You aren't following molinsky.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-12-26 01:39:59 -0200 Thumb picture
    molinsky checked-in to:
    Post by molinsky: <p>Passamos um Natal recluso dentro de casa: eu, mi
    Tiny Toon Adventures: Buster's Hidden Treasure

    Platform: Genesis
    785 Players
    4 Check-ins

    Passamos um Natal recluso dentro de casa: eu, minhas irmãs e minha mãe. Tudo muito diferente, mas seguros. Isso que nos importava.

    Então resolvi fazer uma viagem no tempo. Sem troca de presentes, lembrei que eu tinha adquirido alguns jogos de Mega Drive lacrados há alguns anos e, por alguma razão, esquecido completamente. E um dos jogos era do Tiny Toon, que eu e @tinahorta alugávamos demais (e nunca zeramos). Por que não nos presentear então abrindo o jogo? Não me importava o valor de revenda etc, eu queria ter essa sensação de novo, de abrir um jogo de Mega Drive novo na noite de Natal.

    E puxa vida, foi frustrante ontem. Abri a caixa (Tininha não quis, ela queria gravar eu abrindo) e... o jogo não funcionou. Eu tinha testado o videogame antes e não teve problema. Então era problema do jogo. Quando vi, um dos pinos estava meio derretido e oxidado, fazendo uma ligação em outro pino. Tentei limpar tudo e nada.

    Então eu e Tininha resolvemos abrir outro jogo lacrado que tinha aqui, mas que a gente nunca jogou: "AAAHH!! Real Monsters". Foi bom, mas o jogo era difícil (pros nossos padrões de sono) e mais fraquinho... mas foi boa a sensação de ver um jogo diferente do Mega Drive.

    Quando foi hoje, resolvi fazer o jogo do Tiny Toon funcionar. Eu percebi que o cartucho em si tinha uma qualidade diferente. Comparando com o cartucho de "AAAHH!! Real Monsters", estava claro que aquele "Tiny Toon Adventures" foi fabricado pela Majesco. Detalhes como o manual com capa em P&B entrega que a Sega não fabricou essa unidade. Triste.

    Depois de muita limpeza, lixada e testes com multímetro, o jogo deu boot, mas travou na logo da Konami. Achei que tinha dado um curto no jogo ou que precisava de mais limpeza, mas acabei descobrindo que a Konami não se dava ao trabalho de colocar um aviso de que o jogo era apenas para consoles de um região (só travava a logo mesmo). Sendo meu Mega Drive um console japonês e o jogo americano, coloquei meu adaptador Magic Key para trabalhar... sem sucesso. Tentei colocar na região dos EUA, do Brasil, do México (!) e outros. Foi quando resolvi tentar colocar na região "outros" novamente, mas com a chave invertida e FUNCIONOU!

    Então jogamos na tarde de hoje, para nos sentirmos velhos e enferrujados. Que jogo difícil, haha! Ficamos mais tenso nele do que em "The Last of Us". O tanto de "pula!" e "sai daí!" que soltamos não tá no gibi. Vimos muito essa tela aqui:

    Mas foi uma ótima experiência. Me fez voltar ao tempo de jogar "DecapAttack", "Sonic" e "Toki" na Telefunken dos meus pais. Sem a pressa de jogar para devolver para a locadora. Depois daremos continuidade à jogatina para finalizar esse jogo.

    Bem vindos oficialmente à casa, pessoal.

    16
    • Micro picture
      msvalle · about 1 month ago · 1 ponto

      Que saga! Que bom que funcionou no final, e gostei da ideia de abrir um jogo no Natal - só de ler seu relato me lembrei de como era hehe
      Feliz Natal!

    • Micro picture
      fredson · about 1 month ago · 1 ponto

      Eu zerei esse Tiny Toon inúmeras vezes na infância. Adoro ele! XD

    • Micro picture
      jcelove · about 1 month ago · 1 ponto

      Puxa, então o problema era a trava de região e não os contatos oxidados? que loko man, mas que bom que rodou. Abrir um jogo assim é sempre muito nostálgico.

  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-12-23 21:14:32 -0200 Thumb picture

    Voltando a vender no Mercado Livre (jogos à venda)

    Escrevi um artigo sobre preços altos no Mercado Livre, então resolvi anunciar novamente. Mas mais jogos do que hardware.

    O principal atrativo da minha lista são jogos de 3DO. Sim, eu tenho uma certa admiração por esse console, sempre o considerei meio bizarro. Mas mais bizarro ainda é eu ter um tanto de jogo lacrado que nem eu mesmo tinha reparado (para ver o quanto tenho jogado pouco nos últimos anos). E mais bizarro ainda é ver que os jogos de 3DO ficaram bem mais caros do que quando eu comprei, há 4 anos no mínimo para trás. Nunca anunciei porque achei que ninguém procurava. Como estou tendo problemas para testar esses jogos, anunciei apenas 2 usados que eu consegui rodar e mais os lacrados.

    De resto, tem jogo de Famicom, Super Nintendo, Game Boy, Virtual Boy (pois é) e GameCube. Não é muito, mas vou anunciando aos poucos. A principal leva que devo fotografar nesse fim de semana é de Game Boy, a grande maioria com caixa e manual. É pouca coisa por agora, mas é porque não estou conseguindo anunciar (fiquei preso num loop no site, deu pau).

    Tem também controles exóticos, peças de hardware, processador para PC e, na semana que vem, minha placa Radeon RX 5700 da Gigabyte (não XT), que vou substituir por outra que está a chegar (previsão para dia 29).

    Para organizar, fiz uma planilha onde vou atualizando de pouco em pouco:

    https://docs.google.com/spreadsheets/d/1OlfkHyRmGG...

    Sobre os valores... Bom, agora deu para entender como alguns preços estão um absurdo no Mercado Livre. As taxas estão idiotas. Tem certa categoria que te força algumas opções que não te atendem e te tiram mais dinheiro. Os jogos de 3DO, por exemplo, possuem frete grátis sem que eu pudesse fazer nada. E te cobram, em alguns casos, até 20% do valor para inserir essa gratuidade. Em outros casos, ocorre isso:

    Inacreditável. Então, em alguns casos, conversa comigo primeiro nas perguntas porque dá para contornar: seja diminuindo a exibição do anúncio, seja alterando para "Usado" mesmo sendo lacrado, seja comprando mais de um jogo junto e por aí vai. Eu queria anunciar como leilões, porque aí eu saberia que seria justo e terminaria tudo rapidamente, mas não existe esta opção mais.

