Você não está seguindo netobtu.

Siga-o para acompanhar suas atualizações.

Seguir

  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-12-26 13:21:30 -0200 Thumb picture
    <p>O Super Nintendo foi o primeiro console que tive - Alvanista

    O Super Nintendo foi o primeiro console que tive. Ganhei por volta de 1994 ou 1995, não me lembro. Só tenho lembranças boas desse console, em especial jogando The Legend of Zelda: A Link to the Past, lá pelos idos de 1998 (eu não tive um console mais novo até 2000, quando ganhei meu N64), eu com meus 8 anos de idade... Aluguei a fita (que saudades das locadoras) e não conseguia passar do castelo, fugindo com a Zelda... Minha mãe que descobriu! Eu me lembro de acordar uma noite e ela estar no quarto jogando, empurrando a pedra da sala do trono. Fiquei de cara com aquilo, é uma das lembranças mais vivas que eu tenho dessa época.

    Mas aí eu resolvi vender o console, com um monte de jogo legal, tipo o próprio Zelda (que comprei da locadora um tempo depois, juntando as moedinhas que minha avó me dava todo fim de semana, que eu guardava em um cofrinho dos 101 Dálmatas [saudades do Neto que guardava dinheiro, também, inclusive]), Yoshi's Island, Killer Instinct, Donkey Kong Country 3... Lá pela época do PS2. Vendi a preço de banana pra uma tia, que depois repassou pra alguém e, enfim, hoje meu SNES antigo deve já ter virado lixo ou está sabe-se lá onde.

    E era um dos meus maiores arrependimentos. Não ter meu SNES mais. Mas hoje isso mudou. Eu mesmo me presenteei nesse Natal. Vi no OLX na caixa, com isopor, funcionando lindamente, a um preço que não era o rim que cobram por um SNES nesse estado...

    E agora eu estou novamente com o meu console mais querido. Conforme o tempo for passando, vou adquirir os jogos que mais gostaria.

    Super Mario World

    Plataforma: SNES
    26070 Jogadores
    354 Check-ins

    43
    • Micro picture
      onai_onai · 1 ano atrás · 1 ponto

      Bela aquisição!

    • Micro picture
      claujr · 1 ano atrás · 1 ponto

      Caraca, que massa - com caixa ainda! Parabens pela aquisicao, meu caro!

    • Micro picture
      tassio · 1 ano atrás · 1 ponto

      Daora. Tenho lembranças boas com o SNES também apesar de nunca ter tido um.

  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-06-29 11:16:17 -0300 Thumb picture

    [Primeiras Impressões] Nintendo Switch

    Bom, amigos, três dias usando o Switch bem moderadamente, acho que é legal eu falar um pouco sobre o que estou achando do meu mais novo Nintendo...

    -> O fato de ser híbrido é ótimo e acho que é o maior trunfo desse console. Vejam só, comprei segunda-feira, hoje é quinta-feira e eu só fui em casa ontem à noite, mas já pude desfrutar de todos os jogos que comprei desde segunda-feira... se fosse um console de mesa, eu já teria infartado de vontade de jogar... felizmente posso fazê-lo na excelente telinha do console.

    -> Vem tudo muito bem embaladinho dentro da caixa, que é pequena para padrões de consoles de mesa. O tamanho diminuto do console contribui para isso, mas dentro da caixa tem bastante coisa: 1 Nintendo Switch, 1 Joy-Con direito, 1 Joy-Con esquerdo, 1 cabo HDMI, 1 fonte carregadora, 1 grip para Joy-Cons, 2 straps para Joy-Cons, 1 dock station (essa vem até num plástico-bolha).

    -> Logo que liguei o console no hotel já fui fazendo meus cadastros, entrando na internet e rapidamente fiz download de atualização de console para poder usufruir das funções online dos jogos. O processo de download e instalação da att foi super rápida.

    -> Enquanto isso, fui mexer no Pro Controller, mas vi que exigia uma carga, escrito na caixa isso, antes do primeiro uso. Coloquei pra carregar e aí fui mexer no Switch. Depois que carregou, pareei rapidamente pelo menu do Switch e funcionou de boa. O controle é muito bom e macio nos botões.

