• o_mestre_dos_bits O Mestre dos Bits
    2018-10-11 18:02:02 -0300 Thumb picture

    E se os consoles fossem monstros?

    Medium 3678278 featured image

     O artista Tino Valentin teve a brilhante idéia de retratar os consoles mais famosos do mercado como se eles fossem diferentes espécies de monstros (não deixam de ser monstros, mas do entretenimento, que sugam nosso dinheiro e tempo). O resultado dessas obras de arte você confere abaixo:

     Acompanhe mais do trabalho de Tino no Instagram dele:  (https://instagram.com/tino_copic?utm_source=ig_pro...

    57
    • Micro picture
      juray · 5 dias atrás · 3 pontos

      A pessoa que desenhou deve ter fumado uma parada muito louca pra ter essa criatividade... uahauhaha!

    • Micro picture
      rcukierti · 5 dias atrás · 3 pontos

      Melhor esconder isso antes que algum programa de governo use pra demonizar o s jogos mais uma vez

    • Micro picture
      filipessoa · 5 dias atrás · 2 pontos

      Se alguém fizer um jogo que coloque esses desenhos como inimigos seria uma redundância universal?

  • geekgalatico Wellington
    2018-10-08 13:04:27 -0300 Thumb picture

    Coleção de Games

    Medium 3677524 featured image

    Olá Pessoal!!!

    Venho hoje compartilhar um sonho de criança que hoje em dia pode-se realizar.

    Todos nós amantes de vídeo games, principalmente os mais velhos que tiveram consoles como (mega-drive, master-system, Nintendo, Dynavision, ou até como eu que tive um Atari 2600) uma hora pensamos como seria bom ter os consoles que jogamos quando criança.

    No meu caso vai um pouco além, sou fascinado pelo mundo dos games dês de sempre, lembro de jogar Doom e Wolfeistein em um pentium 286 que eu tinha, 

    A um tempo eu venho pensando em começar uma coleção de consoles, pois eu já tinha meu xbox one s, meu xbox 360 arcade elite, e um nintendo 64 que ganhei de um amigo, então no mês de julho minha namorada comprou na olx um mega drive 3 na caixa para me dar de aniversário, e isso alavancou minha vontade de colecionar, games no geral. Depois disso comprei um sega CD e um nintedo wii.

    Qual a razão do Post então.

    Gostaria que vocês me ajudassem em uma enquete sobre meu próximo console pois infelizmente no brasil consoles antigos são caríssimos e estou em dúvida entre:

    Dreamcast

    Sega Saturn

    Game Cube

    Agradeço a todos dês de já! e se alguém já coleciona deixa ai nos comentários ou manda uma mensagem vamos trocar umas idéias.  

    38
    • Micro picture
      le · 8 dias atrás · 3 pontos

      Olha, o Dreamcast é o mais complicado de emular. Então, eu iria com ele.

      Por outro lado, também é o que teve mais jogos portados pra outros sistemas. Então, acaba não tendo tanta coisa exclusiva assim atualmente.

      9 respostas
    • Micro picture
      mastershadow · 8 dias atrás · 3 pontos

      Eu coleciono também, tenho Saturn e Dreamcast,mas no seu caso compraria o Saturn primeiro, o Cube vc joga no WII mesmo,por retrocompatibilidade e ainda rodando ISOS do HD.

      Saturn tem mais exclusivos,o Dreamcast tem ports melhores de Jogos de PS1 e poucos exclusivos, mas sei la,ambos valem a pena, eu comprei meu Dreamcast em 2013 e o Saturn em 2014,e tem muita coisa pra jogar no Saturn ainda,mas no Dream eu praticamente ja joguei tudo que queria, agora uso mais pra jogar Marvel Vs Capcom 2 com meu irmão,pois essa é a melhor versão.

    • Micro picture
      geekgalatico · 7 dias atrás · 3 pontos

      GALERA AGRADEÇO A TODOS , ATÉ O MOMENTO, E JA ME DECIDI, VOU COMPRAR PRIMEIRO O GAME CUBE. POIS A BIBLIOTECA DE GAMES DELE ME CATIVOU BASTANTE, E MEU PRIMEIRO GAME NELE VAI SER O "BIOHAZARD" LOGO POSTO FOTOS DO CONSOLE AQUI

      3 respostas
  • 2018-09-29 17:22:20 -0300 Blank user

    Lista Atualizada:

    Lista de vendas com anúncios no ML Atualizados. Minha cota de anúncios gratuitos por ano acabou, logo estes preços são finais a não ser que o comprador queira fechar por depósito.

    Confiram sempre região e descrição dos jogos antes de comprar...

    Valores sem considerar frete (que é por conta do comprador).

    Phillips Odyssey:

    3-in-1 - R$42,00


    NES:

    Roundball 2-on-2 Challenge - R$40,00

    Ninja Gaiden - R$90,00

    Teenage Mutant Ninja Turtles II The Arcade Game - R$110,00

    Star Trek 25th Anniversary - R$75,00

    Robocop - R$54,00

    Double Dragon - R$85,00

    Gauntlet - R$25,00

    The Simpsons: Bart Vs. The World - R$55,00

    Life Force - R$75,00

    MD:

    Ms. Pac-Man - R$55,00

    32X:

    DOOM - R$120,00

    Mortal Kombat II - R$100,00

    SNES:

    Fire Emblem: Monshou No Nazo - R$32,00

    Dragon Quest VI - R$21,00

    Romancing SaGa - R$24,00

    Albert Odyssey - R$28,00

    Dragon Quest V - R$28,00

    Romancing SaGa 2 - R$28,00

    Last Bible III - R$45,00

    N64:

    Mario Story - R$52,00

    PS1:

    Tekken - R$38,00

    Tekken 2 - R$44,00


    PS2:

    Final Fantasy X-2 - R$45,00

    Disgaea Hour Of Darkness - R$70,00

    Mega Man X Collection - R$80,00

    Grand Turismo 4 Prologue - R$90,00

    The Billiard - R$35,00

    Naruto Uzumaki Chronicles - R$40,00

    Evergrace - R$70,00

    PS3:

    Batman Arkham Asylum Goty - R$27,00

    Resistance 3 - R$20,00

    Darksector - R$25,00

    Wii U:

    Disney Infinity 2.0 (Só Disco) - R$20,00

    Batman Arkham City Armored Edition - R$30,00

    Batman Arkham Origin - R$25,00

    GBA:

