2020-05-28 13:07:41 -0300 2020-05-28 13:07:41 -0300
zyotic José Carlos checked-in to:
Post by zyotic: <p><strong>Final Fantasy II - A new journey began..
Final Fantasy II

Platform: PSP
514 Players
61 Check-ins

Final Fantasy II - A new journey began... (Final)


Com o jogo base completo, basta apenas realizar os conteúdos extras disponíveis nessa versão do jogo: Arcane Labyrinth e Soul of Rebirth.

Começaremos com Arcane Labyrinth pois ele é acessado no jogo principal pelo grupo de Firion. O objetivo aqui é completar 3 dungeons de 3, 8 e 11 andares com pisos determinados através do sistema de Key Terms do jogo. De acordo com a key term escolhida ao entrar em um desses nós teremos um piso pré definido.

Dentro da maioria dos pisos existem alguns puzzles opcionais que ao serem completados garantem um novo Key Term que vai abrir mais opções de andares. Cada um desses pisos acumula um sistema interno de pontos para cada um dos 10 personagens jogáveis na história e ao final da sequência o personagem com a melhor pontuação vai receber sua Ultimate Weapon.

Embora esse desafio possa ser completado antes do endgame e ser usado para quebrar o jogo ao conseguir uma arma poderosa muito cedo, meu interesse não é o equipamento, eu só quero derrotar os dois bosses associados aqui: Phrekyos e Deumion.

Após atravessar os 3 labirintos é aberto o Arcane Altar que fica escondido ao norte de Paloon. Descendo um longo conjunto de escadas encontramos com o guardião Deumion que nos testa invocando uma criatura chamada Phrekyos.

Após a vitória nós falamos novamente com Deumion e temos 3 opções: Ganhar a arma final de um dos personagens escolhida pelo sistema de pontuação do labirinto, entregar um Key Item e receber a magia exclusiva Revive (Que restaura todo o HP e MP da party e de todos os inimigos na luta lol) ou podemos falar um Key Term específico e lutaremos contra ele para conseguir uma magia que faz o contrário da Revive.

Ambas as lutas eram pra supostamente serem superbosses exclusivos da versão, mas no final foram os dois mais sem graças dentre todos os bosses opcionais da franquia. Eu não tive que grindar mais do que naturalmente meus personagens já tinha upado ao longo do jogo. Na primeira tentativa já consegui fazer os dois usando magias de suporte e ataques fortes com armas.

A vitória garante a magia Destroy, que como dita anteriormente faz o contrário da magia Revive. Essa é a bomba nuclear da série Final Fantasy. Ela custa todo o MP do caster e causa dano em TODO MUNDO na luta, matando os inimigos, seus outros membros da party e deixando só o caster vivo com 1 de HP e 0 de MP.

TOTALLY WORTH IT! (Pena que não vamos usar ela pra mais nada por que acabaram as coisas pra se fazer aqui no jogo base aushuhauahs)

Então sem mais delongas vamos enfim ao Soul of Rebirth!

Para quem não conhece essa é uma aventura extra acessada no menu principal do jogo em que conta o destino dos personagens que morreram durante o jogo base e suas aventuras no pós vida em paralelo ao grupo de Firion.

Nossa party é formada aqui por Minwu, Scott, Josef e Ricard. Excerto pelo caso de Scott que nunca entrou para a party no jogo base, todos os outros começam com as mesmas magias, atributos e equipamentos que eles carregavam ao morrerem. Então se você planeja jogar esse extra é uma boa ideia "preparar" seus personagens durante o jogo.

Esse conteúdo sempre foi infame pela dificuldade muito superior ao jogo base, ou assim dizem todos na internet quando você pesquisa a respeito. Mas depois de passar por todo o jogo eu já estava duvidando seriamente da "dificuldade" que ele teria. Certamente deve ser mais desafiador que completar a campanha, mas não pode ser tão difícil assim, certo?

