2020-07-21 11:19:38 -0300 2020-07-21 11:19:38 -0300

A indústria dos games se beneficia do ódio.

Single 3815363 featured image

O título é  chamativo, mas infelizmente  essa é  verdade, as corporações se favorecem do ódio  que ocorre na indústria, ameaças de morte, discurso de ódio, perseguição  e assédio, esses temas vem crescendo e aumentando a cobertura  dentro da indústria.

Tivemos  os jogadores que queriam matar a Microsoft por conta de uma bandeira colorida ou os que ameaçaram  a dubladora de TLOU Laura Bailey por conta de personagens ficcionais.

Vemos a empresa como medo dessa parcela raivosa, se posicionarem timidamente, nessas ocorrências por que para as mesmas  essa cultura  é  interessante, mas por que eu digo isso?

Vamos  analisar alguns fatores que eu vejo  por que as empresas se beneficiam com isso.

O ódio  tira o foco do real problema.

(Tweet do xbox brasil, os comentários  estão  cheio de gente reclamando de lacração  e outras besteiras kkkk)

Crunch, assédio  moral, assédio  sexual, práticas predatórias, tudo isso é  varrido para debaixo do tapete.

Oue toma conta do debate  são  os "gamers" que odeiam mulheres, gays e minorias, e para indústria  é  interessante  ter essa massa de manobra.

Enquanto eles xingam atores, roteiristas, jornalistas, a indústria continua suas práticas, numa indústria  que o medo é  instaurado por ser extramente volátil  muitos casos não  vêem  a tona.

E quando os assuntos sérios  surgem, são  tratados da forma errada, por exemplo  invés  de cobrar um executivo pelas decisões  de microtransações o indivíduo  vai atrás  de alguém  que está na linha de produção  ou quando uma jornalista é  pega plagiando ou fazendo um trabalho mais de propaganda do que crítico  o indivíduo  crítica  ela na sua condição  de mulher  e não  de jornalista.

Esses picos de ódio  online favorecem  as empresas que nunca se posicionam fortemente, e que conseguem manter o status.

Hype vs Pensamento.


Review bombing é  ato de fazer várias  reviews fakes para baixar a nota de um jogo, seja Warcraft 3, TlOU part II e variados jogos, já  sofreram disso.

Esse ato infantil de detonar notas, é  seguido pro atos  de baixo nível como ameaçar de morte, perseguir  e assediar  jornalistas, dubladores e roteiristas.

A indústria  adora o Hype a discussão rasa, uma análise  séria não  vale a pena por que  não  é Hype, hype dá  projeção  e propaganda.

Todo esse ambiente  de negatividade  e perseguição  que essa parcela de usuários  promove é  interessante para as empresas, enquanto  a perseguição  toma conta, as empresas podem manter suas práticas, os jornalistas ficam na mesmice e as práticas  predatórias  seguem. 

Enquanto uma parcela do público promove ódio, as empresas com medo de se posiconar para não  irritar a parcela raivosa e seu clube do bolinha, elas  se alimentam do ódio  e deixa a engrenagem rodar.

A indústria  dos games precisa ser chacoalhada, ter atitudes  sérias, mudar seu comportamentos, por que ela parece se alimentar do ódio e ser conivente com essa espiral de perseguição. 


Hate Plus

Platform: PC
12 Players
4 Check-ins

53
  • Micro picture
  • Micro picture
    artigos · 3 months ago · 3 pontos

    Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    1 reply
  • Micro picture
    noblenexus · 3 months ago · 2 pontos

    não só a dos games usa essa tática, mas é isso mesmo, muito bem colocado

    2 replies
  • Micro picture
    jongamezon · 3 months ago · 2 pontos

    O problema é que algo que muitas vezes poderia ate passar despercebido, e logo ser esquecido, geram uma repercussao enorme, a midia aumenta aquilo mais ainda, Tem la o TLOU2 100,000 pessoas curtindo o game, e todo mundo da bola pra 100 retardado que fala merda. uma pessoa vai no twitter e fala "TLOU2 jogo bosta nada ver meninas se beijando no jogo, essa bosta jogo lixo," e pronto, essa simples fraze gera uma repercussão gigante. Quando poderiamos apenas levar como um jogo de videogame.

  • Micro picture
    santz · 3 months ago · 2 pontos

    Acho que a indústria de game só vai mudar quando tiver maturidade. A maioria que consome game são jovens e pouquíssimos são os adultos pai de família e tal que tem mais coisas para se preocupar. Daqui uns 50 anos, isso passa.

  • Micro picture
    kess · 2 months ago · 2 pontos

    Assim como as pessoas na internet se escondem atrás de uma tela para destilar seu ódio, a mesma coisa acontece com os games. Mas ao contrário dos trolls e haters na internet, que vão ao ataque muitas vezes apenas pela piada disso, os gamers têm uma relação mais íntima com os jogos, e se importam mais com o que acontece com seus objetos de desejo. E assim, deixam transparecer seus preconceitos, ódios e demais negatividades.

  • Micro picture
    zefie · 3 months ago · 1 ponto

    A última nessa linha que eu vi (ia até fazer post sobre) foi de gente nos EUA reclamando que a >>> Sony <<< é racista porque ocidentais trabalharam no Ghost of Tsushima e que chamaram um ocidental para tocar um na apresentação do jogo na E3 de 2018 (https://www.youtube.com/watch?v=SSW76F0OIoM)
    Aí foi lá um japonês e falou basicamente "aqui a gente não tá nem aí pra isso e esse cara é um dos poucos mestres em todo o mundo na arte desse instrumento". A maluca que tentou militar apagou o twitter inteiro dela depois disso :v

    1 reply
  • Micro picture
    denis_lisboadosreis · 3 months ago · 0 pontos

    Teve um caso recente bem descarado de lucro com o ódio por parte do Bombril ao criar publicidade numa linha antiga e quase esquecida de produto chamada Krespinha, gerando repercussão negativa e remoção de produto já moribundo, mas alavancou o nome da marca Bombril como assunto em locais que antes teriam custos elevados pra alcançar. No fim os pedidos de desculpas e campanhas de conscientizações genéricas saíram baratos e a veiculação do nome da marca foi muito mais lucrativo do que apenas remover uma linha ligada ao racismo com uma caneta numa reunião curta de escritório.

    4 replies
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...