2015-08-19 08:19:26 -0300 2015-08-19 08:19:26 -0300
juninhonash Juninho Rodrigues Featured

Nostalgia - Aquela Coisa Boa Que Fecha O Senso Crítico!

Single 3139815 featured image

Faz algum tempo que quero falar disso por aqui, a nostalgia por si só é uma ferramenta linda de lembranças à algo que nos marcou tempos atrás mas também perigosa por fechar nosso censo crítico a lembranças que em muitas vezes entram em confronto com nossos atuais gostos. Mas você evita de alguma forma, machucar essa lembrança, é de fato, uma postura normal, totalmente aceitável e digna de seres humanos.

Mas eu já me fiz o favor de me abster da nostalgia. O motivo?

Simples, vejamos no dicionário:

“Nostalgia: Leve sentimento de pesar despertado pela lembrança de alguém muito estimado, de lugar agradável ou de uma época boa. “

Bom, é claro que a nostalgia como falei, é um estímulo ligado ao nosso cérebro, que nos faz sentir a mesma sensação de que tínhamos em alguma época que se passou.

Isso é muito bom, até certo ponto. Claro.

Vamos começar com uma franquia que todos sabem que eu gosto muito: Street Fighter.

"Seu comunismo insolente nunca pisará  no meu solo japonês"

Porque o II é bom? Ele praticamente reconstruiu todo o conceito de jogos de luta sozinho, suas versões que estupravam a nós, fãs, eventualmente nos mostravam coisas novas e não muito imaginadas na época, coisas como uma barra de Super ou contador de combos foram novidades incríveis pra suas épocas, mas aí anunciaram suas várias sequências e tivemos jogos piores que ele por isso?

Não, são quase todos melhores (sim, incluindo o EX), eu diria. Exceto aquele jogo do filme, porque nem funciona direito.

Muita gente ainda acha o II melhor que os outros por ser mais simples, e isso é gosto, mas desgostar dos outros sendo que eles não tentam ser igual ao II é um bocado injusto, você quer que o III, Alpha ou IV, whatever, sejam iguais ao II sendo que a sua lembrança positiva te induz a isso. Mas a sua lembrança mostra um jogo quebrado onde quem aplica o primeiro combo vence?

Agora, vejamos Resident Evil, franquia que muito gosto. Vocês se assustaram com os primeiros porque na época zumbis estavam em alta, era um jogo de sobrevivência e tudo e acima de tudo, vocês assim como eu, eram jovens, a diferença que eu sempre achei zumbi um tema bobo e nunca levei a sério, eu sempre ri de RE como um todo, mas a maioria gostava (e ainda gosta) do tema o bastante pra levar. Então, a idade dessas pessoas, somada ao fato de que não haviam muitos jogos assim na época, induziram muitas ao susto. Sendo que o jogo só quer te fazer sobreviver, te dão toneladas de armas pra isso.

Será que se você jogasse tais jogos hoje em dia, você se assustaria? Eu duvido! O remake do 2 vai vir aí, se você conhece o jogo e gosta dele, mesmo se ele vier idêntico ao anterior porém adaptado à novos controles você dificilmente se assustaria. 

Qual o motivo disso? Ele é novo, o antigo te faz se sentir da mesma forma que sentiu quando era criança. O motivo disso? Nostalgia! Você tem apego total à aquela lembrança e não sabe que esse tema não te assusta enquanto adulto. E se você jogasse um jogo extremamente parecido com RE2 (ou o 3) você dificilmente teria o mesmo susto, afinal de contas, você estaria jogando ele de forma limpa, sem "emular" uma sensação.

Você  até de fato, pode se assustar uma primeira vez, mas o horror não morre  com uma jogada, e pra defender meu argumento eu uso o vídeo do Extra Credits que explica a construção do medo usando o "Uncanny".

Caso assistam o vídeo, ele possui legendas embutidas em nosso idioma.

Pra outros exemplos temos vários jogos como Altered Beast, Dragon Ball GT Final Bout e mais uma tonelada, são jogos que muitos de nós gostávamos como crianças e que adultos não conseguirmos ir muito além da sensação de emular tal gosto. Eu mesmo adoro Mighty Morphin Power Rangers: Fighting Edition. E ele nem é grande coisa. Por que eu gosto dele? Porque ele é o jogo de luta baseado no seriado que eu assistia quando criança. Mas ele tem um sistema de especial ruim, danos desequilibrados, não tem nada que possa te prender por tempo no single player além de ser inferior à quase qualquer jogo de luta do próprio SNES.

