katsuragi

Mietta zo... Ending ga. l Super Highschool Level Overworked Gamer

You aren't following katsuragi.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • kotarou Bruno Soares
    2020-07-23 10:01:07 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Desafio dos favoritos

    Bom, recebi o @desafio pelo @katsuragi então bora lá. Basicamente eu preciso totalizar 15 motivos, acrescentando um para cada posição de 5 à 1. Vamos ver se eu consigo e não acabo me embananando no caminho.

    Regras:

    Copie e cole o texto até então, marque a persona @desafio e desafie mais 3 pessoas e não estenda demais o seu post pra não virar uma verborragia de elogios, dai a quantidade de tópicos já contada (é legal falarmos dos nossos favoritos eu sei :) ) mas po lota de imagens, já que só cabem 10 por posts mesmo).

    5 - Disgaea 4


    - Como todo jogo da série, tem um senso de humor sem igual que se estende em todos os aspectos do jogo, desde as batalhas e descrições até as cutscenes da história. Ao meu ver essa qualidade é o que torna a experiência de Disgaea tão única e divertida.

    4 - Ragnarok Online


    - O jogo é (ou ao menos era, quando eu jogava) um verdadeiro exemplo do que torna a experiência de MMO tão especial: a socialização online. Naturalmente havia um incentivo pra formar parties, a necessidade criava as oportunidades de conhecer outras pessoas e desfrutar do jogo em conjunto.

    - O design dos monstros raramente era repetido. Toda área nova realmente parecia um lugar diferente, sem nenhum reuso de assets pra cortar caminho. Era uma das vantagens de ser um jogo com sprites 2D, com animações muito boas por sinal.

    3 - Tales of the Abyss


    - O jogo que basicamente settou os meus padrões de jrpg a partir do ponto em que joguei ele. Personagens com um desenvolvimento incrível. O luke cresceu muito em mim enquanto eu jogava, e pelo final eu amava praticamente o cast principal inteiro.

    - Apesar de ser repleto de missables enjoados (em lugares que são completamente contra-mão de se chegar), tem muitas sidequests com recompensas legais e tidbits interessantes de lore, como a sidequest do Guy e a do Asch.

    - Apesar de bem simples em retrospecto, o gameplay era extremamente divertido. As batalhas eram um deleite, mesmo com a limitação de combos e etc.

    4 - Persona 3



    - Não tem nenhum outro jogo que me deixe imediatamente imerso como P3. A ambientação me pegou no instante em que o jogo começou a rodar, e parece que cada detalhe trabalha perfeitamente pra me colocar nesse estado.

    - Provavelmente minha trilha sonora favorita até hoje. É catchy, é única, é linda e é memorável. Gosto de praticamente todas as músicas, e parece que há um tipo de canção pra cada estado emocional ou fase da vida.

    - Se tem algo que Persona faz bem é o simbolismo presente nos jogos. Nas discussões sobre a qualidade dos personagens e da história isso raramente é mencionado, mas os símbolos mitológicos, significado das arcanas e os temas jungianos trabalham bastante para deixar tudo mais interessante do que normalmente seria. Levando em consideração esses temas, é possível enxergar os os elementos da obra com nova apreciação.

    - O sistema de fusão. Ok, não é exclusivo de P3 e não é sem seus defeitos, mas é minha parte favorita do gameplay. As batalhas do jogo não são nada demais, mas o preparação é divertida. É um deleite criar uma uber persona que você gosta, mesmo que demore horas porque fucking RNG na herança de skills man.

    5 - Zero no Kiseki



    - Gosto muito do enredo mais pé no chão que o jogo tem. Embora em um momento descarregue o hocus pocus na cara do jogador, boa parte da história é centrada em um conflito mundano, o qual não pode ser resolvido com força bruta. Fucking barriers man.

    - Como todo trails, conversar com os NPCs é um deleite, mas esse jogo elevou o nível com a quantidade enorme de NPCs  interessantes e relevantes. Stalkear alguns deles é muito recompensador, perdi horas indo atrás de fulano só pra saber o que estavam fazendo.

    - A continuação e resolução de um arco que havia começado há dois jogos atrás. Se a magia de trails são os jogos interconectados, zero é um perfeito exemplo disso. O desfecho não só é extremamente bonito e satisfatório como conecta perfeitamente com o enredo principal e os seus temas.

    - O buildup da história é lento, mas vale a pena. Como primeiro jogo situado em Crossbell, com um novo elenco de personagens principais, boa parte da história serve para aclimar ao novo ambiente e conhecer o local por completo. No final do jogo eu havia criado um verdadeiro apego à cidade de Crossbell como dificilmente eu consigo em outros jogos. O lugar é o seu próprio personagem.

    - O cast principal é magnifico. Os membros da SSS são alguns dos meus personagens favoritos da série inteira e recebem um bom desenvolvimento mesmo no primeiro jogo em que aparecem.  A ideia deles como uma família formada por pessoas completamente distintas é simples, porém muito bem executada.

    É isto, como não tem muita gente que eu mantenho contato aqui no alvanista, vou desafiar só o @emphighwind e o @katsuo caso ele apareça algum dia.



    Shin Megami Tensei: Persona 3

    Platform: Playstation 2
    599 Players
    39 Check-ins

    18
  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-07-22 03:20:13 -0300 Thumb picture
    katsuragi checked-in to:
    Post by katsuragi: <p>Seguindo a felicidade com o anúncio do Remake de
    Fate/Grand Order

    Platform: iPhone/iPad
    11 Players
    112 Check-ins

    Seguindo a felicidade com o anúncio do Remake de Fate/Extra, mais alegria relacionada ao mesmo me rolou nos últimos dias em Grand Order!

