• onai_onai Cristiano Santos
    2018-10-06 11:42:59 -0300 Thumb picture

    Trailer

    Parece uma mistura de Metal Slug com o filme O Poderoso Chefão, se bem que a ideia deve ter sido essa mesmo. O que achei mais interessante foi que dá pra jogar até quatro jogadores e ainda esse modo versus. Mais um jogo pra fila! Curioso que achei que o jogo fosse novo mas é de 2015 e nunca ouvi falar nele. Capiche?

    Guns, Gore and Cannoli

    Plataforma: PC
    13 Jogadores
    1 Check-in

    18
    • Micro picture
      annalynn · 1 mês atrás · 1 ponto

      Me ocorreu a mesma coisa quando vi esse jogo a primeira vez xD ah, se não me engano já tem o 2 tb!

      1 resposta
    • Micro picture
      seufi · 1 mês atrás · 1 ponto

      Bom, eu joguei a versão dele pra ps4 com 4 jogadores e vou dizer uma coisa: não deve nada pra metal slug. Muitas armas, história interessantes com vozes, e um estilo arcade bem interessante. Recomendo muito a compra pra quem curte um multiplayer de sofá.... E a continuação já está disponível, inclusive!

    • Micro picture
      wilford_fernandes · 1 mês atrás · 1 ponto

      fechei os 2 com meu sobrinho;p mto divertido ;p

  • onai_onai Cristiano Santos
    2018-05-27 16:29:38 -0300 Thumb picture

    A ruína chegou para nossa família

    Eu já havia jogado esse jogo a um bom tempo, ainda quando ele estava na versão beta e tinha uma dificuldade absurda. Depois joguei a versão final do GOG e agora estou jogando pela terceira vez, nas outras duas nem cheguei a finalizar, agora com as DLCs: Corte Escarlate, Distritos, Flagelante e Destruidora. Vamos ver se agora finalizo...

    Joguei só um pouco e fui relembrando a estratégia do jogo, pelo visto adicionaram algumas classes desde que joguei da última vez pois havia algumas que eu não lembrava. Explorei as dungeons quatro vezes e por pouco não perdi um personagem, mas sei que isso vai ocorrer cedo ou tarde, geralmente ocorre cedo. Estou jogando na dificuldade Mais Escuro, acredito que deva ser a dificuldade mediana.

    Mas que cidade mais acolhedora!

    Darkest Dungeon

    Plataforma: PC
    130 Jogadores
    64 Check-ins

    18
    • Micro picture
      pauloaquino · 6 meses atrás · 1 ponto

      Suponho que esteja se referindo a jogos irritantemente difíceis.
      Não por nada, é que tacar joystick na parede nunca foi a minha idéia de diversão.

      1 resposta
    • Micro picture
      taironecass · 6 meses atrás · 1 ponto

      Por isso que gosto de te acompanhar aqui na reder: porque você consegue jogar e fazer postagem de jogos bem mais obscuros que os meus. hahahahaha

      1 resposta
  • coopgeeks Co-op Geeks
    2016-02-16 19:21:29 -0200 Thumb picture

    Do que rimos em 2015?

    Medium 248425 3309110367

    Tá, eu sei que já estamos em 2016 e que você tá pensando: "uma retrospectiva de 2015 quando já é quase 2017", mas a desculpa que eu uso é que estamos na primeira segunda-feira do ano e pra melhorar o tédio somado à ressaca do fim de semana, porque não começar a semana com bom humor rindo do que rolou no mundo dos games em 2015?

    http://bit.ly/Humor2015Games

    4
  • pauloe Paulo Emilio
    2016-02-12 19:30:58 -0200 Thumb picture
  • vaojogar Vão Jogar!
    2016-02-12 17:20:49 -0200 Thumb picture

    Os Melhores Jogos Que Jogamos Em 2015 - Lista Do Somari

    Façam backup dos seus arquivos, porque o menino bug ambulante, @somari, chega em vídeo e a cores apresentando a sua lista de melhores jogos de 2015.


    Os Melhores Jogos Que Jogamos Em 2015 - Lista Do Somari

    http://vaojogar.com.br/escrito/os-melhores-jogos-que-jogamos-em-2015-lista-do-somari

    Nos sigam nas redes sociais:

    Alvanista - http://alvanista.com/vaojogar

    Facebook - https://facebook.com/vaojogar

    Google+ - https://plus.google.com/+vaojogarbr

    Pinterest - http://pinterest.com/vaojogar

    Twitter - https://twitter.com/vaojogar

    YouTube - https://www.youtube.com/c/vaojogarbr

    10
  • vaojogar Vão Jogar!
    2016-02-09 16:48:12 -0200 Thumb picture
  • vaojogar Vão Jogar!
    2016-02-02 17:26:18 -0200 Thumb picture
  • zandryx Elisandro Vianna
    2016-01-28 17:20:50 -0200 Thumb picture

    Jogos que Terminei em 2015

    Medium 3248540 featured image

    E 2015 foi um ano de muitos experimentos em games, com novos consoles como o Playstation 2 e Nintendo DS em minha posse, acabei extravasando geral e jogando muita coisa que estava empacada á anos, outras que eu sempre tive vontade de jogar e algumas que achei que jamais jogaria, era pra eu fazer isso todo ano, mas como sempre temos de começar com o primeiro passo, aqui vai.

