2016-11-17 01:02:00 -0200 2016-11-17 01:02:00 -0200
papm22 Galard Malvic

O jogo do ano 2016 - Opiniões

Single 3416289 featured image

Salve salve galera e aqui estamos em um dos momentos que mais gosto da indústria dos games: a nomeação dos indicados ao The Game Awards deste ano e bem ... putz ... sei nem o que dizer dessa vez. Vou deixar o Geoff Keighley falar por mim:

Caso não tenham visto o meu artigo sobre o TGA 2015. A estrutura será basicamente a mesma.

Como de costume, vou comentar sobre alguns indicados deste ano, e também vou fazer algumas reclamações também, já que achei uma nomeações nada a ver. Se o povo do TGA 2014 parecia noiado, o deste ano então, está completamente cheirado em determinadas categoria. Bom, vamos a essa joça agora.

Melhor jogo independente

-Firewatch (Campo Studio)

-Hyper Light Drifter (Heart Machine)

-Inside (PlayDead)

-Stardew Valley (ConcernedApe/Chucklefish Games)

-The Witness (Thelka, Inc.)

Para mim foi a categoria com os melhores indicados. De longe! Todos os jogos presentes são de excelência e merecem ser jogados. Inclusive, fiz um artigo sobre como achei os indies de 2016 sensacionais e expliquei os motivos de achar isto. Contudo, eu ainda discordo dos nomeados. Gostaria muito de ver o Owlboy e o Superhot disputando na categoria. Prefiro esses do que o Stardew Valley e o Hyper Light Drifter (não que as indicações tenham sido injustas, mas por questão de gosto mesmo). Mas o que importa é: Inside e The Witness foram indicados e fiquei muito satisfeito. Portanto:

Quem eu acho que vai ganhar: Inside. É o indie com a maior média do ano, tanto no gamerankings, quanto no metacritic. Além do mais, ele é um excelente game em todos os aspectos técnicos e artísticos. Contudo, ele é bem curto e o fator replay dele acaba logo na segunda zerada, o que me deixa bem triste, já que eu queria ver mais da jornada do moleque de camisa vermelha! Caso queiram saber mais, só ver a análise  que fiz.

Meu candidato: Mas ouso discordar, já que achei The Witness, não só o melhor indie do ano, mas o melhor jogo do ano! O tom existencialista dele é sublime. A sua dificuldade nunca apela para uma memorização e repetição de movimentos dos inimigos. Pelo contrário, ela é gradual e o próprio jogo te induz à curiosidade em explorar a ilha atrás de puzzles anteriores para conseguir compreender os posteriores. Fora os aspectos técnicos de primeira qualidade, como uma engine impecavelmente bela e bem estruturada. Recomendo este jogo a todos amigos e inimigos, e principalmente aos amantes de puzzles!

Maior impacto social

-1979 Revolution (iNK Stories)

-Block’Hood (Plethora Project/Devolver Digital)

-Orwell (Osmotic Studios/Surprise Attack)

-Sea Hero Quest (Glitchers)

-That Dragon, Cancer (Numinous Games)

Confesso o meu desconhecimento em relação à maioria dos indicados nessa categoria, o que é de praxe, já que não gosto muito desse tipo de game. Mas eu preciso comentar sobre That Dragon, Cancer: trata-se da história de um casal cujo filho faleceu prematuramente por causa de um Câncer e para expressar a dor da perda, fizeram um game belo, poético, emocionante e único. Vale lembrar que não é beeeeem um game, eu diria que é mais uma experiência de narração interativa, como foi o Journey, em 2012. Ele é o meu candidato e também acho que vai ganhar. O assunto é impactante e relevante o suficiente e isto será levado em consideração.