    Donkey Kong Country - R$90,00

    PSP:

    Monster Hunter Freedom 2 - R$30,00

    Twisted Metal Head-on - R$25,00

    Need For Speed Most Wanted 5-1-0 - R$30,00

    Gta Vice City Stories - R$37,00

    Gta Liberty City Stories - R$37,00

    Spider-man 3 - R$35,00

    Daxter - R$20,00

    Half-Minute Hero - R$100,00

    3DS:

    Adventure Time Explore The Dungeon Because I Dont Know - R$30,00

    PC:

    Criatura Crunch: O Monstro - Coleção Super Games Folha - R$9,00

    Consoles:

    PC-Engine + 1 Controle + 3 Jogos - R$680,00

    Acessórios:

    Portal Do Poder Wireless Skylanders Spyros Adventure (Ps3) - R$20,00

    Portal Do Poder Bluetooth E Usb Skylanders Battle (iOS/Wii U) - R$20,00

    Mangás:

    Coleção Senhor Dos Espinhos (ibara No Oh) 1 Ao 6 - R$35,00

    Livros:

    The Untamed Scoundrel (Epic Tales From Adventure Time) - R$13,00

    A Brief History Of The Samurai - R$10,00

    A Brief History Of The Celts - R$10,00

    1
  • gus_sander Gabriel Macêdo
    2018-08-16 17:50:33 -0300 Thumb picture
    <p>Mesmo sabendo que as ROMs nunca vão desaparecer - Alvanista

    Mesmo sabendo que as ROMs nunca vão desaparecer de verdade, mesmo com a Nintendo continuando "a proteger agressivamente sua propriedade intelectual", resolvi começar a fazer minhas romsets de forma a manter tudo guardado aqui. 

    Infelizmente, estou extremamente limitado no quesito hardware, já que o PC está pseudo morto e nem seu HD nem o Note que tenho em casa é confiável para armazenar arquivos assim, já que podem morrer a qualquer momento. 

    Ainda assim, bastante limitado a Pen Drives e nuvem, ainda consegui fazer backup de diversas ROMs de consoles. Os únicos que faltam é justamente por falta de espaço para armazená-los, que são os jogos de 

    - Gamecube;

    - Wii e Wii U;

    - Nintendo DS e 3DS.

    Bem grandinhos por sinal.

    Minha vontade de fazer esses packs dos jogos dos consoles (de novo, já que tinha um antes, bem menor, mas perdi) é justamente porque vai ficar complicado achar certos títulos daqui pra frente livres na net. Os sites que ainda disponibilizarem ROMs certamente não vão ter muitas das que ainda vemos hoje.

    Espero que até conseguir um HD externo ou um PC melhor, certos títulos desses consoles não já tenham se perdido no Limbo.

    54
    • Micro picture
      manoelnsn · 2 meses atrás · 4 pontos

      Bom saber, quando precisar de alguma rom em particular, te procuro, ahuahuahua

      14 respostas
    • Micro picture
      raxgmr2 · 2 meses atrás · 2 pontos

      opa se eu quiser uma rom de Gamecube já sei quem procurar haha.Boa sorte ai õ/

      2 respostas
    • Micro picture
      fabiorsodre · 2 meses atrás · 2 pontos

      O que eu tenho é uma boa biblioteca de nes, mega Drive e game boy advanced. Tenho de outras plataformas, mas não são grandes.

      3 respostas
  • 2018-06-07 10:36:24 -0300 Thumb picture

    Expansão “Summerset”, de ESOnline, já está disponível para consoles

    Sua nova aventura em Elder Scrolls começa agora, na incrível ilha de Summerset – o lar ancestral dos Altos Elfos – vista pela primeira vez em um jogo desde The Elder Scrolls: Arena, de 1994.

    http://joystickterrivel.com.br/expansao-summerset-...

    -----------------------------------------------------------------------------------------

    Acompanhe nossas rede sociais:

    Facebook - Youtube - Twitter - Instagram - SITE

    The Elder Scrolls Online

    Plataforma: Xbox One
    106 Jogadores
    33 Check-ins

    3
  • bbl Bruno Lima
    2018-04-13 22:46:48 -0300 Thumb picture

    Soluções criativas na sorte para problemas sem relação...

    Então, o pessoal que me conhece a um tempo deve saber que eu coleciono revistas antigas de games e PC, principalmente de PC com jogos do final dos 80 ao final dos 90.

    O que algumas pessoas não sabem, é que organizar e manter revistas não é algo tão simples... deixa-las em pé nas prateleiras pode ser um sufoco, torcendo-as, assim como atrapalhar o manusear delas (se tiverem muitas revistas, é muito peso, e retirar / recolocar revistas pode se tornar difícil, e até arriscado com o famoso "perder capa".

    Conversei por um tempo com algumas pessoas sobre armazenamento deste tipo (inclusive pessoas que trabalharam com bibliotecas) e a maioria disse para usar caixas de papelão normais, ou aquelas pastas plásticas. o problema era, caixa de papelão não é algo minimamente durável em uma casa com muita poeira e umidade, e pastas plasticas acomodam poucas edições, são muito maleáveis e assim acabam saindo caras...

    Quando ao acaso estou passando em uma loja daquelas que vende de tudo da minha cidade e pá:

    Arquivo fácil, uma pasta para arquivo morto, daquele material que é tipo um papelão de plastico, tem é bem maior que uma pasta de plastico normal, mais firme, e custa 50 centavos mais caro que uma pasta normal na minha cidade...

    Resultado:

    OK, agora vocês estão pensando no titulo dessa publicação e falando "Ok, mas isso faz sentido no contexto"... Bom, então voltemos a uma das minhas ultimas publicações por aqui, onde eu falava da minha nova organização dos meus consoles:

    Basicamente, eu deixava todos os meus consoles nas prateleiras em volta da TV: Resultado, nem tudo ficava ligado, mas todos os cabos ficavam espalhados, e todos ficavam tomando poeira.

    A nova arrumação traz, o que eu posso deixar sempre ligado na captura e switches (HDMI e componente), nas prateleiras, consoles antigos guardados e quando for utiliza-los passo pelo DVR.

    Mas com isso crio um problema de onde guardar os consoles antigos organizados e...

    Adivinhem...