    JOGOS QUE EU TERMINEI EM 2015:

    1 - The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D (2011) (Nintendo 3DS)

    Começado no finalzinho de 2014 e terminado em 2015, finalmente pude saber o porquê desse jogo ser tão bem considerado pelo público e mídia, eu não consegui largar o jogo enquanto eu não fiz tudo, sério, dificilmente eu pego um game portátil e fico grudado nele até o console descarregar e eu ter de continuar jogando enquanto ele carrega.

    2 - Kingdom Hearts 358/2 Days (2009) (Nintendo DS)

    E tratei de logo em seguida jogar esse que estava me esperando, apesar da jogabilidade horrível e do sistema de missões um tanto repetitivas que chega até a encher o saco durante um tempo, ele vale muito a pena ser jogado por causa de sua história, principalmente se você já estiver familiarizado com o Chain of Memories.

    3 – Professor Layton and the Curious Village (2007) (Nintendo DS)

    Sim, eu resolvi experimentar e saber o que diabos tinha nesse jogo que era tão bem falado, foi quando descobri uma das minhas atuais franquias preferidas, amo quebrar a cabeça com enigmas e Professor Layton me apareceu como uma divindade, tanto que nem demorei muito comprei os dois seguintes no Play-Asia, infelizmente esse não consegui comprar original por causa de sua tiragem baixa, tornando-o um pouco raro e caro no mercado, mas não desistirei.

    4 – The Legend of Zelda: Link's Awakening DX (1998/ 2011) (Game Boy Color no Nintendo 3DS - Virtual Console)

    Esse foi outro que demorei a começar a jogar, mas mais de um ano depois eu o comecei e terminei até rapidinho, é um LoZ bem estranho, sua história é meio fora do comum, mas não perde em nada pra nenhum outro da franquia.

    5 – Ultimate NES Remix (2014) (Nintendo 3DS)

    Esse jogo chegou em minhas mãos e não demorei 2 dias pra deixar todos os desafios com o máximo de estrelinhas, até liberar a versão Famicon Remix, ai eu dei uma pausa, pois, até chegar ai, algumas veias da minha cabeça já haviam estourado e minha cota de palavrões em frustrações já estava bem elevada rs

    6 – Metroid II: Return of Samus (1991/ 2011) (Game Boy no Nintendo 3DS – Virtual Console)

    Eu nunca tinha jogado um Metroid com tanto afinco, na verdade essa foi minha segunda tentativa com Metroid, a primeira foi justamente com Metroid de NES e me frustrei com o fato de que eu não consegui me localizar em canto nenhum, mas ainda voltarei pra ele algum dia.

    Mas ainda falando sobre esse 2, a experiência foi interessante, a ponto de eu me sentir especial por ter teminado, saporra chega a ser bem difícil em certos momentos.

    7 – Mario & Luigi: Bowser’s Inside Story (2009) (Nintendo DS)

    Desde que eu joguei em emulador o Partners in Time, eu descobri o quanto esses RPGs de Mario de Luigi são extremamente divertidos, toda a interação maluca, os sistemas de batalha, as caras e barulhos do Luigi, a história em si, é tudo muito especial, não tem como você enjoar, não tem como não começar “só pra experimentar e saber como é” e não acabar jogando ele todo.

    8 – Super Mario 3D Land (2011) (Nintendo 3DS)

    Obrigado Club Nintendo, por me fazer ter essa oportunidade maravilhosa de poder jogar um Mario tão divertido assim, de poder começar a jogar e esquecer as horas que se passavam, muito provavelmente eu não teria comprado esse jogo, creio que por preconceito ou mesmo por preferir investir meu dinheiro em outras coisas, acabaria perdendo um joguinho muito fantástico.

    9 – Nanashi no Game aka The Nameless Game (2008) (Nintendo DS)

    E eis que dou de cara com um jogo de terror feito pela Square Enix, pra Nintendo DS e que só saiu no Japão, mas com uma bela tradução de fã pude jogar essa beleza. De começo fiquei super curioso em saber como um jogo de terror pra DS ainda feito pela Square Enix funcionava, achei que terror pra portátil era apenas no tema, que não causava mesmo... quebrei a cara!

    Jogar esse jogo com fones de ouvido, a noite em casa, de preferência sozinho, sem barulho externo e no meu caso, com frio por noites chuvosas foi aterrorizante, por vezes eu cheguei a pensar duas vezes se era realmente aquilo que eu queria fazer mesmo, se não queria deixar pra fazer de dia e talz...

    Apesar da história bem clichê o maldição que mata em 7 dias, o jogo é bem criativo em sua jogabilidade e imersão, o que fez dele pra mim um dos melhores do DS que já joguei, só é curtinho, mas eu recomendo d+

    10 – Phoenix Wright: Ace Attorney (2001/ 2006) (Nintendo DS)

    E se eu testei Professor Layton, porque não testar Phoenix Wright, admito que se meu inglês não fosse bem avançado eu não conseguiria jogar essa maravilha de jogo, com história tão louca, casos surpreendentes e plot twists de explodir cabeças, foi mais uma franquia que foi adicionada as minha atuais preferidas.

    11 – Castlevania: Dawn of Sorrow (2005) (Nintendo DS)

    Anos atrás eu joguei a primeira parte desse jogo e depois esse também em emulador, mas acabei não indo muito longe, resolvi então tentar de novo e ir afundo, como eu adoro esses Castlevanias em estilo Metroidvania em 2D, eu sou suspeito pra falar, porque já vão saber que eu adorei, é difícil um desses jogos me decepcionar, por mais que a história seja fraca, clichê e até meio idiota... como é o caso desse aqui...

