• felipe_turesso Felipe Turesso
    2021-12-20 18:28:40 -0200 Thumb picture

    Os jogos eletrônicos são obras de arte?

    Medium 3893574 featured image

    Realmente os jogos são uma coisa muito especial, pois por meio deles é possível que a pessoa se transporte para outro mundo, aventurar-se nele e explorá-lo, buscar saber mais, conhecer os personagens, a cultura do local, entender como este universo funciona, dentre outras coisas. Aquele que joga adentra em outro mundo, assim como acontece ao assistir um filme, uma série televisiva ou um livro.

    Assim como George R. R. Martin afirma que “um leitor vive mil vidas antes de morrer” e que “O homem que nunca lê vive apenas uma”, pode-se dizer que um jogador também vive mil vidas, haja vista a grandiosidade de mundos que existem nos diversos jogos já lançados e aqueles que ainda não foram ou aqueles que foram cancelados.

    A título de esclarecimento, jogo também pode ser chamado de jogo eletrônico, game ou videogame. Basicamente, o jogo eletrônico é criado para ser executado em um aparelho e o jogador utilizará um controle (joystick), ou teclado e mouse ou algum meio que se possa inventar futuramente, para que ele possa interagir com o jogo. Deve existir um monitor ou televisão ou outro meio capaz de receber imagens e sons.

    O termo “eletrônico” existe para diferenciar o game do jogo que não necessita de um aparelho para ser executado, como por exemplo o pôquer, xadrez, jogos de tabuleiro, entre outros. Este aparelho é o dispositivo capaz de efetuar o funcionamento do jogo eletrônico, como por exemplo, os consoles, computadores pessoais, celulares, tablets, videogames portáteis, fliperamas, dente outros.

    Além disto, os jogos têm sua importância tanto na cultura quanto na economia, afinal inegavelmente a indústria dos jogos detém uma enorme arrecadação, maior do que a indústria do cinema e da música juntas. De fato, este setor da economia é notável, pois gera empregos, existem diversas pessoas que trabalham neste setor, principalmente brasileiros, dentre outras questões. O Newzoo fez uma previsão de que o mercado mundial de games de 2021 faturará cerca de US$ 175,8 bilhões.

    Aliás, o Newzoo complementa que mesmo diante das complicações envolvendo a pandemia do COVID-19, a indústria de jogos poderá ultrapassar o patamar de 200 bilhões de dólares no final de 2023. Percebe-se que a indústria arrecadou muito durante o ano de 2021, pois as pessoas permaneceram em suas casas e o interesse por jogos aumentou, entretanto, simultaneamente a pandemia gerou atrasos e impactos negativos no desenvolvimento de novos jogos.

    Dito isto, os jogos eletrônicos existem desde os anos setenta, ou seja, são cinco décadas criando games, consoles e mundos diferentes. Realmente os jogos possuem uma especialidade, algo muito único, afinal, certamente aquele que jogou um game possivelmente ficou deslumbrado com uma paisagem como em Journey. Fascinado por um mundo cheio de mistérios e coisas para explorar como na saga The Witcher. Impressionado com momentos épicos em batalhas contra chefes como em Dark Souls. Triste devido algum acontecimento ou momento assim como em The Last Guardian. Reflexivo devido um enredo como em BioShock.

    De fato, assim como filmes, músicas, livros, pinturas, dentre outras obras, vislumbra-se que os jogos são um outro meio de manifestar emoções e ideias, trata-se de um outro meio de expressão que advém da criatividade humana. Um jogo eletrônico é uma outra forma artística que surgiu em decorrência da tecnologia, assim como aconteceu com o cinema e a fotografia.

    Os jogos são obras muito únicas, quase que uma mistura de filme com livro. O cinema é conhecido como a sétima arte devido o “Manifesto das Sete Artes”, uma obra escrita pelo italiano Ricciotto Canudo em 1911. Basicamente, ele criou um sistema que estabelece as artes do espaço (pintura, escultura e arquitetura) e as artes do tempo (música, dança e poesia). Como o cinema é uma arte do espaço e do tempo, ele é “a grande síntese de todas, a sétima arte, pois parte de uma imagem projetada em uma superfície, como a pintura ou a fotografia, mas envolve o movimento, relacionando-se ao ritmo, ao tempo”.

