• gus_sander Gabriel Macêdo
    2019-07-15 20:29:16 -0300 Thumb picture
    gus_sander checked-in to:
    Post by gus_sander: <p>Depois de ter jogado o <i style="background-colo
    Astro Boy: Omega Factor

    Platform: Gameboy Advance
    205 Players
    17 Check-ins

    Depois de ter jogado o Astro Boy: The Video Game há uns anos atrás, me faltava conhecer Astro em outra perspectiva além daquela apresentada no filme (ao qual aquele jogo se baseava). Foi ai que, na procura por mais sobre o "Mega Man" dos anos 50, felizmente encontrei outros jogos.

    Omega Factor leva bem a essência das histórias de Astro (apesar de corrida), com um foco especial em boss battles. A trama inicial e mais "leve" possui constantes batalhas, ajudando a upar skills que ficam a critério do jogador. Aqui são explanados conflitos entre direitos humanos e robóticos, acidentes envolvendo viagem no tempo e (spoiler do final da parte 1), o apocalipse das máquinas por um plataforma orbital gigante.

    Como um beat 'em up ele é muito bom, recheado de mortes constantes. O grau de dificuldade é mediano, mas até você pegar o padrão de cada boss, a tela de game over já terá aparecido inúmeras vezes.

    Conclui a parte 1 há pouco com um final nada esperado (eu nem sabia que o jogo tinha 2 partes), o sistema de sequencia de fases agora mudou e, por fatores relacionados a história do jogo, existem diversas possibilidades sobre onde se pode ir e o que fazer.

    Vou descansar por agora, talvez faça a parte 2 amanhã.

    Essa batalha foi, de longe, uma das mais tensas, vide o hp de ambos (e diversos game overs).

    28
    • Micro picture
      ryou · about 1 month ago · 2 pontos

      Imagine se as capas de Astro Boy fossem cagadas como são as de Mega Man. Ele seria um garotinho bombado com six pack e pistolas laser?

      1 reply
    • Micro picture
      fernandovst · about 1 month ago · 2 pontos

      Eu lembro que joguei um pouco e tava gostando muito no começo, mas depois comecei a achar a dificuldade exagerada e muito punitiva, então acabei parando num "boss rush" com um pessoal lá. Detalhe que eu tava jogando no normal.
      Mas pretendo da outra chance uma hora.

      1 reply
    • Micro picture
      rax · about 1 month ago · 2 pontos

      Ótimo game.

      Um Must Play do GBA na minha humilde opinião

      3 replies
  • santz Santz
    2019-05-30 09:57:17 -0300 Thumb picture

    Jogo finalizado nº: 337 - Festival de peitos e calcinhas

     Todo mundo aqui no Alva se deparou com algum jogo das ninjas peitudas então fui atrás do primeiro jogo da série para ver de qualé. O jogo segue um estilo beat 'em up / hack 'n' slash onde escolhemos uma das 5 ninjas disponíveis para vencer os vários níveis que há no jogo. A vezes há missões específicas dentro das fases, mas no geral, é só dar porrada mesmo até chegar no final. Apesar de cada personagem ter combos, especiais e evolução própria, o jogo é muito repetitivo. São quase sempre os mesmos inimigos e cenários, mas sei que isso é do gênero. Fui naquela nóia de evoluir todas personagens por igual e eixou tudo ainda mais repetitivo, além de estar sempre em nível elevado, garantindo batalhas com dificuldade mínima na maioria das vezes.

     A história do jogo é muito qualquer coisa. Nada mais é que pergaminhos secretos e duas escolas de ninja se debatendo. Inclusive, tem a opção de jogar com a escola rival, que é uma adição bem interessante, mas tive saco para jogar elas, pois são personagens beeeem ruins de jogar. Quando a história é contada no diálogo é interessante, mas quando muda para textos com um fundo genérico fica chato pra porra. Ao meu ver, a beleza do jogo está nos gráficos. A movimentação é fluída (exceto pelo balançar exagerado dos peitos), o design é legal (em sua maioria) e enche de personagens na tela, o que é incrível para um portátil. O jogo é apelativo demais na questão sexual. É bunda, peito e calcinha na sua cara o tempo todo, chega a perder a graça e o impacto que deveria causar. Mas no geral, curti o jogo, não a toa as conquistas.

    Minhas conquistas:

    Rank A em todas as missões com Asuka;
    Rank A em todas as missões com Ikaruga;
    Rank A em todas as missões com Katsuragi;
    Rank A em todas as missões com Yagyuu;
    Rank A em todas as missões com Hibari.

