• lica Liliane Santana
    2018-04-16 15:28:24 -0300 Thumb picture

    Por que ler (jogar!) os clássicos?

    Medium 3618302 featured image

    Olá, meus queridos e minhas queridas! 

    Decidi trazer esse texto da amada Porca Flamejante para a Alvanista e concluir a parte II, que ainda está pendente. Quem sabe dessa forma eu termino, não é mesmo? XD Já faz um tempo que escrevi, mas o tema é bem atemporal e cabe para a reflexão. Espero que mobilize muitas ideias! 

    ------------------------------------------------------------------------------------------

    Recentemente li um livro de Ítalo Calvino sobre a leitura dos clássicos da literatura e suas justificativas. O autor inicia a reflexão elencando 14 pontos que justificariam a leitura de um clássico e que, de certa forma, definem a nossa relação com essas obras literárias. Passam-se os anos e os clássicos da literatura continuam sendo lidos, consultados e sendo utilizados como modelo teórico e de referência.

    Durante a leitura foi impossível não relacionar o texto que definia os motivos da leitura de um clássico com os motivos para se jogar um game considerado um grande clássico. São muitos os pontos entre os 14 expostos por Calvino que podemos utilizar como paralelo para definir e justificar também a jogatina de um clássico e ainda contribuem para uma definição do termo, o que não é uma tarefa fácil.

    Eis os pontos que são levantados pelo autor e como podemos fazer uma interpretação relacionada ao mundo dos jogos eletrônicos.

    1. Os clássicos são aqueles livros dos quais, em geral, se ouve dizer: “Estou relendo...” e nunca “Estou lendo...”.

    Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, é um clássico por ser lido e relido. Você lê na escola, para o vestibular, depois de adulto, lê trechos da obra espalhados em diversas referências.

    Isso também acontece com os jogos. Os clássicos dos games são, necessariamente, jogos que estamos "rejogando". Mesmo que você esteja jogando pela primeira vez, muitas vezes ele já foi tão discutido e você já conhece tantos elementos do jogo sem tê-lo jogado, que ele se torna um clássico. Mesmo que você nunca tenha jogado Mario, você provavelmente sabe que a princesa está em outro castelo e isso não desanima ninguém de iniciar o replay.

    Há de se pensar então se de fato é um clássico aquele jogo que alguns dizem ser amado, mas que só foi jogado uma vez na vida? Pode ser que sim...

    2. Dizem-se clássicos aqueles livros que constituem uma riqueza para quem os tenha lido e amado; mas constituem uma riqueza não menor para quem se reserva a sorte de lê-los pela primeira vez nas melhores condições para apreciá-los.

    Todo mundo já ouviu dizer que existem livros que precisam de maturidade para serem lidos. Ou ainda que uma leitura, feita em diversas fases da vida, terá interpretações diferentes, como O Mágico de Oz, de Braum, que a cada nova leitura, em cada fase da vida, nos mostra interpretações e descobertas diferentes. Com os jogos eletrônicos temos mais variáveis neste ponto. Jogar um game da era 8 bits, pela primeira vez, quando se tem 8 anos, te possibilita uma experiência única atrelada à percepção de mundo que uma criança dessa idade tem, da mesma forma que jogar o mesmo game pela primeira vez aos 18 anos será uma outra experiência. E ainda há o agravante do momento histórico. Uma criança hoje jogar um jogo de 8 bits, diante de todas as possibilidades gráficas, de jogabilidade e som que temos hoje é diferente de quem jogou os games de 8 bits, aos oito anos, na época em que eles surgiram.

    Será que existe um momento certo para se jogar um jogo? Não podemos afirmar isso, mas podemos defender que existem sim condições ideais para se jogar que estão relacionadas à maturidade ou não do jogador, de entender sua construção gráfica e seu enredo, mas isso é muito subjetivo e a experiência com o jogo com certeza vai variar. Isso sem considerar outros quesitos, como o domínio de outra língua caso o jogo esteva em outro idioma, por exemplo. Isso tudo garantiria condições ideais para se jogar e apreciar.

    Zelda: Ocarina of Time é um bom exemplo de um jogo que, a cada momento da vida em que jogamos, temos percepções diferentes de grandes e pequenos detalhes da história, configurando-se como uma nova experiência em cada etapa da vida.

