speedhunter

Entusiasta de JRPG e fanático por Final Fantasy.

You aren't following speedhunter.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • speedhunter Renan Loiola
    2019-10-23 16:53:51 -0200 Thumb picture
  • speedhunter Renan Loiola
    2019-10-23 16:48:37 -0200 Thumb picture

    Cadastrado!

    (Demons of Asteborg lança em Agosto de 2020 para Mega Drive, Switch e Steam).

    Demons of Asteborg

    Platform: Genesis
    1 Players

    0
  • felipe_turesso Felipe Turesso
    2019-10-18 23:31:37 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Uma joia na indústria dos jogos eletrônicos

    Medium 3751949 featured image

    Lembro-me do primeiro trailer anunciando The Last Guardian para PlayStation 3 em 2009, ressaltando que o game começou a ser elaborado em 2007. Um jogo que teve tantos contratempos durante seu desenvolvimento que as pessoas se perguntavam se de fato algum dia The Last Guardian seria lançado. Honestamente, eu fiquei intrigado em jogar este game quando o vi, pois o trailer chamou minha atenção, haja vista a proposta, portanto, se aventurar em um local inóspito ao lado de uma grande criatura. Os dois devem se ajudar para obter sucesso em sua empreitada. Na época pensei que com certeza seria um jogo de meu agrado. Após quase uma década de espera, The Last Guardian finalmente foi lançado para PlayStation 4 e valeu a pena.

    Apesar de alguns problemas na jogabilidade e câmera, o game é belíssimo. Trata-se de uma joia na indústria dos jogos eletrônicos, um jogo com um diferencial enorme e claramente um game que talvez não seja para todos infelizmente. Possivelmente as pessoas não compreenderão totalmente este incrível jogo e sua abordagem. Espero que eu esteja errado. O enredo, parte que mais busco em games, é espetacular e o ponto principal. Uma estória que envolve amizade, confiança, persistência, um vínculo profundo e fortes emoções. Impossível não se preocupar com Trico, a criatura amável e atrapalhada em certos momentos. O vínculo entre Trico e o garoto cresce conforme o jogo avança. Inúmeras vezes me preocupei com ele, cuidei dele e quis acariciá-lo para demonstrar que tudo ficaria bem.

    O comportamento de Trico me lembrou um gato o que me fez pensar em meus gatos, Lúcifer e Sophie. Devido a isto, possivelmente criei um carinho muito especial por este jogo. Confesso que pensei que The Last Guardian jamais seria lançado. Recordo-me de mencionar este game em um podcast há alguns anos no qual o tema era sobre jogos que emocionam os jogadores. Tanto eu quanto os participantes daquele podcast concordamos que The Last Guardian, apesar da existência de alguns trailers, demonstrava uma carga emocional enorme e a vontade em jogá-lo só aumentava. Além disto, a trilha sonora deste jogo é tão incrível que palavras não descrevem os momentos de tensão, felicidade e preocupação que senti ao longo do game.

    Outro fator que me impressionou foi o gráfico deste jogo. As penas do Trico reagindo ao vento, assim como as roupas do garoto. Sem mencionar a iluminação, dentre outros detalhes.

    The Last Guardian é mais um exemplo de que os jogos eletrônicos são verdadeiras obras de arte. Penso que um jogo é muito mais que uma jogabilidade impecável, um bom enredo, uma trilha sonora impressionante ou gráficos belíssimos. Para mim, cada jogo possui uma abordagem, um foco, e isto muda tudo, pois o sentimento e a experiência que cada jogador obtém é única. É como assistir um filme, ler um livro ou escutar uma música que transforma a vida ou pensamentos da pessoa. O objetivo do jogo é o entretenimento, levar o jogador a outro mundo e diverti-lo/emocioná-lo, cada um à sua maneira. Isto sim é o verdadeiro propósito dos games.

