seufi

"Waste of time. That was a waste of time." Dias Flac

You aren't following seufi.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-08-16 11:00:23 -0300 Thumb picture

    Começando

    Instalei o jogo base e a build alpha com melhorias gráficas, do jogo refeito em unity...

    E uma cidade assim...

    Fica refeita assim

    Se vocês repararem na imagem, além da melhoria gráfica tem mais um detalhe: as barras vermelha e verde estão invertidas...

    Além da melhoria gráfica, o jogo oferece melhorias de jogabilidade, como melhora a AI dos inimigos  - o que eu não peguei, inverter a cor das barras, já que neste a barra de stamina e hp tem a cor invertida dos padrões de oblivion, por exemplo, atacar com um clique do mouse (porque em geral você clica, segura e movimenta o mouse para desferir o ataque) e uma série de pequenas detalhes que melhora a jogabilidade...

    Enfim, vamos ao jogo:

    Você começa o jogo atirado pela tempestade em Privateer's Hold, na gordura da veia da hemorróida do C% do mundo.

    Vejamos o exemplo:

    Repare a seta na esquerda da imagem... aquela é a região que você sai... Cada divisão entre traços amarelos é uma região...

    Dentro daquela região, você sai naquela ponto milimétrico amarelo na setinha do canto superior esquerdo, numa dungeon, praticamente só com a roupa do corpo...

    O personagem criado foi esse:

    Um argonian - claro e sempre - com uma classe custom diplomata... Totalmente com skills de talk, e de combate apenas arqueiria e esquiva... 

    Resultado: morri, só pro primeiro rato, umas 3 vezes apenas pra aprender a atacar... Depois que aprendi, acabava morrendo nos primeiros inimigos, porque neste jogo, apesar de seu ataque "atingir" o inimigo, o ataque só é bem-sucedido se você passar num teste de "to hit"... e como não tinha skill de ataque, comi o pão que o diabo amassou...

    Até saí da dungeon, depois de umas 3 horas de muito sofrimento de atacar os inimigos e não atingir e tentar uns 30 ataque pra acertar um...

    Aí, resolvi recriar o personagem...

    E dessa vez mudei muito as skills... coloquei lâminas longas, blunt weapon, e um monte de coisas... mas acabei esquecendo de colocar magia de ataque... é bom que faço outro depois...

    E assim que você sai, você olha pro mapa e pensa: WOW!!!! 

    E cumpri algumas missões...

    Comprei um cavalo, um carrinho pra guardar as coisas e deixei um dinheiro depositado no banco... Pelo que vi, dá pra pegar dinheiro emprestado no banco, adquirir "letras de crédito", comprar casa, etc...

    O cavalo aumenta sua velocidade de movimento, o que é excelente prum jogo com esta distância... E o carrinho, bem, ele guarda até 750kg de peso, o que é excelente, já que o char carrega, dependendo da força uns 80-90, o que inclui as armaduras que você está vestindo...

    Cumpri uma missão prum templo, uma missão da guilda dos magos e uma da guilda dos guerreiros, e cumpri uma missão de resgatar uma criança numa casa mantida pela Dark Brotherhood (a guilda dos assassinos)... o que parece ter me dado uma reputação negativa com eles... O bom que dá pra fazer fast travel entre os lugares, digitando no mapa o nome do lugar, então poupa tempo...  Outra coisa: pra descansar na cidade, tem que pagar na taverna. Não dá pra "rest" do lado de fora... e quando vc chega na cidade á noite, tem que esperar o dia amanhecer, ou então escalar os muros da cidade e entrar na estalagem...

    E vamos continuando...

    The Elder Scrolls: Chapter II - Daggerfall

    Platform: PC
    96 Players
    6 Check-ins

    28
    • Micro picture
      realgex · 5 days ago · 2 pontos

      Se eu não estiver enganado é o maior mapa já criado pra jogo de RPG, eu acho.

      3 replies
    • Micro picture
      salvianosilva · 5 days ago · 2 pontos

      Um dia ainda zero esses jogos mais antigos da franquia Elder Scrolls

      3 replies
    • Micro picture
      santz · 3 days ago · 2 pontos

      Ué, podia jurar que já te seguia a anos.

      1 reply
  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-07-01 21:57:21 -0300 Thumb picture
    seufi checked-in to:
    Post by seufi: <p>E Vamos continuando...</p>
    Wasteland 2: Director's Cut

    Platform: Playstation 4
    16 Players
    2 Check-ins

    E Vamos continuando...

