portrasdamusica

A história por trás das músicas que tanto amamos!

You aren't following portrasdamusica.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2015-04-20 19:53:55 -0300 Thumb picture

    Um Pedido de Desculpas

    O Dia para #03 seria hoje, mas devido a alguns imprevistos não foi possível =/

    Peço desculpas desde já e garanto que o mais rápido possível postarei o #03

    Até lá ouçam mais músicas hahahah =D

    Obrigado pelo apoio e pela consideração, abraços.

    Carinhosamente, Diogo! (@diogo_paixao) =]

    12
  • 2015-04-13 21:22:50 -0300 Thumb picture

    #02 - Cravado em Uma Bala

    Nickelback - Side of a Bullet

    Em 8 de Dezembro de 2004 muitos fãs de Metal e das bandas Pantera, Damageplan & Rebel Meets Rebel ficaram abalados com a morte do guitarrista Dimebag Darrell.

    Morto durante a apresentação da banda Damageplan por um membro da plateia que subiu ao palco e atirou no guitarrista e em seguida nas pessoas que tentaram impedi-lo,  o assassino Nathan Gale foi morto em sequencia por um policial.

    Esse ato como qualquer assassinato deixou um buraco não só nos corações dos fãs como também dos amigos e dos famliares.

    E é ai que a banda Nickelback entra em cena, cerca de 1 ano depois, como amigos do guitarrista, desejavam prestar uma homenagem ao falecido, então a namorada Rita Haney e o irmão Vinnie Paul (baterista) de Dimebag enviaram trechos de solos inéditos gravados na época dos album's Vulgar DIsplay of Power & Far Beyond Driven da banda Pantera.

    Então foi criada a Música "Side of A Bullet" uma homenagem da banda ao querido Guitarrista aonde o solo da música, são justamente esses solos inéditos de Dimebag.

    (Trecho da Música)

    "How could you take his life away?
    (What makes you think you have the right?)
    How could you be so full of hate?
    (To take away somebody´s life?)
    And when I heard you let him die
    And made the world all wonder why
    I sat at home and on my own,
    I cried alone and scratched your name
    in the side of bullet"

    (Trecho Traduzido)

    "Como você pode lhe tirar a vida?
    O que fez você pensar que estava certo?
    Como você pode ser tão cheio de raiva?
    Para tirar a vida de alguém?
    E quando eu ouvi você deixa-lo morrer?
    E fez o mundo inteiro se perguntar porque?
    Eu sentei em minha própria casa,
    E chorei sozinho e gravei seu nome
    No lado de uma bala"

    De inicio foi pedido a Vinnie Paul (irmão) para ficar na Bateria na gravação da música, mas Vinnie se recusava e insistiu que o baterista da banda Daniel Adair poderia tocar tão bem quanto ele.

    Letra da Música "Side of a Bullet" Completa.

    Segue Link da Apresentação ao Vivo de Side of a Bullet, aonde o vocalista da banda, Chad Kroeger da uma breve explicação sobre a história atrás da música.

    Tudo que foi escrito aqui, foi baseado em entrevistas da banda e pesquisas na internet.

    Música: Side of a Bullet

    Banda: Nickelback

    Álbum: All The Right Reasons

    Ano: 2005

    Por favor não esqueça de falar ai embaixo o que achou da postagem, continua aberto o envio de mensagens para a Persona, assim você pode mandar sugestões de músicas, histórias interessantes por trás delas e etc.

    Toda ajuda para a Persona é bem vinda, se a vontade de participar dela existe, mesma coisa, mande uma mensagem para conversamos sobre, na realidade qualquer coisa que quiser mandar será lido e respondido!

    Obrigado a todos e abraços!

    Marcando os interessados =]

    @setzer_eduardo @laisangel @camillaport @aryel @liamvinibr @neilsonthrash80 @felipezu @laumiramos @reinaldo_cardial @julio777 @jaquearan @rafael_mingato @metroidgamer @juninhonash @rofer32 @donab @guee @vantore @jan @igorsantos @xualexandre @montanaro @anne @elionazio @fredson @nathik3 @tinahorta @barbarabai @ryu1908 @heavenhitman @rafael_mingato @danilodlaker @rockysilvabr @r2d2 @mostardinha2 @ticianavalle @elionazio @victorlemes @flaviometal @crauzus456 @_gustavo @matheusps92 @thehylian @pizzaduds @maironw @kallel_rafa @fabioskora @nyatroll @marklan @jrcld @flaviometal @tierry @semioticista @akromvaleth @felipe_scar @bahalord @alluny @doctorlarry @firegon @allistoncarlos 

    Aqueles que não quiserem ser mais marcados por favor avisem, e os quiserem também!

