historia_dos_games

Revivendo a história dos games em ordem cronológica

You aren't following historia_dos_games.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2019-08-29 11:01:54 -0300 Thumb picture

    #178 - Civilization [MS-DOS] 1991

     Baseado no jogo de tabuleiro Civilization e depois de presenciar o sucesso de SimCity e Populous, os programadores Sid Meier e Bruce Shelley desenvolveram um dos maiores e mais vendidos jogos de estratégia. Situado na era da Antiguidade, o jogador deve escolher qual civilização vai começar, como egípcia e romana, por exemplo, e vai ter que gerenciar e evoluir o império no decorrer das eras até alcançar a exploração espacial. O jogo é operado por turnos e há outras civilizações pelo mundo evoluindo também. Além de conquista territorial através de guerras ou diplomacia, o jogador deve desenvolver novos conhecimentos e tecnologias para que a civilização evolua e aprenda novas habilidades. O jogo foi altamente aclamado no seu lançamento.

     - O jogo de estratégia mais ambicioso e divertido até então. O conceito de evoluir a civilização através das eras é genial. Os gráficos são bem detalhados e mostra a evolução do império conforme novos conhecimentos são adquiridos. Através da consulta da árvore da tecnologia, é possível optar por qual área a civilização vai evoluir. A exploração do mapa e a conquista territorial ocorre aos poucos e a cada nova etapa, sempre aparece uma explicação na tela para orientar o jogador. A opção de conflitos armados ou uso de diplomacia traz mais opções ao jogador. Além disso, há figuras históricas, conhecimentos científicos e civilizações antigas baseada no mundo real, deixando tudo ainda mais divertido.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Sid Meier's Civilization

    Platform: PC
    68 Players

    38
    • Micro picture
      onai_onai · 3 months ago · 2 pontos

      Eu nem sabia que o de tabuleiro veio primeiro.

      1 reply
    • Micro picture
      thecriticgames · 3 months ago · 2 pontos

      Todos os Civs (assim como os AoE) estão na minha lista de serem jogados caso eu venha a estudar história que é uma parada pela qual sou apaixonado.

      5 replies
    • Micro picture
      darlanfagundes · 3 months ago · 2 pontos

      Tá aí um game que conheci no SNES e depois no pc... o de SNES é melhor!

      2 replies
  • 2019-08-28 10:08:31 -0300 Thumb picture

    Neo Geo AES: Um Arcade dentro de casa

    Medium 3741815 featured image

    Em 26 de abril de 1990, a SNK lança a placa de Arcade mais poderosa do mercado, a Neo Geo MVS. Além dos recursos tecnológicos que superava todas as placas das concorrentes, ela adotava um esquema de troca de cartuchos, como nos consoles domésticos, isso diminuía demais os custos, pois já não era mais necessário trocar o gabinete inteiro para apresentar um novo jogo. Em hotéis, a SNK alugava uma versão reduzida da máquina e logo notou que havia demanda de possíveis compradores de uma máquina tão cara. Em julho de 1991, a SNK lança a Neo Geo AES voltado para o consumidor final. Um console de luxo e extremamente poderoso com preço inicial de 650 dólares, mais caro que 3 unidades do Super Nintendo, que também foi lançado na época.

     O console era bem grande e vinha em uma carcaça preta, com a entrada para cartuchos na parte de cima, botão de reset, chave de liga e desliga, entrada para até 2 controles, entrada para fones de ouvido e uma entrada para cartão. Por dentro, ele era basicamente uma placa de Arcade Neo Geo MVS. Havia 2 processadores, um Motorola 68000 de 12 MHz e um Zilog Z80 de 4 MHz, GPU de 24-bits da própria SNK trabalhando a 24 MHz, capaz de processar até 380 sprites na tela simultaneamente, 64 KB de RAM principal, 74 KB de RAM para vídeo e um chip de som da Yamaha, o YM2610 de de 15 canais com 2KB de RAM reservados. Era a mais potente especificação técnica de um console para a época.

