You aren't following rafael_rocha.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2017-07-12 09:45:31 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Top10 - O melhor jogo da Namco

    Medium 3513885 featured image

     E ai pessoal, tudo beleza. Bom chegamos ao resultado onde definimos o melhor jogo dessa grande e clássica empresa dos games. Tivemos uma votação bastante dispersa, mas que renderam uma excelente lista. Com total de 24 participantes e 53 jogos citados, formando muitos empates. Então chega de papo e vamos ao resultado.

    .

    .

    .

    10º - Naruto Shippuden: Ultimate Ninja 5 (PS2) e Rolling Thunder 2 (Arc e MD) 6 pts

     Vamos iniciar com um empate. O último jogo da série Ultimate Ninja, lançado para o PS2, entra na décima posição, aprimorando todos os recursos de luta dos jogo anteriores, tonando um jogo excelente. O outro game é um clássico, onde controlamos uma agente secreta que deve descer a bala nos seus inimigos num side-scrolling sensacional.

    .

    .

    .

    .

    .

    9º - Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 3 (PS3, PS4, PSV, X360, XOne e PC), Super Smash Bros. for Nintendo 3DS & Wii U (WiiU e N3DS), Tekken 5: Dark Resurrection (Arc, PS3 e PSP) e Tekken 6 (Arc, PS3, PSP e X360) 7 pts

     Uma salada de jogos, e curiosamente, somente jogos de luta. O terceiro jogo da série Ultimate Ninja Storm, que traz uma dinâmica excelente nos combates e grande variedade de personagens. O jogo que mistura vários personagens da Nintendo para lutarem entre si e ver quem é o melhor. A versão portátil do jogo Tekken 5, com novos personagens e a mesma qualidade do original. E o penúltimo jogo da série, com um combate realista e bastante competitivo, com gráficos de ponta.

    .

    .

    .

    .

    .

    8º - SoulCalibur (Arc, DC, X360, iOS e And), Tales of Symphonia (NGC, PS2 e PC) e Xenosaga Episode I (PS2) 8 pts

     Um dos jogos de maior sucesso do falecido Dreamcast, que possuía gráficos fantásticos e mecânicas de combates 3D primorosos. Um dos jogos da série Tales of mais famosos, pois se trata de um J-RPG completo, com personagens carismáticos, história envolvente e combates repleto de ação. E um outro RPG que foi dividido em 3 episódios, onde temos o primeiro aqui na oitava posição, trazendo uma mecânica de combos no combate extremamente divertido.

    .

    .

    .

    .

    .

    7º - Dark Souls III (PS4, XOne e PC), Tales of Eternia (PS1 e PSP), Tekken Tag Tournament 2 (Arc, WiiU, PS3 e X360) e Xenosaga Episode III (PS2) 9 pts

     O terceiro jogo da cabulosa série de RPG medieval que ficou muito famoso pela dificuldade, que não perdoa os jogadores novos. Outro jogo da série Tales of, onde temos um trabalho artístico lindíssimo de um game que parece que foi desenhado a mão. Outro jogo da série Takken, mas agora com a possibilidade de alternar entre 2 lutadores, tornando o combate muito mais interessante. E o terceiro episódio da saga de RPGs do PS2, com uma pegada bastante futurista e história com uma conclusão fantástica.

    .

    .

    .

    .

    .

    6º - Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 3 (Wii e PS2), Ni no Kuni: Wrath of the White Witch (PS3) e Tekken 5 (Arc, PS2 e PS3) 10 pts

     A Namco de une a Bandai e cria uma série de jogos de luta do Dragon Ball Z impressionante, com dezenas de personagens em batalhas de campo aberto. O lindo e fofo RPG do PS3, onde controlamos o garoto Oliver e devemos partir para uma longa jornada a fim de salvar a sua mãe. E o quinto jogo da famosa série de luta da Namco, com adição de novos lutadores e uma gameplay muito mais fluída e rápida comparada com seu antecessor.

    .

    .

    .

    .

    .

    5º - Klonoa: Door to Phantomile (Wii e PS1) e Tales of the Abyss (N3DS e PS2) 12 pts

     Durante a saudosa era dos mascotes, um gato muito fofo e estiloso surge com um belíssimo jogo de plataforma e puzzle, com ambiente em 3D cheio de cor. O outro game se trata de um da série Tales of e veio para celebrar o 10º aniversário da série, com bastante ação nos combates, personagens marcantes e uma história marcantes, que se passa nessa atmosfera fantástica que a série consegue proporcionar.