    O evento de Collab com CCC foi adicionado aos Main Interludes do jogo e com isso, finalmente posso obter a BB depois de longos anos sem ela pois quando o evento chegou, eu tinha dropado o jogo por desânimo. 

    O rolê foi doido! O evento é repleto de lutas intensas e eu simplesmente amei, definitivamente um evento que não é amigável pra jogador novo, mas também deveras: o requerimento inicial só pra poder participar dele já é concluir todo o primeiro arco do jogo, que é longo por si só. 

    Alas, depois de muitas lutas doidas, chegamos finalmente na última luta, que fazendo um Test Drive, se mostrou quase que impossível (deve ter uns loucos que conseguem) devido ao número de Buffs que a maldita da Kiara vem, mas não é pra menos, é uma das Bestas... e fomos destroçados mas não desistimos. 

    Um montão de Quest Extra feita, pontinhos acumulados e tiramos todos os buffs da feladamãe. Aí a luta fluiu bem mais justa e a gente tava tankando até Noble Phantasm sem levar muito dano! Infelizmente na última barra de vida dela eu esqueci do trigger de Attack Up dela e daí ela levou a Mashu e o Waver... mas de boa, com o suporte da Tamamo e do Merlin, o Robin terminou o serviço e tacou arvore envenenada na fuça dela. Robin foi o MVP! 

    E então, finalmente ela veio pra casa depois de um árduo trabalho!

    Ahhhh como eu peguei um gosto enorme nessa doida nos últimos tempos. Ela cresceu em mim de forma que nem eu mesmo esperava gostar, e finalmente ter ela no jogo é uma alegria que só... mas não acabou aí! Uma pancadaria ali, outra aqui... o teste final pra poder deixar ela no máximo foi feito também:

    Depois de 3 lutas contra os servos de Extra, a última é contra a própria BB, foi tranquilão! Mas o que mais me chamou nessa luta foi que usaram uma das faixas de batalha mais fantásticas que eu já ouvi na minha vida, e não esperava menos: 

    Toda a trilha sonora de CCC é uma peça de arte por si só, mas essa faixa em específico é uma das minhas favoritas... se não for A! Ela passa tanto da BB pro jogador, são diversos sentimentos mesclados numa única música, a última luta, a última dança, o último balé! 

    E com o final da luta, o último item de Ascensão dela obtido e finalmente podemos deixar ela no nível máximo e desbloquear a arte de ascensão final!

    No mais, este evento é fenomenal...

    A história é uma das melhores dentre os eventos feitos em Grand Order. Expandir e contar mais sobre as Alter Egos e sobre a BB é uma coisa que eu aprecio a abraço de mãos abertas e fiquei muito feliz de finalmente poder experienciar tudo isso. 

    E por hoje é só! 

    18
    • Micro picture
      jcelove · 16 days ago · 1 ponto

      Oh no, Katsu, era isso q eu temia...hehe

    • Micro picture
      vinix · 10 days ago · 1 ponto

      Não sabia que o Vent curtia minas silhuetas feitas de energia (Foi o que eu interpretei na primeira imagem)

  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-07-22 02:58:14 -0300 Thumb picture

    EU TÔ DANDO PIRULETA, PORRAAAAAAA

    Eu não sou lá o fã mais ávido de Fate (tô caindo de cabeça de verdade no Nasuverse só recentemente) mas se tem um dos jogos que eu mais amo e que me fez conhecer e em interessar mais em todo esse rolê foi fucking Fate/Extra! E agora o filha da mãe tá recebendo um Remake ? Eu tava no banho durante o anúncio assistindo a Stream (SIM, LEVEI O CELULAR PRO BANHO PRA N PERDER) e eu quase me quebro tentando dar piruleta e proceder a escorregar! HAUAUAUAUAUAAUAH

    E Tá lindo mano, tá tudo lindo pra cacete e eu tô extremamente animado! Eu não achei que depois da notícia de antes algo tão bom quanto também viria a ser anunciado, os Devs tão curando nossas tristezas do Corona com esses anúncios fantásticos! Ou ao menos as minhas! Ehehe

    Eu achava que seria algo como um Remaster de CCC com localização pra gente aqui finalmente dar uma olhada na obra sensacional que CCC é mas tudo bem, é uma notícia extremamente boa também.

    Eu amo o jogo original de coração, sempre o quis ter e demorou até conseguir, sou eternamente grato ao @jcelove por ter me fornecido essa felicidade. E pra variar, vou terminar as pendências e fazer o que ? REJOGAR O ORIGINAL, MAS ORAS!

    Fate/Extra

    Platform: PSP
    218 Players
    90 Check-ins

    27
    • Micro picture
      jcelove · 16 days ago · 2 pontos

      Hahaha esperava algo assim Katsu. As vezes da saudade da caixinha mas sei q ele esta em boas maos.

      1 reply
  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-07-20 11:29:51 -0300 Thumb picture

    O MEME MORREU, O MEME MORREEEEUUUU

    E NOCTURNE EM HD TAMBÉM 

    Sem Dante tho...

    MAS O MEME MORREU PORRRAAA

    EU TO TREMENDOOOO FINALMENTE DESGRAÇA, DEPOIS DE SÓ PERSONA, É HORA DE DAR REJOICE

    Hora de dar meus rolos pra comprar um Switch asap.