     O controle padrão do console era gigante. Ele simulava um joystick de Arcade com a alavanca de 8 direções, botões start e select na parte de cima e 4 botões de ação distribuídos de forma ergonômica, A, B, C e D, mesmas configurações do gabinete. Os cartuchos eram imensos, do tamanho dos controles. Estampava uma arte na frente e tinha uma leve diferença na pinagem com relação aos cartuchos da versão MVS. A SNK foi além e trouxe o primeiro cartão de memória da história. Com capacidade de 2KB, o cartão armazenava o progresso do jogador e podia ser levado para outro console ou mesmo inserir no gabinete MVS. Geralmente, era usado para armazenar os recordes de pontuação nos jogos.

     Como o Neo Geo AES tinha o mesmo hardware do gabinete de Arcade mais poderoso da época, os jogos eram de altíssima qualidade. Nos EUA, o console era vendido junto do Baseball Star Professional ou do Nam-1975. Todos os títulos que saiam para o Arcade recebiam a conversão perfeita em cartucho da versão doméstica. O catálogo inicial já contava com cerca de 20 jogos e dos mais variados estilos, como corrida, shoot ‘em up, plataforma, FPS, esportes, Run ‘n’ gun, Beat ‘em up e luta. Só não tinha RPG, pois a proposta não combinava com jogo de Arcade e não havia jogo exclusivo para o AES. Apesar de vender pouco, a SNK não tinha prejuízo, já que não tinha de bancar conversões dos jogos para seu sistema caseiro.

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    52
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 2 pontos

      Tá ae "uma parada" que só vi de longe.
      Ele era tipo o 3DO...pouquíssimas pessoas tinham.
      ...
      Não sei por que mas...ele nunca me atraiu.
      ...

      4 replies
    • Micro picture
      leandro · 3 months ago · 2 pontos

      Tive a chance de joga-lo na época, em uma das locadoras que eu frequentava. Era algo realmente assustador, tanto o poder de hardware, quanto seu tamanho físico. Sempre foi um console para poucos compradores. Eu acho que deve ser dos únicos consoles antigos que continua caro, ate hoje kkkk

      1 reply
    • Micro picture
      darlanfagundes · 3 months ago · 2 pontos

      Eu tenho ele com 4 fitas... é a única coisa que nunca tive coragem de vender...mas ele sofreu um acidente recentemente, quebrou a carcaça... até hj sinto vontade de chorar quando olho...

      1 reply
  • 2019-08-27 10:20:46 -0300 Thumb picture

    Combo#177 [Mega Drive] (1991): DEcapAttack & Golden Axe II

    O jogo se trata de uma versão ocidental de Magical Hat lançado no Japão em 1990. A adaptação alterou por completo o enredo, gráficos, música e o design de alguns níveis. A múmia viva Chuck D. Head parte para uma missão de derrotar o vilão Max D. Cap que pretende conquistar a superfície com criaturas do submundo. Chuck pode atacar com um rosto que sai do seu corpo, pular nos inimigos ou usar um crânio como bumerangue que pode ser coletado durante as fases. É possível também usar poções com efeitos diversos. - Um jogo de plataforma de primeira para o Mega Drive, misturando terror e humor. A jogabilidade é fácil e Chuck pode flutuar no ar batendo as pernas. O design das fases não é linear, como Sonic the Hedgehog.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     A Sega optou por lançar a continuação de Golden Axe exclusivo para seu console. Axe, Gilius e Tyris estão de volta para enfrentar um novo mal que assola seu povo, o exército de Dark Guld. A jogabilidade se mantém semelhante ao jogo anterior, com combos e magias, que agora podem ser carregadadas para deferir um poder mais destrutivo. Há também o modo de duelo, onde os lutadores se enfrentam ou lutam várias partidas seguidas contra diferentes criaturas. - O beat ‘em up medieval traz a mesma fórmula com poucas inovações. A jogabilidade continua muito boa e as novas magias ganharam animações bem legais. O modo de duelo é uma adição bem interessante. No geral, o jogo não traz muita coisa nova.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Golden Axe II