Uma pessoa cega por nostalgia, ainda se sentiria da mesma forma que quando criança, ainda acharia o jogo mágico e lindo e a verdadeira manifestação da fodeza mas acontece que essa visão, te impede de ver como as coisas realmente são. Sequer te permite enxergar o contexto pra qual foram criadas.

A nostalgia existe em mim como existe em qualquer pessoa, mas é bom a gente separar ela, ela nos faz evitar de gostar ou desgostar de algo por simplesmente nos associar ao gosto de algo que sentimos eras atrás e qualquer coisa que de alguma forma feche o senso crítico, é um problema.

Vejamos um exemplo fora da indústria dos games.

Todos conhecem Kamen Rider, certo?

Alguém já assistiu algum que não seja o Black ou RX. Eu tive esse prazer. Vocês sabiam que tal como outros seriados, os tokusatsu no Japão eram uma coisa baseada numa fórmula básica de guerreiro escolhido pelo bem matando monstros até o final quando de repente nos últimos episódios a real ameaça aparece e ele vence ela.

Se você gosta da fórmula, ok, é gosto. Mas se parar pra pensar, uma vez que assistiu um, você praticamente assistiu todos. Onde que fica a graça de assistir uma nova série da qual o formato e estrutura são iguais? Power Rangers até hoje nunca mudou, são todos literalmente um mesmo formato trocando os personagens e algumas coisas aqui e ali. É idiota falar que o “antigo é melhor e o novo é ruim” sendo que são iguais. Assim como qualquer Kamen Rider da era Showa.

A Era Showa (assim chamada do KR 1 até o RX) terminou e quando começaram a Heisei, houve muitas mudanças, a primeira de todas, foi apresentar personagens, dar identidade à eles, mudaram os conceitos a cada um que se passava e muita gente reclamou de tais mudanças, elas só melhoravam a franquia. Deixava de ser um formato pra se tornar algo único a cada série.

O que impediu essas pessoas de ver isso? Adivinha só: nostalgia. O apego ao antigo, ao “clássico” o impede de ver o novo com bons olhos. Mas nem tudo que é novo é automaticamente bom, é justamente pra isso que precisamos do mesmo censo crítico que tanto fica cego pela lembrança nostálgica. Eu mesmo só consegui ver  o Black e o RX por serem da minha infância e de fato serem nostálgicos, mas estão longe de ser diferente de quaisquer outro anterior a eles, tampouco melhores ou piores.

Mas achar que tudo novo é bom porque é novo e desmerecer o antigo porque é antigo, não é muito diferente do comportamento do nostálgico, é só a outra face da moeda. 

Resident Evil 2

Platform: Playstation
11112 Players
125 Check-ins

85
  • Micro picture
    danielgfm · almost 4 years ago · 5 pontos

    Nem tudo que é novo é ruim e nem tudo que é antigo é bom, mas temos um mezzo mezzo de ambas naturezas temporais.

    Não devemos deixar o nosso senso crítico se esfarelar ao ponto de que fiquemos presos somente ao passado e, tão pouco, abrir as portas deste mesmo senso e aceitar tudo que está vindo aí como bom e foda. Encontrar um meio termo é sempre um meio difícil para se adaptar a este mundo difícil que vive num meio cinza. xD

