2018-06-08 02:33:03 -0300 2018-06-08 02:33:03 -0300
jonomaia João Gabriel Maia Featured

Erros e negligências comuns na montagem e utilização do "PC GAMER"

Single 3636704 featured image

ERROS COMUNS AO MONTAR SEU PC

Este artigo tem a finalidade de informar e alertar os futuros gamers que venham aventurar-se no mundo do PC gaming e os já usuários sobre erros e negligências comuns que podem comprometer sua experiência ou vir a te dar dores de cabeça em um futuro próximo. A partir da experiência e dos erros passados cometidos por este que vos escreve, espero poder ajudar essa parcela dos jogadores que hoje volta a crescer e a ocupar espaço significativo nos olhos da grande indústria, tanto os novatos quanto os velhos de guerra.

[DISCLAIMER: tenha em mente que algumas das dicas dadas ao longo do artigo devem ser lidas e realizadas com cuidado e sempre atento aos riscos. Consulte sempre os manuais e fóruns em caso de dúvidas e eventualidades. Sinta-se livre para comentar também]

[D2: recomendação de softwares ao final do artigo]

1 - Unidades de armazenamento – HDD e SSD.

Há uns anos atrás e, até hoje para alguns, o HD não parecia ter muita importância quando o assunto é Gaming, afinal, estes apenas tem a finalidade de armazenar dados, não é mesmo?

Certo e errado. Sim, o HD é essencialmente responsável pelo armazenamento e transferência de dados através dos dispositivos conectados no PC. Porém, um HD de procedência ruim ou lento demais pode sim vir a ser um fator de perda de desempenho em jogos, especialmente quando o assunto é STUTTERING – ou microstuttering – as pequenas travadas que ocorrem durante o jogo em momentos chave.

O stuttering em si é algo que pode ser causado por outros fatores também, mas no caso do HD, este acontece comumente em jogos que dependem massivamente do carregamento de texturas novas a todo momento – jogos em mundo aberto por exemplo. Estes jogos, para não sobrecarregar a memória física instalada com informações que podem ser manuseadas por outros meios, carregam diretamente do HD algumas das texturas que compõe o cenário ou então são pré-programados para utilizarem o arquivo de paginação do sistema – Memória virtual – para funcões similares e diminuir o uso da RAM.

Por estes fatores, jogos como PUBG, Forza Horizon e outros Open Worlds podem ter desempenhos muito superiores quando instalados em um SSD, melhorando não só os tempos de carregamento mas também reduzindo drasticamente os stuttering.

DICA: Caso o SSD não seja uma opção viável pelo seu espaço de armazenamento limitado, busque por um HD com um número maior de rotações – 7200 rpm por exemplo – e uma taxa de transferência maior. Outra alternativa são os “SSHD”, díscos rigidos híbridos que tem uma performance consideravelmente superior.

2 – Placa-Mãe.

 A placa-mãe, como o nome sugere é o componente que permite a comunicação e funcionamento em sincronia de todos os demais. Ainda que, no caso do PC gaming, a placa de vídeo e o processador sejam os maiores limitadores, a placa mãe pode vir a ter um papel importante no desempenho destes, principalmente ao discutirmos o famoso “Overclocking”.

No caso do processador, uma placa mãe que esteja a operar muito próximo do limite das suas especificações técnicas – como o TDP máximo informado nesta e no CPU – ou então tenha problemas de superaquecimento pode reduzir consideravelmente a performance do chip para não ultrapassar o limite seguro de operação.

Quando o assunto é Overclocking, esse é um fator ainda mais problemático, pois os problemas acima podem ser levados ao extremo, até mesmo no caso do “turbo boost” - uma feature de overclock automático oferecido em grande parte dos processadores, pois este apenas poderá chegar limite estabelecido se as margens térmicas do CPU e placa-mãe permitirem.

DICA: Não é preciso gastar demais, não também não economize demais. Busque por uma placa que mantenha uma margem de TDP segura do TDP máximo exigido pelo processador e que tenha boa reputação em análises e fóruns. Em casos de overclock, busque uma que possua um Power Phase maior – como 8 + 2) por exemplo – pois esse diminui o stress causado por maiores voltagens que terá de suportar.

3 - Fontes:

Este é outro fator que pode ser compreendido em conjunto com o anterior, pois, se a placa-mãe é o cérebro, a fonte é o coração. As fontes, de modo geral, possuem uma curva de desempenho. Nesta, é notável que operam melhor num meio termo, ou seja, com uma margem segura do limite anunciado.

