• 2019-01-25 11:16:17 -0200 Thumb picture
    7
    • Micro picture
      teamblue · 24 dias atrás · 1 ponto

      o único veículo que vou guiar nesse final de semana seriam os disponíveis no RESIDENT EVIL 2 kkkkkkkkkkkkk

      1 resposta
  • gabizerah Gabriela Parisi Ramos
    2018-10-02 11:17:46 -0300 Thumb picture
    gabizerah fez um check-in em:
    <p>Finalmente ele foi lançado!</p><p>Forza Horizon - Alvanista
    Forza Horizon 4

    Plataforma: Xbox One
    89 Jogadores
    55 Check-ins

    Finalmente ele foi lançado!

    Forza Horizon 4 é um jogo incrível, sem sombra de dúvidas. A jogabilidade mudou um pouco, especialmente na terra. Desta vez, os eventos são dividimos em estações do ano, e não por lugar como em seus predecessores. O game se passa em um lugar fictício na Grã-Bretanha. Há desafios diferentes, como ser dublê de um filme, e ao menos por enquanto os desafios têm sido liberado aos poucos.

    E aqui: parte do cenário no campeonato de outono.

    E um clique da temporada de inverno.

    É possível montar seu avatar, desde escolhendo entre as centenas de opções de nomes e apelidos até desbloquear roupas, acessórios etc. Conheçam então a Linguiça (sim, era um dos apelidos disponíveis ahahauahu).

    26
    • Micro picture
      muser · 5 meses atrás · 2 pontos

      To baixando, mal posso esperar pra começar :-)

    • Micro picture
      sergiotecnico · 5 meses atrás · 2 pontos

      To gostando demais!

    • Micro picture
      gus_sander · 5 meses atrás · 2 pontos

      Poder aproveitar toda essa beleza bem de pertinho hehe

      1 resposta
  • jonomaia João Gabriel Maia
    2018-06-12 17:23:33 -0300 Thumb picture

    O que os SIMULADORES de corrida podem nos ensinar?

    Medium 3638652 featured image

    você curte jogos de corrida? Não? Então é especialmente a você que este texto é dedicado!

     O que este artigo busca discutir são lições que os simuladores de corrida e automobilismo podem ensinar aos jogares de modo geral, na mentalidade e na estrutura de pensamento de como encaramos os jogos e também aos jogos em si, suas mecânicas, desafios e o que cobram de nós

    Introdução - minha experiência em um mundo a parte:

    Após anos sem basicamente nenhum contato significativo com jogos de corrida ou automobilismo, me vi assistindo centenas de episódios de Top Gear, lendo sobre carros, aprendendo sobre a formula 1 e as várias categorias que existem mundo a fora. A partir daí vi crescendo significativamente meu interesse pelo assunto até o ponto de buscar no videogame, minha favorita mídia de entretenimento, algo que contemplasse esse novo mundo no qual estava embarcando.

    Meu primeiro passo foi revisitar franquias clássicas da infância como Need for Speed e Burnout, brincando com a nostalgia. Mas “essa ainda não era minha viagem pelos jogos de corrida”. No momento seguinte, me deparei com o que hoje é minha nova fascinação, os simuladores e sim-cades (híbridos de simulação com elementos mais acessíveis da experiência arcade).

    A porta de entrada para as “drogas”: Forza Motorsport. Comecei a ter de lidar com um Handling de carros um pouco mais complexo, regras mais restritas e uma exigência maior de domínio tecnico por parte do jogo. O próximo passo foi desligar todas as assistências, configurar o controle da melhor forma possível e aumentar o desafio.

    Logo após, vieram F1 2016, F1 2017, Project CARS, Dirt Rally, Forza Horizon, Automobilista e ASSETTO CORSA. O que vamos discutir agora é o que pude aprender após toda essa aventura em um gênero que estava completamente distante de minhas preferências e hoje é meu vício.