    .

    .

    .

    .

    .

    4º - SoulCalibur III (Arc e PS2) 13 pts

     Agora terminou os empates, e vamos para o terceiro jogo da série SoulCalibur, trazendo vários modos de jogo, que nos conta melhor a história do game, vários personagens novos, muito bem estilizados e carismáticos, e uma gameplay bastante fluída. Além de possuir uma beleza estonteante, o jogo também conta com uma trilha sonora primorosa, que te mantém bastante empolgado durante a luta.

    .

    .

    .

    .

    .

    3º - Tekken 3 (Arc, PS1 e PS2) 21 pts

     A estrela de bronze vai para o jogo mais popular da série Tekken, e consequentemente o melhor. O terceiro jogo foi o grande responsável por alavancar a série como um todo e fez um sucesso absurdo, em especial no Brasil, devido ao personagem queridinho da galera, Eddy, que manjava dos paranauê da capoeira. O jogo foi um dos poucos a trazer uma jogabilidade decente para um game de luta 3D.

    .

    .

    .

    .

    .

    2º - Tales of Phantasia (SNES, GBA, PS1, PSP e iOS) 24 pts

     A estrela de prata vai para um dos melhores RPG da era 16-bits. O primeiro game da série Tales of nos apresentou uma verdadeira revolução em vários aspectos. De cara, temos uma abertura cantada de verdade, coisa bem rara na época, um sistema de combate muito dinâmico, que lembra os jogos de luta tradicionais, e toda a carisma dos personagens, que virou marca carimbada. Temos um enredo complexo e muito bem amarrado, sensacional.

    .

    .

    .

    .

    .

    1º - Pac-Man (Arc e vários) 36 pts

     E sim galera, a estrela de ouro vai para o jogo mais clássico da história dos jogos. O jogo responsável não só por popularizar a Namco, mas também chamou a atenção de todos de como um jogo tão simples pode ser tão divertido. Aqui nasce também o primeiro protagonista da história dos games e também nos é apresentado o primeiro power-up de todos. Para os mais viciados, conseguem ver através dos padrões de cada um dos fantasmas e busca a maior pontuação com o menos número de tentativas possíveis. Certamente um ícone na história dos games.

    .

    .

    .

     E assim finalizamos essa lista. Apesar dos inúmeros empates, o resultado ficou muito bom, e tudo graças a vocês, que participaram e republicaram a palavra. Agora vamos aguardar ansiosamente a eleição de amanhã.

    52
    • Micro picture
      marlonildo · almost 2 years ago · 4 pontos

      Não participei mas até esperava esse primeiro lugar. Aí fica a pergunta pra quem votou.. o resultado é o melhor jogo ou o jogo mais conhecido/mais clássico?
      Porque, por mais que eu goste de pac-man, ache divertido e etc, acho beeem estranho dizer que ele supera todos os outros que estão nessa lista.

      5 replies
    • Micro picture
      jokenpo · almost 2 years ago · 3 pontos

      Nossa pac man em primeiro? por essa eu não espera mas foi merecido. Tem uma pá de jogo na lista que eu não conheço depois vou dar uma olhada

      1 reply
    • Micro picture
      mjdias · almost 2 years ago · 3 pontos

      Dark Souls 3 em 7ªposição empatado com um monte de nada, tudo Noob que elegeram esses Rank kkkkkk Dark Souls 3 é hateado só pq é difícil kkkkkk

      2 replies
  • 2017-06-27 19:43:27 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    48
    • Micro picture
      jeffrey · almost 2 years ago · 9 pontos

      Essa definitivamente é "olhe mas não toque"...a não ser com luvas XD

      1 reply
    • Micro picture
      rafael_rocha · almost 2 years ago · 2 pontos

      Cara,com essa mina até compensa se arricar XD

  • 2017-08-11 16:09:13 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    19
    • Micro picture
      ricardosc · almost 2 years ago · 1 ponto

      kkkkkkkkkkkkk

    • Micro picture
      bakujirou · almost 2 years ago · 1 ponto

      minha nossa, olha o vicio haiuhaihaihaihaia

  • 2017-08-11 16:31:35 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    18
    • Micro picture
      santz · almost 2 years ago · 1 ponto

      Vai tomar banho na lambida, Hahahaha!

  • papm22 Galard Malvic
    2016-01-20 01:15:08 -0200 Thumb picture
    Thumb picture

    O jogo do ano: o que faz de um jogo um goty??