Se tal limite é frequentemente alcançando, isso pode gerar consideravel instabilidade no sistema, pelo fato de que qualquer oscilação comprometerá todo o conjunto. Uma boa fonte, portanto, além da segurança que pode proporcionar ao seu pc – pois muitas possuem proteção contra mudanças bruscas e picos de energia – são fundamentais para o funcionamento ideal do restante dos componentes.

Placas de vídeo e seus overclocks automáticos também podem ser afetados, pois, essa feature que é implementada em muitos produtos da Nvidia por exemplo, alcançam números maiores dependendo da margem de energia e resfriamento que tem a disposição.

DICA: Sempre busque uma fonte que ultrapasse com certa margem o consumo total de sua máquina. Os cálculos do quando seu PC utilizará e qual fonte recomendada podem ser feitos aqui:

http://www.coolermaster.com/power-supply-calculato...

Os selos de bronze, platinum e etc ajudam a ter uma ideia da qualidade e eficiencia do produto.

4 - Refrigeração adequada:

Como dito em alguns dos exemplos desse artigo, o aquecimento excessivo em alguns componentes é um fator limitador quando discutimos a performance máxima destes. A refrigeração do sistema então deve ser feita de forma consciente e planejada para obter maior eficiência. O ideal é que o gabinete possua espaço para as ventoinhas produzirem um fluxo constante de entrada e saída de ar, ou seja, jogar o ar frio para dentro e o ar quente para fora.

Escolher um bom gabinete também pode contribuir significativamente para tal. Algumas das dicas são: torres que possuem a fonte posicionada na parte de baixo, pois esta não estará recebendo o ar quente a todo momento já que a tendência do ar quente é subir. Entradas de ar frontais ou laterais para instalar as ventoinhas que jogarão o ar frio para dentro e saidas de ar superiores e traseiras para a exalação do ar quente.

Sobre as ventoinhas, procure sempre se atentar ao “fluxo maximo de ar” anunciado e não necessariamente a velocidade de rotação. Busque também prestar atenção na direção do fluxo indicado no produto na hora da instalação.

O mesmo vale para placas de vídeo e processadores. Placas em modelos “mini” ou com menos ventoinhas dissiparão menos calor e podem diminuir os limites da mesma. Para processadores, os coolers padrão geralmente possuem eficiência consideravelmente baixa, algo que pode ser compensado por coolers avulsos de maior qualidade – e até tamanho, pois possuem mais área para dissipar o calor.

5 – Equilíbrio é a chave.

Este é um tópico que pode ser associado a todo o resto. A ideia do equilíbrio é montar um setup que não possua tamanha disparidade entre seus componente, pois isso diminuirá a chance de ocasionais problemas de performance grandes.

O desempenho da placa de vídeo deve equiparar-se, de certa forma, ao do processador, a quantidade de memória instalada deve ser suficiente para suportar os jogos aos quais os outros dois estarão a par de jogar e assim por diante, pois, se não, em quase todas as situações haverá algum fator deficitário – o famoso “Bottleneck” (“gargalo”).

Alguns jogos exigem mais da GPU, jogos online geralmente se utilizam mais dos CPU, jogos de mundo aberto se utilizam de mais memória de vídeo e RAM. É sempre mais eficiente montar um sistema que esteja a par de desempenho que um que apenas terá um bom desempenho em algumas ocasiões.

DICA: para medir de forma simplificada a quantidade de bottleneck de sua configuração, acesse o link: http://thebottlenecker.com/

6 – Configurando o Software e o Hardware

O principal diferenciador da plataforma do PC é a liberdade de poder configurar da melhor forma de acordo com suas preferencias seus programas e hardware para levar ao máximo posivel a performance disponível.

Mas para isso, é preciso gastar um tempo xeretando em todas as opções que o sistema operacional, os jogos e a BIOS oferece. Então vamos por parte:

o Windows (seja qual for a versão) é, no final das contas a principal plataforma para gaming pela convencionalidade, compatibilidade e o número de apps e programas disponíveis. Porém, muitas features inseridas no sistema acabam por limitar a experiência se não configurados adequadamente. Um exemplo são os perfis de energia e performance que podem ser encontrados no painel de controle. Nas configurações avançadas de cada perfil podem ser encontradas opções de desligamento automático de portas USB (que pode ocasionalmente dificultar o uso de algumas das entradas), limite de uso do CPU e desligamento automático do HD que é recomendado que seja desativado para evitar a constante mudança de estado do disco.