Melhor jogo mobile

-Clash Royale (Supercell)

-Fire Emblem Fates (Intelligent Systems/Nintendo)

-Monster Hunter Generations (Capcom)

-Pokémon GO (Niantic )

-Severed (Drinkbox Studios)

Primeiro problema nessa categoria: cadê Pokemon Sun & Moon??? Ahh, tudo bem, ele “saiu” muito em cima da hora, só que já tivemos algumas análises bem positivas  e inclusive, se saiu melhor que o Monster Hunter Generations. Pokemon GO vai levar essa categoria, sem sombras de dúvidas. O impacto que este game causou não foi pouco, várias notícias sobre gente que foi presa, gente que morreu, convenções e citando um fato pessoal, sempre que vou ao meu curso preparatório para a magistratura federal lá no centro do Rio, esbarro com umas 30-40 cabeças reunidas na praça XV para usar o wifi de graça de lá para pegar pokemon. Ninguém tira o prêmio dele.

Melhor jogo de realidade virtual

-Batman: Arkham VR (Rocksteady Studios/WBIE)

-EVE Valkyrie (CCP Games)

-Job Simulator (Owlchemy Labs)

-REZ Infinite (Enhance Games)

-Thumper (Drool)

Como sou um brasileiro comum e pobre, não tenho acesso à realidade virtual. Então, vou de acordo com a informação que obtive na imprensa mesmo. REZ Infinite deve levar essa, já que tem a maior média e agradou mais o público em geral. Só que eu, apesar de não ter um candidato, não concordo, já que ele é o mesmo REZ original, lançado em 2001. O que mudou mesmo foram os controles, mas sinceramente ... tanto faz.

Melhor jogo familiar

-Dragon Quest Builders (Square Enix)

-LEGO Star Wars: The Force Awakens (TT Fusion/WBIE)

-Pokémon GO (Niantic)

-Ratchet & Clank (Insomniac Games/Sony)

-Skylanders: Imaginators (Toy for Bob/Actvision)

Mais uma categoria que não gosto muito pois não faço parte do seu público alvo, mas dessa vez eu fiz, ainda que um pouco. Esta premeia o jogo em que todo mundo pode jogar, da vovó ao cachorro.

Quem eu acho que vai ganhar e meu candidato: Pokemon GO, sem dúvidas. É um jogo gratuito, super simples de se jogar e muito divertido. Não que os outros indicados não estejam de parabéns (tirando o skylanders que todo ano tem um e é mesma coisa do ano passado), mas o Pokemon é de graça, portanto, atinge um público bem cosmopolita, inclusive, àqueles que não gostam de games.

Melhor jogo esportivo/corrida

-FIFA 17 (EA Canada/EA Sports)

-Forza Horizon 3 (Playground Games/Microsoft Studios)

-MLB The Show 16 (SCE San Diego/SIE)

-NBA 2K17 (Visual Concepts/2K Sports)

-Pro Evolution Soccer 2017 (PES Productions/Konami)

Há algum tempo que eu fico rindo dos vencedores dessa categoria desde que ela foi implementada em 2014. No primeiro ano, Mario Kart 8 levou, um jogo de corrida beeeeem arcade e casual. Em 2015 foi Rocket League, que é futebol com carros (que junção mais perfeita que carrinho jogando futebol com uma bola gigante para ilustrar a palhaçada que foi essa categoria?) E este ano não temos ninguém muito engraçado ou diferente para zoar um pouco com um categoria tão zoada como esta. Ahh sim, Forza Horizon 3 vai levar e também é meu candidato, mesmo que a paixão nacional do basquete favoreça o NBA 2K17, FH3 é melhor em todos os aspectos, inclusive, na diversão, o que deve pesar mais na escolha de um júri técnico.