    Medium 3242103 featured image

    Salve galera, aqui é Galard mais uma vez com um artigo diferente para vocês. Todo gamer adora bons jogos, mas nem todos sabem o que faz de um jogo ser considerado o melhor do ano. Não estou aqui para puxar saco de nenhum jogo em específico de 2015 (a imagem do The Witcher 3 é meramente ilustrativa, apenas reparem na hora do dia e vejam se não tem nada de estranho ...), mas para apresentar as principais características de um candidato à este prêmio tão cobiçado entre as produtoras. Claro que o goty nem sempre agrada a todos, mas ele geralmente une características que agradam pelo menos um maior público alvo. Vamos à elas!

    OBS: a única fonte que usarei será o gotypicks.blogspot.com. Por isso não me basearei em uma única mídia, mas no somatório delas que esse fantástico blog reune. 


    OBS2: usarei APENAS os gotys absolutos (os "big winners", segundo o blog) como exemplo. Qualquer outro jogo utilizado eu contextualizarei.


    1) Revolucionário/Inovador:

    Essa é de longe o que mais atrai esse prêmio, o que mostra que a criatividade é um ponto essencial para nós gamers. Seja uma narrativa inovadora, uma mecânica de jogo inovadora ou qualquer coisa fora do comum e que agrade ao público já é meio caminho andado para um goty. Querem exemplos? Basta lembrar principalmente do ano de 2012, no qual os maiores vencedores, Journey e The Walking Dead (goty deste ano): ambos trouxerem inovações nas narrativas. Só que se pararmos para reparar:

    2013 - The Last of Us: revolucionou a narrativa de um jogo usando e abusando do drama cinematográfico (se fosse um filme, seria indicado ao oscar!)

    2012 - The Walking Dead -revolucionou a narrativa com drama e emoção

    2011 - Skyrim - revolucionou os jogos de mundo aberto com um mundo enorme, vivo e nunca visto antes

    2009 -Uncharted 2 - incluiu uma narrativa no melhor estilo cinema pipoca
    2007 - Bioshock - um jogo que discute moral, sociedade, política e ainda traz uma crítica social

    2004 - Half-Life 2 - revolucionou a física, gráficos, mecânicas e narrativa

    Estes são os exemplos mais claros.

    2) Ser envolvente: 

    De uma forma ou de outra o jogo do ano deve te prender à tela por algum motivo. Seja por ele ser muito divertido e viciante, ou por uma narrativa que te prende enquanto não finaliza o game, ou algo muito instigante que te deixa curioso para saber como o personagem vai sair da situação, ou até mesmo algo impactante. É a característica mais comum de um jogo do ano.  Nem preciso exemplificar.

    3) Ser completo, massivo: 

    Apesar de parecer óbvio, podemos perceber que esta característica, que não é recente, sempre conquistou este título. Basta se lembrar lá no longínquo ano de 1998, ano em que teve uma excelente safra de jogos, considerado por muitos como o melhor ano para a história do videogame, no qual o com as melhores médias foi o The Legend of Zelda: Ocarina of Time.  E ser completo aqui me refiro diretamente ao número de possibilidades que um  jogo pode oferecer bem como a sua duração. Ele deve ser completo no que ele propõe ser. Neste caso, os melhores exemplos são os jogos de RPG e os produzidos pela Bethesda e  Rockstar:

    2011 - Skyrim

    2010- Red Dead Redemption
    2008 - Fallout 3

    2006 - Oblivion

    4) Criar tendência e se tornar uma referência no gênero: 

    Aqui é quase auto-explicativo. Se algo é tão bom, divertido, revolucionário a ponto de ser copiado, referenciado, homenageado, geralmente é merecedor deste título. Exemplos:

    2011 - Skyrim - criou um mundo aberto muito vivo e se tornou referência em mapas gigantescos

    2006 - Oblivion - revolucionou a mecânica do fast travel muito utilizada nos jogos atuais

    2005 - Resident Evil 4 - trouxe a mecânica de ação para a temática de terror

    2004 - Half-Life 2 - inovou com várias peculiaridades gráficas para a época, como expressão facial e água

    5) Não decepcionar: 

    Essa é bem simples - basta cumprir tudo o que prometeu e não enrolar para entregar o produto final. O que parece o óbvio têm se tornado algo difícil de ocorrer. A E3 se tornou uma vitrine de mentiras, o "mal do hype" domina as previews e a pressa para lançar logo o produto e ele chega nas lojas com um downgrade gráfico gigantesco, bugado e com mecânicas repetitivas sendo mais do mesmo. O melhor exemplo que posso dar é o Dragon Age Inquisition - 2014, não por ele ser um ótimo jogo, mas porque ele foi o jogo que cumpriu o que prometeu (alem de reunir outras características como ser muito imersivo, grandioso e completo, etc.), diferente dos seus "concorrentes" que decepcionaram no lançamento como Watch_Dogs, Destiny, Titanfall, Driveclub, Thief, Murded Soul Suspect, The Crew, Sonic Boom, The Elder Scrolls Online, Assassins Creed Unity ... E chega! 2014 realmente foi muito fraco por causa disso. Quanta decepção ...

