jhunvallim

Developer, aspirante a guitarrista, gamer por natureza e amante dos jogos de 8 bits.

You aren't following jhunvallim.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • supermarkosbros マルコス・アントニオ
    2020-10-09 14:21:04 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
    27
    • Micro picture
      noblenexus · 12 days ago · 3 pontos

      pra quem ainda não jogou recomendo pegar uma tarde e mergulhar (ba dum tss) no abzû, é uma experiência bem journey em baixo d'agua, bom demais

  • pedro_passarin Pedro Passarin
    2020-09-17 12:05:02 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Por que as empresas estão apostando na Nostalgia??

    Medium 3827400 featured image

    Não é de hoje que as empresas no ramo de games estão investindo pesado em marketing e produtos que reforçam as nossas lembranças.

    E isso não acontece somente nos games, mas também em quase tudo que envolvem lazer e entretenimento.

    Provavelmente, em meio a isso, muitos se questionam o motivo de tanto focarem nesse ponto, na atualidade.

    E uma resposta breve e direta para essa estratégia se chama "Nostalgia".

    Essa palavra está sendo tão utilizada atualmente, que estamos até acostumados de vê-la em vários sites e redes sociais pela internet.

    Porém, por que esse sentimento está sendo tão explorado?

    Segundo os especialistas na área de psicologia, a nostalgia é um dos sentimentos mais fortes do ser humano, pois ela resgata as mesmas sensações que tivemos há muitos anos atrás!

    Um exemplo disso é quando ouvimos uma música que fez parte de nosso passado. A música em si óbviamente não mudou, mas a melodia dela gravou algum momento bom da sua vida, dentro da mente.

    Com isso, lembrar de tempos melhores cria sensações positivas que ajudam a romper o aspecto negativo da solidão e tristeza. Mais do que isso, esse sentimento nos ajudam a aumentar a auto-estima e nos tornarmos mais vivos!

    Resumidamente, a indústria percebeu que, quando um produto mexe com os sentimentos do consumidor, automaticamente acaba sendo comprado, não se importando tanto com o valor!

    Para efeitos de comparação, nunca se viu tanto "remaster" e "remake" feitos de games, como são vistos nos dias atuais. 

    E aproveitando o assunto, a Nintendo lançou a coletânea "Super Mario 3D All Stars". Pra quem não sabe, este game bateu recordes de pré-vendas nas varejistas. Porém, muitos se questionam o motivo de uma coletânea de games antigos estar sendo comprada como água.

    A verdade é que, este game tem o público-alvo específico, que são as pessoas que já jogaram e querem reviver as emoções desses clássicos, assim como também os jogadores mais novos, que terão a oportunidade de apreciar pela primeira vez essas sensações! 

    E cá entre nós... Quem nunca jogou por várias e várias vezes um game, por ter gostado tanto dele? Pois é, agora imagina poder reviver tudo isso vários anos depois... 

    Nostalgia é isso. É o cantinho na sua mente que foi guardado com carinho, e que ao sentí-lo novamente, te faz voltar no tempo.

    E nada mais satisfatório que sentir essa coisa boa em meio de tantos problemas e dificuldades que vivemos ao decorrer do dia-a-dia.

    Super Mario 3D All-Stars

    Platform: Nintendo Switch
    19 Players
    4 Check-ins

    49
    • Micro picture
      sophos · about 1 month ago · 3 pontos

      acho q por causa da idade. os consumidores que jogaram snes tem hoje por volta de 30 a 40 anos. É uma idade de forte nostalgia. Isso não era tão importante nos anos 90 e 2000 qdo os nostalgicos eram ataristas

      2 replies
    • Micro picture
      hyuga · about 1 month ago · 3 pontos

      vou ler depois

    • Micro picture
      santz · about 1 month ago · 3 pontos

      Quem reviver os tempos áureos da infância com jogos clássicos, só ir no emulador, não precisa ficar comprando essas porcarias.

  • jhunvallim Jhun Vallim
    2020-09-18 03:03:09 -0300 Thumb picture
    jhunvallim checked-in to:
    Post by jhunvallim: <p>Bom, agora é fato que o meu próximo console vai
    Monster Hunter World: Iceborne

    Platform: Playstation 4
    21 Players
    24 Check-ins

    Bom, agora é fato que o meu próximo console vai ser o Switch. O PS5 vai ter que esperar.


    Pra segurar o hype eu vou jogando meu Iceborne aqui.