    Shin Megami Tensei V

    Platform: Nintendo Switch
    67 Players
    1 Check-in

    38
    • Micro picture
      manoelnsn · 18 days ago · 3 pontos

      Ainda bem que esperei pra jogar Nocturne, vou poder conferir a versão HD de primeira, ahauhaua

      1 reply
    • Micro picture
      mateusfv · 18 days ago · 3 pontos

      Finalmente, a essa altura eu jurava que já tinham cancelado kk

      E Nocturne sem Dante n é Nocturne kk

      6 replies
    • Micro picture
      jcelove · 18 days ago · 2 pontos

      So assim pra te empolgar aqui hein katsu? Hehe

      2 replies
  • 2020-07-20 11:16:27 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    33
    • Micro picture
      kalini · 18 days ago · 2 pontos

      Será que a protagonsita é feminina mesmo?

      9 replies
    • Micro picture
      katsuragi · 18 days ago · 2 pontos

      SEU MISERÁVEL, TU SÓ APARECE PRA VIR FASTEAR OS OUTROS NAS NOTÍCIAS HAHAHAHAHAHAAHAHHAAHSHAHHAHAHAHAA

      1 reply
    • Micro picture
      carlospenajr · 18 days ago · 2 pontos

      Aleluia, ficou anos sem nenhuma informação.
      É por causa desse jogo que eu quero o Switch, SÓ POR CAUSA DELE XD
      Se até lá o emulador tiver bom e esse rodar razoavelmente, vai pelo emu mesmo :P

      2 replies
  • 2020-07-13 12:44:28 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Venda do Zak:

    Como dito no primeiro post; Com muita dor no coração eu venho dizer que preciso vender itens da minha coleção!

    Link do post 1 (N64 Mult-Sabores)

    N64 Mult-Sabores

    Essa é uma case Oficial de N64 para 24 jogos, item raro (há dois modelos fabricados, um para 12 jogos e essa para 24 jogos)

    A caixa tem acabamente em madeira laqueada fosca, com um gaveta de plastico bem firme e resistente, item de luxo para quem tinha um N64 no final dos anos 90's

    Estou vendendo tbm 24 jogos que podem ser com o case ou separados (quando digo separados é sem a case, pois só vendo o lote de 24jogos; Entendam que na atual cituação seria muito ruim ir ao correio 24x e fazer 24 vendas de cada fita separadamente)

    JOGOS:

    Bom vamos aos valores:

    CASE N64 : 450,00

    Lote de Jogos (24 Jogos) 1100,00 (um pouco mais de 45 reais por jogo, levando em consideração que há jogos no lote que velem bem mais!)

    Pacote premiun (CASE + LOTE) : 1450,00

    *São itens da minha coleção e estão impecáveis!

    @trocavenda

    Ajuda nois aí mano!!

    Ficou interessado, curioso ou só quer bater papo, manda um dm/inbox !

    tenho outros itens que tbm colocarei a venda em breve.

    Abraço e fiquem bem!!!

    40
    • Micro picture
      mastershadow · 25 days ago · 3 pontos

      Desculpa a curiosidade mano,mas como tbm sou colecionador, eu lhe pergunto: Desistiu de colecionar? ou é forças de um motivo maior,nao precisa responder se nao quiser,abraços e boa sorte!

      1 reply
  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-07-14 05:46:50 -0300 Thumb picture
    katsuragi checked-in to:
    Post by katsuragi: <p>Quarto Lostbelt finalizado! Essa reta final foi
    Fate/Grand Order

    Platform: iPhone/iPad
    11 Players
    112 Check-ins

    Quarto Lostbelt finalizado! Essa reta final foi tensa!

    As últimas lutas deste Lostbelt foram sufocantes, tive de usar Command Seal em algumas por que não tinha jeito, ou tinha s eu não tava com saco pra ficar perdendo e tentando denovo outras vezes,  em destaque a luta contra o Lostbelt King, o Arjuna Alter, que foi o maior sufoco de todos!

    Mas no fim deu bom! Cada Boss Battle nas retas finais se mostram uma mais difícil que a outra e a muito tempo num jogo não passava na minha cabeça o sentimento de derrota é simplesmente mandar o “Não vai dar Não”. 

    Mas a gente é BR e não desiste, QUE NÃO VAI DAR O QUE!

    E com Yuga Kshethra terminado, vamos agora ao quinto Lostbelt, Atlantis! E as boas-vindas já começa bem...

    Meu estilo de jogo é: devagar se vai longe. Mas desde o terceiro Lostbelt, o jogo mais e mais me força pra fora dessa zona de conforto e mostrando que jogar de forma stall não vai mais funcionar sempre. Essa é a primeira luta de Atlantis e já me força a derrotar o cachorrão aí que tem 700k de HP em menos de 8 turnos senão é falha instantânea...

    Alas, equipa uma CE boa aqui, usa uma Skadi ali, trás um Merlin de lá e assim a minha Jeanne explodiu o bichão... paramos no Capítulo 10 por falta de AP mas logo logo tem mais da minha subida ao Olimpo...

    18
  • 2020-07-12 11:09:55 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Venda do Zak:

    Com muita dor no coração eu venho  dizer que preciso vender itens da minha coleção!

    Abaixo os 5 Nintendo 64 da série multi sabores

    São itens da minha coleção e estão impecáveis!

    Todos com caixa !