    14
  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-06-26 21:23:24 -0300 Thumb picture
    Post by seufi: Sou suspeito de falar, mas considero BoF 2 um jogão

    Sou suspeito de falar, mas considero BoF 2 um jogão. Claro que neste ponto a nostalgia pesa - e aluguei muito esta fita que não salvava até que um dia resolvi abrir a fita, trocar a bateria e ser feliz. Jogão.!

    Religiões, Aventuras, Motivações, Profundidade - Basicamente Uma Evolução Monstruosa

    Review by: @juninhonash

    Breath of Fire foi uma franquia que nasceu interessante, com seu sistema de dragões pra um personagem, motivações simples e obj...

    Keep Reading →
    18
    • Micro picture
      manoelnsn · about 2 months ago · 2 pontos

      É um puta jogo mesmo

    • Micro picture
      juninhonash · about 2 months ago · 2 pontos

      Obrigado, mas eu gostei MUITO mesmo, pqp, nao gasta nostalgia nesse.

  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-06-25 22:03:24 -0300 Thumb picture

    Comprinhas...

    Não foi na steam, mas consegui garimpar uns preços bons...

    Isso ontem, no submarino, com 20 reais de frete somado...

    E esse aqui, bem, o frete saiu a 7,62 para a cidade vizinha, no estado do RJ... na minha, sairia a 33 reais, mais do que a soma do jogo + frete.

    E ainda iria pegar o ESO: Morrowind a R$ a 24,90, mas aumentaram o preço pra R$34,90 e desanimei...

    Boom, três RPG de ps4 por menos de R$150 vazamentos é sempre um bom negócio... Espero ficar servido por alguns meses - pelo menos!

    Torment: Tides of Numenera

    Platform: Playstation 4
    4 Players
    2 Check-ins

    24
    • Micro picture
      mastermune · about 2 months ago · 2 pontos

      Que Tormento de compra!!
      XD

      2 replies
    • Micro picture
      _gustavo · about 2 months ago · 2 pontos

      Eu também peguei o Pillars só que na Steam, com o Baldur's 3 vindo aí tenho q aumentar minha coleção de crpgs kkkk

      1 reply
    • Micro picture
      tiagodantas · about 2 months ago · 2 pontos

      Parabéns pelas aquisições!!!

      1 reply
  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-06-23 23:58:13 -0300 Thumb picture

    Top 3 2019

    desafio,  e a quem interessar, pra que a gente saiba o que o pessoal anda jogando...

    1 - A Bard's Tale

    herr.... não!

    Ouvi falar que Baldur's Gate receberia um novo jogo na E3,  uma franquia famosa criada no mundo de Forgotten Realms, de D&D, e que um dos criadores havia desenvolvido este jogo... E eu me lembrei que havia comprado ele há muitos meses, por uns 8, 9 vazajatos... Peguei e fui testar... 

    Logo no começo, o personagem, que é um bardo com uma personalidade fanfarrona e só se importa com dinheiro, mulheres e bebida - não necessariamente nesta ordem, invoca um ratinho, e envia ele pra dentro de um bar. Depois de um grito, ele entra e encontra a dona, uma mulher que, nos dizeres da mãe, já traçou todo homem da cidade... Aí nosso herói, chamado simplesmente de "bardo" vai salvá-la... Aí a mocinha diz que se ele quer matar o rato, ele vai precisar de uma espada maior... e ele me sai com essa cima...

    Atributos do jogo no modo "hard". No normal, os valores iniciais são 6, e no easy, os valores são 8.

    O jogo é interessante. Você pode invocar algumas criaturas para te ajudar nas missões (e lá pro fim do jogo, o total fica em 4 simultaneamente), que ajudam a combater, iluminar, escapar de armadilhas, curar, etc. O que é mais interessante são os diálogos... Bardo é um herói com... motivações diferentes... E é seduzido a levar a missão adiante.... literalmente... Outro ponto positivo é o humor... E a parte sonora. Os diálogos sempre baseados em trocadilhos, sacanagem e jogo de palavras - e mesmo com um inglês mediano você consegue entender muito bem. Pra quem jogou Fallout, a referência ao "Chosen one" é visível em várias partes. E tem um narrador que conta a história - e com o qual o bardo interage às vezes, o que dá um tom muito cômico. 