    1 - Além do primeiro lugar:

    Você inicia sua corrida no Need for Speed, é colocado no final do grid. Como player, você se coloca apenas um objetivo: chegar em primeiro, nada mais.

    Dias depois, você inicia a missão em Metal Gear Solid V ou Deus Ex, joga durante 10 minutos e comete um erro que compromete sua localização. Você então imediatamente recarrega do checkpoint mais próximo quantas vezes for necessário até finalizar a missão sem nenhuma detecção.

    Todos nós já fizemos ou ainda fazemos isso em diversas ocasiões! Mas e se comessássemos a lidar com nossos erros e possibilidades de formas diferentes? Quando lidamos com simuladores de corrida, muitas vezes encaramos o desafio de marcar pontos ao iniciar uma corrida com poucas voltas do fim do grid. Em várias ocasiões e, dependendo da dificuldade dos oponentes, a primeira colocação se torna impossível se não apelarmos para a sorte de eventualidades com os demais corredores que nos possibilite algumas ultrapassagens que não ocorreriam em ritmo normal de corrida limpa.

    Jogos como Project Cars nos ensinam como, nestes momentos, é muito mais justo consigo mesmo e com os outros pilotos garantir algumas posições, alguns pontos a somar no decorrer do campeonato que arriscar minutos de corrida por conta do nosso mal costume de sempre querer ganhar, algo que é reforçado por muitos jogos.

    Acredito também ser muito mais gratificante alcançar um bom resultado pela própria competência e prática quando o desafio é bem planejado que depender de auxílios terceiros, como é o caso do Rubberbanding em Need for Speed ou dificuldades extremamente permissivas em outras franquias.

    Um sério problema de muitos jogos é o fato de projetarem metas para os desafios que seriam basicamente impossíveis a primeira mão. Então os desenvolvedores dançam por diversas soluções para tornar esta possível e assim corrigir um problema que estes mesmos criaram.

    [Rubberbanding: dificuldade dinâmica em que carros desaceleram e perdem o ritmo quando o jogador está atrás ou ganham extrema velocidade quando o player domina a corrida, para criar uma falsa experiência de constância no desafio]

    2 - Lidando com as desvantagens e diferenças:

    Você entra em um campeonato em Assetto Corsa de categoria “X”, em que diferentes carros disputam em diferentes pistas. Alguns destes carros possuem velocidade máxima superior, o que te beneficiará em pistas com retas maiores. Outros têm dirigibilidade superior no quesito curvas, o que te beneficiará em traçados mais complexos e com mais zonas de frenagem pesada. A questão é: aceitar o comprometimento que cada veículo carrega e se arriscar mais nas pistas que podem te proporcionar melhor resultado e contentar-se com marcar algumas posições nas que a desvantagem é mais aparente.

    Outro exemplo é disputar provas de rally em Dirt Rally com um carro de tração traseira contra os de tração dianteira. Suas dirigibilidades são extremamente diferentes e cada um oferece prós e contras. Neste caso em especial, os de tração dianteira oferencem muito mais fácil controle em grande parte dos percursos. Então seu objetivo se torna: lidar com a desvantagem inerente da situação e fazer o possível para, ao menos garantir alguns pontos.

    Em algumas situações nos mais diversos tipos de jogos, a desvantagem – seja em número, quando enfrentamos diversos inimigos sozinhos ou em qualidade quando nosso adversário tem equipamentos melhores – faz parte do desafio. Em casos é até mesmo esperado que percamos ou então vençamos o confronto no nosso limite.

    O videogame, como tudo, nem sempre está em balanço perfeito. E esse balanceamento pode vir a ser parte fundamental da narrativa e da proposta do jogo. Não é preciso um equilibrio perfeito para que tenhamos um desafio interessante.

    [OBS: obviamente, em outras ocasiões, o desbalanceamento de fatores pode inviabilizar por completo a competitividade ou a qualidade do jogo em si. O importante é saber dosar e encaixar essas disparidades em elementos chave]

    3 - A prática e a perfeição:

    Automobilismo está para além do evento principal. A grande corrida é o maior espetáculo mas não está avulso e sim, faz parte de algo muito mais amplo.