    O cinema integra artes em uma forma de expressão, afinal, em um filme consta a imagem, música (trilha sonora), enredo, atuação dos atores, fotografia, sendo possível conter dança, poesia, dentre outras artes. Em suma, o cinema é a fusão de várias artes e o jogo também o é. Além de um jogo concentrar as referidas artes, ele contém um adicional: jogar. O jogador pode ir para onde quiser ou fazer o que quiser, dentro dos limites do game obviamente, mas pode admirar a paisagem (pintura, escultura, arquitetura, audiovisual), ouvir as músicas (trilha sonora) e compreender o enredo, seja em cinemáticas ou em documentos espalhados no jogo (literatura, interpretação, dublagem).

    Além de ser esta combinação de artes nas quais o cinema também é, o jogo possui mais um diferencial: a possibilidade de aprofundar sua estória assim como em um livro. Talvez seja mais difícil um filme realizar isto, coisa que em uma série televisiva seja mais fácil, contudo, como um jogo pode possuir uma duração maior do que a de um filme ou série certamente é mais viável aprofundar aspectos do enredo. Existem jogos que demoram 50 horas para serem finalizados e, claramente, o jogador possui seu ritmo para concretizar o game, assim como um leitor também possui.

    O próprio jogo The Witcher possui inúmeras missões secundárias que exploram outras questões que não tem relação com a estória principal. O jogador vive as aventuras de Geralt de Rívia, aprende mais sobre ele, conhece outros personagens nos diversos diálogos que existem no jogo, compreende mais o universo de The Witcher, lê documentos, dentre outras coisas. É como se todos os detalhes de um livro estivessem materializados no game, assim como acontece quando um filme é elaborado.

    Obviamente existem jogos curtos, mas podem possuir um enredo tão bom quanto um jogo grande, assim como existem livros pequenos e livros enormes. Isto também se aplica ao cinema, pois existem filmes curtos e outros longos. É preciso ressaltar que cada jogo possui sua abordagem/foco, sendo assim, existem games que possuem um enredo, mas que não é tão explorado quanto em outros jogos, todavia possuem outros aspectos que são formidáveis como os gráficos, trilha sonora, dentre outras artes que sejam inseridas no jogo. De fato, cada jogo é um caso, assim como acontece com filmes e livros.

    Diante disto que se afirma que os jogos são uma mistura de cinema com livro, portanto, um jogo possui o audiovisual, a literatura e a jogabilidade, tornando-o uma obra de arte única. Jogar vários jogos é similar a assistir vários filmes ou ler vários livros, haja vista as semelhanças já mencionadas. São vários universos, vários mundos que são possíveis de serem explorados.

    Uma maneira de demonstrar mais esta questão é por meio do jogo Marvel’s Spider-Man. Além de possuir um enredo intrigante, o game possui coletáveis interessantíssimos, ou seja, itens que o jogador pode encontrar no mapa e coletar. Ao verificar o item obtido, Peter Parker faz comentários sobre estes objetos que são mais informações do universo do Homem-Aranha, ou seja, explica outros aspectos que complementam ainda mais a estória.

    Os coletáveis de Marvel’s Spider-Man é um diferencial espetacular e muitas empresas deveriam adotar estas mesmas mecânicas, pois são coletáveis que agregam em alguma coisa, que enriquecem o enredo ou a jogabilidade.

    Evidentemente isto também se vislumbra em outros jogos como Fallout, Resident Evil, The Last of Us, Assassin’s Creed, BioShock, To The Moon, dentre outros. Isto não é apenas em relação a estória do jogo, mas também aos gráficos nos quais são a parte visual do jogo (pintura, escultura, audiovisual etc.) e que certamente é fascinante.

    Perambular pelos cenários de Red Dead Redemption é incrível, mas não apenas pela beleza, mas também pelas emoções que podem ser transmitidas. Cavalgar tranquilamente pelos campos verdes em New Hanover causa uma calmaria e felicidade interna tão boa, sendo capaz de fazer o jogador esquecer completamente seus problemas diários. Por outro lado, explorar e desvendar os mistérios de Silent Hill certamente pode causar medo e uma sensação de vulnerabilidade. Ao observar os cenários macabros de Tormentum – Dark Sorrow se percebe o quão desolado e sem esperanças este mundo é. Dito isto, é inegável que os jogos conseguem transmitir ideias e sentimentos por meio de seu visual, assim como uma pintura também faz.

    Ainda, são incontáveis as extraordinárias trilhas sonoras já criadas e que também conseguem transmitir sentimentos como segurança com as músicas das salas seguras de Resident Evil. Há aquelas músicas que causam receio e uma atmosfera de mistério como em Ecco The Dolphin, assim como existem músicas que empolgam uma batalha contra um chefe como em God of War (2018). Novamente, os jogos ocasionam isto assim como a arte da música.