MEU DEUS POR QUE É TÃO DÍFICIL!? AMBUSH? EU MORRI SEM NEM PODER FAZER NADA! COMO ASSIM EU TENHO QUE PASSAR ESSE PRIMEIRO ANDAR SÓ COM O MINWU E O SCOTT? POR QUE UMA BATALHA ALEATÓRIA É MAIS DIFÍCIL QUE UMA LUTA CONTRA CHEFE!? POR QUE VOCÊ ME ODEIA JOGO? POR QUE?

Sair da primeira área do Soul of Rebirth foi brutal! Cada encontro aleatório que eu sobrevivia era um save até eu conseguir encontrar o Ricard e ele me carregar para fora da caverna até a cidade da área.

Com o grupo fechado eu passei as próximas longas três horas grindando seus HPs e atributos base até que todos estivessem mais ou menos aproximados. Mesmo assim atravessar a segunda dungeon foi outro pesadelo. Status negativos a todo lado, inimigos que arrancavam quase metade de HP com um ataque e muitos e muitos AMBUSHS que eram reset no jogo!

Novamente eu usei a muleta estratégia de salvar a cada batalha e lenta, mas certamente eu ia progredindo. Durante essa dungeon você consegue também uma arma ultimate para cada personagem e graças a Deus por isso! Por que sem elas eu não teria conseguido vencer tão cedo esse desafio. De fato as armas são tão game changer que o jogo virou uma piada depois de ter elas nos personagens, mas eu já tava tão puto que eu nem ligava mais de usar essas muletas armas.

A história aqui é sobre como os quatro personagens foram parar em um lugar que eles acreditavam ser o inferno, mas ao chegarem no final do castelo que pensavam ser Pandaemonium eles são recepcionados pela versão da luz do Emperor. Este revela que esse é o "paraíso" que ele controla e invocou a alma deles para se redimir pelos atos de seu lado maligno "dando a eles um lar pacífico pelo resto da eternidade".

Sem ligar para os supostos "atos altruístas" do Emperor nosso grupo testemunha a batalha de Firion que acontecia naquele momento e confrontam sua própria luta!

Como eu disse, com as armas ultimate foi uma luta bem fácil e o Emperor da luz caiu ao mesmo tempo que sua versão das trevas era derrotada no mundo dos vivos. Eu levei a blood sword para esse jogo, mas ela acabou nem sendo necessária no final.

Contemplamos novamente o final do jogo base, mas dessa vez vendo os espíritos dos personagens assistindo e dando suas opiniões. No final essa história extra foi bem legal e poderia ter sido parte do jogo base, seria legar ser uma boss battle dupla contra o chefão final, mas provavelmente por limitações de hardware da época não foi possível reproduzir algo assim.

Tem uma luta opcional também no Soul of Rebirth contra a Ultima Weapon (Que é um behemoth de pallete swap) para você receber a spell Ultima, mas também foi tão fácil quanto o Emperor.

Então esse foi FF2 remake de PSP/Mobile do início ao fim!
Eu estou feliz de poder colocar esse jogo na minha lista de concluídos depois de anos com preguiça. Foi um jogo que me divertiu apesar dos momentos de tédio e da história que só fica interessante no climax do final.

Não me arrependo de ter jogado ele, mas certamente não é um jogo que planejo jogar de novo na vida, diferente de um FFVI por exemplo.

23
  • Micro picture
    jcelove · about 2 months ago · 3 pontos

    Rapaz, ta limpando tudo dos remakes parabens! Nao tive paciencia pros extras dessas versoes, so encarei o souç of rebirth pq acrescentava a historia.

    Acho maneiro o lance de ter 2 batalhas em paralelo. Mateus tinha cobquistado o ceu e o inferno, seria o bichao se nao fosse tao sem graça.hehe

    5 replies
  • Micro picture
    kalini · about 2 months ago · 2 pontos

    Yahveh e Satan deviam tá de férias pra esse mala se apoderar do ceu e do inferno, só pode.

    Acho forçado esse soul of rebirt. Filler.

    4 replies
  • Micro picture
    jogaveio · about 1 month ago · 2 pontos

    O Soul of Rebirth tem uma curva de dificuldade ao contrário (Ele começa difícil demais e termina fácil)... O arcane labyrinth acho que eu nem cheguei a fazer, porque eu não lembro nada dele...

    1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...