historia_dos_games

Revivendo a história dos games em ordem cronológica

You aren't following historia_dos_games.

Follow him to keep track of his gaming activities.

Follow

  • 2019-05-13 09:16:42 -0300 Thumb picture

    Os computadores da segunda metade dos anos 80

    Medium 3721243 featured image

    Como visto no post anterior sobre o assunto, o lançamento do Macintosh lançou a nova tendência de interfaces gráficas e todas as fabricantes começaram a trabalhar em modelos de computadores com suporte a isso. Em 1986, a britânica Acorn lança o BBC Master, o mais potente computador 8-bits da empresa. A Amstrad lança o PC1512, compatível com a família IBM-PC e vem com o sistema GEM de interface gráfica, presente geralmente em computadores Atari ST. A Apple lança o mais poderoso computador da linha II, o Apple IIGS, com destaque para o primeiro sistema com interface gráfica colorida e foco na parte sonora. Há também uma atualização na sua linha principal, com o Macintosh Plus, melhorando recursos de memória e processador.

     NA CES de 1987, a Commodore lança 2 novos computadores da linha Amiga. O Amiga 500 é o de baixo custo que ajudou a popularizar a sistema e o Amiga 2000 é o high-end que permitia diversos cartões de expansão. O Acorn Archimedes é um dos primeiro computadores com arquitetura ARM de 32 bits lançado também em 1987. No mesmo ano, chega o IBM PS/2, um dos maiores sucessos da empresa que popularizou o novo sistema operacional da Microsoft, o Windows. No Japão, o Sharp X68000 é mais robusto e caro computador do mercado, capaz de rodar jogos de Arcade com extrema fidelidade. O Apple IIc Plus é o último modelo da linha 8-bits da empresa, que logo caiu no esquecimento dada a grande demanda por processadores de 16-bits.

     Em 1989, o britânico SAM Coupé é um clone de ZX Spectrum que ficou muito popular no Reino Unido. No Japão, a Fujitsu lança o FM Towns, um computador em forma de torre com grande foco em games e aplicações multimídia. A Apple lança uma série produtos baseado na linha Macintosh II, que iniciou em 1987. Em 1989 Macintosh IIcx é o sucessor do IIx lançado no ano anterior e traz ainda mais poder tecnológico, seguido pelo Macintosh IIci com 3 slots de expansão. A linha principal também recebe upgrade com o Macintosh SE/30. A Apple também lança seu primeiro computador portátil, o Macintosh Portable, com grande duração de bateria, tela monocromática e uma trackball para simular os movimentos do mouse.

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico, @srdeath [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    47
    • Micro picture
      leandro · about 1 year ago · 2 pontos

      Como sempre fui mais consolista ( fui ter contato com PC´s em 1997, em um curso básico de informatica e, em 2005, fui ter o meu primeiro PC ( já com Doom 3, instalado ). Esses posts sobre a historia dos PC´s é sempre bem vindo pra mim. Valeu

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 2 pontos

      Bizarro esses modelos... já tivemos um desses ou a variação deles...

      1 reply
    • Micro picture
      onai_onai · about 1 year ago · 2 pontos

      Só fui ter acesso a um PC depois dos anos 2000...

      1 reply
  • 2019-05-10 09:38:32 -0300 Thumb picture

    Combo#146 [NES] (1989): Splatterhouse: Wanpaku Graffiti & Mappy Kids

    Usando o selo Namcot, para burlar a regra de 5 jogos por ano da Nintendo, a Namco lança um jogo que faz uma paródia de seu game de terror dos Arcades, Splatterhouse. Jennifer lamenta a morte de Rick, que é atingido por um raio e levanta. Logo depois, Pumpkin King também ressuscita e rapta Jennifer. Rick então, equipado com um machado, parte em busca de salvar sua namorada. O jogo faz paródia com o próprio gênero de terror, tornando cômico cenas tradicionais vistas em filmes. - Um joguinho muito divertido de se jogar, pois tem mais etapas de plataforma ao invés de apenas Beat ‘em up. As salas onde enfrentamos chefes são um verdadeiro desafio. A trilha sonora, as referências e os gráficos do jogo são os pontos de maior destaque.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