    Apesar de tudo que foi exposto, alguns se questionam se de fato os jogos eletrônicos podem ser considerados arte. Talvez seja óbvio dizer que jogos são arte para aqueles que jogam, entretanto, Roger Ebert argumentou, em 2005, que não existem games “dignos de comparação com os grandes dramaturgos, poetas, cineastas, romancistas e compositores (...)” e que os “(...) videogames representam uma perda daquelas horas preciosas que temos disponíveis para nos tornarmos mais cultos, civilizados e empáticos”.

    O próprio Hideo Kojima, criador da saga Metal Gear, afirmou em uma entrevista que concorda com Ebert e que “Arte é algo que irradia o artista”, logo “Se 100 pessoas passam e uma única pessoa é cativada por tudo o que aquela peça irradia, é arte”. Para Kojima, os jogos são “uma espécie de serviço” e não arte, mas ele crê “que o jeito de prestar serviço com esse videogame é um estilo artístico, uma forma de arte”.

    Kojima argumenta que “Arte é o que você encontra no museu, seja uma pintura ou uma estátua. O que estou fazendo, o que os criadores de videogames estão fazendo, é administrar o museu – como fazemos iluminar as coisas, onde colocamos as coisas, como vendemos os ingressos?”.

    Diante disto, questiona-se o que é arte? Qual a definição de arte? Há muita discussão acerca disto, porém, concorda-se com a corrente de que não há como definir arte, haja vista sua enorme subjetividade. Para alguns uma obra pode ser considerada arte enquanto para outros não. Isto é visível entre povos, portanto, culturas que consideram algo como arte e outras não, além de que em uma época algo não era considerado arte e hoje o é.

    O filósofo estadunidense Morris Weitz argumenta que teorias falharam na “tentativa logicamente vã de se definir o que não pode ser definido, de determinar as propriedades necessárias e suficientes daquilo que não possui tais propriedades”. Cita-se o artigo de Rosi Leny Morokawa para uma compreensão aprimorada:

    "Segundo Weitz, por seu 'caráter expansivo e aventureiro, suas sempre presentes mudanças e criações novas', a arte é logicamente impossível de ser definida por um conjunto de propriedades comuns às obras de arte. Quando tentamos definir a arte a partir de condições necessárias e suficientes, segundo a tese da impossibilidade da definição, fechamos o conceito por tentarmos aplicar à arte um tratamento aplicado aos conceitos matemáticos. O conceito de arte, para Weitz, é como o de jogo: possui alguma indeterminação, por isso é um conceito aberto. Uma definição fecharia o conceito de arte e estipularia o alcance do seu uso. Assim, podemos compreender que, para Weitz, as definições não somente falham em capturar a natureza da arte, mas impõem limites ao seu caráter criativo". (Grifo nosso).

    Considerando os pensamentos de Weitz, não há como definir arte, sendo assim, a tentativa de se estabelecer um conceito resulta em limitações, e talvez contradições, assim como Kojima fez. Percebe-se que ele aplicou o entendimento do que ele compreende como arte e, evidentemente, restringiu não apenas os jogos, mas outras obras que são consideradas artes e talvez não se encaixem em sua definição.

    Analisando sob a ótica do Direito, mais especificamente o Direito Brasileiro, a Lei Federal Nº 9.610/98, na qual é a Lei de Direitos Autorais, não estabelece nenhuma definição do que é arte, apenas estabelece que a expressão de uma ideia, ou seja, a criação de uma obra intelectual, é protegida pelo Direito Autoral, afinal, esta criação advém da criatividade, da mente de uma pessoa. O Artigo 7º da referida Lei determina que as obras intelectuais que foram criadas a partir das “criações do espírito” (criatividade, mente, intelecto) e expressas por qualquer meio ou fixadas em qualquer suporte, tangível ou intangível, conhecido ou que se invente no futuro, são protegidas pela lei brasileira.

    Ademais, a Lei não elenca uma lista fechada de obras que são protegidas, pois é impossível dizer todas as obras que sejam possíveis de serem elaboradas. Assim como o cinema e os jogos eletrônicos foram inventados, outros tipos de obras podem ser criados futuramente.