    Senran Kagura Burst: Guren no Shoujotachi

    Platform: Nintendo 3DS
    96 Players
    8 Check-ins

    37
  • anduzerandu Anderson Alves
    2019-05-02 22:21:24 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: River City - Tokyo Rumble

    Zerado dia 02/05/19

    Tá aí numa série que mal conheço: River City ou Kunio-kun ou sei lá o quê. Já um amigo meu, ama a coisa toda até não poder mais. Aparentemente por causa de alguma nostalgia ou sei lá.

    Fiquei curioso com esses beat'em ups e dei uma pesquisada há uns anos atrás só pra me desmotivar: existem MUITOS jogos na franquia. Muuuuitos. E vários aparentemente nem vieram pro ocidente e tal ou ninguém lembra que existem ou coisa do tipo. Imagine se existissem 40 Double Dragons entre NES e SNES! Não dá pra manter o controle de qual é qual, nem a motivação pra jogar todos.

    Vendo esse amigo jogar, achei o jogo desinteressante. Quer dizer, o visual simplista é maneiro, mas o gameplay me parecia meio sem sal, como um briga de rua para criancinhas. As perninhas e os bracinhos dos personagens sair muito curtos e os golpes não pareciam surtir muito efeito, não eram satisfatórios!

    Eras depois, animei quando vi um desses River City ser lançado pro PC. Não me recordo se era um jogo oficial ou alguma coisa feita por fãs, mas o fato é que o jogo suportava multiplayer de 4 pessoas simultâneas, e isso era muito importante numas jogatinas que conectávamos o computador de um amigo na TV e virávamos a noite. Qualquer multi offline e que pudesse ser baixado no Pirate Bay era.

    Eu mesmo recomendei o jogo, mesmo não curtindo muito a série, e o amigo do PC mesmo torcendo o nariz, acabou baixando pra gente.

    Jogamos uma hora daquele título e meu deus! A magia dos vídeos foi toda por ralo abaixo. O jogo era colorido e rodava numa resolução que permitia muitas coisas na tela, tanto cenário quanto personagens e movimentos de combate, mas que repetitivo! Fui ficando entediado e eles mesmo deram o "basta", mudando de jogo.

    Mais uns tempos depois, a publisher resolveu trazer um jogo da série do 3DS pro ocidente. Era River City: Tokyo Rumble. Por ser um jogo mais novo e eu amar meu portátil 3D, resolvi adicionar ele a lista para ser jogado, baixei e joguei o começo. Achei meio confuso o pouquíssimo que vi mas deixei lá. Bom, o alerta da pendência estava gritante! RC:TR estava aqui no meu bloco de notas do celular entre uns 15 jogos que comecei e não terminei, como o Just Cause também estava.

    Ainda juntando coragem para realmente jogar ou mesmo continuar alguns deles, a escolha da vez foi o briguinha de rua aí. Ter o de NES no serviço do Switch Online me fez ter mais vontade de conhecer um pouco da série, então voltei!

    Semana de prova no curso, eu sentado sem fazer nada e o howlongtobeat.com dizendo que a experiência leva 2 horas e meia. Opa!

    Tokyo Rumble é uma mistura de beat'em up com RPG. Há um enredo, que aparentemente continua o de um jogo anterior, e depois basta seguir pra onde o jogo te mandar.

    Na tela de cima é onde acontece toda a ação, onde você vê as ruas do Japão e todo o cenário, em 3D. Junto a isso estão os personagens, aqueles brigões de gangues de escola da terra do sol nascente, em 2D. E esse contraste ficou super legal!

    A tela de baixo mostra um "mapa" das províncias do jogo, como Shibuya e Shinjuku, entre outras. A província inicial, Ikebukuro, é onde está a sua escola em uma tela, um monte de comércio na outra e uma estação de metrô na outra. Você vai se uma localidade à outra só de sair da tela pela direita ou esquerda e se continuar andando em linha reta, voltará para a primeira.

    Mas ruas um monte de delinquentes sempre procurando briga. Você pode socar, chutar, fazer isso enquanto corre ou ainda enquanto pula. Demora um pouco pra finalizar um oponente e mais tarde percebi que o jogo meio que faz isso pra você poder treinar um combos e novas técnicas que aprender. E conforme você finaliza os caras, ganha experiência e assim, níveis. Quanto maior seu nível, maior seu dano (perceptível quando os números saem dos oponentes que você ataca) e resistência.

    A estória te indica sempre qual seu próximo passo, que também fica marcado no mapa da tela de baixo, como "parque alguma-coisa" em cima da província alvo. Se for a sua, basta andar pelas poucas telas até encontrar o dito cujo. Se estiver marcado em outra província, vá para a estação e pegue o trem pra lá.

    Novas províncias indicam inimigos diferentes, com temas diferenciados, como motociclistas ou mesmo garotas, mas também indica um nível de dificuldade mais alto do que a "fase" anterior.