    Fica a dica de platina - o jogo segue bem tranquilo, e permite uma platina com apenas uma run. Caso queira, você pode ativar cheats, pra ganhar dinheiro, ficar imortal, etc. Recomendo muito... E ao olhar o final, vi que o produtor era o Brian Fargo... aí tudo ficou MUITO mais claro. 

    Conhece ou já jogou este @gradash

    2 - Cavemen Warriors

    Joguinho de plataforma com 4 chars intercambiáveis ao longo da partida. 2 casais vão em busca dos filhos raptados, abduzidos por uma nave espacial - isso ambientado num mundo de homens das cavernas. Joguinho bem desafiador, com cada personagem tendo habilidades próprias... com 2 níveis de dificuldade, ambos necessários para a platina, joguinho barato, pouco conhecido, mas competente - e valeu os 12 reais investidos. Permite cooperativo inclusive, local, para até 4 jogadores. Terminei, platinei e recomendo.

    3 - Resident Evil 2 Remake

    Foi a minha primeira pré-compra, como um presente que me dei, em comemoração à quantidade que joguei este jogo no psx. Compensou muito, platinei tb, mas o modo survivors não me chamou a atenção. Terminei com Hunk e Tofu também, mas não me animei - ainda, a finalizar o resto das coisas do jogo e os modos que citei. Foi uma boa compra, e me fez passar maus bocados, mas compensou muito.

    Bom, é isso minha gente.

    The Bard's Tale

    Platform: Playstation 2
    41 Players

    17
    • Micro picture
      gradash · about 2 months ago · 2 pontos

      Nunca joguei Bards Tale, mas sei que é uma franquia clássica.

      10 replies
  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-06-13 22:04:22 -0300 Thumb picture

    Tava de bobeira no Youtube e...

    Como mente vazia é a oficina do diabo, me deparei com este vídeo.

    Não gosto de compartilhar vídeos, sequer conheço o canal, mas valeu a pena por que me levou a pensar, e a refletir que, apesar das mudanças, realmente o ponto alto da série ainda é o mesmo, mais de uma década depois...

    Em resumo, antes que cliquem:

    3 malucos pegaram vários jogos da série Final Fantasy (os principais) e fizeram um "torneio" para qualificar o melhor da série, argumentando suas respostas.

    Marcando @manoelnsn @the_muriel, por conta do podcast, e a título de curiosidade e idéia para alguma possível análise de franquia. Pode não ser a melhor maneira, mas certamente dá ideias de como fazer uma análise comparativa.

    E a quem interessar possa, concordo com o resultado apresentado ao final do vídeo!

    Final Fantasy III (US)

    Platform: SNES
    2652 Players
    101 Check-ins

    13
    • Micro picture
      docrow · 2 months ago · 3 pontos

      Esse video é hilário, os caras não falam o que realmente deu errado nos outros final fantasys como o xii ter toda uma guerra sendo apenas pano de fundo pra uma sucessão de quests de MMOffline com uma princesinha estressada, um clone do Han Solo e um Alladin japones, o ff9 sendo um mal-reaproveitamento de ideias anteriores, o ff8 como um harem de escolinha de light novel fingindo ser um romance, o ffx sendo pura cinematica linear com Tidus inaugurando a Era dos péssimos protagonistas de jrpg com aquela risada terrível...
      No final o cara do video bate a divina iluminação e ele acorda e finalmente percebe que ff6 é o melhor da série, LOL kkkk
      Até hoje, a melhor análise da série e do motivo de sua queda continua sendo a do Pitchfork na Socks: https://socksmakepeoplesexy.net/index.php?a=patff
      Recomendo a leitura, esse sim manja da série!

      2 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · 2 months ago · 2 pontos

      A única coisa que concordei com eles foi com o fato dos 3 primeiros e o 5 não contarem... E que o VI é o melhor da franquia.

      Agora todo o resto tá muito errado.

      14 minutos pra falar de uma franquia enorme como Final Fantasy é pouco tempo demais, mas mesmo assim a análise deles foi muito superficial, os méritos comparativos entre os jogos igualmente.

      Eu vejo a franquia como tendo três pilares: FFIV é o início da identidade da franquia(como eles falaram, nos 3 primeiros, Final Fantasy não sabia direito o que era e tava tonto de tanto apanhar de DQ), FFVI é o ápice criativo(não importa se a pessoa gosta ou não, FFVI melhorou TUDO que os outros jogos tinham, pegou o que tinha de melhor na franquia e elevou a uma criatividade que não vi nenhum rpg alcançar até hoje) e FFVII é o ápice econômico(graças a ele que porcarias como FF8 e FF13 vendem até hoje, além de ter introduzido o maravilhoso Limit break, melhoria dos Desesperation Moves de FFVI).