    12 – Professor Layton and the Diabolical Box (2007) (Nintendo DS)

    E assim que este jogo chegou em minha residência, eu abro pra testar e não consigo parar de jogar enquanto não desvendo todos os mistérios que tem para serem resolvidos, como sempre o vicio em Professor Layton toma conta de mim e entorpece!

    13 – Super Mario Land (1989/ 2011)) (Game Boy no Nintendo 3DS – Virtual Console)

    Mais um que ganhei no Club Nintendo, um Mario estranho que nem parece Mario, aliás, parando pra pensar, já está ficando comum esse lance de uma franquia no Game Boy que nem parece ela mesma, mas enfim... joguinho curtíssimo e até facinho, sentei e terminei, creio que não tenho durado nem meia-hora rs

    14 – SteamWorld Dig (2013) (Nintendo 3DS)

    Esse era outro que estava no meu console a um tempo, mas por empolgação em outros jogos, acabei adiando.

    Recomendação do meu amigo Hasley, acabei comprando a versão pra 3DS e só tempos depois vim descobrir o quanto ele é viciante, curto, mas bem viciante, não descansei até pegar todos as pedras preciosas possíveis no jogo inteiro rs

    15 – HarmoKnight (2013) (Nintendo 3DS)

    Um jogo que eu queria muito ter comprado desde que joguei a demo quando comprei meu 3DS, mas acabei ganhando pelo Club Nintendo e, se eu tivesse gastado meu dinheiro com esse jogo, eu teria ficado muito revoltz, pode ter certeza.

    O jogo é até bonitinho, divertidinho, mas as batalhas de boss te irritam de forma excepcional, pois toda vez que você errar uma nota crucial da batalha ou mesmo morrer você é obrigado a ver aquelas cenas gigantescas tudo de novo, tive vontade jogar o 3Ds na parede, só o terminei porque vi que o jogo era curto.

    16 – Trauma Center: Under the Knife (2005) (Nintendo DS)

    Eu já o havia jogado alguns anos atrás, mas não estava entendendo bulhufas do que tava acontecendo, agora eu pude saber direitinho do que se tratava o jogo e a história e sim, esse jogo conseguiu me estressar muito com suas missões monstruosamente complexas, deixando um jogo curto bem longo, mas que não tira em nada o divertimento do game, na verdade quando se passa de missão, a sensação de recompensa por ter enfim conseguido é tão grande que você quer mais... mas não tive coragem de tentar passar as missões extras, aquilo ali já é masoquismo demais.

    17 – Haunting Ground (2005) (Playstation 2)

    E assim que eu consigo um Playstation 2 o que eu faço, saio catando todos os jogos que eu sempre quis jogar e nunca pude (na verdade, a intenção de ter pego o Play 2 foi de poder jogar Shadow of the Colossus, o que eu acabei fazendo bem depois até), ai eu pego logo esse que eu sempre tive curiosidade de jogar e foi uma surpresa, fazia tempo que eu não sentia vontade de varar algumas noite jogando algo e foi exatamente o que eu fiz.

    No começo do jogo é desespero puro, pena que no final você já está tão corajoso com relação a situação que até já brinca com ela, mas esse jogo serviu pra me mostrar como o play 2 consegue ter jogos com gráficos lindos... mas eu recomendo demais uma aventura com o Hewie :3

    18 – Rampage (1986) (Master System emulado em um Playstation 2)

    Que louco não, eu compro um Play 2 pra jogar Master, mas eu queria mesmo matar a saudade desse jogo que eu nunca consegui finalizar no console mesmo, pois eu era muito pequeno e muito retardado naquela época, dessa vez pareceu fácil até demais, terminei em parceria com meu amigo Nacisio, então isso explica muita coisa

    19 – Shadow of the Colossus (2005) (Playstation 2)

    Eu já o havia jogado antes, mas a vontade de fogo de jogá-lo novamente me fez comprar o play 2 e, bem, nem preciso falar muita coisa, o jogo é muito foda!

    20 – Sonic Wings/ Aero Fighters (1993) (Super NES emulado no Playstation 2)

    Parece zoação ne? Mas eu joguei esse também, em parceria com meu amigo Nacisio, por pura diversão mesmo e quase terminamos com todos os personagens ainda, tudo culpa de uma noite chuvosa.

    21 – Silent Hill: Shattered Memories (2009) (Playstation 2)

    Continuando com a lista de jogos que eu sempre quis jogar mas não pude, esse era um dos principais, sempre fui revoltado por ele ter saído já numa época em que locadoras de vídeo game já não era mais minha prioridade, mas por ser Silent Hill, eu tinha que joga pow.

    Me deparo com um Silent Hill diferente, muito mesmo, mas sem deixar de ser SIlent Hill. A história muito bem pensada, a imersão fantástica nos testes psicotécnicos, a falta de combate com criaturas, mas, ao invés disso, temos um bate pé na bunda na carreira mais grande do mundo pra fugir dos capiroto tudo que deixa você sem fôlego, simplesmente genial!

    Fazia tempo mesmo que eu não colocava um Silent Hill pra jogar e dizia “Porra! Esse foi foda!”