    OBS: JABOTICABA VENDIDO

    OBS: DK SET KIWI VENDIDO

    OBS: TANGIRINA (LARANJA) VENDIDO

    Destaque para o n64 donkey Kong 64 set( falta o jogo e o expansion pack) com manual e em perfeitissimo Estado de conservação.

    Ficou interessado, curioso ou só quer bater papo, manda um dm/inbox !

    @trocavenda

    PS; Resolvi colocar os valores para o pessoal que ficou interessado !

    Ajuda nois aí mano!!

     tenho outros itens que tbm colocarei a venda em breve.

    Abraço e fiquem bem!!!

    Donkey Kong 64

    Platform: N64
    3324 Players
    71 Check-ins

    56
  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-07-13 05:54:55 -0300 Thumb picture

    Desafio dos Favoritos

    Fui marcado pelo @jcelove (Thanks!) neste novo @desafio.
    Basicamente tenho de fazer um Top 5 e usar de 15 tópicos para dizer por que gosto de tal jogo um tanto assim. 

    Como tô meio bugado, vou seguir o exemplo de vocês, se sair errado me dá um toque, 'kay ?

    ZA RULES:

    Copie e cole o texto até então, marque a persona @desafio e desafie mais 3 pessoas e não estenda demais o seu post pra não virar uma verborragia de elogios, dai a quantidade de tópicos já contada (é legal falarmos dos nossos favoritos eu sei :) ) mas po lota de imagens, já que só cabem 10 por posts mesmo).

    Meus últimos desafios marcados acabei dando mancada... já que vira e mexe eu dou uma sumida da Rede, então deixei a galera na mão... por essas, eu peço desculpas. Eu não desgosto de fazer, muito pelo contrário, curto bastante por ajuda a gente a se conhecer ainda mais, mesmo que alguns possa mostrar bastante repetitividade (os meus então... vish).
    Mas sem mais delongas, bora lá ? Minha lista é bem óbvia pra quem me conhece...
    Eu não tenho tanta dificuldade de fazer um Top 5, honestamente. São 5 franquias as minhas favoritas e 5 títulos específicos que estão sempre lá no meu pedestal. Vamos a eles ?

    5 - Megaman X6

     - Trilha sonora espetacular, pegando facilmente um lugar bem alto entre as outras trilhas sonoras na franquia, apesar de muitos não gostarem do jogo, esse ponto é um fato inegável.

    4 - Resident Evil 2 (PS1)

    - Conteúdo até demais para um jogo que foi refeito desde o começo, proporcionando bem mais de 20h de jogo e um enredo que complementa o primeiro extremamente bem e soube como aperfeiçoar e melhorar tudo introduzido no primeiro título, revolucionando ainda mais o Survival Horror.

    - Personagens extremamente cativantes, Claire é até hoje minha segunda personagem favorita dentro da franquia devido a como seu personagem é construído, extremamente humana diante de toda a situação e nunca deixando esse ponto de lado.

    3 - Shin Megami Tensei: Strange Journey

    - A Jornada Estranha deixa o setting clássico de Tóquio de lado e tem uma pegada mais americanizada, se passando numa fenda que se abriu na Antárctica e os design de personagens assim como o Layout da Schwarzwelt deixam isso extremamente claros e isso é um dos maiores atrativos do jogo, com cada setor sendo mais único e bizarro que o outro.

     - Eu gosto de falar de trilha sonora né ? Infelizmente sim! E é impossível falar de Strange Journey sem citar o trabalho macabro que Meguro fez com a OST do jogo. Desde seu primeiro encontro com seu primeiro Demon, que não pode ser reconhecido até ser derrotado e analisado (adicionando ao fator de tensão do jogo), cada faixa é escolhida de forma com que você se sinta intimidado a qualquer momento. O mais fraco e simples Slime parece um Deus do Olimpo diante do tocar de "The Fear of God", o tema de batalha do jogo. E o Slime pode muito bem se tornar um deus diante do jogador descuidado, qualquer bobeira é Game Over...

    - Nenhum Megaten Mainline foi de trabalhar personagem algum, o foco é sempre nas ideologias e conflitos das diferentes raças, crenças ou cultos e nisso tudo relacionado a Chaos, Law foi construído. Strange Journey ainda segue essa base porém, seus personagens representantes destes alinhamentos foram muito bem mais cuidado que os que vieram a representa-los nos jogos anterior. Zelenin cresce de uma forma que você você passa raiva em como ela mais tarde cai nas mãos de Mastema, Jimenez por outro lado, é um personagem fantástico que demonstra a compaixão diante de demônios e abre mão da sua humanidade justamente por se importar tanto com um. Aspectos assim nunca foram muito explorados nos títulos anteriores (Soul Hackers talvez tenha tentado abordar isso com o sistema de relacionamento de Demons mas não chega nem perto do significado) e é por mais esse ponto que eu tenho Strange Journey no meu pedestal na franquia toda. 

    2 - Castlevania: Portrait of Ruin

    - O bias como meu jogo favorito da franquia não me impede de citar fatos sobre Portrait of Ruin e um deles é que o jogo é o Metroidvania mais grande dela toda, contando com um total de 1000% do que você tem de fazer de mapa dentro e fora do Castelo.

