempre correndo de um lado para outro e fazendo progresso, mesmo quando eu não sabia exatamente como progredir na história, eu acabava juntando dinheiro, comprando equipamentos e ganhando níveis com a exploração.

    Acho que o mais justo é comparar a experiência com a de Final Fantasy ou, melhor ainda, Dragon Quest. Talvez seja uma versão mais moderna desses jogos para a época, mas alguns elementos são levemente punitivos (e as vezes irritantes), como ter que ir à "igreja" das cidades ressuscitar aliados que morreram em batalha já que GS demora muito para finalmente facilitar um pouco a aquisição de itens ou magias que os tragam de volta à vida.

    Uma das mecânicas originais da série (já conhecia pelo único que havia jogado há vários anos atrás, Dark Dawn de DS) é a dos Djinns. Os Djinns são como "pokémon" desse mundo, sendo criaturas alienígenas fofinhas.

    Esses monstrinhos estão distribuídos por todo o mundo de Golden Sun, desde masmorras que você ter que explorar, até sidequests, escondidos em cidades ou em pontos do mapa do mundo que parecem inúteis e você resolve evitar. Ao encontrá-los, alguns se juntam a você instantaneamente enquanto outros exigem que você os vença em batalha antes de entrarem pro seu time. São 28 no total pelo jogo, 7 de cada "tipo".

    Há um menu dedicado aos Djinns que você pode equipá-los aos seus personagens, sendo que cada um deles permite o uso de habilidades diferentes em batalha. Alguns atacarão os inimigos quando usados, outros garantirão melhorias ao grupo, ressuscitarão aliados, recuperarão mana (PP) e assim por diante.

    Porém os Djinns tem papéis ainda maiores na sua aventura. De acordo com os que estiverem equipados à um personagem, você pode mudar a sua classe (job) e o transformando de Escudeiro à Cavaleiro, por exemplo. Fora que podem garantir habilidades para se usar fora das batalhas, como mover pedras, soprar folhas ou criar blocos de gelo em poças d'água.

    Poucos Djinns equipados garantem classes mais simples enquanto as melhores só podem ser adquiridos com o número máximo (sete, se não me engano). Infelizmente nessa parte ou você sai na tentativa e erro ou procura na internet umas combinações pois cada classe depende de números específicos de cada tipo equipado.

    Cada classe tem atributos diferentes, melhores e piores (força, HP, agilidade etc) e magias diferentes (imagina a sua healer perder as magias de cura). Isso sim importa muito e pode até demandar diferentes classes para enfrentar diferentes chefes, mas achei o sistema um pouco vago para se aprender sem um guia e mantive cada personagem com apenas um tipo de Djinn até o final, quando realmente precisei de maiores estratégias e procurei na internet.

    Dica: colecione o maior número de Djinns possível!

    Esse sistema todo de equipamento eu achei bem confuso e talvez tenha entendido mais no final. Mas odeio o fato de que você ganha e perde habilidades com a troca de Djinns e os usando em batalha é como os remover do personagem até que eles estejam disponíveis novamente. Em sumo, é como se o personagem ficasse trocando de classe durante a batalha e quando você vai usar aquele ataque forte, ele não está mais lá, ou quando você precisa curar alguém e agora só pode usar magias ofensivas que nunca nem viu.

    Mas há um motivo muito bacana para insistir me usar os Djinns. A cada um que você usar, o contador daquele tipo sobe um número e quanto maior (de um máximo de 4), mais Summons você pode invocar. Com um número 2 de fogo, você pode invocar um  lobo de fogo, com 3 um dragão e com 4 um meteoro gigantesco cai sobre os seus inimigos e causa um dano absurdo!

    Em tese, você pode equipar ao menos um Djinn de fogo em cada personagem e colocá-los para usar cada um no primeiro turno para somar rapidamente os 4 e já invocar o meteoro no segundo turno, caso seja de seu desejo. Mas ainda há os summons dos outros elementos e motivos para não usar Djinns, como curar o grupo ou mesmo usar magia para bater, visto que muitas criaturas as vezes só causa dano fraco ou faz algo desnecessário para o momento.

