2018-04-01 03:20:14 -0300 2018-04-01 03:20:14 -0300
kahmundongo Karla Pinheiro checked-in to:
Post by kahmundongo: <p>As Crônicas do Bafão #4 (SPOILERS ABAIXO!!!)</p>
The Legend of Zelda: Breath of the Wild

Platform: Nintendo Switch
1044 Players
451 Check-ins

As Crônicas do Bafão #4 (SPOILERS ABAIXO!!!)

"Agora eu vooooooou, para Veeeeeriiiidiaaaannnn" Oh wait!

   Partindo finalmente para o castelo!!! Eeeee... bem, eu achei a parte do castelo bem marromeno rs Eu sei, quebra de expectativa né (calma, fica comigo, vai melhorar). Eu já tinha passeado por toda a parte de fora do castelo antes, matando Guardians para fazer escudo e flecha contra eles em Akalah. Também a essa altura já tinha em mãos o Hylian Shield que eu achei meio sem querer. Mas castelo, castelo mesmo eu não tinha entrado (se não contarmos o subsolo onde peguei o escudo). Talvez por eu já ter uma perspectiva do lugar de fora, talvez por eu já ter o escudo que poderia ser uma grande descoberta desbravando ele, o negócio é que o lugar foi bem ok pra mim. Primeiro pq matar Guardian depois que eu fiz o escudo próprio deles se tornou sem graça, pois o escudo é bem roubado. Ouso dizer que nem devia ter ele no jogo, deixava só as flechas que pelo menos vc tem que mirar (não que isso seja uma grande coisa tb massss). Segundo, pq eu, sem entender muito bem a estrutura daquele castelo, fui subindo meio de qualquer jeito, subindo umas cachoeiras, escalando uns muros.. e já cai onde tinha que cair de cara com Calamity Ganon de modo tão fácil, que eu fiquei um tempo sem entender que já estava nele rs. Terceiro pq, Calamitinho 1 é muito fácil e novamente, tendo o escudo anti-guardians vc mata ele brincando (e o jogo ainda não deixa você pegar as armas da hora lá que ele usa contra você! E eu estava tão mal acostumada, que isso era tudo que eu pensava enquanto lutava “acabar aqui, não esquecer de catar essas armas dele” rs). Quarto, Se Calamitinho 1 já é fácil, Calamitinho 2 então é passeio no campo, literalmente. Te dão até um cavalo rs Mas falando sério, o bicho não faz nada! Fica parado cuspindo fogo e, convenhamos, já teve mini game de arco e flecha em Zelda mais difícil que aquilo.. Final boss de TP com Ganondorf dá um banho nesse. Tem Zelda possuída, Ganon despirocado, arco e flecha com espíritos e lutinha de espada.. rs Talvez eu estivesse esperando demais (nem tava ‘3’), mas também, me põe no campo aberto (check!), me dão cavalo e arco (check!), me põe aquele monstrão (check!), aí começa a luta e é só meio méh rs Dito isto, o jogo inteiro é incrível! Mas os bosses em um geral não são o forte dele não. Isso, não o diminui porém, o elevaria com certeza. 

    Nem tudo é só choro, teve coisas bem legais no final e mesmo Calamitinho 2 apesar de não ser lá grande desafio, tenho que dizer... ô bichão bonito hein! Outra coisa legal é poder ver os aposentos do castelo (ótimo para pegar algumas armas) (er..tem até demais na verdade..), biblioteca, sala de jantar.. Ver finalmente os quatro campeões chutarem a bunda (uma banda pra ser mais exata rs) do Calamitinho 1 foi muito legal (Urbosa tava toda toda xD) mas, o mais legal foi chegar no quarto da Zelda, que dá em uma espécie de sala de estudo dela e ter lá esperando, propositalmente, uma Silent Princess (foi a Nintendo dizendo “quem não pegou, não pega mais!” rs). Você não entende o significado dessa flor no jogo até pegar certas memórias. Eu ficava me perguntando o que tinha de especial nessa flor afinal, ela estava presente na logo do game mas, dentro do próprio, não era lá de grande valor ou utilidade. Mas o verso que ela faz com a Zelda é muito delicado e nos faz perceber (ao menos eu senti assim) o quanto esse jogo é sobre a Zelda. Sobre a história dela! E que o selvagem do título pode não só fazer alusão a selvageria daquele mundo como também a selvageria que grita no peito de cada aventureiro, de um desbravador ou mesmo, uma menina que por vezes, suprimia toda uma selvageria em forma de curiosidade e de deslumbramento por cada nova descoberta, por conta do peso da realeza e expectativas postas nela desde muito cedo. Todos os medos e inseguranças não ditos que ela possuía… A Silent Princess.