    13
    • Micro picture
      hennry · about 1 month ago · 1 ponto

      espere sair o modelo que está pra ser anunciado ...

  • jhunvallim Jhun Vallim
    2020-09-05 01:40:10 -0300 Thumb picture

    PlayStation Now

    Simplesmente mais um mês sensacional na PS Now. No início dessa pandemia eu resolvi assinar o serviço, visto que passaria mais tempo em casa, e essa foi uma das melhores decisões que tomei. Mesmo sem poder utilizar o streaming de jogos de PS3 (e eu queria muito essa função habilitada pra cá mas mesmo na minha net de 100mb ele libera) vale a pena pelos games de PS4.

    Tive a oportunidade de jogar games como Just Cause 4, Control, Metro Exodus, Dishonored 2, Tales of Zestiria, Dead Cells, Wolfenstein 2 entre outros. Foras as centenas de jogos com platinas tranquilas de serem feitas e sim, algumas garapas tb.

    Bom, vamos ver se um dia o streaming sai pra cá mas enquanto não sai eu vou me divertindo com os mais de 300 jogos pra PS4.

    Resident Evil 7 biohazard

    Platform: Playstation 4
    704 Players
    199 Check-ins

    9
    • Micro picture
      msvalle · about 2 months ago · 2 pontos

      Não entendo porque a Sony não posiciona o PS Now como o seu equivalente ao Game Pass - pelo menos me parece semelhante para os jogos que podem ser baixados.

      2 replies
  • 2020-07-27 09:36:38 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    A importância e o desenvolvimento de Donkey Kong Country

    Medium 3816621 featured image

    O estúdio britânico Rare vinha criando uma série de jogos de qualidade para o NES, como R.C. Pro-Am e Battletoads e era uma das companhias mais respeitadas na indústria. Em 1992, ela investiu os lucros de seus jogos em estações de trabalho da SGI, um investimento altamente arriscado devido ao custo elevado de cada máquina. Esses computadores foram utilizados para fazer os efeitos especiais de Jurassic Park, que espantou o público com dinossauros realistas. Naquele momento, a Rare era a companhia com o maior poder tecnológico do Reino Unido. Para testar o novo hardware, a equipe criou Battletoads Arcade e havia começado a desenvolver o jogo de boxe Brute Force, usando modelos 3D incríveis.

     Os jogos da Rare sempre chamaram a atenção da Nintendo e essas demonstrações convenceram ela a comprar 49% da companhia. Na época, a Nintendo estava querendo um jogo para bater de frente com o Aladdin da Sega e ofereceu o catálogo de personagens para a Rare usar. Donkey Kong foi o escolhido, pois a franquia estava abandonada desde o fracasso do terceiro jogo de Arcade. O gorila foi redesenhado e um novo parceiro foi apresentado, Diddy Kong, bom como novos inimigos e um mundo próprio, dando uma nova identidade para a série. A Nintendo teve pouca participação na produção do jogo e Shigeru Miyamoto ajudou com poucos toques de game design. A equipe da Rare era jovem e trabalharam por muitas horas neste projeto.

     O maior desafio da produção do jogo era transformar modelos 3D pré-renderizados em imagens compactas o suficiente para caber num cartucho de SNES. Killer Instinct, teve que vir com um HD para armazenar as imagens do jogo. Quadros de animações e cenários levavam quase um dia para renderizar e consumia uma quantidade massiva de energia. A técnica foi chamada de ACM pela equipe. David Wise ficou responsável por criar as músicas do jogo e se sentiu desafiado a criar composições que iriam surpreender tanto quanto o visual do jogo. Sem utilizar nenhum chip especial, Wise converteu todas suas músicas em linguagem de máquina e foi capaz de criar temas atmosféricos, que mescla sons ambientes com acompanhamos melódicos.

     Donkey Kong Country recebeu uma campanha de marketing absurda para época, onde a Nintendo investiu cerca de 16 milhões de dólares só nos EUA. Durante a demonstração do jogo na CES de 1994, o público achava que estava jogando um game do Ultra 64, mas todos ficaram chocados quando foi revelado que era um cartucho comum de Super Nintendo. Os assinantes da Nintendo Power receberam um VHS mostrando os bastidores de desenvolvimento, o que aumentou ainda mais o hype. O jogo foi lançado em novembro e rapidamente se tornou um dos games mais vendido do SNES. Colocou o aparelho da Nintendo em pé de igualdade frente as novas tecnologias das concorrentes, como 32X, Sega CD e até mesmo 3DO, Sega Saturn e Playstation.

