2020-06-04 17:55:38 -0300 2020-06-04 17:55:38 -0300
kalini Kalini Andrade checked-in to:
Post by kalini: <p>Como tava jogando Dragon Quest lll pelo PC, e o
Final Fantasy II

Platform: NES
461 Players
22 Check-ins

Como tava jogando Dragon Quest lll pelo PC, e o carregador do dito cujo pifou, tive que dar uma pausa nele por tempo indeterminado. 

Enquanto isso, baixei um emulador chamado "NES nostalgia" pra Android. E depois de uns 30 minutos tentando pegar a manha bele, finalmente vou iniciar minha jornada com esse bizarro fangame de Star Wars da Square: Final Fantasy II!

E o jogo já manda de cara uma parede de texto, me avisando que o imperador androgino de Palamecia parecido com a Rita Repulsa dos Power Rangers invocou demônios do inferno pra dominar o mundo, como todo bom império da vida real. O exercício demoníaco destruiu a cidade dos protagonistas, Fynn, e pôs a aliança rebelde contra o império que residia lá pra correr! Os quatro heróis do jogo tentam fugir, mas são perseguidos por cavaleiros negros.

Eu sei que eles se chamam Firion, Leonhart, Maria e Guy, e que tem gente que deixa o nome dos chars originais por respeito, mas não pude deixar escapar essa oportunidade de fazer self-insert, negada por Dragon Quest lll, e de pôr um nome mais adequado ao resto com a história.

E finalmente o jogo começa... Com uma batalha?

E ainda impossível de vencer, mostrando um dos primeiros exemplos de história aplicada no gameplay em um RPG. E o design da batalha ficou bem melhor que do jogo anterior. Antes, os heróis ficavam em caixinhas empilhadas uma acima da outra, mas agora compartilham uma única tela com os inimigos.

E eles sempre vão matar a Maria por último. Intrigante...

Mas os cavaleiros Jedi sobrevivem, e são resgatados pela Aliança Rebelde liderada provisoriamente pela princesa Hilda Organa, enquanto seu pai está acamado, por causa de uma flechada no joelho. Conversando com os outros, Firion (Ou Luke) fica sabendo que Leonheart (Anakin) desapareceu.

Chegando a sala do trono, nossos heróis pedem pra Hilda aceitar que eles participem da guerra contra o império. Ela se mostra relutante, mas acaba aceitando. Como os membros da aliança rebelde se mantém em sigilo, Hilda me ensina uma senha, "Wild Rose", pra ser usada pra fazer os rebeldes se revelarem e conversarem de maneira diferente comigo. Bem interessante esse sistema. Mais uma vez o gameplay é casado com a história, bem diferente de muita coisa que veio após o boom das aventuras de ze e nuvem.

Explorando pela toca dos rebeldes de Altair, achei um baú com uma Potion. Andando pela cidade, conheço Paul, um ladrão bonzinho típico de RPGs, que só rouba o império sith palameciano (e parece mais um ninja), e Gordon, um príncipe de um reino chamado Kashuan, um covarde que deixou seu reino ser conquistado e fugiu de lá (e me lembra o Edgar do Final Fantasy 6)

Achei na cidade uma loja de magias. Agora é possível entrar dentro das casas e lojas e andar lá dentro. O vendedor é o Black mage do jogo anterior, e dele comprei dois Cure, um pra mim e um pro Luke, e um Thunder pra mim. Agora qualquer personagem pode aprender magias e pode equipar qualquer coisa.

O mapa mundi segue lindo como sempre, sem ser muito quadrado e com as cidades bem grandes. E agora tem umas airship voando pelo mapa. Demorou uns 40 minutos pra eu cair na primeira batalha aleatória, contra essas abelhas chatas que ficam envenenando e tem uma esquiva monstruosa. 

Detalhe que não existe mais níveis, nem pontos de experiência! Agora você tem que ir usando várias vezes o comando de ataque pra aumentar o ataque, tem que se esquivar pra aumentar a evasiva, receber dano pra aumentar o HP... Aliás, é possível agora até bater nos meus próprios personagens! Fui fazendo o Luke e o Anakin bater em min pra subir meu HP medíocre. Capaz de eu virar masoquista, haha! E demora demais pra acumular pontos pra fazer as habilidades com arma e magia subirem de nível. Agora entendo perfeitamente a frustração das pessoas que não gostam desse sistema. Existe um bug que permite acumular pontos aos montes só cancelando a ação repetidas vezes, mas não é possível fazer isso com o último personagem na ordem de batalha e ainda assim é bem frustrante.

E mesmo abusando do bug por três horas, meus heróis levaram uma surra colossal desses dois monstros! O mantis dava 250 de dano, e a vampira deixava os personagens confusos. Eu só dava menos de 10 pontos de dano com todos. Eu sei que as áreas dos mapas tem hordas vem diferentes de inimigos em RPGs antigos, e que você vai enfrentando hordas mais fortes a medida que vai avançando, mas essa aí é bem próxima da segunda cidade do jogo, ao oeste dela, e a diferença de poder pras abelhas verdes e duendes que eu enfrentava lá perto da primeira cidade é abismal!

