historia_dos_games

Revivendo a história dos games em ordem cronológica

You aren't following historia_dos_games.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2017-08-16 09:40:16 -0300 Thumb picture

    Atari Home Pong: A possibilidade de jogar Pong em casa

    Medium 3527906 featured image

    Neste ano, 1974, um engenheiro da Atari, Harold Lee, pensou em um forma levar o jogo Pong para a casa dos consumidores. Allan Alcorn trabalhou junto com ele no projeto, conhecido pelo codinome Darlene, uma atraente mulher que trabalhava com eles na Atari. Alcorn e Lee trabalharam juntos, revezando as tarefas, onde Lee ficava com a parte do design e lógica enquanto Alcorn ficava responsável pelo processo de debug do código. Após alguns meses, o protótipo estava pronto. Nada mais era que uma versão miniatura do Pong de 1972. Daí, Harold Lee teve a ideia de criar outro equipamento que se ligaria em uma televisão, assim como o Magnavox Odyssey fazia, então voltaram a trabalhar no projeto por mais algum tempo.

     Depois de muito trabalho, eles conseguiram substituir o emaranhado de fios presente na versão do protótipo por um chip único, que comparativamente, era o chip mais poderoso para o mercado consumidor já produzido. E no Natal daquele ano, estava pronto a versão final do videogame, o Atari Home Pong. O equipamento era bem menor e mais elegante, com os controles embutidos no próprio console. Isso deixava os jogadores meio desconfortáveis, pois os jogadores tinham que ficar muito próximo um do outro, mas cumpria o seu propósito. Ele vinha com um cabo para se conectar a TV e outro para a energia elétrica. Por fim, vendeu bem no Natal de 1974, pois o Pong ainda era um sucesso nas máquinas de moeda. Seu preço inicial girava em torno de US$ 100,00.

     Basicamente, o único jogo presente no console era o Pong, o mesmo do Arcade, porém, sem o limite de tela presente nos primeiros modelos da máquina e com uma definição mais nítida. Diferente do Odyssey da Magnavox, a partida de tênis aqui havia pontuação, presente na própria tela, que dispensava meios alternativos para jogar. Isso não matou a versão de Arcade, pois lá, havia outras variantes do jogo Pong e sempre aparecia novidades nos bares e lojas para o pessoal jogar. Esta versão era boa para você ficar viciado no Pong e detonar qualquer um na máquina.

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92 [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    45
    • Micro picture
      jack234 · about 2 years ago · 11 pontos

      Legal. Os games evoluindo devagarinho, mas indo em frente! Show.

      6 replies
    • Micro picture
      rafael_rocha · about 2 years ago · 4 pontos

      Muito bom conhecer a trajetória que os games trilharam para serem o/que são hoje em dia.

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 2 years ago · 4 pontos

      kkkkkkkkk...que bizarro a imagem 2.
      ---
      Lembro me que alguém que eu conhecia tinha a imagem 3...
      ---
      Eu mesmo comecei no ATARI...

      2 replies
  • 2017-08-15 10:12:16 -0300 Thumb picture

    Combo#4 [Arcade] (1974): Pin Pong & Rebound

    Uma coisa que era muito popular nas áreas de jogos, eram as máquinas de pinball. Cheio de cores e temas variados, a Atari então resolve criar a versão digital dessas mesas de pinball, e então nasce o primeiro jogo de pinball da história. Aqui temos uma arena que simula uma máquina de pinball, com direito as duas alavancas que vão manter a bola ar. Há objetos que desaparecem depois de tocado, dando aquela vontade de destruir todos, mas na verdade, o objetivo do jogo é na pontuação. - Apesar da ficha valer 3 chances, elas podem se esvair super rápido, pois acontece de às vezes da bolinha bater nessa peça que desaparece e ir direto no buraco central, sem nem ter como rebater. No geral, o jogo é bacana e diverte por alguns minutos.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Depois de simular uma partida de tênis de mesa, a Atari cria uma máquina para simular vôlei. Temos 2 palhetas simples que representam os jogadores e um quadradinho representado a bola. Há uma rede também, sendo uns tracejados no parte inferior da tela que impede que o jogador tenha acesso a área do outro, pois aqui, o movimento é na horizontal. Aqui temos uma gravidade simulada que lembra o Tennis for Two e o esquema de acertar em diferentes partes da palheta ter um efeito diferente do Pong, está valendo aqui também. - O jogo é divertido e requer muita atenção, pois se a bola pegar muito atrás do jogador, a bola pode sair e você perde o ponto.