    6) Ser uma continuação 

    Parece bobo, mas a maioria dos gotys são continuações. É bem complicado de se afirmar isso, mas se formos ponderar na balança, dos 12 gotys que tivemos desde 2003, apenas 4 são franquias novas, ou seja, 1/3. Essa é a característica mais questionável, sem dúvidas.

    7) Ser eclético e não ser voltado para um público alvo muito específico:

    Ou seja, agradar ao maior número de pessoas. Vamos voltar para 2014 para explicar esta, especificamente na premiação do The Game Awards daquele ano. O indicados foram Bayonetta 2, Shadows of Mordor, Dark Souls 2, Dragon Age Inquisition e Hearthstone. Dark Souls 2 e Bayonetta 2, apesar de não decepcionarem, agradam um público alvo de nicho, sendo o 1º àqueles que curtem um desafio cruel e o 2º aos consumidores da Nintendo que curtem um hack´n slash (!). Os únicos que possuíam a maior quantidade de características de um jogo do ano eram o Inquisition e Shadows of Mordor, uma vez atingiam aos fãs de fantasia medieval e RPG, algo bem mais eclético. Mas eu juro que ficaria feliz em ver um jogo de mobile ganhando essa premiação ...

    8) Ter boas qualidades técnicas:

    Seja na qualidade da história, gráfica, sonora, gameplay, o conjunto da obra deve ser tecnicamente diferenciado dos demais. E isso não está ligado a não ter bugs, já que a bugsheda ganhou três vezes já! Suas qualidades técnicas vão sempre superar os seus defeitos. Exemplos? 

    2012 - The Walking Dead - tão limitado quanto envolvente. A sua história e narrativa são tão boas que vc se esquece dos seus gráficos e movimentação datados

    2011 - Skyrim - o jogo mais bugado que já joguei ainda consegue ser o melhor do ano e o meu favorito de todos os tempos, com todo o resto impecável

    2003 - Star Wars: The Knights of The Old Republic - que jogo feio! Mas todo o resto do jogo é impecável, principalmente a jogabilidade e história

    9) Ser memorável:

    Deve ser aquele jogo inesquecível por alguma razão. Pode ser por qualquer uma das características acima ou simplesmente por ter algo único que só ele tem. Exemplos:

    2013 - The Last of Us - o drama de Joel e Ellie nunca envolveu tanto o jogador quanto neste jogo

    2010 - Red Dead Redemption - nunca houve uma reconstituição tão perfeita e memorável do velho oeste num jogo como neste game

    2005 - Resident Evil 4 - nunca houve uma personagem tão filha da p#$@, imbecil, idiota quanto a Ashley (quem disse que ele tem que ser memorável positivamente? Ok, eu só quis sacanear essa bosta de personagem mesmo!)


    Por hoje é isso galera. Lembrando que esta é a minha opinião. Discordou? Argumente com educação ai embaixo. Gostou? Da um like, comenta, uma vida, um continue, uma ficha, um joinha e repasse esse artigo aos seus amigos gamers também! Abraços pessoal!

    The Witcher 3: Wild Hunt

    Platform: PC
    995 Players
    633 Check-ins

    31
    • Micro picture
      xualexandre · almost 2 years ago · 4 pontos

      Boa análise, sempre legal ver todos os prêmios de goty de um ano, e também entender o porquê que tal jogo ganhou mais prêmios

      1 reply
    • Micro picture
      kratos1998 · almost 2 years ago · 3 pontos

      Ótimo artigo, realmente os Gotys seguem um padrão, assim como foi citado. Geralmente o jogo precisa ser destaque em algo, e na minha opinião o que mais pesa é a história e jogabilidade, que são os principais elementos da diversão.

      3 replies
    • Micro picture
      muser · almost 2 years ago · 2 pontos

      É difícil um jogo ter todas essas qualificações hoje em dia.

      1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...