mateusmaster

Jogando há duas décadas, jogo qualquer tipo de jogo independente da plataforma. Games 4 Life

You aren't following mateusmaster.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-09-18 00:12:33 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 736255 3309110367

    Jogo finalizado #267 - Dishonored 2 (XBOX ONE)

    #35º em 2020

    Finalmente coloquei minhas mão nessa obra prima do gênero Stealth! E foi numa boa hora, afinal, em alguns dias o game vai sair do catálogo do Game Pass - espero que coloquem a expansão Stand Alone agora...). Eu tenho o primeiro game original na versão de PS3, e adorei na época, mas não porque diachos de motivo eu nunca havia voltado para rejogar. Porém agora, depois de 7 anos joguei a sequência e me deparei com uma versão mais polida, e ainda mais gostosa de se jogar, do primeiro game!!!

    A história me surpreendeu, eu não esperava um desenvolvimento de personagens tão bom. A trama gira em torno da tirana Delilah que, com a ajuda de seus 5 comparsas, roubou o trono de Emily. No decorrer do game temos que caçar um a um esses indivíduos com o intuito de encarar a vilã num encontro derradeiro! Ahh e agora Corvo Attano fala kkk

    É um game bem parrudo e muito bom no que se propõe a fazer: deixar o jogador livre para agir nas sombras (ou não), em cenários bem elaborados cheio de passagens secretas e diversas formas para se alcançar o objetivo das missões. Já adianto aqui que joguei o game com a Emily, e minha jogatina deu exatas 30 horas! Isso porque eu tentei ir ao máximo em stealth possível e prometi pra mim mesmo que não mataria NINGUÉM no jogo todo. Dito e feito, passei pelos 9 cenários sem deixar a peixeira lamber NPC algum, fui furtivo máximo que pude e peguei o status Ghost em 6 dos 9 capítulos (nos 3 primeiros eu ainda estava me readaptando a jogar em stealth e primeira pessoa e dei um fails kkk) e dei um jeito nos alvos de cada missão de forma não letal e mais criativa possível - quem jogou sabe kkk

    Enfim, é um baita jogo, Arkane Studios tá de parabéns, pra mim é a melhor franquia atual de stealth. A jogabilidade é uma delícia, os gráficos são bonitos (apesar de eu ter jogado no One base), música e efeitos sonoros sem defeitos, único ponto fraco pra mim é a I.A. dos inimigos que, às vezes, é surda demais e enxerga demais - e os loads tbm são demorados, nem conto o quanto de load eu vi por jogar em stealth (volto o save mesmo!) 

    Ahh e comecei a jogar o game novamente, algo que raramente eu faço, e com apenas 2 horas já estou quase na metade do game kkkkk isso porque já estou com os mapas praticamente gravados na mente e já sei o que tem que fazer - e agora estou jogando com o corvo numa pegada totalmente letal, mas ainda assim stealth para pegar Ghost em todos os níveis!!

    4,5/5 estrelas

    Dishonored 2

    Platform: Xbox One
    90 Players
    6 Check-ins

    5
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-09-02 14:28:14 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 733278 3309110367

    Jogo finalizado #266 - Carrion (XBOX ONE)

    #34º em 2020

    Um jogo que surgiu do nada mês passado, causou polêmica pelo ícone na versão Switch e que veio no day one para o Gamepass, Carrion me cativou pela sua temática diferenciada e grotesca!

    Joguinho maneiro em 2D side scroller baseado em níveis, aqui temos uma dúzia de níveis interconectados, em que nosso objetivo é encontrar fendas na parede para aumentar nossa biomassa e meio que "marcar território", ao mesmo tempo em que absorvemos componentes químicos para deixar nosso monstro maior e obter novas habilidades para cada um dos três tamanhos que a criatura pode ficar. A movimentação é feita de forma que nunca vi em um game do tipo, não nos movemos de forma tradicional, na verdade apontamos uma direção para que a massa de bio-organismos se mova deslizando pela tela. 

    Clara inspiração em The Thing, a criatura desperta no jogador a vontade sanguinária de destruir todos humanos encontrados na base - e podemos fazer isso de formas brutais e criativas, até mesmo por meio de possessão. 