    Você percebe a necessidade de sair brigando por aí pra ganhar dinheiro e níveis, mas não se preocupe, os oponentes vem em abundância e mesmo depois de brigar um bocado e finalizar a todos, basta ir para a próxima tela ou voltar pra anterior pra ver novas caras (ou respawn).

    Mais pra frente, os inimigos começam a dar bastante dano, então é recomendável parar nas lojas e mercados para comprar itens de recuperação de vida e equipamentos pra você e parceiros que você estiver usando!

    Resumindo: River City: Tokyo Rumble me surpreendeu um pouco. O gameplay fica divertido com o tempos e conforme você ganha mais habilidades, o visual é cativante e o sistema de level up e equipamentos é uma boa adição a o gênero. Você aprende a gostar do jogo e a achar que os beat'em ups comuns poderiam ter mais elementos desse tipo. Originalmente ele custa U$30, o que não faz o menor sentido, mas valeu a pena jogar, sem dúvidas.

    De bom: visual e personagens carismáticos. Trilha sonora muito legal. Grande quantidade de coisas pra desbloquear, como golpes, e de missões paralelas para serem feitas. Distritos com suas particularidades. Possibilidade de salvar seu progresso e impossibilidade de dar Game Over. New Game+ carrega todos os avanços do personagem. Modo multiplayer de luta ou esporte para até 4 jogadores locais. Você pode usar de itens do chão e do cenário para lutar.

    De ruim: pra quem não ligar muito pro enredo ou imersão nesse tipo de jogo, ele pode parecer meio raso e repetitivo, o que ele meio que é de qualquer jeito. Muita coisa na resolução baixa da tela do 3DS as vezes incomoda um pouco os olhos (tanto que há um comando com o botão R que deixa a câmera mais próxima do personagem, limitando mais sua visibilidade (o jogo fica lindo assim). Apertar o botão L muda a câmera e deixa a visão mais bidimensional, mas o framerate cai bastante. O jogo acaba da mesma forma que começa: meio do nada e sem recomenda quase que nenhuma, apesar das batalhas contra os chefes serem maneirinhas.

    No geral, curti a rápida experiência e até recomendaria pra quem já é fã da série, do gênero ou de cultura japonesa do tipo. Vale lembrar que o jogo exige um pouco de imersão e interesse para dar certo. Já se a pergunta for "vale U$30?", a minha resposta será não.

    River City: Tokyo Rumble

    Platform: Nintendo 3DS
    11 Players

    18
    • Micro picture
      jcelove · 4 months ago · 2 pontos

      Da uma olhada no rival Showdown q saiu depois tbm no 3ds. Ele tem o mesmo esquemao classico da serie mas sem os minigames e com eventos q mudam dependendo da hora como em shenmue e yakuza. Os graficos sao bem mais baca

      3 replies
    • Micro picture
      spider · 4 months ago · 2 pontos

      Acho que é o registro mais longo da série que eu já vi, parabéns!! Só joguei o do NES e esses tempos so que sabia das sequências.

  • 2018-11-24 04:58:44 -0200 Thumb picture

    D&D: Chronicles of Mystara

    Medium 599679 3309110367

    Arte de Kinu Nishimura à coletânea dos beat 'em ups de Dungeons & Dragons relançados pela Capcom às plataformas PS3, Wii U, Xbox 360 e PC em 2013. Originalmente tanto D&D: Tower of Doom como Shadow Over Mystara foram lançados aos Arcades em 1993 e '96, respectivamente.

    Eu ainda prefiro meu The King of Dragons e sua simplicidade, ou mesmo Dragon's Crown da Vanillaware, mas acho que já que a Capcom anda revivendo nomes clássicos ela poderia abraçar a pancadaria fantasiosa de jogos como esses de novo. 

    [@jvhazuki]

    Dungeons & Dragons: Chronicles of Mystara

    Platform: PC
    196 Players
    11 Check-ins

    15
    • Micro picture
      xch_choram · 9 months ago · 2 pontos

      Serie bem legal um novo Beat'n Up da Capcom nesse estilo, pelo menos a gente tem o Street of Rage 4.
      Esses dias eu joguei o The King of Dragons, achei ele bem simples comparado aos D&Ds mas achei surpreendente bom, ainda prefiro os D&Ds mas é bem mais legal do que eu pensava.
      Agora o Dragon's Crow eu peguei o emulador de ps3 mas eu ainda vou da uma olhada.

      1 reply
  • 2018-09-19 19:58:08 -0300 Blank user
  • 2018-09-19 19:54:37 -0300 Blank user
  • 2018-08-31 08:53:38 -0300 Thumb picture

    Streets of Rage 4: sim, morrerei mais feliz!

