historia_dos_games

Revivendo a história dos games em ordem cronológica

You aren't following historia_dos_games.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2019-09-12 10:57:34 -0300 Thumb picture

    Combo#182 [PC Engine] (1991): Shockman & Neutopia II

    O jogo é uma adaptação do segundo jogo da série japonesa Kaizō Chōjin Shubibinman. Shockman e Sonya devem impedir a invasão de uma raça alienígena liderada por Ryo. O jogo segue o estilo ação com plataforma na pegada de Mega Man, porém, há a possibilidade de multiplayer coop. Algumas fases mudam para o estilo Shoot ‘em up horizontal. O jogo se passa no Japão e sua ambientação foi inspirada pelos tokusatsus da época. - Um jogo de ação muito colorido e divertido, porém, com alta dificuldade. No modo multiplayer, a barra de vida é compartilhada. Os gráficos são excelentes, assim como as animações e as músicas. A história se dá por diálogos no jogo de maneira bem fluida. Os personagens podem carregar seu canhão.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Seguindo o sucesso do primeiro Neutopia, o segundo jogo traz o filho do protagonista Jazeta que parte para uma aventura em busca de salvar seu pai e derrotar o vilão Dirth. A mecânica do jogo lembra muito o antecessor, com itens e armas para coletar e armaduras que vão garantir proteção ao herói. O jogo mantém a exploração de dungeons, mas agora, todas as áreas estão unificadas em um mundo aberto, mas limitado a uso de items específicos para explorar. - O segundo jogo é muito semelhante ao seu antecessor, mas traz mais agilidade com a espada e mais opções de magias. Os gráficos são levemente melhores e a trilha sonora possui temas rearranjados do jogo anterior, mas a aventura continua épica.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Shockman

    Platform: TurboGrafx-16
    15 Players
    2 Check-ins

    40
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 2 months ago · 2 pontos

      Muito legal conhecer esses games de TURBOGRAFX-16

      2 replies
    • Micro picture
      onai_onai · 2 months ago · 2 pontos

      Eu emulei o Turbografx-16 uma vez mas nem percebi que havia tantos jogos interessantes...

      1 reply
    • Micro picture
      darlanfagundes · 2 months ago · 2 pontos

      Esse Neutopia me interessou bastante... dia desses emulo, até baixei as roms aqui...rsrs

      1 reply
  • 2019-09-11 10:57:32 -0300 Thumb picture

    #182 - Magical Chase [PC Engine] 1991

     A jovem bruxa Ripple libera várias criaturas mágicas acidentalmente do livro proibido. Acompanhada de duas estrelas mágicas e sua vassoura, Ripple deve vencer os chefes das 6 fases para trazê-los de volta ao livro. O jogo traz o estilo shoot ‘em up horizontal com visual bem fofo e colorido, estilo cute ‘em up. Ripple deve coletar cristais para comprar power-ups e vidas nas lojas que aparecem voando pela fase, semelhante a Fantasy Zone. É possível escolher 3 níveis de dificuldade, sendo que o mais fácil libera apenas 3 fases. O jogo compartilha de muitas semelhanças com jogo Cotton, que saiu nos Arcades no mesmo ano. Seu visual é surpreendente e traz efeitos de rolagem com paralaxe de duas camadas que era impossível para o PC Engine até então.

     - Um jogo de alta qualidade para mostrar que o PC Engine ainda tem muito potencial. Apesar da quantidade de inimigos na tela, o jogo não sofre com queda de frame e pouco flickering. O visual do jogo é magnífico, com cores vibrantes e inimigos variados. A jogabilidade é simples e encostar nas beiradas do chão e teto não causa dano, algo que era comum nos jogos desse estilo. A música também é divertida e casa bem com a proposta fofa do jogo. A dificuldade é bem balanceada, com inimigos deixando cristais facilmente e bastante variedade de opções nas lojas de power-up. Saber operar as estrelas durante a movimentação é primordial para disparar nas direções necessárias.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Magical Chase