      E por deus, nem dá pra comparar FFXII com FFIV, muito menos FFIX com FFVII. Eu gosto da história do 12 e do gameplay do 9, mas a importância que esses outros e os méritos que cada um possui são inquestionáveis, e até hoje não entendo o que caralhos voadores veem nesse raio de Black Mage chamado Vivi :P

      5 replies
    • Micro picture
      reasel · 2 months ago · 2 pontos

      eu n perderia meu tempo fazendo um vídeo sobre isso, é complicado aheuahuea

      16 replies
  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-06-11 22:44:16 -0300 Thumb picture

    Jogando errado

    Estes dias me peguei pensando em alguns jogos que a gente joga errado. Antes que me critiquem, não acredito que um jogo possa ser jogado errado, mas quando uso a expressão do título deste textículo me refiro a quando jogamos alguma coisa de maneira diferente da que se esperava, da que se deveria originalmente.

    Exemplo:  O Panda pacifista de WoW

    Link: http://www.garotasgeeks.com/panda-pacifista-atinge-o-nivel-120-em-world-of-warcraft-apenas-colhendo-flores/

    Em resumo: em World of Warcraft, quando criamos um char pandaren, no nível 10 precisamos sair do mapa inicial, e neste momento o jogador decide se vai se aliar à Aliança ou à Horda. E jogador escolheu não escolher nenhuma das facções e não saiu do mapa principal, permanecendo no mapa inicial sem fazer a escolha, ou seja, claramente contrariando o que se esperava de qualquer jogador: escolher uma facção! 

    Como o exemplo acima, jogava eu estes dias Saiyuki: Journey West, no ps3 emulando psx, e fiz algo assim, mas em bem menor grau: 

    Todos os personagens do jogo, possuem um elemento, entre 5, com os quais tem afinidade, a qual é representada por um nível próprio em cada elemento. A ideia é que o jogador desenvolva o elemento de maior afinidade, já que o dano/cura é maior, à medida que o level aumenta... Pois bem: peguei um dos personagens, abandonei seu elemento de origem e comecei a equipar magias dos outros 4 elementos, tentando equilibrar os níveis entre todos.. Consegui, até o momento, um equilíbrio relativo, e estou  + - com um 3 níveis a menos que o elemento de afinidade.

    Fora isso, me lembro de uma luta em Vandal Hearts, em que é preciso escapar de um cerco, armado pelos 4 generais inimigos. E em vez de correr, o que era o esperado, fiquei pra lutar...

    Outro exemplo bem comum, são os LLG (Low Level Game), em que o jogador ganha o mínimo de níveis possível, correndo de lutas opcionais e fazendo apenas as obrigatórias; Outro exemplo é o famoso "One Character Challenge", em que se termina todo o jogo com apenas um personagem escolhido. Fiz ambos com Gau, de Final Fantasy VI. Assim que peguei Gau, obtinha todos os Rages possíveis em Veldt (lá não se ganha XP), e passei o jogo todo sozinho, jogando com apenas ele e sem lutar nenhuma luta opcional. Na última vez que joguei (não terminei o jogo - pelo menos não ainda), tinha derrotado Dullahan, na dungeon em que entramos para pegar o airship em WoR...

    Imagino que aqui no Alva, não tenhamos ninguém assim:

    https://www.comboinfinito.com.br/principal/jogador-termina-dark-souls-3-usando-um-tapete-de-danca/

    então, me digam vocês:

    Em que jogos vocês contrariaram o que era esperado e fizeram algo fora do que era esperado? O que fizeram de "errado"? Como e por quê fizeram isso?

    Saiyuki: Journey West

    Platform: Playstation
    113 Players
    6 Check-ins

    15
    • Micro picture
      realgex · 2 months ago · 2 pontos

      Wow tem N maneiras de se jogar. Essa de ser pacifista, de ficar só pegando florzinha e tal, é bem legal viu, apesar de ser extremamente demorada. Eu joguei muito Wow e te digo, não é nem o fato da pessoa ser viciada, mas sim porque é legal e te impõe um objetivo extra. Já tinha visto outras reportagens antes, de pessoas que já tinham feito isto, mas andando pelo mundo todo do Wow. Acho bem legal essa forma de jogar, mas não é digamos, prática. Mas é louvável.