    22 – Fingerbones (2014) (PC – Steam)

    Esse foi só pra dizer que eu uso minha Steam, tenho diversos jogos, mas não consigo me focar em jogar no PC, por algum motivo estranho... enfim, esse aqui sei nem se podemos considerar jogo, parece mais um conto de terror interativo, você pode se mover pelo cenário e resolver alguns simples puzzles, mas o que ele vai te fazer é contar uma história, até legalzinha na verdade, coisa de 20 minutos eles está terminado.

    23 – Grandia II (2002) (Playstation 2)

    Jogar Grandia II pra mim foi uma experiência incrível e me remeteu a uma nostalgia forte, pois exatamente na época em que joguei Grandia no PS1, estava um clima chuvoso e eu estava geralmente sozinho em casa, do mesmo jeito que estava a ambientação de quando joguei este, sem contar no jogo divertido que é, com história bem interessante, apesar dos gráficos beeeeeeem mal-envelhecidos, ele é um jogo que um fã de JRPG deve jogar, sem dúvida.

    24 – Okami (2006) (Playstation 2)

    Aqui foi um jogo que me deixou de queixo caído, eu sempre quis saber quem diabos era esse cachorro que a Capcom gosta de se amostrar com ele, ai me deparo com um jogo extremamente lindo, com jogabilidade fantástica e enoooooooooorme, nunca imaginei que esse jogo fosse ser tão grande e nem cheguei a fazer tudo no jogo, mas sim, fui fisgado por ele, tanto que o Okamiden já está separado no DS pra jogar depois!

    25 – Champions: Return to Arms (2005) (Playstation 2)

    Como é bom um jogo coop, ainda mais quando se joga com mais de 2 jogadores como foi esse caso, em parceria com meu amor Alexandre Filho e o companheiro de jogatinas Nacisio, terminamos o primeiro modo desse jogo sendo bonzinhos, já começamos o segundo modo sendo malvadinhos, mas está em andamento ainda.

    26 – Evil Dead: A Fistful of Boomstick (2003) (Playstation 2)

    E na hype pra série Ash vs. Evil Dead eu sai baixando os games pra Playstation 2 pra experimentar, afinal, já havia jogado Evil Dead: Hail to the King de Play 1.

    E ele conseguiu me deixar ainda mais empolgado, a dublagem de Bruce Campbell, as piadas sacanas, o humor mórbido, os gráficos fracos, mas mesmo assim melhor do que alguns jogos de Play 2 que já vi, tudo junto só me fez entrar ainda mais de novo no universo B do terror, mas dessa vez em um game, pena que ele tenha sido bem curto, mas foi bem divertido enquanto durou.

    27 – ICO (2001) (Playstation 2)

    Esse eu tinha experimentado a um tempão atrás na locadora, mas não tinha gostado, até agora não sei como eu não gostei desse jogo, pois agora que eu resolvi juntar a vontade que eu estive de jogar Shadow of the Colossus e resolvi ver o que vinha antes e minha cabeça explodiu de como um jogo tão simplista consegue ser tão foda! Pena que é curtinho também, mas é uma experiência única.

    28 – Phoenix Wright: Ace Attorney Justice for All (2002/ 2006) (Nintendo DS)

    Não me aguentei e pouco tempo depois que terminei o primeiro comecei o segundo, mas a adição de um novo console de mesa em casa acabou me fazendo atrasar este aqui, o que também não quer dizer que este seja um jogo ruim, muito pelo contrário, tão bom quando o primeiro e com casos a mesma altura, gritar OBEJCTION! Pra tela do DS nunca foi tão divertido (o Filho adorava quando eu fazia isso rs)

    29 – Doctor Lautrec and the Forgotten Knights (2011) (Nintendo 3DS)

    Esse eu demorei a terminar, no começo era super divertido, com seus puzzles, modo stealth, dungeons e enigmas, pensei ter achado uma pérola que poucos conheciam, poderia ser uma versão melhorada de Professor Layton, mas acabou caindo na repetição e na mesmice, ficando chato até que enfim eu consegui terminar e de certa forma “me livrar” dele para que eu pudesse dar abertura a outros jogos.

    30 – King of Dragons (1991) (Super NES emulado no Playstation 2)

    Mais uma parceria com o Nacisio, sempre nas jogatinas de Super Nintendo, esse demoramos um tanto pra conseguir terminar, mas depois de muito tentar e depois de pegar mesmo o jeito da coisa, terminamos! E olha... joguinho beat ‘em up de responsa.

    31 – Goof Troop (1993) (Super NES emulado no Playstation 2)

    Nem preciso dizer com que estava jogando esse ne? Realizando um desejo frustrado de infância de nunca ter conseguido terminar esse jogo por ser retardado e não entender o que estava acontecendo num jogo que, apesar de ser do pateta, parecia que não tinha sido criado pra mim, isso porque eu nem falei dos puzzles... mas enfim, passado é passado e hoje ele me pareceu mais fácil do que nunca!

    32 – Pokémon Rumble World (2015) (Nintendo 3DS)

    Esse aqui desde seu lançamento na eshop, joguinho gratuito que eu não consigo largar, consegui terminar as missões do rei e vi os créditos subindo, então eu assumo que esteja finalizado, apesar de que existem mais missões do rei depois disso e sim, ainda estou entrando nele diariamente, na esperança de ficar mais forte e de pegar todos os Pokemon, falta pouquinho até

    33 – Kuon (2004) (Playstation 2)

    Joguinho de terror japonês bem interessante, conseguiu me dar uns bons sustos nas minhas madrugadas, terminei até que rapidinho, a campanha de cada personagem é rápida, lembrando até a época em que jogava Resident Evil no Ps1 sem salvar o jogo, a primeira pode ser até um pouco mais demorada pois você não conhece o mapa, mas com as outras você já está familiarizado então é de boas, vale a pena.