    Os jogos da série F1 são exemplos dessa mentalidade. O player tem acesso às 3 sessões de treinamento, onde é necessário conhecer a pista, desenhar o traçado ideal mentalmente, calcular os melhores pontos de frenagem para planejar futuras ultrapassagens e entender as limitações do carro que está a pilotar. Atacamos o mesmo percurso repetidas vezes para, aos poucos eliminar minúsculas frações do nosso tempo de volta.

    Quando chegamos às qualificatórias, o carro precisa já estar acertado em sua melhor configuração, a pista já projetada mentalmente e então começa a real competição: marcar um tempo melhor lhe garante melhor colocação no grid de largada e pode definir a corrida como um todo, para só depois enfrentarmos o desafio final.

    Essa mentalidade de permitir ao player melhorar com base na insistência e prática e não “melhorar” o player sempre através de compra de skills e árvores de habilidade independente do gênero do jogo é algo que limita até mesmo fatores de longevidade e competitividade de algumas produções. Não digo que estas features não tem lugar em muitos jogos e estilos, mas precisamos prestar atenção quando são implementadas para construir uma sensação de falsa ou simplista progressão e sempre “presentear o jogador com uma bala” pelas horas dedicadas ao jogo.

    4 - Tensão do início ao fim: não é somente ultrapassar.

    participar de uma corrida que dure minutos e que a todo momento você é obrigado a se manter em sua melhor forma para não só manter na pista mas também garantir pontos não é uma tarefa fácil, ainda mais quando não temos tanto domínio do carro e suas dinâmicas.

    Checkpoints e mecânicas de retroceder em casos acabam sendo necessários por próprias falhas do jogo ou problemas com inteligência artificial e outros fatores. Mas nada se compara com o desafio de se submeter a recomeçar toda a corrida caso a falha seja sua responsabilidade. Pois isso nos faz ter mais cuidado com o que fazemos durante o gameplay e o planejamento, nos faz tomar decisões de forma mais consciente e aceitar melhor limites.

    Outro fator que colabora com tal tensão é o fato de que a preocupação não é somente ultrapassar, mas também manter um ritmo constante que evite a ultrapassagem pelos adversários – de maneira limpa!

    Poucos conhecem a tensão de percorrer uma pista como o circuito total combinado de Nürburgring-Nordschleife, um traçado que, em sua totalidade, soma mais de 25 KM de distância e saber que há sempre o perigo de acelerar demais em um setor, perder o controle do carro e anular todo o seu tempo de volta pela penalidade de deixar a pista.

    Alguns jogos conseguem trazer este tipo de experiência, como é o caso de Far Cry 2. quando utilizado somente os savepoints pré-localizados, estamos sempre lutando contra a possibilidade de perder muitos minutos de progresso, especialmente num jogo como Far Cry 2 que geralmente não se importa em ‘tratar bem” o jogador, com toda a sua imprevisibilidade, doenças, emperramento das armas e outras mecanicas.

    Algumas vezes surgem eventualidades e contratempos em que um savestate pode ser a diferença entre ter de perder todo o progresso por culpa de terceiros e continuar depois, ou até mesmo ajudar em partes onde a curva de dificuldade é demasiadamente desproporcional. Mas sempre acredito que quanto melhor desenvolvidos os desafios e os sistemas de checkpoint, mais é válida a coragem de lidar com estes do começo ao fim e também enfrentar as consequências de nossos próprios erros.

    E você, o que acha disso tudo? ja aprendeu "lições" ao se aventurar em novos gêneros e aventuras? é fã de jogos de corrida ou nem passa perto destes? O que você acredita que jogos diferentes podem ensinar aos demais? Deixe sua crítica abaixo e se gostou, agradeço pelo seu tempo!