    Mais de duas décadas depois e a SEGA finalmente deu sinal verde para revitalizar uma de suas franquias mais clássicas. Streets of Rage foi o que me ensinou a amar os beat 'em ups, principalmente por ter sido um dos títulos que vinham inclusos no cartucho de 10 jogos do meu Mega Drive 3; até hoje o terceiro da série é o que mais gosto, mas toda a trilogia é maravilhosa por sua jogabilidade e pela trilha sonora fenomenal do mestre Yuzo Koshiro.

    O desenvolvimento do então Streets of Rage 4  está a cargo dos franceses da Dotemu Lizardcube, além dos canadenses da Guard Crush Games. Ainda não há uma previsão de lançamento ou plataformas anunciadas, ou mesmo se Koshiro retornará ao cargo de compositor (PRECISA!), contudo o trailer de anúncio revela que ao menos Axel e Blaze serão jogáveis -- nem sinal de Adam, Skate ou o canguru Roo!

    "Streets of Rage, known as Bare Knuckle (ベア・ナックル Bea Nakkuru) in Japan, is a trilogy of beat 'em up games developed and published by SEGA in the 1990s.

    Famously known for its non stop action and electronic dance influenced music - scored by Yuzo Koshiro and Motohiro Kawashima - the series has gained the status of cult classic throughout the years. It is considered one of the best beat 'em up series of all time. After many years, Axel and Blaze are finally picking up the fight where they left.

    Featuring hand-drawn visuals from the team behind 2017’s gorgeous Wonder Boy: The Dragon’s Trap remake, Streets of Rage 4 builds upon the classic trilogy’s gameplay with new mechanics, a fresh story and a gauntlet of dangerous stages with a serious crime problem. Streets of Rage 4 recalls classic gameplay but it stands as an entirely original arcade-style romp thanks to the expertise of Guard Crush Games and Dotemu.

    Whether players gang up with a friend or clean up the city solo, Streets of Rage 4 is a skull-bashing, chicken-chomping delight all set to a thumping soundtrack sure to get your blood pumping."

    Quem o sucesso desse retorno incentive a volta de outros como Final Fight, The King of Dragons, Golden Axe e Cadillac and Dinosaurs!

    [@jvhazuki | Info via Lizardcube]

    Streets of Rage

    Platform: Genesis
    4467 Players
    89 Check-ins

    10
  • rockysilvabr Rocky Silva
    2018-06-18 21:55:35 -0300 Thumb picture

    Dança do 100% em treta do Cody e Guy de outra dimensão!!

    Aquele jogo que parece que só eu gosto! Nunca conheci ninguém que falasse dele, que falasse que gosta dele, que sente algum carinho!! Se você é uma pessoa que gosta, manifeste-se! Porque acho que sou o único doidão que gosta disso mesmo não achando dos melhores. Eu gosto de umas paradas estranhas as vezes mesmo... velharias no PS4 :3
    Vamos trocar games? www.trocajogo.com.br/profile/rockysilva
    E inscreva-se no meu Channel www.youtube.com/RockySilvaBR Ajude <3

    Quebrei o crânio de um cara durante a briga e ele dropou essa badge...

    Nível 25 (Mérito): Alcance o Nível 25 na caça aos troféus. (Cacemba, tantos anos e só agora cheguei no level 25 da PSN! Eitcha! Vai vida haha)

    @platinadores

    ACA Neo Geo: Burning Fight

    Platform: Playstation 4
    1 Players
    1 Check-in

    7
  • rockysilvabr Rocky Silva
    2018-05-13 19:09:38 -0300 Thumb picture

    Dança do 100% nas batalhas de fim do mundo... mas, Sem o Goku :v

    Muita gente odeia esse jogo! E da franquia toda a maioria que conheço prefere o Sengoku 3. Eu, incrivelmente gosto mais do primeiro! O 2 acho paia, o 3 acho ótimo... mas não me diverte! Sei lá porque... Enfim, fiz 100% neste universo que está Sem o Goku! *selo Seiya de piadas*
    Vamos trocar games? www.trocajogo.com.br/profile/rockysilva
    E inscreva-se no meu Channel www.youtube.com/RockySilvaBR Ajude <3

    Os espíritos ancestrais me trouxeram esta badge...

    Beat 'em up (Gênero) - Platina: Platinou 12 jogos do gênero Beat 'em up. (Eu nem gosto de gênero né!? Só amooooo!! <3)

    @platinadores

    ACA Neo Geo: Sengoku

    Platform: Playstation 4
    Players

    8
    • Micro picture
      chrnotodd · over 1 year ago · 2 pontos

      Já usei tanto a palavra "Sengoku" que nem pensei nessa piada xD

      1 reply
  • rodrigoarkade Rodrigo Pscheidt
    2018-05-08 16:07:33 -0300 Thumb picture

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...