    Divertido, curto e direito ao ponto, recomendo pra qualquer um que assine o Gamepass e queira uma diversão rápida!

    4/5 estrelas

    Carrion

    Platform: PC
    24 Players
    4 Check-ins

    7
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-08-29 19:10:32 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong>Jogo finalizado #265 -&nbsp;</strong><st

    Medium 732682 3309110367

    Jogo finalizado #265 - Ori and the Will of the Wisps (XBOX ONE)

    #33º em 2020

    Depois dessa ressaca pós TLOU 2 pude me dedicar a um game mais extenso novamente! Lindo esse game feito pela Moon Studios. Level design bem construído, um cenário mais bem feito que o outro, seguindo a linha do primeiro game. Colocaram vários elementos novos na jogabilidade, que está mais dinâmica e funcional. 

    Na realidade comecei a jogar esse game na semana do lançamento, lá em meados de abril. Foi um momento complicado aquele período: estávamos em meio ao começo da quarentena por causa do Corona Vírus aqui no Brasil, e para piorar o meu tio avô Tinho, que eu considerava muito e cuidou de mim quando era criança, veio a falecer devido problemas de saúde. Eu estava jogando este game nesse meio tempo e ele meio que me ajudou a não ficar completamente devastado naquelas duras semanas. Porém não pude finalizar esse game na época devido o fim da minha assinatura do Gamepass.

    Mas enfim, agora pude pegar novamente e continuar de onde parei, estava na reta final e faltava limpar apenas a última área do jogo. é um metroidvania muito competente, trouxe alguns elementos de Hollow Knight (outro que preciso terminar), como a possibilidade de comprar mapas. O jogo também conta com mais combates contra chefes, além das fugas já aclamadas do primeiro game.

    A história é bem contada e chega a emocionar, deixando lições de moral fortes dentro do ambiente da floresta. A princípio temos que ajudar a pequena coruja Ku a alçar voo. Porém em consequência disso a turminha de Ori vão parar na ilha de Niwen, local onde precisam expurgar a escuridão e trazer a paz de volta ao espíritos da floresta e seus graciosos moradores, o Kori. No entanto a maior adversária que encontrar é Shriek, uma coruja deformada e rancorosa que somente tem trevas em seu coração.

    Muito belo, um dos meu games em plataforma preferidos e um dos games "exclusivos" de Xbox mais bem feitos que existem!

    4,5/5 estrelas

    Ori and The Will of The Wisps

    Platform: Xbox One
    75 Players
    20 Check-ins

    7
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-08-24 16:30:02 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Antes

    Medium 731815 3309110367

    Antes de tudo um adendo: Correr atrás de platinar um game era algo que eu me importava bastante entre 2009-2012, época que surgiram os troféus nos sistemas Playstation. Na época eu tinha acesso à poucos games originais, portanto quando pegava um game eu tentava fazer tudo que podia nele. Com o passar do tempo, fui largando mão disso em troca de jogar uma quantidade maior de games e em plataformas distintas. Hoje em dia só me empenho para platinar games que curto muito e que fazem partes de franquias que sou muito fã

    Porém vou deixar aqui registrado as poucas platinas que já conquistei:

    Assassin's Creed II e Revelations, Uncharted 1 e 2, God of War 1, 2, 3, Chains of Olympus, Ghost of Sparta e Ascension, Skyrim, Assassin's Creed Origins e Odyssey, Horizon Zero Dawn, God of War (2018)  e Marvel's Spider-Man.

    Jogo Platinado #17: The Last of Us Part II (PS4)

    #1º em 2020

    Agora sim minha jornada com essa obra prima está concluída! Desde que zerei esse pesadíssimo game eu não consegui pegar nenhum outro game narrativo para jogar, estava apenas jogando alguns clássicos do Super Nintendo e me divertindo em alguns games online. Eu sentia que precisava jogar de novo TLOU 2 para absorver tudo aquilo novamente, ver os acontecimentos por outro ângulo e entender detalhes da história com a cabeça mais fria - e claro, correr atrás dessa platina que é até fácil de conseguir (em comparação com a excruciante platina do primeiro jogo).