    Muito obrigado Fumito Ueda e todos os envolvidos na elaboração deste jogo por esta experiência maravilhosa. Certa vez, em uma entrevista para a Edge, Fumito disse que estava realmente triste pela demora da conclusão do jogo. De fato, demorou. Demorou muito, mas valeu a pena.

    Por favor, joguem The Last Guardian!

    The Last Guardian

    Platform: Playstation 4
    822 Players
    121 Check-ins

    36
    • Micro picture
      speedhunter · 4 days ago · 2 pontos

      Compartilho de suas palavras! Jogo que me deixou com uma crise existência depois que finalizei!

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 4 days ago · 2 pontos

      Definitivamente uma jóia na indústria.
      A construção dos personagens antagônicos (o belo...e a fera...o bom...e o mau), sua dependência e a crescente relação de amor e amizade é uma experiência que nunca irei esquecer.
      ...
      Sensacional mesmo.😍🤩

      2 replies
    • Micro picture
      artigos · 3 days ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • speedhunter Renan Loiola
    2019-10-19 22:21:36 -0300 Thumb picture
    speedhunter checked-in to:
    Post by speedhunter: <p><strong>RETA FINAL? (podem me spoilar em relação
    Final Fantasy IX

    Platform: Playstation 4
    30 Players
    31 Check-ins

    RETA FINAL? (podem me spoilar em relação a duração)

    Estou deixando para postar os check-ins quando efetivamente progrido em algum jogo. Jogar um JRPG com a densidade de conteúdo dos FFs antigos torna-se algo desafiador! Não pela dificuldade do jogo em si, mas pela longa jornada e o tempo curto para jogatinas.

    Recentemente o PS4 deixou de ser compatível com o Share do Facebook, o que tornou a captura de imagens mais chatinha (não gosto de ficar mexendo na USB do aparelho). Então descobri que dar para hospedar no Twitter!  

    (Esto Gaza é definitivamente meu lugar favorito! A ambientação e trilha sonora desse lugar dar uma ideia de solidão, algo que me fez escutar o tema da cidade várias e várias vezes no YT)

    (Inicialmente eu pensei que essa parte seria macabro pelos cenário que é meio "assustador". Um leve engano meu em pensar nisso kkk...na verdade teve uma chuva de Lore sobre o jogo. Achei bacana!)

    (Dei uma boa grindada. Talvez bem mais do que era necessário. De todos os equipes que eu tenho, todas as skills estão masterizadas para todos os personagens. Quase 40 horas, será que a aventura está próximo do seu fim?).

    29
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 4 days ago · 2 pontos

      Tenho conta no Twitter só pra postar as fotos...KKK
      ...
      Mas uma pena mesmo ter excluído a funcionalidade com face.
      Será que Zuckerberg implicou?
      ...

      1 reply
    • Micro picture
      onai_onai · 4 days ago · 2 pontos

      Ah, gosto muito desse Final Fantasy!

      1 reply
    • Micro picture
      lordsearj · 3 days ago · 2 pontos

      40 horas? Depende. A história principal mesmo acho que leva umas 50 horas

      1 reply
  • speedhunter Renan Loiola
    2019-10-17 18:50:58 -0300 Thumb picture
    Post by speedhunter: <p>Fantástico trabalho do <a href="https://www.face

    Fantástico trabalho do Neto em proporcionar o MD-DOS (1.03v) para o novo Mega Drive! Particularmente achei bem mais interessante do que o boot loader anterior (que já era excelente por sinal!) agora vai dar para brincar ainda mais com a máquina com essas funções novas (o dumping foi muito bem-vindo :D)

    Testado e aprovado!

    Alien Soldier

    Platform: Genesis
    241 Players
    11 Check-ins

    19
    • Micro picture
      rax · 6 days ago · 2 pontos

      Tem DOS pro Mega? essa é nova pra min O.O

      4 replies
    • Micro picture
      jcelove · 6 days ago · 2 pontos

      Putz ele continua atualizando? Essa versao roda no mdplay tbm? Baixei a primeira mas fiquei bolado por nao conseguir colocar as fotinhas dos jogos e deixei pra la

      7 replies
    • Micro picture
      santz · 5 days ago · 2 pontos

      Agora dá para jogar games de DOS no Megão?