    Platform: TurboGrafx-16
    12 Players
    2 Check-ins

    31
  • 2019-09-10 09:34:48 -0300 Thumb picture

    Combo#181 [Super Nintendo] (1991): SmartBall & Super Ghouls 'n Ghosts

    O príncipe Jerry é transformado em uma bola gelatinosa por uma bruxa misteriosa a pedido do seu irmão ciumento. O jogo segue o estilo plataforma com ambientes bem coloridos e músicas divertidas. Jerry pode atirar bolas nos inimigos ou se esticar para golpeá-los. Energizado, Jerry pode correr, bem como andar pelas paredes e teto. Coletando as letras de seu nome ganha-se 2 vidas extras. - Um jogo de plataforma super colorido e simpático. A jogabilidade é simples e intuitiva e o jogo em si não apresenta muita dificuldade. Os gráficos coloridos transmitem muito bem a ideia de um jogo para crianças. As fases são escolhidas através de um rolo de filme.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Depois da aventura de Arthur em Ghouls 'n Ghosts, a princesa é raptada mais uma vez e o cavaleiro parte para sua árdua jornada nas terras dominadas pelos demônios. O jogo segue a ideia do jogo anterior, com diversas armas e melhoria nas armaduras que garantem melhores ataques, mas o grande adicional é a inclusão do pulo duplo. Os dois pulos percorrem uma trajetória fixa. Como já é tradicional da série, é preciso vencer as fases 2 vezes para ter acesso ao verdadeiro final. - O terceiro jogo da série não apresenta muita novidade, porém, traz um level design primoroso e cenários de tirar o fôlego. O desafio continua altíssimo e a adição do pulo duplo foi muito bem vinda, mas é preciso calcular bem sua trajetória.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Super Ghouls 'N Ghosts

    Platform: SNES
    1435 Players
    37 Check-ins

    35
    • Micro picture
      porlock · 2 months ago · 2 pontos

      esse smartball eu nao conheço, mas o ghouls 'n ghosts eh um claaaaasico (q eu nunca zerei)

      1 reply
    • Micro picture
      leandro · 2 months ago · 2 pontos

      Super Ghouls ´N Ghosts é clássico absoluto do Snes

      1 reply
    • Micro picture
      manoelnsn · 2 months ago · 2 pontos

      Tem um amigo meu que zerou Ghouls 'n Ghosts até do avesso, huahua

      2 replies
  • 2019-09-09 09:22:07 -0300 Thumb picture

    #181 - Super Castlevania IV [Super Nintendo] 1991

     Com a chegada do Super Nintendo, várias franquias clássicas migraram para os novos 16-bits. O quarto jogo da série traz Simon Belmont novamente no embate antológico contra o vampiro Dracula. O jogo é considerado um remake do primeiro Castlevania. Além dos gráficos caprichados e novos arranjos musicais, com algumas baseadas nas trilha anteriores, a grande melhoria do jogo está na sua jogabilidade. Simon pode alterar o curso do pulo e andar agachado. Ele também pode dar chicotada em 8 direções e ainda adormecer o chicote e fazê-lo girar. A progressão segue o estilo do primeiro jogo, com o mapa do Castelo mostrando a trajetória do herói em fases lineares. O jogo foi desenhado para ser uma experiência mais facilitada para os jogadores da nova geração.

     - O novo Castlevania da série veio com tudo na nova geração. Graças a jogabilidade aprimorada, o controle de Simon está muito mais fácil e isso diminui a frustração de mortes acidentais dos jogos anteriores. O jogo traz as já tradicionais armas secundárias e os níveis agora são lineares, diferentes de Castlevania III. O visual do jogo está espetacular. Os cenários são bem detalhados e os sprites dos inimigos estão assustadores. A trilha sonora, apesar de muito boa, não consegue alcançar a qualidade dos jogos anteriores. no geral, é um jogo de ação e plataforma muito bom e perfeito para iniciar novos jogadores a esse universo do terror.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Super Castlevania IV

    Platform: SNES
    2117 Players
    84 Check-ins

    44
    • Micro picture
      leandro · 2 months ago · 3 pontos

      De todos os Castlevanias esse é o meu preferido de todos. E na boa esse OST merecia vir em separado de tão excepcional que é. Jogo 5 estrelas, pelo menos pra mim

      3 replies
    • Micro picture
      raphaelcarvalho · 2 months ago · 3 pontos

      Tenho uma história gostosa com esse jogo...
      Nunca havia jogado na "época" do meu SNES, não joguei depois em emuladores e "deixei pra lá" porque não gostava dos gráficos.
      Agora já adulto, passei a nutrir uma vontade de jogá-lo mas nunca o fazia.
      Então que surgiu a oportunidade de comprar o cartucho mas resolvi deixá-lo quieto para uma ocasião especial.
      Casei, comprei meu apto e, nele, consegui reservar um espaço para fazer minha sala de video game, um sonho realizado.
      A inauguração solene (e íntima, sozinho) da sala foi jogando Super Castlevania IV pela primeira vez na vida, em um SNES, com um cartucho do jogo. <3

