2020-07-30 18:05:28 -0300 2020-07-30 18:05:28 -0300

Será mesmo que o Xbox está em apuros?

Single 3817404 featured image

O evento da Microsoft contém erros estruturais em relação ao conteúdo escolhido e mostrado e contém erros em foco de projeto de muito desses jogos, onde a abundante liberdade dada aos estúdios e uma provável falta de "encomenda" e demanda por parte da grande compradora causa uma falta de variedade e equilíbrio criativo.

Por vezes temos um jogo que parece interessante, mas que não parece ser o começo de uma franquia e sim um título isolado, num cenário onde a divisão Xbox precisa urgentemente de novas caras. Esse é o caso de "As Dusk Falls", por exemplo. Outras vezes temos nomes já reconhecíveis de franquias aclamadas em nichos, como Warhammer e S.T.A.L.K.E.R., porém ao se chocarem, vivem uma crise de temas similares (visuais, narrativos, mecânicos ou tudo ao mesmo tempo), esses sempre nos agraciando com uma pitada de fixação norte americana por jogos em primeira pessoa e tiros.

Quando temos jogos com temáticas diferenciadas e pouco vistas no reino da Microsoft, a excitação é interrompida logo, quando damos de cara com um muro, que não nos deixa ver o que está acontecendo. Hellblade 2, The Medium, Everwild e Fable são só alguns desses exemplos. Em nenhum deles tivemos a revelação que mereciam, com alguma gameplay substancial (The Medium se saiu melhor), porém... A Xbox está na posição de alguém que não tem o luxo de poder mostrar apenas as suas meias sexies, mas deveria se despir por completo urgentemente. Mas talvez não haja nada pronto ainda ali por baixo, e 2020 está generoso em deixar os estúdios prosseguirem seus projetos. Só que não.

Para um primeiro projeto como estúdio comprado, deveria haver um acordo, reunião e diretrizes, onde entre si esses estúdios combinassem sobre o que cada um dos jogos iriam ser. A liberdade plena no início de um console não é benéfica quando precisamos de repertório. Não é todo dia que você tem a sorte de um PlayStation em 1993, onde pega uma desenvolvedora interessada em fazer um jogo de corrida, outra, um jogo de luta, etc.

A presença de sequências inesperadas de jogos multiplataforma salpicando entre um exclusivo aqui e ali também poderia compor um prato melhor para aqueles que não vão com a cara da seleção dos jogos da Xbox Game Studios, deixando automaticamente o evento com uma impressão muito melhor.

É preciso relembrar que o lado verde da força não pode ir atrás da Sony e repetir o tom da última apresentação do PS5, apresentando só promessas e conceitos. O Xbox precisa urgentemente de ação, de mostrar o que as pessoas querem ver. Então nesse ponto talvez os executivos da Microsoft não tenham percebido o tamanho do problema que possuem em mãos e ao invés disso, copiaram a fórmula do vencedor, que na verdade está calmamente passeando numa brisa quando o assunto se trata de confiança em seus jogos exclusivos.

Agora, por outro lado, quando colocamos economia mundial e o Brasil na balança, o exclusivo mais importante do Xbox é imbatível, e ele se chama Game Pass. O "exclusivo" que lhe dá acesso a um catálogo de coisas novíssimas e outras quase novas, vai ser a opção de escolha de milhares que não podem acompanhar nem a nova geração e nem o aumento de preço dos jogos - por motivos de fim de mundo. Enquanto a moçada norte americana está de boa com jogos a $70 dólares, com a massa branca com seus empregos garantidos e um presidente que compra todo o estoque da cura para humanidade, nós aqui direto da taba já temos um delicioso preview de aumento dos jogos, antes mesmo do resto do mundo. Neste momento entra a importância de um console ser bem representado em seu país, não convertendo valores de seus serviços 1:1 quando encaram a moeda chamada Real.

Ainda é nebuloso, mas ao que indicam, algumas mentirinhas estão rolando em relação ao que a Microsoft prometeu para aqueles que vão ficar um bom tempo ainda presos na geração anterior, mais conhecida como a atual. É que foi dito antes, que ao longo dos primeiros anos de nova geração, usuários do Xbox One ainda iriam receber os jogos do Xbox Game Studios, versões daqueles mesmos jogos que estão saindo nos Series X e suposto S. É Mentira - não ser que tudo seja um grande mau entendido (e dificilmente é). As legendas estão claras nos trailers e indicavam que boa parte dos jogos minimamente mais excitantes só vão aparecer nos Series e no PC. Isto está sendo debatido por alguns veículos de imprensa, mas ainda não tivemos nenhum pronunciamento oficial quanto a isso. Certamente teremos e será algo como "Não foi exatamente isso que a gente falou".

