2016-09-17 13:26:44 -0300 2016-09-17 13:26:44 -0300
matheusalves Matheus Oliveira

Matheus e os videogames

Single 3386306 featured image

Bom, como é minha primeira postagem aqui no Alva, decidi por fazer um pequeno texto sobre a minha relação com esse universo maravilhoso que é o universo dos joguinhos eletrônicos.

Primeiramente, deixa eu me apresentar. Sou Matheus, catarinense, 20 anos de idade e estudante do último semestre de Publicidade e Propaganda (consigo ouvir um aleluia!?). Sou amante de toda forma de arte,  seja música (dos mais diferentes estilos e nas mais variadas linguagens), cinema (pouco efeito, muita história) ou claro, nossos queridos jogos.

Meu primeiro contato com videogame foi em meados do ano de 2000, com o Super Nintendo que inicialmente era da minha irmã. Lá eu conheci o encanador bigodudo e simpático em um dos jogos mais sensacionais da história: Super Mario World. Adorava ficar olhando ela jogar, ver todos aqueles detalhes, aquelas cores e por mais que eu não tivesse todo o jeito para controlar o icônico personagem, assisti-la entre uma partida de futebol de botão ou outra era uma sensação legal, era um mundo diferente que habitava naquela TV de poucas polegadas, era a infância.

Outra lembrança forte que tenho dessa época do SNES é o medo desenfreado que tinha de Ultimate Mortal Kombat 3, mais precisamente de uma personagem em específico: a Sheeva. Primeiro porque a maldita foto dela na tela de seleção de UMK3 era medonha demais para mim. E segundo que eu, no auge dos meus 5 anos, me perguntava: como ela tem quatro braços? Daí você pode se perguntar o que uma criança de 5 anos estava fazendo jogando/assistindo alguém jogar Mortal Kombat. A resposta para essa pergunta nem eu mesmo consigo encontrar.

Pulando uma geração a frente, vamos ao Playstation. Tive minha primeira experiência com o PS1 em 2004. Essa foi a época das locadoras de videogame, um lugar mágico, que geralmente fedia a fumaça de cigarro, mas que mesmo assim diversas crianças o frequentavam. Lá eu tinha diversos jogos a disposição pela bagatela de R$1,00 a hora.

 Lembro exatamente que o primeiro jogo que joguei no PS1 foi Tekken 3. Não é um dos meus jogos favoritos, mas tenho muito carinho por ele por conta disso. Joguei também muito Tony Hawk's Pro Skater 2 e, modéstia à parte, humilhava muito marmanjo com o dobro da minha idade. Jogava muito Winning Eleven e devo minhas habilidades em jogos de futebol todas a ele. Destaque para o dia em que ganhei a Champions League com o Real Madrid na locadora e me senti o tal por todo mundo estar olhando para mim e para o Zidane quadrático na tela levantando o troféu de campeão europeu. Uma das minhas glórias de infância.

Ganhei meu console da Sony em 2006, bem tarde para uma geração que já presenciava os avanços do Playstation 2. Inclusive alguns anos depois meus pais acabaram vendendo o Playstation para comprar o seu sucessor, algo que, se tivesse um pouco mais de noção na época, teria evitado com certeza (saudades Play 1). Nele conheci a minha franquia favorita de todos os tempos: Resident Evil. Comecei vendo meu pai jogar Resident Evil 3: Nemesis. Assim como todo mundo, eu tinha medo justamente dele, o desgraçado do Nemesis. Tanto que só consegui zerar esse jogo uns 5 anos depois, no emulador. O mesmo aconteceu com Resident Evil 2 e o "amável" Mister X.

Já em 2010 ganhei meu Playstation 2, mas não há nada de tão memorável além das mais de 40 vezes que zerei Resident Evil 4 e da vez que zerei o bom e injustiçado (!?) Resident Evil: Dead Aim com meu pai (como já dá pra perceber,  vou falar muito de Resident Evil aqui no Alva). Inclusive comprei esse jogo pensando ser Resident Evil 5 para PS2. Quem nunca foi enganado pela pirataria que atire a primeira pedra.

Tem muito jogo dessa geração que não joguei e que gostaria muito de experimentar mais para frente, de verdade. Possivelmente meu irmão de 11 anos chegou a zerar mais jogos no Playstation 2 (e porque não no PS3 também) que eu. Isso me deixa no mínimo orgulhoso :).

Hoje jogo muito mais no PC, mas ainda tenho meu bom e velho Super Nintendo e um Playstation 3. Sou o típico acumulador de jogos do Steam. Compro desenfreadamente sendo que não joguei nem metade dos meus jogos. E olha que tem muita coisa boa por lá.

Sou grande adepto de emuladores, por mais errado que isso seja, mas pelo fato de que é realmente complicado investir forte em videogames quando se está desempregado a quase um ano :/.

Outras coisitas importantes:

1. Meu jogo favorito de todos os tempos é Resident Evil Director's Cut (sim, o primeirão). Apesar de todos os problemas, esse jogo é <3. Ainda farei meu "top jogos favoritos" por aqui.

2. Nunca zerei nenhum Zelda, Donkey Kong, Metal Gear Solid, GTA, God of War, Uncharted, Silent Hill e outras muitas franquias famosas. Pretendo reverter esse quadro, EU PROMETO.

3. Tenho muitas amizades virtuais (solta o som) graças ao Left 4 Dead piratão e seus servidores em russo.

4. Adoro jogos indies, em especial The Binding of Isaac: Rebirth (devo escrever sobre ele também).

5. Por mais fã que eu seja de Resident Evil e acompanhe cada mídia em que RE está (menos os filmes, por que né!?), ainda não joguei todos os jogos da série. Mais um objetivo de vida.

6. Dificilmente fico "hypeado" com algum jogo. E isso é bom (eu acho).

Basicamente usarei o Alva para escrever sobre os joguetes que eu jogarei, desde os clássicos que deixei passar até os mais atuais que tão parados no meu Steam. Por mais que tenha entrado um pouco tarde demais no Alvanista,  vejo que tem muita gente engajada e realmente apaixonada por jogos aqui ainda. Isso me motiva não só a escrever como também a encontrar outras pessoas com gostos parecidos.

That's all folks ;)

5
  • Micro picture
    rodrigocaldas1993 · almost 4 years ago · 2 pontos

    Bem vindo :D
    Eu também tive meus primeiros contatos com videogames através do Super Mario World no SNES, e com Donkey Kong 1 e 2 também, mas depois nunca mais tive nenhum console, só pc mesmo, e claro, como todos os usuários de Steam também não joguei nem metade dos jogos que tenho lá, mas vivo comprando também (apesar de que nesse último ano não comprei quase nada).

    1 reply
  • Micro picture
    andre_andricopoulos · about 3 years ago · 2 pontos

    Prazer e bem vindo...
    Também me formei em Comunicação na publicidade...
    Tá preparado? Comecei no Atari meados de 80...
    Nossa...filhote...corre p conhecer SILENT HILL (série) mas somente se curtir terror psicológico...
    ...
    Vida longa para todos nós (e consequentemente muitos games)

    2 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...