      2 replies
  • speedhunter Renan Loiola
    2019-10-15 22:23:14 -0300 Thumb picture

    Inovação ou mais do mesmo? FFVII Remake pode ser ou não um "sucesso".

    Medium 3751344 featured image

    Depois do lançamento e sucesso absoluto de Final Fantasy VII em 1997, o ambicioso RPG da SquareSoft (hoje SquareEnix) deixou a indústria dos games em outros patamares. Goste você ou não, o sétimo capitulo é certamente o mais aclamado e lembrado entre os fãs da franquia, obviamente, isso não é nenhum mérito ou demérito para outros títulos da “Última Fantasia”, sejam eles anteriores ou posteriores ao popular JRPG, gênero esse, que não tinha tanta expressividade no ocidente antes desse marco.

    O sucesso de FFVII foi tão avassalador, que é considerado o jogo de maior sucesso do PlayStation (vendendo cerca de 10 milhões de cópias, número impressionante para época) , console esse que estreava o início do grande êxito da Sony no mercado de consoles, que era dominado anteriormente e majoritariamente pela a SEGA e Nintendo.

    (Revolução nas CGs e remodelagem de personagens, foi o que mais chamou atenção da indústria em seu lançamento).


    O CLAMOR PELO REMAKE:

    Quando o PlayStation 3 foi mostrado ao mundo em 2005, a SquareEnix lançou uma demonstração técnica de Final Fantasy VII para mostrar o potencial do hardware do PS3 e também sua nova engine para a criação dos próximos FFs que seriam lançados no futuro, causando impacto e também grande confusão aos jogadores. A principal dúvida era se realmente se tratava de uma possibilidade de remake do título ou se era apenas uma pequena amostra do poder de processamento gráfico da nova engine e do next gen console da Sony na época. Como um balde de água fria, a empresa confirmou que era apenas uma pequena amostra do que eles pretendiam fazer no que tange a qualidade gráfica para a próxima geração que sucederia o saudoso PlayStation 2, deixando fãs do sétimo episódio frustrados, porém, ainda esperançosos.

    Em 2016, mais de uma década depois da famigerada “tech demo” de FFVII para o PS3, Final Fantasy XV chegava ao mercado para PS4 com um hype consideravelmente alto e com 10 anos de produção gerados por muitos problemas com a equipe de desenvolvimento e com a Luminous Engine (engine essa, extremamente problemática para os consoles da atual geração). O jogo não agradou toda a base de fãs da franquia, mas conseguiu ser um sucesso de vendas e ter uma nota sólida no metacritic. Ainda sim, a comunidade não se contentou com o desempenho do FFXV. Um ano antes do lançamento de FFXV, o remake do VII havia sido anunciado na E3 de 2015, gerando ainda mais hype como também dúvidas a respeito de qual rumo a renomada série de RPGs eletrônicos iriam trilhar. Será que repetiriam a formula do décimo quinto capítulo? Manteriam o sistema clássico do FFVII original? Ou simplesmente seria algo realmente “novo”? A resposta vem no tópico a seguir...

    (Essa imagem causou muitas "teorias da conspiração" na época. A espera e ansiedade era algo bastante discutido nas comunidades. O PS3 ainda não tinha sido lançado oficialmente, o que deixavam os fãs ainda mais na loucura!)

    PRESERVAÇÃO DO QUE FUNCIONA E EXCLUSÃO DO QUE NÃO FUNCIONA:

    É bem provável que esse tópico pode causar certo desconforto em fãs mais apaixonados pela turminha do Cloud, entretanto a intenção não é essa e sim mostrar que uma analise sincera de quem viu e testou o jogo de perto. Independente se é ou não o seu jogo favorito, tenha ciência que não existe nenhum jogo perfeito, com exceção de Vagrant Story! (brincadeirinha).