    A conta no Mercado Livre é a da minha irmã @tinahorta, que me ajuda nessas coisas. Se tiverem alguma dúvida, entrem em contato LÁ, porque aí ela recebe notificação (aqui não recebo nenhum aviso).

    Vou ser folgado e citar alguns membros da comunidade Alvanista. Agradeço ao @nicholasaraujo00, @filipessoa, @carlospenajr, @raxgmr2, @trocavenda e à minha irmã @tinahorta pelos compartilhamentos nas outras vezes. Agradeço @jclove e tantos outros pelos comentários e pela moral dada ao longo do tempo. 😊

    Super Mario World

    Platform: SNES
    27215 Players
    379 Check-ins

    26
    • Micro picture
      jcelove · about 1 month ago · 3 pontos

      O ML ta com uma taxação monstra mesmo, usoa pela comodidade mas o lucro é todo drenado nas taxas, se for item novo acima de 99 pila o frete gratis" é obrigatório e baseado numa média sempre pra cima. U_U
      Saudades dos leilões U_U

      Tem coisa de ps1? to no aperto mas vou dar uma olhada.hehe

      8 replies
    • Micro picture
      carlospenajr · about 1 month ago · 2 pontos

      Boa sorte ai nas vendas.
      E sim, ML anda uma merda pro vendedor, eu voltei a por algumas coisas pra vender lá de novo, mas alem dessas taxas de retardado, tem jogo (tipo o Tales of Destiny do PS2) que ele cisma que eu to tentando vender ANTENA e ainda por cima fora de categoria e me bloqueia (e ainda ameaça de suspender a conta...)

      2 replies
    • Micro picture
      rax · about 1 month ago · 2 pontos

      Entao ne meu nick agora e @rax XD.

      Mas disponha,qualquer coisa agente ajuda compartilhando :D

      2 replies
  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-12-18 21:09:19 -0200 Thumb picture

    Vendendo cartas na Steam com dólar alto

    Não voltei aqui para falar de uma nova lista de jogos gratuitos na Steam, então vou pelo menos compartilhar algo que notei (e não sei se "descobri a roda" com isso).

    Quando eu compro jogos na Steam e eu sei que não terei tempo para jogar tudo em breve - o que é a norma, no meu caso -, eu faço uso do Idle Master, um programa para rodar seus jogos na Steam que ainda possuem cartas para liberar.

    No fim do mês passado, fiz essa compra:

    Legal, pois aproveitei umas promoções interessantes.

    Então não perdi tempo e rodei o Idle Master (na imagem abaixo, já estava até acabando).

    Foi quando eu olhei as cartas no meu inventário que eu reparei algo estranho: grande parte das cartas estavam com um preço muito maior que a média. Costumava vender as cartas por R$ 0,07 a R$ 0,15, com exceções a jogos que possuem cartas mais valiosas ou as mais raras. Mas, no caso dessa compra, os valores estavam consistentemente altos. No exemplo abaixo, cartas do jogo Hatoful Boyfriend custavam de R$ 0,43 a R$ 0,59.

    Pensei que era por causa do jogo, mas reparei que os valores não fugiam muito disso. À medida que meu inventário foi ficando mais abastecido, notei que esses valores eram a regra.

    E ainda por cima, tirei algumas mais raras que vendi sem pestanejar (e esqueci de tirar print...). Ou seja, a sorte ficou do meu lado na minha penúltima compra. Digo "penúltima", porque depois eu vendi todas as cartas que tirei e, financiado por essas vendas, comprei mais alguns joguinhos:

    Fiquei pensando em como consegui tanto "trocado" só com as cartas, mas depois cheguei a uma conclusão. Os jogos possuem valor regional, não variando de acordo com o dólar. Essa acaba sendo a razão de muita gente fazer conta russa, argentina ou até mesmo indiana, pois os jogos nesses países são muito mais baratos. E, por isso, Horizon Zero Dawn ficou caro de uma hora pra outra porque muito gringo tava comprando o jogo na Steam brasileira por conta da desvalorização do Real (aí fizeram o favor de dobrar o valor do jogo). Ok, isso todo mundo sabe.

    Mas o mercado das cartas é internacional. Gringo que vai pagar US$ 0,10 tá liberando quase R$ 0,60 pra gente. Quer dizer, isso no começo do mês, quando o dólar ainda estava mais perto de R$ 6 do que do R$ 5. Não sei se todo mundo já atinou para isso, mas é algo interessante a considerar pra tentar aproveitar onde dá nessa loucura de câmbio.

    Então fica esse relato para, de repente, dar uma dica para quem ainda não percebeu esse detalhe. 😉

    Editado:

    Para não ficar no achômetro, resolvi pesquisar por comprovantes de venda no meu e-mail.

    É muito comprovante, então selecionei algumas cartas baratas por períodos aleatórios (2016, 2017, 2018 etc). Alguns exemplos daquela época (observem as datas):

    http://media.alvanista.com/uploads/timeline_image/20...(img)

    Ori and the Blind Forest

    Platform: PC
    627 Players
    154 Check-ins

    21
    • Micro picture
      pauloaa · about 1 month ago · 2 pontos

      Das cartas que tenho no inventário só a de um jogo que teve alteração de preço relevante e ocorreu a partir de agosto o que não condiz com a variação do dolar, já as cartas dos outros jogos não teve nenhuma alteração relevante. Tenho cartas de 8 jogos, nenhum muito recente tmb.

      6 replies
  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-12-03 17:59:23 -0200 Thumb picture

    Abuso dos preços Parte II: Estudo de Caso

    Medium 3840510 featured image

    Penso que fiquei tão invocado com o que pesquisei esta semana que não aguentei: vou ter que escrever sobre os preços novamente, desta vez focando no console original do PlayStation, o modelo SCPH-1001.

    Para fazer este verdadeiro estudo de caso, refiz minhas buscas para verificar os valores praticados no site Mercado Livre - acabei encontrando os mesmos resultados das minhas buscas do início de semana. Resolvi perguntar a um dos vendedores sobre o valor do produto no site, anunciado a R$ 6000. Estas foram as respostas para as minhas perguntas (começa pela mais recente):

    Para complementar as informações com que irei trabalhar no texto, estas são perguntas anteriores:

    Reparem que há uma contradição: o vendedor apontou a demanda como uma das razões do alto valor, mas há perguntas de meses atrás.