    Platform: Genesis
    2338 Players
    18 Check-ins

    35
  • 2019-08-26 09:32:38 -0300 Thumb picture

    #177 - Streets of Rage [Mega Drive] 1991

     Com o sucesso dos jogos de Beat ‘em up nos Arcades, a Sega optou por criar um jogo direto para o Mega Drive ao invés de portes. A cidade se vê tomada pela gangue Syndicate e o terror tomou conta das ruas, então um grupo de ex-policiais resolvem combater o crime no braço e pôr um fim ao caos gerado por Mr. X. Adam, Axel e Blaze possuem características distintas e o jogo permite até 2 jogadores. Além de combos e agarrões, os lutadores podem usar um golpe em dupla e um ataque especial que chamam um carro de polícia para acabar com todos os bandidos na tela. Além dos gráficos de altíssima qualidade e jogabilidade fluida, o jogo possui uma das trilhas sonoras mais aclamadas de sua época. Yuzo Koshiro criou músicas que mistura house e techno, temas mais voltados para os clubes da época.

     - Mais um jogo de altíssima qualidade para o Mega Drive. Os gráficos estão super caprichados, seja nas animações dos golpes ou nos cenários cheios de detalhes. A trilha sonora realmente é um espetáculo, especialmente o tema de abertura. A jogabilidade é super fluida e acessível. Cada personagem em seus atributos funcionam muito bem. O primordial modo multiplayer deixa o jogo ainda mais redondinho e é incrível ver tanto personagem em tela. Podemos usar armas espalhadas pelo cenário, como um pedaço de cano ou garrafa de vidro. Podemos golpear o amigo, porém, há movimentos em dupla que dá mais uma vantagem quem optou por jogar no modo cooperativo. Um dos melhores Beat ‘em up até então.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Streets of Rage

    Platform: Genesis
    4501 Players
    89 Check-ins

    55
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 4 pontos

      Definitivamente uma nota 5 estrelas 🌟.
      Super divertido, gameplay fluido, gráficos bons e o que mais gostei:
      Yuzo Koshiro e suas trilhas ouse e techno.😍

      2 replies
    • Micro picture
      lgd · 3 months ago · 3 pontos

      Jogão que ainda não consegui zerar

      2 replies
    • Micro picture
      mysteron · 3 months ago · 2 pontos

      E pensar que esse jogão é hoje considerado por muitos como o pior da série. Isso é para todos verem o nível de qualidade dela como um todo. O mais fraco ser bom assim? Isso é para pouquíssimos jogos.

      2 replies
  • 2019-08-22 08:55:57 -0300 Thumb picture

    Combo#176 [Super Nintendo] (1991): Super Tennis & Super Soccer

    Graças ao Mode 7, o jogo de tênis da Nintendo traz a melhor simulação do esporte para a época. Há 3 modos para escolher: disputar sozinho, em dupla ou no modo circuito, onde temos vencer uma série de campeonatos, cada um conta com diferentes tipos de quadra que afeta diretamente o efeito da bola em jogo. É possível jogar em cooperativo com um jogador ou contra ele. Cada tenista tem suas próprias características e todos eles são fictícios. - Depois de anos sem o jogo de tênis aqui na persona (Tennis do Atari foi o último), temos uma baita evolução do esporte. O modo de dupla é certamente o mais divertido. É possível rebater a bola com diferentes efeitos dependendo do botão de ação escolhido, mas o jogo requer prática para pegar o jeito.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     No Japão, o jogo é conhecido como Formation Soccer e foi baseado na Copa do Mundo de 1990. É possível escolher o modo simples de exibição ou um torneio, com várias partidas em seguida. Além da escolha dos times, podemos alterar a formação tática em campo e trocar os jogadores com os reservas. Todas as regras do futebol estão no jogo, exceto o impedimento. Graças ao Mode 7, o jogo traz uma perspectiva vista do gol com a câmera acompanhando a bola. - Mais um jogo de futebol e dessa vez temos uma forma bem diferente de simular o esporte. A visão pelo gol é bem ruim e confunde muito com relação a posição da bola, mas é um efeito bem bonito. É bem fácil fazer e levar gol, já que o goleiro é meio que controlado pelo jogador.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Super Soccer

    Platform: SNES
    222 Players
    3 Check-ins

    34
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 2 pontos

      Super Soccer era massa...
      O tênis não lembro se eu gostava mas lembro que joguei...

