2020-08-14 14:18:16 -0300 2020-08-14 14:18:16 -0300
sander_felipe Sander Felipe Gomes Basilio Featured

​O enigma do detonado: usar ou não usar?

Single 3820615 featured image

É muito comum termos aquelas dúvidas enquanto estamos jogando um jogo, ou até mesmo ficamos empacados em alguma parte. E agora? Algumas pessoas, irão buscar respostas na internet, através de fóruns, wikis, entre outros aspectos. Mas e quanto àqueles conhecidos walkthroughs? Há algum problema em consulta-los? Isso diminui a experiência do jogo ou a competência do jogador?

Walkthroughs (ou detonados, no português) são escritos que contém informações, dicas e explicações sobre jogos. Existem de vários tipos: alguns oficiais, outros escritos por jogadores, alguns que são sobre o jogo inteiro ou sobre alguma mecânica do jogo (como subir de nível mais rápido, como conseguir todos os itens do jogo, etc.). Mas então, vale a pena usar de tais ferramentas?

Primeiramente, creio que as pessoas que escrevem esses detonados deveriam ganhar um prêmio. Eles (e aqui eu cito os bem escritos) são tão completos e organizados, demonstrando um exímio trabalho de pesquisa e de inúmeras horas de jogo gastas para que a criação dele fosse possível.

Segundo, creio que, antes de pesquisar qualquer tipo de detonado, todo jogador deveria experimentar o game por conta própria, tendo a sua experiência e testando suas habilidades. Isso significa que é proibido pesquisar por alguma ajuda? De maneira alguma. Significa que, em minha opinião, todo jogador deve colocar, primeiramente, suas habilidades em teste, de modo que a experiência de jogar (sendo ela de um jogo fácil ou difícil) seja única. Caso realmente se precise procurar por algo mais específico ou por alguma mecânica de jogo, o que impede de dar aquela velha olhadinha?

Uma experiência que tenho para compartilhar é com o jogo Valkyrie Profile, para o Playstation 1. É um jogo maravilhoso, com uma jogabilidade incrível, um trabalho de voz impecável, entre outros variados aspectos. Lembro que tentei jogar o jogo pela primeira vez e não me importei em desvendar o que os personagens falavam (meu inglês não era tão bom naquela época). Isso acarretou em eu conseguir o final C do jogo (o pior de todos) que é quando você não envia nenhum guerreiro para ajudar na guerra (eu nem sabia que tinha que mandar!). Freya vem e diz que você está fazendo um trabalho terrível e decide exterminá-lo. Sim, esse é o final. Não tem como ganhar dela.

Joguei o jogo novamente, tendo mais atenção aos diálogos e fazendo o requisitado por Odin. Dessa forma, consegui fazer o final B, no qual você vai até a luta principal contra os Vanir. Fiquei bastante satisfeito comigo mesmo por conseguir fazer tal façanha.

Porém, descubro que há outro final a ser feito. Como fazê-lo? O jogador deve fazer uma série de ações que acarretarão na luta final contra Loki. Porém, são atos bastante específicos e, sinceramente, eu não me lembro de o jogo dar qualquer dica sobre fazer os mesmos. Além disso, Valkyrie Profile tem uma dinâmica de jogo que torna isso ainda mais difícil: você gasta uma espécie de tempo para entrar nos locais e, quando acaba esse tempo, você prossegue para o capítulo seguinte, fazendo com que o jogador pense muito bem antes de entrar em certos locais que parecem não haver nada.

Qual foi a solução para fazer o bendito final A? Um bom e velho detonado, que usei muito satisfatoriamente e que guardava com muito carinho.

A conclusão é que os walkthroughs enriquecem o mundo dos games e os tornam mais acessíveis, além de revelar verdadeiros pesquisadores do mundo dos jogos. Por isso, antes de falar mal dos detonados, pensemos em todo o esforço que o indivíduo teve para fazê-lo. 

Valkyrie Profile

Platform: Playstation
2260 Players
70 Check-ins

45
  • Micro picture
    denis_lisboadosreis · about 2 months ago · 2 pontos

    Detonado bem escrito dá até mais vontade pra jogar jogos que seriam no máximo medianos. Por anos, com a falta de acesso no país à toda forma de conhecimento, não só de idiomas estrangeiros, limitavam muito a experiência com os jogos. Detonados bem escritos são raros e preciosos, não à toa que hoje se pirateia versão digital de revistas antigas de videogame.

  • Micro picture
    artigos · about 1 month ago · 2 pontos

    Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • Micro picture
    rafael_mingato · about 1 month ago · 1 ponto

    Se um detonado for bem feito, vale muito a pena.
    Eu até hoje compro quando sai um de algum jogo de meu interesse. =)

  • Micro picture
    luis_f · about 1 month ago · 1 ponto

    Eu acho muito válido usar e como colegas citaram, até enriquece a jogatina. Nos últimos dias estou revisitando Dishonored, fui procurar senhas dos cofres espalhados e achei walkthroughs interessantes: antes do código, estava a localização do documento com a dica no próprio jogo.

