2014-01-26 17:39:24 -0200 2014-01-26 17:39:24 -0200
rigels Thaisa Santos

Assassin's Creed Black Flag e além

Não vou deixar isso como um review pq também vou abrir pra discussões sobre a trama. Nesse caso, se vc não jogou todos ACs anteriores, SAIA DAQUI!

De início, depois que o Ed acaba na Cape Bonavista com o (ex) Assassin eu deixei de segui-lo pra explorar a ilha e aquele show de cores, gráficos, detalhes, etc. Ponto positivo na hora que vc realmente teve que procurar por ele sem ter um ponto gigante no mapa ou na tela (pelo menos não percebi).

A primeira forçada foi ele matar o assassin traidor Duncan Walpole, sendo apenas um pirata. Edward também pode escalar como o Connor, ter eagle vision, se esconder na multidão ou no cenário sem um treinamento prévio. E forçam novamente quando Ed se disfarça de Walpole e vai atrás dos templars em Havana. Ele sabe todos os moves e kills e as executa com perfeição. Mais tarde no jogo ele apenas diz que é tudo “vem naturalmente”. Absurdo. Sem contar que Altaïr nasceu na ordem dos Assassinos, Ezio mesmo sabendo pouca coisa de combate e muita sobre free run e parkour teve muito tempo pra treinar com o Mario. Já Connor passou bastante tempo treinando com Achiles. Esse foi um dos fatores que não consegui engolir.

Já a bordo do Jackdaw, deu pra perceber como pegaram alguns elementos de Farcry no sentido de mundo aberto. Quanto à jogabilidade: excelente. Realmente poliram muita coisa e tiraram elementos que só “atrapalhavam” como mais fast travels, menu de equips minimalista, menu de crafting, full sync menos visível, elementos extras no local, etc. Outros add nos como harpooning events, diving e treasure hunts combinam bastante com todo cenário pirata. As missões navais também tem outros elementos como mais opções de ataque, spyglass, movimentação, tornando a experiência bem mais agradável que no AC III. É fácil saber que o Jackdaw também é um personagem bastante importante no jogo. O que incomodou no foi combate toda hora olhar o que era necessário fazer pra derrotar algum inimigo (break defense, counter) sendo que no AC III vc teria que deduzir por tentativa e erro. Mesmo assim os inimigos continuaram fáceis, sendo uma experiência mais interessante não usar life upgrades e desativar o aviso de ataque iminente (exclamação vermelha).

Quanto ao stealth, achei ainda mais fácil que no antecessor. Principalmente devido aos sleep e berserker darts bem como muitas áreas pra se esconder. Os inimigos parecem mais ‘burros’ procuram em menos spots, ainda que quanto te veem e estão em alerta, já correm atrás. O esquema de alarm Bells também foi coerente, te instigando a usar o stealth em alguns momentos. Como ainda estou jogando ACR no ps3, sinto falta de uma variedade nas bombas, mas acredito que não vão reaproveitar isso nos próximos jogos. A sequência em Tulum meio que me desapontou pela facilidade que o Ed tem em passar pelos assassins até achar o/a Kidd.

Edward Kenway como personagem é raso. Tão raso quanto uma piscina de criança (LOL). Ele só quer ganhar dinheiro com a pirataria, mesmo que signifique ferrar com os assassins ajudando os templars. Se ele vai receber muito dinheiro nisso, ótimo. É até interessante sua capacidade de mentir e fingir no começo do jogo pra continuar perseguindo seus objetivos. Ainda no começo do jogo ele roubou os templars em Havana (rs!) Basicamente a ordem dos assassins da região é deixada quase que de lado pois Ed ainda precisa viver sua vida de saques e liberdade antes de se dar conta que poderia ter feito algo maior. Não há tantos diálogos subjetivos, enigmáticos e frases de efeito salvo por Mary Read.

Conversando com uma amiga que adorou o game, meio que comparei o Edward ao filme “O último Samurai”. Ed usa os trajes assassinos sem ter conhecimento da ordem ou da Causa, realmente me senti feliz, mesmo que fosse contraditório Mary dizer “You bring shame to our cause” se ela que o trouxe a Tulum. Ela rebateu com o argumento "Mas ainda assim, mesmo sem saber, não havia nada pra impedi-lo".