      1 reply
    • Micro picture
      thecriticgames · 3 months ago · 2 pontos

      Supper Soccer eu tenho até hoje, não jogo futebol mas sempre via assisti meu irmão jogando ele e mano, que trilha sonora foda ele tem, o tema da tela de titulo até hoje é maravilhoso e me parece saido de um Mega Man ou de um Final Fantasy. Gostava muito tambem da musica do menu principal e do tema da Belgica que me parecia um tema de guerra sei lah.

      4 replies
    • Micro picture
      denis_lisboadosreis · 3 months ago · 2 pontos

      Tive um Formation Soccer pra PS1, e era terrível.

      1 reply
  • 2019-08-21 09:24:08 -0300 Thumb picture

    #176 - Final Fantasy IV [Super Nintendo] 1991

     Após o sucesso do lançamento de Final Fantasy III, o novo título da série chega ao SNES, marcando o primeiro grande RPG do console. A história do jogo segue o cavaleiro negro Cecil que começa a ir contra as ordens do rei e parte para uma jornada épica a fim de impedir que o vilão Golbez reúna os cristais para governar o mundo. O grupo, formado por até 5 membros, que se revezam durante todo o jogo. Várias reviravoltas no decorrer da história faz do jogo um dos mais épicos e emocionantes títulos de RPG até então. O gameplay mantém o que já era tradicional da série, mas nos combates, há a introdução do Active Time Battle, que torna as lutas em tempo real e não mais em turnos. Nos EUA, o jogo foi lançado como Final Fantasy II devido a falta dos títulos anteriores em território americano.

     - A Squaresoft se superou e lançou o RPG da mais alta qualidade até então. Os gráficos são surpreendentes, em especial nas animações das magias e invocações. A trilha sonora de Nobuo Uematsu conseguiu superar tudo e trouxe uma das melhores coleções de músicas da história. O enredo está mais caprichado do que nunca, com diálogos diretos e cenas emocionantes durante todo o jogo. A progressão do jogo ficou perfeita. O jogador não precisa ficar upando de nível para avançar na história, Cecil já começa no LV 10 e sempre vai ter alguém no grupo que possui magia de cura. Os combates são bem rápidos e o ATB é muito bem explorado no jogo, mas ainda sim, mantém toda estratégia no uso de elementos e tipos de armas nos inimigos. Jogo perfeito.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Final Fantasy IV

    Platform: SNES
    1396 Players
    23 Check-ins

    48
    • Micro picture
      manoelnsn · 3 months ago · 4 pontos

      Final fantasy IV é um dos pilares centrais da franquia e um jogão do caralho mesmo! Claro que hoje em dia muita coisa dele envelheceu male talz, mas com certeza ainda tem o seu valor!

      1 reply
    • Micro picture
      kipocalia · 3 months ago · 2 pontos

      Meu FF favorito :)

      1 reply
    • Micro picture
      marlonildo · 3 months ago · 2 pontos

      Jogão! Um dos melhores FF

      1 reply
  • 2019-08-20 10:03:34 -0300 Thumb picture

    Combo#175 [GameBoy] (1991): Game Boy Wars & Mario & Yoshi

    Seguindo com o sucesso de Famicom Wars, a Nintendo lança uma versão para o seu portátil. A disputa se dá entre os exércitos Red Star e White Moon em combates táticos em campo hexagonal, mas formado por quadrados. Como no jogo anterior, podemos comprar diferentes unidades de guerra, como soldados, tanques, navios e aviões de guerra, bem como tomar cidades. O jogo possui 36 mapas novos, mais que o dobro do jogo anterior e permite partidas multiplayer através do cabo. - Mais um jogo da série Wars que se adaptou muito bem ao portátil. O uso de tons de cinza para simular as cores foi muito bem utilizado. O jogo em si é bem lento, especialmente quando, no turno do oponente, ele tem que ficar pensando para cada jogada que vai fazer.

