rensan

Apenas mais um apaixonado por JRPGs

You aren't following rensan.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2020-11-11 01:56:31 -0200 Thumb picture

    Breath Of Fire - Capítulo 04: Presos sem motivo

    Continuando a minha saga em breath of fire, eu consegui a transformação em dragão do Ryu, e usar essa magia na maioria das batalhas quebra o jogo, Só os bosses dão algum trabalho para derrotar, pelo menos foi assim até a parte em que joguei, que é onde os personagens chegam na cidade de Prima.

    Após pegar a transformação em dragão do Ryu, o grupo chega na cidade de Auria, e eu demorei um pouco para entender o que aconteceu aqui. Todos vão presos logo após entrar na cidade, e só precisei falar com um personagem que estava dormindo na cela, para ele abrir a cela e liberar toda a party. Só depois que eu percebi que esse trecho era para apresentar o Karn, um outro personagem que ia entrar no grupo mais na frente da história, até então eu achava que era um trecho aleatório que estava lá porque sim.

    Após sair da prisão os protagonistas vão tentar pegar o barco emprestado, então, o dono fala que, se eles salvarem a filha dele que estava presa dentro do cofre, eles podem pegar o barco. Após uma breve jornada por duas cidades e uma dungeon, Karn entra no grupo e finalmente podem abrir as portas que estavam no caminho e não dava para abrir antes. Quando salvaram a filha do dono do barco, finalmente conseguem pegar um barco, mas ao chegar no porto, precisaram lutar contra outro soldado de Zog, e mesmo após vencê-lo, o barco acaba afundando.

    Eu não gosto muito quando um jogo dá um objetivo para avançar na história, mas quando o objetivo é alcançado, acontece alguma coisa que impede o avanço, faz parecer que todo o esforço até então foi em vão, e isso só serviu para dar mais tempo de gameplay, já que rapidamente pegam um outro barco. Eu continuo achando a história e a aventura interessante, e divertida, só essas pequenas escolhas na história que são meio chatinhas.

    3
    • Micro picture
      santz · 24 days ago · 2 pontos

      O que me cansou demais nesse jogo quando joguei era os encontros aleatórios e velocidade do personagem na tela, que é muito lenta.

      3 replies
  • 2020-11-06 01:26:38 -0200 Thumb picture

    Comecei a jogar Final Fantasy 2

     Continuando com meu projeto onde pego todos os jogos de final fantasy para jogar em ordem, esta semana, finalmente comecei o segundo jogo, e gostaria de compartilhar algumas das minhas opiniões sobre o jogo até agora.

    A história desse jogo comparado com o primeiro é uma baita evolução, focada numa narrativa mais séria, mostra um mundo em guerra onde vidas são perdidas e sacrifícios feitos, e no o fracasso dos protagonistas pode trazer consequências terríveis ao mundo, tudo isso em um jogo feito no final dos anos 80, é incrível, e esse remake, só abrilhantou ainda mais essa história.

    Outra coisa que tem me chamado bastante atenção, foi o sistema de level. Sobre o sistema, eu só posso falar que, se você não gosta de fazer grind passe longe desse jogo. Esse jogo exige grind pra tudo, se quiser aumentar o hp dos personagens tem ficar tomando dano durante as batalhas, para ir ganhando hp, mesma coisa com mp, que tem que ficar usando magia para ir ganhando mais mp, e aumentar o nível das magias. Sem contar o maestry skill system, que o nível de habilidade do personagem com um certo tipo de arma. Demanda bastante tempo para entender como cada um desses sistemas funciona e depois mais um tempo para dominar e tornar o grind eficiente. Eu tento revezar o grind com o avanço na história, até para não perder muito tempo.

    Eu tenho gostado bastante do que joguei até agora, já avancei bastante na história, e mesmo as coisas que tem me incomodado como a utilização de itens durante as batalhas, que só dá para usar os itens que os personagens estejam segurando, e o fato de que cada item ocupa um espaço no inventário, não chega a atrapalhar a experiência.

    Final Fantasy Origins

    Platform: Playstation
    1122 Players
    42 Check-ins

    7
    • Micro picture
      jcelove · 29 days ago · 2 pontos

      O FF 2 é um dos jogos mais experiementais da série e muita gente odeia até hj o sistema de evolução dele que lembra mais SaGa que o que veio a ser o padrão FF, mas em narrativa, apesar de simples evolui demais, a campanha em si é bem mais longa tbm e fortemente inspirada em Star Wars.hehe

      Não lembro mais acho que a versão do PS1 ja tinha a expansão SOul of rebbirth que mostra o que aconteceu com os aliados mortos durante a campanha.

      5 replies
    • Micro picture
      santz · 29 days ago · 2 pontos

      Na época que eu joguei este jogo, fiz tudo errado. Deixei todos meus personagens com tudo equilibrado, sendo que o ideal é marcar "classes" para cada um e focar só nisso.

