• 2018-05-08 14:23:29 -0300 Thumb picture
  • brunothebigboss Bruno dos Anjos Seixas
    2017-03-14 19:19:15 -0300 Thumb picture

    O que aconteceu com as demos?

    Medium 3468584 featured image

    Mesmo o mais casual dos gamers deve ter reparado que, na atual geração, as demos simplesmente SUMIRAM do mapa. São pouquíssimas as empresas que lançam demos hoje em dia. São tão poucas que, por exemplo, nem há uma seção dedicada a elas na PSN do PS4.

    Pra quem não sabe o que são demos(ou demonstrações), elas são partes já finalizadas(ao contrário de uma BETA) do jogo(às vezes pode não estar no jogo, como em Beginning Hour), que são liberadas para os jogadores testarem o jogo, assim, sabendo como ele é. Antigamente, elas vinham em "discos de demos", que geralmente eram encontrados em revistas, promoções ou em outros jogos(como a demo de MGS2), mas com o advento da PSN e da Xbox Live,essas demos passaram a ser distribuídas digitalmente.

    Porém, na atual geração, há uma grande escassez de demos. A princípio, isso não parece tão ruim, porém, lembre-se que as demos funcionam como "primeiras impressões" de um jogo, que poderia ter jogos que quebraram a cara de muita gente, ou ter convencido as pessoas a comprá-los.

    Eu, por exemplo, joguei as demos de NieR: Automata, Resident Evil 7 e Killzone 3(este em 2012), e com isso, praticamente quis esses jogos pra ontem, pois as demos eram muito boas mesmo!

    Então, porque existem tão poucas demos nos dias de hoje? Tenho algumas (possíveis) explicações que gostaria de compartilhar com vocês. Enquanto faço isso, vou colocando algumas demos de jogos famosos:

    Hype

    Não tem jeito, o hype é o maior problema da indústria dos games atualmente,e ele é o responsável por mais esse problema. Com tantos jogos prometendo tanto atualmente, a maioria das desenvolvedoras não quer nem pensar em fazer demos para que o público não tenha um choque de realidade.É claro que isso não quer dizer que as empresas que não lançam demos tem certeza de que seus jogos são ruins, visto que até empresas renomadas como Rockstar e CD Projekt Red lançaram demos recentemente. O que nos leva ao próximo ponto...

    Orçamento/Falta de tempo

    Os jogos estão ficando cada vez mais caros atualmente, isso é um fato. Devido a isso, e na busca de obter o maior lucro possível, muitas empresas nem pensam em lançar demos, pois é arriscado demais e sempre há uma chance de perder jogadores por causa dela. Esse medo não chega a ser infundado, eu mesmo já desisti de comprar vários jogos por causa da demo, e creio que vocês também.

    Outra causa é a falta de tempo. Os desenvolvedores podem estar tão pressionados a finalizar o jogo que, muitas vezes,  não terão tempo para se dedicarem a uma demo.Com isso, vamos ao último ponto:

    Advento das BETAs

    Nesta geração, com o maior envolvimento da internet nos games, apareceram as versões BETAs de jogos. Elas já existiam no PC,  mas só agora se tornou viável nos consoles.

    Como já disse na introdução, a BETA NÃO é uma demo! Ela também é uma parte do produto, só que incompleta, fica disponível por tempo limitado e nem todos tem acesso a mesma. Além disso, a empresa pode lançar essa BETA para ter o feedback do público, e assim aumentar ainda mais o hype.

    Infelizmente, ao contrário do que algumas pessoas(e talvez as empresas) pensem, a BETA não substitui a demo, pois, como foi dito, a BETA é limitada, incompleta, e não representam a qualidade final do produto(apesar que também existem demos mentirosas)

    Considerações finais

    Demos sempre existiram no mundo gamer, mas vocês devem ter percebido que elas estão seriamente ameaçadas, e não é loucura dizer que elas estão com os dias contados, se limitando a um punhado de empresas que realmente confiam no seu produto. Infelizmente, não sei como mudar essa realidade. A tendência, no futuro, é que elas minguem ainda mais.

    Espero que tenham gostado do artigo. Se tem algum elogio, crítica, ou sugestão, não deixe de comentar aqui embaixo.