    Pois bem, dessa vez aproveitei o game de forma mais lenta: nessa segunda jogada levei mais de duas semanas para concluir essa longa história. Foi interessante ver interações que conectam as duas jornadas enquanto jogava. Também deu para observar detalhes legais que não vi na primeira jogada, como um momento simples, mas belo, em que Dina cantarola a música Take on Me enquanto lava louça.

    Platinar esse game foi uma tarefa de boa, peguei um caderninho, anotei todos os coletáveis que faltavam e fui pegando um por um (faltavam nem 1/4 do total de moedas e cards, e sim, usei de uma ajudinha de alguns sites hehe). O resto veio naturalmente, como upar Ellie e a Abby e suas armas.

    Jogo do ano e um dos games da minha vida, devidamente platinado e terminado duas vezes - o GOTY vem hahah

    PS: Esses dias a Naughty Dog adicionou mais dois troféus: um de terminar no punitivo e outro de terminar no permadeath, mas esses eu vou passar, pelo menos no momento, quem sabe daqui alguns anos? xD

    The Last of Us Part II

    Platform: Playstation 4
    736 Players
    201 Check-ins

    10
    • Micro picture
      slashgoodboy · about 1 month ago · 2 pontos

      Parabéns pela platina, e parabéns por ter estomago pra voltar a jogar esse game de novo. Não me leve a mal, achei fenomenal, deve levar o goty esse ano e tal. Mas depois dos créditos passei 20 minutos encarando o barco do menu inicial e não sei quando ou se algum dia estarei pronto pra essa experiencia de novo.

      1 reply
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-08-16 13:51:09 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong>Jogo&nbsp;Multiplayer&nbsp;que joguei mu

    Medium 730380 3309110367

    Jogo Multiplayer que joguei muito: Fall Guys

    #2º em 2020

    Nas últimas semanas passei boa parte do meu tempo jogando essa divertida coletânea de desafios um mais desafiador/engraçado/irritante que o outro! Como que ninguém nunca penso em fazer um jogo online competitivos battle royale com vários rounds divertidos como os jogos que passavam no SBT com o Celso Portioli (ou o Faustão u.u).

    Joguei bastante até esse game, inclusive com amigos que foram em casa - um show de risos e passadas de controle - porém quem mais jogou foi minha mulher, que é muito mais boba que eu por natureza e por isso GRITAVA de tanto rir enquanto jogava com esses destrambelhados bichinhos.

    Ainda estou jogando, quero pelo menos ganhar uma vez em primeiro kkk porém o game teve sérios problemas de servidor que dificultou um pouco a jogatina, inclusive nos fazendo perder a conexão na última rodada mais de uma vez, fato que desanimou um pouco nosso "tesão" com o jogo. espero que resolvam logo isso!

    Achei uma jogada bem espera da desenvolvedora do game em lançá-lo na PSPlus logo quando o game saiu, trouxe muita relevância para o título, e muita jogadores!

    O level preferido pra mim é o que tem que ficar desviando das paredes que vem rolando pela frente, tudo isso em cima de uma pequena plataforma lotada de gente se empurrando e fazendo palhaçada.

    O game é viciante, bonito graficamente, muito engraçado mas ao mesmo tempo estressante

    Fall Guys: Ultimate Knockout

    Platform: Playstation 4
    52 Players
    20 Check-ins

    8
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-08-15 08:51:45 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong>Antes de tudo um adendo</strong>: defini

    Medium 730131 3309110367

    Antes de tudo um adendo: definitivamente não sou o cara do jogo online, porém abro algumas exceções, geralmente devido amigos ou familiares que me pedem para jogar junto. Tenho sempre receio de começar a jogar um game online e me "viciar" demais nele e com isso eu ter menos tempo hábil para jogar games singleplayer, mas sempre acabam me convencendo e eu tenho que saber gerenciar isso.