Bem, é isso. A história é anos luz superior a tudo que Dragon Quest fez no NES, já que o protagonista fala, os personagens tem personalidade e você enfrenta um imperador ambicioso ao invés de um capetão qualquer... Mas esse sistema de batalha e evolução de personagens sem nível é dureza, hein? Não é ruim, aínda tá cedo pra dar um veredito, pois creio que esse sistema permita  inúmeras possibilidades sem deixar os personagens overpower, mas é frustrante e trabalhoso. Final Fantasy X fez bem melhor com o sphere grid.

Eu tava pensando mesmo é deixar esse jogo pra depois, baixar o retroarch e o persona 2, mas acho que não funcionaria no meu celular, Motorola g6 play com Android 9. Será que tem chance de rodar persona 2 no retroarch?

25
  • Micro picture
    santz · about 1 month ago · 3 pontos

    Esse é o pior FF da série (ainda não joguei o XIII ou XV). Esse sistema de evoluir por uso é frustrante e acabei fazendo tudo errado, pois gosto de manter meus personagens evoluídos por igual, então, desde já, crie na sua cabeça uma classe para um desses 3 personagens, pois assim, vai conseguir evoluir muito melhor. Esse lance de ter partes do mapa com inimigos absurdamente difíceis eu achei bem zuado também na época que joguei. Outra dica de ouro: Quando for salvar o game, sempre mantenha o save anterior também, pois tem uma parte no meio do jogo que não permite você voltar para o mapa normal e os inimigos são difíceis demais para ficar upando. Eu me ferrei e tive que começar o jogo tudo de novo por causa disso.

    3 replies
  • Micro picture
    jcelove · about 1 month ago · 2 pontos

    Nao recomendo o retroarch pra android, melhor rodar os emuladores sepsrados. O epsxe roda perfeitamente, so é pago. Vale cada centavo pra mim mas se nao quiser gastar da pra achar o apk na internet.

    Tem o happychick tbm que funciona de forma parecida com o retroarch mas é mais automatizado mas esse so baixando o apk tbm.

    4 replies
  • Micro picture
    manoelnsn · about 1 month ago · 2 pontos

    Boa sorte com esse aí... A única coisa boa nele é que ele é open world e tu pode ir logo no começo do jogo em Missidia e pegar Holy, assim zerando o jogo sem maiores problemas.

    A história desse jogo é horrível... É basicamente tu ficando de office boy de uma princesa lá, com vários filhos da puta entrando e saindo da sua party pra no final enfrentar um imperador andrógino ridículo... Não faz diferença alguma a galera aí ter nomes e diálogos, já que são todos ruins, como tudo que a Square tentou fazer no NES no quesito plot e cast... O único personagem que me lembro o nome é a Maria, já que tu precisa descer o cacete nela pro hp dela subir

    16 replies
  • Micro picture
    emphighwind · about 1 month ago · 2 pontos

    Não caia no conto de bater na própria party, sure seu HP/Stamina vai aumentar, mas evasão é um stat bem muito mais importante, este é o Final Fantasy dos escudos em que dual wield de armas de dano só deve ser considerado quando você tiver com evasão cappada.

    Se gostar do sistema, da uma olhada na franquia SaGa que expande com base nas ideias não ortodoxas de FFII.

    3 replies
  • Micro picture
    zyotic · about 1 month ago · 2 pontos

    Gostei da paródia com SW, eu sou um dos que gosta de manter os nomes originais e narrar a história mais séria (quando dá) mas ficou bom hshauhsuahs
    Prepare-se para passar mais tempo grindando que acompanhado a história.
    Quando eu fiz a run dele no PSP teve partes que me dava sono, mesmo com todas as facilidades que ele tinha. Eu nunca tentei rodar ele no NES pra ter uma noção da diferença, mas pelo que eu pesquisei os atributos demoram muito para subirem mesmo você forçando os ataques.
    O melhor jeito de "quebrar" esse jogo é com o grind do dual wield de escudo para aumentar evasão. Depois de um tempo você vai evitar a maioria dos ataques inimigos.
    Fugir de batalhas é praticamente impossível depois de sair das áreas iniciais no remake, então suponho que no original seja ainda pior.
    E quanto a magias: Berserk e Blink serão suas melhores amigas. A primeira é o buff de aumentar ataque físico e a segunda é de aumentar evasão. Osmose funciona em todos os inimigos, incluindo bosses, você pode drenar a mana de geral e stackar blink até ser inatingível se quiser mais facilidade. Magia de dano no começo do jogo ajudou muito, mas do meio pra frente ela deixou a desejar na minha opinião.

    1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...