historia_dos_games

Revivendo a história dos games em ordem cronológica

You aren't following historia_dos_games.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2018-04-23 09:49:58 -0300 Thumb picture

    #64 - Ultima III: Exodus [Apple II] 1983

     Richard Garriott e seu irmão, Robert Garriott, fundam a própria empresa, a Origin Systems. A partir daí, temos o lançamento do seu primeiro jogo, sendo a continuação do seu grande sucesso, Ultima II. Mais uma vez, o jogo surpreende com evoluções espetaculares e um mundo ainda mais rico. Dessa vez, controlamos 4 heróis que possuem a missão de destruir Exodus, uma criação de Mondain e Minax, e voltar a paz para a terra de Sosaria. Podemos escolher entre 5 raças e 11 classes, que vão determinar as habilidades em combate e a melhor estratégia. O jogo conta também com uma trilha sonora completa que o acompanha nas diferentes áreas do jogo, mas é necessário um módulo de som para permitir isso.

     - Os gráficos tiveram um leve avanço, com destaque para as animações dos personagens. Outra grande evolução da série são os labirintos 3D, que agora possuem colorido sólido, que deixou tudo muito mais bonito. Mas o grande destaque do jogo vai para sua inovação em combate. Ele acontece em uma área separada, onde um ou mais inimigos estão disposto na arena e seus quatro heróis devem vencer, usando um movimento por vez no seu turno. O primeiro jogo a popularizar o combate tático. Apesar do combate ter ficado muito mais estratégico, o jogo ficou muito mais demorado devido, pois há batalhas constantes e elas demoram uns 3 minutos em média.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Ultima III: Exodus

    Platform: PC
    14 Players

    40
    • Micro picture
      manoelnsn · about 2 years ago · 2 pontos

      Esperando anaiosamente o famoso Ultima 7 dar as caras aqui XD

      1 reply
    • Micro picture
      porlock · about 2 years ago · 2 pontos

      ta ai uma serie q sempre ouvi falar bem, mas nunca joguei um titulo.. ultima.

      1 reply
    • Micro picture
      volstag · about 2 years ago · 2 pontos

      Já joguei, mas muito pouco, a série Ultima, apesar de eu não ser chato com gráficos, acho que prejudica muito nesse caso específico.
      Torço muito pra que um dia eles deem um Reboot com visual renovado, porque merecem!!

      1 reply
  • 2018-04-20 08:44:14 -0300 Thumb picture

    Combo#63 [Arcade] (1983): Congo Bongo & Spy Hunter

    Em resposta ao Donkey Kong da Nintendo, a Sega lança um game semelhante, mas com gráficos bem mais avançado e perspectiva isométrica. Controlamos um caçador com um nariz vermelho que busca vingança, pois o gorila Bongo queimou sua tenda enquanto ele dormia. O jogo é dividido em 4 fases, onde cada uma apresenta um desafio diferente. - A Sega veio com tudo neste novo jogo. O visual é lindíssimo, cheio de cores e detalhes. A jogabilidade é prejudicada devido a visão isométrica, mas fora isso, ela responde muito bem. Há vários elementos na tela em cada uma das fases, que proporciona um desafio bem diversificado e gostoso de se concluir.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Inspirado pelos filmes do espião James Bond, a Midway cria um jogo de carro cheio de ação. Inicialmente equipado com uma metralhadora, nosso carro deve empurrar e destruir os carros inimigos. Eles podem ser grandes, vir equipados com uma serra para destruir seu pneu ou mesmo um helicóptero. Para nos auxiliar, um caminhão abre a comporta e podemos entrar e ganhar novos brinquedos, com um disparador de óleo, fumaça e até um míssil. - Um jogo bem rápido e com visual super bonito. Devemos estar atentos aos desvios da pista e com inimigos que surgem aos montes, principalmente os que possuem a serra. O jogo passa o clima de filmes de espião de forma primorosa, em especial devido a música no começo.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Congo Bongo

    Platform: Arcade
    5 Players
    1 Check-in

    31
    • Micro picture
      darlanfagundes · about 2 years ago · 2 pontos

      Amo jogos isométricos, top down e tal... Hehehhe, mas nunca tinha isto esse Bongo da SEGA, vou procurar aqui...O Spy Hunter eu joguei somente em emulador, e gostei bastante, parece que ele inspirou outros jogos do gênero, mesmo não lembrado nomes agora lembro de jogar outros no Arcade no mesmo estilo...