Melhor jogo de estratégia

-Civilization VI (Fireaxis Games/2k)

-Fire Emblem Fates (Intelligent Systems/Nintendo)

-The Banner Saga 2 (Stoic Studio/Versus Evil)

-Total War: Warhammer (Creative Assembly/SEGA)

-XCOM 2 (Fireaxis Games/2K)

FINALMENTE! Ela chegou, demorou muito tempo, mas veio! Sempre senti muita falta de um estímulo ao mercado dos games de estratégia, já que hoje em dia o gênero se encontra mais focado nos MOBAs e surpreendeu bastante neste ano. Ótimos games, ótimas indicações!

Quem eu acho que vai ganhar e meu candidato: Civilization VI. Como diriam os torcedores mais fanáticos, a camisa pesa. É a série mais antiga de Turn Base Strategy (que voltou com toda força neste ano, já que achei XCOM 2 e The Banner Saga 2 espetaculares!), e praticamente única no gênero. Além de estar impecável e melhor que o anterior, tudo o que se espera de uma sequência!

Melhor jogo de luta

-Killer Instinct Season 3 (Iron Galaxy Studios/Microsoft Studios)

-King of Fighters XIV (SNK/Atlus USA)

-Pokkén Tournament (Bandai Namco Studios/The Pokémon Co.)

-Street Fighter V (Capcom)

Ai ai ... vamos por partes: primeiro ponto: cadê o 5º candidato? Cadê o Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm 4 e o Dragon Ball: Xenoverse 2? Por quê eles não foram indicados? Jamais saberemos. 2º: Killer Instinct Season 3? É sério isso? É um jogo de 2013 que tá sendo relançado até hoje e vocês têm a pachorra de indicar??? Nem noia explica isso. 3º: de boa, nenhum dos indicados merece levar porra nenhuma. E vou explicar os motivos:

- Street Fighter V é um jogo que foi lançado incompleto, sem modo história. Para “suprir” a falta de um modo história de verdade, colocaram uma porcaria toda em formato de imagens. Que trabalho porco, na moral...

- Pokkén Tournament: Tentou inovador, mas não conseguiu. Jogo bem fraco. Fora que a sua versão original foi lançada em 2015, somente para arcades no Japão. Mas como o seu lançamento oficial no ocidente foi em 2016 vamos fingir que nada aconteceu ...

- King of Fighters XIV: é o melhorzinho de todos, mas não tem nenhuma inovação. Ser bom repetindo o que fez anteriormente é fácil. Ele é o candidato mais “forte” dentre essas 4 porcarias, mas ainda assim, não merece nada.

Melhor jogo multiplayer

-Battlefield 1 (DICE/Electronic Arts)

-Gears of War 4 (The Coalition/Microsoft Studios)

-Overcooked (Ghost Town Games/Team 17)

-Overwatch (Blizzard Entertainment)

-Rainbow Six: Siege (Ubisoft Montreal/Ubisoft)

-Titanfall 2 (Respawn/Electronic Arts)

Candidatos de menos numa categoria e 6 candidatos nessa... O crack que tavam usando enquanto selecionavam os nomeados tava meio vencido, só pode...

Epa!? O que diabos Rainbow Six: Siege tá fazendo ai? É um game de 2015!!!!

Informação da STEAM não vale? Então toma do site oficial do jogo:

Que amadorismo TGA. Então eu vou DESCONSIDERAR o Siege para uma melhor análise.

De modo geral, gostei bastante dos indicados, acho que todos mereceram a indicação pois o ponto mais forte de cada um deles é o multiplayer. Titanfall 2é a redenção da série; Bf1 a inovação em termos de cenários; Overcooked é o mais inovador, Gears of War 4 não inovou muito, mas também não fez feio e Overwatch é o melhor e mais completo multiplayer dessa geração. Além de ser meu candidato, certamente vai levar a premiação na categoria.

Melhor jogo de RPG

-Dark Souls 3 (Bandai Namco)

-Deus Ex: Mankind Divided (Eidos Montreal/Square-Enix)

-The Witcher 3: Wild Hunt - Blood and Wine (CD Projekt Red)

-World of Warcraft: Legion (Blizzard Entertainment)

-Xenoblade Chronicles X (Monolith Soft/Nintendo)

Noiaram DE NOVO. E desta vez na minha categoria favorita, que já tava zoada este ano. Primeiramente, Xenoblade Chronicles X foi lançado em 2015. 2015!!!! Sério que não conferiram isso DE NOVO!?!?!?