    - E já aproveitando sobre o "dentro e fora do castelo", isso é outro ponto maravilhoso dele, diferente dos títulos anteriores onde estamos quase que o tempo todo confinado dentro do Castelo, com sua mecânica de "quadros", podemos adentrar em outras áreas para explorarmos e assim darmos uma descansada do tema Castelo. De pirâmides a academias escolares abandonadas e até mesmo cidades distorcidas, esse é um dos pontos fortes que destacam o jogo e colocam ele facilmente lá na frente pra mim: diversidade.
    Você tem muito a explorar no jogo e ele nunca te deixa na mão nessa questão, e a variedade de inimigos só aumenta a cada quadro novo explorado, dando uma inovada em como combate-los e deixando as coisas sempre frescas.

    - E o que ele tem de áreas, ele também não falta em conteúdo. Junto com os já citados 1000% total de mapa a se realizar, ele contém uma boa quantia de Quests a se realizar caso o jogador queira dar uma descansada da rotina principal e voltar a explorar áreas antigas. E não só isso, tanto Jonathan possui uma gama única de habilidades e subarmas para se utilizar, Charlotte também tem um emaranhado enorme de magias para utilizar, fazendo com que o jogador tenha uma opção enorme ao seu dispor para combater tudo quanto é inimigo, e o sistema de gameplay Cooperativo onde é possível jogar com os dois ao mesmo tempo só aperfeiçoam ainda mais, fazendo com que o jogador tome mais estratégias durante lutas mais complicadas.
    Jonathan pode chamar a atenção de inimigos para si mesmo e aguentar a pancada enquanto Charlotte pode carregar uma magia forte na retaguarda e talvez dar o golpe decisivo.
    Não bastando isso, o jogo contém um total de CINCO personagens extras para serem desbloqueados e curtir todo o castelo e as áreas do quadro uma outra vez caso queira revisitar o jogo denovo o futuro mas quer uma experiência um pouco mais nova. Um Metroidvania que pode facilmente dar mais de 40h de jogo para aquele que quiser degustar tudo o que ele tem a oferecer.

    - Personagens... ah, personagens... como eu amo esse Cast todo do jogo, até mesmo os vilões são carismáticos, mesmo que não deêm tanto as caras. Porém, Jonathan e Charlotte são extremamente divertidos de se conhecer e jogar com. A cada momento especial do jogo você pode acessar a opção de Talk no menu principal e tanto ambos fornecem dicas ao jogador quanto podem realizar uma conversação dependendo do que está rolando. As lutas entre chefes são alguns dos momentos mais divertidos de se checar essa opção. Dou destaque contra a Astarte em Sandy Grave, chefe que pode fazer Jonathan se apaixonar durante a luta e forçar o jogador a lutar sozinho com a Charlotte. Caso derrote Astarte durante a transe de Jonathan, Charlotte manda ele "Tomar jeito" e ele responde com o famoso "Foi mal...", são momentos simples assim que dão riqueza a jogos e mais alma ainda a eles, detalhes simples mas que estão ali e crescem os personagens mais e mais, fazendo você se apegar a eles.
    E o jogo possui provavelmente a Final Boss mais fantástica da franquia inteira. 
    Dracula e Death ao mesmo tempo. Se você está em dois, nada mais justo que os vilões atacarem juntos também não é ? Simplesmente fenomenal...

    1 - Danganronpa 2: Goodbye Despair

    - O exemplo de continuação.
    Danganronpa 2 aperfeiçoa tudo o que fez o primeiro Danganronpa ser um jogo especial e único e expande e torna tudo ainda melhor, sendo ainda mais longo, com Trials mais complexos e capítulos também tão longos quanto e as mais mirabolantes formas de se assassinar alguém.

    - Com seu enredo que usa da mesma premissa inicial que o jogo anterior, mas as formas como as coisas se desencadeiam e no final são resolvidas, diferente do jogo anterior, são raros o momento onde você de fato sente raiva ou desgosto do criminoso, apenas pena. Diante de uma situação onde se é colocado com estranhos, ás vezes a cabeça pode te afetar, você sente falta daqueles que gosta... é aí que o "desespero" pode vir a tomar conta. 
    E esses personagens enfrentam isso na pele a cada novo capítulo, onde são a confiança que eles tentam construir para superar toda a situação ferrada, é colocada a teste quando um dos seus companheiros é misteriosamente assassinado.

    - Os já citados Class Trials são um dos aspectos que tornou Danganronpa uma das séries mais únicas dentro de um mercado repleto de mesmice. Debater e encontrar a verdade enquanto se resolve puzzles, mas antes disso tudo, passando por uma sessão de investigação do caso de assassinato e ao voltar ao Trial, ver como cada peça cai uma por uma fazem com que o jogador na maioria das vezes não acredite em como aquilo foi realizado e ao final, a conclusão deixa muitos de boca aberta. Tudo isso acompanhado de muito drama e tensão e discussões longas e pesadas, que andam de mãos dadas com uma trilha sonora simplesmente fenomenal.

    - Um dos, se não o Cast de personagens mais único que eu já vi num jogo.
    Todas essas caricaturas são os meus anjos e eu protegerei cada um deles até o último suspiro da minha vida... Esses personagens são extremamente únicos e extremamente especiais um dos outros e apesar de serem "Super Colegiais", eles tem problemas e passam por tantas dificuldades quanto a gente e conhecendo cada um deles no jogo, você vê o quão precioso eles são e a animação que continuou o arco deles só me fez ama-los mais e mais.
    Dentre toda a franquia, o Cast de Danganronpa 2 é provavelmente o que mais sofreu dentre todos os outros, sendo submetidos a situações horríveis apenas para ter de reviver todo o inferno mais uma vez.
    Hinata, o protagonista do jogo é o mais especial de todos pra mim por que eu via muito do meu eu antigo nele e um pouco até hoje. 