      1 reply
    • Micro picture
      porlock · about 2 years ago · 2 pontos

      q maneiro o spy hunter...
      ele lembra um pouco o road fighter..

      1 reply
    • Micro picture
      msvalle · about 2 years ago · 2 pontos

      Spy Hunter eu joguei em Arcade, muito divertido.

      4 replies
  • 2018-04-19 09:05:00 -0300 Thumb picture

    #63 - Punch-Out!! [Arcade] 1983

     A Nintendo arrisca em um jogo bem inovador e com gráficos espetaculares. Genyo Takeda e Shigeru Miyamoto se uniram para criar um complexo e divertido jogo de boxe. O nome do nosso protagonista é escolhido do início do jogo e combatemos 4 lutadores, que ficam em loop. Glass Joe, Piston Hurricane, Bald Bull, e Mr. Sandman, nessa ordem. Nosso objetivo é socar o oponente até nocauteá-lo e ele tentará fazer o mesmo com você. O gabinete é composto de duas telas, onde na tela debaixo ocorre a luta e a de cima as informações do combate, como a foto dos lutadores, tempo, pontos, barra de energia e uma barra de especial, que te permite diferir um gancho poderoso.

     - De longe, é a simulação mais perfeita de uma partida de boxe já feita. Toda emoção da plateia gritando, as falas sintetizadas do juiz e do comentarista passam ainda mais empolgação ao jogador. Deferir socos e ganchos é muito fácil, não posso dizer o mesmo para se esquivar. A solução de colocar nosso personagem em wireframe foi bem inteligente e aplicada, assim como o esquema de duas telas. Os gráficos do jogo estão em outro nível, com uma riqueza de detalhes e cores que nunca foi vista antes. Apesar das dicas que os inimigos dão, com os olhos ficando amarelo, desviar dos golpes é muito difícil, pois não sabemos ao certo se vai vir um soco de direita ou esquerda, só decorando mesmo.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Punch-Out!!

    Platform: Arcade
    8 Players

    46
    • Micro picture
      willguigo · about 2 years ago · 3 pontos

      Joguei muito o super de snes.

      2 replies
    • Micro picture
      msvalle · about 2 years ago · 3 pontos

      Jogo fora de série!

      1 reply
    • Micro picture
      darlanfagundes · about 2 years ago · 3 pontos

      Que lindo cara, eu não sabia da existência disso pra o Arcade, e agora entendi de onde saiu o boneco translúcido usado no SNES! Eu era muito bom no de NES, o de SNES tmbm joguei bastante, mas esse eu nunca vi, vou ver se baixo pra jogar. Mais uma vez essa persona me maravilhando!

      1 reply
  • 2018-04-18 09:11:53 -0300 Thumb picture

    Famicom: O console 8-bits da nova geração

    Medium 3620898 featured image

    Com grande sucesso nos Arcades, a Nintendo planeja lançar um console próprio. A ideia era ser muito superior a todos que existiam, com um processador de 16-bits, teclado e entrada para disquetes, mas isso aumentaria muito o custo de fabricação, então optaram por simplificar o hardware e adicionar uma porta de expansão para futuros periféricos. Suas maiores inspirações foram o ColecoVision e o PC-8001 da NEC, que possuía jogos bem coloridos e avançados. O console foi lançado em 15 de julho de 1983 em território japonês. Seu nome era Famicom, uma abreviação de Family Computer. Logo no ano de seu lançamento, a Nintendo teve que fazer um recall dos aparelhos devido a uma falha de memória e relançar em seguida.