    3. Os clássicos são livros que exercem uma influência particular quando se impõem como inesquecíveis e também quando se ocultam nas dobras da memória, mimetizando-se como inconsciente coletivo ou individual.

    Assim como alguns livros, existem jogos que têm lugar garantido na nossa memória. Arthur Conan Doyle é inesquecível em sua forma de construir narrativas tão fascinantes. A memória guarda detalhes, sentimentos e emoções presentes na leitura e ficam marcadas na história do sujeito. E por meio da leitura e partilha dessas histórias se constrói um inconsciente coletivo ou individual sobre seu significado.

    Assim também acontecem com muitos jogos. Half-Life é um jogo tão marcante na história dos games e dos jogadores que até quem ainda não jogou os outros títulos está aguardando o Half-Life 3. Está em nossas memórias coletivas.

    4. Toda releitura de um clássico é uma leitura de descoberta como a primeira.

    Cada nova linha lida das obras de Eiji Yoshikawa nos fazem descobrir novos detalhes, novas sensações, novas emoções, como se estivéssemos lendo o livro pela primeira vez. Muitos jogadores relatam isso quando percorrem grandes mapas em busca de novos desafios dentro de um game. Jogar algum game da série Souls diversas vezes te fará descobrir novos detalhes da trama, novas formas de agir diante de um inimigo e, claro, novas invasões com certeza serão sofridas. Nunca é o mesmo jogo.

    Os clássicos escondem nele mistérios e percepções novas que são encontradas cada vez que se joga, cada vez que se lê. Esse é um fascínio que poucos jogos conquistam em cada jogador. O tão procurado e comentado fator replay, que nos encanta e não permite que larguemos o jogo. Diversão podem ser os motivos para isso acontecer. Um NG+ que nos conquista, uma campanha curta e empolgante, um personagem marcante... Cada jogador tem sua motivação e encontra em um jogo o fascínio pelo replay.

    5. Toda primeira leitura de um clássico é na verdade uma releitura.

    Ler Gabriel García Márquez pela primeira vez nos pode parecer familiar pela quantidade de vezes que ouvimos falar sobre suas obras. São impressões lidas de um lado, filmes inspirados em seus livros, indicações de amigos que contam alguns detalhes para nos instigar à leitura. Lemos relendo todas as informações que guardamos sobre o autor e seus livros durante a leitura de suas obras.

    A experiência dessa leitura é muito semelhante a de jogar Silent Hill. Muita gente sabe dos sustos que tomará, dos personagens marcantes e grotescos que encontramos, dos enigmas difíceis e estimulantes, da busca desesperada do pai pela sua filha. Tudo isso já sabemos e antecipamos antes de jogar, mas quando jogamos, os momentos da jogatina se tornam únicos, mesmo já conhecendo o que vai acontecer, vivemos intensamente o momento e relemos a informação que antes tínhamos para essa primeira experiência.

    6. Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer.

    Existem muitas obras de Guimarães Rosa que são inesquecíveis. Por isso é muito comum na primeira vez que lemos Grande Sertão, Veredas ou Sagarana que um mundo novo se descortina diante de nossos olhos. Somos invadidos pelos mais diversos sentimentos, emoções e expectativas. É uma obra única e tão rica, que temos a impressão que nunca entenderemos toda a sua complexidade. Cada entrelinha, cada palavra, cada personagem nos acrescenta um novo mundo, uma nova forma de compreender a leitura. Ela está sempre nos dizendo coisas sobre muitos assuntos.

    Um clássico dos games pode fazer isso de diversas formas, desde a sua história envolvente até seu marco quanto à mecânica. Muitos jogos digitais considerados verdadeiras obras de arte sempre estão a nos mostrar aspectos novos e fascinantes, dando-nos a impressão de que nunca terminaram de passar sua mensagem. São os típicos jogos que nunca cansamos de jogar, em que, na dúvida sobre o que jogar, é aquele que escolhemos.

    Parece uma fonte inesgotável, como podemos perceber em jogos como Castlevania, que nos envolvem com sua trama cativante e não nos deixa cansar de jogá-lo e descobri-lo, mesmo que a gente já conheça cada cantinho.

