2018-12-26 16:41:48 -0200 2018-12-26 16:41:48 -0200
ramonplayerone Ramon Giovane checked-in to:
Post by ramonplayerone: <p><strong>Check-out do meu último jogo zerado</str
Castlevania X: Rondo of Blood

Platform: TurboGrafx-16
303 Players
29 Check-ins

Check-out do meu último jogo zerado.

O grandioso Castlevania Rondo of Blood, predecessor do querido Symphony of the Night e  fonte de inspiração do Dracula X versão capada lançada para o SNES, que também não ruim diga-se de passagem.

Incrível como uma obra dessa possa ter ficado apenas no Japão, eles podiam ter colocado esse no Play 1.  

Esse é um daqueles Castlevanias clássicos onde vc tem um chicote matador de vampiros, uma sub-arma, uma barra de life com umas 3 vidas extras e só. Vai com Deus. Porém ao contrário dos jogos de NES que traziam muita frustração e raiva junto à diversão, esse título é um pouco diferente. 

Não é fácil. Pra chegar até o Dracula você vai morrer, e muito. No entanto, quando você começa, é difícil parar de jogar, pois por mais complicado que seja uma parte, há algo nesse jogo que te faz tentar de novo, e de novo, até conseguir. Magia negra? Nah. Magia da Konami mesmo que sabia fazer jogo bom naquela época.

O negócio é que eles capricharam na jogabilidade que é muito divertida. O chicote é mais fácil de usar já que não precisa ficar pegando upgrades como nos antigos, o pulo não tem delay e mecânica de andar nas escadas melhorou muito, o personagem é mais ágil, apesar de ainda ser lento, mas acho que isso é um charme da série, na real.

Outro adendo é a personagem Maria que em SOTN é mais velha e aqui sendo jogável se você libertá-la em seu cativeiro. É uma singela criança de 12 anos, mas chuta bunda de qualquer bicho que tiver no caminho,  mais até que o Richter se deixar haha. Ela é como se fosse o Easy Mode da parada.

Além disso, artisticamente falando, esse jogo é maravilhoso, mesmo tomando um Game Over na fuça, você ainda fica motivado a saber quais desafios te esperam nas salas do castelo que você ainda não visitou, o cenário é muito bem detalhado e os sprites e animações dos personagens e inimigos são muito bem feitos. Sem contar as músicas, ha ha ha,  só isso já é uma história a parte, pois um bom jogo de Castlevania sem música boa é de se duvidar, porque nesse jogo, esse também foi um dos motivos para eu querer ir adiante. Só ouça isso:

Espetacular. Essa é uma versão rearranjada da música Vampire Killer, que toca quando você está adentrando os portões do castelo no primeiro jogo. E aqui também.

Além dessa, há outros temas refeitos. Só isso já vale a jogatina. Mas houveram novas músicas como de praxe. E por sinal, a música tema do Richter, personagem principal, e também tema da primeira fase e do vídeo de introdução do game, é uma das mais famosas da série e seu ritmo animador é um ótimo jeito de se começar qualquer jornada.

Bem, é isso. Ficou meio extenso porque eu tinha muita coisa pra falar, mas nem tanta boa vontade pra fazer um post na seção de críticas do aqui no alva. Se alguém leu até aqui, então feliz natal atrasado e jogue Castlevania Rondo of Blood :)

10
  • Micro picture
    jclove · 5 months ago · 3 pontos

    Acho Rondo é o melhor dos Castle classicos. Tem várias rotas, narrativa melhor desenvolvida e o lance da Maria que funciona como o easy mode do jogo, o que é uma ótima sacada. Por sinal só consegui zerar com ela XD

    2 replies
  • Micro picture
    gus_sander · 5 months ago · 3 pontos

    Não sabia que o Drácula X era "enraizado" nesse ai. Bom saber hehe

    7 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...