    Nota pessoal: ★★☆☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92 [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Pin Pong

    Platform: Arcade
    1 Players

    21
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 2 years ago · 2 pontos

      Caramba...esse "vôley" é muito sinistro...
      Mas é bem legal a ousadia e desafios em criar esses games de esporte...

      6 replies
  • 2017-08-14 09:32:15 -0300 Thumb picture

    #4 - TV Basketball [Arcade] 1974

     Com o sucesso de Pong, outras empresas começam a criar um interesse por entrar neste promissor mercado, então a empresa japonesa Taito lança um jogo muito parecido com Pong Doubles, porém, no lugar de traços brancos, os jogadores são representado por figuras humanas, fazendo deste o primeiro jogo a fazer isso. Vendo um possível sucesso do jogo, a empresa americana Midway pede a Taito a licença do jogo, com isso, temos a primeira máquina de Arcade desenvolvida no Japão que foi licenciada para a América do Norte. A máquina e o display das duas versões são diferentes, mas o jogo é o mesmo. Para marcar ponto, a bola deve passar pela sexta do oponente e o jogo termina quando o tempo acaba, sendo o vencedor, quem tiver mais pontos.

     - O que torna o jogo um pouco diferente do Pong Doubles, além do local para marcar ponto, é o nosso personagem. Ele não é só uma figura humana, mas também possui um outro formato, que pode alterar o curso da bola de uma forma bem diferente do Pong. Esse jogo é engraçado e frustrante ao mesmo tempo, pois toda hora você faz ponto em si mesmo, e isso acontece com tanta frequência que chega a irritar bastante. Mas é engraçado ver o oponente irritado pelo mesmo motivo. Não é jogo muito diferente do que já vimos antes, então não chega a empolgar tanto.

    Nota pessoal: ★★☆☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92 [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    TV Basketball

    Platform: Arcade
    1 Players

    25
  • 2017-08-11 10:08:56 -0300 Thumb picture

    Combo#3 [Arcade] (1973): Pong Doubles & Gotcha

     O terceiro jogo da Atari, que foi o primeiro jogo que permitia que até 4 jogadores pudessem jogar ao mesmo tempo na mesma máquina. É uma variante do maior sucesso da Atari, o Pong, com exatamente as mesmas mecânicas e físicas. - O jogo ficou ainda mais competitivo e pode parecer uma ideia bem boba, mas o gameplay muda bastante e aumenta ainda mais a diversão. Dependendo dos jogadores, se fossem muito viciados, poderiam continuar sendo uma disputa entre 2 jogadores, onde cada um consegue manipular os dois joystick do seu lado do campo.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Inspirado pelo jogo de Mainframe Mouse in the Maze, Allan Alcorn criou um jogo de labirinto dinâmico para os Arcades. Projetado para 2 jogadores, onde o objetivo é encarar o labirinto para conseguir encostar no outro jogador, que vai estar fugindo. O labirinto muda a cada 3 segundos, descendo uma espécie de camada que altera o design das paredes e percorre por todo o cenário, que reinicia o ciclo quando chega lá em baixo. O jogo também conta com um bipe, que aumenta de intensidade quando os jogadores se aproximam. - O jogo é bem diferente e diverte, mas fugir acaba sempre sendo mais fácil que pegar o outro e toda hora a gente trava no meio desse labirinto maluco.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Pong Doubles

