• jonathasb_h_7 Jonathas Barbosa Hernandes
    2018-11-11 16:58:50 -0200 Thumb picture
  • anduzerandu Anderson Alves
    2018-11-05 21:31:47 -0200 Thumb picture

    Registro de finalizações: Ultimate Ghosts 'N Goblins

    Zerado dia 05/11/18

    Tá, agora eu acho que zerei tudo quanto é coisa relacionada a essa série ao fechar Ultimate Ghosts 'N Goblins. Amei o jogo no NES e no SNES, curti muito o de Mega Drive ontem e cheguei no ultimo título, lançado para PSP em 2006 com um visual 3D, apesar de manter o sidescrolling 2D.

    Ao contrário do que eu cogitei, UGnG é um jogo novo, e não um remake ou coisa do tipo de qualquer outra coisa da série. Ele conta com fases, inimigos, armas e muitas mecânicas completamente originais (provavelmente o jogo que mais destoa dos outros).

    A aventura do PSP manteve bastante do espírito clássico dos jogos do Arthur e ainda adicionou umas coisinhas opcionais para quem for iniciante, até porque é PSP né?

    Ao abrir o jogo, já rola uma CG bem bacana contando a estória da vez e logo UGnG mostra o seu verdadeiro visual, mega serrilhado e esquisito, como se tivessem feitos modelos grandes e bacanas que foram diminuídos para que o portátil conseguisse processar. E com certeza foi isso mesmo.

    O clássico mapa que mostra sua localização em relação as fases, é horrível e quase não dá pra entender nada.

    A primeira fase é o cemitério clássico, com fantasmas, mãos te puxando e mais um monte de coisa acontecendo dentro do pequeno campo de visão que o jogo proporciona. É uma baita confusão pra saber o que é cenário ou inimigo em muitas partes. Essas mão que te puxam mesmo, geralmente aparecem completamente do nada e os modelos 3D são meio toscos, mas o que esperar de um sidescroller 3D portátil de 2006?

    Tenso, mas a primeira fase deixa uma péssima impressão de uma experiência confusa e genérica, mal executada.

    Fui testando os comandos e botões pra ver se tinha algo novo e fiquei ainda mais confuso: ao apertar L ou R, se abre um menu de inventário, com algumas abas diferentes, sendo uma de colecionáveis, outra de escudos, habilidades etc. Fui aprendendo jogando e nem tudo isso ficou claro.

    O menu de escudos mesmo, serve para equipar os escudos que encontramos pelas fases. Por quê diabos você equiparia um escudo mais fraco eu não sei, então acredito que deveria ser algo automático e poderia até descartar os mais toscos. Por outro lado, existe um escudo ou outro que te dá a habilidade de voar por um breve momento, coisa obrigatória em determinadas partes.

    Há uma aba de habilidade que mostra coisas conseguidas, como as botas que te dão o poder do pulo duplo e outras coisas do tipo. Parece simples, mas de início essas cosias me deixaram meio confuso e preocupado, ainda mais de chegar no final da primeira fase e não ter mudado nada nesses menus.

    Jogando mesmo pelo primeira cenário, reparei ainda que há dois ícones na parte inferior da tela, um representando sua arma atual e outro uma habilidade ativa que usamos ao apertar O. Terminei o jogo  basicamente com a mesma que comecei e nem sei exatamente o que ela faz (dá uma rápida explosão que achei que aumentava a sua força, mas acho que serve para destruir projéteis e inimigos fracos que estejam próximos). Fui meio que jogando como joguei os jogos anteriores.

    UGnG conta com um sistema de vidas, que você vai ganhando conforme ganha pontos e passa de fases. Agora, ao invés de voltar para o último checkpoint com a morte, você volta para o mesmo lugar que morreu (ou o mais próximo possível) contando que ainda tenha vidas. Ao perder todas, aí sim você retorna ao ultimo checkpoint.

    Arthur agora é mais forte também. A armadura normal te dá dois pontos de vida ao invés de apenas 1 como no passado e outras armadura dão ainda mais ou aumentam sua velocidade etc. Sem armadura você ainda morre com apenas um golpe.