  • Micro picture
    katsuragi · about 1 month ago · 1 ponto

    Eu concordo com o texto em todos os pontos. Antes de tentar um detonado, a experiência própria é sempre o meu recomendado também.
    Aprender tudo o que um jogo tem a oferecer, ver cada pedacinho que os desenvolvedores colocaram pra você desfrutar é simplesmente muito satisfatório e eu raramente descanso um jogo até fazer tudo isso.

  • Micro picture
    kess · about 1 month ago · 1 ponto

    No milénio passado, eu alugava jogos, e passava o final de semana inteiro jogando. Sem ajuda, praticamente 48 horas para me aventurar em games que dificilmente precisavam todo esse tempo para serem terminados. Mas quando encarei coisas mais complicadas, como Crono Trigger ou Majora's Mask, um detonado se fez necessário. E no caso de Valkyrie Profile, também. Por que é DOCE fazer o final A, a história transborda de tão boa! Mas e hoje em dia? Trabalhando, com responsabilidades (cônjuge e filhos? Teria menos tempo ainda) e demais compromissos da vida adulta, como ficamos? Não alugo, compro. Mas e o tempo para se desfrutar do jogo? Escasso. Então, se a paciência está curta, e a necessidade existe, o detonado acaba sendo usado.

  • Micro picture
    darlanfagundes · about 1 month ago · 2 pontos

    Isso me deu uma saudade do cacete das revistas... mais especificamente de uma revista que tive. A lendária Gamers Book com o detonado de Final Fantasy VII... Eu amava demais aquela revista...e nem sei onde ela foi parar...acho que me roubaram...rsrs.
    Eu sempre fui a favor de detonados, mas sempre tento pelo menos a primeira vez de qualquer jogo na dificuldade mais difícil(quando possivel) e só então vou pro detonado...

    1 reply
  • Micro picture
    santz · about 1 month ago · 1 ponto

    Valkyrie Profile é um tipo de jogo que é impossível jogar sem ser com um detonado. Gastar tempo quando visita os lugares é muita putaria.

  • Micro picture
    niltondeoliveira · about 1 month ago · 1 ponto

    Acho que de maneira geral o ponto chave para a pessoa apelar a um detonado é quando já está se estressando por muito tempo para atravessar um obstáculo; aquele momento em que sua irritação pode ate influenciar nas atitudes off game.
    Muitas vezes já me vi travado em alguns puzzles que eu sequer conseguia entender a lógica, mesmo compreendendo os textos; horas, as vezes até dias de estresse e frustração. Para quê, no final das contas? Games servem para desafiar, é verdade, mas também divertir. No momento que o divertimento se torna algo que afeta negativamente seu estado psicológico isso deixa de ser um entretenimento saudável.

    Já me deparei com situações cujas soluções eu SEQUER COGITAVA. Sozinho, como iria avançar uma vez que eu nem suspeitava da conclusão? Exemplo: quando estava no caminho para encontrar o laboratório subterrâneo em Resident Evil (o clássico de 96) era necessário pegar um livro coletado, coloca-lo no modo de visualização e abri-lo para achar uma das medalhas; só que em nenhum momento anterior no jogo se pedia atitude semelhante a essa, e na época meu conhecimento de inglês era quase nulo para entender as sutilezas de alguns textos. Sabem quando eu teria finalizado o jogo? Nunca, pois nem passava pela minha cabeça a possibilidade de poder abrir o livro. Fui atrás de um detonado na época (escrito, pois gameplay em youtube ainda não existia), resolvi a parada (com um sorriso sarcástico no rosto) e segui caminho até o fim da estória.
    A pessoa precisa ter o tino para entender o.maximo que pode da situação apresentada e também montar o máximo de possibilidades que puder. Daí se realmente não conseguir resolver o problema por nenhum caminho e principalmente se não tiver a mínima ideia, que recorra aos detonados mesmo. As vezes, ao acessar o youtube, só de olhar o.inicio já dá para capturar a essência do negócio; daí fecha a aba e tenta no jogo desvandar o restante sozinho. Tira um pouco o peso de estar "trapaceando"; sendo que, pra mim, trapacear no game é usar algum mod montado em outro software que de fato corrompe o jogo e destrava ou inclui coisas que seriam impossíveis de fazer pelas configurações originais do game; não incluo os bugs nessa lista pois vejo isso como problema dos proprios desenvolvedores que não tiveram competência para impedi-los a ponto de facilitar acesso a áreas e outras coisas que normalmente necessitam de um progresso maior na trama do game; em resume, o azar é deles e o jogador não tem nada a ver com isso.

Keep reading → Collapse ←
Loading...