      2 replies
    • Micro picture
      thecriticgames · 2 months ago · 2 pontos

      Um dos primeiros jogos do SNES e chegou muito bem na proposta de mostrar a que veio o console, já que foi um dos primeiros games (tirando SMW) que pegou uma franquia ja existente e conhecida no NES e evoluiu ela com as capacidades do SNES pra mostrar o que era evolução de vdd. Acho ele junto do Rondo of Blood e do Bloodlines a trindade dos Castlevanias old school se bem que dentre os 3 o IV é o menos favorito meu.

      1 reply
  • 2019-09-06 09:19:29 -0300 Thumb picture

    A importância e o desenvolvimento de Super Mario World

    Medium 3743635 featured image

    Depois do fenomenal Super Mario Bros. 3, a Nintendo decidiu que o próximo jogo da série sairia para o novo hardware de 16-bits da empresa. Como seria o primeiro jogo do console, a equipe teve dificuldades no desenvolvimento por não ainda possuírem um software de criação de jogo da nova plataforma. Como treinamento, eles refizeram Super Mario Bros. 3 usando a plataforma de 16-bits. A versão beta do jogo apresentava o power-up de tanuki, level design das fases bem diferentes e um mapa pequeno de uma ilha bem menor que a versão final. O jogo foi dirigido por Takeshi Tazuka e a produção ficou com Shigeru Miyamoto. O jogo foi lançado junto do Super Famicom no Japão, em novembro de 1990 e rapidamente ficou tachado de melhor jogo de todos os tempos.

     Apesar da Cape Feather ser o super eficiente, o foco do jogo não era nos Power-ups como no jogo anterior e sim na grande liberdade e possibilidade de novos movimentos e acrobacias possíveis com e Luigi e Mario. Yoshi foi planejado desde o primeiro Super Mario Bros., mas as limitações técnicas da época não permitiram implementar a montaria. Além de engolir a maioria dos inimigos, Yoshi pode comer as cascas de tartaruga e ter diferentes habilidades dependendo da cor. No mundo secreto Star Road, temos bebês Yoshis coloridos que devem ser alimentados e já possuem uma habilidade própria. As animações que mostram Mario destruindo o castelo são marcantes e engraçadas. Tudo foi pensado com muito carinho e design infantil, mas com fases progressivamente desafiadoras.

     Como o nome do jogo indica, a grande atração do jogo era seu mapa. Ilhas conectadas e fases espalhadas em diferentes pontos. Algumas fases possuem saídas secretas que garantem novos caminhos e até mesmo um mundo extra, o Special World, se trata de uma seleção de fases super difíceis, mas depois de superadas, alteram as cores e sprites de inimigos por todo o jogo, é fantástico. A trilha sonora ficou por conta de Koji Kondo que se esbanjou com os 8 canais de som oferecidos pelo novo sistema. As músicas giram em torno de um tema central e variações dele que varia de acordo com a fase, por exemplo, na água, é mais calma, no castelo, mais sombria e por aí vai. Além disso, as músicas recebem uma batida diferente se Mario estiver montado no Yoshi.

     Enquanto isso, os americanos estavam ansiosos com o novo jogo até que em agosto de 1991, o Super Nintendo chega ao mercado e traz o glorioso Super Mario World junto da caixa. Como Sonic the Hedgehog da Sega já havia saído, se instaurou uma grande guerra de consoles entre Mega Drive e Super Nintendo, muito devido a estes dois jogos. O jogo traz um grande legado, considerado por muitos como o melhor da franquia e um dos melhores jogos da história. Sua versatilidade e segredos desafiava jogadores por todo o mundo para finalizar o jogo com o menor tempo possível. Super Mario World foi a primeira experiência de muitas crianças com videogame devido ao seu visual colorido e jogabilidade fácil de dominar.

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    60
    • Micro picture
      denis_lisboadosreis · 2 months ago · 3 pontos

      O meu SNES não veio com Super Mario World, minha mãe achou os personagens da capa muito bobos, e mandou trocar de jogo, então veio com Street Fighter II World Warrior.