Ainda mais perto do fim do jogo que Edward muda suas convicções depois de perder maioria de seus camaradas, resolvendo ajudar os assassins e achar o Observatory por uma razão além de dinheiro. Personagens como Adewale e Mary Read me interessaram mais que o próprio Edward, talvez por não serem tão “carefree” quanto o Ed foi até pouco mais da metade do jogo. Adewale ganhou um ponto mais quando deixou a tripulação, dizendo que achava mais correto ajudar os assassins. 

Depois da morte de Mary Read, uma sequência bem bacana foi a da ressaca do Ed: uma pancada de cenas surreais e memórias, tudo embaralhado e bem sugestivo. Lembrou um pouco de outras fases do Batman Arkham Asylum e City (que é cheio disso) :P Foi uma cena bem explorada, ponto pra eles! Espero encontrar coisas assim nos próximos. Mostra como o personagem também pode ter suas dúvidas, fragilidades e angústias (isso o torna  mais "humano"). 

Já outros personagens como Roberts, Charles Vane e Calico Jack mantém a premissa de que não há vilões e mocinhos na trama, cada qual persegue seus objetivos seguindo seus próprios códigos de conduta (incluindo o Ed), ainda que eu tenha achado a epifania do Vane meio forçada .

Quanto ao tempo presente na Abstergo, formado por 5 interludes ao todo ao longo do story mode. Em nenhum outro jogo da franquia me animei para sair da Animus. Seja pelo fato de ser 1st person onde a imersão do jogador é maior do que um personagem sem muito background sendo jogado daqui pra lá (Desmond) ou devido ao apelo da Abstergo Entertainment, a capacidade de hackear máquinas ajudando os assasins Shaun e Rebecca, só poderia haver algum tipo de recompensa ou file secreto assim que todas máquinas são hackeadas (como funcionava com os riddles). Os files hackeados são bem interessantes. Pode-se imaginar que os assassins remanescentes possam usar uma tecnologia semelhante a subject Zero com seu Surrogate para acessar outras possíveis memórias do Desmond, já que SUPONHO que William Miles esteja bem escondido são e salvo em algum lugar (assim como o material genético do Desmond). Uma vez que em outros files Desmond fala brevemente como muita informação do Clay (subject 16) foi repassada em ACR, poderia haver chances de se acessar memórias da 1st civilization (não acho mesmo que seja só o vídeo do AC II). As possibilidades podem ser ambiciosas, mas acessando outros files, vê-se que os próximos jogos PODEM continuar com o apelo de épocas “ventáveis” no caso de jogos da Abstergo Entertainment mantendo apenas como pano de fundo as conspirações templars x assassins sem um perigo iminente e real claro. Não sei até quando isso é bom para OS FÃS ANTIGOS. O jogo realmente diverte e ensina gamers novos como tudo funciona, dando “pinceladas” pelo que já houve na trama.

De um modo geral, o perigo de ter um artefato como o Observatory em mãos erradas é real, mas ainda assim ainda acho muito mais impactante uma Apple capaz de controlar mentes (que era o objetivo principal da Abstergo). Até AC III havia o perigo real do fim do mundo em 2012, agora com Juno a solta  sem um corpo ‘real’ ainda não se sabe quais são seus objetivos. O retorno de seu amado através de John (outro Sage) foi surpreendente. Mas também não se sabe de quanto em quanto tempo outros podem aparecer, como que isso funciona (se ele já havia aparecido em Roberts, o que o impediu de achar a Juno naquela época?) ou se outros membros dos The Ones Who Came Before são capazes de passar parte de suas memórias para um humano como ouve com o Roberts.

E mais uma vez, temos mais perguntas e exigimos mais respostas. Só que ao invés de responderem o que queríamos saber, só colocam mais dúvidas na nossa cabeça!