    Com a intenção de tentar emplacar o mascote, a Namco lança o terceiro jogo do rato Mappy. Após as aventuras em Mappy Land, o filho parte em sua própria aventura para arrumar uma esposa, mas os gatos Meowkies continuam dificultando sua jornada. O jogo segue como um jogo de plataforma comum, onde o filho de Mappy deve coletar itens valiosos para arrecadar dinheiro e construir sua casa. O grande destaque no jogo vai para o mapa estilo Super Mario Bros. 3, mini-games ao final de cada fase e multiplayer com a tela dividida. - Mesmo com gráficos simples e dificuldade baixa, o jogo se sai extremamente divertido. A jogabilidade é simples e o multiplayer com a tela dividida deixa tudo ainda melhor.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico, @srdeath [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Splatterhouse: Wanpaku Graffiti

    Platform: NES
    66 Players
    10 Check-ins

    31
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 2 pontos

      Nunca vi a versão ARCADE e nem essa do NES do SPLATTERHOUSE.
      Curioso...

      2 replies
    • Micro picture
      mjdias · about 1 year ago · 2 pontos

      oxi, esse splatterhouse chibi kkkkk nunca vi

      1 reply
    • Micro picture
      old_gamer · about 1 year ago · 2 pontos

      Tb tenho esse splatterhouse cib do famicom, pena que ficou apenas no Japão, e é o único game desta franquia para os consoles clássicos da Nintendo.

      1 reply
  • 2019-05-09 09:16:06 -0300 Thumb picture

    #146 - DuckTales [NES] 1989

     A Capcom fecha parceria com a Disney e produz um jogo do Tio Patinhas, o pato mais rico do mundo. Grande parte do time de desenvolvimento do jogo veio de Mega Man e segue um estilo semelhante. Podemos escolher qual das 5 fases começar e há itens chave espalhados por cada uma que garante ao Tio Patinhas explorar áreas de outras fases. Sua principal arma é sua bengala que pode ser usada para pisar nos inimigos ou também usada como pula-pula para alcançar lugares mais altos. Há vários segredos espalhados pela fase e em sua maioria são itens valiosos que garantem dinheiro ao Tio Patinhas, que serve como pontuação, ou comida, para restaurar sua vida.

     - Mais um jogo primoroso da Capcom para o NES. Apesar do personagem do Tio Patinhas não ser tão famoso como os outros personagens da Disney, a Capcom conseguiu criar um jogo único e super divertido. Tio Patinhas deve viajar para diferentes lugares no mundo para adquirir tesouros para a sua fortuna. Há também uma fase na lua e após completar todas, vamos para a Transilvânia enfrentar o chefe final Dracula Duck. Além dos gráficos charmosos e trilha sonora fantástica, especialmente o tema da lua e da Amazônia, a jogabilidade é perfeita e a dinâmica com a bengala funciona muito bem. O design das fases é não linear, o que permite uma ampla exploração pelo cenário em busca de segredos.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico, @srdeath [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    DuckTales

    Platform: NES
    995 Players
    11 Check-ins

    45
  • 2019-05-08 09:17:25 -0300 Thumb picture

    Combo#145 [Arcade] (1989): Dragon Breed & R-Type II

    A Irem cria um jogo de shoot ‘em up horizontal onde controlamos o jovem rei Kayus, que monta em seu dragão, Bahamoot, para impedir que a escuridão do rei das trevas consuma o planeta. O dragão é invulnerável a tiros e pode causar danos em inimigos só de esbarrar. São 4 power-ups diferentes para Bahamoot, que muda sua cor e padrões de tiro. Kayus pode desmontar do Dragão em plataformas. - Um jogo muito diferente e com uma jogabilidade fantástica. O fato de Bahamoot causar dano nos inimigos e te proteger dos tiros dá uma maior liberdade ao jogador. Os gráficos são primorosos, em especial pelo movimento do dragão, que é capaz de se enrolar todo e disparar para todos lados.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     A Irem também lança a continuação do jogo R-Type. O jogo segue o mesmo estilo de seu antecessor, onde podemos usar a Force acoplada na nova nave, a R-9C, ou deixar ela auxiliar no combate separada. Além do feixe carregado, um novo tiro foi adicionado ao jogo, dispersando um poderoso feixe estilo Shotgun. Novos power-ups também foram adicionados, além da opção de usar mísseis teleguiados ou bombas terrestres. As fases possuem etapas que o cenário se movimenta. - O segundo jogo da série é tão bom quanto seu antecessor. Nossa nave pode usar vários power-ups ao mesmo tempo, que ajuda bastante, mas a dificuldade permanece alta, especialmente pelos obstáculos em movimento.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico, @srdeath [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    R-Type II