    Resumindo: Golden Sun é um jogo muito bacana! Um Rpg relativamente simples e com um ritmo rápido e muito interessante, feito com grande maestria. A minha jogatina durou pouco mais de 30 horas, mas ele é famoso por durar 20 e poucas horas. Tempo bastante para conhecer seu enredo, enfrentar diversas masmorras e chefes e experimentar muitos equipamentos e habilidades com os Djinns. Como o ritmo do jogo é acima do normal, a sensação é de que joguei muito mais do que essas 30 horas. A história, infelizmente, não é terminada no primeiro jogo e continua diretamente em seu sucessor, The Lost Age (GBA).

    De bom: trilha sonora e enredo legais. O visual do jogo simula 3D e lembra muito títulos de PS1 e N64, mas modernizado de uma forma muito charmosa e que não envelheceu praticamente nada! Usar um summon em batalha é sempre sensacional tanto pelo dano causado quanto pelas suas cenas! Gosto de como o jogo não fica me enrolando tanto com texto ou batalhas, ao contrário do Octopath Traveler. Há bastante conteúdo enquanto você estiver jogando, mas depois de zerar no máximo você voltaria pro modo de batalha multiplayer na época, que exige ainda um amigo com o jogo e cabo game link. Achei que o enredo se desenvolveu bem e o cliffhanger pro segundo quase me fez ir diretamente para ele. Gosto de toda a interface dinâmica e estilosa, sobretudo das batalhas, que remetem ao 3D. A sensação nostálgica pelo visual desse jogo é gigante e quase me faz lamentar profundamente de não tê-lo jogado naquela época.

    De ruim: encontros randômicos muito frequentes. Os mapas e cidades são muito similares e eu nunca sabia exatamente se já tinha ido ali anteriormente ne conseguia decorar o mapa mundi por ser tudo idêntico! O sistema de classes é meio confuso sem ajuda da internet e eu mesmo mal via motivos para trocá-las (só piorava com a troca). Equipamentos caros e se você focar nisso terá que se dedicar um tempo em arrecadar dinheiro. Eu odeio como os puzzles e afins completados não ficam salvos: você entra numa caverna, empurra pedras, rola toras de madeira e tudo mais para continuar avançando e chegar ao seu final, mas ops, estou ficando sem mana e HP, vou na cidade me curar. Quando você volta tem que refazer tudo do zero! Eu odiei isso na dungeon final, que era longuíssima, abria inclusive atalhos mas quando tive que voltar, tive que refazer tudo novamente e os atalhos nem estavam abertos (levei horas ontem a noite só para voltar ao chefe final). Não há sistema de fast travel para cidades já visitadas, o que é simplesmente cruel nesse jogo.

    No geral, curti bastante a rápida experiência, apesar de alguns detalhes que só atrasam, e já estou curioso pelo segundo jogo, mas acho que não vou jogá-lo por agora. Fico feliz não só de ter terminado um jogo tão conhecido como me livrar de uma pendência tão antiga e vergonhosa como essa. Jogo muito bom!

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    12
  • 2020-06-13 19:44:10 -0300 Thumb picture

    A busca pelas Estrelas Elementais continua

    Após as 5 primeiras horas é hora de subir no primeiro farol e dar continuidade na luta para salvar meus amigos e o mundo. Espero vocês novamente às 22h na segunda parte da série STAGE DRIFTER dedicada a Golden Sun.

    Obs.: desculpas galera, ontem acabei apagando de tanto sono e quando vi já eram 6 da manhã (lol). Hoje, domingo, se tudo der certo volto no mesmo horário à segunda LIVE do RPG.

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    15
    • Micro picture
      fonsaca · 8 months ago · 1 ponto

      Esse RPG é bacana. Na época que comecei, não me animei muito, mas quem sabe tente retornar algum dia. Hehe!

  • 2020-06-12 08:07:57 -0300 Thumb picture

    Chamando todos os ADEPTOS de plantão!

    Hoje a série STAGE DRIFTER volta com Golden Sun, ele que foi o retorno dos irmãos Takahashi ao gênero RPG. Espero todos os aventureiros às 22 horas para darmos início a uma nova jornada com esse jogo incrível do GBA!

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    11
  • 2020-05-26 19:48:11 -0300 Thumb picture

    Next Stage...

    Medium 710246 3309110367

    Só quero terminar Xenoblade Chronicles 2 pra dar início a mais episódios da série STAGE DRIFTER, desta vez com Golden Sun. Tô particularmente empolgado e será minha 5~6 vez que o terminarei-- e espero tomar vergonha na cara pra aproveitar o embalo e concluir logo toda a série de uma vez.