    • Micro picture
      rensan · 28 days ago · 1 ponto

      Nossa, deve ter sido difícil. Não é muito agradável fazer isso. Mas se conseguiu terminar o jogo é o que importar.

  • 2020-11-02 23:44:07 -0200 Thumb picture

    Breath Of Fire - Capítulo 03: Um pouco enrolado, mas ainda divertido

    Enquanto jogava esse trecho de Breath Of Fire, eu senti que o jogo começou a enrolar com a história, mas depois eu entro em mais detalhes. Por enquanto vamos voltar ao jogo. Após a Nina ser capturada, a gameplay volta para o Ryu, no momento em que uma funcionária do castelo pede para ele salvar a princesa. Com esse pedido, eu vou com um grupo de soldados para a torre do Wizard of Karma, eu fiquei bem feliz por não ter precisado refazer o caminho a pé.

    A luta contra o Wizard of Karma, foi mais tranquila do que eu esperava, e rapidamente derrotei ele. Após essa luta, Nina pega o remédio e finalmente consegue salvar o pai dela, e finallmente entra na party do Ryu. É agora que começa a parte onde senti que o jogo começa a enrolar com a história. O objetivo do Ryu e da Nina, é conseguir atravessar o rio e chegar na cidade de Auria para pegarem um barco e então irem para outro reino, mas a quantidade de coisas que precisaram fazer para cruzar esse rio, foi um pouco exagerado.

    Primeiro os dois protagonistas precisaram chegar nas cidades de Tantar e Tantur, para descobrirem que a cidade estava sem água, porque tinham construído uma barragem no rio impedindo que as águas chegassem nas duas cidades, só que, antes de resolverem o problema com a barragem, os dois, que em algum momento viraram três, com a entrada de Bo na party, precisaram salvar o líder da cidade de Tantur, que estava sendo mantido cativo, depois precisaram solucionar um problema com zumbis que a cidade Romero estava passando, Para aí sim explorar a torre Agua e encontrar a chave para poderem ligar o stone robot, que é a única forma de destruir a barragem. E Depois de tudo isso, ainda tem uma boss fight contra o gremlin, antes de poderem atravessar o rio e continuarem a aventura.

    Quanto a enrolação da história, não tenho muito do que reclamar, isso era uma prática comum em RPGs dessa época, acabei me habituando a isso, e até certo ponto considero normal. Não sendo igual foi com o jogo de Lufia, que tornou o que devia ser uma aventura divertida, em algo maçante, eu não terei problemas. Eu só não consigo entender que ideia foi essa de botar uma segunda barra de hp invisível, nos bosses. Não deixa a batalha mais tensa, só fica mais chato, ter que ficar batendo no boss, sem saber quando a luta vai acabar.

    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1437 Players
    94 Check-ins

    5
    • Micro picture
      jcelove · about 1 month ago · 2 pontos

      O enredo do primeiro BoF é bem simples e diretão, mas a campanha até que não enrola muito, só pode ficar chato com o vai e vem no mapa e alguma falta de direção as vezes.

      O esquema dos bosses terem várias barras lembra os jogos de beatem up da época em que todo boss tinha 3-5 barras de vida.hehe

      1 reply
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      Eu já joguei todos os Breath of Fire, mas não animei de zerar nenhum deles. Não que sejam jogos ruins, mas eu não consegui seguir o fluxo.

  • 2020-10-30 23:09:27 -0200 Thumb picture

    Ys I e seu final frustrante

    Para fins de esclarecimento, tudo aqui escrito se refere a versão que tem na steam. Não sei se ela difere tanto das outras versões do jogo.

    Ah! Como eu amo e odeio o primeiro Ys, o jogo consegue me apresentar tantos elementos que eu adoro como a sua trilha sonora que é simplesmente fenomenal, mas, me apresenta tantos elementos que eu não gosto na mesma intensidade, um bom exemplo é o seu sistema de combate. Eu consigo apreciar todo o charme e beleza contido nele, mas não consigo gostar nem me acostumar, com o fato do Adol derrotar os inimigos dando ombradas. Só que nada me desagradou mais do que o seu último boss, Dark Fact.

    Antes de falar sobre o dito cujo, gostaria de explicar que até então para derrotar os outros bosses, o jogo exigia que eu precisa-se memorizar o padrão de movimento e utiliza-se os equipamentos adequados para o combate, tudo isso gerava um certo desafio que exigia bastante paciência e habilidade, duas coisas que permeou durante todo o gameplay, o problema começa quando no último boss além de tudo que foi dito anteriormente, o jogo cobra um fator completamente fora do meu controle. A sorte.