    No passado joguei alguns games online, são poucos se for parar para ver. Joguei o multyplayer de: Uncharted 2, Assassin's Creed: Brotherhood, Call of Duty: Black Ops, The Last of Us, Rust (esse foram mais de 300 horas em 2015, shame on me), Titanfall, Halo 5, Call of Duty Mobile e... bem e só kkk Porém quando jogava esses games eu jogava mesmo! 

    Jogo Multiplayer que joguei muito: Fortnite

    #1º em 2020

    "Mas o que é isso?!" Você deve estar pensando. Pois é, caí na cilada de me envolver com o game mais jogado do momento. Na realidade eu já havia jogado umas boas partidas de Fortnite lá em 2018, tendo até mesmo experimentado jogar com o Thanos na época do filme dos Vingadores Guerra Infinita, porém não foi algo que joguei por muito tempo. Em 2019 eu sequer testei o jogo após a mudança de mapa e vários eventos que ocorreram no jogo, só acompanhei de longe pelas notícias e comentários da galera.

    Porém nos últimos meses tudo isso mudou: meu primo Silas, de 12 anos, me chamou para jogar com ele e com isso o irmão dele, meu "primo-irmão" Angelo, da minha idade, começou a jogar também, e agora sempre formamos nossos "esquadrões de 3" para zoar nesse mundo maluco! Estamos desbravando esse mapa do game, que está em sua segunda temporada (um mapa totalmente diferente daquele que eu jogava em 2018!)

    Sério, a gente é bom demais juntos - mas primeiro temos que morrer várias vezes no começo para dar aquela.... aquecida kkk Já ganhamos em primeiro lugar incontáveis vezes, e cada vez que chagamos no final de cada partida a tensão sobe para níveis elevados e a mão até soa! Graças a meu priminho, que é viciado e pesquisa bastante sobre o jogo, temos uma tática especial jogando Fortnite: sempre que jogamos nós caímos direito na base que tem no exato meio do mapa, colocamos o uniforme dos capangas da base (NPCs chatos que a protegem), entramos pelo tubo de ventilação e assim a gente abre todos os baús especiais que tem pelo caminho. Em seguida, derrotamos a chefe do local, a implacável Jules, pegamos suas armas (uma arma que parece um gancho e nos leva a qualquer ponto do mapa sem limitações) e o cartão que dá acessoa o cofre da base. Então nós vamos cuidadosamente até o cofre, protegemos o local com construções, e o saqueamos por inteiro! Desse modo estamos lotados de armas boas e com a vida e escudo cheios. é hora de sair da fortificação. Pegamos o Helicóptero e voamos até o local em que o mapa vai se afunilar. Daí pra frente é só sobreviver até o final e ser habilidoso para ficar em primeiro! E pior que funciona bastante esse modo de jogar :D

    Ah e o legal é que existe o Cross Play entre as plataformas. Meus primos jogam em split screen no Xbox One S e eu jogo ou no meu PS4 ou no meu Switch (o que é algo bem legal, poder guardar seu progresso em mais de uma plataforma). 

    Ainda jogamos com bastante frequência, uma ou duas horinhas por dia. Sim, sei que estou gastando meu tempo que poderia estar zerando mais games, mas tudo bem: estou me divertindo bastante e ainda interagindo com meus primos, que pouco vi este ano devido a quarentena! Mês passado foi aniversário desse meu primo mais novo, e dei de presente para ele o passe de temporada de Fortnite - nem preciso falar o quanto ele ficou feliz xD

    Fortnite

    Platform: Playstation 4
    233 Players
    70 Check-ins

    6
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-08-01 18:06:06 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 727189 3309110367

    Jogo finalizado #264 - Super Mario World 2: Yoshi's Island (SNES)

    #32º em 2020

    Comecei a jogar esse game sem conhecer direito seu histórico, e pasme, me deparei com um título super divertido que ao mesmo tempo que é a "continuação" do clássico eterno Super Mario World (as aspas se referem ao fato de esse game ser  uma prequel), é também o primeiro game do querido dinossaurozinho verde, Yoshi!

    Jogo bonito esse, um dos mais bonitos que já vi no SNES, tudo é muito bem feito, várias cenas lembram giz de cera, e na época deve ter impressionado muita gente, aliás, saiu no ano em que nasci! Além disso as músicas são marcantes e gostosinhas de se ouvir. 