    1 reply
  • Micro picture
    riki_samejima · almost 4 years ago · 5 pontos

    Sua visão sobre tokusatsu é bem simplista, cara, pois por mais que as fórmulas sejam parecidas, os roteiros são diferentes(não falo de sinopse, mas como a série vai se desenvolvendo), os elencos são diferentes e muitas nuances são notadas de um pra outro, que garantem uma individualidade. Flashman eu achei q teve um desenvolvimento de história melhor que Changeman, mas o elenco desse último é mais forte do que o de Flashman. Maskman é inferior a esses dois, mas notei uma melhoria nas coreografias das lutas, que parece que tiveram um up a partir desse ponto. E Liveman coloca todas as outras séries anteriores no bolso :P E maskman e liveman eu só assisti depois de mais velho, meu senso crítico é bem melhor do que o de uma criança.
    Um dia eu falava sobre FF com um colega meu e ele foi categórico: "ah, a tendência é o mais novo sempre ser mais legal do que o anterior". Olha que imbecialidade, cara?! E do mesmo jeito q esse cara flw, eu fico imaginando a quantidade de gamers por aí que tbm cultivam o mesmo pensamento. Isso não tem nada a ver com nostalgia, mas tbm demonstra um senso crítico pobre.
    Nem todo mundo deixa nostalgia ofuscar a visão, e não é heresia nenhuma alguém dizer que se divertiu e ainda se diverte com um jogo mais antigo do que um novo.
    Mas eu até entendo o motivo do seu texto, com tantos fanboys por aí é difícil de saber o que tá sendo levado mais a sério, se é a nostalgia ou é o senso crítico, mas muitas vezes o comportamento fala por si só.
    O problema é que algumas desenvolvedoras demoram demais pra atualizar as suas franquias, mas quando fazem, fazem de uma vez, radical, aí cria esse racha entre os velhos e os novos fãs. A reformulação que a Konami tentou fazer com o Ganbare Goemon mesmo, lá no Psone, não deu certo, foi muito abrupta, então eles acabaram retornando o personagem ao que era.
    Considero Metal Gear a única franquia que se modernizou gradativamente, que conseguiu conviver pacificamente com os velhos e novos fãs.
    O mega man clássico tbm está intocável, mas não sei até que ponto ele ainda vai continuar com esse status quo, se tratando da Capcom...

    2 replies
  • Micro picture
    kevinryman · over 3 years ago · 5 pontos

    Daí a pessoa joga RE em 2015, no PSP destravado, na rodoviária entre um passageiro e outro, e quer ter imersão. -qq

    ehueuhauheuhua

    1 reply
  • Micro picture
    marcusmatheus · almost 4 years ago · 4 pontos

    Uai? Você disse que ia descer o pau nos fãs de Resident Evil!?! Cadê?!
    Viu! É por isso que leio os seus artigos e suas críticas. Apesar de termos opiniões diferentes em muitos conceitos e mais ainda em gosto por jogos, você defende o seu ponto de vista com raciocínio lógico e argumentos.
    É isso ai, concordo com você brother. A nostalgia é muito boa quando nos permite reviver aquelas sensações boas e "puras" que tínhamos quando éramos mais jovens e só queríamos jogar. Mas é ao mesmo tempo perigosa se nos prende ao passado e não nos permite enxergar o novo também como uma ótima fonte de diversão e imersão.
    O exemplo do Resident Evil 2 que você deu foi de fato verdadeiro. Digo e repito: Resident Evil 2 é o meu jogo preferido, mas ele não é terror! Ele apenas assusta, e os sustos vêm apenas na sua primeira jogatina. Depois você já sabe quando uma parede vai explodir, quando uma janela vai quebrar ou quando um zumbi vai te agarrar pelo pé. Terror? Medo? Isso você consegue com Outlast, Silent Hill, Fatal Frame, Alien Isolation... Na verdade, eu mesmo não sinto medo com estes títulos (infelizmente, pois conheço muitos que sentem!), mas aquela inquietação bacana no estômago dá para sentir tranquilo e isso já vale o gameplay!
    Show, ótimo artigo brother!

    22 replies
  • Micro picture
    igor_park · over 3 years ago · 3 pontos

    Nostalgia estranha é a os fãs de DBZ o anime nunca teve desenvolvimento, sempre foi uma bagunça de meu feixe de luz é mais forte que o seu é caras vem com mais filmes, mais vilões que simplesmente são mais fortes que o anterior e a mesma merda e os caras continuam assistindo, eu não entedo, já deviam enterrar essa série a muito tempo, mas como da dinheiro ela prossegue não há desenvolvimento dos caras em aprendizado personalidade, e só os Sayajin ganhando cores de cabelos novos e outra transformação.

    6 replies
  • Micro picture
    ronanfalcon · over 3 years ago · 3 pontos

    Esse assunto vem bem a calhar com esse nome" Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro", e o novo "Dragon Ball Z Super", justamente porque vejo pra todo lado marmanjos de 25~30 anos fazendo birra similar à seus passados 8 anos de idade, quando alguém critica as séries, sendo que a crítica é pro estúdio, a Toei, que tá animando porcamente (e o que é pior, com um roteiro péssimo tbm).

    Eu gosto das duas séries, e é justamente por ser fã que eu TENHO QUE EXIGIR que a Toei faça a coisa direito, e não da forma porca como está

    Eu entendo os motivos da existência do anime em si, mas não vou engolir uma porcaria de animação só pela "nostalgia" de quando vi mais novo, pelo contrário, não consigo não ter o senso crítico que me mostra o quanto estão ferrando com as animações.