    Por hoje é só. Até mais!

    NieR: Automata

    Platform: Playstation 4
    502 Players
    140 Check-ins

    48
    • Micro picture
      herics · about 2 years ago · 2 pontos

      Ótimo conteúdo. Parabéns!

    • Micro picture
      zir0 · about 2 years ago · 2 pontos

      eles pensam praque demo, se existe youtuber x D

      mas serio sinto falta ainda+ nessa geração que e so taca pra download cara

    • Micro picture
      realgex · about 2 years ago · 2 pontos

      Quem é das antigas deve se lembrar das demos de Extreme Pinball ou de Dark Forces, jogos fantásticos. Vale lembrar que na época o que impulsionou os Pcs foram justamente as demos.

      2 replies
  • cafecomgames Café com Games
    2015-07-06 14:07:14 -0300 Thumb picture
  • 2015-06-17 16:59:00 -0300 Thumb picture

    Indie vs AAA

    Boa Tarde Pessoas Batutas !

    Um gênero que vem crescendo muito na indústria de games nos últimos anos é o de jogos independentes. Graças aos meios de distribuição online de jogos digitais, cada vez mais desenvolvedores estão tendo a chance de criar seu próprio jogo sem precisar da ajuda financeira de empresas maiores.

    Por terem um custo de produção bem mais baixo do que o de um AAA, os jogos Indies geralmente têm a liberdade de arriscar mais, seja no gameplay, no enredo ou até mesmo na arte. Por isso, os jogos Indies têm conquistado o coração de cada vez mais pessoas, (inclusive o deste que vos escreve <3) e tomado uma boa parcela do mercado, forçando grandes empresas como a Microsoft, a Sony e a Nintendo, a investir nesse tipo de jogo para seus consoles.

    Porém, por não ter todo o apoio financeiro de um AAA, um jogo independente dificilmente terá gráficos ultra realistas  ou o nível de produção e complexidade de um Triple A.

    Outro fator que pesa é que dificilmente você terá a cópia física de um jogo independente, que são na grande maioria, lançados digitalmente. Como muita gente gosta de ter o jogo na caixa, acabam optando por um AAA na hora de comprar.

    E você leitor, o que acha de toda essa história ? Assim como eu, é apaixonado por indie games ? Ou prefere jogos mais complexos e com gráficos ultra realistas ?

    Deixe sua opinião nos comentários !

    @doctorlarry

    PS : Quando me refiro a "Indie" no texto, estou me referindo ao estilo de jogo mais arriscado e geralmente mais simples, apostando na criatividade e inovação, e não ao processo de desenvolvimento em que necessariamente deve ser "independente".

    Super Meat Boy

    Platform: PC
    3672 Players
    154 Check-ins

    45
    • Micro picture
      montanaro · almost 4 years ago · 6 pontos

      Só não chamaria de "gênero" para não confundir uma coisa com outra. Ser Indie ou ser AAA é muito mais uma questão de lógica de produção do que algo de linguagem. Claro que uma coisa influencia na outra, mas... bom, vcs me entenderam, né?

      Acho que o mercado está, cada vez mais, migrando para o digital. Os jogos lançados exclusivamente nesse sistema só estão sendo coerentes com a sua lógica de baixo custo. Afinal, não é possível cobrar o mesmo preço de uma cópia impressa de uma AAA e se cobrar o valor proporcional, a mídia não se paga. Mas não acho isso ruim. Tendência de mercado é isso mesmo e acho que ambos os sistemas de produção - e todas as variantes entre eles, como jogos menores, mas produzidos por grandes companhias, a exemplo de Child of Light - podem coexistir em sintonia, sem competir, mas se complementando.

      3 replies
    • Micro picture
      juninhonash · almost 4 years ago · 3 pontos

      Aliás, ótimo texto.

      1 reply
    • Micro picture
      matheusps92 · almost 4 years ago · 3 pontos

      Tem muito jogo indie que eu adoro, e acho que alguns deles batem de frente com muito AAA. O problema, pelo menos pra mim, é que eu não consigo mergulhar no mundo da maioria desses jogos. A maioria deles não me dá a sensação de que existe um mundo pra ser explorado, mas sim de que é apenas um jogo divertido pra matar tempo. Como eles não suprem as minhas necessidades eu intercalo eles com algum jogo "maior" pra compensar isso. E outra coisa, também acho que esses jogos do tipo plataforma/puzzle com gráfico 16 bits já estão saturando o mercado, convenhamos que muitas desenvolvedoras indies não estão mais inovando como antigamente.