    7. Os clássicos são aqueles livros que chegam até nós trazendo consigo as marcas das leituras que precederam a nossa e atrás de si os traços que deixaram na cultura ou nas culturas que atravessaram (ou mais simplesmente na linguagem ou nos costumes).

    J. R. R. Tolkien construiu um mundo único, mágico e cativante, mobilizando tantos outros autores, mitos e lendas em narrativas fantásticas, misturando realidade e fantasia com personagens inesquecíveis. Sua influência na literatura inglesa e mundial é inegável e suas raízes são evidentes.

    Doom é um clássico que marca gerações e tornou-se uma das maiores referências do gênero. Impossível falar em games de tiro e FPS sem mencionar o seu marco fundador, que foi e ainda é tão importante na história dos games, combinando experiências passadas com uma nova e intrigante ideia sobre como jogar, fazendo escola e influenciado jogadores e desenvolvedores até hoje.

    Aguardem a parte II!

    ;)

    112
    • Micro picture
      drodro · 6 meses atrás · 4 pontos

      Agora vou ser obrigado a ler todos os esses livros novamente, @lica! =D

      1 resposta
    • Micro picture
      darlanfagundes · 6 meses atrás · 4 pontos

      Uau, que texto maravilindo!!! Me lembrou um de @filipessoa falando sobre jogos que poderiam ser episódios de Black Mirror, a série... Essa junção de mídias é uma coisa muito linda de ver, e vcs fizeram isso de maneira maestra... só tem uma coisa que não concordo no texto, eu não estou esperando Half Life 3, na real nem sei do que se trata...hehehehe...minha única ligação com esse jogo é o fato de que a Engine dele começou o CS né?! Não sei nadica da história do jogo...rsrsrsrs
      Eu adorei ver os clássicos sendo citados pois eles fazem parte de minha vida... e é tão bom ver que videogames são a melhor mídia do mundo! Pois eles conseguem abarcar tudo que todas as outras fazem e de forma excelente...
      Parabéns Lica, esse texto tá lindo e acho que todo mundo tá esperando a parte 2!

      4 respostas
    • Micro picture
      caramatur · 6 meses atrás · 2 pontos

      Muito legal o texto! Esperando a parte dois!
      Ah! No final da segunda parte, acho que seria legal você colocar os dados do livro que te inspirou, fiquei interessado.

      1 resposta
  • lola Lola
    2017-08-19 22:08:31 -0300 Thumb picture

    Artigos em destaque estão de volta!

    Olá pessoal, de passagem super rápida por aqui para dizer que não morri e também para falar que os artigos em destaque voltaram com tudo graça a ajuda de voluntários! Aproveitem e criem muitos artigos!

    112
    • Micro picture
      onai_onai · 1 ano atrás · 11 pontos

      Alguém jogou um Phoenix Down na @lola.

    • Micro picture
      voltalistas · 1 ano atrás · 6 pontos

      seria massa se alguma outra coisa voltasse também...............

    • Micro picture
      marviiu · 1 ano atrás · 6 pontos

      Só estou esperando ganhar na loteria para comprar o Alvanista.

      3 respostas
  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2017-04-30 12:16:07 -0300 Thumb picture

    Retrospectiva da 1ª temporada de artigos

    Medium 3486521 featured image

    Já faz algum tempo desde que escrevi meu último artigo. De lá pra cá, muita coisa aconteceu e fiquei bem mais notório no Alavnista do que eu era antes. Infelizmente, a maioria do pessoal não tem o costume de revirar a timeline, e acaba perdendo muita coisa.

    Pensando nisso, resolvi fazer uma retrospectiva de todos os meus artigos escritos até agora. Essa retrospectiva possui 2 objetivos:

    -Manter os artigos relevantes

    -Introduzi-los a novos seguidores

    Sem mais delongas, vamos mostrar os artigos:

    O Hype e suas consequências- O Pioneiro

    Como o codinome já diz, ele foi o primeiro artigo de todos. Apesar do tema ser um pouco "óbvio", isso foi uma boa forma de começar. Mas como foi a 1ª vez escrevendo, é possível perceber algumas marcas da inexperiência, como a escrita e a falta das seções. Mas ele é o primeiro, então se quer saber como foi ou é interessado no tema, espero que goste.

