historia_dos_games

Revivendo a história dos games em ordem cronológica

You aren't following historia_dos_games.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2018-07-11 09:01:16 -0300 Thumb picture

    A origem e o fim da Bug-Byte Software Ltd.

    Medium 3650142 featured image

    Com a crescente popularidade dos computadores pessoais no início dos anos 80, várias empresas surgiram neste período para criar jogos para essas novas máquinas. Tony Baden e Tony Milner fundam a Bug-Byte Software e 1980 na cidade de Liverpool, no Reino Unido. A ideia era lançar jogos para os computadores da linha Sinclair ZX-81, que estavam extremamente populares na Europa, mas também criaram alguns pouquíssimos jogos para o Atom da Alcorn. Em 1981, temos clones de Space Invaders para ambas as plataformas e alguns jogos de aventura, como Mazogs. Em 1982, com a chegada do ZX Spectrum, os primeiros clones de Space Invaders e similares de Pac-Man são desenvolvidos.

     Em 1983, a empresa concentra os seus jogos para a plataforma ZX Spectrum, que estava crescendo rapidamente, devido ao seu preço mais em conta. Prezando mais para os jogos de ação, temos o jogo de tubarão Aquarius e o jogo de sinuca Pool. A empresa começa a ganhar uma relativa atenção com o adventure Twin Kingdom Valley, que mistura elementos gráficos com comandos. Mas o maior sucesso da empresa é o Manic Miner, que apresenta jogo simples de plataforma muito viciante e desafiador. Em 1984, A Bug-Byte conquista o direito de lançar jogos oficiais de Arcade para o MSX, como Pac-Man e Mappy. Mas algumas produções inéditas também aparecem naquele ano, como Kung-Fu e Turmoil.

      Em 1983, os três melhores programadores deixam a empresa e se juntam a Imagine Software. Em 1984, Matthew Smith, que havia escrito o Manic Miner, se junta a Software Projects e cria a continuação do jogo, que também faz um enorme sucesso, o Jet Set Willy. Dentre as várias opções de computadores, a Bug-Byte Software foca mais no Commodore 16 e MSX, com jogos legais, mas pouco rentáveis. Em 1985, a empresa se dissolve e vende os direitos de suas propriedades intelectuais para a Argus Press, que ainda utiliza o logo da empresa em alguns jogos, devido ao sucesso de alguns jogos da companhia.

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    36
    • Micro picture
      porlock · over 1 year ago · 2 pontos

      po... ela tinha potencial... :(

      2 replies
    • Micro picture
      fredson · over 1 year ago · 2 pontos

      Curiosidade. Dois jogos serão lançados em breve pro ZX.

      3 replies
    • Micro picture
      artigos · over 1 year ago · 2 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

  • 2018-07-10 08:57:29 -0300 Thumb picture

    Combo#86 [Arcade] (1985): Teddy Boy Blues & Green Beret

    Seguindo o sucesso da cantora japonesa Yōko Ishino, a Sega cria um jogo de plataforma onde controlamos um garoto com uma pistola e deve encolher os inimigos que aparecem nos dados. Teddy deve coletar os inimigos em miniatura antes que eles subtraem o tempo que você tem para completar a fase. Há 2 fases bônus no jogo, uma em que devemos atirar nas plaquinhas dos inimigos com visão nas costas e no outro, controlamos Yōko que deve encontrar 50 sacos de dinheiro espalhados pela casa. - A introdução do jogo é muito divertida, com Yōko cantando e uma banda de vários personagens fofos tocando os instrumentos. O jogo em si é bem fluído, super colorido e com uma boa dose de dificuldade, além de ter uma trilha sonora muito divertida.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Agora vamos para um jogo mais sério da Konami, onde temos que controlar um soldado com a missão salvar os 4 prisioneiros de guerra na base militar russa. O jogo também é conhecido como Rush’n Attack e estamos equipado com uma faca para derrotar os inimigos que vêm aos montes. Derrubando o inimigo de azul, ele deixa uma arma com munição limitada, que pode ser um lança chamas, uma bazooka ou granadas de mão. - Os gráficos do jogo são lindíssimos e a música é bem simples, apenas com batidas de tambor. O jogo é bem difícil e temos que ficar atento a todos inimigos, pois muitos vem de trás e há armadilhas pelo chão. Mas para compensar, a jogabilidade é rápida e precisa.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Green Beret