    - Enfrentar a verdade. Ás vezes nós gostamos de esquivar dos fatos e realidades e tentar distorcer tudo para ficar mais conveniente. Mas... nem sempre isso pode ser feito e é necessário aceitar a verdade, por mais difícl que seja ou o quanto ela vá doer, o jogo ensina constantemente essa lição para o jogador e é algo que se levado para fora, pode fazer você crescer mais como pessoa e também ajudar a passar por diversas dificuldades pois dificuldades são obstáculos que se superados, você pode seguir ainda mais forte.

    Eeeee acho que é isso aí ? Talvez eu tenha me perdido em algum momento, urgh... é muito difícil falar desses jogos e ter de se segurar, normalmente eu saio fazendo uma bíblia enorme... ehehe

    Eu vou convidar quem quiser para fazer o desafio! Mas especialmente queria ver a lista do @emphighwind , @kotarou e @vinix e do @zefie e o @zir0 !

    Danganronpa 2: Goodbye Despair

    Platform: Playstation Vita
    94 Players
    104 Check-ins

    40
    • Micro picture
      _gustavo · 25 days ago · 3 pontos

      Não tem Gacha, achei fake shaushauhsaushsa
      Excelente lista, preciso experimentar a série Danganronpa ainda ^^

      3 replies
    • Micro picture
      geekanalisando · 25 days ago · 2 pontos

      A ambientação do Portrait Of Ruin é realmente sensacional. Curto quase todos os Castlevanias, mas esses do DS são meus favoritos. No meu caso, particularmente o Order Of Ecclesia. Difícil alguém citar algum deles como favorito... :)

    • Micro picture
      vinicios_santana · 25 days ago · 2 pontos

      Conheci tardiamente Resident evil 1 e 2 e se tornaram favoritos do ps1, foi muito bom de jogar, mesmo atualmente.

  • katsuragi Jefferson Trindade
    2020-07-12 08:15:58 -0300 Thumb picture

    Um Adeus a Grimoire of Souls

    Medium 3813193 featured image

    Bom dia/tarde ou noite pessoal!
    Cá tô eu aqui depois de MILÊNIOS fazendo um novo artigo na Alva... sério, deve fazer uns anos aí... mas tanto faz, isso não tem relevância alguma pra postagem.

    "O que é Castlevania Grimoire of Souls ?" alguns devem estar se perguntando. 
    Ele se trata do título mais recente dentro da franquia, trazendo uma estilo gráfico simplesmente lindo e um gameplay clássico e já conhecido, com alguns dos rostos mais favoritos vistos entres os títulos da série e fazendo com que estes lutem juntos contra uma nova ameaça que apareceu diante os tempos atuais. 
    Grimoire of Souls foi anunciado em Abril de 2018 e é um título exclusivo para celulares, seguindo o esquema que muitas outras grandes franquias tem tomado, tornando ele mais um dos jogos de Gacha dentro do mercado mobile. 

                                                                         A História

     Podemos assumir que em termos de ordem canon na franquia, Grimoire of Souls se encontre após os eventos de Aria of Sorrow e antes dos eventos de Dawn of Sorrow por diversas circunstâncias. A primeira é que Alucard toma sua persona de Genya Arikado durante quase todas as cenas de história do jogo e a outra que Soma está presente dentro do jogo e Alucard já o conhece e os personagens novos introduzidos dentro do jogo também. 
    Todo o modo história do jogo é liberado enquanto nos aventuramos nos "Grimórios", que são livros que contém eventos e informações do passado, contando batalhas históricas e feitos realizados por grandes heróis do passado e presente. 

    Estes momentos da história são visitados pelo protagonista que é o Alucard e também com a assistência de Lucy, a personagem que faz parte da organização que cuida desses grimórios históricos. Algum fenômeno está tomando conta dos livros e re-escrevendo as histórias contidas nos eventos e com isso, a possibilidade de heróis serem apagados completamente de suas épocas por serem derrotados pelas alterações feitas por esse fenômenos, é possível acontecer. Cabe a Alucard, com a assistência de Lucy e os outros heróis, investigar o ocorrido dentro dos Grimórios e coletar a alma dos monstros responsáveis pela distorção e retornar a ordem nas devidas épocas.

    Lucy é uma edição extremamente bem-vinda na franquia. Ela é a clássica pesquisadora extremamente inteligente para a sua idade e conseguiu sozinha restaurar toda a pesquisa em relação a como adentrar aos Grimórios pois mais tarde no jogo, é descoberto que essa pesquisa em si havia sido totalmente destruída por uma das membras da organização que acabou se mostrando uma traidora. 
    Ela é cativante e a forma como ela se sente feliz em ajudar e simplesmente emocionada por estar tão perto de tantas figuras heróicas, é como se ela passasse a mesma sensação que nós, os jogadores, provavelmente teríamos ao encontrar esses personagens pessoalmente. 

    Cada Grimório pode ser visto como os Capítulos do jogo, cada um deles representa um jogo dentro da franquia e dentro dos mesmos, estão diversas Stages divididas em pequenas áreas, mas que cada uma representa uma fase ou área dentro do jogo que o Grimório representa. 
    Vamos pular o primeiro Grimório que é o representante do Castlevania original pois ele apenas conta como Stage o já conhecido Castelo, sem nenhum outro detalhe a mais, seu Chefe sendo o já velho e conhecido Vampire Bat. Simon é o representante deste Grimório.
    O segundo livro representa Portrait of Ruin, as áreas representadas no jogo são City of Haze e 13th Street respectivamente e o Chefe representante do jogo é o Dullahan, Charlotte e Jonathan são os personagens representates deste Grimório, Charlotte sendo jogável e Jonathan uma Summon.