    Felizmente, sempre estive em constante evolução, e isso pode ser percebido já em:

    O esquecimento:um fenômeno perigoso- O Ousado

    "Espera, por que tem uma imagem de Versus XIII aí?" Esse é o único problema do artigo: algumas das imagens escolhidas foram aleatórias e estão fora de contexto. Tirando isso, não dá pra negar que a escolha do tema foi bastante ousada e pouco explorada na comunidade gamer(tanto que é o meu tema preferido de todos). Além disso, minha escrita melhorou bastamte, as seções apareceram, e o artigo ficou melhor desenvolvido.

    Infelizmente, minha vida como um "semi-colunista" não foi apenas de sucessos e avanços, pois logo em seguida teve o:

    O momento mais filosófico dos videogames-O Obscuro

    Esse aqui acabou sendo o menos famosos de todos.Apesar de eu ter me esforçado bastante em torná-lo original, não dá pra negar que ele parece mais uma síntese de pensamentos diferentes(mais o meu)sobre esse momento específico do que algo MEU. Pra piorar, o jogo que escolhi para alavancar as views não é um dos mais movimentados que tem por aqui, e a hora que o lancei também não foi boa.

    É importante afirmar que não acho nenhum artigo meu ruim. Apesar de todos terem seus tropeços(em maior ou menor grau), eu os considero bons(alguns mais, outros menos).

    Voltando: fiquei triste(obviamente) pelo artigo não ter se saído bem, pois ele havia sido o mais complexo que havia escrito até aquele momento. E parece que estava numa maré de azar, pois o próximo também não foi dos melhores:

    Porque acho que o novo Zelda não é essa bola toda/Porque você não deveria usar notas e reviews como argumento- O Diferente

    Esse artigo foi lançado na véspera do lançamento de Breath of the Wild, e como eu tenho mania de ser Do Contra, me achei na necessidade de esculhambar o jogo antes mesmo do lançamento. Mas depois que um certo usuário me contou(educadamente) o que achava do artigo, achei que ficaria melhor se eu fizesse uma abordagem mais "geral" do assunto. Com isso, o artigo passou por alterações drásticas no desenvolvimento para torná-lo mais condizente com o que esse meu amigo tinha falado. Na minha opinião, ficou muito melhor com as alterações.

    Felizmente, o sucesso retornou à casa depois(karma?) com o:

    O que aconteceu com as demos?-O Mais Famoso

    Depois de alguns fracassos, consegui me redimir com esse artigo sobre a quase total ausência das demonstrações, que tem o maior número de reações dentre todos artigos(40 reações ao todo). Ele foi extremamente bem-escrito, os parágrafos tem a duração certa(para não tornar o texto cansativo) e apostar na nostalgia também foi uma boa escolha.

    Infelizmente, o mal retornou para atrapalhar a situação(de novo) já no próximo:

    Os maiores problemas da comunidade gamer atual-O Crítico

    Apontar os problemas da comunidade gamer(que podem ser encontrados numa simples discussão em grandes sites de games) e trazer uma reflexão sobre isso não era uma tarefa muito complicada. E de fato não foi. Porém poderia ter ficado melhor. O artigo acabou, por vezes, sendo agressivo demais com pessoas que cometem os erros apontados ali. Além disso, ele também acabava ficando um pouco pessoal demais, o que não é a melhor coisa a se fazer em um artigo.

    Enfim, também não foi bem-sucedido, mas as coisas melhoraram um pouco com:

    A Era dos Vazamentos-O Ousado[2]

    Esse é um tema que eu estava planejando fazer desde o início, mas só foi possível fazer perto do final da temporada. Outro tema espinhoso que também não é muito abordado por aí. Teve melhorias substanciais em relação ao primeiro, mas o uso da 1ª pessoa ainda estava presente(embora, dessa vez, fizesse mais sentido).Apesar do sucesso poder ser considerado mediano, eu não me estressei muito com isso, pois esse tema foi muito prazeroso de se escrever, e já estava me focando mais em fazer a coisa certa do que em ter sucesso(mas eu nunca deixei isso de lado, só ficou em 2º plano a partir de agora).