      3 replies
    • Micro picture
      artigos · 2 months ago · 3 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 2 months ago · 2 pontos

      Yoshi praticamente tornou-se um protagonista.😛🦖🦕

      1 reply
  • 2019-09-05 09:32:16 -0300 Thumb picture

    Combo#180 [Mega Drive] (1991): Shining in the Darkness & Arcus Odyssey

    A Climax cria um jogo de RPG Dungeon Crawler todo em primeira pessoa, tanto na exploração da cidade quanto nos labirintos. O protagonista deve salvar a filha do rei e seu pai do vilão Dark Sol que pretende tomar o reino para si. O foco do jogo está na exploração do labirinto e evolução de personagem. Destaque para sua interface de ícones como do Phantasy Star III. - Um RPG muito bonito e com animações bem fluidas. Até mesmo a história é contada em primeira pessoa, fazendo o jogador se sentir de fato o herói. O labirinto lembra muito o primeiro Phantasy Star e como não tem mapa, é preciso desenhar o percurso para não se perder. E jogo exige muito grinding no começo e ainda tem um baixíssimo limite de itens que os personagens podem levar.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     A Wolf Team cria um jogo de ação e aventura isométrica muito parecido com o clássico Gauntlet. Após uma batalha épica entre a feiticeira das trevas Castomira contra a da luz Leaty, o bem vence e uma espada sagrada é forjada. Centenas de anos depois, as forças da escuridão ameaçam a paz do reino e 4 jovens guerreiros são enviados para uma longa jornada em busca da espada. O jogo permite até 2 jogadores e ainda é possível recrutar ajudantes. Há diferentes itens para coletar e pequenas missões nas áreas. - Um jogo de ação bem dinâmico e difícil. A visão isométrica é bem aplicada e a história é simples e objetiva. O uso dos itens é instantâneo e pode salvar de apertos em momentos que há uma horda de inimigos.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Shining in the Darkness

    Platform: Genesis
    156 Players
    10 Check-ins

    34
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 2 pontos

      Já os chequei / joguei...mas não achei lá essas coisas quando era pirralho...

      2 replies
    • Micro picture
      onai_onai · 3 months ago · 2 pontos

      Ambos parecem ser bem interessantes...

      1 reply
    • Micro picture
      jcelove · 2 months ago · 2 pontos

      Shinning in the darkness doi o precursor de shinning force e teve versao em portugues pela tec toy. Ébem dificil por causa do mapa mas bem maneiro tbm.

      3 replies
  • 2019-09-04 09:21:48 -0300 Thumb picture

    #180 - ToeJam & Earl [Mega Drive] 1991

     A dupla de alienígenas Toejam e Earl vagam pelo espaço após uma festa, porém, eles batem em um cometa e caem na Terra. O objetivo do jogo é coletar as 10 partes de sua nave que estão espalhadas em ilhas flutuantes e voltar para casa. O design do jogo é baseado no clássico Rogue de 1980, pois tanto o formato das ilhas quanto a localização de itens e inimigos são gerados de forma aleatória. Os power-ups do jogo também são imprevisíveis, com caixas de presentes que possuem efeitos diversos, desde de correr a perder uma vida. O jogo foi pensado para jogar em modo cooperativo, onde cada um pode se mover livremente pelo mapa em tela dividida, mas que se une quando estão próximos. O estilo do jogo tem forte influência do funk e cultura urbana.

     - Um jogo cheio de estilo e com conceitos bem diferente. Além do design inusitado dos personagens e do planeta Terra ser dividido em ilhas flutuantes, temos os inimigos bem sem noção, como demônios, hamsters em bolas, caminhão de sorvete fantasma e por aí vai. Tudo isso embalado por uma trilha sonora única que mistura funk (americano) e hip-hop. Tanto estilo não se reflete muito nos cenários, que geralmente são gramados verdes com buracos e lagos. Se cair em um buraco, vai para a ilha de baixo e deve pegar o elevador para subir de novo. A ação é lenta e furtiva, tendo que evitar os inimigos. A melhor parte do jogo vai para seu modo multiplayer com tela dividida. A liberdade dada a cada jogador é algo realmente fantástico.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    ToeJam & Earl

    Platform: Genesis
    1031 Players
    10 Check-ins

    40
    • Micro picture
      darlanfagundes · 3 months ago · 3 pontos

      Um dos games mais legais do megão, ele é diferenciado, mas muito difícil,ao menos pra mim, nunca zerei ele...Se não me engano ele vai ter uma continuação ou remake...o único game de SNES que pra mim faz frente a esse é o Zombies ate my neighbour....