    Nota pessoal: ★★☆☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Ainda na pegada de sucesso de Tetris e jogos de puzzles para portátil, a Nintendo cria um jogo nos moldes com uma fórmula bem simples. Mario deve rotacionar as pilhas da base da tela para fazer combinações de monstros que caem. Basta juntar 2 para eles sumirem. Por vezes, caem partes de ovos que, se unidas, destroem todos os inimigos entre as cascas e formam um Yoshi, gerando pontos extras. Há 2 modos de jogo, além do multiplayer e 3 opções de músicas, além de mudo. - Mais um joguinho de puzzle da Nintendo com uma pegada extremamente simples. Os gráficos são legais, as músicas também e traz uma jogabilidade simples e repetitiva. Em alta velocidade, o jogo se torna realmente desafiador, mas no geral, é um jogo bem mediano.

    Nota pessoal: ★★☆☆☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Yoshi

    Platform: Gameboy
    66 Players
    1 Check-in

    26
    • Micro picture
      darlanfagundes · 3 months ago · 2 pontos

      De Game Boy vai aparecer um monte de jogo que não conheço...vc emula com que emulador no android?

      1 reply
  • 2019-08-19 08:58:03 -0300 Thumb picture

    #175 - Final Fantasy Adventure [GameBoy] 1991

     Criada para ser um spin-off da série Final Fantasy, o novo jogo é conhecido no Japão Seiken Densetsu. O jogador controla o herói Sumo, que é um mero gladiador a serviço de Dark Lord, mas após a morte de um companheiro, ele consegue fugir e junto da garota Fuji partem para uma grande jornada a fim de proteger a Tree of Mana. O jogo traz os combates de ação e uso de itens de The Legend of Zelda, mas adiciona elementos de RPG e progressão tradicional da série. O jogo é aclamado pela crítica com por seus gráficos impressionantes para o GameBoy e sua trilha sonora memorável. A progressão do jogo é tela a tela, sem scrolling, que permite combate suave mesmo com vários inimigos na tela.

     - Mais um excelente jogo da Squaresoft para o GameBoy. Os gráficos são bem superiores ao The Final Fantasy Legend, parece até que saíram em plataformas distintas. Não só a riqueza dos detalhes, mas também nas animações fluídas. A trilha sonora, como é comum da série, traz arranjos marcantes e memoráveis. A mistura de ação estilo Zelda com elementos de RPG trouxe uma característica única ao jogo. Não é preciso evoluir muito para poder avançar e rapidamente você fica envolvido na história, que flui de forma incrível. Tem um medidor na parte inferior que aumenta automaticamente e dispara um ataque especial quando estiver completo, mas ele é bem lento no começo.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Final Fantasy Adventure

    Platform: Gameboy
    239 Players
    5 Check-ins

    39
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 4 pontos

      Sim... é um preconceito gamer mas... não suporto games PRETO E BRANCO e PIXEL ART.

      Ressalva: tem um pixel art que o @jcelove me sugeriu mas esqueci o nome...fala ae. Lembro de ter procurado no videogame e estava caro pacas...100 reais.😬 Pegada de Alone in the Dark
      ...
      Ressalva 2: White Night é foda (e é preto e branco)
      ...

      5 replies
    • Micro picture
      darlanfagundes · 3 months ago · 3 pontos

      Acho que da série clássica esse é o único Final Fantasy que eu nunca nem vi!

      1 reply
    • Micro picture
      manoelnsn · 3 months ago · 3 pontos

      O antecessor de Secret of mana XD

      2 replies
  • 2019-08-16 10:15:51 -0300 Thumb picture

    As revistas de videogame dos anos 80

    Medium 3739877 featured image

    Após o surgimento das primeiras revistas de videogames, algumas editoras começaram a apostar nesse tipo de mídia, porém, a maioria era focado em jogos de computadores e informática. Nos EUA, foram poucas, como a Atari Age e a Electronic Fun with Computers & Games, ambas de 1982-1984. Na Europa, jogos de computadores sempre foram os preferidos, daí nasceram a Page 6 para computadores Atari, Sinclair User para o ZX Spectrum e Tilt, todos de 1982. No ano seguinte, tivemos a Crash para jogos da linha Sinclair e Computer User Amiga. Em 1984, Nasce a Your Sinclair e em 1985 temos as espanhola Micromania e a britânica Zzap!64. Os EUA viva o Crash dos videogames, então ninguém se aventura no assunto videogame.