    Platform: Arcade
    10 Players

    32
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 3 pontos

      Nunca fui muito fã de games de nave...mas tá ae um game que curtia pacas: R-TYPE...mesmo morrendo muitas vezes naqueles chefes macabros...

      4 replies
    • Micro picture
      leandro · about 1 year ago · 3 pontos

      Cara, eu nunca joguei esse Dragon Breed. Parece ser excelente. Vou conferir

      1 reply
    • Micro picture
      old_gamer · about 1 year ago · 3 pontos

      R-type 2 foi portado tb para o famicom, mas ficou só no Japão. Tenho o jogo completo na coleção.

      3 replies
  • 2019-05-07 09:07:43 -0300 Thumb picture

    #145 - S.T.U.N. Runner [Arcade] 1989

     A Namco pode ter saído na frente com o primeiro jogo de corrida poligonal da história, o Winning Run, mas a Atari desenvolveu um jogo muito mais surpreendente usando o hardware do jogo Hard Drivin’. Se trata do primeiro jogo poligonal da história com super velocidade, onde nossa nave pode chegar a 900 KM/h. O jogo se passa no futuro e nosso personagem entra em uma nave para percorrer vários circuitos oferecidos pelos 3 níveis que o jogo apresenta. Além de correr, nossa nave pode atirar e destruir os inimigos e obstáculos pelo caminho. Ao final de cada circuito, ganhamos um upgrade para a nave, melhorando sua velocidade, controle ou poder de fogo. Cada jogada é delimitada por um tempo de percurso.

     - O polígono é realmente o futuro para os jogos de corrida. Mesmo estando em alta velocidade, o visual do jogo não fica embaralhado, como acontece em Power Drift, que usa sprites. A ação do jogo é frenética e a maior parte do percurso se passa dentro de tubos, onde podemos correr pelas paredes e teto. Cada pista tem um objetivo diferente, como coletar estrelas verdes no chão, destruir uma certa quantidade de inimigos ou mesmo só vencer a pista antes que o tempo acabe, passando por cima dos indicadores de turbo. O visual do jogo é fenomenal, não só pela grande quantidade de elementos na tela, mas também pela paisagem de fundo, quando é possível ver.

    Nota pessoal: ★★★★★

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico, @srdeath [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    S.T.U.N. Runner

    Platform: Arcade
    2 Players

    32
    • Micro picture
      leandro · about 1 year ago · 2 pontos

      Jogo excelente. Mas, ate hoje, não vi nada parecido em termos de velocidade como FZero GX. Mano, aquilo ali é um absurdo. E o jogo em si é excelente, diga-se de passagem. Um trabalho incrível da Amusement Vision ( estúdio pertencente a Sega )

      2 replies
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 2 pontos

      Rapaz...que lindo (pra época, não?).
      ...
      Não conhecia...nunca vi...nunca joguei, infelizmente.😎

      2 replies
    • Micro picture
      darlanfagundes · about 1 year ago · 2 pontos

      Parece muito bom mesmo... nunca tinha visto...