    Yoshi's Island tem mecânicas diferentes das existente nos games do bigódudo. Deixamos um pouco de lado os pulos na cabeça dos inimigos e nos focamos em engoli-los, fazendo-os virar ovos e arremessando-os em outros adversários, obstáculos e pontos de interesse do cenário. O jogo conta com quase 50 níveis, além de 12 secretos, e cada fase tem sua temática sendo umas mais bonitas que as outras. Confesso que achei as fases um pouco longas, em comparação com outros títulos do Mario., porém elas divertem e desafiam de forma justa. Em todas as fases devemos buscar 5 flores, 20 moedas vermelhas e 30 estrelas, a fim de pegar a pontuação máxima em cada fase - confesso que só peguei 100 em uma fase kk mas foi no final do game u.u.

    O game conta com diversos tipos de inimigos, aparecendo diversas variações dos ShyGuys no começo, mas ao tempo figuras conhecidas vão apaecendo, como os Koopas, Goombas e os Boo. Mas tem uma variedade incrivelmente alta de inimigos no decorrer do game, sério é uma infinidade de inimigos e com diversas variações que encontramos no decorrer da aventura. 

    A história do game mostra os gêmeos recém-nascidos Mario e Luigi, que estavam sendo levados por uma cegonha a seus pais. Porém são emboscados pelo Magikoopa malvado, Kamek. Ele conseguiu capturar Baby Luigi e a cegonha e aprisioná-los no Castelo de Baby Bowser (sim), enquanto Baby Mario cai em direção ao mar,  por sorte tendo pousadoo nas costas do querido Yoshi, que estava em sua ilha. Yoshi e sua gangue de... Yoshis descobrem que Baby Mario também tem um mapa com ele, que revela a localização do Castelo do Bowser. Portanto, eles resolvem ajudar o pequeno Mario a resgatar seu irmão e por fim, serem entregue a seus pais.  Após uma longa jornada, de lutar contra diversos chefes que Kamek LITERALMENTE aumentou em vários fortes e castelos da ilha, os Yoshis finalmente conseguem derrotar Kamek e Baby Bowser e resgatar Baby Luigi e a cegonha, permitindo que a cegonha entregue os bebês com segurança aos pais!!

    O game é muito fofo e divertido, gostei bastante, o pessoal do 99 Vidas está certo em achar ele um clássico que faz jus ao game original! Agora terminei todos os games que tem de SNES no Nintendo Switch Online que eu queria jogar. Fico na dúvida se jogo Breath of Fire, mas quem sabe? xD

    4,5/5 estrelas

    Super Mario World 2: Yoshi's Island

    Platform: SNES
    8150 Players
    113 Check-ins

    15
    • Micro picture
      majimbuu · about 2 months ago · 2 pontos

      Eu joguei esse game lá noa anos 90 e realmente me impressionou muito. Acho, inclusive, melhor que o Super Mario World. Em termos de favorito para o SNES, ele fica em 3º, atrás de Super Metroid e Donkey kong Country 2.

      1 reply
    • Micro picture
      santz · about 2 months ago · 2 pontos

      Esse jogo é realmente fantástico. Mas também acho as fases um bocado longas e acabam cansando quase no final, mas tudo bem. A parada de coletar também é meio chato, pois sempre fica aquele gosto amargo de que ficou faltando 1 ou 2 coisas para fazer 100 de uma fase.

      4 replies
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-07-23 11:11:46 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 724894 3309110367

    Jogo finalizado #263 - Star Fox 2 (SNES)

    #31º em 2020

    Logo após terminar o primeiro game da série, já fui direto jogar essa sequência... tardia (?) lançada apenas 24 anos após o original, mas feita nos mesmo moldes heheh

    Esse game foi cancelado na época, porém a Nintendo o resgatou para o lançamento do SNES mini e o lançou como deveria ter acontecido pelo menos duas décadas antes. O game é bem mais evoluído que o primeiro, tem um mini mapa da galáxia, mostrando os vários planetas e as naves inimigas que navegam a fim de destruir o planeta de Corneria. 