    A maioria dos meus consoles antigos cabem com cabos (e as vezes controles, dependendo do console e quantos controles) dentro destes mesmos arquivos, que podem ser organizados facilmente nas minhas estantes...

    Acredito que até o momento os únicos que não couberam foram o Game Cube e o Master System modelo 1...

    Para quem tiver interesse, é o Arquivo Fácil da NovaOnda Polibras, o tamanho desta que eu estou usando é: 

    Medida Interna: 355x133x252mm consideradas de Vinco a Vinco
    Medida Externa: 360x135x252mm

    Existem outras marcas, materiais e tamanhos. Aqui na cidade cada uma custa R$4,00. No ML achei entre R$3 e R$6 cada.

    17
  • manhundead Jonas Souza
    2018-04-13 19:08:44 -0300 Thumb picture

    Dez Consoles com as menores bibliotecas de jogos

    Medium 3619367 featured image

    Depois da boa recepção da minha ultima listinha resolvi fazer mais essa prestando meus serviços de inutilidade publica ao Alvanista hahahahaha, desta vez citando alguns consoles que atingiram o mercado mas por vários motivos tiveram vida curta e uma biblioteca de títulos ainda menor que sua vida útil, eles se encaixariam em varias listas dos mais variados tópicos geralmente ligados ao fracasso ou certas peculiaridades mas desta vez vamos nos ater ao titulo, lembrando que ficaram muitos de fora e essa e apenas uma pequena compilação daqueles que conhecemos, como de costume fiquem livres para apontar erros, contradições ou simplesmente adicionar algum comentário.

    Gerações de consoles acumularam uma enorme biblioteca de títulos, desde a gigantesca coletânea do PlayStation 2 (2500+ em todas as regiões) até a oferta razoável do Wii U (750+). Se você possui um sistema fabricado pela Sony, Microsoft ou Nintendo, você tem um mar de possibilidades ao alcance dos seus dedos muito antes de começar a explorar DLCs, retrocompatibilidade ou a imensidão de títulos indie a disposição. Mas nem sempre foi assim, antes que as três grandes casas reinassem absolutas no mercado, as empresas emergentes entravam na briga com consoles tão desinteressantes ou completamente falhos que a biblioteca existente até o momento da sua derrocada não encheria a prateleira de comida diet daquela birosquinha na esquina da sua casa. Outras vezes  grandes nomes fazem apostas equivocadas , resultando em promessas não cumpridas e uma seleção de jogos extremamente limitada. Por exemplo…


    1- 64DD - 4 jogos


    Rei absoluto dessa lista, o 64DD foi a tentativa fracassada da Nintendo de atualizar o Nintendo 64 com uma unidade de disco que cabia no console e permitia jogos maiores, uma operação mais eficiente do sistema e conectividade com a Internet usando um serviço de assinatura chamado Randnet...Como quase todos os complementos de console já feitos ele falhou por uma variedade de motivos alternadamente bestas e amadores   da casa , a Nintendo continuou a atrasar as datas de lançamento, frustrando seus fãs a níveis estratosféricos, antes de lançar o 64DD exclusivamente para um publico Japonês decepcionado em dezembro de 1999. Se você descontar os discos de expansão ( um DLC menos a parte de download ) e o disco necessário para usar o Randnet, foram lançados apenas quatro jogos para o 64DD: Mario Artist, Doshin the Giant, SimCity 64 e Japan Pro Golf Tour 64, para piorar a situação os jogos nem estavam inicialmente disponíveis para compra no varejo, em vez disso, você tinha que esperar que os jogos fossem entregues em sua casa, no estilo antigo da Netflix, como parte de seu caro custo de assinatura...Será por que fracassou né?

    2- Action Max - 5 jogos




    Existe algo mais anos 80 que um simulador de assassinato baseado em VHS? O Action Max, criado pela Worlds of Wonder - a mesma empresa responsável por Teddy Ruxpin e Lazer Tag, é talvez o mais peculiar dos pretendentes ao trono do pós-NES. Lançado em 1987, o console contava com uma pistola estilo guncom e utilizava VHS cassetes  como cartucho de jogos para funcionar (Não me pergunte pra que serve a aparente sirene ali, talvez um simulador de giro flex?) supostamente um avanço na interatividade da época. Na teoria você atuaria realisticamente fazendo movimentos precisos  em tiroteios emocionantes, na pratica você se cansava apertando botoes ininterruptamente com respostas porcas e imprecisas aos comandos e apesar de todos os problemas a engine sempre se comportava do mesmo jeito garantindo que você fosse bem no jogo de qualquer forma, apenas cinco jogos foram lançados antes de enterrarem essa bomba: Blue Thunder (baseado no filme de mesmo nome e lançado em 1983);Hydrosub: 2021 (simulador de submarino futurista);The Rescue of Pops Ghostly (casa mal assombrada);Sonic Fury (Simulador de aviões de caça - era incluído na caixa do Action Max) Ambush Alley (simulador policial live action seja lá o que isso quer dizer...)

    3- Mattel Hyperscan  – 5 jogos



    Lançado em 2006, o HyperScan foi a entrada no mercado de baixo custo da Mattel na sétima geração de consoles, que apresentou o Wii da Nintendo, o PlayStation 3 da Sony e o Xbox 360 da Microsoft - todos revolucionários. O HyperScan, não... Foi recebido com um "meh" retumbante e  seus cinco jogos abaixo do esperado eram todos voltados para o publico pré-adolescente(Grande surpresa...) O console com um preço amigo dos pais (US $ 69,99 no lançamento) podia jogar Ben 10, Interstellar Wrestling League, Heróis da Marvel, Homem-Aranha e X-Men, o último dos quais vinha com o console. A coisa toda foi um fracasso comercial crítico, ele ate tinha algumas coisas interessantes, o HyperScan incorporava cartões colecionáveis e escaneáveis que influenciavam diretamente a jogabilidade, antecipando jogos híbridos como Skylanders, Disney Infinity e Lego Dimensions mas não foi o bastante pra salvar esse fiasco.