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx, @fredson, @mjdias, @hyuga, @wcleyton, @bobramber, @carlosneto, @thiagobrugnolo [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    67
    • Micro picture
      thiagobrugnolo · 3 months ago · 5 pontos

      DKC permanece até hoje como um dos jogos mais revolucionários de toda a história dos games, o trabalho feito na primeira metade da década de 90 com todas as limitações técnicas do Snes foi algo impressionante. A equipe da Rare extraiu ao máximo o poderio do console fazendo um jogo que impressiona até hoje.

      1 reply
    • Micro picture
      ramonex · 3 months ago · 5 pontos

      Eu lembro da história que o Shigeru Miyamoto ficou com inveja depois que viu o projeto concluido, ficava dando críticas sem sentido, aquelas críticas que é notória que a pessoa ta com inveja hahaahahaha! De longe o jogo é um dos melhores do SNES(SFC), tanto gameplay como as OST's são ótimas. Rare realmente caribou o nome dela na história dos video jogos com esse jogo. Fora a abertura antológica do logo da Rare sendo renderizado em tempo real (já vem até musica na mente) hahahaahaha!

      7 replies
    • Micro picture
      artigos · 3 months ago · 4 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • 2020-06-06 11:09:28 -0300 Thumb picture
    Thumb picture
  • juninhonash Juninho Rodrigues
    2020-04-02 19:19:21 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    5 Motivos Pra Começar "Tales of" Por XILLIA!!

    Medium 3787779 featured image

    1 - Roteiro:

    Diferente dos outros Tales que geralmente são mais complexos como Abyss, Vesperia, Berseria, Zestiria, e outros. Esse é mais simples. O roteiro tem uma premissa simples onde você controla o protagonista e o líder.

    2 - Grupo pequeno

    Sabe quando a frase "menos é mais" faz sentido? Então. Esse aqui segue uma receita pouco comum na franquia de terem poucos personagens mas todos diferentes ao extremo seja em gameplay, visual, motivação e etc. Além do mais, subir de nível até o máximo com grupo menor é mais simples e fica ao o gostinho pra quem curte

    3 - Fator replay

    O jogo tem um enorme fator replay por dois motivos, um deles agrada o público casual podendo escolher entre Jude (líder) e Milla (protagonista), o outro pro público hardcore (que gosta de pegar tudo, platinar, nível máximo) está no grade shop podendo ter enormes vantagens na sua segunda jogada, e o jogo tem um tempo de campanha normalmente menor que dos demais da franquia, justamente pra uma segunda jogada não ser cansativa.

    Ah, vale citar que cerca de 20% da campanha muda dependendo do personagem escolhido.

    4 - Sistema de arcos

    Narrativamente falando, o jogo segue a receita de sempre. São três arcos de historia. E temos 3 músicas de batalha pra CADA personagem em cada arco.

    5 - Sistema de combate

    O jogo oferece um sistema simples, divertido, prático e com gameplay diferente pra todos os personagens (dá pra ficar muito tempo citando as diferenças), tem links de personagens que permitem habilidades secundárias e ataques combinados, além de estratégias de cada personagem.

    Somando tudo isso, temos um jogo que comemora os 15 anos da franquia com muito estilo, trazendo uma abordagem mais leve no roteiro (mas com Plot twists), sistema simples e muita coisa pra fazer e te prender por pelo menos 80 horas se for fazer tudo sem pensar em platinar (E umas 10 ou 15 a mais se for).

    Como o jogo tem pouca referência mas tem muitos elementos da franquia, sem sombra de dúvidas é o melhor ponta pé inicial pra começar na franquia. Que pena ser exclusivo. Espero que algum dia isso mude.

    Sou fã da franquia, joguei e zerei 5 jogos até o momento, Eternia, Abyss, World, Destiny e agora Xillia. O melhor ponto de partida é sem dúvidas o Xillia, pra conhecer e tudo mais, porém meu favorito fica sendo o Abyss de muito mas MUITO longe.

    Tales of Xillia

    Platform: Playstation 3
    724 Players
    197 Check-ins

    47
  • jongamezon Jon GamezOn
    2020-03-12 15:44:03 -0300 Thumb picture
    Thumb picture

    Joymasher BR - Revivendo a delicia dos retro

    Medium 3781560 featured image

    Viciado em games Danilo é um Baicharel em arquitetura, a Thais desenvolvedora de jogos criando varios jogos para Celular, tambem é gamedesigne.