    -> O sistema é ultra, mega, thunder simplificado, e os pop-ups, notificações e menus rápidos lembram bastante Android. Mas tipo, é super simples MESMO, do tipo de que se vc quiser fazer algo no console além de jogar e mexer no eShop não tem. Senti falta de features do 3DS e Wii U de monitoramento de atividade, de quantas horas cada jogo, por dia, mês e ano foram jogados e etc... talvez tenha e eu não achei. O fato de ser simplificado e enxuto deve ser o que o faz ser tão rápido. As transições de jogo para o menu Home, ou de ligar o Switch ou de voltá-lo do standby direto para o jogo que está em suspensão são extremamente rápidas. Tirar screenshot também é instantâneo, sem nenhuma demora.

    -> Essa simplicidade toda me faz sentir que tem algo faltando, é como se eu estivesse com um protótipo do Switch ainda, de tão limitadas que são as funções. Eu não tenho como mandar mensagem para um amigo, não tem mais o "canal" de estatísticas, que foi tão legal no Wii U e 3DS. Eu acredito que em breve vamos ter mais features, em especial quando o serviço online pago do Switch começar. O fato é que após uma geração enorme com consoles cheios de funções e multimídia, além dessa atual de PS4, Xbox One e Wii U, é esquisito pegar e mexer em um console tão limitado nesse ponto... Mas a fluidez e rapidez de se fazer tudo compensa essa escassez de funções e recursos.

    -> A eShop também é muito simplificada e a Nintendo precisa desde há muito tempo melhorar esse aspecto, mas o fato de ser bem menos poluída do que a do Wii U já é uma vitória. E o fato de poder comprar em QUALQUER eShop é ótimo pra nós brasileiros, que temos que driblar da alta do dólar. Ah, e há de se notar que ela é bem rápida na navegação também.

    -> Boa duração de bateria, em minha opinião. Joguei antes de ontem sem dockar por mais de 2 horas, parando, deixando em standby, voltando, tirando jogo, pondo jogo, fazendo várias coisas, e quando parei tava com 35% ainda. Achei sossegado.

    -> Usei os Joy-Cons acoplados no Switch, no grip e soltos, um em cada mão, e os achei bastante funcionais e extremamente leves (o que pesa mesmo é o próprio Switch). Não senti muita coisa de diferente nas vibrações do controle, mas talvez não tenha jogado nada que me desse essas impressões de gelo no copo, água e afins... Na Grip, seja a carregadora ou a outra, eu achei um tanto estranho, pois ficam estranhamente próximos, é um controle menor, com uma ergonomia diferente. Se vai ser um empecilho jogar com a grip, só o tempo dirá, requer que eu teste mais.

    -> Usei a dock só ontem e ficou bem satisfatório. Pra jogar no Pro Controller é excelente, e o Zelda é um jogo pra ser jogado muito mais na telona do que na telinha, pela exuberância das paisagens. A tecnologia de tirar da dock e já aparecer direto na telinha do Switch sem firulas (ou vice-versa) é realmente impressionante e uma mão na roda: Desburocratizar procedimentos para o usuário é algo a ser almejado por toda empresa de tecnologia, e a Nintendo fez justamente isso nesse ponto. Tudo é muito user-friendly.

    -> O Zelda joguei até chegar em Kakariko, que é a área que mais sofria no Wii U, e senti apenas uma leve queda de framerate, bem mais suave do que no Wii U, e logo depois ficou estável.

    -> ARMS também funciona bem no modo portátil, mas eu acredito ser um jogo de telona grande (porém ainda não consegui jogar dockado), pois ele tem todo um quê de esporte grandioso, pelas arenas, pela música, efeitos sonoros... o jeitão é de jogo para bastante gente jogar e curtir juntos. Devo salientar que é um dos jogos mais difíceis que já joguei na vida, e que é extremamente profundo em suas mecânicas e customização de tipo de luta com os diferentes braços disponíveis.

    -> Não tive tempo de jogar o Mario Kart 8 Deluxe, só coloquei no console e vi que funcionava e boa.