    A história é mais elaborada, e contém mais diálogos e cenas de corte. Novamente o vilão Andross invadiu o sistema de Lylat e com o uso de sua nova fortaleza flutuante chamada Astropolis ele deseja destruir o planeta lar dos mocinhos. O vilão conta com a ajuda da equipe malvada  Star Wolf na batalha contra a equipe Star Fox. O General Pepper mais uma vez solicita os serviços dos mercenários Star Fox, que agora contém novas caras além de Fox, Falco, Slippy e Peppy, sejam eles Miyu e Fay. Eles também têm mais e melhores equipamentos, incluindo novos Arwings, e uma nave-mãe para repará-los e reabastecê-los. A equipe decide defender a Corneria derrotando as forças de Andross antes que elas possam causar danos críticos ao planeta. O objetivo final é destruir Astropolis, antes que a nova força aérea de Andross cause muito dano à Cornéria.

    O game é mais elaborado que o primeiro, mas não saberemos se isso seria mérito do game se fosse lançado naquela época ou isso acontece devido seu lançamento só agora, praticamente.

    É um game divertido, a jogabilidade é mais fluída que o original, permitindo maior mobilidade nas fases. Uma novidade durante a gameplay é função de transformar as naves em andantes, que disparam rajadas ainda mais potentes.

    4/5 estrelas

    Star Fox 2

    Platform: SNES
    215 Players
    6 Check-ins

    11
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 2 pontos

      Eu tentei jogar esse segundo, mas não consegui gostar tanto. O primeiro ainda é bem superior.

      1 reply
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-07-23 10:30:00 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 724883 3309110367

    Jogo finalizado #262 - Star Fox (SNES)

    #30º em 2020

    Primeira experiência que tenho com a franquia da raposa espacial! Aproveitei que minha assinatura do Nintendo Switch Online está acabando, olhei pro ícone de Star Fox e pensei "por que não?" kkk

    Esse game de 1993 deve ter sido de explodir mentes na época com seus gráficos tridimensionais e sua temática que em muito lembra Star Wars - cara, tem umas naves que a silhueta lembra muito uns TIE Fighter (só ver na terceira tela da imagem aí).

    O game está bem mas bem datado para hoje em dia, mas vale a pena para conhecer, afinal, é um game bem curto, e surpreendentemente divertido. Os gráficos são aqueles polígonos gigantes que podemos esperar, mas penso que quem jogou no momento que saiu ficou impressionado com as telas que demonstram um infinito estrelado ou planetas inteiros ao fundo. 

    O jogo consiste em controlar a nave de batalha Arwing do patrulheiro espacial Fox McClould e seu time, conhecido como Star Fox, para salvar o sistema de Lylat do maligno vilão Andross. Podemos escolher uma dentre três rotas para chegar no planeta final, Venom, e enfrentar o vilão. Escolhi a primeira rota, sou novato u.u No caminho recebemos ordens diretas do General Pepper que nos instrui o que fazer em cada cenário.  Não posso deixar de citar os companheiros de batalha de Fox, sejam eles Falco Lombardi (meu preferido), Peppy Hare e Sluppy Toad. Durante as fases temos que atirar nas naves que os persegue a fim de ajudá-los.

    Ao final de cada fase temos que derrotar um chefão, que são diferentes um do outro e alguns também parecem ter saído da saga Skywalker, inclusive as partes em que temos que adentrar o interior de uma nave e atirar no núcleo.

    Bom, foi uma jogatina rápida, o game é bem curto de se terminar uma vez, podendo ser prologando se a pessoa quiser ir pelos 3 caminhos possíveis. Gostei de conhecer a franquia, e sei que os games futuros são bem mais desenvolvidos, uma hora irei jogá-los.

    4/5 estrelas

    Star Fox

    Platform: SNES
    3765 Players
    20 Check-ins

    11
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 2 pontos

      Garanto a você que as outras rotas tornam o jogo ainda mais foda, especialmente a rota 3. Com a ajuda de save state, dá para zerar de boa e conferir o quão foda Star Fox conseguiu ser na era dos primeiros jogos poligonais.