A Zelda de início, pode ser uma incógnita, você vai descobrindo ela aos poucos e de começo, você pode não gostar muito dela mas, no final acredito que a maioria se vê arrebatado por ela, mesmo com o pouco que nos é mostrado. Acho que nunca tive tanta empatia por uma Zelda como essa. E a memória que você pega perto do quarto dela é de cortar o coração. Acho que esse conjunto foi a parte que eu mais gostei do castelo inteiro!

Apesar de tudo, a história do game é bem pouca. No geralzão tudo que você descobre ou relembra, são coisas que ou você já deduz ou já foi dita a você em algum momento. É mais sobre como aconteceu do que sobre o que aconteceu. Sem surpresas, sem reviravoltas. É uma história grandiosa ao mesmo tempo em que é simples para garantir a liberdade do jogador. É uma história centenária ao mesmo tempo que curta pois, você acaba querendo ver um pouco mais daqueles personagens, tanto os do passado, quanto os do presente.

No final, Breath of the Wild para mim é um jogo de experiências. Experiências estas que, serão diferentes para cada jogador dando a eles história para contar entre si e por isso e mais diversos motivos, ele agora está entre os meus Zeldas favoritos! As coisas que mais vou me lembrar dele serão as sensações que ele me proporcionou a cada aventura nova que ele me dava. Das pequenas coisas, se tornarem grandiosas e valiosas! Da imersão que ele proporciona e na retribuição de em cada tentativa em me aventurar, me recompensar seja por um simples Korok escondido em uma pedra ou uma Shrine, oculta no meio de uma montanha. É como se dissessem de um jeito meigo, "obrigada por jogar cada pedacinho do nosso game".

Como diria a Mipha, "It was my pleasure!'

OBS 1: E com esse jogo aprendemos que Princesa Zelda = Princesa Jujuba. Sem mais! #ILoveScience xD

OBS 2: Depois de "acabar o jogo" eu fiz a parte do castelo de novo seguindo os caminhinho tudo, vasculhando cada cantinho, matando cada coisa que aparecia no meu caminho e ele me pareceu bem mais legal \o/ 

10
  • Micro picture
    manoelnsn · over 3 years ago · 2 pontos

    Ae, parabéns!

    Realmente, O Calamity Ganon nesse game é quase uma peça decorativa... Ele só está lá pra dizer que tem um boss pra tu enfrentar, além de dar mais destaque pra quem? Pra Zelda, claro!

    É como tu disse: deram um destaque incrível pra ela nesse jogo, é o "Legend of Zelda" mais "Zelda" que já teve, ela tem realmente todo o destaque do plot, dava até pra pensar que tu ia jogar com ela em algum momento...

    Liberdade de exploração é inversamente proporcional à profundidade de plot. Se o jogo tivesse uma trama mais densa e detalhada a liberdade de exploração de BOTW precisaria ser nerfada, e muito. Você não poderia ir pra montanha X ou Y até que o jogo te desse motivos para tal. O que achei incrível nesse game é que ele resgata esse feeling de exploração e descoberta que eram a proposta da franquia desde o início, tornando-se o meu Zelda 3D preferido. Claro que ele tem seus problemas(como repetição de inimigos, poucos bosses, armas quebrando) mas como é o primeiro de uma nova era pra franquia, dá pra relevar XD.

    2 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...