    Guitar Hero Smash Hits

    Platform: Playstation 2
    298 Players
    3 Check-ins

    61
    • Micro picture
      juninhonash · over 5 years ago · 4 pontos

      Eu sabia da morte do Dimebag mas não sabia que a música do Nickelback era baseada nessa morte O_O

      3 replies
    • Micro picture
      claujr · over 5 years ago · 3 pontos

      Não curto Nickelback nem um pouco - mas achei justa a homenagem ao grande Dimebag Darrell.

      1 reply
    • Micro picture
      guee · over 5 years ago · 3 pontos

      Pantera era uma fábrica de riffs grudentos, vc escuta uma vez e passa a vida inteira lembrando e procurando outras bandas com riffs tão marcantes.
      Já gostei bastante de Nickelback, isso quando eu era mais novo, hoje em dia se tornou um banda que quando eu escuto, me faz lembrar de uma época bacana.
      Mas a homenagem é super válida, é um feito bem bonito.
      .
      E eu ainda tenho que escrever sobre o Pain of Salvation kkkkk

      1 reply
  • 2015-04-06 20:17:29 -0300 Thumb picture

    #01 - O Deus Que Falhou

    Metallica - The God That Failed

    Para começar de fato com a Persona, gostaria de compartilhar a história por trás dessa música.

    James Alan Hetfield (vocalista/guitarrista) foi criado em uma família altamente religiosa, devota da "Ciência Cristã", para aqueles que não sabem é uma religião relativamente nova, que nasceu em Boston - Massachusetts em 1866, que prega/acredita na cura divina, ou na cura cristã, negando qualquer forma de tratamento científico desenvolvido pelo homem.

    Isso gerou diversas situações constrangedoras em sua infância, começando pela escola aonde ele era o "diferente", não podia ir as aulas sobre o corpo humano ou a qualquer aula que explicasse como o corpo humano funcionava, porque segundo sua mãe, não existia motivo para ele apreender como se "curar" se Jesus faria tudo por eles.

    James diz que coisas normais que seus amigos faziam como ir a médicos ou tomar remédios lhe eram negadas, que coisas do senso comum como: "se você quebrar um braço, você o engessa", não eram permitidas dentro de sua religião.

    Futuramente sua Mãe desenvolveu um Câncer e recusava o tratamento, acreditando que Jesus a salvaria, não os remédios ou a medicina algo que seu alinhamento religioso propagava.

    Com 16 anos James viu sua mãe falecer devido ao Câncer, o que causou grande abalo em sua crença e o questionamento sobre o que é religião e o que era Deus.

    Segundo James, sua infância foi alienada e podada devido a essas delimitações religiosas, um sentimento de raiva/angústia que Hetfield carregou por muito tempo até se expressar em diversas músicas.

    The God That Failed  foi a forma de Hetfield expor a falha de Deus, a forma dele transcrever toda a raiva e tristeza que sentia pela morte de sua mãe, a música fala muito mais sobre como pessoas se alienam a religião do que necessariamente contra ela.

    (Trecho da música)

    "I see faith in your eyes
    Never you hear the discouraging lies
    I hear faith in your cries
    Broken is the promise, betrayal
    The healing hand held back by the deepened nail
    Follow the god that failed"

    (Trecho Traduzido)

    "Eu vejo fé em seus olhos
    Você nunca ouviu as mentiras desanimadoras
    E ouço fé em seus gritos
    Quebrada é a promessa, traição
    A mão curadora presa pelo prego enterrado
    Siga o deus que falhou"

    Futuramente Hetifield alega em entrevistas que hoje compreende as qualidades de sua antiga religião, mas que vê as coisas de uma forma diferente, hoje como um adulto pode discernir o que quer acreditar e entender melhor as crenças, hoje ele vê a ciência, médicos e remédios como uma forma, uma possibilidade que Deus deu para o ser humano se cuidar.

    James em outra entrevista da uma resposta em relação ao que essa música pode aparentar ser, e que não sigfinica que o Metallica seja descrente de Deus, mas que apenas era uma mensagem, algo pessoal.

    Letra da Música "The God That Failed" Completa

    Segue Links das entrevistas com Hetfield:

    Entrevista em texto dada para a revista Classic Rock, em Julho de 2009

    (a entrevista começa aos 2:10 de vídeo)

    Tudo que foi escrito aqui foi baseado em 2 Biografias do Metallica.

    - "Metallica: All That Matters"

    - "Metallica - A Biografia"

    E em entrevistas realizadas com James Alan Hetfield.

    Música: The God That Failed

    Banda: Metallica

    Álbum: Black Album/Metallica

    Ano: 1991

    Se você gostou por favor fale ai embaixo o que achou, deixei aberto o envio de mensagens para a Persona, assim você pode mandar sugestões de músicas, histórias interessantes por trás delas e etc.