      8 replies
    • Micro picture
      mysteron · 3 months ago · 3 pontos

      Um dos meus jogos favoritos de todos os tempos! Foi ótimo ver que o Back to the Groove pegou os melhores elementos desse jogo!

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 3 pontos

      Mano... tô com @mysterion...um dos meus jogos favoritos de todos os tempos. É um dos poucos games anos 90 que eu ainda jogo (esse e o Castle of Ilusion).
      ...
      5 estrelas 🤩🤩🤩🤩🤩
      ...
      Ideia simples...trilhas espetaculares e deliciosas de escutar enquanto joga...game engraçado...divertido...gameplay fácil de aprender...e realmente esses personagens (inimigos, protagonistas) são hilários...😅😅😅
      ...

      5 replies
  • 2019-09-03 10:46:54 -0300 Thumb picture

    Combo#179 [Arcade] (1991): GunForce & Sunset Riders

    A Irem produz um jogo no estilo run ‘n’ gun para Arcade onde uma dupla de soldados saltam de paraquedas em meio a uma guerra. O jogo traz diferentes armamentos e permite multiplayer, semelhante ao Contra, porém, é possível usar diferentes veículos e armamentos inimigos para destruir seus oponentes. Desde carros com metralhadoras a helicópteros, há um grande arsenal de possibilidades para os soldados. Ao final de cada fase, há um confronto contra um chefe. - Jogo insano com tiros para todos lados. Encostar nos inimigos não causa dano, o que é muito bom, já que basta um único tiro para perder uma vida. No modo multiplayer tudo fica ainda melhor, pois cada um pode usar um veículo ou arma diferente para prosseguir até onde dá.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     No velho oeste, um grupo de 4 caçadores de recompensas partem para aventuras cheias de ação para abater os bandidos dos cartazes. O jogo é no estilo run ‘n’ gun e permite até 4 jogadores na máquina simultânea. Billy, Cormano, Bob e Steve possuem armas distintas e podem obter upgrades como pistola adicional ou disparo contínuo. São 8 bandidos no total, cada um em sua fase, como na cidade, trem ou mesmo a cavalo. - Um dos melhores jogos de run ‘n’ gun para Arcade, especialmente por permitir 4 jogadores. Os gráficos são bem coloridos e as animações cheias de humor. A música também é marcante. A jogabilidade é simples e precisa, mesmo quando a tela fica cheia de tiros e bandidos.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Sunset Riders

    Platform: Arcade
    441 Players
    11 Check-ins

    40
    • Micro picture
      porlock · 3 months ago · 3 pontos

      sunset riders eh um dos meus jogos de arcade favoritos de todos os tempos... eh um q eu procuro logo qdo vejo um mame.. kkkkkkkkk
      juntamente do capitão comando e cadillacs and dinosaurs...

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · 3 months ago · 2 pontos

      Game espetacular em todos os sentidos: gráficos, trilha, estrutura, gameplay, diversão...

      Que jogo gostoso pra jogar...sozinho ou com amigos...de qualquer jeito!

      4 replies
    • Micro picture
      thecriticgames · 3 months ago · 2 pontos

      Gunforce foi o primeiro jogo de tiro em co-op que joguei, tenho ele até hoje de SNES (em um cartucho de 8 jogos) foi pra mim o que o Contra III foi pra muita gente.

      3 replies
  • 2019-09-02 09:45:57 -0300 Thumb picture

    #179 - Starblade [Arcade] 1991

     Utilizando a poderosa placa Polygonizer, a mesma de Winning Run, a Namco cria um Arcade de shooter on-rails bem ambicioso e diferente de tudo que havia no mercado. A inovação já começava pelo gabinete, com uso de espelhos para ampliar a imagem, acento que treme se a nave sofrer danos e uso de 4 saídas de som surround. O jogador pilota uma nave espacial em primeira pessoa que recebe missões de destruir tropas inimigas pelo espaço e planetas. Graças ao uso de polígonos, a movimentação da câmera é muito mais fluida e diversificadas que os jogos em sprites. Jogo de câmera que rotaciona, entra por túneis, voa de ponta cabeça e muito mais. Ao final de cada etapa, é preciso destruir um chefe gigante, com um ponto fraco específico.