    • Micro picture
      tecnologgamer · 2 months ago · 2 pontos

      WoW demora pra upar desse jeito pq ele não foi elaborado para ser jogado dessa forma, diferente de Fallout que é um RPG que te permite essas opções, WoW você upa de fato fazendo o core do jogo que é combate.

  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-06-09 23:34:15 -0300 Thumb picture

    E3 Bethesda...

    Impressão: Mista

    mobile games - o que não curto

    fallout 76 - new features - que não me importo (mas lançar 4 árvores de diálogo como "feature" achei meio sinistro, mas enfim...)

    Elder Scrolls - online ok, CG Muito legal

    ES:VI - não citado

    Wolfestein - Legal

    Doom Eternal - muito legal

    Ghostwire Tokyo - muito legal

    Deathloop - Excelente - gostei da premissa...

    18
    • Micro picture
      santosmurilo · 2 months ago · 2 pontos

      Bethesda é irrelevante para mim...

      1 reply
    • Micro picture
      xch_choram · 2 months ago · 2 pontos

      Ou citaram ES:VI, eles falaram que tavam trabalhando nele, num momento lá.

      1 reply
    • Micro picture
      tecnologgamer · 2 months ago · 2 pontos

      Levaria mais em conta Doom Eternal se ele fosse feito visando os PCs.

  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-05-13 18:40:20 -0300 Thumb picture
    Post by seufi: Segue a crítica que fiz de um jogo relativamente po

    Segue a crítica que fiz de um jogo relativamente pouco conhecido que merece uma visita dos amantes de RPGs táticos.

    A jornada pode ser mais importante que o destino

    Review by: @seufi

    Ao terminar a trilogia Vandal Hearts, na ordem dos acontecimentos, sendo Flames of Judgement mediano, Vandal Hearts, que acho e...

    Keep Reading →
    11
    • Micro picture
      mastershadow · 3 months ago · 2 pontos

      Caraaaa esse game eu joguei muito em 2003/2004, eu tava praticamente na metade do game e depois meu PS1 nao lia mais o Cd, na época nao tinha como baixar ISOS e nem Gravar Cds de PS1, o Cd tava muito riscado e travava em certa batalha,ai abandonei.

      Mas pretendo retomar esse game ainda, embora nao tenha o Save mais,melhor ir do começo mesmo. Mas o jogo é muito bom!

      1 reply
  • seufi Marcio Garcia Seufitele Pinto
    2019-05-07 00:32:51 -0300 Thumb picture

    Por que não jogamos alguns jogos?

    Há algumas semanas, escrevi um artigo "Por que voltamos a jogar os jogos?" Vamos tentar, neste próximo texto, entender por que deixamos de jogar, tendo sempre, todos nós, uma enorme "Lista da vergonha"...

    1 - Preguiça

    Sim, nós temos preguiça de começar. Temos de continuar. E temos, quase sempre, de terminar algum jogo que começamos. Pode ser por algum fator inerente ao próprio jogo, tipo a quantidade de diálogos (Xenogears, tô olhando pra você), ou o tamanho do jogo para baixar, ou uma história muito extensa, ou por padrão que seja muito difícil; ou por algum fator nosso, pessoal, como fases da vida mais depressivas, períodos de curto mais tempos ao longo dia/noite, questões familiares e afins; o fato é que nem sempre temos a motivação de começar, ou o tempo, e aí deixamos de lado os jogos.

    2 - Indicações

    Às vezes pedimos indicações do que jogar, e somos agraciados com esta informação por amigos pessoais, ou pelo Alva, mas às vezes, as indicações funcionam de maneira negativa. Nos boardgames, temos uma gíria e às vezes dizemos: "o jogo flopou", o que equivale a dizer que "a lei não pegou", ou que o jogo não "deslanchou". E aí entra a indicação negativa. Aquele amigo que jogou e não gostou. Aquele review que apresentou as críticas do jogo; o vídeo de youtube  que tirou toda a vontade de começar. Note que aqui não estamos falando de preguiça, mas de não querer sequer experimentar algum jogo com base nas informações negativas que recebemos dele. Pessoalmente, os vários relatos de bugs dos primeiros Assassin's Creed me desestimularam a sequer conhecer a série, que tem crescido muito.