      1 reply
  • 2019-05-06 08:53:22 -0300 Thumb picture

    Atari Lynx: o primeiro portátil com tela colorida

    Medium 3720003 featured image

    Em 1986, 3 ex-funcionários do Amiga se unem para criar um novo sistema de aparelho portátil e logo foram contratados pela Epyx para trabalhar no projeto. Em janeiro de 1989, na CES, é apresentado pela primeira vez o Handy Game, em forma de protótipo. Com 4 botões de controle, 5 botões de ação, 2 alto-falantes estéreo e uma inovadora tela LCD colorida. Devido a dificuldades financeiras que a Epyx estava enfrentando, ela foi a procura de parceiros e a Atari fecha negócio com ela, financiando a propaganda e a produção enquanto a Epyx fazia os jogos. Ao final do ano, a Epyx declara falência e a Atari dá continuidade ao portátil, fazendo um redesenho completo do aparelho e o lançando sob o nome de Atari Lynx em setembro de 1989.

     O primeiro portátil com tela colorida da história também era o primeiro a apresentar configurações para destros e canhotos, bastando girar o aparelho ao contrário. Com uma orientação horizontal, o sistema vinha com um direcional em cruz, 2 pares de botões de ação, uma saída de som mono, mas ficava estéreo quando conectado com fones de ouvido, botões para ligar o aparelho, opções e reiniciar. Por dentro, ele vinha equipado com uma CPU de 16-bits customizada, Mikey e uma GPU de 16-bits, Suzy, que era capaz de escalonar e distorcer sprites na tela, permitindo efeitos de pseudo 3D belíssimos. Os jogos vinham formato de cartuchos e o cabo ComLynx permitia que até 15 outros portáteis pudessem ser conectados para permitir partidas em multiplayer. Tanta tecnologia devorava 6 pilhas AA em 4 ou 5 horas de uso.

     Foram lançados 5 títulos junto do aparelho. ElectroCop trazia um jogo de tiro com plataforma bem simples. Gates of Zendocon é um shoot ‘em up horizontal com 51 fases e uma jogabilidade bem rápida. Blue Lightning é o título de maior destaque do portátil, apresentando um jogo no estilo de After Burner com belíssimos efeitos de pseudo 3D para um portátil. Chip’s Challenge é um jogo de quebra-cabeças com visão superior e California Games, um porte de um dos maiores sucessos da Epyx para computadores domésticos, onde era apresentado uma série de jogos esportivos ambientados no verão. O portátil vendeu muito bem no mês de seu lançamento, mesmo custando mais do que o dobro que o GameBoy, 190 dólares.

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico, @srdeath [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    45
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 4 pontos

      Protótipo sinistro...
      ...
      Super curioso.
      Não conhecia.
      ...

      2 replies
    • Micro picture
      joanan_van_dort · about 1 year ago · 2 pontos

      Já joguei nessa jabironga ae...
      Apesar das boas ideias que ele apresentou parte da execução não foi das melhores. Mas tem seus méritos. Ele é desconfortável de usar, os botões parecem longe demais uns dos outros e lembro também que tinha um certo delay entre acionar os comandos e o aparelho responder.
      Mas rodava super bem e os jogos eram bem bonitos por estarem na tela de um portátil, e isso fazia esses probleminhas desaparecerem.
      Pena que não era meu, acabava brincando emprestado. Se na época eu tivesse grana teria comprado um desses fácil, fácil. Era um bom aparelho.

      8 replies
    • Micro picture
      darlanfagundes · about 1 year ago · 2 pontos

      Que louco hein! Essa tela tá ótima! Mano, esse negócio tava muito a frente de seu tempo!

      1 reply
  • 2019-05-02 21:32:27 -0300 Thumb picture

    Combo#144 [NES] (1989): Destiny of an Emperor & Sweet Home

     Baseado no mangá de Tenchi wo Kurau, a Capcom cria um RPG baseado no Romance dos Três Reinos. O jogo narra a história dos irmãos Liu Bei, Zhang Fei e Guan Yu que vagam pela China antiga recrutando soldados e generais para aumentar seu exército de até 70 guerreiros para derrotar o feiticeiro Zhang Jiao e sua tropa de rebeldes de Turbante Amarelo. Em combate, é possível escolher as opções de ação ou escolher um modo de batalha automática. - Um jogo de guerra, estratégia e RPG muito diferente de qualquer outro. É legal chamar vários soldados para integrar ao seu grupo, mas logo no início, o jogo se mostra bem difícil, pois ao invés dos monstros genéricos, o combate se dá com generais e cada confronto é exaustivo.