    4- PC Engine Turbografx – 6 jogos


    O TurboGrafx-16 original, lançado pela NEC nos EUA em 89, após dois anos de sucesso de vendas no Japão nunca chegou a entrar realmente no mercado norte-americano de maneira significativa. Era conhecido como PC Engine no Japão, mas a NEC transformou o nome e o visual do modesto console para trazer aos garotos americanos loucos por jogos o elegante e exótico TurboGrafx-16 Entertainment SuperSystem. Ou pelo menos esse era o plano, tecnicamente foi um sistema interessante porem pouco visto nas mídias especializadas da época passando quase que batido com uma campanha publicitária pífia, era ainda mais raro encontrar um console dando sopa para comprar. O Super Nintendo e o Sega Genesis, no meio de uma lendária guerra de consoles acabaram destruindo suas ambições por completo. O PC Engine Supergrafx sem surpresa acabou se tornando um exclusivo japonês. Apenas seis jogos foram feitos para o console, incluindo: Arcade Ghouls 'n Ghosts, clássico brutalmente difícil da Capcom, 1941: Counter Attack, Aldynes, Battle Ace, e Madō King Granzort, para o crédito da NEC, alguns desses jogos era compatíveis com o antigo sistema, e o sistema em si era compatível com os jogos do PC Engine original, então não foi um desperdício total para os poucos que gastaram uma graninha com ele.

    5- Gizmondo (Sim, esse e o nome...) - 8 jogos




    Único handheld da lista e de longe o que tem a historia mais interessante na minha opinião, provavelmente você nunca ouviu falar dele que foi lançado em  2005, compreensível já que apenas oito jogos foram lançados no mercado americano. Atrasado várias vezes antes de finalmente ser oferecido por absurdos US $ 400, o Gizmondo, nunca decolou, com a empresa por trás do portátil,  Tiger Telematics, perdendo US $ 400 milhões em menos de quatro anos. Não ajudou em nada a aparência genérica que lembra as toneladas de handhelds portáteis descartáveis a lá brick game da vida. Antes de seu lançamento a mídia especializada até pagou pau para o aparelho pelas especificações que apresentava  e chegou a apontá-lo como concorrente da Sony e da Nintendo, acabou sendo um grande fracasso , a empresa gastou milhões em promoções como uma festa de celebridades no Park Lane Hotel, em Londres, e participando das 24 Horas de Le Mans como patrocinador apesar de nunca ter tido lucro com o produto, com menos de 25.000 unidades vendidas, o Gizmondo foi nomeado pela GamePro como o console portátil com pior venda da historia, a cereja do bolo pra enterrar de vez o pobre coitado fica por conta da   imprensa sueca que revelou o passado criminoso de vários executivos da empresa causando suas demissões, incluindo o CEO, Carl Freer, o diretor do Gizmondo Europe Stefan Eriksson também estava envolvido em uma organização criminosa sueca, a "Uppsalamaffian" (a máfia de Uppsala). Em fevereiro de 2006, a empresa foi forçada à falência depois de acumular US $ 300 milhões em dívidas, e o Gizmondo parou a produção Semanas depois. Entre os jogos disponíveis estavam Trailblazer, Motocross 2005, Hockey Rage 2005, SSX 3 , Colors, FIFA Football 2005, Agaju e Sticky Balls,  Sabe-se que mais 30 títulos estavam em desenvolvimento para o sistema, mas todos foram cancelados antes do lançamento devido à falência da Tiger Telematics. Certos jogos eram capazes de usar "realidade aumentada", mais notavelmente o inédito jogo Colors( um clone de GTA)o objetivo era ser o primeiro videogame GPS, com a capacidade de rastrear os movimentos de um usuário em tempo real. Além disso, vários jogos possuiriam  recursos multiplayer bluetooth. 



    6- Atari Jaguar CD -11 jogos


    Como o Sega CD antes dele, o Atari Jaguar CD tinha uma biblioteca abarrotada de jogos ultrapassados no estilo Quik time event, (Dragon Lair, Space Ace) e ports de PC obrigatórios (Myst). Mas o console  de CD da Atari só inspirou 11 jogos em sua curta vida útil, a minúscula biblioteca do sistema incluía o curioso Highlander: The Last of the MacLeods,  baseado no universo de Highlander e um dos únicos quatro exclusivos da Jaguar CD já feitos. Em toda a sua glória quase totalmente livre de efeitos sonoros (e a animação sub-Thundercats, que na verdade eram baseadas na esquecida Highlander Animated Series) Alem de Battlemorph, Baldies, Brain Dead 13, Dragon's Lair, Space Ace, Hover Strike: Unconquered Lands, Myst, Primal Rage, e Two pack-ins.



    7- Capcom Power System  Changer – 11 jogos




    Supostamente o assassino do Neo Geo, uma forma dos fãs japoneses dos excelentes títulos de arcade da editora aproveitarem seus jogos favoritos em casa sem comprometer a qualidade. Mas acabou sendo a única tentativa da Capcom de fazer um console doméstico. Uma série de decisões idiotas condenou o console. Para citar apenas um: a Capcom decidiu usar as entradas de controle do Super Famicom / Nintendo em vez de criar sua própria tecnologia, o que significa que você poderia usar qualquer gamepad ou joystick compatível com o console da Nintendo para o seu CPS Changer. Por quê? Fabricantes japoneses faziam isso regularmente , a Nintendo vendia o Super Famicom no japão sem uma fonte de alimentação por exemplo porque supunha-se que os jogadores ainda tivessem sua antiga Famicom em casa. Se vender o CPS Changer livre de controles não atenuava o entusiasmo, o modelo de distribuição limitado, o catálogo de jogos limitado e muito mais caros certamente sim. Você só podia comprar o console diretamente da Capcom, e seus 11 jogos custavam mais $ 150 cada um. Mas ao contrario dos demais citados até gora pelo menos os jogos eram realmente bons, Final Fight, Knights of the Round, Muscle Bomber 2, Saturday Night Slam Masters, Captain Commando, King of Dragons, Capcom Quiz World 2, Street Fighter 2, Street Fighter 2 Turbo, Street Fighter Zero e Tenshi Wo Kurau 2 todos com a qualidade arcade conhecida, um detalhe interessante, diferentes dos cartuchos usados nas maquinas,os deste aparelho eram  refeitos, a parte interna convertia conectores para adaptarem-se ao console, e não serviam em gabinetes comuns, isso evitava que fossem reutilizados comercialmente, afinal seu custo era inferior ao de uma máquina completa e não deveria haver concorrência interna, com gente colocando os Changer no boteco e usando como arcade.