    Mas desde que eu escrevi esse artigo aqui, estava pensando em parar de postar semanalmente, para assim ter foco.Enfim, descansar e pensar o que escrever depois. Mas não podia parar por um tempo sem antes mostrar a cereja do bolo...

    Estamos na pior geração de consoles?-O Melhor

    São vários os textos e vídeos dizendo que sim, mas são poucos que resolvem fazer o contrário...ou seja, Do Contra de novo!Felizmente, isso deu muito certo. Como o codinome já diz, se tivesse que enviar um artigo meu para um site de grande porte, ia ser esse(junto com o das demos). Sendo um dos artigos mais longos(e o mais trabalhoso) até então. Ele realmente me dá bastante orgulho. Ah, e ele ainda sofreu uma alteração hoje, tornando-o ainda melhor.

    O que esperar do futuro?

    Bem... o retorno dos meus artigos. Não dá pra esperar outra coisa. Porém, não espere uma frequência regular, pois estou ficando sem tempo, e também porque eles já são difíceis de serem feitos, e alguns que estou planejando serão piores ainda de se fazer,inclusive um deles é o próximo. Aguardem!

    Enfim, esse foi o histórico da 1ª temporada de artigos. Se você é um seguidor mais recente, recomendo que leia.Se gostou, dê like e compartilhe os artigos(e esse histórico, se possível).

    Espero que gostem(ou relembrem) desses artigos. Até a próxima!

    NieR: Automata

    Plataforma: Playstation 4
    441 Jogadores
    129 Check-ins

    5
  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2017-04-29 17:58:41 -0300 Thumb picture

    Só pra constar...

    Os artigos retornarão em breve, mas não serão semanais como antes. Artigo é algo que deve ser feito com planejamento e carinho, então... a frequência não será mais regulares.

    Mas enfim, pra quem gostava, vai voltar. Só preciso de mais um tempo para fazer uma coisa...

    5
  • saraiva Daniel Saraiva
    2016-07-11 19:26:00 -0300 Thumb picture

    Remakes

    Medium 3351787 featured image

    Nessa geração de console estamos vendo algo diferentes do que vivenciamos em outras gerações, estou falando dos remakes de jogos. Quando falo dos remakes me refiro tanto uma versão nova (mais polida que foi desenvolvido novamente para o console) quanto a remasterização (colocam um filtro HD no jogo), pois nesses dois casos temos o mesmo jogo que já foram criados anteriormente. Sendo assim fica duas perguntas sobre essa questão:

    1° Falta de Criatividade?

    2° O mercado pede por isso?

    A primeira pergunta me incomoda muito, pensar que a criatividade esta se esgotando me assusta ao ponto de pensar como será as próximas gerações, talvez a inovação venha da Realidade aumentada? Talvez, mas isso é um assunto para outra dia.

    Quando pensamos nos remakes vemos grandes títulos do passado sendo disponibilizado novamente, temos algo muito bom com isso e ruim também. O que vejo como positivo é a possibilidade de jogar aquele jogo maravilhoso do passado com gráficos mais belos, outro ponto é pessoas que não tiveram a oportunidade de jogar o jogo em sua época e com um remake tem a possibilidade.

    Mas pensando por esse lado ficamos sem criações novas, sendo que podemos jogar esse jogo adquirindo o console da época que ele surgiu,ou jogar por outros meios (que não são os mais corretos, mas existem). Mas antes de seguir vamos para a segunda pergunta, O mercado pede por isso? Acredito que sim, que esses jogos são vendidos e que não só jogadores novos compram mas também jogadores que já jogaram o jogo em sua plataforma original, isso faz com que as desenvolvedoras tenham mais interesse nesse mercado deixando muitas vezes de criar algo novo para investir no certo.

    Apenas para ter ideia veja a lista abaixo a analise abaixo:

    XBOX ONE: foi avaliado uma lista com 139 jogos e verificado que desses 139 temos 13% de jogos remake (venho de outra plataforma e não é a retrocompatibilidade)

    PS4: foi avaliado uma lista com 317 jogos e verificado que desses 317 temos 8% de jogos remake.

    Veja que não são tantos jogos remake, afinal não vale a pena para a produtora fazer remakes de jogos que não fizeram sucesso.