    34 – Spoiler Alert (2014) (Steam/ PC)

    Joguinho Indie que ganhei em um bundle e que simplesmente ganhou meu coração pela simplicidade e pela criatividade, jogar um game de trás pra frente nunca foi tão divertido, pena que a experiência é curta, com umas 2 horas de jogo você termina.

    35 – Justice League Heroes (2006) (Playstation 2)

    E Enfim consegui terminar um jogo coop com meu mozão, joguinho da DC bem legalzinho e divertido, com várias opções de personagens jogáveis e cada um com sua peculiaridade e função.

    36 – Michigan: Report From Hell (2005) (Playstation 2)

    Jogo estranho, esquisito, com plot estranho, com personagens estranhos, com jogabilidade esquisita, uma idéia bem interessante que foi executada de uma forma tão estranha que eu ainda não sei dizer se é bom ou se é ruim. Muito focado nos diálogos mas sem muitos recursos para fazer uma cena bem feita, no mais não quis voltar e tentar de novo, salvando quem morreu pra ver no que dá, acho q uma vez nesse jogo já é o bastante, mas pelo menos uma mesmo é bom pra todo fã de jogos de horror.

    37 - Scribblenauts Unmasked: A DC Comics Adventure (2013) (Nintendo 3DS)

    Esse sim ficou empacado um tempão por ter sido esquecido, apesar de eu adorar Scribblenauts, então peguei o jogo e recomecei do zero, mas infelizmente não fiz todas as missões e segui apenas no que pude para liberar todas as missões e histórias.

    38 – Yoshi’s New Island (2014) (Nintendo 3DS)

    Sabe que eu achei que jogar uma sequencia de um jogo tão perfeito do Super Nintendo seria muito bom, nuna estive tão enganado, esse jogo até que prometia, possui praticamente tudo que o primeiro possui e mais um pouco, mas eu sinceramente não sei explicar porque a jogabilidade é tão ruim que irrita, eu parei esse jogo 3 vezes até terminar enfim forçadamente porque quis por a venda (e nem vendi ainda)

    39 – Manhunt (2003) (Playstation 2)

    Disse que fiz experimentos e esse foi um deles, creio que esse fosse um jogo que eu normalmente não jogaria, mas resolvi arriscar e me impressionei com o quanto eu gostei do jogo, não sabia se ficava mais chocado com o lance da violência (que na verdade pra hoje em dia já nem é tão obscura assim) ou com o stealth ou com fato de eu realmente ter curtido e já ter preparado o 2 pra jogar.

    40 – Evil Dead: Regeneration (2005) (Playstation 2)

    Ainda na hype da série eu joguei o segundo e infelizmente o último jogo de Evil Dead pra Play 2, mas esse é beeeeem melhor que o primeiro, em questões gráficas e jogabilidade, começando pela munição infinita, ai sim a carnificina fica bem mais interessante, apesar de não possuir as magias do anterior, a interação com Sam e os diálogos são muito divertidos e como sempre, poder ouvir a voz de Bruce Campbell sendo Ash, não tem preço.

    41 – Legend of Illusion Starring Mickey Mouse (1994) (Master System emulado no Playstation 2)

    Eis que ganho de Natal um livro dossiê com todos os jogos de Master System, então eu já resolvi começar a devorar alguns jogos que eu não conhecia (e outros que conhecia também) e esse foi um dos que eu não conhecia, o terceiro jogo “of Illusion” do Mickey, que, apesar de não ser tão bom quanto os outros, esse valeu mesmo a pena ter conhecido, apesar de tanto tempo depois ‘-‘

    MENÇÕES HONROSAS:

    42 – Castlevania: Symphony of the Night (1997) (Playstation 1 emulado no PC)

    Esse jogo eu fiz questão de fazer o mozão matar suas saudades e jogá-lo até o fim enfim, ensinando um monte de tramoia e parafernália rs e o outro já quer jogar de novo u.u

    43 – Kingdom Hearts Re:Chain of Memories (2004) (Playstation 2)

    Tem coisa melhor que viciar seu amor numa franquia de vídeo games que você é super fã? Foi o que aconteceu quando apresentei esse jogo ao Filho, aproveitei que achei uma ISSO traduzida e o coloquei pra conhecer o mundo mágico desse jogo, jogou até o fim, eu ajudei em algumas coisas, mas me deixou tão orgulhoso e contente :3

    44 – Castlevania: Lament of Innocence (2004) (Playstation 2)

    Esse quem jogou foi o mô, mas como eu fiz parte da jogatina servido de tradutor de diálogos, creio que vale a menção, até porque eu vi o jogo inteiro desse jeito.

    45 – Saint Seiya: The Hades (2005) (Playstation 2)

    O Mozão pegou esse jogo pra matar as saudades e acabamos que jogando nele por um tempinho, tanto no modo história, que foi terminado, como no modo versus. Jogo até que é bem divertido, apesar de eu sentir muita dó dos controles T^T

    46- Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm Revolution (2014) (PC)

    O mesmo de cima se aplica aqui, tivemos algumas partidas versus, eu e meu mozão, assim como jogamos também nos modos história, vendo algumas coisas que não foram mostradas no anime, jogo bem produzido de combate bem divertido.