    Não se busca aqui estabelecer uma definição de arte, mas a redação da Lei de Direitos Autorais apresenta uma descrição aberta e que não impõe parâmetros que causem limitações, afinal, obras intelectuais, também denominadas como obras literárias, artísticas ou científicas, são produzidas pela criatividade humana. Dito isto, basta analisar os exemplos citados no Artigo 7º da Lei de Direitos Autorais para perceber que textos literários, composições musicais, obras audiovisuais (cinema), pintura, escultura, dentre outras, inegavelmente são fruto da mente humana e são arte.

    É uma visão muita simplista considerar apenas que jogos são programas de computador com regras pré-determinas e que o único objetivo do jogador é vencer. Há muitos detalhes neste desenrolar que tornam esta afirmação muito rasa, portanto, justamente por isto que os jogos eletrônicos são obras de arte únicas. Seria o mesmo que afirmar que a pintura “Festa Escolar no Ipiranga” (1912) de Agustín Salinas y Teruel é apenas uma paisagem que o autor quis pintar.

    Ante o exposto, conclui-se que os jogos são obras de arte, mais precisamente obras únicas, pois assim como o cinema, um jogo é capaz de combinar artes como a literatura, música e a pintura, e possui o adicional de jogar, ou seja, a possibilidade de interagir com este universo.

    Pode ser que para algumas pessoas os jogos não sejam arte, talvez seja necessário que esta ideia seja amadurecida com o passar do tempo, afinal, considerando que não há uma definição de arte, ou seja, de que se trata de algo subjetivo, possivelmente os jogos serão universalmente considerados arte, assim como ocorreu com o cinema e a fotografia.

    O jogo eletrônico é uma obra de arte na qual é fruto do avanço tecnológico e que integra os elementos de outras artes, assim como o cinema, contudo, possui a interatividade ou jogabilidade. Os jogos são um outro meio de manifestar emoções e ideias, um outro meio de expressão que advém da criatividade humana, uma outra obra de arte.

    Referências:

    EBERT, Roger. Why did the chicken cross the genders? - Chicago Sun-Times. 27 de Novembro de 2005. Disponível em <https://www.rogerebert.com/answer-man/why-did-the-chicken-cross-the-genders>. Acesso em 18/06/2021.

    GIBSON, Ellie. Games aren't art, says Kojima. Eurogamer. 24 de Janeiro de 2006. Disponível em <https://www.eurogamer.net/articles/news240106kojimaart>. Acesso em 18/06/2021.

    Lei Federal Nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998 – Altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências.

    MOROKAWA, Rosi Leny. Definir ou não definir arte: objeções à tese da impossibilidade da definição de arte e perspectivas teóricas após Morris Weitz. Este artigo foi escrito em parte durante pesquisa realizada com financiamento da CAPES. ARS (São Paulo) [online]. 2018, v. 16, n. 34 [Acessado 18 Junho 2021], pp. 93-111. Disponível em: < https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2018.131879.>. ISSN 2178-0447. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2018.131879.

    SESCSP. Por que o Cinema é conhecido como a “sétima arte”? – 11 de Dezembro de 2018. Disponível em <https://www.sescsp.org.br/online/artigo/12781_POR+QUE+O+CINEMA+E+CONHECIDO+COMO+A+SETIMA+ARTE>. Acesso em 16/06/2021.

    WIJMAN, Tom Wijman. Global Games Market to Generate $175.8 Billion in 2021; Despite a Slight Decline, the Market Is on Track to Surpass $200 Billion in 2023. Newzoo. 06 de Maio de 2021. Disponível em <https://newzoo.com/insights/articles/global-games-market-to-generate-175-8-billion-in-2021-despite-a-slight-decline-the-market-is-on-track-to-surpass-200-billion-in-2023/>. Acesso em 16/06/2021.

    Super Mario World

    Platform: SNES
    27436 Players
    391 Check-ins

    28
    • Micro picture
      noblenexus · 26 days ago · 3 pontos

      Interessante que mesmo a industria de games gerando tranto emprego e ganhando tanto dinheiro ainda seja considerado pelas massas como 'joguinho pra criança' (ou passa tempo de vagabundo/preguisoço), eu mesmo já tive minha maturidade questionada ao dizer que preferia jogar no computador do que asssitir uns caras correndo atrás de uma bola em um gramado por 90 minutos rsrsrs
      Quanto a arte eu tenho uma definição abstrata que acredito se encaixar bem na maioria dos casos, que é bem semelhante ao que está na lei. Pessoas que falam que pinturas renascentistas são arte, mas pinturas no photoshop de hoje em dia não, estão apenas sendo teimosas e insistindo no clássico 'antigamente era melhor'.