Halo Infinite, um caso a parte, merece explicação e vaias. É que o jogo está sendo feito para perdurar por 10 anos, e também claramente se trata de um jogo de Xbox One, e o tratamento dado para a suposta versão de Series X é de desapontar e motivo de piadas. Não é possível que eles achavam que está tudo de boa... Tudo pronto para ser mostrado como um jogo da nova geração quando não é, e que o jogador médio estaria levando em consideração os frames por segundo, resolução e escopo. Dois destes itens listados aliás, são itens que na realidade a pessoa normal, num mundo onde nem 1/5 da sociedade é composto de pessoas com salas com assoalhos perfeitos, móveis harmonizando e iluminação natural esplêndida... ahem!

...Num mundo onde mal temos acesso a uma TV ultra HD pelo menos. Então o que sobra é um jogo totalmente despido e que se converte em nossas TVs humildes como algo que nem de final de geração parece. E francamente, nessa altura também acho que o talento da 343 é debatível! 

E então chegamos no último círculo do inferno. A prioridade versus paixão. O primeiro evento do Xbox One não foi só um desastre por causa de TV e de como emprestamos jogos. Para quem não lembra, os primeiros jogos que pudemos ver para o console foi Fifa, Call of Duty e Madden. O que temos aqui é uma empresa que provavelmente tem bastante de seus dados enquanto você mexe em seu computador e sabe o que a maioria, o de novo - jogador médio, pensa sobre seus desejos e taras. Sem se importar nem um pouco com a base de fãs que não compram um jogo qualquer de fantasia mais que o todo de pessoas compram um jogo de futebol, mas a longo prazo são fiéis aos seus novos lançamentos e que mantém o nome e marca no alto e a saúde financeira boa a longo prazo, A Microsoft mirou somente nas amizades que fossem até ela e que tivessem os bolsos mais fundos, um padrão que podemos ver quando começam a mostrar trailers de jogos como Crossfire no evento de agora. Ok, isso ocorreu em escala muito menor, mas falta alimentar a paixão dos fãs, atendendo não somente aqueles que se agarram à marca por basicamente motivo algum, apenas pelo esporte de ter uma preferência. O Xbox precisa ser genuíno, buscar seu DNA, nem que esse processo inicialmente envolva copiar quem copia, mas principalmente procurar profissionais experientes não só na parte técnica de um console mas também na parte criativa de um jogo, tanto em gameplay quanto em narrativa.

Pessoalmente, ainda não acho que o lado do PlayStation 5 esteja extremamente excitante, a não ser que em agosto tenhamos uma chuva de anúncios da japonesa, e que enterrará o Xbox mais uma vez se eles não abrirem o jogo (literalmente). Minhas previsçoes para a Nintendo também não são as mais animadoras por agora, portanto concluímos que estamos no clima perfeito para a depressão e fim do mundo, onde a Sony dá uma de que não tem nada acontecendo e não fala que vamos ter que arranjar um segundo emprego, mas assume que a gente tenha um bom emprego em plena pandemia; A Microsoft com seu complexo de rei Arthur, que não consegue ter forças pra tirar a espada da rocha, mas tem a melhor capa dourada e reluzente aos olhos que você já viu (mas um pêlo no nariz, feioso, chamado Infinite que salta aos olhos da plebe), segue sabendo vender seu doce, que tem menos açúcar mas é menos saboroso; Temos a Nintendo de volta ao climão Wii U de ser, com a diferença de ter sido com um console com o primeiro ano espetacular mas que agora se resume a promessas indefinidas, escassez e com um presente relegado a reviver jogos da geração passada e indies, tudo custando cerca de três rins por cada item aqui em nossa realidade, não tenha tenha sido algo muito diferente para quem curte o lado vermelho da força.

Ah, e temos a galera do PC, que tá empurrando pra dentro do estômago o que tiver vindo, mas sem se preocupar muito com a saúde do mundo criativo que os consoles outrora puderam contribuir. E claro, a 4K, 60 FPS, avante master race (o que se torna um papo chato para um cacete de ficar ouvindo o tempo todo).

Porém, será mesmo que o Xbox está em apuros?

É difícil engolir e entender, mas o Xbox passa a ser uma entidade invés de uma caixa preta somente. Se já passamos do luto de perder a mídia física e seus cheirosos manuais, é hora de tão rápido se desapegar a jogos digitais unitários e começar a pensar fora da caixa, tendo jogos como um serviço, já que a grande população aprendeu também a se desfazer de caixas de DVDs e abraçam o Netflix e Amazon Prime com gosto.