    JOGOS DE 2015 QUE APENAS JOGUEI:

    Alguns jogos eu apenas comecei, testei, dropei, me embolei, enfim, diversos motivos para que eu não os tivessem terminado, então aqui segue a lista de alguns que eu consigo lembrar:

    Obs: Os jogos dessa lista não estão em ordem cronológica e sim por ordem de que eu me lembre :p

    1 – Professor Layton and Unwond Future (2008) (Nintendo DS)

    Status: Em Andamento

    Comecei em 2015, mas não consegui terminar ainda, em 2017 faço mini review.

    2 - Pokemon Shuffle (2015) (Nintendo 3DS)

    Status: Infinito pelo visto

    Essa disgrama que eu não consigo largar de jeito nenhum, por mais que eu chegue a pensar em não querer mais nada, eu sempre fico ligado nos eventos que surgem...

    3 – Star Ocean: Till the End of Time (2003) (Playstation 2)

    Status: Pendente

    Claro que um dos jogos que eu queria mais jogar no Play 2 seria o Star Ocean, mas estou jogando devagarinho devagarinho, além de ele ser longo, mas em 2017 já terei terminado :v

    4 – Psychonauts (2005) (Playstation 2)

    Status: Pendente

    Esse eu experimentei e até curti, pretendo jogar em breve, ainda mais com o anuncio no novo!

    5 – Ratchet & Clank (2005) (Playstation 2)

    Status: Em Andamento

    Com o remake e o filme chegando por ai, nada mais justo eu ter começado a jogar essa franquia genial, pena que minha intenção era jogar todos os de Play 2 até o fim do ano, mas infelizmente eu só consegui chegar no finalzinho do primeiro.

    6 – Rule of Rose (2006) (Playstation 2)

    Status: Possivelmente dropado

    Depois de jogar Haunting Ground, eu quis explorar o mundo do terror com meninas acompanhadas de cachorros e eis que chego a esse que sempre é comparado ao que eu havia jogado. O Jogo bem estranho, bizarramente acolhedor, mas acabei dropando por me empolgar com outra coisa que nem lembro o que foi... mas ainda termino, eu lembro exatamente onde parei :3

    7 – Dance Dance Revolution X (2008) (Playstation 2)

    Status: Casual

    Eu me impressionei pelo fato de que um dos primeiros jogos que eu não procurei pra jogar não foi um DDR, tanto coisa nova pra experimentar que eu acabei esquecendo, mas de toda forma estou jogando esse no modo história, terminando com todos os personagens.

    8 – Driv3r (2004) (Playstation 2)

    Status: Em Andamento

    Esse eu comecei sozinho, mesmo jogo de carro não sendo muito minha praia, queria terminar esse pois eu já o havia jogado a um tempo atrás na locadora, mas não terminei por motivos de gatunos arrastando memory cards... anyway, no meio do caminho Nacisio se juntou a empreitada, mas ficamos presos na penúltima missão, um dia terminaremos, um dia...

    9 – Dissidia Final Fantasy (2008) (PSP emulado no PC)

    Status: Dropado

    Esse eu comecei por pura curiosidade e acabei gostando do jogo de montão, mas ai meu PC pifou, eu perdi o jogo e o save e mais tarde, a vontade de voltar a jogar, talvez eu um dia volte com o Duodecim, já que me disseram que ele é melhor...

    10 - Star Ocean: First Departure (2008) (PSP emulado no PC)

    Status: Dropado

    Essa já é a 3ª vez que tento conhecer a história do primeiro Star Ocean, duas vezes eu tentei jogar a versão do Super Nintendo no emulador de PC, mas por motivos adversos acabei não chegando muito longe, quando soube do remake pra PSP (do segundo também) fiquei super empolgado e tratei logo de começar, cheguei até bem longinho, mas ai meu PC morreu... enfim

    11 - Soul Calibur II (2003) (Playstation 2)

    Status: Casual/ Em Andamento

    Pra matar as saudades das épocas de Xbox, jogamos algumas partidas desse jogo incrível e ainda começamos o modo que não lembro o nome agora, para liberar as roupas e armas de todos em parceria com Nacisio e o mozão.

    12 – Gauntlet: Seven Sorrows (2005) (Playstation 2)

    Status: Em Andamento

    Um dos jogos que comecei a jogar em modo coop com o mozão, mas ainda não terminamos, sempre acabamos nos distraindo com outra coisa e abandonamos os jogos, mas ainda não está dropado, terminaremos em breve.

    13 – Matrix: Path of Neo (2005) (Playstation 2)

    Status: Possivelmente Dropado

    O Filho começou esse jogo, como sempre, pela nostalgia e eu acabei me metendo e jogando junto com ele, chegamos até um tanto longinho, até que acabamos não pegando nele por um bom tempinho.

    14 – Savant Ascent (2013) (Steam/ PC)

    Status: Desconhecido

    Jogo foda de um Dj foda que faz músicas fodas, cheguei em um ponto que estava realmente muito difícil, mas só parei mesmo porque fique sem PC a minha disposição (e isso já foi depois do meu PC ter pifado), espero que meu save esteja a salvo na steam, não sei bem como funciona ainda, mas se estiver, um dai eu termino, falta pouco.