Vamos ao que o site oficial nos diz:

Novamente: vou desconsiderar o Xenoblade, não pq ele não merece, mas por causa do ano de lançamento. Mas sabem do pior? É que tinha candidato para ser indicado sim, e não falo do FFXV que sequer foi lançado. Hyper Light Drifter, World of Final Fantasy e Paper Mario: Color Splash poderiam entrar no lugar do Xenoblade.

Segundo ponto: Blood and Wine, apesar de ser incrível, ainda é uma DLC, assim como World of Warcraft: Legion (uma expansão de um game de 2004). E não da para considerar uma DLC como um jogo completo, por mais que ela mereça ...

Ai fica difícil né? Só sobraram Deus Ex Mankind Divided e Dark Souls 3. E sinceramente? Nenhum dos dois merece: Dark Souls 3 é praticamente a mesma coisa que os antecessores, por mais que isso não seja lá muito ruim, mas NÓS, como público consumidor do gênero, merecemos mais do que isto. Ele continua sendo um game de nicho específico. Já o Deus Ex, apesar de ser um bom game, tiveram alguns erros, como uma história pior que o antecessor, além de, repito, não evoluir muito em relação ao antecessor.

Quem deve ganhar: Dark Souls 3 leva essa, é o rpg com maior média (sem contar com Blood and Wine) e agradou mais de uma forma geral. Mesmo não gostando muito da série souls, acabo por concordar com isso.

Melhor jogo de ação

-Battlefield 1 (id Software/Bethesda)

-Gears of War 4 (The Coalition/Microsoft Studios)

-Overwatch (Blizzard Entertainment)

-Titanfall 2 (Respawn/Electronic Arts)

-Doom

Um breve comentário: por quê eles separaram a categoria melhor jogo de ação/aventura e eliminaram a de melhor shooter? Todos os indicados nessa categoria são shooters. Além disso, 2016 foi um ano muito bom para os shooters e justo no ano em que o gênero se destaca eles mudam de nome? Vai saber...

Uma das poucas categorias que eu gostei de todos os indicados. Nenhum fez feio, mas alguns fizeram mais bonito que outros.

Quem eu acho que vai ganhar e meu candidato: escolha difícil. A disputa ficará entre Doom e Titanfall 2, já que os dois estão indicados ao goty, nada mais justo que um deles ganhe, para não contradizer. Se eu fosse um dos jurados, escolheria o Doom. Não só por ter AMADO o game, mas também por ter a campanha mais completa (principalmente por ela!), bons modos multiplayer, boas atualizações gratuitas e o snapmap! É um jogo bem completo e isto deve ser considerado. Além de achar o mais divertido dentre os indicados. Doom é o mais puro significado de ação que tivemos neste ano.

OBS: só para fazer uma menção honrosa ao Shadow Warrior 2, que além de trazer uma tecnologia nova (o NVIDIA multi-res), o jogo é divertidíssimo! Ele poderia ter sido indicado no lugar do Gears of War 4.

Melhor jogo de aventura

-Dishonored 2 (Arkane Studios/Bethesda)

-Hitman (IO Interactive/Square-Enix)

-Hyper Light Drifter (Heart Machine)

-Ratchet & Clank (Insomniac Games/Sony)

-Uncharted 4: A Thief’s End (Naughty Dog/Sony)

Outra categoria com ótimos indicados. E novamente alguns se destacam mais. Melhor falar dos que não se destacam tanto e os porquês:

-Hitman: o jogo é bom sim, mas isso de ser vendido por pedaços matou o game. Os episódios oscilam bastante. Fora que o jogo é beeeeem bugado.