     O console foi desenhado para parecer um brinquedo para crianças, nas cores branco e vermelho. Era um console muito pequeno e simples, com instruções no botão de ligar e ejetar o cartucho, além de espaços reservados para guardar os controles na lateral. Por dentro, ele era equipado com um processador de 8-bits de 1,66 MHz da Ricoh, baseado na arquitetura MOS 6502 e 2 KB de RAM, mas que podiam ser combinadas a memória de alguns cartuchos. Sua GPU possuía 256 Bytes com uma resolução de 256x240 px, podendo gerar até 8 sprites por varredura e uma paleta de 48 cores com 5 tons, sendo 25 simultâneas. A parte sonora também recebeu uma atenção especial, com 5 canais de áudio, dividido em 4 tipos de sinais. O valor inicial foi de ¥14800 (US$ 140,00).

     Outra grande revolução do Famicom eram seu controles, que ficavam presos no console para diminuir os custos de desenvolver um plugue. Para resolver os problemas dos joysticks quebrados, a Nintendo optou por fazer o uso do D-Pad, um direcional em formato de cruz, usado inicialmente nos jogos Game & Watch do Donkey Kong. 2 botões de ação, B e A, nessa ordem, devido à orientação de leitura dos japoneses. Os dois controles possuíam suas diferenças, onde um botão de Select e Start ficavam no controle 1 e um microfone e ajuste de volume no 2. A orientação na horizontal e a forma de pegar o controle nunca foi usado anteriormente. Os cartuchos possuíam uma cor chamativa e uma arte estampada na sua parte frontal.

     Em seu lançamento, apenas 3 títulos da Nintendo estavam presentes no consoles, todos portes de Arcade. Donkey Kong, Donkey Kong Jr. e Popeye. Durante o ano, outros poucos jogos foram lançados, como os jogos de tabuleiro japonês, Mahjong e Gomoku Narabe, e apenas 1 de esporte, o Baseball. Mario Bros. também foi portado para o videogame e para tentar convencer os pais de comprar o brinquedo, 2 jogos educativos saíram para o Famicom, Popeye no Eigo Asobi e Donkey Kong Jr. Math. Os jogos eram super coloridos e detalhados e naturalmente possuía os melhores portes de seus jogos, com gráficos e sons muito superior a qualquer outro console.

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    73
    • Micro picture
      leandro · about 2 years ago · 4 pontos

      A engenharia aplicada na criação do hardware desse console foi muito equilibrada. Não teve nenhuma disparidade ou exagero no hardware. Destaque para o D-Pad que foi popularizado a partir de então e o chip de som do console. Esse último teve uma dedicação maior por parte da Nintendo, pois tiveram uma visão sobre a grande importância que uma trilha sonora possuía em um jogo ( e não apenas efeitos sonoros ). Não a toa e um console com uma gama de trilha sonora memoráveis. Enfim

      16 replies
    • Micro picture
      riki_samejima · about 2 years ago · 5 pontos

      O canal de PCM do Famicom/NES é muito legal! O pessoal fazia miséria com ele na época, especialmente a Konami e a Sunsoft. E o que seria das músicas da trilogia Ninja Gaiden sem os samples de bateria?!
      Engraçado que uma vez eu vi ele na casa de um primo meu, lá em 95. Só que eu não sabia que isso aí era a versão original do Nintendo. Quando vi esse "Family computer", achei que era um dos diversos clones que na época existiam no mercado hahaha. Nem dei bola, achei que era console de camelozão. Que dó, cara. Muitos anos mais tarde é que descobri como fui estúpido. O console tava lá, jogadão, ele nem queria saber T__T
      Acho que a Nintendo da América acertou em remodelar o visual do console, pois mesmo nos meus 10 de idade, achei esse visual dele bem infantil. O único contra da versão de NES, é aquela maldita entrada horizontal, não consigo me acostumar com isso, é muito chata... Tem que abrir o console se quiser fazer uma manutenção no conector.

      7 replies
    • Micro picture
      darlanfagundes · about 2 years ago · 2 pontos

      Nossa, eu não sabia que a idéia inicial pra ele era ser 16-bits, já pensou que louco?!