    Então acabei me encontrando numa situação onde além de me preocupar com o dano constante que o Aldo tomava dos meteoros que ficavam voando na tela e do fato que eu teria que memorizar o padrão de movimento para me adiantar ao movimento do boss, fazendo o Dark Fact esbarrar no Aldo e causar o máximo de dano possível, antes que o Aldo caia para os meteoros, eu tinha que me preocupar com os buracos que apareciam na arena, me preocupando para, nem cair neles e ter um game over direto, nem ficar preso entre eles, e ver o hp caindo até chegar a zero.

    O que mais me deixa chateado nesse boss é que a sorte é quem dita o ganhador. Eu me encontrei várias vezes, causando bastante dano no infeliz e mesmo assim acabava perdendo, porque eu acabava caindo é uma das situações descritas acima. E a sorte também ditou minha vitória, quando faltava apenas um golpe para derrotar o Dark Fact, eu acabei ficando preso entre os buracos, e não podia me mexer, mas nesse mesmo momento o boss passou do lado do Aldo e tomou o dano que precisava para perder. Me deixando apenas com a sensação de alívio por ter terminado o jogo, e uma certa frustração, por ter acabado na sorte, um jogo que até então me cobrava habilidade.

    Ys I & II Chronicles

    Platform: PC
    47 Players
    6 Check-ins

    5
    • Micro picture
      jcelove · about 1 month ago · 2 pontos

      Dark fact é uma baita trollagem mesmo. Mas mao se preocupe que nao tem mais boss assim ma serie.

      3 replies
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      O primeiro Ys é bem primitivo. Não joguei a versão Remake da Steam, só a MSX e sei bem o que é sofrer com esse sistema de bump attack.

      1 reply
  • 2020-10-29 17:45:37 -0200 Thumb picture

    Breath Of Fire - Capítulo 02: Nanai e Nina

     Voltando para a gameplay de BOF. Ryu tem que ir para a cidade de Nanai encontrar quem ativou o quake control, e causou o terremoto mais cedo. A cidade de Nanai está dominada pelos soldados inimigos e para entrar nela tem que esperar anoitecer, porque assim os guardas se encontrarão dormindo. Achei essa mecânica interessante, espero que seja usada mais vezes.

    Após entrar na cidade O ryu tem que passar por um pequeno labirinto e desviar dos guardas que ainda estão acordados senão ele vai ser expulso e terá que começar tudo de novo, se tirar um ou outro guarda que fica fora do campo de visão do jogador é bem simples navegar sem ser pego. Depois que passa por todos os guardas, Ryu finalmente entra na dungeon de Nanai, e tirando os P. Bugs que são chatos por darem poison toda hora, essa dungeon é bem simples de explorar, e no fim dela nosso protagonista encontra o responsável pelo terremoto, o Knight, Não foi fácil derrotar ele, mas no fim consegui, e depois que derrotei o knight é puxei uma alavanca da  máquina, resolvi o problema, mas… Aqui tem uma situação que eu notei. Quando eu tava andando pela cidade de Nanai, tinha uma loja de equipamentos,  onde uma npc vendia os equipamentos. Quando o Ryu puxa a alvanca e destrói a máquina, ele destrói a cidade junto, essa npc morreu? Coitada.

    Com a destruição da cidade o caminho para Winlan é liberado. Chegando em Winlan, o Ryu tem que falar com o rei para permitir a passagem do protagonista pela caverna que vai dar caminho para um próximo reino. Só que falam para ele que o rei não está, e ele tem que aguardar o retorno do rei. Nesse ponto acontece algo que eu realmente não esperava, eu deixo de controlar o Ryu, pra ir controlar a Nina a filha do rei. Foi um potimo trecho de jogar, mesmo que o fim fosse esperado. Na verdade o rei tinha sido envenenado e a filha dele resolveu ir atrás do responsável para tentar pegar a cura. Chegando no local onde o culpado fica, ela acaba sendo envenenada e capturada. Agora o Ryu tem que ir resgatá-la e pegar a cura para o envenenamento do rei.

    Eu realmente gostei de ter jogado só com a Nina e os guardas dela, foi uma ótima apresentação da personagem. 

    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1437 Players
    94 Check-ins

    5
    • Micro picture
      rax · about 1 month ago · 2 pontos

      Saudades desse game.Peguei Level 99 com gosto com o Ryu nesse game na versão de GBA.

      Gosto mais dos posteriores da série mas esse é bom também.Aproveita ai e se divirta xD :D

      4 replies
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      Demora demais pegar um segundo personagem nesse jogo.

      1 reply
  • 2020-10-28 20:53:28 -0200 Thumb picture

    O fim de uma jornada e o começo de outra maior

    E Após uma jornada de mais de 40 horas de gameplay, finalmente consegui zerar o primeiro Final Fantasy.  