    Platform: Arcade
    19 Players
    3 Check-ins

    39
  • 2018-07-09 09:27:19 -0300 Thumb picture

    #86 - Ghosts 'n Goblins [Arcade] 1985

     O cavaleiro Arthur e a princesa Prin Prin estavam namorando, mas daí, surge o rei dos demônios, Satan, e rapta princesa. O herói veste sua armadura, pega a lança e parte para uma difícil jornada. A aventura se passa em 6 fases, sendo que cada uma delas conta com 2 etapas diferentes que marcam a metade da fase. Arthur pode se equipar com diferentes armas, como a espada, machado, cruz e uma tocha de fogo, todas elas são apenas para arremesso e possuem trajetórias e força diferenciada. O jogo é famoso por sua imensa dificuldade, pois há uma pegadinha no final do game, onde após derrotar Satan na última fase, Arthur volta a primeira fase e deve percorrer tudo novamente, mas com dificuldade elevada para daí ter o final genuíno.

     - Um dos jogos mais belos já apresentados. Incrivelmente detalhado e cheio de monstros na tela, inspirado em mitologias japonesas. A primeira fase, que é mais marcante, é logo no cemitério, onde se levantam mortos-vivos direto do chão. A jogabilidade lembra um pouco o Super Mario Bros., em especial o esquema de ficar só de cueca quando leva o primeiro golpe e morrer se levar mais um. Arthur é bem fácil de controlar, o que permite desviar de diversos perigos. A dificuldade do jogo é bem elevada realmente, mas é possível prosseguir de onde parou se inserir mais fichas. A trilha sonora é bacana e os chefes são marcantes, geralmente são criaturas gigantescas, mas que basta pegar seu padrão para vencer a batalha.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Ghosts 'N Goblins

    Platform: Arcade
    98 Players
    3 Check-ins

    51
    • Micro picture
      mardones · over 1 year ago · 3 pontos

      Complicado e perfeitinho. amo e odeio. rs

      1 reply
    • Micro picture
      volstag · over 1 year ago · 3 pontos

      Essa preciosidade eu joguei muito, a versão que mais joguei foi a do Nes, mas essa é incomparável, se não me engano mês passado eu finalizei a versão do Saturn, que vem numa coletânea, mas é exatamente esse game, emulado nele só.

      4 replies
    • Micro picture
      lgd · over 1 year ago · 2 pontos

      Joguinho filha da mãe, papou algumas fichas minhas e nunca mais joguei no arcade :P

      1 reply
  • 2018-07-06 08:41:03 -0300 Thumb picture

    Combo#85 [Apple II] (1985): Winter Games & Captain Goodnight and...

    ...the Islands of Fear

     A Epyx cria um jogo para computadores onde até 8 jogadores, representado por um país, que disputam até 8 jogos esportivos na neve. Cada jogador tem a sua chance de executar a melhor performance e pontuar sobre elas. Vence o atleta que acumular mais pontos. Dentre os esportes, temos esqui, trenó, patinação no gelo e vários outros. O jogo foi um sucesso e foi portado para vários computadores da época. - O visual do jogo é fenomenal, assim como as cores e animação, dado as limitações da plataforma. O controle é que o acaba pecando neste jogo, pois cada modalidade utiliza teclas diferentes para executar comandos específicos, criando grande confusão para quem joga.