    15 – War of the Monsters (2003) (Playstation 2)

    Status: Casual

    Esse foi outro que baixei pelas boas lembranças, joguei um monte no modo versus e hoje quando alguns amigos vêm aqui em casa ainda jogamos umas partidas por conta da diversão monstra (se me permite o trocadilho), mas, junto com o mozão e o Nacisio, tentamos finalizar e juntar os pontos para liberar outros personagens secretos e skins, mas o jogo se tornou dificil o bastante para nos frustrar e desistir.

    16 – Mario and Donkey Kong: Minis on the Move (2013) (Nintendo 3DS)

    Status: Pausado

    Esse joguinho ocupou bastante espaço nas minhas noites de quebra cabeça, antes de conhecer Layton. Consegui completar os estágios do Mario, mas passei pro da Peach e ainda falta pouco pra terminar e poder prosseguir pros outros dois modos: Toad e Donkey Kong.

    17 – Dillon’s Rolling Western (2013) (Nintendo 3DS)

    Status: Pausado

    Esse aqui até que é divertido, mas estava destruindo minha película da tela de toque por conta do uso desenfreado e frenético da stylus, pretendo voltar depois, eu acho, mas creio que sim, até porque tenho a sequencia já no 3DS já tem mais de um ano, mas ainda nem abri pra ver como é ‘-‘

    18 – Digimon World Dusk (2007) (Nintendo DS)

    Status: Pausado

    Eu sonhando em ir jogar mais um Digimon World com aquele espirito do 3 do Play 1 que é um dos meus RPGS favoritos, depois de ver uns vídeos, acabei cedendo a vontade de começando ele no DS, estava jogando aos passos de formiga, mas acabei dropando devido ao tempo que estava corrido e eu não conseguia mais jogar em console nenhum, mas ainda volto, ele é um ótimo jogo.

    19 – Final Fantasy: The 4 Heroes of Light (2009) (Nintendo DS)

    Status: Dropado

    Na ânsia de jogar algum Final Fantasy novo que eu nunca tinha jogado ou visto, que tivesse um ar clássico e nostálgico, como um RPG mesmo das antigas, eu resolvi ir atrás daquele que dizem ser o jogo anterior a Bravely Default, um do meus jogos favoritos dos últimos anos, mas ai me deparo com um jogo com personagens estranhos, jogabilidade estranha, história estranha, batalha estranha e todo o resto muito estranho. TÃO estranho que eu mesmo não consegui jogar mais. Quem sabe um dia...

    20 – Phoenix Wright: Ace Attorney – Trials and Tribulations (2004/ 2007) (Nintendo DS)

    Status: Pausado

    Esse eu comecei por engano achando que era o 2º jogo da franquia, sendo que era o 3º, como eu terminei o primeiro caso, conto como pausado ‘-‘

    21 – Dementium: The Ward (2007) (Nintendo DS)

    Status: Dropado

    Eu tava curioso pra saber o porquê desse jogo de terror pra uma plataforma portátil era tão famoso a ponto de ter uma tradução em português feita por fãs e como tive uma boa experiência com Nanashi no Game, por que não ir atrás ne?

    Dropei no primeiro boss que apareceu, joguinho idiota de dificuldade absurda, até então tava até tranquilo, mas ai você chega num boss e não faz idéia do que fazer com o monstro, não consegue fugir e morre facilmente, pra voltar láaaaaaaaaaa pro começo do capítulo e ter que andar tuuuuuudo de novo até chegar no boss pra morrer de novo...

    Sério, desisti

    22 – Guitar Hero III (2008) (Playstation 2)

    Status: Casual

    Sim, eu nunca achei que fosse jogar isso, nem mesmo depois de todos esses anos, mas acabei jogando, algumas partidas versus e um pouco do coop no modo carreira, mas nada de muito estardalhaço

    23 – Star Wars: Jedi Knighs II – jedi Outcast (2002/2009) (Steam/PC)

    Status: Desconhecido

    Presente de um grande amigo meu, eu tava até curtindo o jogo, mas o mesmo motivo que pausei indefinidamente Savant Ascent aconteceu aqui, afinal, estava jogando ambos no mesmo PC que foi embora T^T

    24 - Amnesia: The Dark Descent (2010) (Steam/PC)

    Status: Desconhecido

    Tava me divertindo com saporra, mas está no mesmo estado do jogo acima

    25 – Enclave (2003) (Steam/ PC)

    Status: Desconhecido

    Esse eu comecei jogar e nem deu tempo de saber direito do que o jogo se tratava, acabou entrando pra lista do mesmo abismo que os últimos jogos dessa lista estão sendo colocados.

    26 – Silent Hill Homecoming (2009) (PC)

    Status: Desconhecido

    Um dos únicos SH que eu não terminei, apesar do preconceito que tinha com ele, tava curtindo bastante, mas mesmo assim, mesmas condições dos três jogos acima.

    27 – Fallout Shelter (2015) (Android emulado no Bluestacks/PC)

    Status: Dropado

    Sim, esse jogo tomou boas horas do meu dia e do Filho, era viciante tomar conta daquele maldito buraco... só parei mesmo porque o bluestacks resolveu dar pau no Windows 10 e cabo a diversão :/

    28 – Final Fantasy Record Keeper (2014) (Android)

    Status: Sei lá

    Até que a Square soube se aproveitar bem dos mundinhos dela com esse jogo, é divertidinho e da pra você passar um bom tempo pendurado nele, apesar de ser do tipo de jogo que possui barra de força na qual é gasta para ir em missões, mas meu celular começou a não aguentar mais, passei a usar no bluestacks e depois que eu fiquei sem PC de novo, acabei deixando de lado.