    Platform: Arcade
    1 Players

    24
    • Micro picture
      ziul92 · about 2 years ago · 4 pontos

      Me marque nas próximas postagens :D

      1 reply
  • 2017-08-10 09:56:58 -0300 Thumb picture

    #3 - Space Race [Arcade] 1973

     Ted Dabney, co-fundador da Atari, teve a ideia desse jogo durante o desenvolvimento do Computer Space. O game se trata de duas naves espaciais que se movem apenas para cima ou para baixo e o objetivo é dar o máximo de voltas que conseguir dentro do tempo limite representado por uma barra no meio que vai diminuindo de tamanho. Para dar uma volta, a nave deveria alcançar o extremo superior da tela e voltar a aparecer embaixo. Para que jogo fique ainda mais interessante, há diversas estrelas no espaço atravessando todo o cenário em movimento retilíneo na horizontal. Nasceu aqui, o primeiro jogo de corrida de todos os tempos.

     - O jogo é muito divertido e possui uma pegada bastante diferente dos outros jogos apresentados até então, pois aqui, o que conta é a sua habilidade de desviar das estrelas e conseguir alcançar o topo, independente do que seu oponente esteja fazendo. O controle responde muito bem e vale muito a pena a ficha gasta. Uma pena o tempo ser tão curto, mas dá para competir de forma satisfatória. No geral, é um jogo muito bom, pena que não foi sendo muito bem recebido pela galera.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Space Race

    Platform: Arcade
    1 Players

    26
  • 2017-08-09 10:45:57 -0300 Thumb picture

    Magnavox Odyssey: O primeiro console caseiro da história

    Medium 3525465 featured image

    O engenheiro Ralph Baer foi incumbido de criar a melhor televisão do mundo, então, inspirado nos jogos interativos dos computadores mainframe, ele começou a trabalhar num aparelho que iria se conectar na TV e interagir com ela através de jogos. Depois de muitos anos de trabalho, em 1968, o protótipo do aparelho estava pronto, chamado de Brown Box. A máquina criava pontos luminosos na tela e poderia ser controlados através de 2 paddles presos em duas caixas de madeira. Após a demonstração, a empresa Magnavox concordou em produzir o console e assinou um contrato com o engenheiro. Após alguns ajustes para baratear o aparelho, em agosto de 1972, é lançado o primeiro console da história, o Magnavox Odyssey.

     O console poderia se conectar a qualquer televisão da época e era capaz de criar até 3 objetos luminosos na tela. Um deles é grande, controlado pelo player 1, um comprido para o player 2, e um terceiro bem menor, que interagia com outros players, ou seja, ele rebatia nos jogadores quando encostava nele. Para criar esse terceiro objeto, você poderia escolher os jogos através dos cartões numerados, que podem ou não criar o ponto, dependendo do jogo. Esses cartões funcionavam como jumper, que iria fazer a ligação eletrônica do videogame e assim criar o terceiro objeto. O console é muito bonito, com o design preto e branco com algumas partes em madeira, dando um visual luxuoso.

     O controle é uma caixa retangular com 3 controles que giram nas laterais, onde um controla o seu objeto na vertical, outro na horizontal e um menor controla o terceiro objeto luminoso em alguns jogos. Havia também um botão de reset na parte superior, que resetava a posição de todos os blocos da tela. O controle havia um fio grosso que se conectava na parte traseira do console e poderia ser destacado, com isso, pode-se comprar um outro controle caso um deles dê algum problema. O design do controle seguia o mesmo padrão do console, com carcaça branca e algumas partes marrom, para simular a madeira. Ele deveria ser colocado sobre uma superfície plana para ficar melhor de controlar.

     Foram lançados junto do console 12 cartões de jogos e mais 6 cartões a serem vendidos separadamente. Como o console só gerava 3 pontos luminosos na tela, junto de cada jogo, vinha uma película de acetato que deveria ficar sobre a tela da televisão, dando uma melhor percepção do jogo. Havia também um manual de instruções explicando como funciona cada jogo, assim como cartas de baralho, dados, tabelas e outros itens que permitiam jogos mais elaborados. Alguns jogos necessitavam apenas da película, outros precisavam desses itens, mas no geral, nada impedia o livre controle dos jogadores da tela, pois a única física presente era do terceiro bloco. O console foi vendido a aproximadamente US$100 na época.