    20
    • Micro picture
      artigos · 8 meses atrás · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      lgd · 8 meses atrás · 2 pontos

      Mudei minha mentalidade ao jogar Rally Championship (PC), primeiro jogo de rali que joguei na vida, aprendi a valorizar meus resultados.

      2 respostas
  • herbertviana Herbert Viana
    2018-04-21 21:42:58 -0300 Thumb picture

    Avicii

    Pequena homenagem ao DJ Avicii com o trecho de um dos meus jogos favoritos.

    Forza Horizon

    Plataforma: XBOX 360
    2386 Jogadores
    361 Check-ins

    10
  • 2018-01-15 15:17:24 -0200 Thumb picture
  • 2017-12-21 12:27:23 -0200 Thumb picture

    Quinta Power

    Hoje é dia de muita corrida com carros e cenários belíssimos na #QuintaPower e tudo com uma trilha sonora incrível!

    Iremos acelerar nas pistas de Forza Horizon 3 e nos aventurar pelo melhor jogo de corrida dessa geração! 💚

    Hoje às 21 horas no Mixer 🎮 https://mixer.com/xboxpowerbrasil

    Forza Horizon 3

    Plataforma: Xbox One
    264 Jogadores
    183 Check-ins

    10
    • Micro picture
      sergiotecnico · 1 ano atrás · 1 ponto

      Eu parei de jogar ele, até sair a atualização pra 4k que deve vir mês que vem...

  • muser Rafael Nogueira
    2017-08-08 20:20:33 -0300 Thumb picture

    Novas Aquisições <3 <3

    Finalmente vou poder jogar Forza Horizon 2 desde que eu joguei o 1 no 360 ainda, 18 anos atrás.

    Far Cry 4 é o meu primeiro da franquia, não sei se foi uma boa comprar esse antes do 3, mas é o que vamos ver mais pra frente.

    Jogatina garantida pelo menos até o final do ano ^^

    @ostentadores

    Forza Horizon 2

    Plataforma: Xbox One
    655 Jogadores
    351 Check-ins

    30
    • Micro picture
      santosmurilo · mais de 1 ano atrás · 3 pontos

      Aí sim! 👏👏

    • Micro picture
      douggycandido · mais de 1 ano atrás · 3 pontos

      Confesso que vou comprar o Xbox One muito em breve só por causa do Killer Instinct e dos jogos da franquia Forza

      1 resposta
    • Micro picture
      diegolvf · mais de 1 ano atrás · 2 pontos

      Boa Jogatina!

  • vidaxbox Weslley Hordman
    2017-07-05 14:35:24 -0300 Thumb picture

    Forza Horizon | Análise de um clássico

    Medium 3511768 featured image

    Forza Horizon foi o primeiro jogo da franquia Forza a se esgueirar pelos terrenos do arcade e um mundo aberto. Após 4 títulos de jogos voltados à simulação para competir com games como Gran Turismo, a Playground Games ousou em levar a franquia para novos horizontes, e acertou em cheio. Forza Horizon é um dos melhores e mais divertidos games de corrida da geração passado. Lançado em 2012 é até hoje é um deslumbre visual, com ambientes lindos do deserto no Colarado, EUA. E conta um uma jogabilidade que recompensa o jogador por ser mais cuidadoso nas corridas.

    O melhor festival de automóveis que existe

    Forza Horizon trás o jogador ao festival Horizon, um festival de música e corridas que acontece em Colorado nos Estados Unidos. A história não é a melhor já contada em um jogo de corrida, aliás é bem simples, chegue como um zé ninguém e vença até se tornar o melhor corredor de todos, mas isso não importa nesse jogo, a história é a emoção do momento, e isso Forza Horizon sabe fazer muito bem. É possível correr contra aviões, helicópteros e adversários npcs que estão circulando pelas estradas. E o que deixa a história do jogo interessante são os objetivos que o jogador tem que fazer, ganhar popularidade entre o publica que frequenta o festival, encontrar carros em celeiros abandonados, enfrentar os corredores que estão em nível mais alto de popularidade e vários outros objetivos que deixam o jogador entretido e jogando cada vez mais.