    Nota pessoal: ★★☆☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     O nosso herói, Captain Goodnight, deve sobrevoar por territórios inimigos para destruí-los e salvar o mundo. O jogo possui 2 estilos de jogabilidades distintas. Em terra, podemos andar, atirar, correr e se esconder, além de conversar com outros soldados do seu batalhão para conseguir novas missões. No céu, usamos nosso jato para destruir os inimigos e desviar das ameaças inimigas. - Um jogo belíssimo com animações super realistas e tudo é muito bem desenhado. A parte de ação é bacana e o personagem se move muito bem, mas no ar, o jato é muito lento e o ataque dos inimigos vêm aos montes, destruindo nosso jato facilmente.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    37
    • Micro picture
      msvalle · over 1 year ago · 2 pontos

      Rapaz, como eu joguei esse Captain Goodnight! Essa cena do helicóptero é antológica!

      1 reply
    • Micro picture
      msvalle · over 1 year ago · 2 pontos

      Opa! Agora que eu vi, sou o esquiador do Canadá? Que honra! XD
      Esse eu não lembro de ter jogado rs

      2 replies
    • Micro picture
      porlock · over 1 year ago · 2 pontos

      wintergames parece ser bem legal

      1 reply
  • 2018-07-05 08:58:17 -0300 Thumb picture

    #85 - Ultima IV: Quest of the Avatar [Apple II] 1985

     Depois do enorme sucesso do Ultima III, Richard Garriott faz o próximo jogo da série renovando o enredo e sendo o primeiro da Era da Iluminação. Após destruir a tríade do mal nos jogos anteriores, Sosaria fica em paz e Lord British unifica os reino, criando a Britannia. Stranger, agora chamado de Avatar, tem o objetivo de guiar o povo devastado pelas guerras, se tornando o herói exemplar e supremo em todas as virtudes. São 8 virtudes no total, baseado nos princípios do amor, coragem e verdade. A criação de personagem se dá através de cartas e os combates permanecem em turnos táticos, como no jogo anterior. O mundo é seis vezes maior que Ultima III e possui várias dungeons e cidades para interagirmos, sem uma ordem específica.

     - Apesar de não haver possuir uma diferença gráfica, o jogo realmente é mais orgânico que o anterior. Podemos chamar pessoas para integrar nossa equipe e tornar a jornada mais fácil. O lance de escolher a classe do seu personagens através de cartas é meio ruim, pois você acaba não sabendo o que vai sair direito. Iniciar em lugares aleatórios também dificulta traçar um rumo e procurar um guia. O objetivo do jogo é bacana, não temos que derrotar um mal maior nem nada do tipo e o enredo é muito bem elaborado. O mundo é gigantesco, mas tem um lance que não consegui adivinhar o era. Após andar um bocado no mapa, começava a perder vida do nada, tinha que ir numa tenda de cura para voltar ao normal.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Ultima IV: Quest of the Avatar

    Platform: PC
    77 Players

    28
  • 2018-07-04 09:30:58 -0300 Thumb picture

    Nintendo Entertainment System: Salvando o mercado americano

    Medium 3647802 featured image

    Com enorme sucesso do Famicom no Japão, a Nintendo pretendia entrar no mercado norte americano fazendo uma parceria com a Atari para lançar o console em 1983 sob o nome de Nintendo Advanced Video Gaming System, mas ela recusou, pois já estava trabalhando em outro console de 8-bits. A crise dos videogames assolou o país e nenhum americano queria mais saber de videogame, então a Nintendo se viu sozinha na missão lançar o Famicom no Estados Unidos. Todo o conceito e nomes foram alterados para que o novo aparelho não se parecesse com um videogame e em 18 de Outubro de 1985, o Nintendo Entertainment System, ou abreviando, NES, é lançado e é um imediato sucesso, vendendo as 50 mil unidades iniciais rapidamente.