    Gráficos: 

    Talvez seja um dos jogos mais deslumbrantes dessa geração. Em relação a esse quesito tenho pouquíssimas observações para salientar. As texturas são de altíssima qualidade, os designs de personagens são de cair o queixo! Como qualquer Final Fantasy com pegada mais fotorrealistica (algo que acontece desde FFVIII e se estende até os títulos mais modernos da franquia) a Square sempre referência em inovação nesse quesito. Fiquei impressionado com as cores vibrantes dos cenários e dos personagens.As partículas de faíscas são radiantes, o brilho da lâmina da Buster Sword quando o Cloud se movimenta é algo que me impressiona desde a primeira vez que o remake foi anunciado e quando saiu os primeiros trailers de protótipos de gameplay.A HUD é quase que a mesma de Final Fantasy XV. Ver essa evolução de perto foi muito satisfatório! O ponto negativo que vi foi a quantidade de serrilhado no cabelo do protagonista, não é algo que realmente incomoda, mas vejo que uma polida nessa parte cairia bem.

    (O padrão de qualidade da Square em gráficos para AAA, estão quase sempre a frente de seu tempo).


    Jogabilidade:

    Combate acelerado e definitivamente um RPG de ação. Chega a ser bem estranho para um veterano acostumado com o famoso sistema de ATB (Active Time Battle) do FFVII clássico. A fluidez é bem estável e eu particularmente não vi nenhuma queda de frames que prejudicasse a experiência. Até nos momentos com maior clímax da luta contra o chefe, o desempenho se comporta de forma bastante satisfatória. Não sei se a demo foi disponibilizada no PS4 base ou no PRO, visto que os aparelhos ficam em um compartimento fechado.

    A adição do botão de dash foi extremamente bem vinda! Não que no original não tivesse isso, mas com a câmera em 3D a sensação de velocidade precisa está em um bom parâmetro, caso o contrário, a sensação de lentidão e progressão pode ser comprometida negativamente.

    A troca de personagens nas batalhas foi uma sacada inteligente, trouxe dinamismo no combate e amplia as possibilidades do sistema tático do jogo. Ter a liberdade de alternar os personagens em tempo real trás também a quebra da “mesmice” na qual o FFXV foi tão criticado em seu lançamento.

    Em termos comparativos o combate se assemelha bastante com Final Fantasy XV, sim, não é nenhum tipo de brincadeira, pois se tratando do Tetsuya Nomura que é o diretor do remake, tudo fica bem parecido com o combate de Kingdom Hearts (que também foi implementado no FF Type-0 e FFXV). Mas para aqueles que torcem o nariz contra qualquer tipo de “aceleração” em JRPGs tradicionais, o botão de “slow-motion” também foi colocado, para que você possa tornar o combate mais tático e ter tempo suficiente para alternar os comandos.

    Todas as mecânicas de itens e limits breaks do jogo original estão presentes aqui, em relação às matérias, na demo disponibilizada não temos acesso. O menu principal da party não é mostrado na demo, bem provável que a Square ainda esteja trabalhando nisso.

    Definitivamente foi uma das mudanças mais radicais em relação ao original. Se você é bem tradicional e saudosista de sistema de combates por turnos, certamente não irá aprovar a mudança que foi feita aqui, mas fortemente aconselho a acompanhar de perto as novidades, pois demos nem sempre refletem o produto final com 100% de precisão.

    (Controlar o Barret também é divertido, assim como o Cloud).