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    40
    • Micro picture
      manoelnsn · about 2 years ago · 4 pontos

      Muito bom o artigo!

      1 reply
    • Micro picture
      old_gamer · about 2 years ago · 4 pontos

      Imagina, para jogar vc teria que colocar um película na tela da tv para gerar um plano de fundo, além de muito imaginação!
      Por isso que coleciono a partir da segunda geração, minha imaginação não é tão grande assim!

      5 replies
    • Micro picture
      jack234 · about 2 years ago · 3 pontos

      Mto bom! O primogênito dos consoles atuais!

      2 replies
  • 2017-08-08 09:28:24 -0300 Thumb picture

    Combo#2 [Mainframe] (1972): Empire & Hunt the Wumpus

    Em 1972, surgiram pouquíssimos jogos de Arcades, mas apareceram algumas coisas interessantes nos mainframes. Mais um jogo educacional, onde através de textos, era possível montar o seu mundo o mais detalhado possível, com tamanho máximo e mínimo de cada ilha, quantidade de naves e pessoas permitidas, entre várias outras opções. Após isso, era possível travar combates contra as ilhas do oponente a fim de conquistar ou destruir. - O jogo é bastante complexo e ambicioso, o que o torna bem difícil de jogar. Eu fui criando meu mundo tranquilamente, colocando um monte de informação, mas daí, a console fechou, como se eu tivesse terminado. O problema, é que depois de criado, eu não sabia o que fazer. O game é impossível de jogar sem um manual ou guia.

    Nota Pessoal: ★☆☆☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Que tal mais um jogo de texto? Criado por Gregory Yob, escrito em BASIC, o jogo tinha o intuito de fazer o jogador navegar em 20 salas em busca de wumpus, que não faço ideia do que seja. É um game simples, onde só podemos andar ou atirar. Você precisa caçar e matar o wumpus antes que ele te mate. O problema é que você não pode enxergar os wumpus e durante o jogo você vai ouvir barulhos, que pode estar longe ou perto de você. Você deve ter sempre um tabuleiro em mente para conseguir vencer, por isso acaba ficando bem difícil de vencer. Não precisa de manual para esse, pois os comandos possíveis aparece no próprio texto. - É um jogo interessante, mas meio chato.

    Nota Pessoal: ★★☆☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    22
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 2 years ago · 3 pontos

      Jogos de texto me fazem lembrar aqueles livros onde escolhíamos a ação / tomada de decisões o que nos levava à vários possíveis finais.
      ---
      Era demais!
      ---

      1 reply
    • Micro picture
      old_gamer · about 2 years ago · 2 pontos

      Me marque por favor!

      6 replies
  • 2017-08-07 10:09:49 -0300 Thumb picture

    #2 - Pong [Arcade] 1972

     Com o sucesso de Computer Space, Nolan Bushnell e Ted Dabney saem da Sygyzy Technologies e fundam a própria empresa de jogos, a Atari. Eles contratam o engenheiro Allan Acorn para criar um jogo de duas palhetas brancas que devem rebater uma bola e um placar para marcar os pontos, e assim nasceu o jogo Pong. Para controlar o jogo, temos que usar potenciômetros, que são mais conhecidos por paddles, que sobem ou descem a palheta e quando você não alcança a bola a tempo, o oponente ganha um ponto. Para dar uma dinâmica durante o jogo, a bola aumentava a velocidade a cada rebatida e dependendo de onde você acertava a bola, ela poderia voltar com um ângulo diferente.