    Foi extremamente difícil, principalmente pelo fato de eu ter passado boa parte do gameplay sem um guia, o que me levou a ficar um bom tempo perdido no mapa, sem saber o que fazer, mas quando eu finalmente conseguia uma dica que me levava pro caminho certo era simplesmente maravilhoso. 

    Só que no fim o cansaço me venceu e acabei pegando um guia pra terminar o jogo, mesmo com um guia, isso não reduziu a minha experiência e quando eu finalmente consegui derrtoar o Chaos, e ví o créditos subindo, consegui constar que toda essa jornada valeu muito a pena.

    Agora que consegui terminar o primeiro, espero começar o segundo e poder por em prática meu projeto de zerar todos os final fantasy em ordem, e compratilhar minha experiência com os final fantasy aqui no Alvanista.

    Final Fantasy

    Platform: Playstation
    40 Players
    1 Check-in

    6
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      Show demais. É normal ficar perdido no primeiro Final Fantasy, pois foi um dos primeiros JRPG, então sempre que ficar perdido, vai direto pro guia, não fica perdendo muito tempo não.

      1 reply
    • Micro picture
      rax · about 1 month ago · 1 ponto

      Boa sorte é jogo pra k7.

      Vc jogou a versão de PS1? pq de FF1 a melhor versão é a de PSP mesmo até hoje.

      Esses RPGs da década de 80 é melhor usar um guia.É muito fácil ficar perdido na em praticamente todos os jogos de RPG dessa êpoca (Dragon Quest,Final Fantasy,Ultima,Ys,Megami Tensei 1,Phantasy Star,Bards Tale,Wizardry,etc.)

      2 replies
  • 2020-10-28 04:08:13 -0200 Thumb picture

    Breath Of Fire - Capítulo 01: Início

    Uma das coisas que eu, gostaria de fazer o máximo possível, é poder ver como franquias populares evoluíram com o passar do tempo. Eu quero ver o que foi mantido, melhorado, ou até mesmo substituído com o passar do tempo. Portanto ao ouvir falar sobre o Breath of fire, eu decidi pegar os quatro primeiros jogos dessa franquia e jogá-los em sequência. Vou agora começar a compartilhar a minha experiência com o primeiro jogo da franquia.

    O jogo começa com um dragão mandando o protagonista “Ryu” despertar senão ele correrá risco de vida. Após acordar, Ryu descobre que a vila em que mora está sendo atacada, a irmã dele “Sara sem saber o que fazer, utiliza uma magia de petrificar e transforma todos os moradores incluindo Ryu em pedra. Ela tenta enfrentar sozinha o exército que está atacando a vila, mas acaba sendo derrota e sequestrada. Após um tempo o efeito da magia acaba e todos que havia sido petrificado voltam ao normal e ao perceber que a irmã dele tinha sumido, Ryu decidi ir atrás dela.

    A partir desse ponto eu tenho o controle do personagem e como uma pessoa precavida que sou, fiz grind até o Ryu chegar no nível 3 antes dele passar para a próxima cidade, depois descobri que não precisava fazer grind nessa parte do jogo, nem de nível, nem de gold, tendo em vista que na primeira dungeon que você entra pega todos os equipamentos necessários para derrotar o primeiro boss. Um Sapo gigante que havia expulsado e tomado o castelo do rei para ele. Após derrotar o sapo, e sair do castelo você sente um tremor e tem um dialogo dizendo que um monstro tem o quake control um equipamento perigoso nas mão erradas, agora Ryu tem que ir para Nanai para recuperar o quake control do inimigo.

    Gostei de alguns detalhes durante o jogo como, após derrotar o sapo, e fazer o caminho de volta até a saída do castelo eu enfrento nenhum monstro na dungeon, mostrando que após a derrota do boss todos os outros monstros menores fugiram do castelo que até aquele momento era uma dungeon cheia de inimigo. E da diferença de sons que tem durante o andar do Ryu, quando ele anda no chão normal, não faze ruído, mas faz um barulho quando ele pisa em alguns ossos espalhados pelo caminho.

    Breath of Fire

    Platform: SNES
    1437 Players
    94 Check-ins

    5
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      Lembro que fiquei fazendo um grind cabuloso dentro do primeiro castelo, recuperando meu HP nas fontes.

      3 replies
  • 2020-10-28 01:11:09 -0200 Thumb picture
    Post by rensan: <p>Olá. Estarei usando esse espaço para compartilha

    Olá. Estarei usando esse espaço para compartilhar as minhas experiências jogando os mais diversos tipos de jogos, tendo como foco principal os RPGs japoneses, que sempre me chamaram a atenção.

    4
    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 1 ponto

      O melhor estilo de RPG!

    • Micro picture
      rax · about 1 month ago · 1 ponto

      Seja Bem Vindo.JRPG é meu gênero favorito de jogo entre os subgêneros de RPGs.Vou dar uma olhada nos seus posts

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...