      2 replies
  • 2015-03-05 23:58:33 -0300 Thumb picture

    The Point: Como o conteúdo está matando os AAAs

    Neste episódio do The Point, a polêmica acerca do conteúdo x duração dos jogos é abordada puxando o caso de The Order, que decepcionou uma boa parte de seus consumidores e críticos.

    6
  • xualexandre Alexandre Schwarzenegger
    2014-11-14 08:30:22 -0200 Thumb picture
    xualexandre checked-in to:
    Post by xualexandre: <p>Meio paradoxal eu estar adorando esse jogo, devi
    Call of Duty: Advanced Warfare

    Platform: PC
    150 Players
    79 Check-ins

    Meio paradoxal eu estar adorando esse jogo, devido ao tanto que eu ando falando mal da Ubisoft e seus AAA de cocô com suas desculpas esfarrapadas pra contornar seus erros e continuar com eles.

    Mas esse jogo tá animal, cada missão tem seus momentos mindblowing. Andar de motinha por Detroid, andar de barco por aí enquanto tudo explode e fica em câmera lenta. Que a indústria continuem com esses super AAA.

    Fugir de um Sniper que dispara um lazer pesado à uns dois Km de distância é  foda.

    O melhor piloto de drone que já se viu.

    System Hack.

    Tão Matrix o enxame de drones.

    Meet the man!

    De boas na cachoeira.

    14
    • Micro picture
      volneisoares · over 4 years ago · 2 pontos

      O próximo CoD podia ser o Jurassic War ^_^

      2 replies
    • Micro picture
      roberto_tio · over 4 years ago · 2 pontos

      Eu estou pensando seriamente em comprar, vi alguns gameplays e achei demais

      1 reply
    • Micro picture
      _gustavo · over 4 years ago · 1 ponto

      To com ele no x360 e joguei só o começo do começo vou ver se pego no pc que é mais divertido KKKKK

  • vagnerbarbosa Vagner Barbosa
    2014-06-20 18:05:40 -0300 Thumb picture
  • vagnerbarbosa Vagner Barbosa
    2014-06-20 09:30:27 -0300 Thumb picture
    vagnerbarbosa checked-in to:
    Post by vagnerbarbosa: <p>Porque as vezes um "AAA'zinho" é bom também! :3<
    Far Cry 3

    Platform: PC
    4084 Players
    303 Check-ins

    Porque as vezes um "AAA'zinho" é bom também! :3

    0
  • zxkuroi Tony Almeida
    2014-06-17 00:16:01 -0300 Thumb picture
    Post by zxkuroi: <p>Não posso fazer nada se os indies muitas vezes m

    Não posso fazer nada se os indies muitas vezes me divertem mais que os AAA ^^

    Parte dessa conquista devo ao @kiliano e ao seu trabalho com o @365indies ;)

    Obrigado :D

    22
    • Micro picture
      kiliano · almost 5 years ago · 0 pontos

      <3 =)

  • juninhowii360 Juninho Junior
    2014-02-23 15:26:31 -0300 Thumb picture

    Por que os grandes estão se afastando dos jogos AAA?

    Recentemente, o mercado de jogos eletrônicos parece ter estado em um ritmo constante de mudanças, com grandes figuras optando por meios diferentes de colocar suas ideias em prática. A indústria dos video games tem visto um número cada vez maior de criadores abandonarem a cena das grandes produções para tocar outros projetos.

    Um exemplo recente é de Ken Levine, que encerrou as atividades da Irrational Games da maneira como todos a conhecem, abrindo mão da franquia Bioshock e optando por projetos menores. O que está acontecendo que todos os responsáveis por grandes títulos estão “abandonando o jogo” e partindo para o cenário independente?

    O preço do sucesso?

    Imagine que você é um desenvolvedor de jogos. Certamente, um dos seus objetivos é ter um game de sucesso em seu currículo, conseguindo dinheiro para produzir cada vez mais títulos. Então, depois de muito esforço e noites mal dormidas, você conseguiu realizar o seu sonho.