-Hyper: não tem nada de errado com este daqui, só que o seu valor de produção vai pesar bastante na escolha.

-Ratchet & Clank: é um excelente game com altíssimo valor de produção, mas que é feito para um público alvo. Sem falar que Uncharted 4 ofuscou um pouco o seu lançamento também.

Quem eu acho que vai ganhar e meu candidato: Uncharted 4, sem sombra de dúvidas. Por mais que Dishonored 2 esteja bem à altura de concorrer, a narrativa do Uncharted 4 é impecável e determinante para a escolha.

Melhor design musical e sonoro

-Battlefield 1 (DICE/Electronic Arts)

-Doom (id Software/Bethesda)

-Inside (PlayDead)

-Rez Infinite (Enhance Games)

-Thumper (Drool)

Eu não entendi muito bem essa categoria de início, mas ao ler a sua descrição, “For outstanding audio, inclusive of score, original song, licensed soundtrack and sound design.” fez mais sentido. Só que é estranho uma coisa: a maior parte dos indicados trabalha melhor a direção e mixagem de som do que a trilha sonora propriamente dita (Bf1 e Inside, principalmente). Eu não concordo com a escolha do Rez Infinite, já que a soundtrack dele foi crtl + c e ctrl + v do Rez original.

Também não gostei da trilha do Thumper (muito eletrônico genérico para mim). Logo a disputa ficará entre Doom, Inside e Bf 1 e sinceramente, Doom leva fácil! A trilha do Inside é boa, mas é muito simples e ausente, já que a sensação que o jogo quer te passar é de solidão, então o ponto forte são os efeitos sonoros, e o mesmo ocorre com o Bf1, só que em relação à mixagem de som (que é o quão bem trabalhado é a sobreposição dos sons. Por isso que é muito comum um filme de guerra ganhar óscar nessa categoria).

Já o Doom é muito bom em todos os aspectos: efeitos sonoros, mixagem de som e principalmente, trilha sonora, que é de longe a melhor do ano. Tem até no Spotify para quem quiser ouvir! E isso representa muito bem o que é Doom: rock pesado para te empolgar a estripar demônios! Era assim desde 1993, se apagou um pouco com o 3 e voltou com tudo agora em 2016. Merecidíssimo!

Melhor direção de arte

-Abzu (Giant Squid/505)

-Firewatch (Campo Santo)

-Inside (PlayDead)

-Overwatch (Blizzard Entertainment)

-Uncharted 4: A Thief’s End (Naughty Dog/Sony)

Mais uma categoria com ótimos indicados! Difícil de escolher essa. Mas quando todos são de excelência, essa dificuldade fica bem agradável.

-Abzü: fizeram um oceano poligonal inteiro. Tão vivo quanto o próprio mar.

-Firewatch: um mundo semi-aberto nos canyons estadounidenses, num aspecto cartunesco que não deixa de ser realista ao mesmo tempo. Incrível!

-Inside: escuridão, solidão, angústia e diversão. Parece até que ressuscitaram Alan Poe para ser game designer. Impecável também.

-Overwatch: a direção de arte aqui brilha em relação ao design dos personagens e não tanto para os cenários.

-Uncharted 4: muitos cenários variados, a melhor modelagem 3D de seres humanos, com a melhor expressão facial já vista num game

Quem eu acho que vai ganhar e meu candidato: Uncharted 4, sem sombra de dúvidas. É o melhor e o mais variado em todos aspectos gráficos, seja artisticamente falando ou em relação à sua potência gráfica. Não que os demais não merecessem também, mas este merece mais.

