• vinicios_santana_3 Vinicios Santana
    2019-05-21 21:06:30 -0300 Thumb picture
    vinicios_santana_3 checked-in to:
    Post by vinicios_santana_3: <p>#img#[637452]</p><p>Inicialmente joguei a versão
    Knights of the Round

    Platform: Arcade
    204 Players
    12 Check-ins

    Inicialmente joguei a versão de SNES, cheguei até a quinta fase, mas apesar da grande quantidade de continues, o jogo ainda é difícil, todo o sistema de papa-fichas com inimigos fortes com golpes mortais, veio da versão dos arcades pro SNES.

    Depois do game over, fiquei com preguiça de começar de novo nessa mesma versão e fui pra de arcades, já que, mesmo ainda sendo difícil, pelo menos haviam continues infinitos.

    Bom, falemos do jogo em si, Knights of the Round é um jogo no estilo beat'em up na era medieval, contando a história de Arthur e seus cavaleiros mais leais, Lancelot e Perceval, a história em si é bem superficial, os inimigos bem genéricos, trilha fraca e golpes sem muita variação.

    Mas o diferencial, e o que nos faz querer jogar até o fim, é o sistema de upgrades das armaduras, no decorrer das fases, vamos recolhendo tesouros e somando pontos, que quando chegam a determinada quantia, evoluem as armaduras, armas e dano dos personagens.

    Algo curioso dessas evoluções, é que Perceval vai ficando careca e de cavanhaque, no final, parece até outra pessoa.

    As versões de SNES e arcade, são bem similares, obviamente o de SNES tem suas limitações, mas até onde joguei, emulou com certa fidelidade os eventos ocorridos, com a diferença dos modelos serem menores e ter menos inimigos, além de terem adicionado um botão específico para defesa, que no arcade é feita com o comando trás + ataque.

    Sou um jogador regular, consegui passar por grandes sessões, sem levar dano, mas Knights of the Round como um todo, é um jogo muito difícil, se for pego entre inimigos, certamente morrerá, morri mais de 50 vezes, fico imaginando a grana investida se estivesse num arcade de fato.

    Não sei se jogando de 2 as coisas facilitam ou complicam,meu irmão não animou jogar comigo pelos combos fracos, não o culpo rs, eu mesmo só joguei por ser fan das Lendas Arthurianas, mas mesmo assim não me acrescentou nada.

    Bom, é isso,até o próximo check-in.

    19
  • vinicios_santana_3 Vinicios Santana
    2019-04-17 22:00:54 -0300 Thumb picture
    vinicios_santana_3 checked-in to:
    Post by vinicios_santana_3: <p>#img#[631296]</p><p>Com a ajuda do amigo @avmnet
    Armored Warriors

    Platform: Arcade
    110 Players
    7 Check-ins

    Com a ajuda do amigo @avmnetto , consegui achar um emulador competente de Mame para a TV Box.

    Com isso, uma nova leva de jogos se abriu.

    Ainda no clima do Front Mission 3, me veio a mente um jogo que curtia bastante, mas não lembro de ter zerado.

    O jogo é Armored Warriors, com o mesmo clima do uso de mechas. para guerras, mas desta vez guerras interplanetárias além dos conflitos políticos.

    O jogo é no estilo consagrado nos arcades, beat' em up, nele podemos controlar um dos 4 personagens disponíveis, cada um com habilidades distintas, sendo uns rápidos e fracos, outros lentos e fortes, algo que muitos já estão familiarizados.

    O jogo permite um multiplay de até 3 jogadores, não sei por que esse número e ter 4 personagens.

    Um diferencial que agrega e muito ao jogo, é poder usar partes dos mechas derrotados, variando e muito o gameplay.

    Minha arma/parte favorita, é sem dúvidas o sabre laser, seus combos são mais eficientes, além de ter a opção de carregar o botão para um corte devastador.

    Também há a opção de se trocar as pernas e arma secundária, normalmente metralhadoras, bazukas e lança chamas, que têm uma certa quantidade de munição.

    Um detalhe que o personagem principal, Rash, lembra muito o Ryu do Street Fighter, é algo até normal, visto que o artista deve ter trabalhado também na série de luta, já que Armored Warriors também é da Capcom.

    Outra curiosidade, é que o mecha de Rash, aparece no jogo Marvel Vs Capcom, sendo pilotado por Jin Saotome.

    Isso ocorreu pois no seu jogo de origem, cyberbots fullmetal madness, Jim tinha a opção de controlar Blodia, o mecha de Rash.

    Um ponto negativo é que o jogo é muito difícil, um verdadeiro papa fichas, algumas vidas minhas não duraram nem 30 segundos, como joguei no emulador, com fichas infinitas, então não senti tanto o peso da dificuldade, mas imagino na época, iria gastar algumas dezenas de fichas.

    Morri muito e a cada continue testei os diferentes personagens, mas o que acabou agradando foi o Rash mesmo que é o mais balanceado.

    Apesar da dificuldade, é um jogo curto, 8 fases, e em menos de uma hora já o tinha finalizado.

    No geral é um ótimo jogo, gostei do enredo, mecânicas e ambientação, ainda mais por ter acabado de jogar Front Mission.

    Quero jogar e rejogar alguns clássicos dos arcades, de preferencia em multiplay com meu irmão ou algum amigo.

    Bom, é isso, até o próximo check-in.

    20
    • Micro picture
      marlonildo · about 1 month ago · 2 pontos

      Ae, conseguiu jogar rs
      Tbem curti mais a espada, e as pernas que pula nos inimigos

      2 replies
    • Micro picture
      avmnetto · about 1 month ago · 2 pontos

      Fico feliz de ter colaborado para a abertura desse novo leque de opções para jogatina por aí, hehe! Armored Warriors é muito bom!

      1 reply

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...