    Para os mais tradicionalistas, é possível jogar num modo mais difícil e mais parecido com os títulos mais antigos, mas vou dizer uma coisa: não faça isso, ao menos não de cara! UGnG foi, na minha opinião, mais difícil que seus antecessores.

    Isso se dá pelo level design ruim e gameplay frustrante, cheio de mortes idiotas. No meu review de Ghosts 'N Goblins de NES eu disse que uma das coisas mais bacanas dele era que, apesar da dificuldade, a experiência sempre foi justa. Este daqui é diferente, com respawn constante de inimigos, armadilhas frustrantes e um gameplay cheio de injustiças e sacanagens. Parece puro amadorismo.

    Achei a aventura meio longa demais também. As fases são compridas e há uma necessidade de explorar os cenários, que agora são menos lineares e possuem rotas a serem exploradas e segredos, maaaaais ou menos como nos primeiros jogos do Sonic.

    Existem itens que quando coletados te permitem ir e vir de fase em fase, basta achá-los que você poderá voltar para aquele lugar quando quiser. A importância deles é que existem anéis escondidos pelos cenários e são necessários 22 para acessar a câmara do último chefe, coisa que só saberemos quando chegarmos lá, no final do jogo e caso não tenha, rola o clássico "volte ao começo e procure os que faltam". Você dificilmente vai querer fazer isso.

    Além disso, são necessários 33 para acessar o verdadeiro último chefe.

    Resumindo: Ultimate Ghosts 'N Goblins é uma grande decepção, nem parece que faz parte da mesma família que seus antecessores. A ideia é espetacular, mas a execução é das piores. Não chega a ser o pior jogo do mundo e eu recomendaria para fãs do Arthur que já terminaram os outros e que tenham paciência. Meu maior erro foi não jogar no nível mais fácil, que aparentemente deixa o jogo como deveria ser.

    De bom: armas e armaduras diferentes, com efeitos e ataques diferentes e completamente novos. Gosto muito da ideia de poder ir e vir nas fases, apesar de precisar achar itens chatos de serem coletados para isso. A dificuldade menor por conta do HP maior do personagem e voltar de  onde morreu deixou a experiência mais tragável. Continues infinitos.

    De ruim: o visual 3D. Se o cenário fosse 3D e os personagens sprites 2D, o jogo pareceria muito mais bonito e profissional e menos tosco. Muita injustiça e frustramento com o péssimo level design e constante respawn de inimigos que parecem sair do seu umbigo. Muitas coisas escondidas ou de uso confuso, incluindo itens obrigatórios para acessar qualquer chefe final, o que é ridículo depois de toda a dor de cabeça para sequer terminar uma fase. Replay obrigatório odiável, clássico da série. Trilha sonora fraca. Faltou instruções no jogo de como funcionam as coisas novas e mesmo as básicas (morri várias vezes numa parte porque deveria correr e pular, e eu não sabia que apertando duas vezes para uma direção o fazia correr).

    No geral, não acho que UGnG mantenha o feeling clássico da série, apesar de tentar manter o espírito dos jogos anteriores e falhar com o básico muitas vezes. Não recomendo essa experiência a ninguém senão um fervoroso fã.

    Ultimate Ghosts 'N Goblins

    Plataforma: PSP
    286 Jogadores
    16 Check-ins

    13
    • Micro picture
      jclove · 5 meses atrás · 2 pontos

      Vish rapidão. Só achei meio rigoroso demais com os gráficos. Eles eram bons pra época, melhores que qq coisa parecida no DS e até de alguns de 3ds . Veio do mega e reclamando do visual dos modelos do PSP, isso que é retrogamer raiz.hehe

      Que pena que não curtiu. Tenta Maximo no PS2 depois, ele é sucessor espiritual da série. Muda o gmeplay pra plataforma 3d https://www.youtube.com/watch?v=t-PvoWe1cTg

      4 respostas
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 5 meses atrás · 1 ponto

      Carai...tá bonitão!