      1 reply
  • 2018-04-17 08:39:45 -0300 Thumb picture

    Combo#62 [Arcade] (1983): Arabian & Mappy

    Neste jogo, controlamos um herói das arábias e devemos coletar os jarros que formam a palavra ARABIAN para passar para a próxima fase. A história é contada passando páginas de livros e são 4 fases bem distintas até o ato final, onde salvamos a princesa. Há diversos inimigos pela tela e podemos usar um chute para derrotá-los, podendo fazer uma cadeia de inimigos. O jogo possui uma música de fundo constante bem clássica. - É um jogo super rápido e com objetivos bem simples. O chute é uma bela adição frente aos perigos, mas para pular, temos que pressionar para cima, o que é desconfortável. As fases são coloridas e bem diferentes entre si, com esquemas de plataforma bem elaborados.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Mappy é um simpático rato policial que deve invadir a casa dos gatos ladrões para recuperar os objetos roubados. Após pegar todos, vamos para a próxima tela, que segue a mesma proposta, com com 256 variações diferentes. Os trampolins na casa vão permitir navegar pelos andares da casa, podendo ir apenas durante a subida. Nenhum gato pode encostar em Mappy enquanto ele caminha, mas há portas que podem ser usadas para derrubar ou lançar os gatos para fora da tela temporariamente. - Depois que você pega o jeito do game, se diverte bastante. Seu visual cartunesco e há uma música tipo de circo toca ao fundo o tempo todo. Traçar a melhor rota e evitando o gato chefe é a melhor estratégia.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Mappy

    Platform: Arcade
    12 Players

    48
  • 2018-04-16 08:59:53 -0300 Thumb picture

    #62 - Mario Bros. [Arcade] 1983

     Depois de protagonizar Donkey Kong e ser o vilão em Donkey Kong Jr., Mario recebe o seu próprio título. Mas ele não está sozinho. Seu irmão Luigi faz sua estreia nos games, sendo apenas uma cópia de Mario, trocando as cores, para permitir o multiplayer simultâneo como em Joust. Mario e Luigi agora são encanadores e possuem a tarefa de limpar os esgotos de Nova York que está repleto de criaturas. Há 4 tipos de inimigos no jogo e para derrotá-los é necessário golpear a plataforma por baixo deles até que se virem, daí, basta se aproximar deles e chutá-los para fora da tela, recebendo uma moeda de ouro em troca. Há também um botão “POW” no cenário, que se o golpear por baixo, todos os inimigos do chão se viram, tanto para cima quanto para baixo.

     - Mais um jogo de plataforma da Nintendo. Ele é perfeito para se jogar de 2, onde devem cooperar para conseguir avançar, mas a ganância por pontuações mais altas podem corromper a equipe. As diferentes formas de agir dos inimigos traz toda uma estratégia diferenciada, em especial quando se mistura vários tipos. Seus movimentos são padronizados, o que permite traçar um plano de ataque, mas bolas de fogo surgem ocasionalmente para atrapalhar tudo. Mario e Luigi derrapam demais, o que atrapalha muito, mas é mais uma mecânica que deve ser superada. Os gráficos são simples e coloridos, mas ele permite vários sprites diferentes na tela, com seus próprios movimentos, o que é impressionante.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Mario Bros.

    Platform: Arcade
    81 Players
    1 Check-in

    51
    • Micro picture
      mastermune · about 2 years ago · 4 pontos

      Esse eu não joguei no Arcade, mas joguei muito no Super Mario 3, pra roubar a vez do amigo que jogava com o Luigi, auehauhueheuehueah!!

      3 replies
    • Micro picture
      manoelnsn · about 2 years ago · 4 pontos

      Esse é um classicão. Ninguém imaginava na época que esse encanador gordo e de bigode seria um dos personagens mais famosos dos videogames

      1 reply
    • Micro picture
      noyluiz · about 2 years ago · 3 pontos

      Esse jogo tem fim?