    Sobre o SCPH-1001, este modelo adquiriu fama após audiófilos reconhecerem que esse modelo do console possui uma qualidade no processamento de áudio muito alta para um videogame, comparando-se a equipamentos profissionais de reprodução muito mais caros. Ou seja, a relação custo/benefício não possuía concorrentes. Essa discussão começou em meados da década passada, com entusiastas da área reconhecendo a alta qualidade dos componentes deste modelo. Apesar de ser um tópico subjetivo e alvo de discussões de processamento de áudio analógico, o console foi sim resultado de "excesso de engenharia". E uma das razões que a Sony conseguia colocar tais componentes em seus consoles a preços competitivos é que a multinacional japonesa os produzia por conta própria, não precisando ir atrás de fabricantes como a Sega e a Nintendo.

    Mas reparem em dois pontos: qualidade do áudio e relação custo/benefício. Voltaremos a eles mais tarde.

    Outro ponto a ser levantado é o olhar para o equipamento como um objeto colecionável. Esse fenômeno parece ser mais recente com hardware, uma vez que os jogos já são considerados como relíquias, assim como selos, cartas de Magic e objetos que não são mais produzidos. Mas hardware?

    Os consoles possuem um propósito mais específico em relação aos jogos do que a tiragem e seus componentes: eles foram produzidos para reproduzir software. A emulação de seu funcionamento não configura crime (Bleem que o diga) e é uma forma de aproveitar a sua biblioteca. Hoje em dia, FPGAs, chips que simulam o funcionamento de um circuito, estão se tornando cada vez mais comuns e aumentando a fidelidade do hardware original. E há uma característica inerente a qualquer eletrônico: ele se deteriora mais rapidamente. Partes móveis, capacitores, baterias e resinas são uma verdadeira bomba relógio, desafiando a longevidade do material original. Então temos um desafio: manter o equipamento original e não mexer com ele ou fazer a manutenção, alterando os componentes de mais de 20 anos atrás? E, se foi adquirido para ser utilizado, qual será a qualidade da minha experiência? Porque, no final das contas, é raro encontrar um colecionador que não utiliza o hardware. Ele pode deixá-lo guardado, mas com o propósito de utilizá-lo. Ou, nos casos de quem monta grandes setups, sempre está lá perto da televisão, pronto para o uso. Pouquíssimos colecionadores buscam um hardware com o intuito de montar um mero museu particular.

    Então há outros dois pontos a serem considerados: a originalidade dos componentes e o uso do hardware. Tendo tudo isso em mente, vamos para o PlayStation modelo SCPH-1001.

    Qualidade do áudio

    Nas minhas pesquisas, eu não encontrei uma conclusão enfática sobre a qualidade do áudio que sai do modelo SCPH-1001. Uma das razões disso é que os componentes de áudio deste modelo foram mantidos em revisões subsequentes, como o SCPH-1002, e foram herdadas do modelo japonês SCPH-1000. Então há muito mais consoles que podem produzir na mesma qualidade do que se é discutido.

    Outra questão é que vários artigos que começaram a defender este console eram bem superficiais para o nível de qualquer entusiasta. Este artigo cita um review do site 6moons, mas não aprofunda, assim como este artigo.

    Aliás, uma das características deste console defendida em toda roda de conversa sobre ele é que o mesmo possui saídas RCA, permitindo que o som seja transmitido por cabos separados. No entanto, uma rápida pesquisa na internet revela que o cabo multi-out do Playstation, cuja saída está presente em todas as revisões, possui menos interferência, como relatado aqui.

    Comparações em vídeos online são difíceis pela compressão inerente ao conteúdo digital. Mas há outro fator que dificulta: de todos os sentidos do corpo humano, a audição é a que se deteriora com a idade com mais facilidade. Aqui vai uma nota pessoal: se me pegar como exemplo, digo que não consigo ouvir mais algumas frequências aos 36 anos. Antigamente eu conseguia ouvir o som da eletricidade estática emitida pela TV de tubo da minha mãe quando acabavam de ligá-la. Se a tela estava escura por não ter sinal, eu ainda assim sabia que estava ligada por causa do som, algo que meus pais não reparavam. A mesma TV, hoje, já não emite o mesmo som - ou melhor, não consigo mais ouvir.

    Relação custo/benefício

    Curiosamente, o que era defendido pelos audiófilos era exatamente o baixo custo de se adquirir um Playstation em relação a outros equipamentos de custo muito mais elevado. Eu não preciso nem elaborar neste ponto: se você quer um PS1 para fazer companhia a um Leben CS600, não pague R$ 6000 nele.

    Originalidade dos componentes

    Esse é o grande desafio para quem coleciona hardware: como mantê-lo em funcionamento. Talvez colecionadores não liguem em trocar capacitores, cabos e talvez até lasers... mas não é bem assim. Isso varia de pessoa para pessoa. Acabei encontrando perguntas no Mercado Livre sobre a originalidade do mecanismo do drive de CD. Se essa é a sua expectativa, não sei o que dizer. Apenas devo lembrar: equipamentos eletrônicos deterioram com o tempo. Um console de R$ 6000 não vai se manter assim por muito tempo. Sem manutenção, um vazamento de um capacitor pode diminuir seu investimento em 100 vezes, inutilizando totalmente a placa de circuito.

    A situação fica ainda mais gritante quando se compara o primeiro modelo do Playstation com as revisões subsequentes. Há um erro no design do console, colocando o mecanismo do drive de CD ao lado da fonte, que fica abaixo do botão "Reset" e se estende até a parte de trás do console.

    O calor gerado pela fonte interna afeta o mecanismo que, para cortar custos, possui engrenagem feita de plástico e não de metal. É daí que começaram as histórias de rodar os jogos com o console de cabeça para baixo, em pé etc. Se você tem este modelo, você precisa seguir uma das duas alternativas: modificar o console para aceitar uma fonte externa (preferível) ou trocar o drive de CD regularmente, este item vendido em sites chineses. Se sua intenção é utilizar o console, não há outras alternativas.

    Isso não é problema para os entusiastas que compraram o console para ouvir música, pois é comum os audiófilos fazerem uma reforma completa para que o aparelho fique bem alinhado em termos de estilo com vitrolas e afins (nisso, a fonte é removida de dentro do console). Para um investimento barato, isso não é um problema. Mas você pagaria R$ 6000 para fazer isso?