Assassin's Creed IV: Black Flag

Platform: PC
1266 Players
135 Check-ins

29
  • Micro picture
    natnitro · over 5 years ago · 0 pontos

    Sua review ficou show! XD
    Tambem achei essa trama do AC4 e a personalidade do Ed mais rasos que piscina de plastico. kkkkkkkk
    Pelo sei ate agora, o observatorio é uma variação do templo do AC3 que tem alguns poderes especiais como o da maquina que pode ver onde as pessoas estão a partir das amostras de sangue em qualquer lugar do mundo como se fosse o olho que tudo vê...
    Ja a parte da Juno, acho que ela esteve presa de alguma maneira ate no final do AC3 e quando o Desmond acionou o dispositivo e levou a descarga eletrica, ele acabou libertando ela...
    E ela ficou fraca demais pra assumir a forma "humana" e então virou aquele espectro e dai procurou pelo sage pra tentar ajuda-la a se materializar novamente, por isso que deve ter sido so no presente que eles conseguiram se encontrar...

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    Eu gostei do Edward. Ele não tenta ser mais do que é. Ele é um pirata em busca de riquezas que acabou se metendo no meio da briga dos assassinos contra os templários. Só que, assim como a própria Mary disse, não dá pra viver "vida fácil" honestamente, e o Edward é o tipo de cara que não nasceu pra ser "mau" porque a consciência dele não deixa. É aquele cara que faz as coisas erradas e vai botando justificativas pra validar o que ele tá fazendo, mas cedo ou tarde a consciência acaba descendo com tudo em cima dele.
    Não tentaram fazer dele um assassino que foi épico na história dos assassinos como o Altair ou o Ezio. Ele tá mais pra alguém que caiu de paraquedas e só. Achei que foi um personagem criado de maneira honesta.

  • Micro picture
    marlonzp · over 5 years ago · 0 pontos

    Sobre as habilidades do Edward, realmente é algo que ficou sem muita explicação.O engraçado é que no trailer,e na capa do jogo vem escrito "um pirata treinado por assassinos" algo que não é verdade no final das contas, haha

    A explicação mais plausível para os skills dele para mim é justamente o fato dele ser um pirata, há relatos que haviam piratas muito bem treinados na época que podiam vencer vários soldados e tal, muitos eram temíveis, sem contar que ele já tinha uma experiÊncia como pirata, devia fazer acrobacia para lá e pra cá e tal, claro que isso não justifica todas as habilidades dele, mas é a explicação mais lógica que encontrei.

    A inteligência artificial dos inimigos realmente é bem baixa, esse é um dos problemas de todos assassin's creed eu acho, você esconde e puxa um cara que está andando junto com outro,e este nem vê, haha acho muito bizarro isso.Em compensação achei a visão dos atiradores melhor que dos outros inimigos, eles enxergam bem de longe e a barra de visão deles enche rápido.

    Sobre o Edward, achei ele um bom personagem, talvez como assassino ele não seja memorável, mas é legal, tem um pouco de cada personagem, o carisma do Ezio e a impulsividade do Connor, uma parte que achei interessante é ele questionando o lema do credo, algo que nem eu tinha me tocado ainda: "se nada é verdade, por que acreditar em alguma coisa? no credo? e se tudo é permitido porque não seguir nossas ambições?" e o Ah Tabai meio que foge da explicação, haha

  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    @marlon_zanini na verdade até o Altaïr tinha questionado isso e depois que ele chega numa resposta mais pro fim do AC 1. Não fica muito bem explicado há quanto tempo ele estava na pirataria, mas ele começou depois da Caroline abandoná-lo, ele tava com uns 18 na época então ainda assim fica meio estranho falar que ele tinha muita experiência... :/ @natnitro creio que a Juno tipo "possuiria" algum humano talvez, mas aí pra quê? Pra escravizar mesmo os humanos na Terra? rs tá muito no ar sabe? O Observatory ficou limitado às amostras de sangue pra ver a pessoa, os templars teriam amostras de sangue de assassins? Acho que não... @gataflecha Concordo, foi honesto. Mas por não ser tão épico PRA MIM foi menos memorável. Eu tava quase cansada de perseguir só os objetivos dele e não ajudar os assassins a achar logo o observatory ¬¬ Pelo menos ele foi humilde suficiente no final, aí ficou um game mais próximo dos antecessores. Entenda, não queria uma cópia dos outros, precisamos estar abertos às mudanças. Mas nesse caso colocaram os temas principais como pano de fundo pra mostrar uma outra história. Pode-se justificar falando que a Abstergo Entertainment queria criar o trailer pro game deles e tal e não procurava um assassin como os outros pra não fazer algo tão fora de seus ideais (tipo nos vídeos super tendenciosos que hackeamos), ainda assim não acho um argumento bom o suficiente.