    Com isso surge a Joymasher no inicio de 2012 tendo como primeiro projeto Oniken, que seria um game 8bits com uma certa inspiração no game Ninja Gaiden.

    Oniken estava na gaveta do Danilo a algum tempo quando um amigo lhe comentou desse projeto, e ele resolveu voltar a desenvolver o game chegando a finalizar e lançado em 2012. Como novo projeto tiveram o Odallus the Dark Call, mais um jogo 8bits dessa vez inspirado em Castlevania trazendo tambem dificuldade semelhante. A Joymasher mostrava querer trazer para os tempos atuais o gosto dos jogos retro e fazendo isso com maestria, acertando na jogabilidade, efeitos sonoros, e level designe. Tivemos então mais um ótimo jogo, o Blazing Chrome, tendo claramente uma inspiraçao no Contra Hard Corps e ao mesmo tempo trazendo suas próprias qualidades, os jogos da Joymasher são um pedacinho disso e daquilo, pegando varias inspirações para dar vida a um jogo retro, cheio de mecânicas diversificadas.

    Após Odallus Daniel estava um pouco cansado de trabalhar em metroidvania, queria voltar a jogos mais lineares e foi assim que começou a trabalhar em Blazing Chrome

    Das diferenças de Blazing chrome em relação a contra temos o uso de sub armas que pegamos nas fases, stages com veículos,  quando se finaliza o jogo desbloqueiam 2 novos personagens com jogabilidades totalmente diferente  que ao invés de ter armas, usam espadas, dando um toque de Strider

    A Joymasher tenta trazer de volta o gostinho dos jogos da década de 80 e 90, jogos estilos 8 e 16 bits, porem com evoluções na jogabilidade e gamedesign,

    Apesar de ser apenas duas pessoas, eles mostram muito talento em seus jogos com muita criatividade e empenho, dedicando seu tempo para trazer um jogo novo e cheio de qualidades não só para aqueles que se deliciavam  nos  desafios dos jogos 8 e 16 bits, mas  também aqueles jogadores atuais que se sentiram atraidos por estes estilos de games.

    Até Odallus, a Joymasher não tinha uma publisher, dai com Blazing Chrome, a The Arcade Crew entrou em contato com a dupla e se juntaram fazendo agora com que a desenvolvedora brasileira tivesse uma publisher para fazer os ports e a comunicação.

    Blazing Chrome ficou tão bom que a Microsoft entrou em contato com a Joymasher negociando para o game entrar para o Gamepass do Xbox, também tiveram uma certa dificuldade para colocar seus jogos na Steam, demorou um pouco para que o Odallus fosse aprovado na Greenlight (sistema de aprovação de jogos da steam) até então seus jogos eram vendidos de maneira comum sem ter uma plataforma que ajudasse na divulgação. Esta foi uma das coisas que adiou um pouco o alavancamento dos ótimos jogos retro da desenvolvedora

    Mesmo sendo apenas dois membros, a Joymesher não fazia tudo sozinha, contava tambem com parceiros, que ajudam em coisas com programação (no caso do Blazing Chrome) parte sonora como musicas e efeitos sonoros.

     No começo o Daniel ficou um pouco desconfortavel com um segundo programador, mas com o tempo as coisas foram mudando. Blazing Chrome incialmente era pra ser somente um projeto pequeno junto com seu amigo que tinha acabado de se formar e queria por suas habilidades em pratica, o projeto pequeno então se tornou algo bem maior.

     Agora como novo projeto da Joymasher temos o Moonrider, onde podem ser encontrados videos no canal da desenvolvedora. Olhando e chutando parece uma mistura de Oniken com Blazing Chrome

    A Joymasher mostrou que jogos retro também podem ser desenvolvidos em meio a jogos com gráficos de ultima geração.

    Mesmo não sendo facil o desenvolvimento de jogos no Brasil, os estúdios nacionais estão surgindo e mostrando o potencial que os jogadores brasileiros tem para criação de jogos.