    Você está pagando pela autenticidade do equipamento por este valor. Se você quer tudo original, compre um que esteja com mal funcionamento e coloque-o em uma vitrine.

    Uso do hardware

    Está procurando um Playstation para jogar? Prefere comprar o modelo original por nostalgia ou por querer ouvir aquele som maravilhoso da introdução? Então pesquise bastante, porque o modelo SCPH-1001 não é crucial.

    Em comparação com o áudio, a qualidade do vídeo é muito mais perceptível. E os primeiros modelos do Playstation original possuem uma saída de vídeo inferior, algo já relatado em vídeos no Youtube (links abaixo, em inglês).

    Além disso, os componentes das revisões seguintes geram menos calor e não possuem os mesmos problemas de vida útil no modelo original.

    Conclusão

    Tentei abranger os aspectos respondidos a mim para avaliar se o preço pedido é justo. E minha conclusão é... sim. O vendedor coloca o preço que quer. Cabe ao comprador se educar para fazer a melhor compra para o seu bolso. Este é um caso especial para pegar dinheiro de gente desinformada que não tem noção de quanto custa a gasolina.

    Este modelo do console não é raro. Aliás, ele é mais comum do que vários modelos do Sega Saturn e do Nintendo 64. Então vou separar por tópicos para ficar claro.

    - Vale a pena pagar R$ 6000 pela qualidade do áudio, seja para ouvir música ou os jogos? Não.

    - Vale a pena pagar R$ 6000 para jogar, me restringindo ao console original? Não.

    - Vale a pena pagar R$ 6000 para modificar? Não.

    - Vale a pena pagar R$ 6000 para trocar componentes? Não.

    - Vale a pena pagar R$ 6000 para colocar na prateleira, justamente pela estado de conservação? Não, mas reconheço que é um ponto um pouco mais polêmico. Mas se é para exibição, um console esteticamente bem cuidado que não funciona fará o mesmo serviço por muito menos.

    Finalizo este texto com o pedido de sempre pesquisar sobre o que estão comprando e não deixar o ego falar mais alto. Quem vai sair perdendo é você.

    30
    • Micro picture
      diego_lacuna · about 2 months ago · 4 pontos

      Eu venho falando a um tempo que aqui no Brasil querem transformar games em algo elitizado.

      1 reply
    • Micro picture
      le · about 2 months ago · 3 pontos

      Só pra compartilhar que hoje eu vi um SNES na caixa, com todos os plásticos e tal, supostamente "nunca usado", mas isso é impossível de saber, já que o cara tirou foto com a caixa aberta, por 20 mil.

      8 replies
    • Micro picture
      tassio · about 2 months ago · 2 pontos

      Eu parei de me estressar com isso, porque eu queria jogar... e tive que partir pro emulador. No começo era chato, porque eu queria jogar no console, mas estavam acabando com o meu hobbie de comprar joguinhos (isso em 2007, como disse no outro post).

      Mas depois me dei conta, que... com emulador, tinha a possibilidade de jogar QUALQUER CONSOLE (se não hoje, talvez amanhã, ou mais pra frente), sem precisar me sujeitar a esses preços irreais, poderia ter COLEÇÕES COMPLETAS DE JOGOS acomodadas em pen-drives... organizar conteúdos de vários consoles em um só ambiente... e mais um monte de outras vantagens!!! Hoje eu fico até feliz que isso tenha acontecido.

      Se não tivesse existido essa glamourização/exploração de video game velho, talvez hoje eu estaria com 3DO, Saturn, SNES, Atari Jaguar... com vários jogos pra essas plataformas... tudo ocupando espaço físico (imagina o espaço pra isso!?!) coisas estas, que eu tinha planos de ir atrás kkkkkkkkkkkkkkkk ainda bem que eu não fiz isso.

      3 replies
  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-12-02 01:41:11 -0200 Thumb picture

    Abuso de preço no mercado retro de videogame

    Tô escrevendo aqui como se tivesse desabafando pra um amigo ao lado enquanto navego pelo Mercado Livre.

    Gente do céu, esse povo tá muito sem noção. "Ah, o mundo tá em pandemia." "Ah, o dólar tá mais caro". "Ah, é a lei do mercado". "Ah, tem gente que compra".

    Ah, mas o povo tá muito louco. Isso vindo de um cara que, entre 2016 e 2018, vendi quase tudo que eu tinha de coleção. Os jogos eu até entendo porque, com tanta opção para revisitar os consoles antigos (incluindo ODE e flashcarts), jogo ficou mais restrito aos colecionadores, mesmo com uns caras forçando a barra tipo "Resident Evil 2 RARO". Mas os consoles?!

    Uma das minhas últimas vendas foi um Super 32X por R$ 600, achando que tinha vendido bem e achando que o comprador tava louco. Acabou de sair um que cliquei pra dar uma olhada, em piores condições, por R$ 2.200. A outra opção japonesa lá agora custa mais de R$ 3000. Uma bosta de 32X, não um 3DO ALIVE 2 ou uma bosta de Atari Jaguar CD.

    Ainda você pode dizer que é um dispositivo mais raro. Ok. Mas e o Saturn? 10 milhões de unidades vendidas não é algo raro. Até ano passado, era tranquilo achar um por R$ 250. Até Maio, quando fui olhar para uma amiga (o que estou testando ultimamente), achei um por R$ 400. Isso sem trocar os capacitores, que estão começando a falhar em massa. Agora, um nas mesmas condições, tá custando R$ 800, R$ 900.

    Ainda engulo porque vendeu pouco no ocidente. Mas meu choque é porque resolvi ir atrás de um PlayStation 1. Um console que vendeu mais de 100 milhões de unidades. Dá pra jogar seus jogos nos PS2, no PS3... dá até para jogar versões oficiais dos jogos pro PSP. Mas se você quiser um em condições razoáveis, não deve ser difícil achar. Afinal, 100 milh...

    Quié isso? Tá certo, peguei uma versão procurada por entusiastas porque dizem que o som é melhor e pode ser a única opção disponível no Mercado Li...

    Ok, mesmo vendedor. Buscando mais e mais, os preços vão baixando.

    Mas ainda estamos falando de PS1. Tirando a caixa, já começa a ficar abaixo do R$ 1000. Mas aí vem com controle alternativo, todo amarelado... prefiro buscar mais. Vou me restringir ao modelo FAT, pois há mais opções de modificar no futuro (saída HDMI talvez, ou uma ODE).