     O console foi totalmente redesenhado, adotando as cores branco e cinza, além de aumentar consideravelmente o tamanho do aparelho. Os botões de ligar e resetar ficavam na frente do videogame, assim como as entradas para e controles, diferente da versão japonesa, onde os controles vinham soldado na placa. O grande diferencial do videogame era a entrada para cartuchos, que lembrava muito os aparelhos de VHS, onde as fitas eram colocadas deitadas, com direito a tampa para proteção a poeiras. A entrada de cartuchos também era diferente, pois havia 72 pinos para os conectores, ao invés dos 60 pinos dos cartuchos japoneses. Por dentro, o videogame vinha com o mesmo hardware do Famicom. Ele foi lançado com um preço inicial de US$ 200,00.

     Os novos controles vinham com um design que seguia o padrão do console, mas agora com conector e os dois controles possuíam Start e Select, sem o microfone. A pistola de luz Beam Gun foi lançada com o nome de Zapper, alterando suas cores. O periférico mais interessante que foi criado para o lançamento foi o robô de plástico R.O.B., ou Robotic Operating Buddy. Ele possuía movimentos limitados e operava discos em conjunto com o segundo controle para executar funções bem específicas dos 2 jogos que foram lançados para ele. Os cartuchos também eram bem diferentes da versão japonesa. Eram muito maiores e possuíam um formato único, com detalhes na lateral. Além disso, todos contavam com uma arte pixelada no estilo do jogo, para não enganar os consumidores com artes fantasiosas demais como acontecia nos cartuchos do Atari 2600.

     O grande sucesso do lançamento do NES estavam em seus jogos. Foram 17 títulos de lançamento, dividido em 5 séries. Na parte de esportes temos: Baseball, Tennis, Golf, Soccer e 10-Yard Fight. Os programáveis são: Excitebike e Wrecking Crew. Os que usam a pistola Zapper são: Wild Gunman, Hogan’s Alley e Duck Hunt. Os que usam o R.O.B. são: Stack-Up e Gyromite. Na série de ação temos: Clu Clu Land, Ice Climber, Pinball, Kung-Fu e o magnífico Super Mario Bros.. O jogo do Mario fez a cabeça dos americanos devido ao seu vasto mundo, segredos, trilha sonora e gráficos belíssimos. Pessoas compravam o NES só por causa do Super Mario Bros., de tão incrível, diferente e revolucionário que ele era.

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    54
    • Micro picture
      leandro · over 1 year ago · 4 pontos

      Um dado interessante é que os lojistas americanos, que receberam o Nes, não iriam arcar com os custos dos prejuízos se não vendessem o esperado. A Nintendo teve que assumir tal risco, já que, ate esse momento, os norte americanos ainda não estava la interessados em vídeo games. De fato o inicio das vendas não foram la animadores, mas com o decorrer dos lançamentos dos jogos e o impacto de Super Mario Bros o "crash dos consoles" foi devidamente exterminado e o gosto pelos vídeo games voltaram aos lares norte americanos

      1 reply
    • Micro picture
      artigos · over 1 year ago · 3 pontos

      Parabéns! Seu artigo virou destaque!

    • Micro picture
      darlanfagundes · over 1 year ago · 2 pontos

      Ainda eh perfeito esse controle!rrsrsrs

      1 reply
  • 2018-07-03 08:43:39 -0300 Thumb picture

    Combo#84 [NES] (1985): Challenger & Thexder

    Challenger é um arqueólogo atirador de facas que deve salvar a princesa Maria do vilão Don Waldorado. O jogo possui 4 cenários, no primeiro, usando uma visão lateral com rolagem de tela, temos que andar pelo trem por cima e depois por dentro para tentar resgatar Maria, desviando e destruindo os inimigos, mas o vilão acaba fugindo. No segundo cenário, a visão do jogo muda, sendo vista de cima, e temos que coletar os itens nas cavernas dentro de um limite de tempo. No terceiro, entramos na pirâmide final, voltando a plataforma e por fim, resgatamos a princesa. - Um jogo cheio de ação, bonito, com trilha sonora aventureira e marcante. O jogo é difícil e possui diferentes estilos de jogo, que deixa ele ainda mais legal.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Um jogo jogo lançado inicialmente para os PCs da NEC e depois portado para o Famicom pela Squaresoft. Controlamos um robô que pode se transformar em uma nave e nosso objetivo é percorrer o máximo de fases possíveis antes que toda a energia do nosso personagem acabe. Em sua forma de nave, ele fica em constante movimento e pode passar por áreas estreitas, já como robô, ele caminha pela fase e pode pular bem alto. Há várias criaturas pelo caminho e podemos usar o tiro para destruí-las. - O cenário do jogo é bem abstrato e sem vida, mas a música é legal. O jogo é muito difícil e a questão do tiro redirecionar automaticamente para os inimigos mais próximos atrapalha demais.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Challenger