    8- Casio Loopy - 11 jogos


    O Casio Loopy, um console lançado apenas no Japão em 1995 destinada ao publico feminino, apresentava 11 jogos com nomes como Bow-wow Puppy Love Story e Dream Change: Kokin-chan's Fashion Party, vinha com uma impressora colorida térmica usada para criar adesivos a partir de capturas de tela. O que era bem interessante até para os moldes de hoje, Estranhamente, para um console com múltiplos simuladores de vestuário e namoro, o Casio Loopy  era um vídeo game estritamente de um jogador, sem nenhum tipo de opção multiplayer, fora o fato de que na minha opinião mesmo naquela época as meninas queriam jogar Fight games, corrida ou qualquer outro gênero mais popular da mesma maneira que os caras jogavam, possibilidade de escolhas sempre foi essencial e nesse quesito apesar de ter ferramentas interessantes o Casio Loopy falhava miseravelmente em criar um ambiente “100% Girls only style” que acabou sendo um tiro no pé pela falta de variedade. Seus títulos foram apenas: Anime Land, Bow-wow Puppy Love Story, Dream Change: Kokin-chan's Fashion Party, HARIHARI Seal Paradise, I Want a Room in Loopy Town!, Little Romance, Lupiton's Wonder Palette, Chakra-kun's Charm Paradise, Caricature Artist, PC Collection e Magical Shop.



    9- Super A´Can – 12 jogos



    O Super A'Can( nome escroto da @#$%!) era um console de 16 bits Taiwanês lançado em 1995 pela Funtech, o que não foi exatamente um ótimo momento para lançar um console de 16 bits, para dizer o mínimo... A era 3D já estava entre nós, com o PlayStation, Nintendo 64 e o Sega Saturn se tornando os próximos donos da bola. Porém os gráficos 3D não são tudo. Então, o que o Super A'Can tinha a oferecer? Esse era o problema, não muito. Apenas 12 jogos foram lançados na vida dele, incluindo o African Adventures, um clone do Monopoly com Hitler como um personagem jogável. Sim, esse Hitler mesmo que você pensou... Mas os gráficos eram charmosos e parecidos com o Super Famicom / Nintendo de última geração, talvez 5 anos antes ele até tivesse folego pra encarar a guerra 16 bits mas chegou muito tarde na festa e contou apenas com os jogos : African Adventures, C.U.G, Formosa Duel, Sango Fighters, The Son of Evil, Speedy Dragon, Super Taiwanese Baseball League, Boom Zoo, Gambling Lord, REBEL, Super Dragon Force e Magical Pool.


    10- Game Wave - 13 jogos


    Lançado em 2005 pelos novatos canadenses da ZAPiT, o Game Wave foi uma tentativa de criar um híbrido de videogame / DVD "familiar". Com seus joysticks  em formato de controle remoto, mas a burrice começou logo na concepção do produto, descrições encontradas na internet afirmam que a intenção era ser primeiramente um DVD player que eventualmente poderia ser usado para jogos, vinha com quatro controles remotos(cof cof) mas jogos de qualidade nunca foram desenvolvidos apesar da garantia de que o Game Wave desempenharia "todos os tipos de jogos", o console apresentava apenas jogos de trívia e quebra-cabeças em sua biblioteca de 13 jogos...A exceção? Veggietales: Veg-Out! Family Tournament, um clone de Mario Party com os vegetais cristãos antropomórficos favoritos de todos(Que bosta) A total falta de impacto que o produto causou na indústria e a falta de noção dos produtores e da equipe de marketing talvez seja melhor resumida em sua página na Wikipedia, que inclui a seguinte nota de rodapé editorial totalmente precisa e “realista” de que o console é " parte da sétima geração de jogos ", curiosamente hoje e comum aparelhos de DVD com joguinhos simples por ai, Casas Bahia que o diga, contou com os títulos: 4 Degrees: The Arc of Trivia Bible Edition, 4 Degrees: The Arc of Trivia, Vol. 1, 4 Degrees: The Arc of Trivia Vol. 2, Click!,Gemz,Letter Zap!, Lock 5, Rewind, Rewind 2005, Rewind 2006, Sudoku, Veggie Tales: Veg-Out! Family Tournament,Zap 21.

    48
    • Micro picture
      santz · 6 meses atrás · 4 pontos

      Cara, que demais. A qualidade dos seus posts são geniais. Mais uma caralhada de console que eu desconhecia completamente. Legal ver que tinha uns consoles com ideia muito boas, mas infelizmente, pouquíssimos títulos. Muito massa seu post, continue assim.

      2 respostas
    • Micro picture
      luizkorynga · 6 meses atrás · 4 pontos

      Não são 4 Mario Artist?

      1 resposta
    • Micro picture
      artigos · 6 meses atrás · 3 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • manhundead Jonas Souza
    2018-04-11 00:06:10 -0300 Thumb picture

    10 consoles que nunca enxergaram a luz do dia

    Medium 3618597 featured image

    Provavelmente já exista algo semelhante aqui no Alvanista, essa e uma compilação de listas reunidas na internet sobre o assunto das quais eu coloquei aqui as que achei mais interessantes, meu único trabalho foi traduzir e organizar aqui os textos, na falta de informações sobre autores me isento de qualquer direito de criação sobre o mesmo já que existem dezenas de copias idênticas sem referencias disponíveis, fiquem a vontade para apontar erros ou informações equivocadas.

    Se passaram quatro décadas desde que o primeiro console de videogame, o Magnavox Odyssey, fez sua estreia. Com uma história tão longa e variada de sistemas   não deveria ser surpresa que mais do que um console tenha sido planejado, mas nunca chegado ao mercado, mas quais alguns dos mais conhecidos casos e porque eles falharam? Vamos analisar dez consoles que até chegaram a ter modelos de teste mas por motivos variados não ganharam as linhas de produção.


    1- SEGA NEPTUNE (1994)

    Na década de 90, a linha de produtos da Sega sofria com o excesso de plataformas destinadas a reprodução de jogos. Em 1995, a empresa suportava oito plataformas sendo : Genesis, Sega CD, 32X, CD 32X, Game Gear, Pico, Saturn e em alguns mercados, Master System. Também vendeu o CDX (uma unidade combinada Sega Gênesis e Sega CD em um pacote semi-portátil) e o Nomad (um console Genesis totalmente portátil). Além de tudo isso, havia a proposta do Sega Neptune.