    Nota pessoal: ★★☆☆☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     Agora baseado no filme de mesmo nome, a Capcom cria outro RPG bem diferente de todos, que definiu o gênero de survival horror. Acompanhamos a história de 5 jornalistas que investigam uma mansão mal assombrada para ter acesso à afrescos raros. É possível controlar cada integrante individualmente ou formar equipes e cada um possui um item especial para desvendar os quebra-cabeças do jogo. Há somente 2 slots de inventário para cada personagem e um para arma. Se um dos personagens morrer, ele permanece morto até o final do jogo. - Um jogo de RPG super tenso e que passa muito bem a sensação de sobrevivência. Várias armadilhas e enigmas estão espalhados pela mansão e o combate é em primeira pessoa, como em Mother.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico, @srdeath [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Sweet Home

    Platform: NES
    108 Players
    13 Check-ins

    31
  • 2019-04-30 08:22:42 -0300 Thumb picture

    #144 - Mother [NES] 1989

     A Ape desenvolve um RPG muito diferente dos tradicionais, fugindo do mundo da fantasia ou do futuro. O jogo vai seguir as aventuras do garoto Ninten, de 12 anos, ambientado nos tempos atuais. As armas tradicionais foram substituídas por brinquedos e a magia por poderes psíquicos. No decorrer da história, Ninten descobre que o motivo de acontecimentos sobrenaturais que estão acontecendo pelo mundo é devido a uma raça alienígena que se instalou na Terra. O jogo é inspirado em Dragon Quest III, com sistema de batalhas e menus bem parecidos. O jogo se destaca por sua trilha sonora única com ritmos pop e gráficos bem detalhados, onde temos uma perspectiva isométrica e um mapa único todo conectado, sem separação por setores como ocorre normalmente em outros RPG orientais.

     - De fato, um RPG totalmente diferente de tudo que havia até então. A ambientação atual deixa tudo muito mais divertido de explorar e somada a trilha sonora impecável te faz lembrar da época que a imaginação rolava solta quando éramos crianças. O jogo requer muito tempo para evoluir, pois os inimigos logo do início são bem difíceis e demora até que os outros integrantes do grupo entrem para sua equipe. O jogo possui um sistema de dinheiro bem diferente, onde nosso pai, por telefone transfere o dinheiro para a conta de Ninten e ele deve sacar em um caixa bancário usando o Cash Card. O jogo faz uma sátira com outros RPGs, deixando tudo muito engraçado e com algumas sacadas bem geniais.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Mother

    Platform: NES
    246 Players
    49 Check-ins

    38
    • Micro picture
      joanan_van_dort · about 1 year ago · 2 pontos

      Esse é um jogo que a sátira usa de sarcasmo. Gosto! hahaha
      Só que a exigência de grind dele é violenta... se não ficar upando o jogador passa apertado.

      4 replies
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 2 pontos

      Eu era criança...e não entendia bulhufas do game...kkkkk
      Por isso o deixei de lado...

      6 replies
    • Micro picture
      srdeath · about 1 year ago · 2 pontos

      Se puder me marcar nas próximas, agradeço!

      1 reply
  • 2019-04-29 09:13:31 -0300 Thumb picture

    Combo#143 [MS-DOS] (1989): Drakkhen & Hero's Quest

    Em uma ilha devastada pelo fim da magia graças ao assassinato do último dragão, há uma grande dominância de largatos e várias outras criaturas ameaçam o fim da raça humana. 4 heróis partem para a ilha a fim de acabar com a princesa do clã Drakkhen. O jogo se apresenta como um RPG inovador com elementos de adventure. A exploração pela ilha é livre e em perspectiva 3D. O combate é automático, mas algumas ações podem ser previamente programadas. Há 4 opções de classes para escolher e diversos equipamentos e itens para comprar. - Um dos RPG mais impressionantes de todos. A navegação em campo aberto é muito rápida e os gráficos são belíssimos. O que acaba pecando no jogo é sua dificuldade, seja nos combates repentinos contra criaturas fortes ou com a orientação confusa no início.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    ----------------------------------------------------------------------