      1 reply
  • mateusmaster Mateus Antonio da Silva
    2020-07-20 20:36:22 -0300 Thumb picture
    Post by mateusmaster: <p><strong style="background-color: initial;">Jogo

    Medium 724311 3309110367

    Jogo finalizado #261 - Donkey Kong Country (SNES)

    #29º em 2020

    Demorou, mas nesse mês FINALMENTE a Nintendo adicionou DKC no sistema online do Switch - a pegadinha é que colocaram somente o primeiro jogo ¬¬

    Mas enfim, agora pude jogar e da melhor forma possível. Minha história com esse game é antiga: quando criança jogava as fases em conjunto com um amigo da escola, porém nunca tive o SNES e por isso não pude jogar à exaustão. Anos mais tarde tentei emular esse game no PSP, porém a emulação desse jogo em específico não ficava legal, com lags e lentidões, então desanimei e deixei pra depois. E bem, essa foi a oportunidade perfeita! Terminei esse jogaço e diminui minha lista da vergonha.

    DKC é um clássico dos games, só fico pensando em quão revolucionário esse game foi em 1994: gráficos pré-renderizados em 3D, alta qualidade de som e de trilha sonora, gameplay fluida e divertida... Era como uma amostra dos games da era 32 bits em pleno console de 16 bits! O jogo é divertido e dá vontade mesmo de coletar todas as bananas e formar o letreiro "KONG" em todas as fases. Acho que única coisa que me irritou um pouco são os pulos que precisam ser muito exatos para darem certo - se não é vala na certa kkk

    Quando eu era criança eu tinha um PSOne, e nele eu jogava bastante um CD duvidoso chamado "100 Games de Nintendo no Playstation" e foi ali que conheci várias franquias clássicas, dentre elas os games do Donkey Kong - daí vem meu apreço pelo personagem. E foi bem legal notar que a Rare colocou vários elementos desses games arcades do macacão em sua reimaginação, como o fato de subir e descer nas cordas para fugir dos zangões e outros inimigos.

    A história é bem simples e serve como pretexto para os níveis. Basicamente, o que acontece é que o vilão jacaré, King K, Roll, por intermédio de seus capangas Kremlings, roubam todo o precioso estoque de bananas dos Kong e levam para seu grande navio. Desse modo, controlamos um irado Donkey Kong, junto com seu sobrinho, Diddy Kong, a fim de atravessar por toda a ilha em que moravam a fim de recuperar as tão requisitadas frutas.

    Nesse caminho, enfrentamos diversos inimigos como jacarés, ratos, zangões, peixes, tubarões e uma série de outros animais - todos com um nome próprio e movimentos únicos. Passamos por diversos níveis diferentes, como florestas verdes, cavernas escuras, minas abandonadas, vales ensolarados, montanhas nevosas e até fábricas industriais. Durante essa jornada DK conta com a ajuda do velho ranzinza Cranky Kong, do descolado Funky Kong e da... bela (?) Candy Kong para nos auxiliar, respectivamente, com dicas, transporte rápido e salvamento do game. Além disso, também contamos com a ajuda de diversos parceiros animais para montar, os quais são: Rambi o rinoceronte; Enguarde, o peixe-espada, Winky, o sapo; Expresso, a avestruz e Squawks, o papagaio - todos são jogáveis em níveis secretos se pegarmos itens dourados nas fases do game.

    Bom, joguei, conheci todos os níveis, derrotei o vilão, mas no fim de tudo Cranky Kong me deu um puxão de orelha por ter feito apenas 55% do game e disse que se fosse ele jogando teria pegado tudo e visitado todo os cenários secretos kkkk Jogão, clássicudo.

    4,5/5 estrelas

    Donkey Kong Country

    Platform: SNES
    20549 Players
    226 Check-ins

    11
    • Micro picture
      santz · 2 months ago · 2 pontos

      Eu também tinha um CD de PS1 com alguns clássicos de NES, mas a maioria eu conheci mesmo mais recentemente. Esse jogo é foda demais. O visual, a trilha sonora e a jogabilidade, tudo casa perfeitamente bem. Uma obra prima dos videogames.

      2 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...