    • Micro picture
      artigos · 28 days ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      kess · 26 days ago · 2 pontos

      Primeiro de tudo, temos que tirar da cabeça do grande público que os games não são prejudiciais, não fazem as pessoas se tornarem assassinas, agressivas ou são a pecaminosa origem de qualquer outro mal da sociedade.
      Uma vez que esse preconceito seja extirpado, daí sim pode-se começar uma discussão mais profunda sobre ser uma arte. E certamente, a grande maioria dos jogadores deve sim, considerar os games arte.

  • anebarone Ane
    2021-11-07 02:32:43 -0200 Thumb picture

    As nhenhentas fanarts de 2021

    p.s. espero que estejam bem. Se cuidem :)

    Tem Zelda, Dragon Age, Control, Bannerlord, Max Payne... Galera que me segue em outras redes já viu, mas vim fazer o dump no Alva.

    Tô só trabalhando e mal saio de casa, mas foi um ano fenomenal de freelas e projetos pessoais. #gratidao total e espero que essas paradas (minhas skills, tirar grana disso etc) cresçam cada vez mais uheuheuhe.

    Amigos que pediram para ser marcados (avisem se quiserem entrar ou sair da lista!)

    @jokenpo @drodro @laumiramos @darlanfagundes @inksketch @ermeson @flaviohideki @raccoon @typhonite @akromvaleth @ralfrisi @tiagoandrade @marcusmatheus @vinicios_santana_3 @manoelnsn @wildwolf @raquelita @kratos1998 @tiagoandrade @onai_onai @manoelnsn @volstag @ticianavalle @roberto_monteiro

    E o caminhão de links:

    Podcast dos jogos (em hiato) | Patreon (cobrança mensal no máximo, só faço ela qdo libero um pacote de artes. 2021 mal teve cobrança, inclusive) | Twitter | Instagram | Twitter de shitpost e jogos (só ando falando de jogos no twitter) | E a persona de gameplays/cast @bichosgeeks


    The Legend of Zelda: Twilight Princess

    Platform: Nintendo Wii
    6281 Players
    368 Check-ins

    35
    • Micro picture
      anebarone · 3 months ago · 2 pontos

      Esqueci de avisar: Se alguém comentou num post meu e não respondi, da um toque aqui ou por mensagens, pq fico mto tempo sem entrar perco as notificações

    • Micro picture
      manoelnsn · 3 months ago · 2 pontos

      Caramba, uma mais incrível do que a outra!

      1 reply
    • Micro picture
      vinicios_santana · 3 months ago · 2 pontos

      Minha favorita foi a das elfas na mesa, ando tão viciado em card games que já esperava que elas estivessem jogando Gwent hahahaha. Meu nome ali tem de mudar, não é mais Santana_3

      2 replies
  • 2021-10-13 14:45:21 -0300 Thumb picture

    Podcast do Clube Ludum!

    Agora o Clube Ludum possui um podcast chamado Papo Ludum para expor pensamentos, opiniões, reflexões, dentre outras coisas, que envolvem o mundo dos games. No primeiro episódio, vamos bater um papo sobre se os jogos são obras de arte. É um tema porreta hein.


    O podcast está disponível também no Spotify: https://open.spotify.com/episode/6SkdBjqzxo41FhFgSmsQfe?si=ra4NN1pATYS2ow_gqsg4lA&dl_branch=1

    Super Mario World

    Platform: SNES
    27436 Players
    391 Check-ins

    8
    • Micro picture
      volstag · 3 months ago · 2 pontos

      Aí sim, vou tentar acompanhar

  • spieluhr Marcela/Ashiya
    2021-09-22 21:38:28 -0300 Thumb picture

    Alys Lavellan

    Medium 792490 3309110367

    Minha personagem em Dragon Age Inquisition :3 fiz no procreate.

    Tenho jogado Pathfinder: Wrath of the Righteous desde que foi lançado mas não achei aqui no site ainda.

    Dragon Age: Inquisition

    Platform: Playstation 4
    1149 Players
    537 Check-ins

    7
  • spieluhr Marcela/Ashiya
    2021-07-12 16:15:57 -0300 Thumb picture
    Post by spieluhr: <p>#img#[783127]Mandando mais um desenho meu recent

    Mandando mais um desenho meu recente, essa personagem foi inspirada numa que joguei no antigo Icewind Dale 2. Usei uns mods de personagens pra vc ter uma party que nem do Baldur's Gate. Mas nunca terminei, achei mto dificil x_x auheuahe

    9
    • Micro picture
      zefie · 6 months ago · 2 pontos

      Twitter é complicado mesmo, mas acho o nível de toxicidade lá praticamente a mesma do Facebook. A diferença é que o Facebook geralmente os artistas não costumam usar, por isso não passam tanto por essas coisas lá.