    ----------------------------------------------------------------------

     A Sierra On-line lança um novo jogo de aventura que mistura elementos de RPG e exploração, redefinindo o gênero. É possível escolher uma das três classes para o protagonista e seu objetivo é concluir várias missões e tarefas na terra de fantasia dominado pela ogra Baba Yaga, que transformou vários nativos em animais e criaturas. O jogo se destaca pela transição de dia e noite incorporado a como o mundo funciona, com lojas e missões disponíveis em determinado tempo. Os combates acontecem em tempo real com visão nas costas do herói. - Uma ideia muito original, mas que ainda usa o interpretador de textos para interagir com o mundo. O personagem cansa, sente fome e evolui de forma natural.

    Nota pessoal: ★★★☆☆

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Drakkhen

    Platform: PC
    5 Players

    36
    • Micro picture
      darlanfagundes · about 1 year ago · 3 pontos

      Não conheço quase nada desse 'console', mas acho as cores dele bem legais!

      1 reply
    • Micro picture
      andre_andricopoulos · about 1 year ago · 2 pontos

      Nossa...DRAKKHEN...eu via muito meu irmão jogando. Eu arriscava um pouco...

      1 reply
  • 2019-04-27 08:57:18 -0300 Thumb picture

    #143 - Indiana Jones and the Last Crusade [MS-DOS] 1989

     A fim de ser lançado junto ao filme de mesmo nome, a LucasFilm Games cria seu terceiro jogo a usando o motor SCUMM. O jogo conta a mesma história do filme, onde Indiana Jones parte para uma nova aventura a fim descobrir o paradeiro de seu pai e os segredos em torno do objeto arqueológico lendário, o Santo Graal. Uma das grandes novidades adicionada ao motor foi a opção de diálogos com diferentes respostas que podemos dar durante a conversa. O jogo também teve destaque pela implementação de diferentes formas de resolver um mesmo quebra-cabeças, aumentando o fator replay e dando mais variedade e soluções lógicas para jogadores novatos.

     - Mais um outro jogo de adventure da LucasFilm Games, porém, ainda mais convidativo e com enigmas que fazem mais sentido, pois há um filme para os jogadores terem uma base melhor e resolver os quebra-cabeças do jogo. O foco no jogo é a exploração do cenário e uso de itens, trazendo mais a parte arqueológica investigativa do herói. As cenas de ação são poucas e um outro jogo foi desenvolvido para representar tais cenas com mais propriedade. Os gráficos do jogo são impecáveis e cada detalhe no cenário pode ser importante para a solução do quebra-cabeça. O jogo é silencioso, mas os momentos que há músicas, consegue representar muito bem a sensação do filme.

    Nota pessoal: ★★★★☆

    @andre_andricopoulos, @lipherus, @cleitongonzaga, @jack234, @old_gamer, @ziul92, @mardones, @porlock, @darlanfagundes, @velhoretrogamer, @jokenpo, @darth_gama, @armkng, @lgd, @luizkorynga, @marlonildo, @joanan_van_dort, @zak_yagami, @volstag, @manoelnsn, @shuichi, @gus_sander, @willguigo, @thecriticgames, @fredson, @kb, @sergiotecnico [Quem quiser ser marcados nas próximas postagens, é só botar nos comentários]

    Indiana Jones and the Last Crusade

    Platform: PC
    82 Players
    1 Check-in

    38
    • Micro picture
      darlanfagundes · about 1 year ago · 4 pontos

      Que legal, nunca vi esse Indiana Jones, obrigado por compartilhar...amanhã mesmo jogo ele!

      5 replies
    • Micro picture
      msvalle · about 1 year ago · 3 pontos

      Joguei muito esse aí, jogão!

      1 reply
    • Micro picture
      lordsearj · about 1 year ago · 2 pontos

      Lembro desse jogo. Até ds caixa dele. Tinha na livraria Saraiva. Uma vez arrumei emprestado e tentei rodar no meu Pentium 100 mmx. Não consegui. Rsrsrsrsrs. Ficou a vontade

      1 reply
Keep reading → Collapse ←
Loading...