    Trilha Sonora:

    Acredito que esse ponto é bem tradicional. As trilhas foram reoquestradas e se assemelham com as excelentes trilhas do original. Essa mudança é sempre bacana, considerando que você mantém a essência, porém, melhorando algo que já é de ótima qualidade. Se você tem curiosidade para escutar como ficou, aqui vai o link:

    Espero de coração que todas as trilhas recebam o mesmo tratamento da Square Enix. Um CTRL+C e CTRL+V em um remake nem sempre é bem vindo. Estou curioso para saber como vai ficar músicas marcantes como a One Winged Angel e o tema da Aerith que são os meus prediletos.

    (Cover art oficial, simples e ao mesmo tempo nostálgica).


    Considerações Finais:

    É notável que esse remake não está sendo feito apenas para agradar fãs saudosistas. Ele tenta agradar também aqueles que nunca jogaram um RPG na vida com uma boa história e personagens cativantes. É um risco e um investimento muito alto que a SquareEnix aposta com todas as fichas, eu considero pelo que vi, uma demo bem sólida, mas, falta ainda muito para acertar o público que nunca experimentou um jogo da série. Se eu fosse alguém que nunca jogou um RPG japonês, esperaria um pouco mais pela versão completa, já que a companhia quer vender em várias partes. Não preciso explicar que para um fã da série é quase que uma aquisição obrigatória, desde que você não seja extremamente entusiasta de combates por turnos, caso o contrário, poderá soar como um Final Fantasy XV com aspectos melhorados.

    (A esquerda meu grande irmão Paulo Ambrosio  e a direita eu. Ambos no sofrimento para poder jogar a demo).


    Demo disponibilizada e testada no estande da PlayStation na Brasil Game Show 2019. Era necessário um QR code e hora marcada para testar a demo. ESSE NÃO É UM REVIEW DEFINITIVO. Todos os pontos citados poderão ou não mudar no produto final. Todas as imagens foram encontradas na internet, não era permitido tirar fotos ou filmar.

    Final Fantasy VII chega ao mercado internacional e brasileiro em 03/03/2020 exclusivamente no PlayStation 4.

    Final Fantasy VII Remake

    Platform: Playstation 4
    318 Players
    1 Check-in

    29
    • Micro picture
      wiegraf_folles_ · 8 days ago · 4 pontos

      Sinceridade, não vejo esse jogo chegando perto do que foi FF7 PS1 só torço pelo melhor e que ele se pague, a SE quebrar é tão ruim quanto a Nintendo, é um caso de arriscar tacar fogo num monte de IP amada por muitos jogadores.

      Se alguém quer um Action com boa matemática na Frame Data e viabilidade de jogadas interessantes, risco e recompensa dependo da sua habilidade mecânica ou como você lida com o problema se sua execução não estar 100% com ou sem sistema de progressão não duvidaria por um segundo que já tem melhor ocidental ou oriental mesmo já que Action RPG JP é mais velho do que se imagina.

      E a SE tá com muitas ideias em cima do muro pra tentar agradar todo mundo e isso geralmente não agrada ninguém.

      E FF7 como muito com muito JRPG já ficou pra trás em storytelling em comparação a jogos ocidentais (Quer um teste simples? Tente vocalizar e imaginar os textos do jogo de PS1 com não só voice mas também acting das capturas de modelo, você vai ver como vai ficar estranho) e se não for por tecnicalidades é por público que ganhou jogos bons com sequências melhores ainda deixando o Hype pra qualquer coisa até mediana que eles façam.

      Como a SE vai competir com o filme tão queimado a ponto de ter gente fazendo um êxodo cada vez maior pra SMT por simplesmente não aguentar reciclagem de ideias divisivas ou que deveriam ser um negócio de uma só vez em vez de fast food de plot e character arc?

      E tem mais o jogo em si, Midgar... Caras é tipo 7 horas aproximadamente vão ser transformadas em um jogo completo. Vocês imaginam a quantidade de absurdos que vão puxar e de filler que vão adicionar?

