2018-07-24 22:51:48 -0300 2018-07-24 22:51:48 -0300
seanmasters Ricardo Rodriguez

Chrono Trigger - A genialidade da feira do milênio

Fato: Chrono Trigger continua um pãozinho quente no mercado.

Logo no início do game, explorando os diálogos e a fácil resolução dos problemas apresentados, a feira do milênio e a relação inicial dos personagens é a parte mais cativante do jogo. Sim, você vai se tornar fã do jogo logo nas duas primeiras horas.

No início do game, Chrono é um rapazinho legal de uma vila pacata, que faz parte de um feudo. A maior comemoração do local é a famigerada feira do milênio. É engraçado que algo possa acontecer a cada “mil” anos, apesar de ser a primeira edição da mesma. O legal é que não dá pra saber a duração da feira do milênio: um dia, uma semana, um mês? Quem sabe.

Essa ideia de um festival que inicia a trama é muito bem aplicada, todo RPG inicia-se em uma vila pacata, mas sempre há uma guerra ou algo sinistro que acontecerá nos próximos dias. Em Chrono Trigger, sua única preocupação inicial é sobreviver a um festival sem fazer cagadas, principalmente se você já jogou o game antes.

O encontro com Marle, uma garota misteriosa é cheia da alegria, é uma parte muito bem pensada, que deve ter sido difícil de programar na época, para que não houvesse bugs, acredito eu. Pegar o medalhão dela, devolver ou não, faz parte das possíveis cagadas que você pode fazer nesse início.

Engraçado, fazer tudo “certo” nesse festival é um fator replay no game, acho impossível alguém conseguir isso de primeira. Porém, consegui nessa terceira vez que joguei.

Bulma, quer dizer, Lucca; a inventora que inicia os problemas, devido a seu artefato apresentar uma incompatibilidade com o medalhão de Marle.

Lucca é aquela garota nerd dos sonhos dos anos 90, Toriyama satisfez uma geração de gamers, homens ou mulheres, que gostariam de ser ou se casar com aquele perfil dócil, inteligente e sagaz. Cada diálogo dela, cada fragmentação de cena, devido ao ciúmes não aparente com Marle, deixa isso explícito. E é bom, funciona muito bem, criando esse trio inicial de protagonistas.

A nova invenção de Lucca, uma cabine teletransportadora, se transforma em uma máquina do tempo, levando Marle, com Chrono no encalço, para o ano 600. Quatrocentos anos antes do festival.

Eu gosto muito de explorar essa época, que não possui tecnologia e tudo é medieval. Tem uma cena hilária que demonstra isso, onde um viajante te cobra uma bebida por uma informação e a mesma acaba atrasada. Certamente, algo corriqueiro numa época de desinformação.

O segundo objetivo do jogo é encontrar Marle, que foi confundida com a rainha desaparecida.

No castelo tem algumas histórias paralelas rolando, como o sumiço do líder dos cavaleiros há uma década, um homem sapo que ninguém quer se aproximar, um comportamento indiscreto do chanceler da corte real e etc. Tudo está conectado, e acaba levando a procura da verdadeira rainha, já que a linha do tempo começa a ser afetada e Marle desaparece. O jogo explica de forma animada: a rainha Lena, antepassada de Marle, continua sumida e ninguém mais vai procurá-la, já que foi confundida com Marle, que veio do presente. Uma solução prática para um gancho perfeito em uma nova aventura.

No fim, numa catedral, se encontra a Rainha Lena e o verdadeiro chanceler, presos por monstros que cultuam Magus, uma entidade que lidera um culto e uma guerra contra o feudo.

Com tudo consertado, graças a ajuda de Lucca, que vem do futuro no seu rastro e a de Frog, o tal sapo andarilho. Chrono, Marle e Lucca, retornam ao ano 1.000, na feira. E aí que bicho pega.

Fico imaginando quantas pessoas fizeram essa parte, antes do julgamento: pois todas as cagadas que você fez na feira do milênio, se voltam contra você.

Marle, que se chama Nadia na real, é a princesa, obviamente, dessa época. Como os três sumiram por dias, o chanceler atual, um maluco sociopata, te acusa veemente de sequestrar e extorquir a princesa. O Rei, de uma época sem guerras, tratado como um infeliz idiota, confia no julgamento, sendo que sua cabeça vai rolar em 3 dias.

Não vou dar tantos spoilers do que acontece, mas se você jogou e foi condenado, não se desespere, tudo faz parte da trama.

Por fim resta a Chrono fugir de uma prisão e fugir de uma realidade pacata, descobrindo que o futuro da humanidade é apocalíptico e que está em suas mãos evitá-lo.

Chrono Trigger

Platform: SNES
13232 Players
424 Check-ins

7
  • Micro picture
    gus_sander · 10 months ago · 2 pontos

    Na primeira vez que joguei eu não fazia ideia do quão grandioso e pensado esse jogo era. E sim, eu fazia a maior cagada no começo xD
    Quando fui condenado só um ficou a meu favor kkkk. Depois disso, na minha segunda vez tentei fazer tudo certo pensando no primeiro. Infelizmente, Culpado ou não, sua cabeça vai rolar dali há dias kkkkk
    Muito bom seu texto! É aquele "textozinho" que faz que nunca jogou ganhar gosto pela coisa hahaha
    A propósito, sempre achei a Lucca a mais OP do grupo inicial, me julgue! xD

Keep reading → Collapse ←
Loading...