    Arcade realista

    Apesar desse ser basicamente um arcade de corrida, não pense que você pode correr desgovernado batendo nos adversários e fazendo curvas a 200 km por hora apenas para chegar em primeiro. É importante saber escolher o carro certo para os diferentes tipos de terrenos, e acima de tudo, é preciso ter paciência na hora das curvas porque qualquer curva mais rápida do que o necessário é motivo para fazer o carro girar e se desgovernar. Nem sempre mais é melhor, e frear ou diminuir a velocidade durante uma curva é a melhor maneira para conseguir ultrapassar seu adversário. Cada carro também é otimizado para ter uma dirigibilidade mais voltado ao que é sentido no mundo real, e isso influencia na maneira como o carro deve ser guiado.

    Visual de encher os olhos

    Pode ter certeza que se você jogar esse game você vai ficar bastante tempo admirando os carros, a paisagem, o horizonte, as montanhas e florestas, e esquecer um pouco a corrida. A Playground Games fez um excelente trabalho detalhando cada lugar do mapa e tornando o mundo muito rico em diversidade de beleza. Como o mapa é liberado desde o início é fácil se perder e ficar correndo apenas para ficar olhando as árvores, montanhas, as cidades e tudo mais que tem nesse jogo. A iluminação também é muito bem feito e cada raio de sol passa entre o ambiente e pelo carro, aliás é lindo ver o por do sol nesse jogo.

    Em português fica ainda melhor

    Desde os jogos anteriores Forza é um destaque quando fala em som, principalmente dos veículos. Cara carro tem um ronco de motor distinto e específico, e quando o terreno muda o barulho do carro também muda, fazendo a imersão ser maior. Mas o destaque mesmo desse jogo é para a dublagem em português. O estúdio responsável por trazer o jogo com vozes em português fez um ótimo trabalho fazendo com que cada frase seja muita bem dublada e passando a emoção na voz dos personagens. Isso não só deixa o jogo mais imersivo para nós brasileiros como também demonstra respeito pelo publico tupiniquim.

    As músicas tocadas durante a jogatina também são muito boas, a trilha sonora conta com vários tipos de músicas. Existem estações de rádio que tocam pop, rock e música eletrônica e tem radialistas também, que interrompem as músicas e dão alguma informação relevante enquanto o jogador está passeando pelo mapa, tudo muito natural.

    Duração

    Se quiser jogar para enfrentar o corredor final e zerar, umas 10 horas deve dá, mas se quiser fazer 100% prepare-se para gastar umas duas dezenas de horas para explorar todo o mapa e cumprir todos os desafios que o jogo propõe.

    O melhor entre todos

    O conjunto de todos os fatores, história, jogabilidade, som, gráficos e diversão, faz de Forza Horizon o melhor jogo de corrida da geração passada (para esse redator). Isso porque o jogo cumpre muito bem com quase todos eles, e no fim o primeiro arcade da saga Forza é também um dos mais divertidos.

    NOTA FINAL: 9.2


    No site: http://www.vidaxbox.com.br/2017/07/forza-horizon-analise-de-um-classico.html

    Forza Horizon

    Plataforma: XBOX 360
    2386 Jogadores
    361 Check-ins

    2
  • 2017-05-02 12:04:39 -0300 Thumb picture
  • 2017-04-13 11:16:38 -0300 Thumb picture

    Porsche está chegando com tudo em Forza Horizon 3

    Microsoft fecha parceria de 6 anos para trazer os carros da marca para os jogos do Xbox One. 

    E já tem pacote de carros disponível ;)

    Forza Horizon 3

    Plataforma: Xbox One
    264 Jogadores
    183 Check-ins

    10
    • Micro picture
      leehetfield · quase 2 anos atrás · 1 ponto

      Achava q iriam colocar a Volks junto com o pack da Porsche... af :(

Carregar mais postagens

Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...