      5 replies
    • Micro picture
      jcelove · 8 days ago · 3 pontos

      Vai ser dificil causar o mesmo impacto q o original, mas com certeza cai vebder horrores!
      Eu achei meio caido mudar o esquema de batalha mas depois de ver em açao ta bem maneiro. Acho q a sE ta caprichando . o chato é so a miljagem q vao fazer com os episodios. A square vai sugar ate nao poder mais.hehe

      3 replies
    • Micro picture
      reasel · 8 days ago · 2 pontos

      eu n cheguei a jogar, mas estranhei esses controles diferentões

      2 replies
  • speedhunter Renan Loiola
    2019-10-08 15:50:39 -0300 Thumb picture
    speedhunter checked-in to:
    Post by speedhunter: <p><strong>CONTINUANDO...</strong></p><p>Agora está
    Final Fantasy IX

    Platform: Playstation 4
    30 Players
    31 Check-ins

    CONTINUANDO...

    Agora está mais que claro quem é o verdadeiro vilão e o que ele pretende fazer com os Eidolons. Bacana a forma que o Kuja engana até mesmo os mais poderesos (politicamente falando).

    (Agora entendo o que o Sakaguchi quis dizer em relação ao FFIX ser o mais próximo do conceito inicial de FF.)

    (Quase 25 horas e uma boa e velha grindada. Acredito que se fosse a versão do PS1, nem fudendo estaria farmado assim em "pouco tempo".)

    20
    • Micro picture
      wiegraf_folles_ · 15 days ago · 3 pontos

      Assim, de grande diferença sem os boosters é que FF9 remaster tem a encounter rate reduzida da versão mobile.

      O estranho é que você consegue ser mais rápido no PS1 por conta dos menus responsivos.

      2 replies
    • Micro picture
      matheusps92 · 15 days ago · 2 pontos

      Eu adoro o sistema de habilidades desse jogo, pra mim é o melhor dentre os FF de PS1.

      1 reply
    • Micro picture
      brunoosilva88 · 5 days ago · 1 ponto

      Adoraria platinar esse jogo, mas o troféu de pular corda é broxante.

  • speedhunter Renan Loiola
    2019-10-06 22:48:23 -0300 Thumb picture
    speedhunter checked-in to:
    Post by speedhunter: <p><strong>FINALIZADO! (pela 10ª vez rs)</strong></
    The Last of Us

    Platform: Playstation 3
    11558 Players
    1161 Check-ins

    FINALIZADO! (pela 10ª vez rs)

    Tenho procrastinado bastante com os jogos pendentes e ainda mais com a hype da continuação do TLOU, resolvi fazer um "speedrun" para relembrar essa obra-prima.

    (Momento mais "feeling" do jogo, sempre que chego nessa parte passo no minimo uns 5 minutos. Admirando tanto a trilha sonora como a ambientação).

    16
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 16 days ago · 1 ponto

      😂😂😂
      Zerei 3 ou 4x.
      Aquele game que sempre dá vontade em jogar novamente...

    • Micro picture
      brunoosilva88 · 5 days ago · 1 ponto

      Um dia eu platino esse jogo.

  • galathar Victor Hugo Vasconcelos
    2019-10-05 18:28:00 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Minha (PÉSSIMA) experiência com o Nintendo Switch até agora...

    Essa semana completaram 60 dias desde que eu mandei os joy-cons do meu Nintendo Switch para serem reparados na HG Digital, única assistência técnica autorizada da Nintendo no Brasil. E até hoje eles não foram reparados ou enviados de volta.

    O problema? O famoso joy-con drift: por conta de uma falha no processo de fabricação do console, os componentes internos das alavancas analógicas ficam expostos ao contato com poeira/sujeira decorrente do uso. O que acaba gerando movimentos aleatórios in-game sem que o jogador sequer esteja tocando os controles.

    Ainda estou literalmente pagando pelo console (a última parcela neste mês), e já fazem 2 meses que estou impossibilitado de utilizar o aparelho, pois não tenho um joystick adicional. Além disso, o reparo no joy-con drift só é realizado pela HG Digital mediante o custeio do frete de envio e devolução do produto para autorizada por parte do consumidor. Um absurdo!