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    @marlon_zanini Sobre a parte do trailer, isso fica explicado durante um dos diálogos fora do Animus. A ideia é que aquele trailer que vimos foi feito usando imagens coletadas do animus e editado pelo pessoal da Abstergo, com aquele discurso do Barba Negra sobre o Edward ser o capeta solto na terra e talz. Inclusive, hackeando os computadores da Abstergo, você encontra outros materiais de divulgação dos "jogos de piratas" que eles estão lançando. (E encontra umas "notas" sobre "porque não vale a pena utilizar Ezio, Altair e Connor" para outros jogos)

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    @rigels @marlon_zanini O "Nada é verdade, tudo é permitido" é explicado acho que em pelo menos 2 momentos durante a série.
    A idéia é mais ou menos a seguinte:

    Não existe uma verdade absoluta, então você é livre para pensar nas suas escolhas. E você pode fazer ou deixar de fazer qualquer coisa, então TUDO que você faz é responsabilidade sua.

    Resumindo, independente de você dizer que fez algo porque mandaram ou porque acreditava nisso ou naquilo, foi VOCÊ quem fez. Você escolheu fazer.

  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    @gataflecha oq eu disse quanto aos jogos da Abstergo Entertainment é que eles podem continuar com chars parecidos com Edward pra vender depois e deixar a parte de Assassins meio de lado. Só olhar um dos emails hackeados da Melanie e cia. "Stick to what sells".

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    @rigels Vamos ver como serão os próximos jogos... O lance da visão em 1ª pessoa dos acontecimentos do tempo presente foram interessantes, mas fico preocupada que eles se acomodem com a boa recepção que essa parte do jogo teve por parte do público e acabem padronizando os próximos jogos todos com essa mesma jogabilidade... Eu achei legal, mas ao mesmo tempo achei que isso deixou a história contemporânea meio distante e deu abertura pra seguir fazendo jogos indefinidamente sem se esquentar em seguir adiante com essa parte da história.

  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    Sim @gataflecha o risco real da história contemporânea ainda tá meio no escuro. Pelo que li na Wikia a respeito do William Miles, ele quis dar um tempo pra ordem por causa da perda do Desmond. Era tipo um Mentor junto com o Gavin Banks. Lendo mais sobre ele lá, além da rebecca e Shaun ainda tem assassins na Itália, Japão, Moscou e Austrália. Eles ainda sofrem ataques dos templars e até da Yuakuza no Japão, mas ainda não tá nada claro. Nas gravações do Des fica claro que a mãe dele tb está viva, isso pode dar mais brechas pra explorar o dna dela.

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    @rigels Na HQ "Assassin's Creed - A Queda" dá pra entender qual é a situação atual dos Assassins e porque eles estão nessa situação. Não vou comentar, pois o pessoal que não leu talvez queira ler e não vai gostar de tomar Spoiler XD

    Só posso adiantar que a situação atual dos Assassins não tá NADA boa e tem motivo pra isso XD

  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    O Gavin não apareceu em nada ainda né? Na The Fall mostra a situação pouco antes do AC III só.