    E, claro, não é só com eles, tem mais um tanto de animes porcos por aí, justamente pq a indústria de animes do japão tá esquisita pra krl nesses lançamentos - não dá pra comentar mais, pq não detenho conhecimento pra isso.

    3 replies
  • Micro picture
    firerockbird · almost 4 years ago · 2 pontos

    não é querendo dar uma de hate,mas porque até agora não vi ninguém falar mau do primeiro half life,será que é por nostalgia,não estou dizendo que odeio o jogo,e só que é estranho todo mundo que vejo falar bem desse jogo.

    1 reply
  • Micro picture
    zefie · almost 4 years ago · 2 pontos

    Já que tocou no assunto Kamen Rider, não posso deixar de deixar aqui minha recomendação para ver o Kamen Rider Kiva (que começa meio chatinho mas se torna bem divertido depois, quando o Otoya ganha mais destaque), o Kamen Rider W (o que tem os melhores personagens no geral, na minha opinião) e o Kamen Rider Gaim, que chega a ser bizarro com o tema inicial de frutas e dança de rua, mas tem um enredo interessante pra caramba e que te prende até o final, se você sobreviver ao começo tedioso, e pasmem, mortes pra caramba (cortesia Urobutcher).

    2 replies
  • Micro picture
    pauloredfield · almost 4 years ago · 2 pontos

    Excelente artigo!
    Compartilhado of course.
    A parte que tem aquele vídeo sobre o terror, resumiu tudo o que falamos e cansamos de falar pra fã de RE que acha que já foi terror algum dia.

    2 replies
  • Micro picture
    tecnologgamer · almost 4 years ago · 2 pontos

    Vale lembrar que hype também faz isso, fecha o povo de bom senso crítico.
    Só esse ano eu consigo jogar os jogos que finalmente muita gente jogou e falou que é fantástico, e o que eram? Uma bela BOSTA.

    Far Cry 3 - Divertido, apesar de entregar tudo mastigado e tem um vilão mega bosta que morre dps de duas horas de jogo, enquanto no mesmo ano tínhamos Handsome Jack de Border 2 que realmente faz um estrago em tudo que nós vimos no péssimo enrendo do primeiro.

    Watch Dogs - Um Far Cry 2 com GTA que também mastiga tudo pra você.

    BioShock Infinite - Uma simplificação do que já era o primeiro jogo, e o enredo ainda fica péssimo e Elizabeth é uma péssima personagem, além de ser ter um IA horrível.

    Skyrim - RPG de merda do krl, aquele combate bosta e um sistema de evolução totalmente horrível sem falar que o enredo é basicamente uma alteração de Oblivion e o final é praticamente um lixo.

    GTA V - Campanha de merda com Trevor que é praticamente o pior personagem de toda a série sem falar que as missões nem sequer são descentes e o MP é ainda pior.

    11 replies
  • Micro picture
    akromvaleth · almost 4 years ago · 2 pontos

    Concordo, uma "praga" que assola a dita "comunidade gamer" são os "nostalgifags", aquelas criaturas bizarras que gritam aos quatro ventos coisas como:

    "O 1 é o melhor de todos"
    "CDZ Clássico é o melhor, o resto é lixo"

    E diga-se de passagem aqui no alva tem nostalgifag pra car@$%¨&!

    3 replies
  • Micro picture
    eae · almost 4 years ago · 2 pontos

    A nostalgia era um problema para o andrezão aqui antigamente mas eu já consegui superar isso, até porque, nunca que um jogo que eu vou sentir agora a mesma coisa que eu sentia antigamente pelo jogo, Klonoa Door ti Phantomile é o melhor exemplo disso para mim.

  • Micro picture
    netobtu · almost 4 years ago · 2 pontos

    @juninhonash, parabéns por escrever algo construtivo assim.

    Primeiramente, a nostalgia de games nem vem do jogo em si, mas sim da época em que vivíamos. Isso em minha opinião, claro.

    Por exemplo, quando penso em Donkey Kong, Chrono Trigger, Zelda ALTTP, na hora me lembro dessa época em que jogava tais jogos, 1998, 1999... eu tinha 8, 9 anos nessa época e era tudo mais simples. Eu não trabalhava, o máximo de obrigação era a escola. O resto do meu dia era gasto com jogos de videogame, brincar... sinto saudades dessa época e jogar esse jogo me transportam pra essa época, como você mesmo disse em seu texto.