    Talvez até se candidatar a ajudar a Persona crescer, na realidade qualquer coisa que quiser mandar será lido e respondido!

    Obrigado a todos e abraços!

    Marcando os interessados =]

    @setzer_eduardo @laisangel @camillaport @aryel @liamvinibr @neilsonthrash80 @felipezu @laumiramos @reinaldo_cardial @julio777 @jaquearan @rafael_mingato @metroidgamer @juninhonash @rofer32 @donab @guee @vantore @jan @igorsantos @xualexandre @montanaro @anne @elionazio @fredson @nathik3 @tinahorta @barbarabai @ryu1908 @heavenhitman @rafael_mingato @danilodlaker @rockysilvabr @r2d2 @mostardinha2 @ticianavalle @elionazio @victorlemes @flaviometal @crauzus456 @_gustavo @matheusps92 @thehylian @pizzaduds @maironw @kallel_rafa @fabioskora @nyatroll @marklan @jrcld @flaviometal @tierry @semioticista @akromvaleth @felipe_scar @bahalord @alluny @doctorlarry

    Os que quiserem deixar de ser marcados por favor me avise e os que quiserem ser marcados também!

    Guitar Hero: Metallica

    Platform: Playstation 3
    437 Players
    21 Check-ins

    84
    • Micro picture
      pizzaduds · over 5 years ago · 4 pontos

      Muito foda a postagem. Já conhecia a história (Metallica é uma das minhas bandas favoritas)
      Acho muito válido você analisar músicas do Metallica, mesmo algumas pessoas dizendo que Megadeth é melhor melodicamente, as letras do Metallica são infinitamente superiores na minha humilde opinião. Continue assim :D

      1 reply
    • Micro picture
      fabioskora · over 5 years ago · 3 pontos

      Ótimo post, gosto do Metallica, mas não conheço muito a historia deles. No caso da religião, muitas vezes o conceito é bom, mas é aplicado de forma extrema e opressiva, radicalizando tudo. Acho a musica, uma das melhores formas de mostrar o que sentimos.
      Valeu por me marcar.

      1 reply
    • Micro picture
      jaquearan · over 5 years ago · 3 pontos

      Excelente post, me deu vontade de ouvir Metallica, já que faz tempo que não ouço. Já estou esperando o próximo post hehehehe

      2 replies
  • 2015-03-30 10:47:11 -0300 Thumb picture

    [Off-Topic] O Que é Música?

    Medium 3036018 featured image

    Antes de iniciar os posts dessa Persona, gostaria de indaga-los, o que é música?

    Música segundo o Dicionário é:

    - Organização de sons com intenções estéticas, artísticas ou lúdicas, variáveis de acordo com o autor, com a zona geográfica, com a época, etc.

    - Arte e técnica de combinar os sons de forma melodiosa.

    - Composição ou obra musical.

    - Sequência de sons cuja cadência ou ritmo lembram uma melodia.

    Dentre outros vários significados.

    Mas vamos pensar de uma forma mais filosófica e sentimental, a música seria qualquer forma de harmonia de sons e ruídos, mas o que a torna uma boa música?

    O que a torna uma boa música não seria nós mesmos? A música é uma mensagem, uma construção, um sentimento, algo expresso pelos instrumentos, então nada mais justo do que a boa música ser algo referencial.

    Nesse caso, o que tornaria uma música boa, seria nossas vivencias, lembranças, pensamentos e pontos de vista em relação a vida, até mesmo nossas vontades, então o que é uma boa música hoje, pode não ser uma boa música amanhã?

    Sim, pode ser que a música que você ouve hoje não lhe agrade mais no futuro, porque somos pessoas, estamos em constante evolução e mudanças, existe a chance de nossos parâmetros mudarem com o tempo.

    Então quer dizer que o que gosto hoje é ruim?

    Não, não quer, quer dizer somente que a música que lhe agrada hoje... lhe agrada hoje! E que ambas tem suas qualidades conforme seus momentos.

    E ai vamos para outro ponto da música, não mais referente a quem ouve, mas sim a quem produz, o que a pessoa quer ao produzir uma música?

    Ela pode querer passar pensamentos, sentimentos, ideias, histórias e diversas outras coisas, mas porque? e como?

    A reposta de o porque é um assunto tão pessoal quanto gostos, as vezes por necessidade, as vezes por visão, as vezes até por dinheiro, mas todos tem uma explicação e história do porque aquela música estar lá e ser como é.

    E como? Através dos instrumentos e meios que lhes for mais confortável, que o artista em questão sinta que o que quer que seja que ele deseja ver transmitido em sua música, esteja sendo.

    Mas ai entramos em outro ponto muito delicado, os conflitos de "meios".