    Devo concluir que é ótimo ter um console com exclusivos grandes de mesa da Nintendo possíveis de serem jogados em modo portátil. Acredito que isso veio de testes dos Zeldas, Star Fox e afins de N64 saindo no 3DS e que tiveram ótima aceitação.

    E o futuro é sólido para o console. Não, o Switch não vai ter Battlefield, Battlefront, não vai ter um novo Bioshock e nem Red Dead Redemption 2. Mas vai ter todo o suporte first party da Nintendo e também todo o suporte das thirds em jogos de portátil, que sabemos que os da Nintendo têm aos montes e de bastante qualidade, e agora com qualidade gráfica bem melhor, para poder se adaptar ás grandes TVs.

    A película de vidro e a case chegaram ontem, comprei no Mercadolivre. Mais tarde vou levar o console e a película numa loja aqui da cidade para aplicarem, pq eles manjam mais e eu tenho medo de deixar bolhas. Não tem nas fotos também o Charging Grip, que comprei depois em outra loja.

    Em breve, tipo daqui uma semana, faço uma review maior do console, caso alguma opinião mude ou eu descubra coisas novas...

    Abraços.

    The Legend of Zelda: Breath of the Wild

    Plataforma: Nintendo Switch
    642 Jogadores
    298 Check-ins

    58
    • Micro picture
      polarxenon · mais de 1 ano atrás · 2 pontos

      É um console que eu penso em pegar futuramente... Me atrai muito essa ideia de Virar Portátil tão rapidamente e tals! Sua Pequena Review ficou muito boa!

      1 resposta
    • Micro picture
      mardones · mais de 1 ano atrás · 2 pontos

      Sonhando com o meu. O fato dos menus simplificados que vc mencionou é bem intrigante, mas pra mim é algo positivo. Tipo as vezes é tanta coisa que jogar fica sendo só mais uma. Não tô criticabdo, mas a Nintendo no meu ponto de vista acerta ao focar 100℅ no game play.

      2 respostas
    • Micro picture
      pokeall · mais de 1 ano atrás · 2 pontos

      Desculpe pela pergunta mas onde o senhor comprou e quanto foi o console ?

      4 respostas
  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-05-26 18:49:29 -0300 Thumb picture
    netobtu fez um check-in em:
    <p>Checkout de zeramento.</p><p>#img#[431555]</p><p - Alvanista
    Prey (2017)

    Plataforma: PC
    39 Jogadores
    29 Check-ins

    Checkout de zeramento.

    Um dos finais né... são 3, pelo que vi.

    O jogo é excelente, mas deixa a peteca cair e fica um pouco irritante no final, mas não tira o brilho. Pena que dificilmente veremos um segundo Prey (reboot).

    Abs.

    9
  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-05-25 14:05:08 -0300 Thumb picture

    Upgradeei meu PC!

    Meu i5 3570k véio de guerra, de 5 anos de idade, já mostrava sinais de idade... então migrei pra AMD, com o Ryzen 5 1600!

    Aí em cima o pc aberto.

    30
    • Micro picture
      _gustavo · quase 2 anos atrás · 2 pontos

      Massa ^^ Parabéns cara =D
      Eu não aguentei esperar os Rysen e fui de Skylake mesmo com o i5 6500 fim do ano passado

      3 respostas
    • Micro picture
      tassio · quase 2 anos atrás · 2 pontos

      To pensando em ir futuramente de AMD no processador também. Parabéns aí!! Vai ficar daora!

      1 resposta
    • Micro picture
      david_henrique · quase 2 anos atrás · 2 pontos

      parabéns man, eu vou trocar minha placa de vídeo no natal.

  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-05-25 00:52:42 -0300 Thumb picture
    <p>Um dos meus maiores arrependimentos é não ter fe - Alvanista

    Um dos meus maiores arrependimentos é não ter feito review de Dishonored 2, que foi o meu jogo favorito do ano passado... 

    Tá difícil essa vida adulta... ela está atrapalhando meus games.

    12
  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-05-10 11:45:51 -0300 Thumb picture

    Desafio: Primeiros Check-ins

    Achei legal esse @desafio que vi o @staralchemist fazendo.