    Por exemplo, vejo muita gente citando os novos Donkey Kongs (Returns e Tropical Freeze) como jogos ruins porque não tem os Kremlings, porque "falta carisma". Ora, essa é uma opinião permeada de nostalgia. É só jogar os novs DKs para ver como eles são infinitamente evoluídos em quase tudo em relação aos primeiros, especialmente em level design. Questão de carisma normalmente está permeada pelo véu da nostalgia.

    A nostalgia realmente nos cega. E é preciso nos livrarmos desse véu para poder realmente ver as coisas como elas são.

    Abraços.

    1 reply
  • Micro picture
    tony56 · almost 4 years ago · 2 pontos

    Ótimo texto!

    Certos games, séries, filmes etc precisam ficar só na memória. Quem nunca revisitou o "game favorito" e achou estranho quando notou que ele não era mais aquela perfeição toda? Eu acho isso tão natural que, assim que percebo que não diverte mais tanto assim, paro de jogar o clássico. Claro, também vai muito de gosto para gosto, terminar um SMT do SNES hoje de dia é coisa para quem ama todos aqueles elementos reunidos.

    Concordo plenamente com essa análise dos tokusatsus, naturalmente eu aplico ela aos jogos. Tempos atrás eu considerava que estava ficando chato para games mais recentes, mas a questão era que estava cansado de ver o mesmo pacote entregue com outro nome e apresentação pouco diferente.
    Vou tentar matar cachorro a grito aqui: meus gostos mudaram consideravelmente com o passar do tempo, mas ainda gosto de muitos jogos antigos, porém não a ponto de jogar um Pokémon atual de modo assíduo como muitos ainda fazem (ainda ou são apenas os novos jogadores?). Joguei as três primeiras fases (GB, GBC, GBA) com intervalos de tempo consideráveis, sendo que a última fase que peguei já foi com pouca paciência, derrubei todos os líderes de ginásio, terminei o torneio e adeus Pokémon. Ainda consegui um Pokémon para o 3DS, agora pergunte se eu passei mais de 5 horas jogando desde que comprei há 1 ano? Cara, ter que ir atrás da técnica "cut" pela milésima vez para cortar arbustinho para abrir passagem não rola! AUSHASHUASUHA!

    Gosto pessoal é sempre algo a ser levado em conta, mas acho que muitas vezes se trata apenas de falta de senso crítico porque, olha, têm muitas softhouses aí que passam a mão na grana dos jogadores mais nostálgicos. Muitos jogadores que amam videogames como um todo tacham os aqueles que criticam o que jogam como negativistas, sendo que considero natural você criticar aquilo que experimenta, isso é ser humano, não uma máquina programada para gostar de tudo aquilo que "vomitam" para cime da você.

    3 replies
  • Micro picture
    raiden · almost 4 years ago · 2 pontos

    Belo texto! Tudo na vida tem que ter equilíbrio. Nostalgia, como o próprio texto diz, é algo BOM. Mas tudo que é "cego", faz mal ao ser humano. Até mesmo o amor.

    2 replies
  • Micro picture
    fpsdungeon · almost 4 years ago · 2 pontos

    Ainda bem que nostalgia é algo que passa bem longe de mim.

    1 reply
  • Micro picture
    katsuragi · almost 4 years ago · 2 pontos

    Excelente texto, Juninho.

    Eu por muitos momentos sempre me pergunto se é mesmo a nostalgia que me faz criar um preconceito com certas coisas.

    Um exemplo é eu detestar qualquer temporada de Digimon após o Tamers, isso não assistindo por completo. É errado pois aí eu estou julgando sem saber de verdade como tudo é.

    Final Bout é mesmo um exemplo ótimo, eu quando moleque adorava o jogo, já hoje, sequer tenho paciência para o gameplay travado dele, mas adoro a trilha sonora e ela ativa o efeito Nostalgia em mim.

    Resident Evil também é um bom exemplo, quando moleque eu jogava com a bunda nas costas e parava de jogar no próximo save encontrado, por medo. Hoje o jogo só me causa um pouco de tensão e sempre que jogo. Vou até termina-lo, me divertindo tanto quanto quando pequeno.