Melhor performance

-Alex Hernandez como Lincoln Clay, em Mafia III

-Cissy Jones como Delilah, em Firewatch

-Emily Rose como Elena, em Uncharted 4: A Thief’s End

-Nolan North como Nathan Drake, em Uncharted 4: A Thief’s End

-Rich Summer como Henry, em Firewatch

-Troy Baker como Sam Drake, em Uncharted 4: A Thief’s End

Mais uma categoria bem bagunçada. Sem desmerecer o belíssimo trabalho de voz do Uncharted 4, mas indicar os três já é sacanagem também. Pq simplesmente não colocaram logo “equipe de interpretação do Uncharted 4” então? E não foi uma ironia, falo sério mesmo. Mas voltando aos indicados, todos foram muito bem, mas eu destaco dois (duas, na verdade): Emily Rose (Elena) e Cissy Jones (Delilah). Eu acho que a Cissy Jones leva essa, pq a dublagem dela foi usada como mecânica de jogo e narrativa. Tudo em Firewatch gira em torno da Delilah e do Henry, mas o motor principal são os diálogos da Delilah. Esse prêmio costuma valorizar isso, já que ano passado Her Story levou pelo mesmo motivo. E sem dúvidas, assino embaixo. E falando nisso...

Melhor narrativa

-Firewatch (Campo Santo)

-Inside (PlayDead)

-Mafia III (Hanger 13/2k)

-Oxenfree (Night School Studio)

-Uncharted 4: A Thief’s End (Naughty Dog/Sony)

Bons indicados novamente. Na verdade, são praticamente os únicos que poderiam escolher (talvez o That Dragon, Cancer ou Hyper Light Drifter no lugar de Oxenfree).

Quem eu acho que vai ganhar e meu candidato: Inside. Difícil de explicar, mas vai fazer sentido e vocês devem gostar. O que todos os demais concorrentes têm em comum? Diálogos bem interpretados, uma história bem amarradinha (na medida do possível). E qual o grande diferencial de Inside? Ele é muito interpretativo e pessoal de cada jogador para jogador. No final das contas, o game é o único que fez algo bem diferente dos demais (não que Firewatch e Uncharted 4 tenham uma narrativa lá muito convencional também, já que ambos possuem grande carga dramática) neste aspecto, sendo o seu ponto mais positivo e superior que os demais indicados.

Antes de ir para as duas últimas categorias, alguns comentários e críticas:

1)O site do TGA 2016 tá muito ruim! Ficou muito mais confuso e lento de se navegar nele. Por isso recomendo que cliquem direto neste link daqui (http://thegameawards.com/nominees/ ) para se dirigir aos indicados.

2) Categorias de voto popular eu nunca me importo muito. Só gostei do Angry Joe ter sido indicado como TRENDING GAMER deste ano

2.1) Não tinha notado, mas tem um brasileiro competindo no BEST ESPORTS PLAYER, o COLDZERA. Achei legal isso.

2.2) A palhaça sem graça da Nintendo mandou retirar Pokemon Uranium  e o Project A2MR da categoria Best Fan Creation. Que merda.

3)E sobre o jogo mais esperado: só jogão!!! No meu caso, é o Red Dead Redemption 2, sem sombra de dúvidas!

4)Pq na hora dos indicados a melhor desenvolvedora do ano colocaram foto dos seus games e não do logo da empresa como sempre fazem? Ficou bem zoado isso.

Melhor estúdio e direção

-Blizzard, por Overwatch

-DICE, por Battlefield 1

-ID Software, por Doom

-Naughty Dog, por Uncharted 4: A Thief’s End

-Respawn, por Titanfall 2

Era o esperado já. Só preferia ter visto a Playdead ser indicada no lugar da DICE. Eles fizeram tudo de forma completamente independente e o game deles foi indicado ao goty enquanto que o Bf1 não.

Quem eu acho que vai ganhar: Naughty Dog. DE NOVO. Uncharted 4 é um trabalho impecável em todos os seus aspectos, seja graficamente falando, quanto na narrativa com boa carga dramática. Porém não vi muita inovação que fosse além do contar de sua história (que nem foi tanta assim, já que pegou muito de The Last of Us). Gráficos espetaculares e a mesma mecânica de sempre já são costumeiros nesta empresa então, cadê “ (...) outstanding creative vision and innovation in game direction and design” da descrição da categoria?