    A Sega projetou o Neptune como uma maneira de simplificar sua linha de produtos, combinando um Gênesis e o complemento 32X em uma unidade. Mas a Sega definitivamente não precisava de outro produto de jogo para suportar, o bom senso falou mais alto e o  QG japonês decidiu focar apenas em seu novo carro-chefe, o Sega Saturn (1994). Como resultado, o Neptune nunca chegou ao mercado.


    2- ULTRA VISION ARCADE SYSTEN (1982)

    Projetado e promovido por uma pequena empresa norte-americana chamada Ultravision, prometia ser uma resposta completa para  todos os jogadores de videogames.  Integrar um aparelho de TV em cores de 10 polegadas, um sistema de videogame e um computador de alta potência em uma unidade. Além do próprio software personalizado do console, os módulos plug-in estariam disponíveis para permitir que os usuários executassem  os jogos Atari 2600 e Colecovision. Tudo isso soou bom demais para ser verdade, e foi: no final, as promessas de excelência em jogos da Ultravision provaram ser nada mais do que promessas e nunca deixou o estagio de protótipo.


    3- ATARI JAGUAR DUO (1995)

    O Jaguar Duo, como o Neptune foi uma tentativa de combinar um console de base e um dispositivo adicional. Neste caso, o Duo incluiria o console do Atari Jaguar (1994) e sua unidade de CD-ROM Jaguar juntos em uma unidade  que iria bater de frente com o PlayStation da Sony e o Sega Saturn. Enquanto a Atari produziu uma pequena série de gabinetes para o console, o Jaguar Duo nunca chegou à produção completa sendo cancelado.


    4- KONIX MULTISYSTEN (1989)

    Em 1989, a fabricante de periféricos britânica Konix já havia estabelecido uma reputação criando controles de jogos para outros sistemas. Logo pensaram em  projetar seu próprio console de jogos combinando um controlador de direção complexo  com um sistema de videogame integrado. O controlador integrado do Multisystem podia ser trocado em três modos: volante,  vôo e cabos de motocicleta (todos os quais suportavam feedback de força tátil).

    O sistema evitaria cartuchos para disquetes de 3,5 polegadas por motivos de custo, e acessórios adicionais como um joystick, pedais, uma pistola de luz  e uma cadeira de jogos motorizada foram planejados. Pouco tempo depois de revelar esses plano  ambiciosos, a empresa ficou sem dinheiro, e o console nunca foi lançado.


    5- MAGNAVOX ODYSSEY 3 (1983)

    A Magnavox pretendia que o Odyssey 3 fosse a continuação do  bem sucedido console Odyssey 2 de 1978. Uma versão americanizada do Philips Videopac G7400 (1983), que  encontrou lançamento na Europa. O G7400 preservou a compatibilidade com os jogos Odyssey 2, permitindo gráficos melhores para uma linha totalmente nova de software. Assim como o lançamento do Odyssey 3, o crash dos videogames de 1983 arruinou os planos de todos, e a segunda continuação do Odyssey nunca chegou ao lançamento no mercado, embora haja rumores de que alguns foram testados nos EUA e na Europa.


    6- ATARI COSMOS (1981)

    Antes de seu lançamento planejado, a Atari divulgou o sistema de jogos portáteis Cosmos como uma máquina 3D sofisticada, supostamente o primeiro sistema de jogo eletrônico a usar imagens holográficas no jogo. Na realidade não foi tão excitante: uma sobreposição holográfica pré-impressa serviu apenas como fachada para jogos eletrônicos simples e intercambiáveis exibidos em uma grade de 7 por 6 de LEDs vermelhos. Quando a imprensa ficou sabendo da verdadeira natureza do sistema, o entusiasmo despencou e a Atari cancelou  o Cosmos quando ele estava pronto para ser lançado.


    7- INFINIUM LABS PHANTOM (2004)

    A Infinium Labs projetou o Phantom para jogar jogos de PC padrão em um aparelho de TV como um console de videogame. Sua característica mais inovadora, no entanto, era o fato de que não usaria nenhuma mídia removível: em vez disso, os usuários comprariam e baixariam jogos para o Phantom pela Internet. Embora tal prática seja facilmente possível hoje em dia, não era tão simples quanto parece em 2004. Nos dois anos seguintes, a Infinium Labs queimou grandes somas de dinheiro (US $ 62,7 milhões) tentando forçar a entrada do Phantom no mercado. Por fim, o dinheiro acabou e junto o projeto.


    8- TAITO WOWOW (1992)

    O Taito WoWoW foi um projeto conjunto entre a  produtora de jogos arcade Taito, a JSB (controladora de um canal de TV chamado "WoWoW") e a ASCII, uma desenvolvedora de software. O trio de empresas projetou o console para usar CD-ROMs como sua principal mídia de jogo, mas também para poder baixar novos jogos através de uma conexão de televisão por satélite. Aparentemente, o projeto nunca decolou já que o  console  desapareceu depois de fazer apenas algumas aparições públicas.


    9- PANASONIC M2 (1997)

    O projeto M2 iniciado pela 3DO  começou como  continuação do console 3DO Interactive Multiplayer (1993). Depois de alguns anos em desenvolvimento, a 3DO vendeu a tecnologia M2 para a Panasonic, que se preparou para o mercado de consoles de jogos com uma máquina baseada em M2. A Panasonic  com medo dos riscos do investimento  cancelou o lançamento, a tecnologia M2 então se transformou em produtos como o player multimídia Panasonic FZ-21S  que foi brevemente lançado em 1998, mas não foi direcionado aos consumidores. A tecnologia multimídia, em seguida, encontrou seu caminho em caixas eletrônicos, máquinas de venda automática e quiosques de informações usados até hoje.


    10- ATARI GAME BRAIN (1977)

    Em 1977, a Atari projetou seu primeiro console de jogo baseado em cartucho, o Atari Game Brain. Antes desse ano, todos os consoles Atari (como o Atari Pong, o Stunt Cycle e o Video Pinball) eram máquinas dedicadas com apenas jogos internos. O Game Brain, no entanto, não era realmente tão diferente: seus cartuchos intercambiáveis continham exatamente os mesmos chips IC personalizados que a Atari usava em seus jogos autônomos, completos com circuitos de suporte. O console em si não tinha inteligência - apenas controles internos, uma fonte de alimentação e uma saída de vídeo.

    Sabiamente  a Atari abandonou o Game Brain  em favor do Atari 2600 (também projetado em 1977), que se tornaria o produto de referência da Atari.