  • anduzerandu Anderson Alves
    2018-09-25 12:00:27 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Super Ghouls 'N Ghosts

    Zerado dia 24/09/18

    Eita, mal fechei a aventura do cavaleiro Arthur de NES e já parti pra de SNES no mesmo dia. Eu definitivamente estou adorando jogar isso!

    Super Ghouls 'N Ghosts é um jogo famoso e já rendeu títulos em diversas plataformas e aparições dos personagens em outros universos, como Demon's Crest, Namco X Capcom, Project X Zone, Marvel VS Capcom etc. Eu tava achando que a Capcom tava sendo saudosista e forçando os personagens da série em todo lugar ou que sua fama se dava mais pela dificuldade mesmo, mas mal sabia eu das pérolas que são esses jogos!

    Eu estava empurrando com a barriga esses jogos, como faço com muitos outros até chegara hora certa de experimentá-los de verdade, mas ter SGnG no SNES Classsic me fazia querer tirar um tempo para terminá-lo e o primeiro jogo ter saído nesse programa do Switch Online me fizeram entrar de cabeça!

    O salto tecnológico de um jogo pro outro é enorme! Claro, SGnG foi um dos jogos que saíram praticamente com o SNES e já tinha a premissa de mostrar como o novo console chegava perto de se ter uma máquina Arcade em casa (um sonho na época).

    Os cenários são grandes e coloridos. Os personagens são cheio de movimento e vida. A fase se transforma, subindo e descendo o chão, girando em torno do personagem ou criando efeitos de profundidade com ondas d'água no fundo. Além disso tudo, o que mais brilhou pra mim foi a trilha sonora. Uaaau! A primeira fase tem o tema clássico da série e embora não seja nada novo pra mim, soa muito bem no SNES, mas eu realmente fui surpreendido com as músicas dos estágios seguintes. Amei!

    O jogo ainda se difere de outras formas, sendo um pouco mais longo e difícil. A pontuação conseguida derrotando inimigos e coletando dinheiro e afins agora importa mais do que nunca, já que a cada 10 mil você ganha um continue ou vida (coisa fácil de se conseguir na maior parte do jogo). 

    Pois é, os continues agora não são mais infinitos, aparentemente. Não deixei eles acabarem pra ver o que acontecia, mas deve ser tenso chegar nas difíceis fases finais e dar Game Over de verdade, mesmo já tendo decorado cada parte do jogo depois de tanto morrer.

    No menu Options ainda é possível trocar a dificuldade antes de iniciar a aventura: Easy, Normal e Hard ou algo assim. Aparentemente uma dificuldade maior é desbloqueada ao terminar a campanha.

    As mudanças não param por aí! Arthur agora tem um pulo duplo e embora você ainda não possa se controlar no ar depois de um salto, você pode dar o segundo pulo pra direção oposta ou simplesmente reto pra cima!

    O grande arsenal de armas e diferentes padrões e alcances é basicamente o mesmo: machado, faca (use a faca), lança, foice etc. Agora há uma faca dupla que é jogada diagonalmente para cima e um uma espada ou sei lá o quê que faz um padrão em forma de infinito na tela e volta pra você e que não acerta nada.

    SGnG adicionou ainda armaduras! São duas: uma verde e uma dourada. Nenhuma delas te dá um hit adicional para morrer, mas melhoram seus ataques e muito! A primeira deixa seus golpes maiores e mais fortes, muito bacana! A segunda faz o mesmo e ainda permite que você segure o ataque e solte um especial na tela quantas vezes quiser!

    Cheguei a dropar alguns itens bem incomuns também, como a armadura normal quando eu estava sem nada e um escudo que aparentemente bloqueia projéteis inimigos que o acertarem. Ambos os itens só foram vistos na última fase.