    FarCry 3 foi o único que zerei nessa época aí mesmo... Hitman Absolution jamais zerei, bem como Patapon 3. Minish Cap viria a zerar algum tempo depois!

    14
    • Micro picture
      lica · quase 2 anos atrás · 2 pontos

      Legal relembrar esses jogos! Além da sua lista estar bem diversificada. ;)

      2 respostas
  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-05-09 11:55:02 -0300 Thumb picture

    [PRIMEIRAS IMPRESSÕES] PREY

    Umas 6 horas de jogo já, acho que já deu pra pegar bem o estilo e falar melhor sobre.

    -> Os gráficos são no máximo aceitáveis. Não tem nada de lindo, mas a direção de arte hi-tech misturado com um pouco de clássico forma um contraste muito bom para a proposta do jogo.

    -> A sonoplastia do jogo é um primor, te deixando tenso a todo momento. Barulhos de rachaduras estourando no casco da nave de Talos I, sons de tensão quando tem um inimigo por perto, trilha sonora incidental que vai ficando cada vez mais tensa dependendo do que está ocorrendo. Nada de novidade, mas muito bem executado, o que deixa Prey um jogo ainda mais tenso. Ah, e o jogo tem barulhos específicos dependendo do que ocorre, como completar um objetivo ou coletar algum item importante... Eu adoro esses sonzinhos.

    -> A trilha sonora é boa, e aparece em vários momentos. Por enquanto, poderia ser melhor e mais presente, mas ainda assim ela é ouvida em grande parte do tempo durante a exploração de Talos I, tudo a depender do ambiente em que nos encontramos, ou de quando engatilhamos uma batalha.

    -> A história do jogo é misteriosa o suficiente pra te deixar querendo saber como agir. Lembra bastante Bioshock nesse ponto, pois os objetivos principais e conversas importantes vêm através de contatos por voz de January, outras vezes por December e outras, ainda, pelo irmão de Morgan Yu, que também trabalha na espaçonave. A diferença para Bioshock aqui é que, do que estou entendendo, ao final eu terei a oportunidade de escolher o que fazer, até mesmo pelo gameplay bastante livre.

    -> Logo ao chegar ao átrio da Talos I, o jogo já me informou que eu estava livre para seguir para onde quiser. A lá Metroid, no entanto, temos vários locais com travas que só podem ser abertos depois, desde que tenhamos alguma habilidade ou algum cartão de acesso ou senha. Outros, ainda, possuem mais de uma entrada ou podem ser entrados de outra forma não convencional, como ocorre em Deus Ex e Dishonored.

    -> Apesar de aparentar estar vazia (com a exceção dos alienígenas), Talos I possui centrais de segurança que te informam sobre a tripulação, e te informando onde estão os membros mortos e os vivos. Até agora só achei um vivo, mas vários mortos (do que me lembro, cada cadáver espalhado por Talos I têm um nome próprio e uma função que desempenhava ali - e deve haver alguma conquista por encontrar todas as pessoas, vivas ou mortas, no jogo).

    -> O jogo adota principalmente elementos de survival horror e immersive sim, com munição bastante limitada e exploração para conhecer a nave e obter materiais, mais munição, plantas para construção de aparelhos, armas e munições, cartões de acesso a partes trancadas, neuromods e muito mais.

    -> Caso o jogador explore bastante, a recompensa principal são itens que podem ser reciclados em unidades recicladoras, que dão matérias primas que podem ser revertidas em munições, neuromods e outros.

    -> O jogo possui uma skill tree com poderes que são habilitados através da instalação de Neuromods, que são encontrados pela nave e/ou fabricados pelo próprio jogador. As skills mais básicas temos disponíveis para instalação desde o início, como mais saúde, maior rendimento de med kits, mais força para levantar objetos mais pesados, capacidade de consertar coisas quebradas pela nave, e muitos outros. Após um determinado ponto, podemos obter upgrades alienígenas, como transformação em outros objetos (mímese), explosão telecinética... esse ponto é tipo um Megaman, é obter o poder do inimigo.