    Aí encontro um anúncio por R$ 500, todo completo. Vendedor novo, com foto de um outro anúncio de um vendedor mais gabaritado. Tô fora. Mas ainda assim, encontro mais opções nesta faixa. A esta altura, no entanto, o entusiasmo já deu lugar pra frustração. Consoles mais desgastados pelo tempo, sem nenhum acessório acompanhando (tem memory card sendo vendido a R$ 299 por lá) e de vendedores pouco experimentados. Não dá nenhum tesão de passar o cartão pra pegar um modelo assim. Essa é a melhor opção que encontrei:

    Porque, abaixo disso, temos consoles custando na faixa de R$ 200 a R$ 300 com algum problema: ou a fonte foi convertida para 220V por algum motivo, ou tem um quebrado na carcaça, ou o console tá tão amarelo que parece que o plástico tá podre, ou o console está lendo os jogos com dificuldade. Eu posso até emprestar meus óculos pro Playstation poder ler os jogos, mas aí eu não que não vou enxergar nada.

    Eu até entendo a situação pelo dólar alto. Mas acho que está sim tendo um abuso. Exemplo? Vamos então buscar pelo "raríssimo" PS1 de lançamento, aquele procurado por audiófilos e entusiastas de plantão, no eBay.

    Por uns US$ 150 (R$ 780 hoje, talvez R$ 850 pela cotação do cartão, talvez beire R$ 900 se juntar com o IOF), você tem o mesmo modelo. Se for taxado num estado que cobre ICMS e te faça pagar praticamente o mesmo valor só com todos os impostos, mais a taxa de despacho, o preço vai chegar desde R$ 1800 a 1900. "Ah, mas tá amarelado". Ok, vamos ver se tem outra opção.

    Pô, menos caro ainda. E será que passar um retrobright não vale mais a pena do que pagar essa diferença de mais de R$ 3000? Sim, tem opções mais caras no eBay, mas também tem opções mais baratas (ainda no modelo mais procurado):

    Resumindo a ópera: a galera daqui tá exagerando. O dólar sozinho não justifica. Se você quer mesmo um videogame antigo, perca o medo de importar e encare a alfândega. Tem vez que você nem é taxado e aí é festa. Tem vez que a encomenda trava em Curitiba e aí é ter paciência. Mas vale muito mais a pena aproveitar o mercado mais aquecido DE LÁ! Aqui não dá para incentivar a prática desses preços. Talvez ficar de olho, esperando que alguém simplesmente queira vender um treco que não usa. Tem vez que aqui vale mais a pena, mas tem que ficar de olho.

    E outra: se esse ano foi ruim economicamente, não crie esperanças para 2021. Não quero ser o pessimista, apenas realista ao indagar: o que está acontecendo de diferente, para melhor, para achar que o supermercado vai cair de preço, que vai começar a aparecer emprego etc? Então não desperdice seu dinheiro com preço injusto. Se tem gente que pague esses valores, deixe esses anúncios para quem tem bolso fundo.

    É isso. Fim do desabafo.

    A propósito, ainda tenho jogos de Gamecube e Game Boy, todos japoneses. Alguém se interessa? 😁

    39
    • Micro picture
      old_gamer · about 2 months ago · 5 pontos

      A galera do BR gosta de tirar vantagens dos coleguinhas, está cada vez mais difícil colecionar no Brasil. Graças 🙏🏻 que eu coleciono desde 2003 e comprei grande parte da minha coleção na época que vídeo game antigo era lixo. Hoje consegui fazer um acervo quase 1100 jogos das 4 plataformas que coleciono, 98% dos jogos completos ou lacrados, hoje teria que vender minha alma para conseguir isso. Acho que comprei vários jogos de N64 de vc tempos atrás ...

      3 replies
    • Micro picture
      tassio · about 2 months ago · 4 pontos

      "Gente do céu, esse povo tá muito sem noção."

      Essa percepção aí eu tive entre 2007 e 2009... e foi quando eu migrei pra emulação de forma definitiva.

      4 replies
    • Micro picture
      le · about 2 months ago · 4 pontos

      Tá tudo caro demais mesmo. De vez em quando, o @realgex me manda umas postagens com preços absurdos de grupos de jogos antigos.

      É abuso de vendedor mesmo. Mas, enquanto tiver otário pra aceitar pagar esse preço, os espertos vão manter os valores nas alturas mesmo.

      Vale não só pra jogos antigos, mas pros novos também, que aumentam cada vez mais porque os retardados do "o dinheiro é meu, eu faço o que quiser; isso é inveja de quem não tem dinheiro pra pagar" ou do "PRE-CI-SO jogar no lançamento, custe o que custar" mostram que eles podem cobrar isso.

      3 replies
  • jcelove José Carlos
    2020-05-13 01:43:02 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    18
    • Micro picture
      raccoon · 9 months ago · 2 pontos

      o legal é que a gravidade é igual nos games XD

      1 reply
    • Micro picture
      raiden · 9 months ago · 2 pontos

      Pior que isso só Akibaranger S2.

      1 reply
  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-10-31 17:31:05 -0200 Thumb picture
    molinsky checked-in to:
    Post by molinsky: <p>Depois de jogar a série <em>FIFA</em> no console
    Sega Worldwide Soccer '98

    Platform: Sega Saturn
    21 Players
    1 Check-in

    Depois de jogar a série FIFA no console ('96, '97 e '98), dá para ver o porquê de WW Soccer ser tão bem visto: é um game em que você consegue jogar futebol! Os FIFAs pro Saturn são uma 💩, mas jogando tudo em pouco tempo te faz enxergar a diferença de nível gritante. FIFA 3D nessa época nos consoles era algo lastimável mesmo (FIFA 64...).

    Porém WW '98 não está isento de ter suas bizarrices. Dica: se alguém for jogar, tente gravar a jogatina ou transmití-la por streaming. Garanto que terá momentos divertidos, hehe!