    Platform: NES
    22 Players

    33
    • Micro picture
      msvalle · over 1 year ago · 2 pontos

      Joguei esse Thexder! Quanto tempo, nem lembrava!

      1 reply
    • Micro picture
      darlanfagundes · over 1 year ago · 2 pontos

      Nunca vi nenhum dos 2,parecem ótimos!

      1 reply
    • Micro picture
      volstag · over 1 year ago · 2 pontos

      Nossa, eu conheço esse Thexder, joguei bastante quando era criança, mas não lembrava mais o nome.
      Eu não sei nem por quê joguei tanto, porque não conseguia ir muito longe não hahaha

      1 reply
  • 2018-07-02 09:22:20 -0300 Thumb picture

    #84 - Super Mario Bros. [NES] 1985

     E enfim, chegamos ao título mais importante da história dos games. Shigeru Miyamoto e Takeshi Tezuka criam um jogo de aventura e plataforma dos irmãos Mario e Luigi, os mesmos de Mario Bros.. A princesa Peach (ou Toadstool) é capturado por Bowser e seu exército de Koopa Troopa. Mario e Luigi devem se aventurar no Reino dos Cogumelos para derrotar o vilão e salvar a princesa. O jogo possui um total de 32 fases, sendo 8 mundos com 4 fases cada, com um Fake Bowser na quarta fase de cada mundo. O jogo possui uma rolagem horizontal de tela suave nunca antes vista nos consoles. O jogo também possui uma primorosa e marcante trilha sonora criada pelo compositor Koji Kondo. Foi a primeira vez que uma aventura de ação e plataforma com tantas fases foi apresentado num videogame.

     - O jogo é realmente fantástico e rico em todos os detalhes. Há variados ambientes que Mario se aventura, como na superfície, nas alturas, de baixo d’água, no subterrâneo e no temido castelo do Bowser. O jogo apresenta vários power-ups, como a estrela, que deixa Mario invencível por tempo, o cogumelo vermelho, que aumenta o tamanho do protagonista, o transformando no Super Mario, e a flor de fogo, que dá a habilidade de disparar bolas de fogo. É possível ganhar vidas pegando um cogumelo verde ou coletando 100 moedas de ouro. O que mais chama a atenção no jogo é a sua grande quantidade de segredos, como canos que dão acesso a áreas cheio de moedas, pés de feijão, blocos invisíveis e o principal deles, as Warp Zones, que são atalhos para outros mundos mais a frente.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Super Mario Bros.

    Platform: NES
    9166 Players
    80 Check-ins

    57
    • Micro picture
      old_gamer · over 1 year ago · 4 pontos

      Game obrigatório para todo gamer que se preze !

      2 replies
    • Micro picture
      leandro · over 1 year ago · 3 pontos

      O game que revolucionou o gênero plataforma e ajudou e muito a por um fim definitivo no "crash dos consoles", nos EUA

      1 reply
    • Micro picture
      leafargs · over 1 year ago · 3 pontos

      e uma curiosidade, nas fitas piratas do jogo, este era apresentado como Mario Bros 2, levando muitos a crer que aquele joguinho básico do Mário de uma só tela era o primeiro.