    Fora isso, o jogo se mantém basicamente o mesmo, mas com estágios mais longos e checkpoints mais demorados. Muitos inimigos voltaram e novos foram adicionados (ainda não joguei o segundo jogo para Arcade/Mega Drive) e coisinhas menores que não tinha visto no primeiro jogo. Inclusive, a sacanagem de ter que zerar duas vezes seguidas continua e mais uma vez eu usei um código depois da fase final do primeiro gameplay e fui diretamente ao estágio final de verdade, que é uma batalha contra um chefão. Valeu muito a pena!

    Resumindo: Super Ghouls 'N Ghosts é um baita jogaço do SNES, com um nível de desafio levemente acima da média, mas sempre mantendo o fair-play (até os Firebrands ficaram levemente mais fáceis). Essa é uma das pérolas que infelizmente não conheci na infância, como foi com Chrono Trigger e Super Mario RPG, por exemplo.

    De bom: visuais bacanas, gameplay sólido e uma trilha sonora vicianteeee (amei a da fase da lava). O jogo não é fácil nem exatamente difícil, tanto que joguei por duas noites num total de pouco mais de 3 horas (lembrando que não fiz a segunda run porque acho bem desnecessário). Felizmente existe password pra escolher fases e poder ver o final de verdade sem o replay forçado. Muito recompensador terminar uma fase depois de finalmente ficar bom nela. Aliás, a curva de aprendizado é muito boa! Não há respawn de monstros.

    De ruim: ter que zerar duas vezes pra ver o final e chefe verdadeiros, e são muito bons. Checkpoints distantes podem ser um problema pra jogadores mais casuais/modernos. A capa do jogo é horrível! As fases ter tempo é um saco, ainda mais na última.

    No geral, amei o jogo de coração e já quero o anterior e o de PSP, mas vou dar um tempinho pois já comecei outros jogos e fiz uma bagunça. Virei fã da série e jogar no SNES Mini foi super legal!

    Super Ghouls 'N Ghosts

    Plataforma: SNES
    1411 Jogadores
    36 Check-ins

    15
    • Micro picture
      lipherus · 6 meses atrás · 2 pontos

      Parabééns!

    • Micro picture
      gus_sander · 6 meses atrás · 2 pontos

      Trilha sonora dele é boa mesmo. E parabéns pela finalização!!

  • anduzerandu Anderson Alves
    2018-09-24 14:06:33 -0300 Thumb picture

    Registro de finalizações: Ghosts 'N Goblins

    Zerado dia 23/09/18

    Esses dias o Alva ficou fora do ar, né? Fiquei com menos coisas pra fazer no celular e com uma semana super pesada fazendo plantões na escola e mudando de casa, descontei todo o cansaço acumulado nos videogames. Fechei a demo de teste do Dark Souls no Switch e isso me animou muito mais a não só comprá-lo, como entrar de cabeça em tudo da FromSoftware do DS em diante (coisa que eu estava meio que com medo de jogar, meio com preguiça).

    Além disso, com o Nintendo Online assinado, fui dar uma olhada nos jogos disponíveis e dos poucos que quero jogar, Ghosts 'N Goblins foi o que mais se destacou. Resolvi jogar logo, essa série que sempre tive um medinho de jogar também, mas que aparentemente, assim como DS, acho que foi a hora certa!

    De antemão já digo que me apaixonei pelo jogo! Minhas experiências com a série se baseavam em uma dúzia de mortes na primeira fase da versão de SNES e um gameplay resumido do Angry Video Game Nerd com o mesmo.

    GnG é difícil? É, mas nem tanto. Muita coisa da época era tenso. 

    A questão é que essa aventura é muito bem feita quando comparada com a enxurrada de tosquices dos consoles daquele tempo, como Wonder Boy, por exemplo. Cada morte é culpa sua mesmo! Não tem pegadinha!

    O negócio é saber usar a arma que você tiver coletado, aprender os padrões dos diferentes inimigos e manjar da física do jogo, pois o pulo segue a direção que você escolheu anteriormente, ao invés de ter toda aquela liberdade do Mario (acredite, essa pode ser uma das maiores dificuldades do jogo).