    Comecei a jogar no estilo Galo de Sampaoli: todo pra frente pra fazer muito gol - mas também perdendo gol toda hora. O primeiro lance bizarro que tive foi uma marcação de impedimento. Detalhe: o adversário estava recuado até sua grande área e eu tinha tocado no meio de campo para um meia perto do grande círculo. Assistindo o replay com o comentarista dizendo algo como "the referee got that right" me fez rir e fazer essa cara:

    Mas analisando o lance, entendi o que ocorreu. O passe nesse jogo não vai 100% direto para o companheiro de equipe, mas sim na direção que você aponta. Se você jogar com controle analógico, fica mais preciso. Então um passe em profundidade tem que ser super bem calculado. Isso causa uma discrepância técnica muito grande entre quem se acostumou a jogar este game e quem o joga casualmente.

    Enfim, voltando ao impedimento. Deu para ver no replay que tinha um atacante lá na frente exatamente na linha do passe que dei para o meia. O jogo apita o impedimento assim que o passe sai, então ele deve ter "visto" que tinha gente do meu time mais à frente e parou. Tinham que considerar se o jogador impedido recebe a bola, até para não parar o jogo desnecessariamente, mas ficou claro que não testaram direito.

    O segundo momento bizarro foi logo depois que a partida acabou. Olhei para o placar e comecei a rir. Conseguem ver o problema?

    O jogo coloca o placar geral corretamente, mas a divisão de gols por tempo tá errada: em vez de colocar os gols marcados por tempo na mesma linha do time, eles listam os gols por tempo na vertical. Se olhar somente para os gols marcados por tempo, parece que venci por 8 a 3, não por 9 a 2. Como isso passou?!

    Por fim, joguei mais uma partida, desta vez com Marrocos (eu gosto de seleções africanas). Mais um placar elástico.

    Pelo menos fiz os mesmos 9 gols sem precisar chutar 40 vezes, como na primeira partida... (chupa essa, Sampaoli!)

    Porém teve outra bizarrice. Quando o jogo tava 8 a 1, resolvi fazer todas as substituições de uma vez pro fim do jogo. Eu tava tentando fazer gols diferentes, tentando me divertir. Com um dos caras que eu tinha acabado de colocar, parti para cima da marcação, driblei a zaga e entrei na área pronto para tocar pro meio para consagrar o centroavante. Assim que ia fazer o passe, notei que ninguém acompanhou (centroavante cansado?), então tentei segurar o passe, mas acabei tocando mesmo assim. Como o passe saiu fraco, corri com o mesmo jogador pra pegar a bola e, curiosamente, acabei driblando goleiro sem querer. Chutei, golaço na cagada, fim de jogo.

    Fui ver as estatísticas e esse mesmo jogador que entrou e fez o último gol tinha 1 chute, 1 assistência e 1 gol.

    Eu ri tanto que esqueci de tirar foto disso. Aí fui contar pra @tinahorta: o game contabilizou o passe que não chegou a ninguém como assistência do próprio gol! WTF?!

    Já li teorias de que os últimos games lançados para o Saturn no ocidente não foram muito testados, incluindo Sonic R e Burning Rangers. Era algo como lançar do jeito que tava ou não ver a luz do dia. Esse jogo me fez desconfiar disso, honestamente. Mas é o melhor game de futebol em inglês para o console. Se conseguir jogar em japonês, pegue World Cup '98 France: Road to Win, lançado 6 meses depois. É basicamente o mesmo game, mas voltado para a Copa do Mundo na França. A estrutura dos menus é a mesma, então use a versão americana como base para saber o que está selecionando. Joguei, não encontrei nenhum problema parecido e ainda dá para jogar no mesmo estilo suicida com 5 atacantes que usei em WW '98:

    12
    • Micro picture
      thiagoreis · 3 months ago · 2 pontos

      Caramba.. duas Pauladas na França kkkk.... Sampaoli é bom técnico, acredito que vc seja Atleticano, certo ?

      5 replies
  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-10-29 23:54:12 -0200 Thumb picture
    molinsky checked-in to:
    Post by molinsky: <p>Tem algo nos anos pares do começo dessa série qu
    The King of Fighters '96

    Platform: Sega Saturn
    159 Players
    8 Check-ins

    Tem algo nos anos pares do começo dessa série que sempre me chama a atenção. Meu favorito da década de 1990 foi o '98. O original, de 1994, é curioso (e difícil) por ter trios fixos. E o '96 tem, na minha opinião, a melhor trilha ("Esaka" aqui tá ó 😙👌).

    Tenho jogado muito Sega Saturn nos últimos meses, testando minha ODE e convertendo imagens para rodar nela. Será um presente para uma grande amiga que teve seu videogame roubado na infância e que faz aniversário em Dezembro. E não tem nada melhor do que testar os melhores jogos!

    O legal na versão do Saturn, lançada somente no Japão (ai Sega, pqp viu?), é que tem opção de diálogos em PORTUGUÊS!

    Eu lembro das revistas comentarem isso e é bem legal ver essa atenção. História fraquinha, irrelevante e com altos erros gramaticais ("canpeonato" doeu), mas deixei de saber. Fiquei me perguntando se o sucesso nos fliperamas daqui contou ou se é porque a maior comunidade japonesa fora do país nipônico ser aqui, mas não achei respostas.

    De brinde, vai mais algumas frases na tela pós-vitória. Mai, peloamordeDeus...

    23
    • Micro picture
      _gustavo · 3 months ago · 3 pontos

      96 e 97 são meus favoritos ever, o 97 foi um dos meus primeiros jogos do PSX, mas na época eu nem me ligava de ports ruins kkkk

      2 replies
    • Micro picture
      jeffroupinha · 3 months ago · 2 pontos

      O sucesso do jogo se deve pela distribuição oficial da SNK no Brasil até 2000, como SF2 fazia sucesso havia uma demanda por esse tipo de jogo no BR, assim jogos como kof, ss, aof e metal slug tinham grande público então já em 95 foi fundada a neo geo do brasil e a capcom roomstar br, para licenciar e distribuir arcade, aqui no br era exigido somente o sistema e o cartucho qq um podia montar o gabinete, o que deixava tudo mais fácil. O fato de 1 ficha render 3 char era outro grande motivador, por isso a snk e capcom são as empresas com mais BR em seus jogos, pois tem muitos fãs aqui.

      1 reply
  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-10-25 16:04:22 -0200 Thumb picture
    molinsky checked-in to:
    Post by molinsky: <p><strong>Comprei o cartucho "Super Mario 3D All-S
    Super Mario 3D All-Stars

    Platform: Nintendo Switch
    30 Players
    7 Check-ins

    Comprei o cartucho "Super Mario 3D All-Stars" e fui taxado!