    52
    • Micro picture
      avmnetto · 6 meses atrás · 6 pontos

      O cancelamento do M2 foi lamentável, bem como a descontinuidade de qualquer projeto relacionado ao 3DO (ele incluído). Foi algo bem ambicioso e à frente do seu tempo. Grandes perdas para a comunidade Gamer e do entretenimento em geral.

      1 resposta
    • Micro picture
      santz · 6 meses atrás · 5 pontos

      Cara que demais! Deve ser bem difícil pesquisar informações de consoles que nunca viram a luz do dia. Parabéns, seu artigo ficou excelente. Não conhecia nenhum dos produtos apresentados. E a Atari viajando em um console holográfico, hahaha, que piada.

      2 respostas
    • Micro picture
      kess · 6 meses atrás · 4 pontos

      Tinha ouvido falar de 3 desses,,, Mas no final das contas, nenhum deles pareceu uma grande perda...

      1 resposta
  • jessicagdsantos Jessica Gonçalves Dos Santos
    2018-01-07 12:53:04 -0200 Thumb picture

    DESAFIO: 1 console/ 1 jogo

    REGRA: Citar apenas um jogo por console que você já teve ou possui.

    @desafio criado pelo @hard_frolics ? Ou foi pelo @danilodlaker ? Ou pelo @joanan_van_dort ?

    Tô vendo o pessoal marcando esses caras como criadores, e não sei quem realmente criou hauahhauhauhuah Mas vamos lá citar um jogo por console que já tive/tenho:

    Atari genérico (até hoje não sei que videogame era. Eu era muito pequena, mas lembro bem de jogar jogos do Atari nele mas, obviamente, não era um Atari mesmo). – Frogger

    NES genérico (Dynavision) – Mappy

    NES – Mario Bros 3

    SNES – Chrono Trigger (a vá)

    Nintendo 64 – Goldeneye 007

    Game Boy Color - Pokémon Gold 

    Nintendo 3DS – Luigi’s Mansion: Dark Moon

    Playstation 1 – Final Fantasy VIII

    Playstation 2 – GTA San Andreas

    Playstation 3 – The Last of Us

    Playstation 4 – Horizon Zero Dawn

    Mappy

    Plataforma: NES
    83 Jogadores
    1 Check-in

    42
  • pauloe Paulo Emilio
    2018-01-05 19:07:31 -0200 Thumb picture

    Um console, um jogo

    Aqui estou eu, fazendo esse @desafio criado pelo @danilodlaker e a @miss_dani me "obrigou" a fazer (brinks).

    O desafio consiste em escolher, para cada console que você jogou, apenas um jogo.

    Então, vamos ver o que vem por aí?!

    NES: Crystalis

    Nunca vi ninguém falar desse jogo aqui, e sim, é o meu jogo favorito de NES, além de ser um dos melhores action RPG que joguei. Vou contar um pouco do plot do jogo aqui, que vai que alguém se interessa. :v

    A história se passa em mundo pós-apocalíptico, no ano de 2097, cem anos depois de uma guerra termonuclear global, que reverteu a civilização para uma existência primitiva e medieval, povoada de criaturas mutantes. Os sobreviventes da destruição construíram uma "Torre" flutuante para evitar futuros cataclismos, pois seus ocupantes teriam o poder de governar o mundo devido aos sistemas de armas da Torre. Um homem conhecido como Imperador Draygon, no entanto, reviveu os modos proibidos da ciência e os combinou com magia. Com essas habilidades, ele controla o último poder militar restante do mundo e procura conquistar o que sobrou do planeta tentando entrar na Torre.

    O protagonista desperta sem memória, mas é guiado por quatro sábios, e vai descobrindo gradualmente que o mundo está afundando em tumulto devido à influência destrutiva do Império Draygonia. Confiado com a Espada do Vento, ele procura ajudar a Mesia, outro sobrevivente de seu tempo, e combinar as quatro espadas elementais, a do vento, na qual a gente já começa com ela, do fogo, da água e do trovão, juntas formam a espada lendária, Crystalis.  eles devem derrotar Draygon antes de usar a Torre para alcançar seu objetivo.

    Por fim, a jogabilidade e gráficos bons pra época e a trilha sonora é excelentemente nostálgica. Recomendo pra quem é fã do gênero.

    Menções honrosas: Super Mario Bros 3, Contra, Mega Man II, Duck Tales e The Legend of Zelda.

    SNES: Chrono Trigger

    Esse aqui foi uma escolha difícil, pois gosto por igual desse e do Final Fantasy VI. As duas histórias são incríveis, possuem uma ótima trilha, e são um dos melhores J-RPGs de todos os tempos, porém, um tem um vilão épico e o outro tem uma equipe épica tanto de personagens quanto de projetistas, aí fui pela quantidade.

    Se ainda não jogou isso aqui, por favor, para de ler agora e vai lá curtir esse negócio maravilhoso.

    Menções honrosas: Final Fantasy VI, The Legend of Zelda: A Link to the Past, Super Metroid, Mega Man X e Goofy Troop (até isso aqui foi difícil...).

    Master System: Sonic The Hedgehog

    Acho que esse não foi uma grande surpresa. Não joguei tanta coisa no Master, mas os que joguei foram bem marcantes.

    Esse aqui só de ouvir a música da primeira fase dá vontade de chorar, joguei muito com meu amigo de infância, daquela forma de, quem morrer ou passar de fase passa o controle.

    Enfim, tenho ótimas recordações desse joguinho aqui que considero demais.

    Menções honrosas: Michael Jackson's Moonwalker, Alex Kidd In Miracle World, California Games, Wonder Boy III e Prince of Persia.

    N64: GoldenEye 007

    Também não joguei muita coisa no 64, mas GoldenEye, foi uma das melhores experiências multiplayer que tive em locadora. Era muito massa juntar a galera e jogar umas 3 horas seguidas disso aqui depois de assistir Yu Yu Hakusho na Manchete.

    Menções honrosas: The Legend of Zelda: Ocarina of Time, Super Mario 64,  Mario Kart 64, Super Smash Bros e Banjo-Kazooie.

    Playstation: Castlevania: Symphony of the Night

    Foi o Castlevania que me fez gostar de Castlevania. Não preciso falar muito desse jogo, pois vocês já conhecem bastante.