    Quando peguei Grimoire of Souls tinham de ver meu ânimo ao ver que Portrait of Ruin estava representado nele e caramba... como fiquei feliz de jogar na City of Haze mais uma vez e ver ela quase que todinha em 3D. Uma pena que reutilizaram duas áreas com cenários similares e não uma totalmente nova, teria sido fantástico se tivessem pego um dos quadros com temática egípcia como Sandy Grave. Mas ainda assim fiquei muito feliz pois Portrait of Ruin é meu Castlevania favorito.

    Vamos agora ao terceiro Grimório.
    Este é representado por Rondo of Blood, tendo Maria como sua personagem jogável e Richter sendo a Summon. 
    As áreas presentes sãoa floresta do Prólogo de Rondo of Blood, onde Richter enfrenta a Death em sua carruagem, e a Stage 1 do jogo, o Vilarejo de Aljiba em Chamas

     Uma surpresa me veio quando pegaram uma sessão tão pequena do jogo e transformaram numa área completa. O prólogo de Rondo of Blood é tão curto e a luta contra a morte você sequer pode perder então eu duvido que muita gente lembre tanto dessa floresta. Mas que é uma abertura impactante pra um jogo simplesmente fenomenal, isso é...
    As Stages em Aljiba deixam um pouco a desejar, não tem nenhum esqueleto pulando de uma janela e nem nada... e pegam duas sessões de Stages inteiras do jogo. Bom, fazer o que. Vamos ao quarto Grimório.

    O quarto livro é representado por ninguém mais ninguém menos que o amado Symphony of the Night, é claro que Grimoire of Souls jamais iria deixar de colocar SOTN e o personagem representante dele obviamente é Alucard. Maria aparecia mais uma vez só que em sua versão adulta desta vez. 
    Este Grimório tem uma pegada mais completa, diferentes dos anteriores onde somente duas Stages dos jogos representados são mostradas, aqui nós temos três. Respectivamente uma sendo a progressão da anterior. Nos aventuramos primeiro pelas Underground Caverns, depois vamos para a Abandoned Mines e por fim, passamos pelas Catacombs

    Ao entrar na primeira sessão de Stages e começar a escutar a belíssima Crystal Teardrops da trilha sonora de SOTN, toda uma onda de nostalgia veio na hora. E por razões do fato que este grimório usou a trilha sonora original em suas Stages, fazem dele o meu favorito apesar de não ser o jogo representado favorito. Eu não sou o maior fã das faixas Arranged da franquia, são boas mas eu geralmente sempre prefiro as originais. Revisitar essas áreas todas em 3D também foi incrível, e eu particularmente gostei mais da sessão da Underground Caverns, a imagem acima deve dizer muito sobre o por que, a atenção nos detalhes é simplesmente fantástica...

    Vamos agora para o quinto e último Grimório, este representado por Order of Ecclesia, também possuindo duas áreas, ambas localizadas no final do respectivo jogo. A Forsaken Cloister e o Arms Depot, este último sendo uma das áreas bem desgostadas por mim até onde minha memória me serve, sendo um coliseu extremamente irritante de se aventurar. Felizmente em Grimoire of Souls ele não é lá tão chato. 

    Eu fiquei um pouco decepcionado por terem pego somente áreas dentro do Castelo para representar OoE. O jogo em questão está num dos pedestais pra mim na franquia por uma razão: variedade de áreas. Eu adoro explorar o Castelo, mas quando o jogo me dá algo além do Castelo em si para me aventurar, é um deleite muito maior ainda...
    Obviamente, os representantes deste Grimório são Shanoa e Albus, ela sendo a personagem jogável e Albus sendo o Summon.

    E com isso cobrimos todos os Grimórios que foram lançados no jogo. O próximo supostamente iria cobrir Aria of Sorrow mas... coisas aconteceram.
    Vamos agora dar uma olhadinha nos Summons do jogo ? São 4 os heróis que vieram nesse formato que infelizmente não são jogáveis por, dentro da história do jogo, ainda não terem sido invocados em seu potencial total, podendo dar apenas um golpe com força total. 

    Cliquem para ampliar a imagem!

     Contando com modelos 3D lindos, estes são os personagens já citados anteriormente que são disponíveis no jogo como Summon. Como o próximo Grimório seria provavelmente de Aria of Sorrow, liberando o Soma como jogável, eu me pergunto quem seria a Summon. Acho que o mais provável é o Julius ou a Yoko. Aaahhh... o que eu daria pra ver o Richter e o resto da galera encontrando o Julius... 

                                 O Gameplay e o Sistema de Equipamentos

     O gamapley de Grimoire of Souls é extremamente simples de se pegar o jeito e não muito foi alterado da fórmula que a anos sempre funcionou e montou o que Castlevania é.
    Ele mistura elementos de Classicvania com alguns sistemas e pegadas Metroidvania. As Stages não são grandes, então o layout que elas possuem lembra um Castlevania clássico e a forma que avançamos nela, também. Mas a forma que jogamos é totalmente a de um Metroidvania, contando com elementos de RPG e até mesmo diversos equipamentos para podermos utilizar e equipar os personagens, estes que são todos divididos numa grade elemental, podendo ser atribuídos entre Fogo, Gelo, Trovão, Trevas, Luz ou Neutro. 