    Com o sucesso, veio o dinheiro de grandes publishers, permitindo que você pudesse colocar todas aquelas ideias mirabolantes que somente alguns milhões poderiam proporcionar. Porém, você não tem mais a mesma liberdade de antes.

    Agora, você responde a uma grande empresa, que precisa lucrar em cima das altas cifras investidas em seus games. Quando você para e pensa, percebe que está preso a uma máquina gigantesca, tendo que seguir regras que podem limitar o que você pode criar.

    As coisas só pioram quando o seu novo projeto é um título AAA. Milhões de dólares são investidos durante sua produção e milhares de fãs ao redor do mundo aguardam o seu novo game. Caso um frame não seja do agrado deles, o título é criticado antes mesmo de chegar às lojas. Só que você quer continuar trabalhando com isso, aceitando tudo para fazer uma empresa ganhar dinheiro, abrindo mão das suas ideias.

    É essa a vida de muitos desenvolvedores que encontraram sucesso em seus primeiros games e começaram a tocar projetos AAA. A constante necessidade de apostar no seguro, ganhando o dinheiro de jogadores que parecem querer sempre a mesma coisa, enquanto reclamam que todos os jogos são iguais, acaba por minar a criatividade de desenvolvedores como o já citado Levine.

    Por mais que eles tenham um bom relacionamento com publishers e empresas, a pressão pode acabar sendo demais para alguns, que preferem ter a liberdade de antes para criar.

    A liberdade é muito melhor

    Como dito acima, a falta de liberdade pode ser um motivo pelo qual alguns desenvolvedores abandonam o cenário AAA. Recentemente, nomes como Keiji Inafune, que ajudou a criar o Mega Man e foi produtor de títulos como Onimusha e Dead Rising, optaram por seguir um caminho independente.

    O primeiro game criado por ele foi Mighty No. 9, um título muito parecido com a série que Inafune ajudou a criar. Isso fez com que várias pessoas acreditassem que o desenvolvedor realmente queria um jogo de Mega Man, mas, por não poder fazê-lo dentro da Capcom, resolveu criar algo “novo”, com mais liberdade do que teria dentro da empresa.

    Outros grandes nomes parecem ter se afastado das grandes publishers e do mercado AAA para conseguirem tocar suas ideias, como os responsáveis pelo Project Phoenix, que optaram em levar o seu projeto ao Kickstarter, em vez de buscar financiamento e meios de lançar o game por publishers, como a Square-Enix.

    Nomes que antes apenas trabalhavam em projetos considerados blockbusters, como Nobuo Uematsu, responsável pela trilha sonora de clássicos da franquia Final Fantasy, partiram para um projeto independente e com mais liberdade para se trabalhar.

    A pressão que um grande projeto recebe do público

    Um ponto que merece ser mais bem explicado, e que foi mencionado acima, é que o próprio público pode ser responsável por fazer alguns desenvolvedores se afastarem da cena AAA. Sempre que um grande projeto é anunciado, surgem fãs que já o consideram como a melhor coisa já criada pela humanidade.

    Por causa disso, todo e qualquer detalhe do novo jogo é passado pelo escrutínio do público. Caso algum elemento não agrade alguém, os criadores do título se tornam alvo de xingamentos e tudo o que os fãs de games conseguem produzir de pior.

    Apesar de muitos considerarem isso como “parte do trabalho”, todos têm um limite, que muitas vezes é ignorado por hordas de fãs que chegam a ameaçar fisicamente desenvolvedores pelo simples fato de um personagem fazer algo que eles não acreditavam ser correto.

    Fãs afirmam muitas vezes que o criador de uma obra não estava certo em fazer algo com sua criação, como se ele não tivesse direito de fazer a história se desenvolver da maneira que havia planejado. É tudo tão absurdo que deixa de fazer sentido.

    Esse tipo de stress não costuma acontecer durante o lançamento de jogos menores, mais intimistas, sendo normal quando se trata de um projeto AAA. Em títulos maiores, a impressão que dá é a de que fãs acreditam que são os donos da obra, em vez de simples consumidores, culpando qualquer mudança que não os agradem, hostilizando todos os envolvidos.