    -> Para obter esses poderes aliens, temos que escanear vários deles, e assim vamos habilitando novos poderes na Skill Tree, usando um aparelho de escaneamento próprio dos funcionários da nave. Não somente aliens, mas também podemos escanear máquinas e outros sobreviventes, dando informações de fraquezas e imunidades. Lembra bastante Metroid Prime e Bioshock nesse ponto, mas com o twist de habilitar novas skills.

    -> Apesar das skills aliens serem divertidas e fortes, um personagem me avisou que, quanto mais skills alienígenas eu instalar, mais a nave vai me reconhecer como alien e vai querer me matar com suas torretas e seguranças. Bom, eu to tentando não instalar muitas dessas, porque já bastam os aliens de inimigos...

    -> O jogo é bem difícil, especialmente no começo. Jogando no hard (tem uma dificuldade acima, ainda), o jogo apresenta um bom nível de dificuldade... encarar os inimigos francamente é um erro, e isso faz com que a cada virada de esquina eu fique com medo de me deparar com um Fantasma ou que um Mímico surja do nada (os Mímicos são os inimigos mais trolls do jogo, visto que se transformam em qualquer objeto e é difícil saber onde ele está, e aí de repente eles voltam à sua aparência alienígena e começam a te dar dano, é sempre um susto e uma correria danada, especialmente quando o Mímico sai correndo, entra em uma sala e se transforma em algo antes que você consiga ver). Portanto, o stealth acaba sendo o meu caminho, apesar de eu achar que depois de pegar o jeito não deve ser tão difícil de encarar francamente os inimigos. E pelo que li por aí, até no Normal o jogo é difícil.

    -> Para derrotar os inimigos temos bombas, armas de fogo e até mesmo uma chave inglesa (ó o Bioshock aqui de novo), mas o aparelho mais útil acaba sendo a Gloo Canon, que é um canhão que atira uma espuma branca que solidifica, e ela serve tanto para criar plataformas até locais antes inacessíveis quanto para paralisar inimigos, habilitando dano crítico quando o acertarmos.

    -> O jogo tem várias missões paralelas, um tanto de backtracking e muita exploração, e tudo isso é muito recompensador e a Talos I é muito bem construída, e cada local é bem pensado com bastante Lore. Temos também partes em Gravidade Zero, o que é um diferencial.

    Eu estou gostando bastante do jogo, amigos. Não é nenhum jogo revolucionário, mas é tudo muito bem feito em tudo e tem excelentes influências. Espero que venda bem no longo prazo.
    Prey (2017)

    Plataforma: PC
    39 Jogadores
    29 Check-ins

    9
    • Micro picture
      _gustavo · quase 2 anos atrás · 1 ponto

      Eu queria comprar ele, mas ta muito perto de Junho, e Junho = Sale da Steam kkkk. Provavel que pegue no fim do ano, ou se ele pegar uns 30% de desconto antes, oq seguindo o padrão da Bethesda é provavel q aconteça

      3 respostas
    • Micro picture
      healy · quase 2 anos atrás · 1 ponto

      O jogo parece ser muito bom, esperar lançar a mídia física!

      5 respostas
  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-04-26 07:33:33 -0300 Thumb picture
  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-03-24 10:26:48 -0300 Thumb picture

    Amigos, analisem meu vídeo

    Pessoal, é o primeiro video-review que eu faço. Foi mais para testar edição de vídeos, áudio, se eu conseguia gravar e tal... o texto é o mesmo que escrevi na minha review, e eu sei que não é próprio de um video review... os próximos eu vou fazer textos dedicados para vídeos.

    Gostaria que vcs analisassem e me falassem o que acharam, se tem futuro, se está legal, ruim... enfim, critiquem.

    Obrigado!

    The Legend of Zelda: Breath of The Wild

    Plataforma: Wii U
    727 Jogadores
    504 Check-ins

    14
    • Micro picture
      kyle · quase 2 anos atrás · 2 pontos

      Assisti os primeiros 5 minutos e gostei. Me inscrevi no canal e desejo sucesso!

      1 resposta
  • netobtu João Paulo Bonome Neto
    2017-03-20 21:31:34 -0300 Thumb picture
Continuar lendo &rarr; Reduzir &larr;
Carregando...