2016-12-21 00:20:06 -0200 2016-12-21 00:20:06 -0200
netobtu João Paulo Bonome Neto checked-in to:
Post by netobtu: <p>#img#[379088]</p><p>Vocês já devem ter me visto
The Last Guardian

Platform: Playstation 4
815 Players
115 Check-ins

Vocês já devem ter me visto reclamando bastante de excesso de historinhas em jogos, melhor, de excesso de jogo tirando o controle das minhas mãos.

Pois bem, The Last Guardian tem uma história minimalista, com um narrador de fundo que aparece super pouco, e as únicas palavras do jogo, além do narrador, são do próprio menino falando com o Trico, que não responde com palavras.

O jogo tem um gameplay simplório, exceto pela IA do bichão, que é do cacete e interage bem demais com o cenário e conosco. De resto, um puzzle com alguns momentos de tensão... no geral, um pet simulator. 

Pois bem, eu queria dizer que eu simplesmente adoro a história desse jogo. Sim, ela praticamente não existe, e isso faz um bem danado ao jogo, porque todo o enredo é construído ao redor desse universo misterioso, deixando tudo a cargo do jogador, à sua subjetividade. Quem são as armaduras? O que são essas ruínas? Quem é o menino? O que é o Trico? 

Eu simplesmente AMO um jogo assim, cheio de história implícita, escondida, obscura, onde minha imaginação possa voar. Um jogo centrado em um personagem, no que toca ao enredo, pode ser agradável, mas intrigante e instigante assim, é difícil. E é isso que me faz não querer parar de jogar The Last Guardian. Sei que o jogo não vai me revelar nada, mas ele vai me MOSTRAR mais coisas.

Show, not tell. Isso é algo que poucos jogos fazem. Os jogos de Fumito Ueda (Ico e Shadow of the Colossus) são assim desde sempre. Outro jogo completamente centrado em seu universo, com um enredo que depende completamente dele, é Dark Souls. Procure por vídeos de lore do jogo, é inacreditável o tanto de informação que o jogo te mostra no cenário, nos itens, até mesmo na indumentária de NPCs, chefes, inimigos... 

Eu me lembro de quando joguei Shadow of the Colossus, na época do Orkut, e que ficava vendo a comunidade do jogo, onde rolavam altas conversas de teorias sobre ele. Era espetacular, como a vida útil do jogo aumentou devido a isso. Tinha gente que chegava ao ponto de analisar blocos de textura de parede do jogo, pois até nisso poderia ter alguma pista. Tinha um youtuber, chamado Pikol, que virou o jogo do avesso (literalmente, foi visitar o outro lado do cenário através de bugs e debug mode), foram anos e anos trabalhando em suas descobertas. Isso sem falar no 17º colossus, né? Tinha gente que jurava de pé junto que tinha visto, vislumbrado pelo cenário, e era tão legal ler essas coisas.

Por mais jogos que me façam ficar com a cabeça a mil pensando "no que tá conteseno"!

12
  • Micro picture
    jeanzelda · almost 3 years ago · 2 pontos

    Vejo alguns mimi por causa da demora absurda pra esse jogo sair/cancelado e não cancelado/ai lança vejo mais mimi/gostei da sua análise sem spoler/compra garantida minha pra Janeiro de 2017/

    2 replies
  • Micro picture
    marcusmatheus · almost 3 years ago · 2 pontos

    Acredito que seja MUITO difícil construir um jogo desse tipo, que consegue prender o jogador. Ueda é mestre nesse estilo de narrativa, e não tem como falar de jogos com "história escondida e subjetiva" sem lembrar do Dark Souls né, kkkkk. Boa menção.

    Não me lembro de algum jogo que tenha me deixado focado na lore por tanto tempo quanto Dark Souls - toda a trilogia.

    Shadow Of The Colossos, na época em que joguei, não tinha computador ainda e nem sabia da existência destes fóruns de debates. Tudo passou batido por mim. Lembro de achar que tinha entendi a história - algo como um sacrifício - a alma do herói pela alma da donzela (ao menos foi o que sempre me pareceu. ^_^

    Quando jogos assim são bem feitos você joga novamente apenas pela lore.

Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...