    A chance de inovar

    Por mais que existam exceções, jogos AAA seguem um padrão. Eles trazem histórias cinematográficas, com muita ação e gráficos que testam os limites de consoles e computadores. Muitos são sequências ou spin-offs de franquias que já tiveram sucesso ou que fazem parte do portfólio de empresas consagradas.

    São poucos os jogos AAA que conseguem realmente apresentar um conceito inovador ao mundo dos games, sendo que esse papel geralmente fica a cargo de projetos independentes.

    Se notarmos a recente evasão de grandes nomes da indústria dos games dos títulos AAA, podemos ver que eles fazem parte de um seleto grupo de “criadores”. Todos alcançaram o sucesso de público e crítica por trazer algo que parecia novo ao mundo dos jogos eletrônicos.

    Nomes como os já citados Ken Levine e Keiji Inafune, e Peter Molineux, John Carmack, entre outros, são responsáveis por títulos e momentos de inovação na linha de tempo dos games. Esses mesmos profissionais parecem que cansaram de ter que sempre baixar a cabeça e trabalhar dentro de regras que limitavam a sua criatividade em troca de sucesso financeiro.

    O afastamento desses profissionais do mercado AAA de jogos não deve ser considerado como algo ruim, pelo contrário. Com mentes como essas tendo liberdade para fazer o que bem entenderem, a chance de termos uma nova leva de produtos que trazem aquela sensação de novidade ao mercado de games é muito grande.

    Em vez de sempre termos que esperar por jogos de tiro em primeira pessoa que parecem exatamente como os games lançados no ano anterior, mas com gráficos levemente melhorados, nós poderemos esperar por títulos realmente inovadores.

    O verdadeiro motivo

    A razão para grandes nomes da indústria dos games abandonarem o mercado de jogos AAA ainda é desconhecida. Pode ser por causa da pressão do público, de sempre manter um nível de sucesso, vontade de inovar ou simples fadiga. Cada profissional tem seus próprios motivos para realizar uma mudança drástica em suas carreiras.

    O que nós, como fãs de jogos eletrônicos, devemos fazer é aguardar para saber o que cada um deles tem em mente e como serão suas novas criações.

    Isso significa que o mercado AAA está em declínio?

    É difícil afirmar isso, mas os altos custos de produção de um jogo “blockbuster”, como já falamos aqui, pode ser um responsável para que vejamos mais títulos com baixo orçamento, mas que podem proporcionar novas experiências aos jogadores.

    Algo similar já aconteceu com a indústria do cinema, houve um período de grandes épicos, que acabaram saturando o público, o qual começou a consumir histórias mais simples e que sentia ser mais próximas de suas vidas.

    O futuro, por mais que seja visto como sombrio por muitos, ainda tem chance de brilhar mais forte do que nunca. Basta acreditar.

    http://www.baixakijogos.com.br/especiais/coluna-grandes-afastando-jogos-aaa_772115.htm

    Bioshock Infinite

    Platform: XBOX 360
    1482 Players
    164 Check-ins

    25
    • Micro picture
      tassio · about 5 years ago · 0 pontos

      "Um ponto que merece ser mais bem explicado, e que foi mencionado acima, é que o próprio público pode ser responsável por fazer alguns desenvolvedores se afastarem da cena AAA. Sempre que um grande projeto é anunciado, surgem fãs que já o consideram como a melhor coisa já criada pela humanidade.

      Por causa disso, todo e qualquer detalhe do novo jogo é passado pelo escrutínio do público. Caso algum elemento não agrade alguém, os criadores do título se tornam alvo de xingamentos e tudo o que os fãs de games conseguem produzir de pior."

      THIS!!

      As coisas já são julgadas antes mesmo dos caras TEREM A IDEIA DE FAZER!

    • Micro picture
      sophos · about 5 years ago · 0 pontos

      desde quake 2 q eu não dou bola para fps, mas esse bioshock realmente me deu vontade de jogar só pelas cenas q assisti.

    • Micro picture
      nickzim · about 5 years ago · 0 pontos

      Porra cara, copiar e colar a coluna de outros sites é feio, pelo menos dê os créditos ao redator original.

Load more updates

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...