    "Ah, qual o problema?"

    O problema foi o valor do que me cobraram: R$ 7217,00

    Tá certo que não foi somente o jogo: tem também um ventoinha de US$ 15 e uma película para celular de US$ 7. Aí sim, né? Eu comprei na Amazon americana, usei uma assinatura Prime de 30 dias gratuitas para ter desconto e pedi para a Shipito me enviar. Essa é a foto que fizeram antes de embalar.

    Só estou postando isso agora também porque já resolvi pelo telefone e foi um "engano" da UPS. Recebi ontem. Fica de alerta para não deixarem cobrar qualquer coisa, mesmo se o valor parece proceder. Faça as suas próprias contas, guarde todo comprovante e procure seus direitos.

    Agora posso jogar aqui tranquilo.

    21
    • Micro picture
      realgex · 3 months ago · 2 pontos

      Barato hein, kkk !

      1 reply
    • Micro picture
      volstag · 3 months ago · 2 pontos

      Caralhoooo, por esse valor tinha que vir o dublador do Mário de brinde junto.

      1 reply
  • molinsky Rodrigo Molinsky
    2020-10-25 15:50:45 -0200 Thumb picture

    Relatório de jogatina de Julho/Agosto: recomendações

    É, eu sei. "Julho e Agosto"? Eu fico sem entrar aqui entre uma postagem e outra, falta hábito. Prometi um relatório de jogos na Steam que poderiam valer a pena, seja pelo valor (barato ou até gratuito) ou por ser muito curto, então não vai tomar muito seu tempo na pior das hipóteses.

    Eu devo ter abrangido 1/3 do que tenho na minha biblioteca. Na verdade, não joguei 1/3 dos jogos: alguns eu pulei porque vi que eram uma bosta, ou era ctrl+C ctrl+V com outra arte da mesma desenvolvedora ou simplesmente não abria.

    Então fiz uma lista, se tiverem curiosidade. Tem também dicas para conferir (mas que não acho que vai curtir) e outros jogos que considero perda de tempo.

    Os que não estão na lista não mereceram meu tempo perdido, se não me falha a memória. Adicione às recomendações, também, o jogo "A Short Hike", que mencionei anteriormente. Vamos à lista!


    EU RECOMENDO:

    "The Haunted Island, a Frog Detective Game"
    https://store.steampowered.com/app/963000/The_Haunted_Island_a_Frog_Detective_Game/

    É um jogo divertido e fofo (ui!), com senso de humor. Muito curto, finalizei em menos de 1 hora.

    "Pink Hour", "Pink Heaven" e "Kero Blaster"
    https://store.steampowered.com/app/409670/Pink_Hour/
    https://store.steampowered.com/app/409690/Pink_Heaven/
    https://store.steampowered.com/app/292500/Kero_Bla...

    Todos possuem uma vibe de Master System muito forte. Servem como aperitivos para "Kero Blaster" (que adicionei para a minha lista de desejos na época e comprei recentemente). Então são curtos, mas eu curti. Tirando "Kero Blaster", são de Grátis!

    "Dr. Langeskov, The Tiger, and The Terribly Cursed Emerald: A Whirlwind Heist"
    https://store.steampowered.com/app/409160/Dr_Langeskov_The_Tiger_and_The_Terribly_Cursed_Emerald_A_Whirlwind_Heist/

    Melhor título que joguei naqueles meses, um dos melhores jogos. Do criador "The Stanley Parable". Nesse estilo, e de graça. Adorei. Só tem uma observação: precisa entender inglês para ter mais graça.

    "Dev Guy"
    https://store.steampowered.com/app/351800/Dev_Guy/

    Joguinho estranho, mas muito engraçado. Isso realmente me fez rir às vezes.

    "Slash It"
    https://store.steampowered.com/app/567290/Slash_It/

    Bem jogo indie. Mas eu curti, [ risos ]. Acho que foi a música. Excelente treino para datilografia. Teve uma noite de domingo que fiquei nisso até dormir.

    "Double Dragon Trilogy"
    https://store.steampowered.com/app/314150/Double_Dragon_Trilogy/

    Dá pra ver o porquê de Final Fight fazer sucesso quando lançou. Mas, cá entre nós, gosto de descer umas pancadas de vez em quando. As análises são muito negativas para o que é (uma coletânea da série emulada), mas é uma coletânea conveniente. Tem gente que queria os jogos do NES, mas prefiro esses mesmo do Arcade. Vale a pena pelos dois primeiros. O terceiro é ruim.


    RECOMENDADOS, MAS COM * (podem não fazer seu estilo):

    "The Cat and the Coup"
    https://store.steampowered.com/app/95700/The_Cat_and_the_Coup/

    Experiência única. Curto, mas considere-o como uma aula gratuita de História do Irã, com uma bela direção de arte e uma boa música de fundo. O Irã (e a Pérsia, aliás) é cheio de história, então vale a pena nesse sentido. Mas... não deve ser muito o estilo da galera.

    "Her Story"
    https://store.steampowered.com/app/368370/Her_Story/

    Eu acho a ideia interessante. Se tiver curiosidade, "jogue" com paciência e tente ter interesse pela história. É mais um filme interativo do que um jogo, bem Sega CD isso. Mas não vale o hype da época (prêmio de melhor narrativa em detrimento ao "The Witcher 3"?!). O próprio "desenvolvedor" falou que queria contar uma história, ser um jogo foi uma mera consequência.

    "The Blue Flamingo"
    https://store.steampowered.com/app/302010/The_Blue_Flamingo/

    Gosta de jogo de tiro de naves? É interessante. Nada espetacular, mas dá pra gastar o tempo. Mas pra quem tem "Dodonpachi" na biblioteca, não.

    "Machinarium"
    https://store.steampowered.com/app/40700/Machinarium/

    Point and click. Eu curto, então eu curti. É curto. Achei legalzinho.

    "Power of Love"
    https://store.steampowered.com/app/368710/Power_of_Love/

    Jogo chinês, hehe. Fui jogar sem nenhuma expectativa, só para conferir, e fiquei. Não é ruim no meu caderno. Tenta e depois me falem se passaram da primeira fase, hehe.

    "Disturbed"
    https://store.steampowered.com/app/529780/Disturbed/

    Jogo em que você escolhe para onde vai ou o que fazer, bem tentativa e erro. Mas sabe que fiquei até zerar? Senti uma certa satisfação de conseguir progredir, porque é tudo bem encriptado.

