2019-09-30 14:23:53 -0300 2019-09-30 14:23:53 -0300

Manifesto pelos jogos curtos

Single 3747594 featured image

T'aí um exemplo que pode ser seguido

Infelizmente, como vocês já devem ter percebido, a ausência dos posts está marcante desde o segundo semestre de 2018. Isso se deve a vários motivos, mas resolvi me dedicar a um destes, o qual identifiquei após um tempinho de reflexão: o excesso de jogos de alta duração

Por se tratar de um manifesto (e também pela minha falta de tempo), este artigo será mais curto e sem minha divisão por motivação, apenas o texto mesmo. Mas afinal, por quê jogos curtos são uma boa?

Antes de responder à minha pergunta, vou elencar brevemente a minha teoria do porquê tantos jogos longos se lançou nos últimos anos: o alto custo de criação e venda

Sim, por que em um mercado cujas empresas mataram os jogos de médio orçamento na transição da 7ª para o 8ª Geração, restando só os AAA (descontando os indies, cujo envolvimento com as majors muitas vezes se resume a distribuição), quando se tem custos muito altos, o melhor a se fazer é apostar no modismo da geração em questão, que, neste caso, é o mundo aberto com elementos de RPG (ou o contrário). Some isto ao fato de que qualquer jogo de uma grande empresa vai custar um preço cheio independente do que seja, e pronto. Daí os jogos estruturalmente mais simples (não narrativamente, basta ver Celeste) praticamente sumiram.

O grande exemplo da geração

Mas em resumo, porque é ruim este excesso de jogos grandes? Isso (restrição e elitização [?] dos jogos) daria um tema de dissertação, mas, em resumo, porque é incompatível com a maioria dos estilos de vida das pessoas. Só conseguem se dedicar inteiramente a esse tipo de jogo quem tem baixa carga horária de trabalho e/ou estudo. O resto é resto...

Resultado disso? Bom, é difícil medir o impacto disso coletivamente. Mesmo medindo os troféus de zeramento que estão disponíveis em sites como Exophase são problemáticos porque nem todos tem conta na PSN e o público para esse tipo de jogo também é selecionado. Mas eu posso dar o meu exemplo pessoal

No final de 2017, eu tava no embalo. O ENEM ainda tava distante (sim, sou vestibulando hoje) e eu podia aproveitar parte dos meus jogos recém-comprados, a grande maioria sendo RPG e mundo aberto (não só desta geração). Porém a pressão começou a chegar, o que por si só não seria um impedimento, mas ela veio junto com meu interesse por outras mídias, como livros, filmes, etc. O resultado disso é que estou há mais de um ano sem jogar nada direito. Lindo, né?

O máximo que eu conseguia fazer era jogar um tiquinho de alguns jogos lineares e jogos não-continuistas, que não dependem tanto do comprometimento do jogador. Daí eu comecei a refletir...

No Man's Sky representa uma interessante exceção: por não ter um objetivo e linearidade claro, ele se molda de acordo com o ritmo do jogador

Por que tanta demanda para jogos longos (ao ponto de sua duração pequena ser citada por muitos como um ponto negativo), com conteúdos infindáveis, os quais muito certamente não irão chegar ao fim (basta ver a platina destes jogos, ou mesmo o 100% interno)? Busca por alienação? Crença de que não vale a pena gastar preço cheio para um jogo de 5-6 horas? Sinceramente, eu não sei. Entretanto, o predomínio de jogos de tamanho comprometimento de jogar (ao mesmo tempo em que paradoxalmente, é frouxo quando se trata de narrar) é algo que exclui uma parcela de pessoas dos games.

Por isso venho aqui defender jogos curtos. Não curtos como conhecemos, como um Call of Duty da vida, mas sim além: jogos EXCEPCIONALMENTE curtos, terminados em poucas horas, ou até mesmo minutos? Por que não jogos-contos, que se dedicam a uma história ou um gameplay diferente do que vimos, sem ser longo e gastar muito trabalho e dinheiro dos desenvolvedores? Tech demos jogáveis?

Esta HQ do mestre Will Eisner não precisou de mais do que 70 páginas para ser considerada uma obra-prima. Já imaginou os fãs reclamando que deveria ter mais história do que deveria?

Não é uma perda de tempo jogar jogos bons e curtos. Sei que jogos são considerados caros no mundo inteiro, e ainda mais no Brasil. Mas também sabemos que muito da previsibilidade dos grandes jogos hoje se deve aos altos custo de seu desenvolvimento. O que poderia ser feito com custos reduzidos e talvez propósitos especialmente experimentalistas? Quantos jogadores(as) não poderiam se atrair por este formato inovador e minimalista num mundo cada vez mais corrido?

Novamente, por se tratar de um manifesto, será um texto curto e aberto ao debate. Espero que tenha gostado e reflita: você pagaria 25 reais por uma aventura de 2 horas?

Journey

Platform: Playstation 3
4041 Players
165 Check-ins

55
  • Micro picture
    pauloaa · 15 days ago · 3 pontos

    Eu sempre bati nessa tecla, preferiria jogos mais baratos e curtos do que esse montão de jogos de 30/50 horas, se pegar jogos mais antigos a maioria não passava de 10hr, vide half-life, medal of honor, por exemplo.

  • Micro picture
    msvalle · 15 days ago · 3 pontos

    Curiosamente estou jogando o The Witcher 3, e realmente, por melhor que o jogo seja, é muito longo.

  • Micro picture
    brunothebigboss · 15 days ago · 2 pontos

    Ah, e mais uma reclamação para conta do @sikora depois de algum tempo calado: não dá pra abrir o Rascunhos na versão de mobile!