    Acho que é um dos jogos mais rejogados por pessoas que eu conheço, tem gente até hoje tentando descobrir uma nova porcentagem do jogo. Isso aqui marcou uma geração, com certeza ele tá no top da lista de muita gente também.

    Ah! E ele possui uma das frases mais famosas dos jogos de todos os tempos, que está na imagem aí acima.

    Menções honrosas: Metal Gear Solid, Final Fantasy Tactics, Crash Bandicoot 3, Harvest Moon: Back to Nature e Resident Evil 2.

    Playstation 2: Metal Gear Solid 3: Snake Eater ( ͡° ͜ʖ ͡°)

    Pense numa perfeição? Pensou? Pronto, eu sei que você imaginou esse jogo, eu sei.

    Agora falando sério (aquilo foi sério), personagens marcantes, ótimos vilões, boss battles incríveis, trilha sonora maravilhosa,  jogabilidade perfeitinha e um stealth gostoso de jogar. Acho que é considerado um dos melhores gráficos da plataforma também. Apesar de não possuir CGs, as cutscenes possuem uma qualidade cinematográfica da porra! Kojima, Kojimou.

    O jogo também possui um dos finais/boss battle mais marcantes dos jogos pra mim... Boss. <3

    Menções honrosas: Final Fantasy X, Shadow of Colossus, God of War II, GTA: San Andreas e Persona 3.

    Wii: No More Heroes 2

    Esse aqui já foi uma surpresa pra mim, não imaginei que eu fosse gostar tanto desse jogo, gosto muito do primeiro também, mas o 2... <3 

    Also, nunca vi ninguém falando desse jogo aqui também, então vou contar um pouco da história do primeiro jogo, que nem Crystalis, pra ver se alguém se interessa pela saga.

    No More Heroes conta a história de Travis Touchdown, um nerd/"otakuzão" que vive na cidade fictícia de Santa Destroy. O protagonista possui uma katana com laser, que é bem irada, que ganhou na internet por ser um membro de um clube. Em um momento se da conta que não tem dinheiro para pagar suas dívidas e resolve acabar com suas mágoas em um bar, no qual conhece uma mulher que não me lembro o nome, desculpem. Ela traz uma oportunidade de ele mudar de vida, transformando-o em um assassino, chegando ao número 11 da lista de melhores assassinos da cidade, e deve enfrentar a todos se quiser chegar ao primeiro lugar. Legal que cada assassino tem seu próprio estilo de luta, personalidade e armas.

    A jogabilidade é bem simples, desferir pancadas de todos os tipos nos inimigos, para depois realizar uma “finalização” por meio de movimentos no seu wiimote. Acho que ele tem uma versão melhorada pra PS3, mas não joguei. :v

    Menções honrosas: Super Mario Galaxy 2, The Legends of Zelda: Twilight Princess, Donkey Kong Country Returns, Xenoblade Chronicles e Mario Kart Wii.

    Xbox 360: Super Street Fighter IV

    Um jogo de luta na lista! Mas foi difícil, quase ponho Alan Wake no lugar. Outra coisa que quase fez eu mudar de opinião, foi a questão do controle do Xbox, pois não acho que não é bom pra jogar jogos de luta, e não tinha dinheiro na época pra comprar um de arcade... Me fodi, me fodi, mas acabei me acostumando com o controle, e foram momentos legais de jogatinas nas casa alheia.

    Menções honrosas: Alan Wake, Forza Motorsport 4, Rayman Origins, Gears of War e Halo 3.

    Playstation 3: The Last of Us

    Pensei bastante também nesse, pois Red Dead Redemption é outro jogo que PQP! Mas alguma coisa me disse que tinha que ser esse. :v

    Momentos de tensão, emoção, terror, suspense tudo muito bem feito. Os gráficos são lindos fazendo jus a despedida do PS3 daquela geração de consoles. A ambientação localizada em um mundo pós-apocalíptico bem imersiva, eu pelo menos me sentia dentro daquele lugar, conseguia sentir muito bem toda a tensão de algumas partes devido a isso.

    História muito boa, personagens maravilhosos, que quase chorei e sentir dor por eles em alguns momentos. Enfim, jogão!

    Menções honrosas: Red Dead Redemption, Metal Gear Solid 4, God of War III, Dark Douls e Journey.

    PC: Counter-Strike 1.6

    Em 2004 deu uma doida em mim e em meu primo e decidimos montar uma LAN House. Acontece que nos primeiros meses, nosso negócio não estava indo muito bem, vinha pouca gente e tal. Aí 2 meses depois, tivemos a ideia de por um jogo, e foi esse aqui que escolhi. Só digo uma coisa, sucesso! 

    Outro que devo muito é o Ragnarök que pensei em por na lista, pois alguns meses depois coloquei ele na LAN e também foi um grande acerto, mas CS foi o chama da galera na época.

    Menções honrosas: Ragnarök Online, Warcraft III, Half-Life 2, Portal 2 e The Elder Scrolls V: Skyrim.

    Lista terminada, tem alguns outros consoles que gostaria de por aqui, como o Arcade, porém, parece que só podem 10 imagens por postagem, mas fica aqui minha escolha, The King of Fighters '97.

    Para fazer o @desafio escolho a @bethdps, @leandro2litros e a galera ativa no novo Discord do Alva: @daniel5fg, @sugarbae, @edknight, @martnelli, @felipefabricio, @marciodesaf, @sonicsalies, @zefie, @laisangel...

    The Last of Us

    Plataforma: Playstation 3
    11249 Jogadores
    1128 Check-ins

    37
    • Micro picture
      vianna · 9 meses atrás · 3 pontos

      Uma senhora lista! Não conhecia o Crystalis, valeu pela dica

      1 resposta
    • Micro picture
      miss_dani · 9 meses atrás · 3 pontos

      Ahahaha... ^-^ Mas que legal que você fez a lista! Muito boa! The Last of Us é realmente um belo jogo! Ohhhh... e eu queria muito jogar esse Metal Gear do PS2... quem sabe um dia! *-*

      2 respostas
    • Micro picture
      deathcorps · 9 meses atrás · 2 pontos

      Ouvi dizer e cheguei a assistir meus speedrunners favoritos jogando esse Crystalis, parece ser um dos jogos dos anos 80 que mais é jogável pra alguém mais novo junto com Sweet Home.

Carregar mais postagens

Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...