    3 - Insegurança

    Nem sempre queremos algo novo. Às vezes queremos mais do mesmo, já que começar algo novo implica humildade de aprender, reaprender, experimentar, sair da zona de conforto. Principalmente quando se vai experimentar uma nova franquia. Mais ainda quando você vai jogar algo diferente de seu gênero comum, tipo esportes se você é o cara do RPG, ou FPS quando plataformas são sua praia. Às vezes nos desestimulamos pela ideia de algo diferente de nossa zona de conforto.

    4 - Grana

    Ainda no mundo de hoje, apesar dos caminhos "alternativos" (cough, pirataria, cough), a falta de grana se torna um dos desestímulos para jogar. De minha parte, estou nas duas pontas: tenho consoles bloqueados e desbloqueados, e tenho preferido jogar nos consoles bloqueados, adquirindo dentro de minhas posses... E um dos aspectos disso é que às vezes, por falta de grana pra jogar o que se quer, ou pelo hype, ou pelo preço dos lançamentos (que tem atingido patamares estratosféricos), você acaba desistindo de jogar. Nem sempre quando não podemos jogar o que queremos, temos disposição para jogar o que temos à mão. E a falta de grana, no mundo capitalista em que vivemos, limita o acesso aos jogos, de uma maneira ou outra.

    5 - Família/amigos

    Bem, nem só de games viverá o hom... Enfim, temos família, relacionamentos e questões familiares. Filhos nascem, casamentos aparecem, se desfazem, e exigem adaptações. Considerando que pra muitos os jogos são formas de fugir da realidade, o paradoxal disso é que a gente precisa justamente ajustar nossa realidade para conseguir fugir dela, o que nem sempre é possível pelas questões pessoais. E como nossas fugas da realidade se dão no tempo que sobra, se não sobra tempo...

    6 - Outras mídias/

    Bom, o mundo hoje é muito rico pra quem quer fugir da realidade, e os jogos são apenas uma alternativa mais nerd/geek às biritas, mas não são a única coisa que nerd que pode nos ocupar. Temos outros hobbies. Ainda no mundo nerd, temos quadrinhos, animes, mangás, livros. Temos Magic, boardgames chegando com tudo, RPGs de mesa, eventos de cosplay, o próprio cinema, e como somos criaturas de fases, costuma acontecer de nos embrenharmos em mundos diferentes, e vamos deixando em paralelo aquele backlog imenso de jogos.

    E no fim, o mais importante não é o tempo que ficamos longe dos jogos, mas manter a motivação para continuar com eles, já que muitos de nós nem consideramos jogos mais como hobby - são um estilo de vida. E estilo de vida, a gente não muda assim fácil.  

    Peço a todos que conseguiram ler isto tudo, que deixem nos comentários os maiores obstáculos que enfrentamos, cada um, para conseguirmos jogar.

    "Your time is short, monster!" - Arngrim

    Come See Me Tonight

    Platform: PC
    0 Players

    29
    • Micro picture
      fernandovst · 4 months ago · 3 pontos

      Preguiça pra mim é meio que o principal. Por mais que eu goste de RPGs, eu já desisti de alguns por causa disso, mas depois de um tempo eu me arrependo e começo o jogo de novo, e aí vou até o fim hauehhauea.

      1 reply
    • Micro picture
      spieluhr · 4 months ago · 2 pontos

      A minha preguiça é tanta que quase tive preguiça demais pra escrever isso.... Hoje em dia eu tento priorizar bem o que quero jogar mas 1- console me dá mais preguiça que jogo no pc, 2- jogo comprido da preguiça D: 3- enjoo das coisas do nada as vezes, por tudo isso parei Assassins Creed no 4, me recuso a ir jogar os novos antes de terminar o 4. E recentemente parei os rpgs que estava jogando pra jogar coisas totalmente diferentes porque enjoei. Outra coisa que vale mencionar é que gosto de ir numa série desde o começo, nunca joguei Metal Gear nenhum, não sei a história do jogo, por isso não jogaria um moderno. Assim como me recuso a jogar os outros Dragon Ages porque nunca consegui terminar o primeiro... mesmo adorando ele. E por que nunca terminei? Ahhh a parte de pegar loot e ver o que usar / vender o resto nos rpgs e ter que decidir qual personagem usar SEMPRE me faz empacar. Mesma coisa vale pra Skyrim e Fallout New Vegas e 4... aff

      3 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...