Meu candidato: ID Software! Não é só pelo trabalho em Doom que faço a minha escolha, mas sim por todo o legado revolucionário que a ID carrega. Ver a empresa-pai do gênero mais presente dentre os indicados, os shooters, levando esse título, além de ser um grande reconhecimento iria ser muito justo também por achar que inovou e evolucionou bastante com o novo Doom, principalmente por passar toda a sensação da velha guarda misturada com mecânicas atuais (isso sem falar na id tech 4, que deixou o jogo em 1080p e 60fps lisinho em todas as plataformas, com raras quedas de frames). E neste ano, só ela e a Blizzard que vi fazer isso. E como gostei mais do Doom, vai para ele.

E FINALMENTE, O JOGO DO ANO ...

Doom

Inside

Overwatch

Titanfall 2

Uncharted 4: A Thief’s End


Sobre os indicados, até que achei justo ... Mas trocaria o Titanfall 2 pelo Dishonored 2, pq é um jogo bem melhor em todos os aspectos, diferente dos demais games (porém parecido com o 1º), ótimas médias, melhores que as do Titanfall 2 inclusive além de ser bem divertido.

OBS: se o Forza Horizon 3 fosse indicado, também acharia bem justo. Mais que Titanfall 2.

Também preferiria ver o The Witness no lugar de Inside. Achei um game bem melhor em todos os aspectos, mais completo e não menos interpretativo e pessoal. E ele foi o meu game favorito do ano tb, empatado com a DLC do The Witcher 3, Blood and Wine.

E fiquei MUITO feliz por ver Doom sendo indicado. Mereceu demais!

Quem eu acho que vai ganhar: Uncharted 4: A Thief’s End, sem sombra de dúvidas. Ele é completo, lindo, divertido, envolvente e tecnicamente impecável, tem de tudo para ser um game of the year. Maaaaas...

Meu candidato: Doom ou Inside. Eu realmente acho o Uncharted 4 impecável, mas achei ele menos divertido que o Doom e inovador que o Inside. Qualquer um dos dois que ganhar irei ficar satisfeito, já que são jogos que fogem bastante dos padrões atuais e além de que, adoraria ver um indie ganhando o goty ou um game da principal franquia, da principal empresa que revolucionou o gênero first person shooter. Fora que achei o Uncharted 4 bem parecido com o Among Thieves.

Resumindo: Doom e Inside foram mais memoráveis para mim, então merecem sim o goty deste ano, na minha humilde opinião.


E agora um desabafo: mais uma vez tivemos um ano muito aquém do esperado. Bem fraco, sem muita inovação ou mesmo aquele lançamento que foi tão bom e memorável a ponto de ser quase unânime, como foi em 2015 com The Witcher 3: Wild Hunt. Isso tem uma explicação, ao qual falei no meu artigo sobre os indies, mas vou novamente citar aqui. Mudanças de tecnologia. É o WiiU falindo, o Switch chegando, ps4 slim, pro, Xbox scorpio, Windows store integrada em pc e Xbox one na mesma conta, oculus rift e o Playstation VR ... mas e os jogos de qualidade? Cadê? Tanta tecnologia nova assim para que? Servir de peso de papel? Isso sem contar com as decepções que foram Mirror's Edge Catalyst, Mafia III e No Man's Sky. Tudo isso gerou uma série de publicações e incertezas pela internet:

http://games.tecmundo.com.br/noticias/coluna-geracao-fail-estamos-orfaos-jogos-marcantes-refens-hype_825731.htm

É claro que eu não sou tão alarmista assim, mas os caras têm bastante razão. 2014 (http://alvanista.com/papm22/posts/3250355-o-ano-em-foco-2014-o-pior-ano-dos-games) foi um ano muito fraco também. 2015 foi muito bom, mas por conta de pouquíssimos lançamentos que fizeram a diferente. E 2016? Bem, de fato muita coisa boa ficou de fora, como Pokemon Sun & Moon e Watch_Dogs 2, fora o que estar por vir, como o Final Fantasy XV e The Last Guardian. Por isso que ainda não da para dizer se foi ou é igualmente fraco como 2014, mas se esses lançamentos falharem, a resposta está muito próximo do sim.