     - Mais um jogo de Arcade da Namco demonstrando superioridade dos polígonos frente aos sprites. Mesmo sem textura, o jogo transmite uma imersão gigantesca e efeitos visuais de primeira. Sendo um rail shooter, é muito bom acompanhar a trajetória que sua nave vai navegando pelo ambiente. O que pesa bastante no jogo é sua alta dificuldade. Os inimigos aparecem aos montes e mal dá tempo de ver onde está vindo tiros. Logo no início, muitas fichas são perdidas bem antes de se chegar no chefe da fase, que é igualmente difícil e nunca está sozinho. Ainda sim, vale muito a pena a experiência devido ao show visual e efeitos de câmera nunca antes visto.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Starblade

    Platform: Arcade
    8 Players

    33
    • Micro picture
      mariamartins · 3 months ago · 3 pontos

      Não conhecia esse, parece ser bem interessante. Pode ser que apareça nos 1001 jogos, esperar até a década de 90 para isso. Confesso que fiquei curiosa para olhar no livro, mas eu prefiro ir descobrindo "ao virar a página" XD

      1 reply
    • Micro picture
      porlock · 3 months ago · 2 pontos

      q maneeeiro. não conhecia esse não.

      1 reply
    • Micro picture
      denis_lisboadosreis · 3 months ago · 2 pontos

      Acho que joguei esse dentro do Tekken 5 pra PS2.

      1 reply
  • 2019-08-30 09:42:23 -0300 Thumb picture

    Combo#178 [MS-DOS] (1991): Lemmings & Eye of the Beholder

    A ideia surgiu de uma simples animação feita usando o Deluxe Paint e logo David Jones e sua equipe criaram o jogo de estratégia e quebra-cabeças mais viciante de computador na época. O objetivo do jogo é levar uma certa porcentagem de Lemmings até a saída usando os comandos disponíveis, como cavar, cair de paraquedas, explodir, etc. O jogo apresenta diferentes dificuldades e dezenas de níveis variados que exploram diversas habilidades. - Um jogo simples, com mecânicas intuitivas, mas muito viciante. Os gráficos e as músicas são básicas e o jogador pode focar mais nas formas de resolver os quebra-cabeças. Com uma bela curva de aprendizado, os níveis avançados tem alta dose de desafio.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Baseado no D&D, a SSI lança um Dungeon Crawler em primeira pessoa para PCs inspirado pelo jogo Dungeon Master de 1987. Um grupo de aventureiros é chamado para pôr um fim nos monstros que infestam os esgotos de uma cidade. Além dos 4 personagens criados inicialmente, é possível recrutar mais 2 ajudantes para se aventurar nas masmorras. A interface do jogo é pensada para ações de apontar e clicar. - Os gráficos do jogo são de alta qualidade e o som é bem ambientado. A dificuldade do jogo é bem alta no começo, com inimigos surgindo aos montes no primeiro labirinto. A interface é bem sugestiva e simples, bem como os puzzles no decorrer do jogo. O combate do jogo é em tempo real.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @noyluiz, @marlonildo, @joanan_van_dort, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @kb, @sergiotecnico, @srdeath, @melkorbelegurth, @avmnetto, @spider, @denis_lisboadosreis, @rogerlopezx [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Lemmings

    Platform: PC
    132 Players

    36
    • Micro picture
      leandro · 3 months ago · 2 pontos

      Lemmings joguei bastante as versões do Nes/Snes. Adoro o jogo

      1 reply
    • Micro picture
      kipocalia · 3 months ago · 2 pontos

      Não entendi direito o porque da nota do eye :\ ele tem mod que deixa você jogar com auto-mapa. Acho que se chama THE ALL-SEEING EYE, da pra jogar o 1 e o 2 com auto-mapa. Os jogos dessa empresa pra mim são um dos que mais envelheceram bem do msdos \o/ pra mim é ele eye of the beholder 1-2, Lands of Lore e Might e Magic 3-5.

      3 replies
    • Micro picture
      onai_onai · 3 months ago · 2 pontos

      Ambos bem interessantes.

      1 reply
Keep reading &rarr; Collapse &larr;
Loading...