     - O jogo é muito simples, mas isso acaba sendo um dos grandes atrativos dele, ao invés daquela bagunça do Computer Space. Esse game requer bastante precisão, pois a palheta é muito rápida e requer uma atenção extra. O fato da bolinha ir aumentando a velocidade certamente é um critério de desempate muito bem pensado, daí nunca vamos ter um jogo infinito, não importa o quão viciado os dois jogadores sejam. O placar costuma atrapalhar um pouco, poderia estar em uma tela separada ou um local inacessível. No mais, o jogo é divertido e competitivo, mas enjoa com alguns minutos direto, o esquema é ir alternando os oponentes e criar novas táticas de onde é melhor rebater a bola.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Pong

    Platform: Arcade
    48 Players
    2 Check-ins

    25
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 2 years ago · 4 pontos

      Nossa...arrepiei. Já está mencionando ATARI.
      ---
      Realmente...o PLACAR poderia ser mais discreto... kkkkkk

      2 replies
  • 2017-08-04 11:55:37 -0300 Thumb picture

    Combo#1 [Arcade/Mainframe] (1971): Galaxy Game & The Oregon Trail

     Neste mesmo ano, surge o primeiro concorrente do Computer Space, que na realidade se trata do mesmo jogo, só que algumas poucas mecânicas diferentes. Aqui temos o buraco negro no centro, mas ele não exerce força gravitacional, apenas te destrói quando encosta. O jogo só funciona para 2 jogadores, um ponto bem curioso. - O game é muito parecido com o Spacewar!, mas a diferença é que aqui tudo é muito lento, tanto os tiros quanto as naves, e isso o torna um jogo um pouco pior que o Computer Space. O espaço também perdeu as estrelas, que ajuda na visualização mas perde na imersão.

    Nota Pessoal: ★★☆☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Enquanto isso, no computador mainframe da Minnesota Educational Computing Consortium (MECC), é criado um jogo em formato de texto voltado para a educação. O game era ambientado em 1848 e tínhamos que administrar um grupo de colonos a atravessar um percurso da cidade de Independence até em Oregon. - É um jogo muito bom, pois devemos administrar nossos recursos com cautela para que as pessoas não morram de fome ou de uma doença letal, então é possível comprar comida e roupa para evitar este tipo de evento. E é claro, comprar boi, muito boi, pois eles morrem toda hora. Até dá para progredir bem, mas não é fácil. É certo que muitos vão morrer, inclusive de disenteria, fato esse que se tornou um clássico.

    Nota Pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    The Oregon Trail

    Platform: PC
    12 Players
    4 Check-ins

    24
  • 2017-08-03 14:05:15 -0300 Thumb picture

    #1 - Computer Space [Arcade] 1971

     Maravilhado com aquela tecnologia, Nolan Bushnell teve a brilhante ideia de transformar o mainframe do Spacewar! em um equipamento menor. Ao montar a máquina, ele teve a ideia de monetizar em cima da invenção, criando também um sistema onde o jogador deveria inserir moedas para poder operar a máquina e jogar. Com isso, foi criado a primeira máquina de Arcade da história. O jogo é bastante parecido com o Spacewar!, onde devemos controlar uma nave em um espaço cheio de estrelas e naves inimigas que devemos destruir com tiros. As diferenças estão nos gráficos, composto por pontos e pela ausência do campo gravitacional no centro, que dava toda uma dinâmica diferente no mainframe.

     - O jogo é divertido, pois você controla a nave por todo lugar e também manipula o tiro, podendo fazer uma curva e enganar o inimigo. O controle da nave é meio difícil de se acostumar, pois devemos girar a nave para a posição e queremos e daí acelerar, que perde um pouco de agilidade. Os inimigos são o charme do jogo, com movimentos aparentemente aleatório e tiros certeiros. Foi desenvolvido também uma versão para dois jogadores da máquina, que dava muito mais emoção nos combates espaciais. O único ponto ruim do jogo é a quantidade de estrelas no fundo, pois acaba atrapalhando a visualização.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Computer Space

    Platform: Arcade
    1 Players

    25
    • Micro picture
      bakujirou · about 2 years ago · 2 pontos

      Achei interessante a forma que dá pra controlar a navinha, acho que precisa de pratica para poder dominar ela.

      3 replies
    • Micro picture
      edbrazl · 10 months ago · 2 pontos

      Pai do Asteroids

      1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...