  • Micro picture
    fonsaca · 15 days ago · 2 pontos

    Sempre reclamei do estilo mundo aberto por causa disso. Pra mim, no máximo 40h e só RPG tem esse direito! O tenso é que a maioria dos jogos longos são assim por causa de alguma enrolação, se resumissemos no conteúdo principal, com ctza seriam bem mais curtos.

    5 replies
  • Micro picture
    andre_andricopoulos · 15 days ago · 2 pontos

    Eu penso bastante nisso: em como os games estão grandiosos. Eu em particular não acho ruim mas... também gosto muito duma curta e boa experiência (2h - 10h).

  • Micro picture
    santz · 14 days ago · 2 pontos

    O bom é que hoje em dia tem opções para todos os gostos, antigamente, era só jogo curto.

    3 replies
  • Micro picture
    lica · 14 days ago · 2 pontos

    Seria interessante você já começar o texto escrevendo o que é um jogo curto, para você, e o que é um jogo médio e longo. Assim ajuda no parâmetro de discussão.

    5 replies
  • Micro picture
    hyuga · 4 days ago · 2 pontos

    pega o exemplo de the order 1886, eu vi gente falando criticando a duração do jogo que já é curta somado com a quantidade de cutscene o que deixa o gameplay efetivo muito baixo. eu sei que duração e qualidade devem ser postos na balança na hora de comprar um game, não adianta um jogo ser excelente, mas durar 5 horas para pagar valor cheio aqui no Brasil. concordo que os jogos podem ser mais curtos, desde que o valor abaixe proporcionalmente

  • Micro picture
    artigos · 15 days ago · 1 ponto

    Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • Micro picture
    farusantos · 14 days ago · 1 ponto

    Concordo com o seu manifesto. Eu consigo jogar muita coisa por ter relativamente muito tempo e acesso "fácil" aos jogos, no entanto eu tenho preferido os curtos — passou das 10 horas eu já começo a desanimar.

    Inclusive dois dos meus jogos preferidos desse ano até agora, A Short Hike e Sayonara Wild Hearts, duram por volta de duas horas e nem por isso deixam de ser ótimos.

  • Micro picture
    gennosuke6 · 14 days ago · 1 ponto

    Bem, eu gosto de jogos curtos tbm. Tem alguns jogos que são realmente mto longos, que se eu perder um pouco do embalo pra jogar direto, fico arrastando pra terminar, mesmo gostando do jogo.

    Mas eu pagaria no máximo uns 10 reais por um jogo de 2hrs.

  • Micro picture
    cris_ds · 14 days ago · 1 ponto

    Bom texto mas: "Só conseguem se dedicar inteiramente a esse tipo de jogo quem tem baixa carga horária de trabalho e/ou estudo. O resto é resto...". Só consigo jogar de noite e poucas horas (contando com o meu bom-senso de não gastar a noite toda e ficar destruído no dia seguinte, é claro), nessa levei um mês pra zerar o último God of War, então dá sim com pouca hora pra jogar. Acho que o que dificulta mesmo é pra quem quer jogar em quantidade e simultâneos. Sem contar que é eu sou um dos que você meio que citou, por causa dos preços eu caço os que demoram mais, já que não dá pra ficar comprando muitos (e mesmo em troca as vezes não compensa no $$)

  • Micro picture
    darknetbr · 14 days ago · 1 ponto

    Tenho muita vontade de jogar The Whitcher 3, só que o fato de ser um jogo enorme e eu ter que me prender a ele durante bastante tempo me desanima em 100%. Tenho vários outros jogos para terminar. Vários ainda estão por vir. Eu mal jogo já que estou em ano de vestibular. Se eu for aprovado ano de faculdade se não mais um de vestibular. Não vou ter tempo..... Talvez algum dia em um futuro próximo eu jogue. :) Também estou curtindo jogos curtos, nao lineares ou multiplayer. É o que há. Sem zerar AAA há 2 anos já. Louco pra terminar Detroit, Spider Man, a coletânea de The Walking Dead, evil within 2 e tantos outros ...

  • Micro picture
    mscampos · 13 days ago · 1 ponto

    O problema não é só a longa duração, mas a maioria desses jogos longos são vazios de (bom) conteúdo. Journey em 2 horas e sem nenhuma linha de texto conta uma história muito melhor que as infindáveis quests do Skyrim, por exemplo.

    Dessa leva de jogos mundo aberto o único que consigo recomendar sem ressalvas é o Witcher 3 mesmo. Sei que exige uma boa dose de dedicação e paciência, mas sem dúvidas vale a pena. Você sente que cada história está realmente conectada ao mundo, por menor que seja; a atenção aos detalhes narrativos é algo que raramente se encontra nos jogos, ainda mais em um tão longo.

  • Micro picture
    misterherosa · 6 days ago · 1 ponto

    Apoiado

  • Micro picture
    pauloaquino · 12 days ago · 0 pontos

    Pode ser fora de contexto o que eu vou dizer aqui, mas eu tambem quero deixar aqui meu "manifesto":
    Não tirem as mulheres sensuais dos videogames!
    E representatividade enfiada goela abaixo? NÃO, OBRIGADO!

    Eu tambem não curto jogo que você leva um ano pra zerar. Por isso que eu prefiro Mario Party Advance e WarioWare Inc, por causa de seus muitos minigames.

    2 replies
  • Micro picture
    gamerscafetime · 10 days ago · 0 pontos

    Gente, isso são fluxos! É o mesmo processo desde o PlayStation 1. O início do console apresenta sempre games mais curtos pq ninguém sabe mexer 100% na plataforma e é necessário pagar as contas. Depois os devs ganham maior experiência do hardware e conseguem desenvolver mais no mesmo tempo, é onde os games ganham mais conteúdo.

    O playstation 5 virá com games mais curtos no início da sua vida. Assim como o novo Xbox. Podem contar com isso.

    1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...