      1 reply
  • spieluhr Marcela/Ashiya
    2021-06-22 01:23:06 -0300 Thumb picture

    Sam (sung)

    Medium 780069 3309110367

    Oi, alguém se lembra de mim? xD Desculpem o sumiço. Há um tempinho essa personagem (Sam, que seria para a assistente de voz da Samsung) explodiu no twitter e eu resolvi desenha-la, resolvi fazer um pinup comportado hahah (acho que não precisa marcar como nsfw mas se sim me avisem). Eu achei a personagem muito fofa e curti o estilo dos renders! To começando na arte 3d também, e um dia espero fazer algo daquele jeito o.o 
    Enfim, não estou nem um pouco perto de comprar meu sonhado Switch, e tenho jogado algumas coisitas no pc, farei uns posts.
    Vcs podem ver meus desenhos no Instagram: @oi.elci
    Ou no twitter (mas no twitter eu posto nsfw então sejam maiores de idade por favor): @oi_elci
    Tenho página no face também (https://www.facebook.com/elciled/)

    21
    • Micro picture
      zefie · 7 months ago · 2 pontos

      Bem vinda de volta xD e o desenho ficou muito bom (e bem comportado mesmo perto do tanto de coisa que já apareceu ahahauhauha)

      2 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · 7 months ago · 2 pontos

      Ficou muito foda!

      1 reply
  • lendariorandom Lendário Random
    2021-03-15 09:02:54 -0300 Thumb picture

    Galera tô querendo criar uma persona

    Gente eu tô pensando num projeto e como gosto de escrever e compartilhar coisas que acho legais, queria a opinião de vocês antes de passar vergonha. Sei que é uma rede social pra jogos e talvez cultura nerd mas o quê vocês acharam duma persona sobre música, literatura, animes, filmes, idéias etc coisas como análises e enfim temas diversos?

    Seria algo meio conceitual mas acho que talvez agrade. Aguardo comentários e agradeço desde já o feedback.

    20
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2021-03-02 20:41:06 -0300 Thumb picture
    Post by luchta: <p><a href="https://pbs.twimg.com/media/EvgEC97XEAM

    Eu sigo muitos artistas no meu Twitter, tanto orientais quanto ocidentais. E eu andei observando que dos que fazem artes do Genshin Impact, os ocidentais preferem mais as personagens femininas mais adultas como Beidou, LisaNingguang Jean. Já os orientais preferem as mais novas, como a Mona, KleeBarbara Ganyu. Parece que eu estou detectando um certo padrão perigoso nas preferencias orientais...

    Artista: https://twitter.com/MikkuSushi

    Genshin Impact

    Platform: PC
    61 Players
    77 Check-ins

    5
  • luchta Ewerton Ribeiro
    2021-02-21 14:08:30 -0300 Thumb picture
    Post by luchta: <p>Personagem novo de <strong>Guilty Gear -Strive-

    Personagem novo de Guilty Gear -Strive- sai! Artistas: GOTTA GO FASTER!

    I-NO por Zoma Phamoz

    Guilty Gear -Strive-

    Platform: PC
    21 Players
    32 Check-ins

    18
  • lendariorandom Lendário Random
    2021-02-16 08:45:01 -0200 Thumb picture

    Só pq gosto de Tekken

    Medium 761652 3309110367

    (foto do pinterest, pois não tenho psp)

    Eu não cheguei a jogar essa versão ainda. Mas jogo o 5 normal de PS2. Qual o personagem favorito de vocês nesse jogo? Pra mim é a Azuka 

    Tekken 5 (Ultimate Collectors Edition)

    Platform: Playstation 2
    35 Players

    13
    • Micro picture
      xch_choram · 11 months ago · 2 pontos

      Nesse Dark Resurrection que aparece a Lili :D

      1 reply
    • Micro picture
      vante · 11 months ago · 2 pontos

      Eu costumava jogar ou com o Lei (vulgo Jackie Chan) ou com o Hworang com mais frequência.

      1 reply
    • Micro picture
      vicente_gabriel · 11 months ago · 2 pontos

      não tem jeito, o 5 é o jogo do Blade kkkkkkk
      fora o Raven sempre gostei muito do Jack e da Christie (e talvez o Lei), mas não que eu seja bom com qualquer um deles kkkkkkkk

      1 reply

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...