      3 replies
  • 2018-06-29 08:52:06 -0300 Thumb picture

    Combo#83 [Arcade] (1985): Penguin-Kun Wars & Road Runner

    O jogo foi lançado pela UPL e se trata de um campeonato entre vários animais em uma espécie de jogo com bolas. Você controla um pinguim e deve vencer 5 oponentes nesse torneio. O objetivo do jogo é arremessar todas as 10 bolas da mesa do lado do seu adversário, que também vai estar tentando fazer o mesmo. É possível atordoar o oponente acertando uma bola na direção dele. Há uma tela bônus ao final do combate e a cada disputa, os adversário vão ficando mais rápidos e estrategistas. - Um jogo simpático, viciante e muito competitivo. Temos 60 segundos para vencer e quando chega na metade do tempo, aparece uma gosma no meio do campo, mudando a trajetória das bolas.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     O clássico desenho do Papa-Léguas e Coiote ganham um jogo de Arcade pela Atari. Controlamos o Papa-Léguas e devemos evitar que o faminto Coiote nos pegue. Além disso, temos que pegar todas as sementes durante o caminho e se deixar passar 5, se perde uma vida. Durante o percurso, há diversos obstáculos que temos de evitar, como carros, bombas e pedras. O caminho também é cheio de curvas, se tornando um labirinto em algumas partes. - Não pense que Papa-Léguas corre super rápido como no desenho, aqui, o Coiote pode nos apanhar a pé mesmo. A ambientação no deserto e os gráficos do jogo estão super fiéis ao desenho. O ponto negativo do jogo é que as sementes são difíceis de pegar.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Road Runner

    Platform: Arcade
    4 Players

    34
    • Micro picture
      volstag · over 1 year ago · 2 pontos

      Esse do Pinguim eu joguei bastante, e nunca tinha reparado, ele é exatamente o mesmo daquele joguinho que ela vai percorrendo o ártico pra ir pra toca dele né?
      Já esse do Papa léguas eu nem sabia que existia hahaha, mas que gráfico bonito!!

      1 reply
    • Micro picture
      porlock · over 1 year ago · 2 pontos

      caramba.. esse do Papa-Léguas eh muito bunitinho.

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · over 1 year ago · 2 pontos

      Q massa esse PAPA LÉGUAS...
      ---
      Bem engraçado esse do PINGUIM...deve ser bastante divertido.

      2 replies
  • 2018-06-28 08:32:59 -0300 Thumb picture

    #83 - Hang-On [Arcade] 1985

     Yu Suzuki entrou para a Sega em 1983 e se tornou líder de projetos logo no seu primeiro jogo lançado, o Champion Boxing. Como gostava muito de andar de moto, ele desenvolveu um jogo corrida para Arcades. Foi o primeiro jogo a usar gráficos de 16-bits e a técnica de Super Scale para passar a sensação de 3D, esticando os sprites muito rapidamente. Além disso, o jogo introduziu o conceito de sensor de movimentos para os Arcades, pois o controle do gabinete nada mais era que uma moto de plástico em tamanho real e o jogador deveria se inclinar para os lados para conseguir virar a moto no jogo. O jogo conta com 6 segmentos de uma mesma pista e se trata de uma corrida contra o tempo.

     - Um dos jogos de corrida mais gostosos de jogar. Não precisamos nos preocupar com marchas, basta acelerar, desviar dos oponentes e fazer as curvas de forma controlada, freando ou soltando o acelerador. Os gráficos do jogo são fantásticos e tudo é muito rápido, muito mesmo. Você se sente realmente pilotando a moto em altíssima velocidade. A animação de cair e ver a moto explodindo também é bem da hora. Há várias placas de propagandas ao lado das pistas, como a Shell, Garelli e até uma paródia com os cigarros Marlboro. A música de fundo é bem legal, mas quase não dá para ouvir devido ao barulho da moto.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @filipessoa, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Hang-On

    Platform: Arcade
    29 Players
    2 Check-ins

    16
Keep reading → Collapse ←
Loading...