    "Shiny"
    https://store.steampowered.com/app/496390/Shiny/

    Jogo de plataforma curto de 8 GigaBytes de espaço! Tudo muito mais ou menos, com câmera bem mal elaborada (tem hora que o cenário fica na frente, e o jogo tem jogabilidade 2D!). Mas, se quiser tentar, tem coisa pior por aí.

    "OH MY GOD, LOOK AT THIS KNIGHT"
    https://store.steampowered.com/app/781440/OH_MY_GOD_LOOK_AT_THIS_KNIGHT/

    Eu ri.  😂😂😂


    NEM TENTE JOGAR:


    "Wild Island Quest", "Darkness Assault", "My Bones" e qualquer jogo russo que eu tenho na biblioteca.

    Tudo bosta da melhor pior qualidade. 💩💩💩

    "Dinosaur Hunt", "Bloody Glimpse" ou qualquer jogo da desenvolvedora Racing Bros.

    Tudo bosta, e tudo igual. Todos os jogos são iguais, só trocaram as texturas.

    "Zup!", do 0 ao 6

    Sim, tenho 7 jogos dessa bosta. São jogos de quebra-cabeça, quase como "The Incredible Machine". Mas não se justificam. Se você não jogar, não vai fazer falta alguma. Se jogar, pega só um (tanto faz qual).


    "Toren"

    Jogo brasileiro, relativamente bem feito. Mas usa muito espaço no armazenamento, usa muito do computador e é muito curto. O controle não é lá essas coisas, a câmera é bem década de 90 e a história é bem bizarra. É legal ver um jogo assim feito no Brasil, mas passo. Vai ficar fazendo número na minha lista.


    POLÊMICOS (porque não gostei, mas todo mundo curte):

    "Brothers - A Tale of Two Sons"

    https://store.steampowered.com/app/225080/Brothers__A_Tale_of_Two_Sons/

    Muita gente elogiou esse jogo. Podem experimentar, mas eu não jogo de novo. O conceito de controlar dois personagens ao mesmo tempo é muito inovador, mas é um jogo que tem um foco muito grande na narrativa.

    E é aí que me perdeu: é uma história muito pesada. Você olha pra estética do game e pensa "hm, talvez meu priminho de 11 anos queira jogar". O menino vai ficar com sequela psicológica. Muitas decisões dos personagens não fazem sentido algum. E, infelizmente, muitos trechos violentos me remeteram às minhas experiências do ano passado, que foram traumáticas. Finalizei e não jogo mais.


    "What Remains of Edith Finch"
    https://store.steampowered.com/app/501300/What_Remains_of_Edith_Finch/

    As análises são muito positivas, fica ao critério de vocês. Mas eu vou dar meu parecer aqui.

    O jogo tem uma história elaborada, com ótimo clima. A forma como a narrativa é desenvolvida é muito bem feita, cada seção contada de uma forma única. Bom trabalho dos desenvolvedores nesse sentido!

    O jogo conta a história de uma família que precisava de terapia o mais rápido possível, da perspectiva do último membro vivo. Quer dizer, é tragédia após tragédia, tudo evitável. Se não for jogar, dá uma olhada nos casos no parágrafo seguinte (só selecionar o texto). Se quiser evitar spoiler, pule.

    Vocês acham que pode dar errado deixar a janela do quarto de uma menina mal fechada? Ou deixar um bebê sozinho na banheira? Mãe que mantém em segredo que um tio vive no subsolo há 30 anos? Ou que acha normal para um irmão se perder em uma imaginação alucinante enquanto pica peixes no trabalho com um facão? Por que será que deu merda deixar crianças fazerem o que quiserem durante uma tempestade em um casamento? Ou uma senhora caminhando na praia na maré baixa em meio à névoa? Não como se algo ruim já tivesse acontecido nessa família. Muito disso pode acontecer com qualquer pessoa, mas eu ficaria bem longe de uma casa onde vários de meus parentes faleceram. E a protagonista retorna ao local, uma casa abandonada no meio do nada, enquanto está grávida de 22 semanas. Caralho, eu fiquei muito puto com a história desse jogo. 🤦


    É muito curto também. Mas o verdadeiro problema com este jogo é o Field Of View. Você não pode mudá-lo, então ligue a retícula nas opções se for tentar! Eu tive náusea muito forte com esse. Tive que jogar cada história e depois fazer uma pausa. 80% do meu tempo de jogo com este jogo foi deitado, tentando me recuperar para continuar com a história. Não posso dar uma chance a um jogo se não conseguir jogá-lo corretamente, eu não conseguia mergulhar nas histórias. Não é tão terrível assim no final do jogo e essa visão ruim de mim pode ser muito pessoal, mas descobri que outros jogadores têm o mesmo problema.


    Bom, por enquanto é só. Agradeço ao meu amigo Morato (que não tem conta aqui) por indicar alguns jogos e à @tinahorta pela paciência de sempre, rs. Acredito que comecei dos mais encostados na minha biblioteca, então uma possível futura lista terá um nível melhor (acredito).

    Vou marcar também alguns que podem se interessar pela lista:

    @jezzon @rafael_mingato @santz @wilford_fernandes @xch_choram @lukenakama @salvianosilva @farusantos @msvalle @fredson @gan0nd0rf @nicholasaraujo0 @caramatur @jcelove

    Dr. Langeskov, The Tiger, and The Terribly Cursed Emerald: A Whirlwind Heist

    Platform: PC
    24 Players
    6 Check-ins

    30
    • Micro picture
      jezzon · 3 months ago · 2 pontos

      Melhor coisa de Machinarium é a OST, Brothers eu não gostei e What Remains tá na lista, mas beeeeeeeem no fim da lista ;P

      2 replies
    • Micro picture
      xch_choram · 3 months ago · 2 pontos

      Eita pena que teve problema com o What Remains of Edith Finch, eu não tive problemas então mergulhei na historia pra mim foi mt bom.

      2 replies
    • Micro picture
      fredson · 3 months ago · 2 pontos

      Da Steam só tenho jogado Payday 2 uma vez por semana. Tem jogo lá que eu instalei, tentei jogar, detestei, penso em dar mais uma chance e depois fazer o que geralmente não faço: dropar. Deixar lá só fazendo número na Library mesmo. O jogo é o The Void. O jogo dá um puta sono.

      1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...