    Como assim?

    Bom, tendo diversos criadores/produtores de música, teremos distintos meios formados pelo qual eles se sentirão mais a vontade para passar a música para aqueles que por consequência seriam os receptores.

    E o que seriam os meios? Justamente os gêneros musicais, por eles que os artistas escolhem a sua maneira de passar algo e os ouvintes escolhem como e o que receber.

    Mas por que conflito?

    Devido a grande quantidade de artistas, vemos milhões de sensações passadas através das músicas, as vezes até parecidas, porem em meios diferentes, e ai que entra as divergências, a necessidade de intitular "o melhor".

    Mas vamos pensar de outra maneira, será que não é a dificuldade de alguns de simplesmente aceitar que a mesma sensação ou até mesmo outras mensagens possam ser de qualidade através de  outros meios, sendo que o que importa é o que pessoa que vai ouvir ira sentir?

    Vamos comparar gêneros/meios totalmente diferentes, mas que no fim querem passar a mesma sensação:

    Tim Maia - Chocolate

    Metallica - Hit The Lights

    Daft Punk - One More Time

    Como assim? Simples, todas querem passar a mesma sensação, felicidade/vontade de dançar, são músicas dançantes dentro de seus retrospectivos estilos, músicas descompromissadas que não tem um porque muito a fundo ou uma letra muito bem estruturada, o foco delas e o propósito é a sonoridade, a diversão, simplesmente se deixar levar naquela sensação que a música te causa.

    Toquinho - O Filho que Eu Quero Ter

    Aerosmith - I Don't Wanna to Miss a Thing.

    Christina Aguilera - Beautiful

    Nesse caso vemos músicas que priorizam a construção da letra, a mensagem, o sentimento a ser passado e pensado, é aquela música aonde fechamos os olhos e refletimos sobre momentos de nossas vidas, aonde nos identificamos com a banda ou artista em questão.

    Esses são apenas 2 casos, que além deles, existem milhares, e mesmo nos próprios podemos ramificar em diversas outras categorias.

    Então percebe o impasse? Se dentro de cada estilo, temos todo tipo de mensagem e sentimento, porque a necessidade de uma superioridade? O único que esta por cima é o receptor feliz, aquele que sabe aonde está e se sente contente com o que ouve.

    A música é uma arte, ela é criada e interpretada, com um peso sentimental e histórico imensurável, tanto de quem ouve quanto de quem produz, não há como medir a melhor, apenas aquela que mais te faz bem, então não brigue ou se sinta mal com ou pelos outros, fique feliz que cada um esta realizado dentro daquilo que deseja no seu estilo musical e no seu momento de vida.

    O que da vida a Arte, quaisquer que sejam suas formas, somos nós, então porque destruir a arte dos outros?

    39
    • Micro picture
      edufilhote · over 5 years ago · 3 pontos

      Ótimo texto, manolo!
      Cabe uma correção apenas: "O que da vida a Arte, quaisquer que sejam suas formas", de resto, show de bola!

      3 replies
    • Micro picture
      laumiramos · over 5 years ago · 3 pontos

      Muito bom Diogão, Parabéns por esse texto maravilhoso e também pela jornada que se inicia com essa persona que só tem a crescer e ficar gigante.

      Queria destacar dois pontos do seu texto que achei sensacionais e concordo plenamente, que são:

      1- Nesse caso, o que tornaria uma música boa, seria nossas vivencias, lembranças, pensamentos e pontos de vista em relação a vida, até mesmo nossas vontades, então o que é uma boa música hoje, pode não ser uma boa música amanhã?

      Sim, pode ser que a música que você ouve hoje não lhe agrade mais no futuro, porque somos pessoas, estamos em constante evolução e mudanças, existe a chance de nossos parâmetros mudarem com o tempo.

      2- Mas por que conflito?
      (pulei algumas parte e vamos para a resposta)
      Simples, todas querem passar a mesma sensação, felicidade/vontade de dançar, são músicas dançantes dentro de seus retrospectivos estilos, músicas descompromissadas que não tem um porque muito a fundo ou uma letra muito bem estruturada, o foco delas e o propósito é a sonoridade, a diversão, simplesmente se deixar levar naquela sensação que a música te causa.

      Não só esses dois ponto que destaquei, mas, todo o texto se aplica também para os games. Sensacional ^^

      Musica é arte, arte é vida e games nos dão varias vidas.

      Quero ver também varias OST's aqui hein ^^ :p

      Ehnois Diogão! PARAR JAMAIS, ESCREVER SEMPRE!

      3 replies
    • Micro picture
      laisangel · over 5 years ago · 3 pontos

      Uau, parabéns, ficou ótimo ^.^ muito talento com as palavras.

      1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...