     Com o sucesso massivo do Famicom no Japão, a Nintendo lança a Famitsu para divulgar novos jogos e dicas em 1986 e no ano seguinte, a britânica ACE vai falar de computadores no geral. O público americano estava praticamente sem nenhuma revista sobre games, mesmo depois que o NES revitalizou a indústria no país, até que a Nintendo lança a Nintendo Power em 1988 após o sucesso do Nintendo Fan Club News. A revista era um dos maiores sucessos nos Estados Unidos e trazia dicas e detonados de jogos que pareciam impossíveis sem ela. Na Itália, a The Games Machine inicia suas tiragem, falando sobre jogos de computadores e de consoles. Em 1989, no Reino Unido, temos a Amiga Action para computadores e a Electric Brain para consoles.

     Já em 1989, nos EUA, a Electronic Gaming Monthly é uma das maiores e mais importantes revistas americana sobre games da história, bem como a GamePro, que falava sobre games no geral. Outra revista que também foi lançada nessa época foi a Game Players, outra gigante que falava sobre dicas e detonados de jogos. Para difundir seus consoles e jogos, a Sega lança no Reino Unido o Sega Power, claramente para competir com a gigante Nintendo Power. Nessa época, o jornalismo de videogames estava difundido em todas as partes do mundo para divulgar as novidades tecnológicas e jogos apresentados na feira CES. Teremos um post próprio só para falar das primeiras revistas brasileiras posteriormente.

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    40
    • Micro picture
      porlock · 3 months ago · 3 pontos

      uau... q irado!

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 3 pontos

      EGM...comprava todas!
      Era uma excelente revista e, não sendo antipatriota...mas era infinitamente melhor do que as brasileiras.
      ...
      Mas eu comprava todas BR também...
      ...

      8 replies
    • Micro picture
      old_gamer · 3 months ago · 3 pontos

      Eu era um consumidor assíduo destes revistas, milhões em dinheiro do meu lanche da escola foram para a banca de revistas : )

      1 reply
  • 2019-08-15 09:35:50 -0300 Thumb picture

    Combo#174 [Mega Drive] (1991): F-22 Interceptor & Road Rash

    Com a crescente popularidade de simuladores de vôo para computadores, a Electronic Arts lança um jogo de combate para o Mega Drive. O jogador está no controle do jato F-22 Raptor e deve derrubar os alvos para completar as missões. O jogo permite vôo livre no mapa e os inimigos variam entre jatos, tanques e helicópteros de guerra. Além da metralhadora, o jato possui uma gama de mísseis especiais para derrubar os inimigos. Com 2 jogadores, é possível que o segundo controle a mira enquanto o primeiro voa. - Um jogo de vôo realmente incrível para o console. Tudo flui bem, apesar da taxa de quadros reduzidas. O combate é emocionante e os controles são fáceis de pegar. Os gráficos são o ponto alto do jogo.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     A Electronic Arts desenvolve um criativo e violento jogo de corrida com motos onde os pilotos podem derrubar seus oponentes com chutes, socos e golpes com taco. O objetivo do jogo é vencer uma série de pistas de diferentes áreas dos Estados Unidos para arrecadar dinheiro e comprar motos melhores. Durante a corrida, o jogador pode ser parado por um policial e ter que pagar uma multa ou ter a moto destruída, tendo que pagar pelos reparos. O jogo impressionou na época por seu convincente efeito 3D para o console. - Um dos jogos mais geniais e divertidos para o Mega Drive. Além dos gráficos 3D de qualidade, há músicas durante a disputa. A jogabilidade é simples e precisa, derrubar o adversário da moto é a muito satisfatório.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Road Rash

    Platform: Genesis
    831 Players
    11 Check-ins

    37
    • Micro picture
      porlock · 3 months ago · 2 pontos

      eu cheguei a jogar o road rash... eh maneiro.

      1 reply
    • Micro picture
      leandro · 3 months ago · 2 pontos

      Road Rash é um classicão

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 2 pontos

      ROAD RASH é alucinante.
      Joguei bastante a versão do 3DO.
      ...
      Por falar em 3DO...a imagem 1 até lembra as "naves" de SHOCK WAVE...

      10 replies
Keep reading → Collapse ←
Loading...