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    13
  • 2020-04-05 15:05:57 -0300 Thumb picture

    O sonho nunca acaba...

    Medium 698846 3309110367

    Ah como eu quero ver a Camelot Software voltando a trabalhar em um RPG! Anyway se fosse com essa imaginação aí eu ficaria bastante feliz.

    [@jvhazuki]

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    20
    • Micro picture
      jcelove · 11 months ago · 4 pontos

      Todos ignora o terceiro do DS. É ruim assim ou é pq a história se passa bem depois?

      1 reply
  • luis_carlosblj Luis Carlos Bernardes
    2020-02-20 14:36:27 -0300 Thumb picture
    Post by luis_carlosblj: <p>Golden Sun</p><div>Fonte: http://bit.ly/37PxNmE<

    Medium 688487 3309110367

    Golden Sun

    Fonte: http://bit.ly/37PxNmE
    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    31
    • Micro picture
      hilquias · about 1 year ago · 2 pontos

      bela jogada, no n64 acho q não teria o mesmo impacto

    • Micro picture
      santosmurilo · about 1 year ago · 2 pontos

      achei certo. O N64 tinha uma hardware todo zuado e aquelas imagens eram bem bostas...

    • Micro picture
      kalini · about 1 year ago · 2 pontos

      Muito bonito os sprites desse jogo.

  • 2018-09-30 23:33:11 -0300 Thumb picture

    Obrigado Hiroshi Kajiyama-san

    Não sei se ficaram sabendo mas o artista por trás dos personagens de RPGs como Shining Force (Mega Drive), Golden Sun (GBA) e Suikoden V (PS2) infelizmente veio a falecer em julho. Os seus traços sempre foram um dos atrativos que me levaram a jogar Golden Sun e é uma lástima saber que ele não voltará para dar vida aos heróis caso a franquia retorne -- e ela precisa!

    Kajiyama também era autor de mangá, contudo foram os seus trabalhos com alguns dos RPGs citados que realmente me levaram a lhe conhecer e apreciá-lo, em especial o clássico do GBA. Deixo aqui as artes principais de Golden Sun e de suas sequências, The Lost Age e Dark Dawn, como exemplos e lembretes do seu lindo portfólio:

    [Via: SiliconeraHey Poor Player]

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    25
    • Micro picture
      jcelove · over 2 years ago · 3 pontos

      Uma grande perda de fato. O traço dele era bem maneiro.

    • Micro picture
      rax · over 2 years ago · 3 pontos

      Puxa que triste viu :/.Depois dessa acho BEM mais difícil da franquia retornar,infelizmente.

    • Micro picture
      gus_sander · over 2 years ago · 2 pontos

      Mais uma perda pro mundo dos games... Que triste mano, o cara tinha tanto talento. Será que ainda assim a série pode voltar, mesmo sem ele? :p

  • 2018-09-13 10:02:37 -0300 Thumb picture

    Novo Golden Sun?! Quero acreditar!

    Medium 585011 3309110367

    Nintendo japonesa registrou o nome recentemente e mesmo que isso não queira dizer que estão desenvolvendo um novo título é um indício de que a série, nascida no GBA lá em 2001, pode retornar. Remakes da dupla original seriam muito bem-vindos ao Switch, ou mesmo um título inédito à plataforma.

    Lembrando que a sua desenvolvedora infelizmente está em hiato dos RPGs desde Golden Sun: Dark Dawn, ou seja há 8 anos já. Uma pena que esse time e sua paixão pelo gênero estejam na geladeira. 

    By the way eu amo essa arte do Isaac criada pelo Mivvu.

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    6
  • rafaelssn Rafael Nogueira
    2018-07-31 14:02:03 -0300 Thumb picture
    Post by rafaelssn: <p>Via&nbsp;<a href="https://www.pinterest.co.uk/"

    Medium 572535 3309110367

    Via Pinterest

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    26
  • rafaelssn Rafael Nogueira
    2018-06-17 18:05:31 -0300 Thumb picture

    Desafio dos 10 jogos!

    Marcado pelo @tiagodantas, mais um @desafio que dessa vez consiste em você mostrar algum jogo que te cativou sem dar nenhuma explicação durante 10 dias... Claro, sempre marcando alguém no final.

    O @marlonfonseca que criou o desafio.

    Dia 9

    E dessa vez marco o @vicente_gabriel

    Golden Sun

    Platform: Gameboy Advance
    1402 Players
    91 Check-ins

    40

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...