31
  • Micro picture
    danilodlaker · about 2 months ago · 5 pontos

    Não vou opinar sobre sua opinião sobre o evento, só que bom, esse evento foi anunciado com foco nos jogos feitos pela Xbox Game Studios .. E bom acho que foi algo bem variado, se lembrarmos que teve jogo de corrida (Forza), RPGs (Avowed, Fable, Everwild), sobrevivência (Grounded, State of Decay 3), shooter (Halo), plataforma (Psychonauts 2), jogos de historinha (Tell me Why, As Dusk Fall) e bom, todos os jogos do evento vão estar chegando no lançamento para o Xbox Game Pass.
    Agora, vale a pena também antes de reclamar do Halo, que não discordo sobre os efeitos visuais, porém seria interessante pesquisar antes, porque o Halo Infinite não está sendo feito há 10 anos. Ele vai dura 10 anos, vai ser um jogo pra geração inteira. Não faria sentido o jogo está sendo feito há 10 anos, sendo que há 10 anos atrás quem tava trabalhando com Halo ainda era a Bungie ...

    1 reply
  • Micro picture
    sandrotoon · 2 months ago · 4 pontos

    Nenhuma das plataformas tem algo interessante para os próximos meses no momento, as principais franquias já dão sinais de cansaço depois de tantas continuações

    1 reply
  • Micro picture
    artigos · about 2 months ago · 2 pontos

    Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • Micro picture
    miguelpardal · about 2 months ago · 2 pontos

    MS fez igual a SONY fazia mostro uma monte de CGI sem nem data dos jogos nem nada, a sony foi ligeira adotou a postura que a MS tinha antes sony foi la mostro gameplay mostro as data de alguns já a ms vacilo

  • Micro picture
    otaps · about 2 months ago · 2 pontos

    Eu voltei para os consoles agora na pandemia, ponderei bastante sobre qual console iria comprar. Nunca fui fã boy, alias acho isso a maior idiotice e quem perde é o consumidor, se pudesse eu teria os dois consoles.

    Bom, se tratando da geração atual (tendo em vista que ao menos por enquanto não teremos nada muito novo sobre as estratégias) escolhi o XONE pois concluí que a Microsoft trata melhor seus consumidores, o nível do serviço prestado é imensamente superior ao da Sony. Nem mesmo a minha saudade de diversas franquias do playstation (que possuí exclusivos IMENSAMENTE superiores) e a vontade de jogar franquias que ainda não joguei foram capazes de competir com o Gamepass e os serviços da, como chamamos aqui no lado verde da força: Mãecrosoft.

    Acredito que como "ecossistema" a ideia de negócios está correta, porém concordo que precisava de um algo a mais. Não me identifico nem de longe com os exclusivos do Xbox como do playstation, faltou algo novo com cara de franquia de sucesso...

    Mas confesso que quando eu mudar para a próxima geração, caso não aconteça nada de novo referente ao que estamos vendo, irei novamente escolher o Xbox. Pra jogadores com o meu perfil que querem se divertir e não querem ter que vender um rim para isso é difícil não escolhe-lo.

    1 reply
  • Micro picture
    kess · about 2 months ago · 2 pontos

    O Xbox não está em apuros, mas está longe de ser uma ameaça para a hegemonia consolística da Sony. Mas a Microsoft já disse que a Sony não é adversária deles, e sim outras empresas que não estão no mundo dos games. Devem fazer pizza ou algo assim. Sei lá qual o cogumelo que os funcionários do Tio Bill tem consumido...

    1 reply
  • Micro picture
    thekassian · about 2 months ago · 2 pontos

    "Minhas previsões para a Nintendo também não são as mais animadoras por agora, portanto concluímos que estamos no clima perfeito para a depressão e fim do mundo"
    adorei essa parte kkkkk

  • Micro picture
    alvaroluiz · 25 days ago · 2 pontos

    Não concordo com tudo que vc falou, mas mesmo assim parabéns pelo ótimo trabalho 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻💥👍🏻... Sobre o evento do Xbox eu gostei, achei melhor que o do PlayStation oq não faltou foi variedade de jogos, o problema ficou por parte apenas do Halo Infinity, aí já sabe né, alguns veículos da midia BR que não gosta muito do lado verde teve a oportunidade perfeita pra ignorar tudo que foi mostrado de bom e descer a lenha.

    1 reply
  • Micro picture
    andre_andricopoulos · about 2 months ago · 3 pontos

    O maior erro da Microsoft foi tentar competir com a Sony...

    Não tem como competir.😎

    2 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...