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    Tem algumas coisas sobre esses personagens secundários no "Assassin's Creed Initiates". Achei isso aqui numa parte do dossiê "Desmond Miles"

    DATA TRANSCRIPT LEVEL 3
    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    Cell Tower Grid 48FP16KP
    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    UTC 20121219T211220Z
    . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
    [outgoing transmission]
    [caller id = private]
    [-] Gavin.
    [+] It's Harlan.
    [-] I was getting worried. What's the word?
    [+] No trace of the Templars. If anyone followed me, I lost them.
    [-] Are you at the safe house?
    [+] Yeah. As planned. I-- [silence]
    [-] What's wrong?
    [+] Nothing... It's just... Shit, Gavin! I left Adriano behind. He--
    [-] He did what he thought was right.
    [+] Yeah... Gave his life for the cause and all... It's just... You know what Old Timer did for me... He was more than just a mentor.
    [-] Adriano's death is a great loss for the Brotherhood... Hell, the things he knew... The things he saw... But his sacrifice wasn't in vain.
    [+] I should've--
    [-] Carried him on your shoulders while Templars were shooting at you? [sigh] Adriano was 94 and in a wheelchair. Ordering you to leave was the right thing to do. The only thing to do.
    [+] I know, I know. What now?
    [-] Go to Rotterdam. You know the place.
    [+] Then what?
    [-] Wait for my word. This isn't over.
    [+] Right. I'll be ready.
    [-] In the meantime, take it easy, kid.
    [transmission ends]

  • Micro picture
  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    Ahh esse Adriano era um dos Assassins na Itália. Um monte morreu lá

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    Ele liderava uma célula na Itália. Era o membro mais velho dos Assassins

  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    Nessa outra parte aí é do AC III tb, qdo eles conseguem uma das peças pra abrir o templo e depois libertar a Juno. O Gavin ficou tentando despistar os templars no Brasil, daí eles não foram seguidos.

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    @rigels Eu curto bastante essa parte contemporânea do Assassin's Creed... Mas aparentemente tem uma galera razoavelmente grande que detesta... Então infelizmente acho que a tendência vai ser eles irem limando isso nos jogos cada vez mais =/

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    O legal desse site do ACInitiates é que tudo tá marcado em timeline e no mapamundi do google também... Dá pra passar hooooras fuçando em tudo...

  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    Deve ser bem legal, na época que saiu não tinha recebido email de registro. Vo fuçar lá.

  • Micro picture
    marlonzp · over 5 years ago · 0 pontos

    gataflecha (como marco o nome no comentário? sou meio novo aqui, rs) É, eu lembro disso, acho que algumas coisas foram feitas pela Abstergo mesmo, para promover o lance da simulação.

    E sobre a frase, eu lembro dessa explicação em alguma parte do jogo, o que eu achei interessante mesmo foi a forma do Edward questionar isso na hora, porque não tinha visto nenhum assassino fazer isso antes.

    rigels, não joguei o 1, comecei no 2, por isso não sabia que o Altair tinha questionado o lema, mas achei legal a forma como o Edward falou na hora.

    Vamos ver os próximos jogos, como vão continuar a trama no presente.

  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    Pra marcar é só colocar @ antes do Nome @marlon_zanini Altaïr era arrogante e orgulhoso no começo do AC 1 e sempre falava "Se tudo é permitido, faço como bem entendo e acho melhor" Numa missão pra recuperar uma Piece of Eden quase que deu tudo errado pois ele fez tudo á sua maneira "My way is better". Mais pro fim do jogo ele conclui mesmo que podia questionar verdades absolutas mas sempre mantendo cautela e se responsabilizando por tudo que faz.

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    @marlon_zanini é só colocar o "@" antes do nome da pessoa que fica citado =)

    @rigels Pra dar "tudo errado" naquela missão do Altair só faltou ele morrer XD Deu praticamente tudo errado mesmo... um morreu, o outro perdeu um braço... foi uma tragédia =P

  • Micro picture
    gataflecha · over 5 years ago · 0 pontos

    @rigels O ACInitiates eu achei bem da hora sim. De quebra, tem umas missões online que são sincronizadas com seu jogo. Ele coloca lá algum objetivo, tipo "Faça 50 assassinatos com a Hidden Blade", daí você marca a missão e, depois que tiver realizado os 50 assassinatos, ele vai atualizar a página lá pra te dar um badge. E tem também uma pontuação e um level que você vai acumulando conforme joga os jogos ou cumpre missões dos jogos ou os quiz do próprio site.

  • Micro picture
    rigels · over 5 years ago · 0 pontos

    Eu vi, vo fazer umas missions depois lá o/

Keep reading → Collapse ←
Loading...