    Essa semana, compareci ao Juizado Especial da minha região para solicitar informações. Com base no Artigo 18 do Código de Defesa do Consumidor, caso um produto exceda o prazo de 30 dias na autorizada para reparos técnicos, o consumidor tem direito a exigir um produto novo. A ideia é não só exigir o produto novo, como também processar a HG Digital e a Nintendo por danos morais.

    Minha sugestão pra você que está pensando em comprar um Nintendo Switch atualmente: NÃO COMPRE! Enquanto a Nintendo não se posicionar de forma clara quanto à correção do problema do joy-con drift, não gaste seu dinheiro comprando um produto defeituoso. Inclusive o recém-lançado Nintendo Switch Lite também possui o problema dos joy-cons, com o agravante de que neles os joy-cons não são destacáveis/trocáveis (é preciso trocar todo o aparelho).

    Resumindo: fuja do Nintendo Switch, até que a Nintendo corrija esse problema. Não dê seu suado dinheirinho a quem faz trabalho porco e não respeita o consumidor.

    The Legend of Zelda: Breath of the Wild

    Platform: Nintendo Switch
    766 Players
    335 Check-ins

    39
    • Micro picture
      manoelnsn · 18 days ago · 6 pontos

      Eu tenho um Switch há quase 2 anos... E não aconselho ninguém a comprá-lo também. Não tive problemas com o joycon porque jogo muito pouco nele, além de ter comprado um 8bitdo pra jogatinas mais extremas.

      Mas o problema da assistência, jogos mais caros, falta de third parties, hardware limitado, não compensa o preço com certeza. A menos que seja um motherfucker fã da Nintendo mesmo

      2 replies
    • Micro picture
      lukenakama · 18 days ago · 3 pontos

      Eu não me arrependo de ter comprado o Switch, nem mesmo acho o Joycon ruim, mas puta merda, o analógico é muito problemático além de ser desconfortável a longo prazo.
      Se fosse barato essa merda até dava pra relevar, mas o Joycon é muito caro, toda hora é um cagaço de quebrar.
      O meu Switch só caiu uma vez de uma altura bem baixa, mas isso já foi o suficiente pro Joycon sair sem que aperte o botão.

      2 replies
    • Micro picture
      jesspras · 18 days ago · 3 pontos

      Faz tempo que tenho meu Nintendo switch e é o console que eu mais jogo. Porém tive problema no analógico e até comprei somente o joycon esquerdo p substituir...e adivinha? Esse também tem problema kkkkkk
      O limpa contatos é item indispensável p manter meu switch na ativa
      Eu desbloquiei sem dó o switch. Além de pagar muito mais caros pelos jogos, mesmo os semi novos, parece q os jogos nunca entram em promoção nessa bagaça.

      1 reply
  • speedhunter Renan Loiola
    2019-10-05 00:03:06 -0300 Thumb picture
    speedhunter checked-in to:
    Post by speedhunter: <p><strong>HYPE MONSTRO!</strong></p><p>Com o anúnc
    The Last of Us

    Platform: Playstation 3
    11558 Players
    1161 Check-ins

    HYPE MONSTRO!

    Com o anúncio da data de lançamento do TLOU 2, fica impossível não hypar a tão aguardada continuação! Mesmo possuindo a versão remasterizada do PS4, resolvi ligar meu PS3 e jogar tudo de novo! Agora totalmente em inglês para ver se a dublagem original é tão boa como a PT-BR. Com algumas horas de jogo, realmente a BR está em um patamar muito avançado! Talvez a melhor dublagem de um jogo já feito até hoje!

    (Insanamente, esse jogo continua lindíssimo mesmo no PS3 a 720p 30 FPS, um feito e tanto da Naughty Dog considerando o hardware do PS3 na época que já era bem defasado...)

    11
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...