    É importante sim termos esse carinho com coisas antigas, mas é mais ainda sabermos analisar as coisas de mentw aberta e ver se aquele novo que é "ruim" realmente é ruim ou se a barreira (nostalgia) está noa impedindo de apreciar aquilo corretamente.

    1 reply
  • Micro picture
    ogawara · almost 4 years ago · 2 pontos

    Tem 3 casos que na minha opinião não é nostalgia nenhuma, mas sim algo bem válido mesmo:
    Kamen Rider foi bom até o Kabuto (2006). De lá pra cá, nada mais prestou, pra mim.
    Sonic inegavelmente os primeiros / clássicos são melhores (apesar de eu também gostar do Generations, Colors, Adventures...) ...
    Saint Seiya Clássico considero BEM melhor do que os spin-offs... principalmente os 3 últimos (Omega, Lenda do Santuário e Soul Of Gold...).

    9 replies
  • Micro picture
    stockgame13 · over 3 years ago · 2 pontos

    Nostalgia esta ligado diretamente a sentimentos, quando éramos mais jovens quase tudo que mostrava violência chamava a nossa atenção, portanto, facilmente aquilo ficava em nossa mente. Eu me lembro que assistia Jurassic Park só pra ver os Dinossauros e tava pouco me lixando pra história. Nos filmes de ação a mesma coisa, quanto mais absurdo a cena de ação mais eu gostava, um exemplo claro disso é Rambo, quando criança eu adorava o 2 e o 3(ação do começo ao fim) e odiava o 1(drama e um pouquinho de ação) eu ficava puto com os diálogos, eu dizia po**a dá logo um tiro na cara dele pô. Hoje ao assistir/jogar algo que fez parte da minha infância a nostalgia é grande, mas a maioria das vezes eu me pergunto, como eu gostava disso?!?

    2 replies
  • Micro picture
    missingno · over 3 years ago · 2 pontos

    Concordo em partes mas em geral em q tirar o oculos da nostalgia

  • Micro picture
    dantedias · over 3 years ago · 2 pontos

    Ótimo

  • Micro picture
    kess · over 1 year ago · 2 pontos

    Sinto nostalgia com vários games, e ainda mais, tenho uma lista gigante, vou voltar lá na época do Atari e jogar o que eu não tive a oportunidade e fiquei só na vontade.

  • Micro picture
    marcoslink · over 3 years ago · 3 pontos

    Eu comentei isso no site Super Animes pra galera que tava falando mal do Dragon Ball Super nos comentários, eles estavam falando que o desenho estava mal desenhado, mas adivinha, comparações e comparações em cima do DBZ, mas dá pra ver CLARAMENTE que o DBS está superior ao anterior,

    19 replies
  • Micro picture
    guee · almost 4 years ago · 2 pontos

    Tem muita coisa hoje em dia que eu não suporto ver ou jogar, mas que antigamente eu adorava.
    O problema é falar que não gosta mais dessas coisas... É mais fácil fazer uma feminazi achar graça da comparação do corpo feminino com o PS3.

    Tem uma lista de coisas que não suporto hoje em dia, mas é melhor deixar quieto...

    10 replies
  • Micro picture
    andrexdl23 · almost 4 years ago · 2 pontos

    Eu adorei o texto!! Concordo praticamente com TUDO!!

    Um excelente exemplo é o Sonic. 1/5 da fã base diz que "os clássicos eram melhores". Essa afirmação é totalmente falsa e equivocada!!

    A trilogia clássica do megadrive de muito boa para excelente, igual o lendário Sonic 3, porém posteriormente lançaram jogos muito melhores, mais intuitivos, desde o Sonic Adventure DX até o Generations (excetuando alguns spin-offs, Shadow e 2006).

    Mas o que faz essas pessoas afirmarem isso? A NOSTALGIA!! Elas levam isso muito em conta na hora de avaliar um jogo... Igual no caso do Sonic, elas não aceitam que o ouriço deixou de ser fofinho e passou a ter personalidade própria.

    Porque você acha que todos os jogos do Mario são extremamente elogiados, principalmente pela "critica especializada"?! Por causa da nostalgia, pois a Nintendo ainda fabrica consoles, entende? Já com a Sega, é totalmente o contrário.

    Mas muito bom!!

    7 replies
  • Micro picture
    gakuma · almost 4 years ago · 1 ponto

    Amém... Detesto Chaves hoje, e quando digo isso, parece que to baixando as calças e cagando na cara de um bebê...

    24 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...