    29 – Spy vs Spy (2005) (Playstation 2)

    Status: Aguardando

    Esse eu peguei porque já joguei muito a versão de Master System e sei que a treta no versus rola solta, e com a surpresa de saber que existia uma nova versão para Play 2, nem pensei duas vezes.

    Comecei a jogar e passei apenas a primeira missão no modo história, mas o modo multi ainda esta aguardando nossa boa vontade...

    30 – The King Of Fighters: Maximum Impact – Regulation A (2007) (Playstation 2)

    Status: Casual

    Ai foi um jogo que peguei apenas para divertimento no modo versus mesmo, apesar de eu ter enjoado mais rápido do que eu imaginava que iria enjoar.

    31 – Rhythm Heaven (2009) (Nintendo DS)

    Status: Pausado

    Eu e o mô estávamos nos desafiando até onde iriamos e quem iriam fazer os desafios perfeitos mais rápido, mas, apesar do jogo ser bem divertido e engraçado, dropamos logo, mas eu volto depois, eu gosto dele, vale a pena voltar por ele.

    32 – Mortal Kombat Shaolin Monks (2005) (Playstation 2)

    Status: Pausado

    Mais um jogo que resolvi jogar com o mô, até chegamos bem longe, mas ai nunca mais olhamos pro pobre do jogo, eu ainda quero terminar esse, depois vou lembrar de perturbar ele pra voltarmos e enfim terminarmos esse game.

    33 – Café Mania (Sabe-se lá) (Browser/ Facebook)

    Status: Dropado

    Sim, eu me viciei novamente (sim, você leu bem, novamente) nesse jogo após conhecer o Filho, ele jogava no Facebook e vê-lo jogando me trouxe saudades de quando eu jogava no Orkut, então acabei voltando pro jogo, pouco tempo depois, peguei o Play 2 e o vicio passou de novo.

    34 – League of Legends (2009) (PC)

    Status: Bem longe de mim

    Sim, eu inventei de começar a jogar isso em 2015, até gastei dinheiro nisso em 2015, mas a toxina de lá não vai me matar, nem me afetar mais, eu consegui me livrar desse vício e pude enfim poder jogar outras coisas mais importantes pra minha vida. Rs

    35 – Espada da Deusa (2014) (Browser/ Facebook/ PC)

    Status: Jogando nesse exato momento

    Merda... ai o mô vai e me vicia nesse jogo, sabia que se eu fosse jogar um MMO qualquer eu me viciaria, e eis aqui o motivo da minha lista de jogos terminados em 2015 ter sido menor e ter ficado menor ainda nos últimos meses do ano, não consigo parar pra jogar outra coisa, tenho que ficar mais forte!

    E esse foi meu ano de 2015, pelo que reparei, joguei muitos jogos de 2005, como se eu estivesse realmente vivendo a 10 anos atrás, vai ver era pra ser assim mesmo, com consoles antigos em mãos, sem dinheiro pra comprar jogos novos pros consoles mais recentesa, então só me resta viver de passado, mas não reclamo não, muito pelo contrário, faço questão, até porque existem muitos jogos que eu deixei passar por mim despercebido, ou por falta de oportunidade ou simplesmente porque ninguém conhecia e como eu adooooro pegar um jogo que ninguém conhece pra jogar rs

    Ou isso ou 2005 foi realmente um ano foda pro Play2 ou então era o ano de mais criatividade pras empresas de games.

    10
  • vaojogar Vão Jogar!
    2016-01-25 16:58:35 -0200 Thumb picture

    Os Melhores Jogos Que Jogamos Em 2015 - Lista Do KratosVudu

    Chegou a hora da verdade, o primeiro a aparecer com a sua lista dos melhores jogos jogados em 2015 é o @kratosvudu!

    Os Melhores Jogos Que Jogamos Em 2015 - Lista Do KratosVudu

    http://vaojogar.com.br/escrito/os-melhores-jogos-que-jogamos-em-2015-lista-do-kratosvudu

    Nos sigam nas redes sociais:

    Alvanista - http://alvanista.com/vaojogar

    Facebook - https://facebook.com/vaojogar

    Google+ - https://plus.google.com/+vaojogarbr

    Pinterest - http://pinterest.com/vaojogar

    Twitter - https://twitter.com/vaojogar

    YouTube - https://www.youtube.com/c/vaojogarbr

    13
  • vaojogar Vão Jogar!
    2016-01-22 16:28:01 -0200 Thumb picture

    Os Melhores Jogos Que Jogamos Em 2015 - Lista Do Vão Jogar!

    Promessa é dívida, liberada a lista geral com a classificação dos 88 jogos jogados pela equipe do Vão Jogar! no ano de 2015. Aguardem que no início da semana que vem iremos começar a liberar as listas individuais!



    Os Melhores Jogos Que Jogamos Em 2015 - Lista Do Vão Jogar!

    http://vaojogar.com.br/escrito/os-melhores-jogos-que-jogamos-em-2015-lista-do-vao-jogar

    Nos sigam nas redes sociais:

    Alvanista - http://alvanista.com/vaojogar

    Facebook - https://facebook.com/vaojogar

    Google+ - https://plus.google.com/+vaojogarbr

    Pinterest - http://pinterest.com/vaojogar

    Twitter - https://twitter.com/vaojogar

    YouTube - https://www.youtube.com/c/vaojogarbr

    9

Carregar mais postagens

Continuar lendo → Reduzir ←
Carregando...