    Não tem como tirar uma conclusão desse artigo, poderia fazer algumas analises mais profundas para verificar a quantidades de jogos bons x remake, pois dos 139 xbox one e 317 PS4 nem todos os jogos são bons jogos, com isso se fosse avaliados apenas jogos bons (claro que a referencia seria a crítica dos jogadores) essa porcentagem deve aumentar e muito.

    Mas diga, vocês curtem os remake/remasterização ou preferem que ao invés de gastarem tempo com isso fossem criados novos jogos.

    2
  • coopgeeks Co-op Geeks
    2016-05-16 14:12:07 -0300 Thumb picture

    Artigo - Tirando da Estante: Parasite Eve

    Vem matar as saudades de Parasite Eve, num apanhado que relembra os méritos desse clássico do PSOne, e se você ainda não conhece, esse texto é para você também, já que indicamos o jogo sem soltar nenhum spoiler!

    Texto na íntegra: ➡ http://bit.ly/ParasiteEve

    Parasite Eve

    Plataforma: Playstation
    3133 Jogadores
    105 Check-ins

    3
  • 2015-11-10 12:01:40 -0200 Thumb picture

    The King of Fighters XIV

    Medium 3193499 featured image

    Novo jogo da franquia King of Fighters, previsto para 2016 mas já teve vídeos divulgados =p

    Ele irá apresentar personagens 3D que lutam em um plano 2D e manterá o mesmo sistema dos jogos anteriores da série. [+info: Liga Extreme United]

    The King of Fighters XIII

    Plataforma: XBOX 360
    637 Jogadores
    22 Check-ins

    6
    • Micro picture
      axlrage · quase 3 anos atrás · 2 pontos

      A SNK tem tudo para reerguer a franquia com esse novo KOF. Um Maximum Impact melhorado 10x *--*

    • Micro picture
      barbarabai · quase 3 anos atrás · 0 pontos

      Uma das minhas franquias de luta preferidas <3

      4 respostas
  • 2015-08-21 19:15:02 -0300 Thumb picture

    2 Opiniões

    Persona dedicada à divulgação das postagens do meu blog. Nele, eu e minha irmã discutimos diversos assuntos, sendo que meu foco é postar notícias e artigos sobre jogos.

    2 Opiniões, mais que apenas uma opinião...

    0
  • 2015-07-25 12:39:23 -0300 Thumb picture

    A HISTÓRIA DA BUGATTI

    Dentre os muitos nomes de companhias automobilísticas algumas são memoráveis e entre esses nomes temos a Bugatti, uma empresa fundada e mantida até hoje apesar de várias adversidades, uma das mais memoráveis empresas ronca pra nós criando carros marcantes e rompendo limites nas pistas, confira a história completa aqui: 

    0
  • tanukistein Gustavo Perandré
    2015-04-29 19:02:23 -0300 Thumb picture

    Sugestões - Projeto de Reviews

    Boa noite,  comunidade gamer! 

    Para quem não  me conhece,  escrevo contos e textos em geral já  há  algum tempo e estou bem interessado em embarcar num trabalho de reviews aqui no Alvanista com a minha noiva,  @aleleeh (o que,  se der certo,  pode crescer em conjunto com um futuro canal de game plays) .  Só  que antes de desprender tempo para isso, e sim,  eu sei que demanda bastante dele com pesquisas e testes dos games em pauta, gostaria de conhecer a aceitação do público,  que são  vocês   :] 

    Se não  for incômodo,  teria como vocês  fazerem sugestões  de reviews que gostariam de ver aqui?  Prometo fazer um bom trabalho em relação  a textos,  imagens e curiosidades.   Um top 5 de cada um seria um bom exemplo,  e vale jogo retrô,  indie,  totalmente desconhecido também. Todos os desafios serão  aceitos   ;]

    É isso,  galera,  fico na expectativa de sugestões  e espero que a gente possa trocar uma ideia bem legal sobre as reviews!

    11
    • Micro picture
      artoriasblack · mais de 3 anos atrás · 3 pontos

      Chaos Legion, seria bom um review

    • Micro picture
      joaoguilherme · mais de 3 anos atrás · 3 pontos

      Série Souls!

    • Micro picture
      gpontes · mais de 3 anos atrás · 3 pontos

      Faz de Chrono Trigger!!

Carregar mais postagens

Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...