    Pra ser sincero, não achei o jogo tão difícil assim. Já tive experiências bem mais complicadas e a dificuldade de GnG é bem justa, mais tranquila que os Megaman por exemplo. Algo como um Mario pra gente grande.

    A jogabilidade é bem simples, graças aos 2 botões do consoles: pular e atacar, fora andar e abaixar com o d-pad. Os inimigos morrem com poucos hits (um difícil que não seja boss leva 4 porradas pra morrer) e seus ataques são sempre a longa distância e variam com cada arma:

    -Lança: a arma original de Arthur. Tem velocidade média e cadência média (2 na tela por vez);

    -Tocha: são jogadas para baixo em arco e ficam queimando um tempo. Achei bem ruim;

    -Machado: também jogado em arco, mas em maior distância;

    -Foice: uma espécie de sonic boom do Guile. Apenas uma na tela por vez. Não vi vantagem.

    -Faca: USE A FACA! Rápida, forte e com muitas na tela por vez.

    -Escudo: funciona como a lança, mas é maior e ainda bloqueia projéteis inimigos.

    Se tiver mais armas, nem importa. Use a faca!

    Há ainda outros coletáveis no jogo que fornecem pontos.

    Lembre-se: os inimigos morrem fácil, mas você também! Um hit é o bastante pra tirar a sua armadura e outro pra te matar! Pelo menos não há como dar game over e as fases tem checkpoints, mesmo se você perder todas as suas vidas.

    Uma coisa que me surpreendeu foi a duração da jogatina: pouco mais de 2 horas, contando que morri muuuuito. São apenas 8 estágios e o último é apenas a batalha final, bem fácil por sinal (rimou).

    Cheguei a usar savestates do emulador do Nintendo Switch Online, mas foram pouquíssimas vezes (tipo antes de um chefe pois não queria morrer e ter que refazer a fase toda) e quase sempre acabou nem precisando dar load.

    Resumindo: Ghosts 'N Goblins é uma experiência fantástica que demorei até demais pra conhecer de verdade. Um super jogo de NES, sem dúvidas. Virei fã e já vou jogar o restante!

    De bom: simples e bonito como uma resposta bacana ao Castlevania da Konami. Jogabilidade super funcional. O jogo nunca é injusto (com exceção talvez das batalhas contra Firebrands). Replay incrível, graças também aos checkpoints e continues infinitos e você acaba sempre ficando melhor e indo mais longe,mesmo voltando ao começo da parte em que morreu. Há um mapa entre as fases pra te situar e mostrar seu progresso.

    De ruim: a trollada clássica da Capcom de ter que zerá-lo duas vezes pra ver o final verdadeiro. Eu não o fiz, mas use um cheat pra jogar a batalha final depois e o zeramento real é horrível e cheio de erros de tradução. Firebrands (os demônios vermelhos voadores) tem padrões muito aleatórios. Quando subir ou descer uma escada tenha certeza de chegar até o final antes de apertar pros lados senão você fica paradão e pode tomar dano! Toda vez que morremos temos que ver o mapa do jogo nos mostrando onde estamos, e não há como pular.

    No geral, foi uma ótima experiência. Já quero jogar tudo relacionado a série!

    Ghosts 'N Goblins

    Plataforma: NES
    420 Jogadores
    7 Check-ins

    14
    • Micro picture
      jerfrey · 3 meses atrás · 2 pontos

      Cara, assim como você minhas primeiras experiências com esse jogo foram morrendo umas tantas poucas vezes e desistindo logo em seguida quando era pequeno, daí descobri o Alvanista recentemente e acabei reencontrando-o e voltei a jogar. Tô achando ele difícil, mas mais desafiador do que impossível, então tá valendo.

      1 resposta
  • gusgeek Gustavo Francescheto
    2016-12-14 13:02:03 -0200 Thumb picture
    28
    • Micro picture
      laumiramos · mais de 2 anos atrás · 2 pontos

      SHOW!!! esse game :D haha

Carregar mais postagens

Continuar lendo → Reduzir ←
Carregando...