    O sistema de gacha é atribuído aqui. Equipamentos são adquiridos através dele, mas alguns também podem ser obtidos em eventos ou pegando aos poucos em Stages. Cada personagem é atribuído a seu tipo específico de arma, Simon com chicotes, Alucard com espadas, Charlotte usa Livros de magia, Maria com seus animais mágicos e Shanoa usa Glyphs de formato de Foice. Cada arma ou equipamento possui Skills, as de arma podendo ser ativadas durante o Gameplay que executam diversas ações (algumas até clássicas como o Simon executando Grand Cross) ou buffs de Status. Sub-Weapons e Armaduras também possuem Skills, estas passivas e algumas são Skills especiais que só ativam quando equipadas como Armadura Principal e também com os requerimentos necessários obtidos. Equipamentos inicialmente possuem um limite de nível que pode ser quebrado pegando Parchments ("partes" do equipamento) e juntando uma quantia específica. As Skills e Status do equipamento podem aumentar ainda mais com o sistema de "Encantamento", que utiliza do Sistema de Souls, onde, diferente do que é em Aria e Dawn of Sorrow, Souls dos inimigos aqui são utilizadas para encantar equipamentos e deixa-los ainda mais fortes. 

                        Considerações finais e por que o jogo Acabou.

    Grimoire of Souls é um jogo fantástico e repleto de potencial.
    Ele é cheio de Fanservice e possui algumas das melhores interações entre personagens já vistas dentro da franquia. Diálogos extremamente bem escritos e todo um cuidado e detalhe nas interações destes personagens que tanto amamos que simplesmente ninguém iria esperar de um jogo Mobile depois de tantos anos sem nada.
    Yet, ele entrega tudo isso, sem pedir quase nada devolta... e ás vezes, nada. Pois é um jogo gratuito e você só gasta com ele se quiser.

    Eu simplesmente adorei o jogo. Ele trouxe muita coisa nova e expandiu muito personagens já amados, dando personalidade a alguns como o Simon, que nunca teve representação como personagem de verdade em lugar algum.

             Vocês não tem idéia do tamanho do meu sorriso nessa cutscene...

    Ver personagens como o Richter e o Jonathan e a Charlotte, dos quais são provavelmente meus favoritos na franquia, interagindo de uma forma tão wholesome... é uma coisa que só esse jogo pôde me trazer até hoje.
    E... isso vai ficar só no esquecimento agora. Pela pura e simples má forma de como a Konami tratou este jogo com tanto potencial.
    Eu não citie durante todo o resto do artigo, mas o jogo possui alguns outros modos Extras e um deles merece receber essa atenção agora... por que eu acredito que foi ele que levou esse jogo sensacional a ruína.
    E é o Modo Multiplayer.

    Agora, não me levem a mal, eu não vejo nada de ruim no modo Multiplayer em si, ele é divertido e legal, tenta trazer um pouco do divertimento que Harmony of Despair trouxe, colocando 4 jogadores juntos numa Stage enorme e cooperando (competitivamente) pra derrotar todos os inimigos do mapa e no final derrotar o chefe.
    O problema... é que todo evento do jogo é baseado nisso, os jogadores competem competitivamente entre si o tempo todo para ganhar recompensa, o jogo FORÇA você a o tempo todo participar destes modos que não são nem um pouco tão divertidos de se jogar quanto o modo história, que é onde o jogo brilha...
    Com um jogo neste formato, se você vai forçar a sua playerbase a algo que coloca ela a sempre ter que jogar Online com outras pessoas, num grind que leva a exaustidão e que é chato... as coisas só estavam fadadas a irem a pior.
    E é por isso que eu culpo em maior parte o modo Multiplayer do jogo pela morte do mesmo, por que focando só neste modo de jogo, o formato dos eventos se tornaram repetitivos e chatos, que adicionaram a mais outro fator que tornaram a repetição do jogo extremamente chata e mais e mais desinteressando...

    O que é uma pena, por que o potencial era tremendo, se eles apenas tivessem feito as coisas da forma certa...

    É com muita tristeza que dou Adeus a Grimoire of Souls, passei por diversos momentos bons nele e vê-lo fechar deste jeito é, no mínimo... desanimador e agora sabe-se quando vamos ver algo novo de Castlevania. 

    Castlevania: Grimoire of Souls

    Platform: iPhone/iPad
    5 Players
    1 Check-in

    43
    • Micro picture
      artigos · 26 days ago · 3 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      wiegraf_folles_ · 26 days ago · 2 pontos

      Ouvi dizer que ele assim como alguns outros gachas tão fechando as portas, pena que depois de tantos tiros pra todos os lados nesse meio existem jogos desse tipo que legitimamente bons mas como engenharia reversa não é fácil e planejamento desse de tipo de jogo é demoniacamente feito pra quando percebem que o acumulado de powercreep e bugs chegaram a certo ponto entram em um estado de milkagem absurdo, e caso por algum milagre alguém faça um servidor pirata vai vir na lástima que terminou já que esses devs só se importam em fazer o próximo.

      1 reply
    • Micro picture
      vinix · 25 days ago · 2 pontos

      Vamos ser honestos Vent... A Konami nem "tentou". O jogo sequer saiu do canadá mesmo sendo 100% jogável e totalmente traduzido para inglês e a qualidade dos eventos é algo que dava para ser resolvida com uma revisão de ideias. Mas não, eles simplesmente decidiram fechar mesmo.

      1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...