    Blazing Chrome

    Platform: PC
    58 Players
    23 Check-ins

    43
    • Micro picture
      jcelove · 7 months ago · 3 pontos

      Excelente man. Respeito demais o trabalho do Danilo e da Thais apesar de ser péssimo nos jogos deles.hehe

      1 reply
    • Micro picture
      thiagoreis · 7 months ago · 2 pontos

      Esse Blazing chrome é um jogaço !! Joguei ele pelo Game Pass.. Muito bom 👏🏻👏🏻

      2 replies
    • Micro picture
      artigos · 7 months ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

      1 reply
  • 2020-01-20 21:54:30 -0200 Blank user
    Thumb picture

    5 Jogos de RPG para SNES que talvez você NÃO conheça!

    Medium 3770539 featured image

    Veremos nesse tópicos pérolas preciosas que não tiveram o devido reconhecimento por serem lançados no final da época do console ou então por não serem lançados aqui no ocidente. Confira:

    Feda: The Emblem of Justice

    É um jogo RPG no estilo Fire Emblem Gaiden, você pode controlar o personagem a vontade, mas quando chega em um confronto com o inimigo, a tela muda para um combate estratégico estilo xadrez.

    Você controla Brian e Ain (uma espécie de lobisomem, cachorro, anúbis... Não sei) que saem pelo mundo em busca de libertação e fight. Pode recrutar personagens e talz, é quase semelhante ao Fire Emblem.

    Rudra no Hihou (Treasure of Rudra)

    Nós assumimos o controle dos mocinhos. Temos que salvar o mundo em 16 dias, ou então o mundo acabará. (meh) Você poderá escolher Sion, Surlent, Riza e Dune, eles serão os protagonistas de suas respectivas histórias. Os personagens que você joga poderão criar um vínculo na histórias com os outros personagens, é meio difícil de explicar, é só jogando que você vai entender.

    Um dos diferenciais é que você pode usar "MANTRA", que seria praticamente uma magia dos RPG, porém você mesmo pode digitar/criar suas magias. Por exemplo, eu posso criar uma mantra chamada "EuSouIncrivel", o jogo pode analisar o nome e criar seu elemento com base nisso.

    A história também é muito bem contada, como eu disse, vai entrelaçando o caminho dos personagens...

    Dark Half

    Dark Half é o jogo que você controla Rukyu e Falco, protagonista do mal e do bem respectivamente. O seu maior diferencial é a liberdade que você tem de escolher qual lado deseja lutar:

    Você pode ser o vilão, onde LITERALMENTE é o demônio fodão que fica sentado no trono discutindo planos com seus servos, ou então quando sai de seu castelo você pode atacar vilarejos e matar pessoas (mano, isso soa bem para aqueles que cansaram de ficar jogando com os mocinhos, NÓS QUER SER É DO MAL MESMO) para roubar suas almas e ficar mais forte...

    Ou então você pode assumir o controle dos mocinhos para combater Rukyu e salvar o mundo (meh)

    Ele tem várias mecânicas acompanhada com sua história obscura... Se você não jogou, dê uma chance a ele, recomendo muito para os amantes de RPG.

    Live A Live

    Outro jogo que você pode escolher quais personagens irão controlar (até parece que eu só gosto de jogos com escolhas psst). O jogo oferece 8 personagens jogáveis com sua próprias histórias (apenas 7 jogáveis no inicio), você pode escolher entre ser um caubói, um robô, um mestre de kung fu, um ninja, um cavaleiro medieval, um homem das cavernas ou um jovem que pode ler mentes.

    Esse jogo tem uma linguagem divertida, vários momentos de humor e batalhas incríveis. Não tem muito o que dizer sobre esse jogo, a única coisa que quero falar é: "Sad Oersted!"

    Tales of Phantasia

    O jogo gira em torno de Cless, um jovem garoto que carrega consigo um pedante que havia selado um antigo mal. Sua vida mudou completamente quando um desastre aconteceu...

    É um jogo bonitinho estilo animes com batalhas em tempo real. Sua história é tão emocionante que me fez chegar a ponto de chorar... Não subestime essa velha preciosidade do SNES.

    ATENÇÃO: Todos os jogos que citei aqui foram lançados exclusivamente no Japão, maaasss como temos maravilhosos fãs desocupados, podemos desfrutar dos jogos com patch de tradução.


    Você jogou todos os jogos que eu citei? Coloque nos comentários o seu favorito e sua opinião.

    67
    • Micro picture
      onai_onai · 9 months ago · 8 pontos

      Na verdade Tales of Phantasia é bem conhecido...

    • Micro picture
      artigos · 9 months ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      lukenakama · 9 months ago · 2 pontos

      Só conhecia Tales of Phantasia.

  • supermarkosbros マルコス・アントニオ
    2020-02-06 14:41:47 -0200 Thumb picture
    Thumb picture
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...