      2 replies
  • 2018-04-13 08:51:41 -0300 Thumb picture

    Combo#61 [Apple II] (1983): Sammy Lightfoot & Apple Cider Spider

    Vamos a uma dobradinha de jogos de plataforma lançados pela Sierra On-Line. Neste primeiro jogo, temos um acrobata topetudo que deve pular pelo mais diversos elementos e perigos sem cair de uma altura muito alta. Ao chegar na parte mais alta da tela, passamos para a próxima fase, com novos desafios. O jogo apresenta gráficos agradáveis e uma pequena trilha sonora no início de cada nível. - Precisão e timing é tudo que você precisa dominar neste jogo. Muitos elementos de plataforma estão em movimento, então é muito importante saber a hora certa de realizar o salto. Uma única tela apresenta vários desafios diferentes.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Neste outro jogo de plataforma da Sierra controlamos um pequena aranha que se aventura por uma fábrica de sucos de maçã. A aranha pode pular e escalar nas teias espalhadas pelas telas, mas cair de qualquer altura, se perde uma vida. São 3 telas que vão alterando de dificuldade conforme a completamos. - Neste outro jogo, os gráficos são bem mais simples e não há trilha sonora, mas conta com uma abertura bem engraçada. A aranha se move sozinha quando damos uma direção a ela, então tem que estar sempre ciente disso enquanto se aventura pela fábrica. O jogo possui sérios problemas de level design, pois tem algumas plataformas que claramente dá para alcançar, mas a aranha morre. Tem que fazer o percurso que o jogo estipulou para você.

    Nota pessoal: ★★☆☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    39
  • 2018-04-12 08:55:19 -0300 Thumb picture

    #61 - Lode Runner [Apple II] 1983

     Douglas E. Smith começou a desenvolver o protótipo do jogo chamado Kong, em 1981. No ano seguinte, mudou passou a chamar-se Miner, mas o jogo ainda era baseado em textos. Para se tornar comercial, a Brøderbund pediu para se criar sprites e então nasceu um dos jogos mais populares de computadores, Lode Runner. Controlamos um pequeno e simples homem que deve coletar todas as barras de ouro e passar para o próximo nível, enquanto 3 ou mais inimigos correm atrás de você. O jogo lembra bastante o Space Panic, inclusive com a mecânica de fazer um buraco para derrotar os inimigos. O maior destaque do jogo vai para um simples e intuitivo editor de fases, que permitia fãs criarem os mais diversos e variados níveis.

     - O jogo é extremamente rápido e fácil de jogar. Os inimigos se movem a fim de pegar o atalho mais rápido para chegar até você e não de forma aleatória. Apesar dos poucos elementos que podemos interagir, como escadas, chão que não quebra e escadas horizontais, o nível de estratégia do jogo é muito complexo, pois nosso personagem não pula, mas também não morre se cair de uma altura muito alta. Se as 150 fases disponíveis no jogo não forem o suficiente, podemos criar nossas próprias fases para nos divertir ainda mais ou desafiar um amigo. O jogo explodiu em vendas em todas as plataformas que foi lançada. Diversão e criatividade tornam este jogo uma das obras mais geniais para os computadores domésticos.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Lode Runner

    Platform: PC
    15 Players

    42
    • Micro picture
      lgd · about 2 years ago · 2 pontos

      O original eu nunca joguei. Me parece que as versões de consoles são bem fiéis, mas nunca fui longe.

      2 replies
    • Micro picture
      vianna · about 2 years ago · 2 pontos

      Joguei muuuuito lode runner versão de PC no windows 95!

      1 reply
    • Micro picture
      msvalle · about 2 years ago · 2 pontos

      Joguei demais no Apple II! Cara, que lembrança! Eu e meu primo jogamos centenas de fases desse jogo!

      3 replies
  • 2018-04-11 09:37:33 -0300 Thumb picture

    MSX: O microcomputador japonês

    Medium 3618630 featured image

    Vendo o enorme sucesso que o MS-DOS estava fazendo nos Estados Unidos através dos PCs da IBM, Kazuhiko Nishi, vice-presidente da ASCII Corporation, que representava a Microsoft no Japão, idealizou uma arquitetura de padrões para os microcomputadores do país. Através desse padrão, várias empresas poderiam criar suas próprias máquinas e que já seria compatível com os periféricos e softwares da mesma linha. Surgiu então, em junho de 1983, o MSX. Dizem que a sigla significava “MicroSoft eXtended”, mas o próprio Nishi disse que era "Machine with Software eXchangeability". Os principais apoiadores do padrão era a Sony e a Panasonic, que haviam feito algo parecido no mercado de vídeos e aparelhos VHS.