Há também um grande conjunto de tarefas que podem ser desabilitados para reduzir o uso de recursos como serviços de telemetria, cortana e outros. Uma ferramenta que auxilia neste passo é o Ultimate Windows Tweaker, disponivel em: http://www.thewindowsclub.com/ultimate-windows-tweaker-4-windows-10

Com relação direta ao hardware, as mudanças devem ser feitas na BIOS, que é o sistema da placa-mãe acessado ao pressionar a tecla DEL ou DELETE durante o processo de boot do PC. Aos já familiarizados com tal, algumas alterações que podem aprimorar a performance de modo geral é o desligamento de features de economia de energia como C1E state e Cool n’ quiet para o CPU, o ajuste dos timings das memórias de acordo com as especificações de fábrica do seu kit de RAM e assim por diante.

O último passo são os softwares de gerenciamento da NVIDIA e AMD disponíveis nos drivers. Nestes, é possível escolher as prioridades na renderização do jogo – Qualidade ou Desempenho – economia de energia, forçar o desligamento de opões como sincronização vertical ou o inverso – ativar efeitos como Antialiasing em jogos que não o possuem por padrão – e até mesmo resoluções personalizadas. No caso da NVIDIA, a opção de “shader cache” é um setting que se utiliza diretamente do HD para armazenar momentaneamente shaders e reutiliza-los quando necessário.

Conclusão:

Somando todas as dicas e com tempo e dedicação para buscar e pesquisar a mais informações e tutoriais em fóruns e vídeos, é possível melhorar consideravelmente sua máquina ou então montar a ideal diminuindo o máximo as falhas e compromentimentos.

DICAS DE SOFTWARES:

DFX Audio Enhancer: aumentar o volume para além do limite que o sistema permite.

HWMonitor: Monitoramento de temperaturas e clocks do hardware.

Coretemp: Monitoramento da temperatura do CPU de forma mais compacta.

CPU-z: Informação completa das especificações do hardware.

IBT AVX: Stress tester para CPU – ideal para testar estabilidade de overclocks rapidamente.

NovaBench: app de benchmark para medir desempenho do PC de forma simplificada .

MSI AfterBurner: monitoramento e overclock de GPU.

Glary Utilities: limpeza do sistema e uma diversidade de recursos diversos.

Ultimate Windows Tweaker 4: ideal para modificar e aprimorar o Windows para melhor performance.

53
  • Micro picture
    artigos · 8 meses atrás · 3 pontos

    @jonomaia a imagem do item 5 está faltando.

    1 resposta
  • Micro picture
    artigos · 8 meses atrás · 3 pontos

    Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • Micro picture
    tiagotrigger · 8 meses atrás · 2 pontos

    O link na dica do tópico 3 (fonte) está faltando.

    1 resposta
  • Micro picture
    jack234 · 8 meses atrás · 2 pontos

    Muito bom o texto. Merece virar artigo!

    1 resposta
  • Micro picture
    vianna · 8 meses atrás · 2 pontos
    1 resposta
  • Micro picture
    armkng · 8 meses atrás · 2 pontos

    que grande texto, e que dá gosto de ler sobre tecnologia para quem entende e passou por isso...montar um bom pc gamer requer os componentes certos e suas respectivas qualidades, nem sempre aquela placa de video top do mercado será algo que vc realmente necessitará para compra, sendo que uma placa de video mediana e aquela que comporte seu bolso e tenha um excelente desempenho, auxiliará nas suas jogatinas diárias...
    uma grande dica que também compartilho, além da ferramenta que vc cita no artigo para desabilitar recursos inúteis que o próprio ruindows coloca em segundo e terceiros plano para rodar, e faz o desempenho ir para o chinelo...
    é desabilitar tudo aquilo que não é necessário para iniciar junto com o sistema, instalar somente aquilo que é realmente necessário para uso de seu pc e para rodar os games...manter uma boa atualização do sistema operacional é essencial, e, não é necessário o uso de um anti-vírus, pois o mesmo como sempre estará em segundo plano, consumindo o recurso e uso de memória, isso poderá e muito comprometer o desempenho e dar aquela travada "marota" durante aquele headshot que vc queria efetuar...atrapalhando e muito a jogada...
    é isso, e estou compartilhando em minha persona @crossanimation o artigo...fuiws

    1 resposta
  • Micro picture
    kess · 8 meses atrás · 2 pontos

    Não sou fã da ideia de um pc gamer, mas eventualmente vou ter que caprichar no meu... Que deixou de ser uma Brasília em 2003 e tá mais prum Gol agora... longe de ser uma Lamborghini.

    2 respostas
Continuar lendo → Reduzir ←
Carregando...