Também não vou culpar o TGA 2016 pela ausência destes em razão da data de lançamento, já que o evento estava marcado desde a metade do ano, mas bem que eles poderiam ter postergado o evento né? 1º de dezembro foi muito cedo. Parece até que queria se livrar logo ...

Por fim, eu vejo uma luz no fim do caminho: 2017 será o 4º ano da 8ª geração e no geral, é sempre um bom ano para os games, tal qual foi 2004 e 2010. Mas com o que temos até então, ainda se deve muito. Infelizmente.

Uncharted 4: A Thief's End

Platform: Playstation 4
2405 Players
661 Check-ins

26
  • Micro picture
    msvalle · about 3 years ago · 4 pontos

    Parabéns pelas ótimas análises. Dos candidados o único que joguei foi Uncharted 4, e apesar de ter gostado bastante, ele realmente é um "mais do mesmo" que, apesar de extremamente bem feito, não tem aquela inovação surpreendente.

    1 reply
  • Micro picture
    rafaelgens · about 3 years ago · 3 pontos

    Stardew Valley é excelente demais,pra mim ele merece como melhor indie,e o R6 entro esse ano por causa da data,saiu emcima da hora,entao ano q vem teremos o FF XV e o TLG na TGA 17 entao nao se espante

    1 reply
  • Micro picture
    marviiu · about 3 years ago · 2 pontos

    Uma observação ao seu texto: Os jogos indicados possuem um limite de datas para poderem concorrer. Jogos como Siege e Xenoblade foram lançados em dezembro do ano passado, mês que os qualifica para participarem da competição neste ano. Do mesmo jeito que FFXV e The Last Guardian, poderão ser candidatos em 2017.

    5 replies
  • Micro picture
    kelly_cml · about 3 years ago · 2 pontos

    É pra mim só a de 2015 parecia mais séria mesmo, como você disse as edições de 2014 e 2016 estão bem noiadas. Isso de expansão competir com jogo inteiro é realmente estranho. E ficou estranho mesmo eles pegarem jogos do fim de 2015, veremos se ano que vem pokemon sun/moon vai está na lista. Acho que já deviam ter separado algumas categorias como esportes e corrida, e mobiles e portáteis.

    1 reply
  • Micro picture
    anderson_costa · about 3 years ago · 2 pontos

    Melhor design musical e sonoro
    Eu ia votar no Battlefield 1, mas eu confesso que o @papm22 me convenceu do contrário, realmente o Doom está com uma trilha sonora bem empolgante e que te deixa agitado, até mesmo pelos teasers podemos sentir isso.
    Meu voto vai para o Doom.
    (Se bem que depois de Valiant Hearths, tudo parece inferior T.T)

    Ganhou um seguidor!!!!!

    2 replies
  • Micro picture
    dr_boss · about 3 years ago · 2 pontos

    Os únicos que não joguei que concorrem ao jogo do ano são Overwatch e Inside, eu fico com Uncharted porém, acho injusto DS3 não fazer parte dessa e de outras listas (exceto RPG).

    3 replies
  • Micro picture
    brunothebigboss · over 2 years ago · 1 ponto

    Será mesmo que essa é a pior geração de consoles da história?
    http://alvanista.com/brunothebigboss/posts/3478340-estamos-na-pior-geracao-de-consoles

Keep reading → Collapse ←
Loading...