     A primeira versão do padrão era baseado no processador Zilog Z80 de 3,58 MHz, 8-bits, mesmo que tenha começado a aparecer os primeiros computadores de 16-bits no mercado. Exigia, no mínimo, 8KB de memória RAM e o chip sonoro da General Instrument, o AY-3-8910. Um dos grandes diferenciais da arquitetura era um chip separado para gerar os gráficos no vídeo, com 16 KB de RAM. Com isso, ele permitia gráficos semelhantes aos presente nos jogos do ColecoVision. Dentro, ele rodava o interpretador MSX BASIC e a BIOS, desenvolvida pela própria Microsoft. Com especificações tão básicas, logo diversas empresas começaram a fabricar linhas de computadores seguindo o padrão MSX.

     Não demorou muito para a plataforma começar a receber vários jogos, tanto originais quanto portes de Arcade, consoles ou até mesmo de outros computadores. A maioria dos jogos era de ação e isso era possível graças ao teclado confortável e teclas direcionais bastante práticas e intuitivas. O MSX aceitava jogos e programas através de cartuchos e fitas cassetes, mas logo surgiram periféricos que permitia o sistema ler disquetes. Surgiram também diversos joystick para o MSX, que poderia ser usado em qualquer computador que rodava o padrão. Com um sucesso quase instantâneo, muitas pessoas passaram a usar o computador para jogar, deixando os videogames de lado mais uma vez.

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    51
    • Micro picture
      msvalle · about 2 years ago · 7 pontos

      Nossa! MSX da Sony, que viagem. Eu tive um Hotbit da Sharp, que parecia mais um console, pois tinha até entrada para cartucho hehe

      4 replies
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 2 years ago · 3 pontos

      Acho q tivermos o MSX mais bonitinho visualmente... aquele da GRADIENTE...cinza. Tínhamos um programa k7 chamado BKP para gravar jogos de fita. Nem me tocava pois era criança mas...meu irmão já estava na PIRATARIA...kkkk (e eu era cúmplice).
      ...
      Bons tempos (preocupação apenas de jogar)
      ...

      1 reply
    • Micro picture
      wallian · about 2 years ago · 3 pontos

      Tenho um hotbit preto com um diskdrive ddx de 3 1/2, foi nele que aprendi a programação Basic.
      Até hoje (2018) ainda existem lançamentos de jogos para a plataforma! Assim como a revista club MSX e alguns acessórios como um adaptador de cartão SD, megarom, zemmix FPGA MSX etc..
      É definitivamente uma comunidade apaixonada pelo padrão! :)

      2 replies
  • 2018-04-10 10:06:05 -0300 Thumb picture

    Combo#60 [Arcade] (1983): Astron Belt & Bega's Battle

    Antes de Dragon’s Lair, a Sega lançou o primeiro jogo em laserdisc da história. O jogador controla uma nave que deve passar por uma série de obstáculos e inimigos que aparece no vídeo ao fundo. Se a nave não estiver no local e no tempo específico, ela é destruída e se perde uma vida. O vídeo ao fundo misturava produções próprias com cenas de filmes reais, como o Star Trek II. - As cenas de explosões que acontecem quando destruímos uma nave ou somos destruídos, apesar de exageradas, o torna um espetáculo visual. As partes onde temos que desviar das pedras foi muito bem implementada, na medida do possível. O que incomoda um pouco é que os sprites da nossa nave e dos tiros são bem coloridos e acaba sendo diferente demais do vídeo.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Este outro jogo foi baseado em um mangá antigo e no anime chamado Genma Wars. O jogo conta com uma abertura com próprias cenas do anime logo na introdução, que já é fenomenal. É também repleto de falas e cenas de ação. No jogo, controlamos o robô Bega e devemos impedir a invasão alienígena de Genma. Durante as telas, podemos resgatar 3 companheiros que vão te dar uma habilidade nova. - Antes mesmo de começar o jogo, temos uma abertura fantástica do anime. As vozes durante as cenas te deixa ansioso pelo que está por vir, mas quando o jogo começa, temos a triste realidade. Os sprites são até bem feitos, mas as cenas no fundo são bem paradas e resgatar os amigos dá nos nervos, pois seus movimentos são constantes e fogem do nós toda hora.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonfm, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Astron Belt

    Platform: Arcade
    1 Players

    31
Keep reading → Collapse ←
Loading...